Banca de DEFESA: YELINA GONZÁLEZ PÉREZ

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : YELINA GONZÁLEZ PÉREZ
DATA : 31/08/2021
HORA: 15:00
LOCAL: https://us02web.zoom.us/j/89106388479?pwd=SEp6cjhOUUF5ZlVGdmRGWVZxMjJ2QT09 (Meeting ID: 891 0638 84
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DOSIMÉTRICO PARA AUDITORIAS / INTERCOMPARAÇÕES EM TÉCNICAS AVANÇADAS DE RADIOTERAPIA


PALAVRAS-CHAVES:

Radioterapia, BeO, controle de qualidade


PÁGINAS: 138
RESUMO:

A Arcoterapia Volumétrica Modulada (VMAT) é uma modalidade de Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) altamente precisa, que utiliza campos em formato de arcos, com maior eficácia na conformação e administração de altas doses de radiação no volume-alvo, minimizando a dose nos tecidos normais adjacentes, com tempos de tratamento muito curtos em comparação com outras técnicas. Devido à grande complexidade e ao número de processos envolvidos nesta técnica, é necessário um cuidadoso comissionamento, controles de qualidade mais rigorosos, além de auditorias / intercomparações. É objetivo de este trabalho implementar o protocolo TG-119 da AAPM, para medida de dose pontual, adaptando sua aplicação à técnica de tratamento VMAT, utilizando dosímetros de estado sólido de BeO bem como, desenvolver um sistema dosimétrico com base em dosímetros de BeO para que possam ser utilizados em auditorias / intercomparações nas clínicas que realizam tratamentos com a técnica VMAT. Para tanto, foram inicialmente realizados estudos de reprodutilidade, sensibilidade e de resposta OSL em função da dose para os dosímetros de BeO. Os resultados mostraram que os dosímetros de BeO podem ser usados na implementação do protocolo TG-119. Foi desenvolvido um objeto simulador, que com os dosímetros de BeO, formam o sistema dosimétrico, Kit-OSL. Foram planejados e administrados os testes do protocolo TG-119 sobre o Kit-OSL, avaliando as doses medidas com os dosímetros de BeO em pontos ubicados em regiões de alta e baixa doses usando como referência os limites de confiança apresentados no protocolo para cada região. Os resultados mostraram que o limite de confiança de 2,40 %, encontrado na região de alta dose e de 3,19 % na região de baixa estão dentro dos limites de confiança apresentados no TG-119 de 4,5 % e 4,7 %, respectivamente. Pode-se considerar que a implementação do protocolo TG-119 foi correta e o sistema dosimétrico com base em dosímetros de BeO (Kit-OSL) pode ser utilizado em auditorias / intercomparações, nas clínicas que realizam tratamentos com a técnica VMAT.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - MARIO ANTONIO BERNAL RODRIGUEZ
Externo à Instituição - MARCOS ELY ALMEIDA ANDRADE
Externa ao Programa - 027.238.454-27 - MÉRCIA LIANE DE OLIVEIRA - MCTI
Presidente - 1800093 - VINICIUS SAITO MONTEIRO DE BARROS
Externo à Instituição - WILLIAM JARAMILLO GARZON
Notícia cadastrada em: 30/08/2021 21:44
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01