PGGGEN PROGRAMA DE POS-GRADUACAO EM GENETICA - CB DEPARTAMENTO DE GENETICA - CB Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: BARBARA NATIELI SILVA PEREIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : BARBARA NATIELI SILVA PEREIRA
DATA : 12/05/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Google Meet: / Horario: 14:00hs
TÍTULO:

Identificação molecular e diversidade genética de espécies de dípteros com interesse forense




PALAVRAS-CHAVES:

Entomologia Forense; Chrysomya albiceps; DNA mitocondrial; Taxonomia molecular




PÁGINAS: 103
RESUMO:

Dípteros necrófagos são frequentemente encontrados em locais de crime, sendo úteis, principalmente às formas imaturas, nos processos de estimativa do intervalo pós-morte e de identificação de vítimas e suspeitos. A identificação taxonômica dos espécimes é uma etapa crucial na rotina forense, a qual vem sendo facilitada graças ao uso de técnicas de biologia molecular. Utilizar marcadores moleculares robustos e conhecer a estrutura genética destas espécies é de suma importância para a eficácia das atividades periciais. O presente trabalho objetivou comparar dois marcadores moleculares mitocondriais úteis para a técnica barcode em dípteros de interesse forense e investigar a diversidade genética da espécie Chrysomya albiceps de populações de quatro continentes. Dípteros foram coletados nas dependências dos Institutos de Medicina Legal da Paraíba e Pernambuco e adicionalmente foram utilizadas amostras da coleção entomológica da Universidade de Brasília. A extração do DNA ocorreu utilizando fenol-clorofórmio e Chelex 10%, em seguida foram sequenciadas as regiões COI e CytB dos dípteros, realizada buscas por sequencias homologas no NCBI através de BLASTn e uma análise de distância genética foi executada no software MEGA. Por sua vez, a análise de diversidade genética da espécie C. albiceps ocorreu a partir de sequencias nucleotídicas da região barcode do COI obtidas no NCBI e analisadas nos softwares Mega, DnaSP e Network. Os resultados da identificação de dípteros mostram que a região do CytB proposta como barcode revelou-se mais robusta, apresentado valores de distância genética superiores aos do COI e que a espécie C. albiceps apresenta baixa diversidade genética e ausência de haplótipos exclusivos na América do Sul. Desta forma, concluímos que COI e CytB são boas regiões para a taxonomia molecular, no entanto o CytB é mais robusto e que a espécie C. albiceps possui pouca diversidade no gene COI, não sendo recomendada para analises de deslocamento de cadáveres.




MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - MARTIN ALEJANDRO MONTES
Interno - 766.381.974-87 - RITA DE CASSIA DE MOURA - UFPE
Externa à Instituição - SILVIA HELENA BAREM RABENHORST
Externo à Instituição - SIMAO DIAS DE VASCONCELOS FILHO
Presidente - 3226717 - VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
Notícia cadastrada em: 28/04/2022 14:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02