Banca de DEFESA: EDILANDIA FARIAS DANTAS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EDILANDIA FARIAS DANTAS
DATA : 23/02/2022
HORA: 14:00
LOCAL: https://meet.google.com/qwg-tnfu-jsa
TÍTULO:

SIMBIOSE ENTRE ALGAROBA E RIZÓBIOS  NATURALMENTE ESTABELECIDOS EM SOLOS DE  PERNAMBUCO: POTENCIAL DE APORTE DE  NITROGÊNIO


PALAVRAS-CHAVES:

Prosopis juliflora; Fixação Biológica De Nitrogênio; Nodulação


PÁGINAS: 60
RESUMO:

A algaroba, Prosopis juliflora (Sw) DC, é uma leguminosa capaz de aportar nitrogênio atmosférico pelo processo da fixação biológica de nitrogênio (FBN). Existem mais de 67 mil hectares de algarobais espontâneos em Pernambuco e não existem estimativas das quantidades de N aportadas por essa leguminosa e dos fatores que podem regular a eficiência da simbiose e nem quais são as características das populações de rizóbios nativos que nodulam a espécie. Portanto, o objetivo deste trabalho foi gerar uma melhor compreensão do processo de FBN em algarobais naturalmente estabelecidos em Pernambuco. Foram escolhidos seis algarobais, naturalmente estabelecidos, para avaliação da biomassa e quantificação do N aportado via FBN, utilizando a técnica da abundância natural. As biomassas foram estimadas e amostras de solo e plantas foram coletadas em cinco parcelas de 20 m X 20 m, em cada área. As amostras foram analisadas no CENA, USP. Um experimento em casa de vegetação foi conduzido com solo das seis áreas, cultivando algaroba como planta isca. Nodulação ocorreu nas plantas cultivadas nos solos de todas as áreas, comprovando a existência de populações de bactérias capazes de nodular a algaroba. Fixação biológica de nitrogênio ocorreu em cinco das áreas (Ibimirim, Tuparetama, Terra Nova e Ouricuri e Parnamirim) mas não em Floresta.  Esta ausência da FBN não pode ser explicada pela ausência de rizóbios no solo, cuja presença foi comprovada no experimento de casa-de-vegetação. As proporções de N fixado nas folhas variaram de 24 a 71% nas cinco áreas, correspondendo a 5 a 66 kg ha-1, sendo maior em Ibimirim, devido à maior biomassa foliar. Extrapolando a quantidade média fixada (28,6 kg ha-1) para os 67 mil hectares estima-se um aporte anual de 2 Gg de N fixados nas folhas dos algarobais naturalmente estabelecidos em Pernambuco.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - DOMINGOS BENÍCIO OLIVEIRA SILVA CARDOSO - UFBA
Externa à Instituição - CAROLINA ETIENNE DE ROSÁLIA E SILVA SANTOS
Interno - 1131090 - EVERARDO VALADARES DE SA BARRETTO SAMPAIO
Externo à Instituição - PAULO IVAN FERNANDES JUNIOR
Interno - 1465789 - ROMULO SIMOES CEZAR MENEZES
Notícia cadastrada em: 23/02/2022 12:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01