Banca de DEFESA: ARÍCIA RAVANE PEREIRA DA CRUZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ARÍCIA RAVANE PEREIRA DA CRUZ
DATA : 07/03/2022
HORA: 14:00
LOCAL: http://meet.google.com/qyf-gqjx-wxp
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA DOSE OCUPACIONAL EM PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS PARA TRATAMENTO DE LITÍASE URINÁRIA


PALAVRAS-CHAVES:

litíase urinária; nefrolitotripsia percutânea; ureterorrenolitotripsia; fluoroscopia; dosimetria ocupacional


PÁGINAS: 90
RESUMO:

A nefrolitotripsia percutânea (NLPC) e a ureterorrenolitotripsia (UR) são consideradas modalidades de tratamento endourológico de primeira linha para litíase urinária, de modo que ambas as técnicas fazem uso intraoperatório de fluoroscopia para visualização do sistema coletor e localização dos cálculos urinários. Entretanto, apesar dos benefícios gerados, tais procedimentos cirúrgicos podem acarretar exposições fluoroscópicas de longa duração, submetendo a equipe médica aos riscos associados à radiação ionizante. O presente estudo apresenta os resultados da avaliação dosimétrica ocupacional para procedimentos de nefrolitotripsia percutânea e de ureterorrenolitotripsia, realizados em três hospitais da cidade de Recife, Pernambuco. Foram monitorados 30 procedimentos de NLPC e 23 procedimentos de UR, os quais foram realizados utilizando equipamentos de arco em C, do mesmo fabricante, dotados de intensificador de imagem. Para a dosimetria ocupacional, foram utilizados dosímetros termoluminescentes na região dos olhos, mãos, joelhos e pés dos profissionais; além de dosímetros OSL, posicionados nas regiões do tórax e da tireoide, para avaliação da dose efetiva. Os resultados mostraram que a partir de 4 procedimentos de NLPC por semana, o médico principal poderá receber doses na região dos olhos que ultrapassem o limite anual de 20 mSv, estabelecido por normas nacionais e internacionais. Para os casos de UR, esta carga de trabalho semanal foi de 30 procedimentos. O máximo valor de equivalente de dose pessoal Hp(d) obtido neste trabalho foi 1586,35 µSv registrado para a mão esquerda do médico principal em um procedimento de NLPC. A interposição da mão do cirurgião no feixe de radiação primário e o elevado índice de massa corpórea do paciente tratado neste procedimento foram fatores associados a este resultado. Quanto à dose efetiva, os valores médios obtidos em procedimentos de NLPC para os médicos principal e auxiliar em uma das instituições avaliadas, foram 9,93 μSv e 10,44 μSv, respectivamente. Para os procedimentos de UR, os valores médios de dose efetiva nesta mesma instituição foram 5,26 μSv e 4,65 μSv para os médicos principal e auxiliar, respectivamente. Ademais, os resultados apontam que a nefrolitotripsia percutânea é a modalidade de tratamento endourológico que está associada às exposições ocupacionais mais significativas, entretanto, medidas de radioproteção como o uso da fluoroscopia pulsada e de óculos pumblíferos mostraram-se eficazes para a redução das doses recebidas por membros da equipe médica.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - HUGO REUTERS SCHELIN
Externo à Instituição - GUSTAVO HENRIQUE VIEIRA DE ANDRADE
Interno - 1800093 - VINICIUS SAITO MONTEIRO DE BARROS
Notícia cadastrada em: 03/03/2022 21:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01