Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPE

2022
Dissertações
1
  • WALESKA STEFANY MOURA DINIZ
  • INTERPRETAÇÃO DE INFOGRÁFICOS ESTATÍSTICOS POR ESTUDANTES DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 

  • Orientador : GILDA LISBOA GUIMARAES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GILDA LISBOA GUIMARAES
  • ROSINALDA AURORA DE MELO TELES
  • SUZI SAMÁ PINTO
  • Data: 27/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem como objetivo investigar as compreensões apresentadas por estudantes de 3º e 5º anos do Ensino Fundamental ao interpretar infográficos estatísticos, buscando, especificamente, investigar a forma como os alunos fazem a leitura dos infográficos estatísticos, observando a ordem e os elementos que se destacam; verificar se o ano escolar tem influência sobre a interpretação dos infográficos; identificar os elementos facilitadores e dificultadores da interpretação dos dados nos infográficos e discutir os elementos cognitivos e disposicionais mobilizados pelos estudantes ao interpretar infográficos estatísticos, na perspectiva do Letramento Estatístico. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com aproximação do método clínico-piagetiano com 20 estudantes de 3º e 5º anos de cidades da Região Metropolitana de Recife. As entrevistas envolveram questões de interpretação de dois infográficos estatísticos retirados de revistas destinadas ao público infantojuvenil. Os resultados apontaram que alguns alunos, principalmente do 3º ano realizaram uma leitura a partir dos elementos que os chamavam atenção, enquanto vários alunos do 5º ano realizaram uma leitura linear, como em texto convencional. Porém, a ordem de leitura não interferiu na interpretação dos infográficos de ambos os anos. Estudantes de ambos os anos, em sua maioria, mostraram ser capazes de ler e compreender os dados apresentados em texto e em diferentes tipos de gráficos (gráficos de barras simples, múltiplas e sobrepostas, gráficos de setores e pictóricos), bem como, de reconhecer porcentagens e compreender grandes quantidades (grandezas de milhões e bilhões, e medidas em toneladas e hectares) e números decimais. Além disso, avaliaram de forma crítica e elaboraram suas próprias conclusões sobre os dados, tomando decisões para resolver a situação do desperdício de comida ou da produção do lixo e do seu descarte incorreto. Porém, os estudantes do 5º ano interpretaram mais e demonstraram mais autonomia durante as análises dos dados. Para compreender as mensagens estatísticas dos infográficos os estudantes mobilizaram elementos cognitivos, habilidades de letramento e conhecimentos estatísticos, matemáticos e de contexto/mundo para avaliar criticamente as informações, concluir sobre os dados e tomar decisões, demonstrando postura crítica. Alguns conhecimentos matemáticos foram elementos dificultadores da compreensão, como as grandezas (milhões e bilhões), as medidas (hectares e toneladas) e os números decimais. Consideramos que os infográficos possuem elementos que facilitam e dificultam a compreensão das informações e por esse motivo defendemos a necessidade de o produtor de infográficos conhecer os conhecimentos e as limitações do público-alvo. Consideramos fundamental que os estudantes sejam letrados estatisticamente, para que possam compreender e refletir criticamente a respeito as informações veiculadas através de infográficos.


  • Mostrar Abstract
  • This study aims to investigate the understandings presented by students of 3rd and 5th years of elementary school when interpreting statistical infographics, specifically seeking to investigate how students read statistical infographics, observing the order and the elements that stand out ; check whether the school year has an influence on the interpretation of infographics; identify the elements that facilitate and hinder the interpretation of data in infographics and discuss the cognitive and dispositional elements mobilized by students when interpreting statistical infographics, from the perspective of Statistical Literacy. Semi-structured interviews were carried out with an approach to the clinical-Piagetian method with 20 students from the 3rd and 5th years of cities in the Metropolitan Region of Recife. The interviews involved questions of interpretation of two statistical infographics taken from magazines aimed at children and adolescents. The results showed that some students, mainly from the 3rd year, performed a reading based on the elements that called their attention, while several students from the 5th year performed a linear reading, as in conventional text. However, the reading order did not interfere in the interpretation of the infographics of both years. Students from both years, for the most part, proved to be able to read and understand the data presented in text and in different types of graphs (single, multiple and overlapping bar graphs, pie and pictorial graphs), as well as to recognize percentages and understand large quantities (magnitudes of millions and billions, and measures in tons and hectares) and decimal numbers. In addition, they critically evaluated and drew their own conclusions from the data, making decisions to resolve the situation of food waste or garbage production and its incorrect disposal. However, 5th grade students interpreted more and demonstrated more autonomy during data analysis. To understand the statistical messages of the infographics, students mobilized cognitive elements, literacy skills and statistical, mathematical and context/world knowledge to critically assess the information, conclude about the data and make decisions, demonstrating a critical stance. Some mathematical knowledge were elements that made understanding difficult, such as quantities (millions and billions), measurements (hectares and tons) and decimal numbers. We consider that infographics have elements that make it easier and more difficult to understand the information and, for this reason, we defend the need for the producer of infographics to know the knowledge and limitations of the target audience. We consider it essential that students are statistically literate, so that they can understand and critically reflect on the information conveyed through infographics.

2
  • PAULO BENTO ALVES
  • PLANIFICAÇÕES DE SÓLIDO GEOMÉTRICOS NO ENSINO REMOTO: UM ESTUDO DA GÊNESE INSTRUMENTAL  DE ESTUDANTES

  • Orientador : VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CELINA APARECIDA ALMEIDA PEREIRA ABAR
  • JOSE IVANILDO FELISBERTO DE CARVALHO
  • ROSILANGELA MARIA DE LUCENA SCANONI COUTO
  • VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • Data: 23/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa tem por objetivo caracterizar a gênese instrumental do estudante sobre planificação de sólido geométrico, no ensino remoto, quando exploram artefatos simbólicos incluídos em tecnologias digitais na resolução de problemas contextualizados. Foi no cenário das aulas remotas, em tempos de pandemia, que a pesquisa se desenvolveu. Neste ambiente virtual de estudo, buscamos compreender como o estudante desenvolve sua gênese instrumental ao utilizar o Software Geogebra para resolver situações com planificação de sólidos geométricos. O quadro teórico é composto pela noção de Esquemas de Gérard Vergnaud, a Abordagem Instrumental de Pierre Rabardel, metodologicamente utilizamos a Orquestração Instrumental de Luc Trouche, a Orquestração Instrumental Online de Gitirana e Lucena e a Planificação de Sólido Geométrico (composição do estudo da geometria espacial). Os participantes da pesquisa foram quatro alunos do segundo ano médio de uma escola pública estadual de Pernambuco. Eles vivenciaram três encontros remotos com estudos voltados à compreensão da geometria espacial no dia a dia e a solução de situações com o uso do Software Geogebra. A metodologia desta pesquisa compôs quatro Orquestrações Instrumentais Online: modelo teórico que tem por objetivo contribuir com a construção de abordagens em um ambiente remoto rico em tecnologias digitais, assim como, facilitar a ocorrência da gênese instrumental dos estudantes. Ao compreender o desdobramento da gênese instrumental de estudantes em aulas remotas com artefatos simbólicos incluídos em tecnologias digitais, esperamos contribuir com o estudo científico voltado à aprendizagem da geometria espacial em ambiente virtual e impulsionar o ensino da matemática por meio das tecnologias digitais.


  • Mostrar Abstract
  • This research aims to characterize the student's instrumental genesis on solid geometric planning in remote education when they explore symbolic artefacts in digital technologies to resolve contextualized problems. In this virtual study environment, we seek to understand how the student develops his instrumental genesis when using the Geogebra Software to solve situations with geometric solids planning. The theoretical framework comprises Schemes by Gérard Vergnaud, the Instrumental Approach by Pierre Rabardel and the Planning of Geometric Solid (composition of the study of spatial geometry). Methodologically we use the Instrumental Orchestration by Luc Trouche and the Instrumental Orchestration Online by Gitirana and Lucena. The research participants were four high school second-year students from a state public school in Pernambuco. They experienced three virtual meetings aiming at understanding spatial geometry in everyday life and solving situations using the Geogebra software. The methodology of this research consisted of four Online Instrumental Orchestrations: a theoretical model that aims to contribute to the construction of approaches in a remote environment rich in digital technologies and facilitate the occurrence of the instrumental genesis of students. By understanding the unfolding of the instrumental genesis of students in virtual classes with symbolic artefacts included in digital technologies, we hope to contribute to the scientific study aimed at learning spatial geometry in a virtual environment and boosting the teaching of mathematics through digital technologies.

3
  • NAHARA MORAIS LEITE
  • HISTÓRIA EM QUADRINHOS DIGITAL: CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO DE GEOMETRIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA

  • Orientador : ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • CRISTIANE AZEVEDO DOS SANTOS PESSOA
  • THELMA PANERAI ALVES
  • ABIGAIL FREGNI LINS
  • Data: 04/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • A nossa sociedade está fortemente influenciada e marcada pela inserção das
    Tecnologias Digitais que por meio delas transformam nossa maneira de pensar, agir e sentir,
    como também, as formas de comunicar e adquirir conhecimento. E nos dias atuais,
    entendemos que o maior desafio encontrado pelos professores não é a falta de recursos
    tecnológicos, pois todos os dias surgem novos aparatos tecnológicos, mas o fato de tais
    docentes não terem uma formação tecnológica que favoreça a sua prática docente. As
    Histórias em Quadrinhos (HQs), assim como outros meios de comunicação e artes, estão
    sofrendo mudanças e adaptações diante da convergência digital. Atualmente, a produção de
    Quadrinhos digitais está evoluindo, vai desde os mais simples, transposição literais de suas
    versões impressas para a tela, até aquelas que investem em recursos multimidiáticos de alta
    complexidade. Por isso, o presente estudo objetivou em analisar o uso de História em
    Quadrinhos Digital (HQD) no ensino de Geometria do Ensino Fundamental. O referencial
    teórico desta pesquisa está fundamentado nas seguintes temáticas: a Cultura Digital e suas
    influências das Tecnologias Digitais na Educação (KENSKI, 2007; MORAN, 2004;
    CASTELLS, 2007), o uso de tecnologias na formação continuada do professor de Matemática
    (NACARATO, 2006; IMBERNÓN, 2010; KENSKI, 2008; SANDES; MOREIRA, 2018), as
    Tecnologias Digitais no ensino de Geometria. Como também, a origem das HQs e suas
    influências no Brasil e no mundo (VERGUEIRO; RAMOS e CHINEN, 2013; MOYA, 1993),
    as HQs no ambiente educacional (VERGUEIRO; RAMOS, 2020; NETO; SILVA, 2015)
    juntamente com as influências nos recursos digitais (VIANNA; SETTON, 2004; SILVA,
    2015; FRANCO, 2009; MCCLOUD, 2006). Além de abordar os elementos essenciais para
    construção de uma HQs (EISNER, 2010; 1989; SOUZA, 2015). Este estudo caracteriza-se
    como pesquisa-formação e tem natureza qualitativa, e como ponto de partida dividiu-se em
    três etapas: curso de formação para professores de Matemática da Educação Básica, no qual
    utilizou como instrumento de coleta de dados questionários e a observação-participante, em
    seguida, análise do processo de formação no qual foram coletados os dados por meio de
    entrevistas semiestruturada e a proposta didática do uso de HQD na sala de aula pelos
    professores de Matemática, e por fim, a construção de HQD pelos alunos dos professores de
    Matemática abordando o conteúdo de Polígonos e como instrumento de coleta de dados será
    analisado os materiais produzidos, baseado na análise de conteúdo (BARDIN, 2011).


  • Mostrar Abstract
  • The cultural and social transformations that have been taking place due to the increasing
    intensity of Digital Technologies, especially in the educational environment, have allowed
    the emergence of several resources, such as software and applications, that seduce
    students. Therefore, Comics are undergoing changes and adaptations in the face of digital
    convergence. Currently, the production of Digital Comics is evolving, ranging from the
    simplest ones, literal transposition of their printed versions to the screen, to those that
    invest in highly complex multimedia resources. We believe that technological resources
    can collaborate with the teaching and learning processes of Mathematics, being able to
    enhance and assist in the explanation of the content, especially those of Geometry (SILVA
    and GAYESKI, 2018). Therefore, our study aimed to analyze the use of Digital Comics
    (DCM) in the teaching of Geometry in Basic Education. The theoretical framework of this
    research is based on the following themes: Digital Culture and the use of Digital
    Technologies in Education, especially in the continuing education of Mathematics teachers
    in Basic Education and Geometry teaching (LEMOS, 2020; CASTELLS, 2007;
    FIORENTINI and NACARATO, 2005; SANDES and MOREIRA, 2018; MENESES, 2007;
    SILVA and GAYESKI, 2018; BRASIL, 2017), as well as, the origin of comics and their
    influences in Brazil and the world (VERGUEIRO; RAMOS and CHINEN, 2013; MOYA,
    1993), addressing about comics in the educational environment (VERGUEIRO; RAMOS,
    2020; NETO; SILVA, 2015) along with the influences of Digital Comics (VIANNA; SETTON,
    2004; SILVA, 2015; FRANCO, 2009; MCCLOUD, 2006). In addition to addressing the
    essential elements for building a comic book (EISNER, 2010; 1989; SOUZA, 2015). This
    study is characterized as training research (SANTOS, 2019) and has a qualitative nature,
    we used as data collection instrument online questionnaires, semi-structured interviews,
    participant observation and analysis of the production of the HQDs both by the teachers
    participating in the training course and by the students of Mathematics teachers based on
    Content Analysis (BARDIN, 2011). According to our research question, in what ways the
    use of comics can contribute to the continuing education of Mathematics teachers in Basic
    Education?, we can the results and discussions from the semi-structured interviews and
    the answers from the online questionnaires the answers from the online questionnaires we
    can see that the use and production of comics by teachers and their students contributed
    in a significant and contextualized way to the contextualized way to the teaching and
    learning of geometric content in various of teaching and learning geometric content in
    various stages of Basic Education. Moreover, we observed that the comic book
    constructions managed to contemplate the Geometry contents in a creative and
    communicative way, associating them with daily life situations, making the reader reflect
    on the characters' speech and body expressions, developing the interaction between
    verbal and visual language present in the comics. However, we believe that our study has
    contributed to expand the didactic strategies of math teachers using the resource of comic
    books to improve the interaction with their students and systematize the mathematical
    contents, especially Geometry. And by providing students the engagement and the
    protagonism of producing their own narrative.

4
  • AMANDA REGINA DOS SANTOS ANDRADE
  • O ENSINO DE ESTATÍSTICA POR PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DOS ANOS INICIAIS

  • Orientador : GILDA LISBOA GUIMARAES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GILDA LISBOA GUIMARAES
  • CRISTIANE AZEVEDO DOS SANTOS PESSOA
  • MILKA ROSSANA GUERRA CAVALCANTI
  • Data: 08/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Pesquisas propostas nas escolas podem ser um modo de contribuir com o desenvolvimento da autonomia dos cidadãos e pode ser uma maneira de ampliar as possibilidades de aprendizagem dos alunos da Educação de Jovens e Adultos – EJA. Assim, temos como objetivo analisar o que dizem professores de Educação de Jovens e Adultos sobre suas práticas para o processo de ensino de pesquisa estatística. Mais especificamente buscamos analisar o conhecimento de conceitos estatístico do ciclo investigativo de pesquisa estatística de professoras de Eja dos anos iniciais; o que as professoras dizem sobre suas práticas didáticas para o ensino do ciclo investigativo de pesquisa estatística e comparar o conhecimento estatístico com o que dizem sobre suas práticas. Para cumprir esse objetivo realizamos entrevistas com 10 (dez) professoras da EJA de escolas municipais da Região Metropolitana de Recife do Modulo 3, turmas com equivalência ao 4º ou 5º ano do ensino regular. Foi elaborado um roteiro para traçar o perfil das professoras e seu conhecimento conceitual e didático para o ensino de estatística. Todas as entrevistas foram gravadas pela plataforma Google Meet. Foi observado que as professoras apresentam dificuldades com conceitos estatísticos, principalmente a construção de gráficos. Elas acreditam que os alunos de Eja tem muitas dificuldades para aprender e a estatística é difícil e por isso precisa ser ensinada bem devagarinho com situações bem simples, o que se configura como um equívoco. Acreditamos ser imprescindível a realização de processos de formação inicial e continuada  sobre o ensino aprendizagem de estatística que permitam de fato os alunos serem cidadãos.


  • Mostrar Abstract
  • Pesquisas propostas nas escolas podem ser um modo de contribuir com o desenvolvimento da autonomia dos cidadãos e pode ser uma maneira de ampliar as possibilidades de aprendizagem dos alunos da Educação de Jovens e Adultos – EJA. Assim, temos como objetivo analisar o que dizem professores de educação de Adultos sobre suas práticas para o processo de ensino e aprendizagem de pesquisa estatística. Para cumprir esse objetivo serão realizadas entrevistas com 10 (dez) professores da EJA de escolas municipais da Região Metropolitana de Recife do Modulo 3, turmas com equivalência ao 4º ou 5º ano do ensino regular. Foi elaborado um roteiro com perguntas sobre tempo de atuação profissional na EJA, motivos que levaram a escolha da modalidade de ensino e visão sobre o ensino de estatística na EJA. Em seguida iremos solicitar que resolvam algumas situações de ensino de estatística para analisarmos o domínio conceitual deles. Todos as entrevistas serão gravadas pela plataforma Google Meet. Para adequarmos essa metodologia realizamos duas entrevistas piloto no mês de abril. Os resultados evidenciam que os professores relatam realizar pesquisas nas aulas, mas as mesmas não são, de fato, pesquisas estatísticas e sim apenas de coleta de dados como, por exemplo, levantar preços de alimentos em supermercado para comparar as grandezas. Além disso, apresentam compreensões limitadas referentes aos conceitos de classificação, interpretação de tabelas e construção de gráficos. A estatística parece ser um campo desconhecido, o que leva a construção de práticas educacionais com lacunas no campo da estatística, principalmente, no contexto da pesquisa com alunos da EJA. 

5
  • GERLAINE HENRIQUE DA COSTA
  • CENÁRIOS PARA INVESTIGAÇÃO E ENSINO DE ESTATÍSTICA EM ESCOLAS DO CAMPO: um estudo com professores do município de Surubim-PE

  • Orientador : LILIANE MARIA TEIXEIRA LIMA DE CARVALHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LILIANE MARIA TEIXEIRA LIMA DE CARVALHO
  • CARLOS EDUARDO FERREIRA MONTEIRO
  • ALDINETE SILVINO DE LIMA
  • Data: 14/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa objetiva analisar como professoras de escolas do campo que atuam nos anos iniciais do Ensino Fundamental propõem atividades de ensino de Estatística envolvendo Cenários para Investigação na perspectiva do Letramento Estatístico e da Educação do Campo. E em termos específicos buscamos: identificar a concepção de Educação do Campo e do ensino de Estatística das professoras participantes da pesquisa; promover estudos e reflexões com as docentes com vistas à elaboração de atividades sobre o ensino de Estatística fundamentadas nos Cenários para Investigação e na Educação do Campo e na perspectiva do Letramento Estatístico; e analisar atividades elaboradas pelas professoras à luz da Educação Matemática Crítica, especificamente, dos Cenários para Investigação, articulando a Educação do Campo e do Letramento Estatístico. A metodologia consolidou-se em cinco etapas inter-relacionadas e vinculadas ao alcance dos objetivos específicos propostos. Na primeira etapa realizou-se um levantamento das escolas do campo que ofertam os anos iniciais no município de Surubim-PE. Na segunda etapa, onze docentes que lecionam no segundo ciclo do Ensino Fundamental das escolas foram convidados(as) para responder a um questionário elaborado no Google formulário, desses, na terceira etapa, apenas seis professoras aceitaram o convite e responderam ao questionário. Na quarta etapa realizamos discussões em grupo durante cinco encontros com quatro professoras que responderam ao questionário e aceitaram continuar na pesquisa. Na quinta etapa, realizamos as análises das propostas de atividades elaboradas pelas professoras durante o desenvolvimento dos encontros do grupo de estudos. A partir dos questionários verificamos que a localização geográfica da escola é um referencial para as docentes considerarem tanto o conceito de Educação do Campo como de escola do campo. Observou-se ainda que apesar das professoras apresentarem alguns conhecimentos prévios sobre Estatística, ressalta-se a ausência desse conhecimento em cursos de formação inicial como continuada. Quanto aos encontros do grupo de discussão, identificamos que estes contribuíram para que as docentes construíssem novos conhecimentos em relação aos temas trabalhados durante as vivências das atividades. Identificamos de maneira geral, que as propostas de atividades das professoras apresentaram tópicos envolvendo perspectivas de Cenários para Investigação como, por exemplo, contexto de uma situação real e engajamento em uma pesquisa. Essas propostas possibilitaram ainda reflexões críticas sobre o contexto social e de vida dos estudantes camponeses, podendo conduzir o estudante a refletir criticamente acerca das suas condições e das políticas públicas que podem afetar a sua qualidade de vida. Esses tópicos propostos nas atividades das professoras contribuíram para articulações de aspectos da Educação do Campo com possibilidades para o letramento estatístico tanto no sentido de envolver elementos do conhecimento como elementos de disposição. Consideramos, portanto, que o desenvolvimento dos encontros do grupo de discussão consistiu em possibilidade de vivência de formação continuada para as professoras, com ênfase na valorização dos contextos socioculturais dos estudantes camponeses numa perspectiva crítica. 


  • Mostrar Abstract
  • O objetivo geral do projeto de dissertação consiste em analisar atividades relacionadas a Cenários para Investigação como possibilidade para o Ensino de Estatística na perspectiva do letramento estatístico nos anos iniciais do Ensino Fundamental por professores de Escolas do Campo do município de Surubim-PE. Como objetivos específicos busca-se: identificar conhecimentos dos professores sobre o ensino de Estatística na perspectiva da Educação Matemática Crítica e do letramento estatístico; promover com os professores situações problematizadoras para a elaboração de atividades sobre o Ensino de Estatística com base em Cenários para Investigação e que possibilitem o letramento estatístico; e analisar práticas docentes relacionadas ao Ensino de Estatística com base nas atividades planejadas. A metodologia está organizada para acontecer em cinco etapas inter-relacionadas e vinculadas ao alcance dos objetivos específicos. Na primeira etapa foi realizado mapeamento das escolas do campo que ofertam os anos iniciais no município de Surubim-PE e na segunda, onze docentes que lecionam no segundo ciclo do Ensino Fundamental das escolas mapeadas responderam um questionário elaborado no Google formulário e enviado por email. As perguntas do questionário foram agrupadas a partir das seguintes temáticas: perfil, conhecimentos de educação do campo, de educação estatística, letramento estatístico e ensino de estatística. Na terceira etapa será criado um grupo de WhatsApp com os professores que responderam ao questionário e que manifestarem o desejo de continuar participando da pesquisa objetivando organizar os dias e horários para a realização dos encontros do grupo de discussão. Na quarta etapa pretendemos realizar, através da plataforma do Google Meet, encontros com os professores integrantes do grupo de discussão para estudos e reflexões acerca do planejamento e elaboração de atividades focadas em Cenários para Investigação e que potencializem o letramento estatístico. Por fim, na quinta etapa, serão realizadas observações em sala de aula da prática daqueles(as) docentes que aceitarem o convite para desenvolver em suas aulas as atividades elaboradas no processo de discussão nos grupos. O estudo encontra-se em progresso e já foram realizadas a primeira e segunda etapas e planejada a proposta de formação com os participantes que desejarem continuar colaborando com a pesquisa.

6
  • IZABELA CRISTINA BEZERRA DA SILVA
  • ENSINO E APRENDIZAGEM DE ESTATÍSTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: LITERATURA INFANTIL E HISTÓRIA EM QUADRINHOS COMO RECURSOS PEDAGÓGICOS

  • Orientador : GILDA LISBOA GUIMARAES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GILDA LISBOA GUIMARAES
  • CRISTIANE AZEVEDO DOS SANTOS PESSOA
  • KATIA CRISTINA STOCCO SMOLE
  • Data: 15/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Acreditamos que a literatura infantil e a história em quadrinhos são recursos com grande potencial pedagógico para a aprendizagem dos alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental. O professor pode utilizar esses recursos em diversas disciplinas permitindo um trabalho interdisciplinar e contextualizado.

    Entretanto, através de uma revisão da literatura, constatou-se que existem poucos estudos que trazem uma abordagem de livros literatura infantil para o ensino e aprendizagem de Estatística e com o uso de histórias em quadrinhos, nenhum artigo foi encontrado que envolvesse conceitos estatísticos.

    A pesquisa deve ser o eixo do ensino aprendizagem de Estatística como argumentam Guimarães e Gitirana (2013). Assim, nossa proposta abrange o desenvolvimento do ciclo investigativo que envolve a definição dos objetivos a serem investigados, o levantamento de hipóteses, a definição da amostra, coleta e classificação dos dados, sistematização dos dados em gráficos e/ou tabelas, análise, conclusão e novos questionamentos surgem levando a novas pesquisas, caracterizando-se, então, como um ciclo.

    Desse modo, configura-se a problemática de investigação da dissertação a seguinte questão: Como o uso de diferentes recursos pedagógicos (literatura infantil e história em quadrinhos) pode favorecer no processo de ensino e aprendizagem de Estatística em turmas dos anos iniciais do Ensino Fundamental? Para tal, desenvolvemos um processo interventivo utilizando literatura infantil e histórias em quadrinhos (HQs) para a compreensão do ciclo investigativo por alunos do 5º ano os quais foram analisados e comparados, buscando ver a viabilidade e adequação dos mesmos.

    Observamos que os alunos que a princípio apresentavam dificuldades relacionadas a conceitos estatísticos, a partir da vivência de duas pesquisa em sala passaram a compreender a sua função, aprenderam sobre as diferentes fases do ciclo e, muito animados elaboraram novas pesquisas que gostariam de realizar. A aprendizagem se deu forma equitativa nas quatro turmas, independente do gênero literário utilizado nas intervenções. A mediação da pesquisadora foi fundamental no sentido de levar os alunos a aprendizagem do ciclo investigativo e na promoção da autonomia deles.

     

     

     

     

     

     

     


  • Mostrar Abstract
  • Este trabalho tem por objetivo analisar como alunos do 5º ano do Ensino Fundamental podem
    aprender a pesquisar partindo de situações interdisciplinares utilizando literatura infantil e história em
    quadrinhos (HQs). A metodologia consistirá em um estudo qualitativo utilizando o ensino híbrido (parte
    presencial e parte on line), no qual serão realizadas uma diagnose, abordando as fases do ciclo
    investigativo e, em seguida, uma intervenção com quatro turmas do 5º ano do Ensino Fundamental,
    versando sobre todas as fases do ciclo. Duas turmas terão a intervenção apoiada em livros de literatura
    infantil, com Estatística explícita e implícita no enredo; as outras duas turmas terão a intervenção com o
    uso de história em quadrinhos, também trazendo Estatística explícita e implícita.

7
  • EDUARDA FERNANDA DA COSTA PONTES
  • UMA COMPOSIÇÃO DE ORQUESTRAÇÕES INSTRUMENTAIS DE FORMAÇÃO SOBRE SALA DE AULA INVERTIDA

  • Orientador : VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • ROSILANGELA MARIA DE LUCENA SCANONI COUTO
  • Data: 15/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisabuscou construir, experimentar e validar uma composição de Orquestrações Instrumentais de Formação On-line sobre a Sala de Aula Invertida (SAI) para licenciandos de matemática. Partiu-se da seguinte questão de pesquisa: Como construir uma formação de professores, constituída por uma composição de Orquestrações Instrumentais, para proporcionar conhecimento aos licenciandos em torno da Sala de Aula Invertida? Os fundamentos da pesquisa foram divididos em três blocos. O primeiro traz à tona a concepção de metodologias ativas, com enfoque na sala de aula invertida. O segundo aborda a questão da formação de professores, mais especificamente a formação complementar de professores. E, no último, constrói-se a noção de Orquestração Instrumental de Formação On-line, a partir de seis construtos chaves, as noções de situação e esquema, a de gênese instrumental, a Orquestração Instrumental, incluindo a noção de performance didática, a Metaorquestração Instrumental e a Orquestração Instrumental on-line (OI on-line). A metodologia teve por base a construção de uma composição com três OI on-line, com o intuito de promover uma discussão teórica-prática-reflexiva acerca da SAI. As Orquestrações Instrumentais pensadas trazem descrição da configuração didática e modo de execução, seguindo o design proposto na Metaorquestração Instrumental. A performance da OI de formação on-line foi realizada como formação complementar para estudantes de licenciatura. Ao final, dois estudantes compuseram os participantes da pesquisa. A performance didática da composição de orquestração foi gravada por meio de gravação das vídeo-conferências. Serviram de dados também documentos construídos ao longo da formação e diários de bordo, feitos a partir das observações da formadora. Os dados coletados seguiram uma análise microgenética, baseando-se em Meira, com descrição das suas etapas. Os resultados nos mostram que as orquestrações instrumentais desenvolvidas conseguiram proporcionar conhecimento acerca da SAI, bem como do seu planejamento, mas, apesar disso, evidenciaram que ainda há uma comparação significativa entre o método tradicional e outros métodos de ensino. Aponta-se a necessidade de mais formações que apresentem esses métodos, como forma de ampliar o conhecimento dos professores ou dos futuros, mas também no sentido de proporcionar que os alunos estejam sempre no centro desse processo.


  • Mostrar Abstract

  • This research aimed to build, experiment and validate a composition of Online Instrumental Orchestration about flipped classrooms for preservice teacher education. The theoretical framework comprises three blocks. The first brings to light the concept of active methodologies, focusing on the flipped classroom. The second addresses the issue of teacher education, more specifically, the complementary training of teachers. And in the last one, the notion of Instrumental Orchestration of Online Teachers' education is constructed, from six key-constructs, the concepts of situation and scheme, the idea of instrumental genesis, the Instrumental Orchestration, including the notion of didactic performance, the Instrumental Metaorchestration and online Instrumental Orchestration (OI online). The methodology was based on constructing a composition with three IO online to promote a theoretical-practical-reflective discussion about SAI. The Instrumental Orchestrations describes the didactic configuration and exploration mode, following the design proposed in the Instrumental Metaorchestration. The didactic performance of online training undertaken as complementary training for undergraduate students. Two students comprised the research participants. The video recording of each video conferencing served as data. Students protocols during the training and logbooks made from the trainer's observations also served as data. The collected data followed a microgenetic analysis of Meira, describing its stages. The results show us that the instrumental orchestrations developed were able to provide knowledge about the SAI and its planning, but, despite this, they showed that there is still a significant comparison between the traditional method and other teaching methods. It points out the need for more teachers' education courses about active methodologies to expand the knowledge of teachers or future teachers and ensure that students are always at the centre of this process.


8
  • MARCELO LINS MUNIZ DE MELO SANTOS
  • Representações semióticas como artefato para a aprendizagem de funções: uma
    análise da gênese instrumental de licenciandos em matemática no ensino remoto

  • Orientador : VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • JADILSON RAMOS DE ALMEIDA
  • MERICLES THADEU MORETTI
  • ROSILANGELA MARIA DE LUCENA SCANONI COUTO
  • Data: 28/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa investiga de que maneira licenciandos em matemática se apropriam de artefatos simbólicos, como sistemas de representação semiótica, para solucionar atividades de funções definidas por partes, por meio de tratamentos e conversões no ensino remoto. Nosso quadro teórico-metodológico é composto pela Teoria dos Registros de Representação Semiótica (TRRS) e pela Abordagem Instrumental (AI). Esta pesquisa tem como aporte metodológico a Orquestração Instrumental On-line (OI On-line), pela qual faremos uso para planejar as sessões do experimento. No contexto atual da pandemia, todas as atividades da pesquisa foram realizadas On-line, por meio de encontros remotos síncronos. A metodologia compôs-se da análise dos registros escritos, dos licenciandos, tanto à punho quanto no quadro compartilhado, além da gravação das sessões. Foram realizados dois experimentos, denominados estudo preliminar e estudo principal, nos quais os dados obtidos foram analisados por meio da técnica da videografia com a análise microgenética. Nessa análise desenvolvemos um índice de eventos que envolveram tratamentos e conversões entre registros de representação semiótica de funções, identificados durante a resolução das situações realizadas pelos licenciandos. Os resultados apontam para a necessidade de adaptações, tanto a escrita do enunciado quanto às perguntas propostas nas atividades, de modo que sejam melhor compreendidas pelos sujeitos que irão solucionar a atividade, bem como o tempo de execução seja otimizado.



  • Mostrar Abstract
  • This research investigates how mathematics undergraduates appropriate symbolic artefacts, such as semiotic representation systems, to solve piecewise functions activities through treatments and conversions in remote teaching. Our theoretical framework comprises the Theory of Registers of Semiotic Representation (TRRS) and the Instrumental Approach (AI). This research has as its methodological contribution the Online instrumental orchestration model (OI Online), used to plan the experiment sessions. In the current context of the pandemic, all research activities were carried out online through synchronous remote meetings. The methodology consisted of analyzing written records of the undergraduates, both by hand and in the shared board, and recording the sessions. We carried out two experiments: a preliminary study and the main one; we used videography with a microgenetic technic to analyze the data for both studies. In this analysis, we developed an index of events that involved treatments and conversions between registers of semiotic representation of functions, identified during the resolution of situations performed by the undergraduates. The results revealed adaptations requirements, both on the situation statement and the questions proposed in it, to be better understood by the participants and optimize the execution time.


9
  • RAFAEL MARINHO DE ALBUQUERQUE
  • VÍDEOS INTERATIVOS PARA APRENDIZAGEM DE GEOMETRIA ANALÍTICA: UMA ORQUESTRAÇÃO INSTRUMENTAL ON-LINE NO ENSINO REMOTO

  • Orientador : VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • ROGERIO DA SILVA IGNACIO
  • VALDIR BEZERRA DOS SANTOS JUNIOR
  • VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • Data: 31/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Vídeos têm sido usados em complemento e, algumas vezes, em substituição às aulas tradicionais, introduzindo uma mudança de paradigma tanto na maneira como os professores ensinam como também na forma na qual os alunos aprendem. Particularmente em ambientes onde se utiliza a metodologia de Sala de Aula invertida ou ainda no ensino remoto, percebe-se o componente fundamental do uso de vídeos como parte da proposta. Como garantir, porém, que essa utilização não repetirá a mesma dinâmica de uma aula tradicional, em que o aluno continua recebendo as informações de forma passiva? Hoje existem plataformas na internet que permitem ao professor adicionar facilmente componentes interativos e até mesmo monitorar as interações dos alunos ao longo do vídeo, como possibilidade de dinamizar o processo de ensino-aprendizagem. Este estudo construir, experimentar e validar uma orquestração instrumental no ensino remoto elaborada com o uso de vídeos interativos em uma turma de licenciatura, no ensino de projeções ortogonais. A pesquisa se dá em uma perspectiva do ensino remoto, portanto, trata de uma orquestração instrumental on-line.. Um vídeo interativo foi especialmente produzido e utilizado nos momentos de orquestrações instrumentais assíncronas. Para sua elaboração utilizou-se a plataforma gratuita Vizia (https://vizia.co/). Para o momento síncrono da orquestração, foram realizadas atividades de discussão coletiva, visto que não foi possível realizar atividades em grupo. A orquestração instrumental on-line foi vivenciada durante uma disciplina de Geometria Analítica, como atividades do estágio docência na disciplina. Participaram, porém, do estudo 15 dos 60 estudantes, das licenciaturas em Matemática e Física que se voluntariaram a participar da pesquisa, tendo seus dados recolhidos para análise. Dos 15 estudantes, apenas oito interagiram com o vídeo, que compuseram de fato os participantes da pesquisa. Os resultados nos mostram uma resistência para adentrar no trabalho com vídeos interativos, porém nos permitiu gerar uma categorização dos comportamentos dos estudantes na interação com esse tipo de artefato, que vai dos passivos, os de interações seletivas, aos com interação total com as atividades do vídeo.


  • Mostrar Abstract
  • Videos have been used to complement and sometimes replace traditional lessons, introducing a paradigm shift in both the way teachers teach and students learn. Particularly in environments where the flipped classroom methodology is used or even in remote teaching, the fundamental component of the use of videos is perceived as part of the proposal. How to guarantee, however, that this use will not repeat the same dynamics of a traditional class, in which the student continues to receive information passively? Today there are platforms on the internet that allow the teacher to add interactive components easily and even monitor student interactions throughout the video, as a possibility to streamline the teaching-learning process. This study builds, experiments, and validates an instrumental orchestration in remote teaching developed using interactive videos in a teaching class about orthogonal projections. The research takes place from a remote teaching perspective; therefore, it deals with an online instrumental orchestration. An interactive video was specially produced and used in moments of asynchronous instrumental orchestrations. For its elaboration, we used the free Vizia platform (https://vizia.co/). We carried out collective class discussion activities for the synchronous moment of orchestration since it was impossible to carry out group activities. The online instrumental orchestration was performed during an undergraduate course of Analytical Geometry as activities of the teaching internship. Fifteen of the 60 students from the Mathematics and Physics preservice teachers who volunteered to participate in the research were the subject of our study, having their data collected for analysis. Of the 15 students, only eight interacted with the video, which made up the research participants. The results show us resistance to getting into the work with interactive videos. However, it allowed us to categorise the students' interaction with this type of artefact, ranging from passive, those of selective interactions, to those with total interaction with the activities of the video.

10
  • SUELMA AMORIM DO NASCIMENTO
  • O ENSINO HÍBRIDO NA PERCEPÇÃO DE LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

  • Orientador : MARCELO SABBATINI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCELO SABBATINI
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • RICARDO FERREIRA DAS NEVES
  • Data: 26/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • No cenário educacional contemporâneo vivenciamos tempos pandêmico, causado pelo vírus Sars-Cov-2 (Covid-19). A abordagem de ensino híbrido é uma das alternativas para ressignificar o processo de ensino, presente há muitos anos no contexto da educação. A aplicabilidade do ensino híbrido requer a mesclagem da abordagem de ensino na presencialidade e on-line, além do uso de elementos tais como a personalização, interatividade, flexibilidade, tecnologia educacional, conectividade, inovações sustentada e disruptiva, dentre outras potencialidades para o ensino e aprendizagem. O estudo de dissertação tem como objetivo geral relacionar a percepção do ensino híbrido de licenciandos em ciências biológicas na formação inicial com a perspectiva interativa no ensino da biologia no contexto pandêmico. O estudo apoia-se em pesquisadores do ensino híbrido Nessa perspectiva, elencamos como objetivos específicos: 1. Levantar as atitudes e experiências prévias de licenciandos em ciências biológicas na formação inicial a respeito do uso da tecnologia educacional no ensino da biologia; 2. Identificar a percepção de licenciandos em ciências biológicas na formação inicial em relação a personalização e o uso de artefatos digitais, a partir de sua vivência com a abordagem do ensino híbrido. 3. Categorizar a percepção prévia de licenciandos em ciências biológicas na formação inicial em relação a teoria da atividade e saberes docentes no ensino de biologia. Trata-se de um estudo de campo, por isso consideramos a metodologia que mais se adequa aos nossos propósitos é de natureza qualitativa, do tipo exploratória e descritiva, utilização de formulário e entrevistas semiestruturadas ambas em formato on-line, para análise dos dados recorremos ao método indutivo e análise de conteúdo. O resultado perceptível na pesquisa foram que os licenciando em ciências biológicas percebem o ensino híbrido como um concorrente de outras abordagens tais como o ensino remoto e ensino simultâneo. Contudo, os estudantes reconhecem os elementos do ensino híbrido tais como as atividades personalizadas, flexibilidade no processo de ensino, a complexidade e a durabilidade do aumento de atividades e horário atribuído com as tecnologias educacionais, a importância da interatividade no ensino e os saberes da prática docente. 


  • Mostrar Abstract
  • No cenário educacional atual, o ensino híbrido vigora-se manifestando expansivamente por inúmeras instituições de ensino no Brasil e demais países desenvolvidos. A busca de uma ressignificação no ensino e adaptações de atividades diversificadas com metodologias ativas e tecnologias digitais colabora para os setores da educação básica em tempos de pandemia coronavírus. O ensino híbrido “é um programa de educação formal no qual um aluno aprende, pelo menos em parte, por meio do ensino online, com algum elemento de controle do estudante sobre o tempo, lugar, modo e/ou ritmo do estudo, e pelo menos em parte em uma localidade física supervisionada. (CHRISTENSEN; HORN; STAKER, 2013, p.7). Nesse contexto, a pesquisa tem como objetivo geral relacionar as concepções de ensino híbrido dos professores em formação inicial de ciências biológicas com a perspectiva da aprendizagem ativa no ensino de biologia. Destacamos como objetivos específicos no estudo: 1. Categorizar as concepções prévias dos professores em formação inicial de ciências biológicas em relação aos pressupostos teórico-metodológicos no ensino de biologia. 2. Identificar as percepções dos professores em formação inicial em ciências biológicas em relação a protagonismo, autonomia, personalização e interação colaborativa com artefatos digitais, a partir de sua vivência com o ensino híbrido. 3. Identificar as percepções dos professores em formação inicial em ciências biológicas em relação à possibilidade de aplicação do ensino híbrido enquanto metodologia de aprendizagem ativa em seu futuro. 4. Levantar as atitudes e experiências prévias dos professores em formação inicial a respeito do uso da tecnologia educacional no ensino de biologia. Para tanto, discutirmos ao longo do estudo o Panorama do Ensino de ciências; Concepções da formação Inicial docente no ensino em Ciências; Fundamentos Conceituais do Ensino Presencial ao Ensino Híbrido, Taxonomia Inovadora do Ensino Híbrido e Metodologias Ativas de Aprendizagem e Tecnologias Digitais. O estudo apoia-se nas referências de defensores do ensino híbrido (CHRISTENSEN; HORN; STAKER, 2013) e (BACICH; NETO; TREVISANI, 2015); o emprego das tecnologias digitais ressaltamos os pesquisadores (KENSKI, 2012), (MORAN, 2015) e (VALENTE, 2014); Teoria da Atividade (VYGOTSKY, 1991), com a adaptação de comunidade por (ENGESTRÖM, 2001); Ciências, Tecnologia e Sociedade (GIL-PÉREZ; VILCHES (2011); (CACHAPUZ, JORGE, PRAIA, 2014); com relação aos múltiplos saberes docentes (TARDIF, 2006) e (CARVALHO E GIL-PÉREZ, 2011). A metodologia empreendida na pesquisa será de caráter qualitativa e abordagem do tipo descritiva e exploratória. Os instrumentos de coleta de dados, serão formulário e entrevistas com os estudantes do curso de licenciatura em ciências biológicas da UFPE no campus Recife. Para análise dos dados recorremos, a análise de conteúdo segundo (BARDIN, 2006).

11
  • SAULO AUGUSTO COIMBRA SANTOS DA SILVA
  • REGISTROS DE REPRESENTAÇÃO SEMIÓTICA DA FUNÇÃO AFIM EM LIVROS DIDÁTICOS DO 9° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

  • Orientador : ROSINALDA AURORA DE MELO TELES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ROSINALDA AURORA DE MELO TELES
  • JADILSON RAMOS DE ALMEIDA
  • FERNANDA ANDREA FERNANDES SILVA
  • Data: 10/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • E

    O objetivo desse estudo foi analisar à luz da Teoria de Registros de Representação Semióticas a abordagem da função afim em livros didáticos do 9° ano do ensino fundamental. Para a análise estabelecemos categorias que contemplam elementos da TRRS, tais como, a diversidade de representações, transformações (tratamento e conversão), o fenômeno de congruência e não congruência semântica e a abordagem global de propriedades figurais. Os dados obtidos  foram analisados por meio da metodologia de Análise de Conteúdo, proposta por Bardin (1977). A análise contemplou a diversidade de registros de representação semiótica da função afim, as transformações semióticas (tratamentos e conversões) e o fenômeno de congruência e não congruência semântica. Com relação à diversidade de registros, os resultados apontam a predominância do registro algébrico em detrimento dos demais. No que diz respeito às transformações semióticas entre registros, em todos os livros didáticos analisados  de livros analisadoso número de conversões é superior ao de tratamentos. Especificamente sobre as conversões identificamos que alguns livros didáticos não trabalham os dois sentidos das conversões. Na conversão do registro algébrico para o gráfico, predomina a abordagem ponto a ponto, entretanto algumas atividades exploram elementos da abordagem global de propriedades figurais. Por fim, a análise do fenômeno de congruência e não congruência semântica, de acordo como os critérios estabelecidos por Duval (2009), demonstrou que predominam casos de congruência semântica nas conversões mais frequentes envolvendo os registros de representação semiótica da função afim.


  • Mostrar Abstract
  • Este estudo tem o objetivo de analisar como livros didáticos de matemática do 9º ano do ensino fundamental introduzem o conteúdo de funções afim à luz da Teoria de Registros de Representação Semiótica (TRRS).  A TRRS desenvolvida pelo francês Raymond Duval subsidiará a análise das diversas representações semióticas da função afim presentes nos livros didáticos. Para a análise estabelecemos categorias que contemplam elementos da TRRS, tais como, a diversidade de representações, transformações (tratamento e conversão), o fenômeno de congruência e não congruência e a abordagem global de propriedades figurais. Os dados obtidos serão analisados por meio da metodologia de Análise de Conteúdo, proposta por Bardin (1977). No estudo preliminar realizado predomina o registro simbólico nas atividades do livro didático analisado, que pode significar a formalização precoce do conteúdo, considerado como uma das possíveis causas de dificuldades em estudos anteriores. As conversões privilegiam um dos sentidos, em alguns casos, temos apenas uma atividade que contempla o sentido oposto. A abordagem ponto a ponto como única estratégia para a conversão do registro simbólico para o registro gráfico. 

12
  • JESSICA HAYANA MONTEIRO SANTOS
  • IDENTIDADE DOCENTE NAS NARRATIVAS AUTOBIOGRÁFICAS DE EGRESSOS/AS DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO CAA-UFPE

  • Orientador : FATIMA M LEITE CRUZ
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FATIMA M LEITE CRUZ
  • ROSINALDA AURORA DE MELO TELES
  • MARIA DA CONCEICAO CARRILHO DE AGUIAR
  • Data: 14/06/2022

  • Mostrar Resumo
  •  

     

    Os processos formativos de professores/as de matemática atravessam momentos, transitam lugares e proporcionam trocas sociais que marcam a identidade profissional desses/as sujeitos/as. Nesse viés de formação docente, nossa pergunta de pesquisa emerge da realidade dos índices de retenção e terminalidade ampliada dos cursos de Licenciatura em Matemática: Quais concepções e perspectivas são mobilizadoras dos/as licenciandos/as em matemática em formação inicial para serem professores/as? A partir disso, traçamos como objetivo principal: Identificar os elementos constitutivos da identidade docente de estudantes na formação inicial de professores que ensinam matemática em um curso de Licenciatura em matemática da UFPE/ CAA.  Para esse estudo, tivemos a participação de 10 professores/as concluintes do curso de Licenciatura em Matemática da UFPE/CAA. A pesquisa é de cunho qualitativo e nos apropriamos do método autobiográfico para o seu desenvolvimento que foi dividido em duas etapas: na primeira construímos os dados através de formulário on-line para fazer o levantamento sociodemográfico referente à trajetória acadêmica desses/as docentes, e a técnica de escrevivências para as escritas de si; na segunda etapa realizamos um grupo focal on-line para conversar sobre as escolhas profissionais e as perspectivas presentes e futuras da profissão. Os dados foram analisados à luz dos Núcleos de significação, triangulados com teórico/as que nos serviram de base para a construção teórica. Como resultados, professores/as que buscam mudar a ótica cartesiana do ensino de Matemática perante as subjetividades e que acreditam na forma afetuosa da educação matemática, assim como na prática libertadora Freiriana. A sensibilidade e interação entre professor/a aluno/a foram fortemente presentes em suas narrativas e que trouxeram muito mais empatia do que queixas, apesar das barreiras que precisaram atravessar para se formar. Concluímos, portanto, que a permanência desses/as estudantes no curso de Licenciatura em Matemática se deu pelo apoio entre pares, pela compreensão de que podem fazer a diferença, a partir da escuta de seus estudantes.


  • Mostrar Abstract
  •  

    A formação de professores na contemporaneidade tem assumido, cada vez mais, a concepção de que o processo de construção do conhecimento é contínuo e relacional, exigindo dos sistemas educativos a qualificação que considere as demandas emergentes ao contexto sociocultural e desenvolva a formação profissional numa perspectiva interdisciplinar sem dicotomias entre a subjetividade e as aprendizagens formais. Esse estudo objetiva compreender os elementos constitutivos da identidade docente na formação inicial de professores da Universidade Federal de Pernambuco/Centro Acadêmico do Agreste que ensinam matemática (UFPE/CAA). As reflexões acerca da formação inicial nos fazem transitar por diversos fatores que contribuem na trajetória identitária de futuros professores de matemática e como constroem sentidos para ser professor. Os participantes da pesquisa são estudantes concluintes do curso de licenciatura em matemática e no método como técnica de construção de dados, nos apropriamos do método (auto)biográfico a partir de escrevivências. Na análise, em primeiro momento, faremos uma categorização para construir núcleos de significação das narrativas e como forma de devolutiva para os participantes, faremos no segundo momento, um grupo focal, a fim de socializar as análises das escrevivências e aprofundar os significados compartilhados.

13
  • GABRIEL VARELA SOARES DA SILVA
  • POTENCIALIDADE E LIMITAÇÕES DOS SOFTWARES DE GEOMETRIA DINÂMINCA: UMA ANÁLISE À LUZ DOS PRESSUPOSTOS APRESENTADOS PELA GEOMETRIA PROJETIVA

  • Orientador : FRANCK GILBERT RENE BELLEMAIN
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FRANCK GILBERT RENE BELLEMAIN
  • MARILENE ROSA DOS SANTOS
  • JORGE CÁSSIO COSTA NÓBRIGA
  • Data: 17/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa tem como objetivo efetuar uma análise epistemológica-cognitiva-didática-informática para determinar e validar quais requisitos um software educativo de geometria dinâmica deve satisfazer/respeitar para poder abordar situações que envolvem conceitos da Geometria Projetiva. A metodologia da pesquisa está apoiada na etapa das análises prévias apresentada pela Engenharia Didático-Informática (EDI). A EDI propõe quatro dimensões para analisar um objeto matemático, são elas as dimensões epistemológica, didática, cognitiva e informática. O objeto matemático dessa pesquisa é a transformação homológica da circunferência. Na dimensão epistemológica foi feito um panorama da estruturação da Geometria Projetiva, bem como uma análise dos conteúdos necessários para compreender os traçados da transformação homológica da circunferência. Na dimensão didática, foi feito um levantamento das universidades públicas federais que oferecem a disciplina de Geometria Projetiva e qual a modalidade de oferta. Para fazer a análise da dimensão cognitiva foi realizado um levantamento bibliográfico dos trabalhos publicados nos últimos cinco anos que abordem temáticas da geometria projetiva. Através desse levantamento foi possível identificar indícios, etapas de como o aluno aprende os conteúdos da geometria projetiva, bem como as principais dificuldades. Já na dimensão informática foi realizado a análise de dois softwares de geometria dinâmica. Para a análise da dimensão informática tomamos como base teórica a Transposição Informática, onde analisaremos dois softwares de Geometria Dinâmica para saber se eles atendem a adequação e a completude apresentadas pela Vigilância Epistemológica. Os softwares escolhidos para análise foram o GeoGebra e o Cabri-Géomètre II. A análise se apoia em alguns traçados da Geometria Projetiva, dentre ele destacamos a transformação Homológica da Circunferência.  Como resultado das análises dos traçados nos softwares escolhidos, foi possível observar que nenhum dos dois softwares são completos na representação do traçado da transformação homológica da circunferência.


  • Mostrar Abstract
  • Essa pesquisa tem como objetivo efetuar uma análise epistemológica-didática-informática para determinar e validar quais requisitos um software educativo de geometria dinâmica deve satisfazer/respeitar para poder abordar situações que envolvem conceitos da Geometria Projetiva. Tomamos como base teórica a Transposição Informática, onde analisaremos dois softwares de Geometria Dinâmica para saber se eles atendem a adequação e a completude apresentadas pela Vigilância Epistemológica. Os softwares escolhidos para análise foram o GeoGebra e o Cabri-Géomètre II. A análise vai se apoiar em alguns traçados da Geometria Projetiva, dentre ele destacamos a transformação Homológica da Circunferência. Para saber do que se trata o assunto em questão, foi feita uma análise epistemológica de alguns conteúdos estudados pela Geometria Projetiva, além de trazer alguns aspectos históricos da Geometria Projetiva. O texto ainda conta com um capítulo destinado ao estudo das Curvas Cônicas, trazendo o contexto histórico, como podemos obter as Curvas Cônicas e uma análise dos elementos das Curvas Cônicas a partir de pressupostos da Geometria Projetiva.

Teses
1
  • GUSTAVO SERGIO DE GODOY MAGALHAES
  • REDES SOCIOTÉCNICAS DE UM CURSO DE MEDICINA NO INTERIOR DO BRASIL: UMA CARTOGRAFIA DAS CONTROVÉRSIAS DO MOVIMENTO DE INTERIORIZAÇÃO E INOVAÇÃO CURRICULAR

  • Orientador : MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • MIGUEL ANGEL ZABALZA BERAZA
  • EDVALDO SOUZA COUTO
  • MARIA ELIZABETH BIANCONCINI TRINDADE MORATO P DE ALMEID
  • Data: 15/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Movemos esta pesquisa a partir do pressuposto de que é possível identificar os meios para mobilizar as mudanças necessárias na formação dos médicos. Em particular no currículo da graduação em medicina, ao reconhecer o coletivo de entidades, humanas e não-humanas comumente invisibilizadas, em redes de relações simétricas, complexas e incertas. Mediados pela teoria ator-rede, a partir do plano metodológico da cartografia das controvérsias, investigamos o desenvolvimento de um curso de medicina, iniciado em 2014 na cidade de Caruaru, interior de Pernambuco. Este curso apresenta uma proposição curricular fundamentada na aprendizagem ativa, no radical compromisso social e na integração por tecnologias digitais. As controvérsias
    representam o lugar e o tempo privilegiado para observação da formação do social antes das associações se congelarem e estabilizarem. Ou seja, a controvérsia é onde e quando a rede se torna visível. Dessa forma, ao utilizar métodos digitais de análise para processar os dados produzidos no campo desta pesquisa, foi possível tornar visível uma rede composta por 1.255 potenciais actantes e 1.575.025 possíveis relações em uma dinâmica contínua de traduções e delegações para o fazer-se escola médica. Ao instaurar um projeto pedagógico inovador de um curso de medicina para o contexto universitário, a gestão acadêmica foi convidada a constituir as bases de sua organização sobre “falhas sísmicas”. As controvérsias atravessaram a tessitura do currículo da formação do médico, como por exemplo, a organização por módulos interdisciplinares, a provocação cosmopolítica do laboratório de sensibilidades e a intensa mediação de um Ambiente Virtual de Aprendizagem. Além disso, o deslocamento da universidade para o interior, os dilemas da construção de uma sede própria e a interrupção das aulas por conta da pandemia da Covid-19 moveram debates e discordâncias entre os atores do curso. Com a colação de grau da primeira turma em 2020, a divulgação de resultados de avaliações externas e a inauguração de um novo prédio, muitas das controvérsias pujantes nos primeiros anos do curso, estabilizaram-se. Assim, segundo a teoria ator-rede, instaurando-se uma caixa-preta. Com isso, as bases do projeto pedagógico não são mais questionadas, mas há indícios de controvérsias no sistema de avaliação atual, a exemplo das discordâncias quanto ao portfólio do estudante e ao processamento dos resultados das avaliações
    da aprendizagem. O vírus Sars-CoV-2, propagado na pandemia, parece confirmar o princípio da ontologia simétrica ao interromper a hegemonia da presencialidade,enquanto condição para a aprendizagem nas universidades. Dessa forma, o vírus setornou um agente recalcitrante da educação formal. As experiências desenvolvidas no período pandêmico evidenciam a maturidade de proposições já existentes de integração de tecnologias digitais ao currículo, além de mobilizar novos modos de fazer a educação híbrida na universidade. Esta tese revelou que a inclusão das diferentes entidades, humanas e não-humanas, na análise do desenvolvimento de um currículo, permite não apenas reconhecer a complexidade da gestão universitária, mas compreender que envolver-se nas controvérsias é, em si, mover-se com a organização. Portanto, o vasto campo sociomaterial evidenciado neste estudo convida ao desenvolvimento de pesquisas mediadas pela teoria ator-rede na interface educação e saúde.


  • Mostrar Abstract
  • Movemos esta pesquisa a partir do pressuposto de que é possível identificar os meios para mobilizar as mudanças necessárias na formação dos médicos. Em particular no currículo da graduação em medicina, ao reconhecer o coletivo de entidades, humanas e não-humanas comumente invisibilizadas, em redes de relações simétricas, complexas e incertas. Mediados pela teoria ator-rede, a partir do plano metodológico da cartografia das controvérsias, investigamos o desenvolvimento de um curso de medicina, iniciado em 2014 na cidade de Caruaru, interior de Pernambuco. Este curso apresenta uma proposição curricular fundamentada na aprendizagem ativa, no radical compromisso social e na integração por tecnologias digitais. As controvérsias
    representam o lugar e o tempo privilegiado para observação da formação do social antes das associações se congelarem e estabilizarem. Ou seja, a controvérsia é onde e quando a rede se torna visível. Dessa forma, ao utilizar métodos digitais de análise para processar os dados produzidos no campo desta pesquisa, foi possível tornar visível uma rede composta por 1.255 potenciais actantes e 1.575.025 possíveis relações em uma dinâmica contínua de traduções e delegações para o fazer-se escola médica. Ao instaurar um projeto pedagógico inovador de um curso de medicina para o contexto universitário, a gestão acadêmica foi convidada a constituir as bases de sua organização sobre “falhas sísmicas”. As controvérsias atravessaram a tessitura do currículo da formação do médico, como por exemplo, a organização por módulos interdisciplinares, a provocação cosmopolítica do laboratório de sensibilidades e a intensa mediação de um Ambiente Virtual de Aprendizagem. Além disso, o deslocamento da universidade para o interior, os dilemas da construção de uma sede própria e a interrupção das aulas por conta da pandemia da Covid-19 moveram debates e discordâncias entre os atores do curso. Com a colação de grau da primeira turma em 2020, a divulgação de resultados de avaliações externas e a inauguração de um novo prédio, muitas das controvérsias pujantes nos primeiros anos do curso, estabilizaram-se. Assim, segundo a teoria ator-rede, instaurando-se uma caixa-preta. Com isso, as bases do projeto pedagógico não são mais questionadas, mas há indícios de controvérsias no sistema de avaliação atual, a exemplo das discordâncias quanto ao portfólio do estudante e ao processamento dos resultados das avaliações
    da aprendizagem. O vírus Sars-CoV-2, propagado na pandemia, parece confirmar o princípio da ontologia simétrica ao interromper a hegemonia da presencialidade,enquanto condição para a aprendizagem nas universidades. Dessa forma, o vírus setornou um agente recalcitrante da educação formal. As experiências desenvolvidas no período pandêmico evidenciam a maturidade de proposições já existentes de integração de tecnologias digitais ao currículo, além de mobilizar novos modos de fazer a educação híbrida na universidade. Esta tese revelou que a inclusão das diferentes entidades, humanas e não-humanas, na análise do desenvolvimento de um currículo, permite não apenas reconhecer a complexidade da gestão universitária, mas compreender que envolver-se nas controvérsias é, em si, mover-se com a organização. Portanto, o vasto campo sociomaterial evidenciado neste estudo convida ao desenvolvimento de pesquisas mediadas pela teoria ator-rede na interface educação e saúde.

2
  • EWELLEN TENORIO DE LIMA
  • COMBINATÓRIA, PROBABILIDADE E SUAS ARTICULAÇÕES NO CURRÍCULO DOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: o que é prescrito, o que é apresentado e o que se pode fazer?

  • Orientador : RUTE ELIZABETE DE SOUZA ROSA BORBA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RUTE ELIZABETE DE SOUZA ROSA BORBA
  • ANA COELHO VIEIRA SELVA
  • JOSE IVANILDO FELISBERTO DE CARVALHO
  • EDDA CURI
  • LEANDRO DE OLIVEIRA SOUZA
  • Data: 21/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa teve por objetivo investigar Combinatória, Probabilidade e suas
    articulações em currículos prescritos e apresentados aos Anos Finais do Ensino
    Fundamental, visando a construção de uma proposta que favoreça o ensino de ambas
    as áreas. A mesma foi estruturada em três estudos que envolveram, à luz dos
    diferentes referenciais teóricos adotados: 1) a análise de documentos oficiais nacionais
    e do estado de Pernambuco para identificar se e como estão prescritos os trabalhos
    com as áreas da Matemática investigadas e suas articulações; 2) a análise de coleções
    de livros didáticos de Matemática voltados à etapa da escolarização em questão para
    analisar como o trabalho com essas áreas da Matemática é apresentado ao professor
    nesse material curricular, além de se e como aparecem articulações entre as mesmas;
    e 3) a construção de um material direcionado ao professor, sendo este um produto da
    tese que consiste em orientações gerais e um conjunto de problemas articulados,
    visando o desenvolvimento dos raciocínios combinatório e probabilístico de estudantes
    dos Anos Finais do Ensino Fundamental. Os Estudos 1 e 2 apontaram que a
    Combinatória tem ganhado menos espaço que a Probabilidade, tanto no currículo
    prescrito quanto no currículo apresentado. No que diz respeito às duas áreas, foram
    identificadas lacunas referentes ao trabalho com problemas variados que possibilitem a
    ampla compreensão dos conceitos, bem como a apropriação e uso de diferentes
    representações simbólicas que se adequem, também, ao nível de escolarização e de
    dificuldade dos problemas a serem trabalhados nos Anos Finais. Percebeu-se que os
    currículos prescrito e apresentado possibilitam articulações a partir de representações
    em comum e também de contextos aleatórios únicos que exploram situações
    combinatórias e probabilísticas, ainda que de maneira não intencional. Nesse sentido, o
    Estudo 3 propõe um conjunto de problemas compostos por oito blocos, visando
    aprofundar a articulação entre Combinatória e Probabilidade a partir do trabalho com os
    diferentes tipos de problemas defendidos pelos aportes teóricos adotados, trazendo,
    ainda, orientações ao professor no sentido de explorar a importância do
    desenvolvimento dos raciocínios em questão. Dessa maneira, o trabalho de tese pode
    contribuir tanto para o campo de estudos da Educação Matemática, quanto diretamente
    para o ensino de Combinatória e de Probabilidade (valorizando as relações e possíveis
    articulações entre essas áreas da Matemática) na Educação Básica, oferecendo
    possibilidades para que o professor possa enriquecer sua prática e defendendo, ainda,
    que desde os primeiros anos da escolarização e em anos posteriores os estudantes
    são capazes de iniciar e ampliar o desenvolvimento de seus raciocínios combinatório e
    probabilístico.


  • Mostrar Abstract
  • O presente texto diz respeito à discussão da base teórica, da estrutura/metodologia e de resultados
    parciais de uma pesquisa de tese que tem como objeto de estudo a Combinatória, a Probabilidade
    e, principalmente, as relações existentes entre estas duas áreas da Matemática. Tendo-se o
    objetivo de analisar articulações entre Combinatória e Probabilidade em diferentes instâncias do
    currículo nos Anos Finais do Ensino Fundamental, adotou-se Sacristán (2000; 2013) como
    principal base teórica, que possibilita que se lance um olhar amplo ao que se entende por
    currículo, contemplando diferentes momentos e agentes – que transformam o currículo desde sua
    concepção até suas consequências, revelando que tal objeto está em constante transformação a
    partir de seu uso. Nesse sentido, apoiada por outros referenciais teóricos (VERGNAUD, 1986;
    1996; BORBA, 2010; BRYANT; NUNES, 2012; PIRES; CURI, 2013) a pesquisa em questão
    encontra-se organizada em três estudos, nos quais se volta o olhar à Combinatória, à
    Probabilidade e a suas articulações considerando-se: 1. o que é dito por materiais curriculares (a
    partir da análise documental de documentos oficiais de caráter curricular e livros didáticos)–
    currículos prescrito e apresentado; 2. o que é feito, segundo falas de professores (a partir de
    entrevistas semiestruturadas) – currículos moldado, em ação, avaliado – e do reflexo da prática
    no desempenho apresentado por estudantes (a partir de testes diagnósticos) – currículo realizado;
    e 3. o que se pode fazer, estudo que consiste na construção de proposta de articulação entre as
    duas áreas da Matemática foco do estudo (a partir dos resultados dos Estudos 1 e 2). A realização
    de tais estudos tem por fim a defesa de que há indícios de relações entre a Combinatória e a
    Probabilidade em diferentes instâncias do currículo dos Anos Finais do Ensino Fundamental e
    um ensino baseado na articulação de conceitos dessas áreas da Matemática pode favorecer o
    desenvolvimento de ambos os raciocínios (combinatório e probabilístico). Os resultados parciais
    do Estudo 1 (concluído) e do Estudo 2 (em andamento) apontam para duas possibilidades de
    articulação entre Combinatória e Probabilidade, relacionadas ao compartilhamento de
    representações simbólicas e à revisitação de problemas, isto é, o aprofundamento de contextos
    combinatórios a partir de problemas probabilísticos e vice-versa. As considerações levantadas a
    partir de tais estudos, discutidas neste texto, são de suma importância ao desenvolvimento das
    etapas pendentes da pesquisa de tese em questão, bem como à tomada de decisões a serem
    discutidas com a banca avaliadora do exame de qualificação.

3
  • MARCIA GONCALVES NOGUEIRA
  • MEUREBENTO - COLETIVO DE FAZEDORES: uma proposta de inserção da Cultura Maker em escolas públicas municipais de ensino fundamental do Recife

  • Orientador : MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MARCELO SABBATINI
  • PATRICIA SMITH CAVALCANTE
  • JOAO MARCELO XAVIER NATARIO TEIXEIRA
  • PATRICIA CABRAL DE AZEVEDO RESTELLI TEDESCO
  • Data: 22/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Esta tese desponta da preocupação em discutir e refletir sobre a inserção da cultura Maker na educação nas escolas públicas de ensino fundamental do Recife em torno de questões-chave de equidade ao fazer educação, partindo do pressuposto de que nem todos os espaços educacionais são, ou deveriam ser, exatamente iguais e que as complexidades desses espaços não poderiam impedir a participação dos estudantes em projetos educacionais que se propõem a potencializar a aprendizagem STEM e o desenvolvimento de habilidades Maker. Como aporte teórico, esta tese discute as raízes culturais do Movimento Maker que inspiram o desenvolvimento de metodologias voltadas para a educação, a exemplo do Fablab@school criada por Paulo Blikstein (2013); os movimentos educacionais no Brasil sob a ótica Savianni (2018), Libâneo (1984; 1994), Gadotti (2003), e Mizukami (1996) para facilitar a compreensão sobre a influência das abordagens educacionais progressistas, em especial, da educação experiencial de Dewey (1959; 1980) e a pedagogia críticaemancipatória de Freire (1971;1986; 1968; 1991; 1993; 2000) que aliadas à teoria de aprendizagem construcionista de Papert (1980;1991;2000) consubstanciam o conceito de Cultura Maker na educação; e por fim, concepções de aprendizagem Maker que envolvem design e construção de artefatos. Portanto, este estudo trata-se de uma pesquisa aplicada, de abordagem qualitativa, do tipo pesquisa-ação. Quanto aos objetivos tem finalidade exploratória e descritiva, por ter como foco a apresentação de conceitos e a correlação entre eles e o corpus da pesquisa, recorrendo a Análise Temática Reflexiva (AT) na perspectiva de Braun e Clarke (2006, 2013, 2017). Os procedimentos metodológicos foram estruturados pelo método Design Research Methodology – DRM. Diante do desenho metodológico, foi realizada uma Revisão Sistemática de Literatura (RSL) sobre Cultura Maker na perspectiva de identificar estratégias de inserção em escolas do ensino fundamental, bem como potencialidades e dificuldades identificadas na prática. Na análise dos dados procurou-se analisar o post mortem do Projeto Jornada Maker 2019 com base nas narrativas de professores que atuam com projetos de tecnologias na educação na rede municipal do Recife e assim levantar premissas para a inserção de um projeto Maker na escola, que poderão implicar, ou não, na transformação destes espaços. Como resultado e contribuição da pesquisa, a tese apresenta uma proposta de inserção da Cultura Maker na escola denominada MeuRebento, considerando que a Cultura Maker na escola é um movimento social que deve ser efetivado por seus atores a partir dos seus interesses, necessidades e expectativas. Assim sendo, o protagonismo estudantil é fundamental para estabelecer vínculos entre a escola e o que acontece fora dela, abarcando questões sociais e políticas presentes no cotidiano. Palavras-chave: 


  • Mostrar Abstract
  • Esta pesquisa trata-se de uma pesquisa aplicada, de abordagem qualitativa, do tipo pesquisaação, e, quanto aos objetivos, tem finalidade exploratória e descritiva, pois tem como foco a apresentação de conceitos e na correlação entre estes, por meio de concepções e discussões de teóricos de diversas áreas de conhecimento formando um grande rede de conexões. Os procedimentos metodológicos foram estruturados pelo método Design Research Methodology (DRM). Por se tratar de Cultura escolar, propomos discutir sobre Atos de Currículo frente à inserção da Cultura Maker nas escolas do ensino fundamental do Recife, além de dar espaço à discussão sobre a aplicabilidade da Pesquisa em Design como método capaz de validar pela eficiência e eficácia o desenvolvimento de artefatos metodológicos educacionais, enaltecendo a austeridade científica a partir do processo de desenvolvimento de um Framework Metodológico, tendo como objetivo geral investigar a inserção da Cultura Maker no cotidiano escolar, baseado na perspectiva socioconstrucionista do currículo, considerando os sentidos e significados dos atores sociais. Para tanto, como forma de alinhar a pesquisa ao objetivo geral do estudo foi delineado os seguintes objetivos Específicos: descrever as etapas de implantação de espaços Maker em escolas de educação básica do Recife; analisar as compreensões dos atores sociais envolvidos nesses Espaços Makers, percebendo as aproximações e distanciamentos quanto às questões curriculares em ato, desenvolvidas durante o projeto Maker; propor e validar um Framework Metodológico de Integração da Cultura Maker ao Currículo na qual a situação curricular e o fazer dos atores são modificados pelas experiências práticas e refletidas; e, por fim, investigar contribuições, pós-pandemia, de especialistas na área de educação que utilizam o Pensar Maker integrado ao currículo no cotidiano escolar. Assim, consideramos que o pensar como um Maker está diretamente relacionado a novas culturas de aprendizagem na qual se debate o quê, como e para que se aprende. Este novo cenário é inspirador para se repensar o currículo educacional, sobretudo na perspectiva multirreferencial, que, dentre outras coisas rompe com a ênfase em aspectos como a disciplinaridade.

4
  • MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA BELCHIOR
  • Engajamento estudantil na produção de tecnologia social no ensino médio integral e integrado à educação profissional

  • Orientador : MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MARCELO SABBATINI
  • LUCIANA ARAUJO DE HOLANDA
  • SERGIO RODRIGUES LEAL
  • ERNANDES RODRIGUES DO NASCIMENTO
  • Data: 23/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa de tese, apresentada ao Programa de Pós Graduação em Educação Matemática e Tecnológica da Universidade Federal de Pernambuco, vincula-se ao grupo de pesquisa Laboratório de Pesquisa e Prática - Educação, Metodologias e Tecnologias – LAB EDUCAT. Foi construída a partir dos pilares: engajamento estudantil, tecnologia social e ensino médio integral e integrado à educação profissional. Parte da perspectiva da integração das transformações sociais oriundas da produção de tecnologia social à escola. O estudo traz como pressuposto ainda que a difusão da tecnologia social é um vetor capaz de induzir o engajamento dos estudantes, a partir das múltiplas concepções de saberes derivadas dos sujeitos e de suas repercussões nas aprendizagens geradas. Tem como lócus de estudo a Escola Técnica Estadual Jurandir Bezerra Lins, situada no município de Igarassu, Pernambuco, e como sujeitos de pesquisa estudantes do ensino médio integrado à educação profissional em Guia de turismo. Seu objetivo geral é investigar como a produção de tecnologia social influencia no engajamento dos estudantes no ensino médio integrado à educação profissional em guia de turismo. Referente aos procedimentos metodológicos, os definimos enquanto uma pesquisa de natureza essencialmente qualitativa, de gênero prático e exploratória. Também nos utilizamos das pesquisas documentais e bibliográficas. Empregamos múltiplos meios para o recolhimento dos dados no campo de investigação realizando a análise dos mesmos através do método da análise dos conteúdos, com base nas categorias e subcategorias temáticas geradas à luz dos referenciais teóricos estudados. Verificamos a presença das dimensões do engajamento estudantil discutidas na literatura acerca do construto no curso da produção de tecnologia social, sendo estas refletidas através de indicadores do engajamento dos estudantes, tais como: colaboração, protagonismo, trabalho em equipe e autonomia. Também foi realçado o engajamento dos discentes
    relacionando-o à habilitação técnica de nível médio em guia de turismo, o que configurou um engajamento proveniente dos contextos originários da educação profissional e tecnológica vivenciada. Salientamos que a busca pela promoção de cenários de aprendizagens nos quais a tecnologia social sirva enquanto um elo entre a escola e a sociedade configura-se enquanto instrumento de participação ativa do estudante, sendo esta refletida em seu engajamento. Em seu processo contínuo de (re) construção de saberes, os estudantes poderão reconhecer em seu próprio território um local de produção de tecnologia social, condizente à sua realidade e aos
    seus sujeitos, assim como espaço de vivências da sua futura atuação profissional. 


  • Mostrar Abstract
  • A proposta de qualificação do projeto de doutorado que ora se apresenta ao Programa de Pós
    Graduação em Educação Matemática e Tecnológica, da Universidade Federal de Pernambuco,
    vinculado ao grupo de pesquisa Laboratório de Pesquisa e Prática Educação, Metodologias e
    Tecnologias – EDUCAT, foi construída a partir dos pilares: engajamento estudantil, tecnologia
    social e ensino médio integrado à educação profissional. Parte da perspectiva da integração à
    escola das transformações sociais a partir da produção de tecnologia social nesta e para além
    desta. Nesse sentido, nosso foco de análises recai sobre o engajamento dos estudantes a
    atividades acadêmicas com este fim. Para que logremos êxito à esta ação aproximando os
    achados bibliográficos a este estudo que vem sendo edificado, a realização de uma revisão
    sistemática acerca do engajamento estudantil foi empreendida em duas bases de pesquisa de
    modo a visualizarmos frente aos referenciais bibliográficos estudados, o cenário, em termos de
    literaturas acerca do construto.Também evidenciamos em nosso escrito uma exposição acerca
    do profissional guia de turismo além de abranger a qualificação profissional na área em
    específico. Igualmente discutimos acerca da educação integral, tratada na esfera governamental
    enquanto política pública, em termos de concepção e funcionamento a partir de uma construção
    temporal iniciada na década de 90 até os dias presentes. Tem como locus de estudo a escola
    técnica estadual Jurandir Bezerra Lins, situada no município de Igarassu, Pernambuco, e como
    sujeitos de pesquisa os estudantes do ensino médio integrado à educação profissional em guia
    de turismo. Apresenta enquanto objetivo geral: investigar o engajamento dos estudantes do
    ensino médio integrado à educação profissional em guia de turismo a partir da produção de
    tecnologia social. Alusivo aos procedimentos metodológicos, sendo estes definidos à luz do
    nosso objeto de análise, os definimos enquanto uma pesquisa de abordagem etnográfica, de
    natureza qualitativa, do tipo participante e de gênero prático. Por fim, propõe-se enquanto
    método de análise dos dados coletados no campo de investigação a análise de conteúdo e o seu
    tratamento através do software ATLAS ti.

5
  • CESAR THIAGO JOSÉ DA SILVA
  • O uso de um artefato computacional como suporte ao desenvolvimento do raciocínio covariacional em função

  • Orientador : VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • IRANETE MARIA DA SILVA LIMA
  • ROGERIO DA SILVA IGNACIO
  • JHONY ALEXANDER VILLA-OCHOA
  • VICTOR AUGUSTO GIRALDO
  • Data: 24/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • O raciocínio covariacional em função envolve pensar em termos de como uma variável varia em relação à variação na outra variável. A covariação está ligada ao desenvolvimento histórico do conceito de função e é importante para conceitualizar ideias fundamentais do Cálculo. Ao passo que pesquisas na área têm apontado dificuldades dos estudantes para raciocinar covariacionalmente, tecnologias computacionais têm sido utilizadas para apoiar o raciocínio covariacional, no entanto, pouca atenção é dada a como aspectos da representação matemática no meio computacional (transposição informática) resultam em novas possibilidades e restrições que influenciam a atividade e o desenvolvimento conceitual. Nesse contexto, este estudo teve por objetivo investigar os efeitos do uso de um artefato computacional no raciocínio covariacional dos estudantes, e a sua relação com a transposição informática da covariação nesse artefato. Utilizamos a lente da Abordagem Instrumental com o suporte da noção de esquema de Vergnaud para compreender como sujeitos mobilizaram o raciocínio covariacional nas suas gêneses instrumentais com o software Geogebra e analisamos o papel que aspectos da transposição informática tiveram nesse processo. A metodologia consistiu de um estudo de casos múltiplos da gênese instrumental de três licenciandos em Matemática que exploraram situações de covariação concebidas no software Geogebra. O estudo envolveu um experimento de ensino estruturado por orquestrações instrumentais, a aplicação de um questionário e de entrevistas baseadas em tarefas. Uma análise microgenética foi aplicadaaos dados com foco no uso instrumentado do Geogebra e na mobilização do raciocínio covariacional dos estudantes, que foi inferida nos seus esquemas e nas suas descrições da covariação. Os resultados mostraram como aspectos da transposição informática e suas relações com o uso instrumentado do Geogebra pelos estudantes influenciaram nas contribuições e restrições para o seu raciocínio covariacional. Destacou-se a gênese instrumental de ferramentas de suporte à coordenação da covariação contínua e à quantificação da variação em y com acréscimos constantes em x, além da conexão dinâmica e simultânea entre representações, para uma interpretação covariacional dos aspectos do gráfico, da variação variável e da variação negativa. Por outro lado, os esquemas mobilizados pelos estudantes para explorar situações envolvendo covariação complexa e para esboçar o gráfico covariacionalmente mostraram-se limitados. Neste último aspecto, foi revelada a influência de esquemas convencionais desenvolvidos no ambiente papel e lápis, baseados na abordagem de correspondência e em um pensamento de forma estática, o que apontou a necessidade do desenvolvimento de esquemas que articulem as possibilidades do meio computacional às formas de representar o gráfico covariacionalmente. As dificuldades com a interpretação da variação negativa e o papel que a representação da variação por segmentos dinâmicos exerceu nesse contexto, apontou a necessidade de levar em conta restrições e possibilidades geradas na criação de novos objetos e significados no design de materiais didáticos no meio computacional, processo que propusemos caracterizar como uma transposição informática de segunda ordem.


  • Mostrar Abstract
  • Covariational reasoning in function involves thinking in terms of how one variable changes in relation to the change in the other variable. Covariation is linked to the historical development of the concept of function and it is important to conceptualize fundamental ideas of calculus. While research in area have pointed out students' difficulties to reason covariationally, computational technologies have been used to support covariational reasoning, however, little attention is paid to how aspects of mathematical representation in the computational environment (informatics transposition) result in new possibilities and constraints that influence activity and conceptual development. In this context, this study aimed to investigate the effects of using a computational artifact on students' covariational reasoning, and the relationship between these effects and the informatics transposition of covariation in this artifact. We used the Instrumental Approach lens, supported by Vergnaud's notion of schemes, to understand how subjects mobilized covariational reasoning in their instrumental genesis with the Geogebra software and, additionally, we analyzed the role that aspects of informatics transposition played in this process. Methodology consisted of a multiple case study of the instrumental genesis of three pre-service mathematics teachers who explored situations of covariation that were conceived in the Geogebra software. Study involved a teaching experiment structured by instrumental orchestrations, application of a questionnaire and task-based interviews. A microgenetic analysis was applied to the data focusingon instrumented use of Geogebra and also on mobilization of students' covariational reasoning, which was inferred in their schemes and descriptions of covariation. Results showed how aspects of computer transposition and its relationships with the students' instrumented use of the Geogebra software influenced the contributions and constraints to their covariational reasoning. Instrumental genesis of tools that support coordination of continuous covariation, and quantification of variation in y as x increases by constant increments in x, and dynamic-simultaneous connection across representations, supported a covariational interpretation of aspects of the graph, as well as variation in change and negative variation. On the other hand, schemes that were mobilized by students to explore situations of complex covariation, and to sketch the graph covariationally were limited. In this last aspect, it was revealed the influence of conventional schemes, which are developed in the paper and pencil environment, and based on the correspondence approach and on a static way of thinking. This result pointed out the need to develop schemes that articulate the possibilities of computational environments to the ways to represent covariation in the graph. Difficulties with interpretation of negative variation and the role that  representation of variation by dynamic segments played in this context, pointed out the need to take into account constraints and possibilities generated  in the creation of new objects and meanings in the process of design of didactic materials in the computational environment, which we proposed to characterize as a second-order informatic transposition.


6
  • JULIA CALHEIROS CARTELA DE ARAUJO
  • SENTIMENTOS E PERCEPÇÕES DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE INCLUSÃO DIGITAL NO TEMPO DA PANDEMIA DO COVID-19 NO BRASIL

  • Orientador : MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • JOSE IVANILDO FELISBERTO DE CARVALHO
  • JULIANA AZEVEDO MONTENEGRO
  • IVANDA MARIA MARTINS SILVA
  • QUERTE TERESINHA CONZI MEHLECKE
  • Data: 25/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa foi um estudo sobre os sentimentos e percepções de graduandos do curso de licenciatura em Pedagogia, em uma IES privada, sobre a inclusão digital dos discentes no período da Pandemia do Covid-19. Para isso, foi utilizada a técnica para o tratamento de dados, a análise de conteúdo de Bardin (2011). Foram aplicados dois instrumentos de coleta de dados, o primeiro foi uma entrevista aberta com 269 graduandos, e o segundo um questionário digital com 259 alunos para investigar sobre o objetivo do trabalho. Os dados foram analisados com o suporte do software Altas.ti (versão 22) e foi possível identificar que o sentimento mais citado nas falas dos graduandos em relação ao período da Pandemia do Covid-19 foi o sentimento de medo, com 113 relatos. Em relação a percepção dos estudantes sobre sua realidade acadêmica durante esse período pandêmico, a dificuldade de aprendizagem foi a mais registrada, com 51% dos relatos. Um dos principais motivos para esse resultado foi a mudança do modelo de ensino presencial para o modelo de ensino remoto emergencial.


  • Mostrar Abstract
  • O estudo aqui proposto foi elaborado a partir desse cenário atual que o mundo
    está passando por causa do Covid – 19 e a repercussão no processo da
    Educação, especificamente na Educação brasileira. Surge a inquietação em
    investigar os sentimentos e a percepção dos graduandos em Pedagogia em
    relação a sua inclusão digital e os efeitos para sua formação docente durante esse
    período da pandemia. A pergunta que queremos responder nesta pesquisa é “Que
    sentimentos e percepções os graduandos de Pedagogia de IES privadas estão

    tendo em relação à sua inclusão digital durante o período da Pandemia do Covid-
    19 e os efeitos para sua futura atuação docente?”. Para responder a essa

    pergunta, foi realizada uma entrevista com graduandos do curso de licenciatura
    em Pedagogia para descobrir os seus sentimentos e a sua percepção durante
    esse período. Também, foi aplicado um questionário com esses graduandos para
    investigar sobre sua inclusão digital e seu acesso aos recursos tecnológicos, e os
    efeitos para sua formação docente. A partir dessas etapas, a entrevista e a
    aplicação do questionário, serão criadas categorias de análise para investigar e
    estudar os dados obtidos. A partir disso temos como objetivo geral analisar os
    sentimentos e as percepções de graduandos do Curso de Pedagogia em IES
    privadas sobre inclusão digital e efeitos na sua futura atuação docente durante o
    período da Pandemia do Covid-19. E como objetivos específicos são: analisar os
    sentimentos e as percepções dos graduandos do Curso de Pedagogia em relação
    à sua realidade acadêmica durante a Pandemia do Covid-19; identificar os
    indicadores de inclusão digital dos graduandos do Curso de Pedagogia das IES
    privadas; investigar as percepções de inclusão digital dos graduandos do Curso
    de Pedagogia das IES privadas e analisar as percepções dos estudantes sobre
    sua futura atuação docente, considerando o período de ensino totalmente a
    distância.

7
  • ISABEL PAULINE LIMA DE BRITO
  • CARTOGRAFIA DO ENGAJAMENTO DOCENTE NO ENSINO SUPERIOR: uma relação de contextos da jornada acadêmica

  • Orientador : MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MARCELO SABBATINI
  • CRISTIANE LUCIA DA SILVA
  • ERNANDES RODRIGUES DO NASCIMENTO
  • MARIANA VALOIS SOUTO-MANNING
  • Data: 28/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Diante da necessidade de entender como o professor se sente em relação a seu trabalho, da possibilidade de dar voz a esse profissional que anda tão desgastado e até desvalorizado em nosso país e buscando dados que respondam a questão norteadora desse projeto de como diferentes contextos e fatores internos e externos influenciam o engajamento (ou não) de docentes da educação superior, temos como objetivo principal cartografar o engajamento docente a partir dos contextos diferenciados de educação superior. Partindo desse questionamento mais geral, trabalho com outras perguntas que também direcionam essa pesquisa e que levam aos objetivos específicos que são: classificar o significado de engajamento docente para professores da Educação Superior; analisar como fatores internos e externos influenciam o contexto da atuação docente dos participantes da pesquisa;  relacionar engajamento docente, contextos e uso das TDIC que influenciam no engajamento docente na educação superior e identificar fatores da trajetória acadêmica/profissional que influenciam no engajamento docente na educação superior. Como base teórica, trago os trabalhos de Klassen, Yerdelen e Durksen (2013) e Nascimento (2021) para engajamento docente, além de toda uma referência relacionada a partir da revisão sistemática presente na tese. Também trago os trabalhos de Pimenta e Anastasiou (2020) e Cacete (2017), dentre outros, que tratam de contextos. Escolhi um desenho metodológico que envolve tanto os objetivos traçados como também é modelo principal de pesquisa que é a cartografia, segundo Deleuze e Guattari (2019), Passos, Kastrup e Escóssia (2020) e Passos, Kastrup e Tedesco (2016). Trata-se de um trabalho de natureza básica, em abordagem qualitativa e exploratória de acordo com os objetivos traçados. Uma pesquisa com análise textual discursiva dos dados obtidos com a cartografia e com instrumentos específicos de acordo com cada objetivo como: entrevista não estruturada, questionário e mapeamento de jornada educacional, com narrativa gráfica e textual. De acordo com a análise dos dados, foi realizada a classificação do significado de engajamento docente, a análise de fatores internos e externos que influenciam ou não o contexto da atuação docente, foi identificada uma relação existente entre engajamento docente, contextos e uso das TDIC e a identificação de fatores da trajetória acadêmica e profissional que influenciam no engajamento docente. Foi percebido que o engajamento existe de várias formas e que a cartografia do engajamento docente se apresenta em várias entradas que se relacionam entre si, mas que confirmam o engajamento existente em todos os aspectos analisados e apontados na tese.


  • Mostrar Abstract
  • Diante da necessidade de entender como o professor se sente em relação a seu trabalho, da possibilidade de dar voz a esse profissional que anda tão desgastado e até desvalorizado em nosso país e buscando dados que respondam a questão norteadora desse projeto de como diferentes contextos e fatores internos e externos influenciam o engajamento (ou não) de docentes da educação superior, temos como objetivo principal cartografar o engajamento docente a partir dos contextos diferenciados de educação superior. Partindo desse questionamento mais geral, trabalhamos com outras perguntas que também direcionam nossa pesquisa: o que significa engajamento docente no contexto da educação superior? Qual a relação desse(s) engajamento(s) (ou não) com os contextos em que os docentes se encontram inseridos? Existem dimensões ou níveis de engajamento docente? Que tipos de fatores pessoais favorecem (ou não) o engajamento dos professores? Tais questionamentos nos levam aos nossos objetivos específicos que são: (1) Compreender o significado de engajamento docente para docentes da educação superior. (2) Analisar como os fatores externos e internos influenciam o contexto da atuação dos docentes investigados. (3) Analisar a relação entre o engajamento docente e o contexto no qual o docente atua. (4) Identificar os fatores da trajetória acadêmica/profissional que influenciam no engajamento docente na educação superior. Para isso, escolhemos um desenho metodológico que envolve tanto os objetivos traçados como também é modelo principal de pesquisa que é a cartografia. Trata-se então de um trabalho de natureza básica, em abordagem qualitativa; exploratória, explicativa e descritiva de acordo com os objetivos traçados. Uma pesquisa-intervenção com análise textual discursiva dos dados obtidos com a cartografia e com instrumentos específicos de acordo com cada objetivo como entrevistas não estruturadas, questionário e mapeamento de jornada educacional com narrativa gráfica e textual.

8
  • FLAVIA ANDREA DOS SANTOS
  • O uso das Tecnologias Digitais Móveis na EJA como contribuição à garantia do Direito à Aprendizagem

  • Orientador : SERGIO PAULINO ABRANCHES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SERGIO PAULINO ABRANCHES
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • IVANDA MARIA MARTINS SILVA
  • JANE PAIVA
  • LEÔNCIO JOSÉ GOMES SOARES
  • Data: 01/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • As Tecnologia Digitais Móveis adentram a sociedade criando novos tempos e espaços, redimensionando distâncias, produzindo mudanças culturais, modificando e estimulando novos costumes e práticas sociais. Chega ao campo da educação favorecendo o acesso à informação e à comunicação, propondo contribuir para a construção da aprendizagem e solicitando mudanças das práticas cotidianas da escola. E chega na Educação de Jovens e Adultos trazendo possibilidades e desafios. Este estudo apresentou como objetivo de investigação analisar como o uso das Tecnologias Digitais Móveis contribui à garantia do Direito à Aprendizagem da Educação de Jovens e Adultos, em sua fase I. Consiste em uma pesquisa de abordagem qualitativa, de caráter descritivo e analítico que teve como lócus de investigação a Rede Municipal de Educação do Recife e como sujeitos de pesquisas professores que lecionam na Educação de Jovens e Adultos dessa rede de ensino. Na etapa inicial da pesquisa participaram da investigação 52 professores e na etapa subsequente, de aprofundamento da investigação, participaram 15 dos professores que compuseram a etapa inicial. Para a coleta dos dados, foram utilizados quatro instrumentos, sendo eles: o questionário online, a entrevista onlinesemiestrutura, o diário de bordo e as gravações em vídeos dos Encontros Formativos realizados com os sujeitos da pesquisa. Para a análise dos dados foi utilizado a Análise Temática Reflexiva, e o apoio do Software ATLAS.ti. Por meio da análise dos dados foram desenvolvidos quatro temas de pesquisa: (1) A Compreensão e a Práxis do Direito à Aprendizagem; (2) Encontro Territoriais: as Tecnologias Digitais Móveis e a EJA; (3) Pertencimento Tecnológico; e (4) O Empoderamento Docente e a Concretização das Tecnologias Digitais Móveis na EJA. Entre os resultados da pesquisa, destaca-se a necessidade de ampliação da compreensão de Aprendizagem na Educação de Jovens e Adultos. Este entendimento, necessita dialogar com as necessidades de aprendizagem do aluno; conversar com a perspectiva da Aprendizagem ao Longo da Vida; e envolver a necessidade de colaborar com a formação do Sujeito de Direito e para o exercício ativo da cidadania. Neste sentido, a contribuição da inserção e uso das Tecnologias Digitais Móveis na Educação de Jovens e Adultos se concretiza como resposta às perspectivas de aprendizagem estabelecidos para esta modalidade de ensino.


  • Mostrar Abstract
  • Esta é uma pesquisa de abordagem qualitativa, de caráter descritivo e analítico, que
    busca responder à seguinte questão de pesquisa: considerando o Direito à
    Aprendizagem como componente estruturante da prática pedagógica da Educação de
    Jovens e adultos (EJA), como o uso das Tecnologias Digitais Móveis pode contribuição
    à garantia desse direito na fase I desta modalidade de ensino? Para tanto, estabelece-se
    como objetivo de investigação analisar as contribuições do uso das Tecnologias Digitais
    Móveis à garantia do Direito à Aprendizagem na fase I da EJA. Para a coleta dos dados,
    os instrumentos utilizados consistem em: o questionário online, a entrevista
    semiestrutura online realizada com o apoio da Foto-Elicitação, os registros do Diário de
    Campo e os registros em vídeos dos Encontros Formativos realizados com os
    professores sujeitos da pesquisa. Na etapa inicial da investigação, são sujeitos da
    pesquisa 47 professores que lecionam na EJA na Rede Municipal de Educação do
    Recife. Na etapa subsequente, de aprofundamento da investigação, participam da
    investigação 15 dos professores que compuseram a etapa inicial. Os dados foram
    analisados a partir da Análise Temática proposta por Clarke e Braun (2006) e os temas
    analisados correspondem (1) a caracterização do Direito à Aprendizagem na EJA, (2)
    Os significados à Inserção das Tecnologias Móveis na EJA e (3) o uso das Tecnologias
    Digitais Móveis no campo pedagógico da EJA. Como referencial teórico à investigação,
    situa-se Arroyo (2011; 2014; 2017), Bobbio (2004), Freire (2005; 2006), Haesbaert
    (2009), Paiva (2009), Soares (2005; 2011) e Santos (2014). Os autores referenciados
    contribuem para que possamos compreender o diálogo entre o território da EJA, o
    território das Tecnologias Digitais Móveis e o território do Direito à Aprendizagem,
    reflexão central à pesquisa.

9
  • PATRÍCIA BENEVIDES DE OLIVEIRA
  • MODELIZAÇÃO DO TEOREMA FUNDAMENTAL DO CÁLCULO PARA UM AMBIENTE MICROMUNDO SOB A ÓTICA DA TEORIA ANTROPOLÓGICA DO DIDÁTICO

  • Orientador : FRANCK GILBERT RENE BELLEMAIN
  • MEMBROS DA BANCA :
  • AFONSO HENRIQUES
  • FRANCK GILBERT RENE BELLEMAIN
  • MARCUS BESSA DE MENEZES
  • MARILENA BITTAR
  • MARILENE ROSA DOS SANTOS
  • Data: 13/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • O Teorema Fundamental do Cálculo tem uma dada relevância histórica devido à relação inversa que existe entre os processos de integração e derivação, originários dos problemas de quadratura e tangente que permearam as mentes de diversos matemáticos. No entanto, seus conceitos são ensinados geralmente de forma independente, o que pode ser a causa de alguns obstáculos durante a aprendizagem. Os softwares educativos apresentam-se como ambientes valiosos para a exploração do ensino desses objetos ao considerar que as atividades abordem questões problemáticas que ajudem a mobilizar os conceitos e processos matemáticos durante a interação. Com os micromundos, por exemplo, é possível resolver muitos problemas por meio da interação dinâmica entre o sujeito e os objetos por meio de suas ferramentas e dos feedbacks recebidos.  A questão inicial que surgiu para nós foi relativa às práticas de ensino sobre o teorema fundamental quando o software educativo é colocado em jogo. Para fundamentar o nosso percurso metodológico, decidimos escolher a Teoria Antropológica do Didático, que ajuda a organizar o saber por meio das praxeologias, e a Engenharia Didático-Informática com o seu modelo de processo de desenvolvimento de software educativo. O objetivo foi criar um modelo praxeológico para a análise de micromundos para o ensino do Teorema Fundamental do Cálculo. Com as análises dos dados parciais já foi possível identificar alguns requisitos de micromundo com base nas dimensões didática, cognitiva, epistemológica e informática e organizar a praxeologia presente em três livros de Cálculo que abordam sobre o teorema fundamental. Os próximos passos serão para conhecer as praxeologias constituídas por professores de Cálculo e criar o modelo praxeológico para a análise de micromundos.


  • Mostrar Abstract
  • O Teorema Fundamental do Cálculo tem uma dada relevância histórica devido à relação inversa que existe entre os processos de integração e derivação, originários dos problemas de quadratura e tangente que permearam as mentes de diversos matemáticos. No entanto, seus conceitos são ensinados geralmente de forma independente, o que pode ser a causa de alguns obstáculos durante a aprendizagem. Os softwares educativos apresentam-se como ambientes valiosos para a exploração do ensino desses objetos ao considerar que as atividades abordem questões problemáticas que ajudem a mobilizar os conceitos e processos matemáticos durante a interação. Com os micromundos, por exemplo, é possível resolver muitos problemas por meio da interação dinâmica entre o sujeito e os objetos por meio de suas ferramentas e dos feedbacks recebidos.  A questão inicial que surgiu para nós foi relativa às práticas de ensino sobre o teorema fundamental quando o software educativo é colocado em jogo. Para fundamentar o nosso percurso metodológico, decidimos escolher a Teoria Antropológica do Didático, que ajuda a organizar o saber por meio das praxeologias, e a Engenharia Didático-Informática com o seu modelo de processo de desenvolvimento de software educativo. O objetivo foi criar um modelo praxeológico para a análise de micromundos para o ensino do Teorema Fundamental do Cálculo. Com as análises dos dados parciais já foi possível identificar alguns requisitos de micromundo com base nas dimensões didática, cognitiva, epistemológica e informática e organizar a praxeologia presente em três livros de Cálculo que abordam sobre o teorema fundamental. Os próximos passos serão para conhecer as praxeologias constituídas por professores de Cálculo e criar o modelo praxeológico para a análise de micromundos.

10
  • ALISSA MARIANE GARCIA GRYMUZA
  • O QUE PODE INFLUENCIAR O CURRÍCULO MOLDADO PELOS PROFESSORES PARA ENSINAR ESTATÍSTICA NOS ANOS INICIAIS?

  • Orientador : GILDA LISBOA GUIMARAES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GILDA LISBOA GUIMARAES
  • ANA COELHO VIEIRA SELVA
  • EURIVALDA RIBEIRO DOS SANTOS SANTANA
  • REGINA CELIA GRANDO
  • ROGERIA GAUDENCIO DO REGO
  • Data: 06/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa investigou a influência do currículo prescrito e do currículo apresentado no currículo moldado pelos professores para ensinar Estatística nos anos iniciais. Foram realizados dois estudos articulados entre si. O Estudo 1 investigou o currículo prescrito na BNCC, Proposta Curricular do Estado da Paraíba e Edital e Guia do PNLD 2019 sobre conteúdos de Estatística. Investigou também o currículo apresentado ao professor, a partir da análise do manual de orientação de livros didáticos de todas as coleções aprovadas no PNLD 2019 nos 1º e 5º anos do Ensino Fundamental. O Estudo 2 investigou o currículo moldado do professor a partir de entrevistas com 20 professores de escolas públicas. Com relação ao currículo prescrito, os resultados mostraram que há consonância entre os documentos curriculares, sendo a BNCC o estruturador dos critérios exigidos para os demais. Sobre conteúdos de Estatística, a estrutura da BNCC ainda fica aquém do que está sendo proposto na área de Educação Estatística. Foram identificadas poucas atividades de Estatística propostas nos livros didáticos que levassem os alunos a realizar pesquisas, havendo uma concentração em atividades com interpretação de dados. Essa abordagem não propicia uma aprendizagem de estatística como forma de compreender o mundo. Quanto ao currículo apresentado ao professor nos livros didáticos, as orientações gerais continuam bem gerais. Já as orientações em formato de U, novidade dessa edição de 2019, são distribuídas ao longo do livro do professor e a maioria vai além da exigência de apresentar o descritor, como é exigido. Refletem uma maior preocupação no direcionamento das atividades, apresentando objetivos e orientações específicas. Porém, observamos que o professor diante dessas orientações, demonstraram que não as leem, mesmo diante da pouca clareza quanto à compreensão dos objetivos propostos nas atividades, uma vez que não dominam os conteúdos de Estatística, o que reconhecem. Os professores apresentaram um conhecimento comum com muitas lacunas; um conhecimento especializado bem superficial; um desconhecimento de conteúdo e estudantes que os impossibilita a alcançar as dúvidas e incompletudes que a aprendizagem dos alunos demanda; o conhecimento de ensino é muito mais pela prática escolar; e um conhecimento de horizonte e currículo que é parcial e pouco utilizado no direcionamento das aulas. Assim, o currículo prescrito influencia o currículo apresentado, mas não o moldado. O livro didático, enquanto currículo apresentado, estabelece os conteúdos de Estatística que serão trabalhados em sala de aula, mas a ausência de clareza quanto às especificidades nos conteúdos de Estatística, resulta em um ensino sem aprofundamento na temática. O conhecimento em Estatística é identificado de forma muitos superficial pelos professores, o que indica uma necessidade de aprofundamento na temática para que possam lidar com as especificidades que a mesma demanda. Portanto, para o ensino não é suficiente boas atividades em livros didáticos, orientações ao professor ou propostas curriculares. É preciso que o professor busque se apropriar do que não sabe da mesma forma que deve levar seus alunos a esse tipo de atitude.


  • Mostrar Abstract
  • A pesquisa sobre diferentes formas de ensino em sala de aula, tanto na formação inicial do professor quanto na continuada, vem contribuindo para práticas mais adequadas e eficientes de aprendizagem. No entanto, observa-se que os cursos de Pedagogia ainda apresentam lacunas na formação em matemática do professor. Uma das explicações é a carência de disciplinas voltadas para essa formação, tendo em vista que, em média, as universidades brasileiras oferecem de uma a duas disciplinas obrigatórias relativas ao ensino de matemática na grade curricular desses. Essa realidade se agrava ao se tratar dos conteúdos de Estatística que, apesar de estarem vinculados à disciplina de Matemática, eles fazem parte de outra área do conhecimento, a Estatística, que possui características de natureza diferente da Matemática. Além disso, a formação inicial do professor dos anos iniciais, pode não ter contemplado disciplinas voltadas para o ensino de conteúdos estatísticos. Por outro lado, o livro didático, bem como seu manual de orientação ao professor acabam exercendo um papel importante no auxílio do trabalho deste profissional. Assim, o objetivo geral desse estudo é Investigar a influência do currículo prescrito e do currículo apresentado no currículo moldado pelos professores para ensinar Estatística nos anos iniciais, considerando a pesquisa como eixo estruturador do ensino. Assim, buscamos analisar o currículo prescrito BNCC e Guia do PNLD com relação aos conteúdos de Estatística; Analisar o currículo apresentado aos professores a partir das atividades propostas aos alunos e das orientações no manual do professor do livro didático relacionado aos conteúdos de Estatística; Investigar os diferentes tipos de conhecimentos dos professores sobre Estatística, com base na estrutura proposta por Ball et al (2008); Investigar o currículo moldado pelos professores para o ensino de Estatística.

11
  • LEONARDO BERNARDO DE MORAIS
  • GRANDEZAS E MEDIDAS NO ENSINO FUNDAMENTAL BRASILEIRO

     

  • Orientador : PAULA MOREIRA BALTAR BELLEMAIN
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LUCIA DE FATIMA DURAO FERREIRA
  • LUIZ MARCIO SANTOS FARIAS
  • MARCELO CAMARA DOS SANTOS
  • MARILENA BITTAR
  • PAULA MOREIRA BALTAR BELLEMAIN
  • ROSINALDA AURORA DE MELO TELES
  • Data: 13/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa investigou a relação entre grandeza e medida na Matemática do ensino fundamental brasileiro e buscou compreender as razões que levaram à ênfase na medida em detrimento da grandeza. A fundamentação está ancorada no modelo didático-matemático para o conceito de área (DOUADY; PERRIN-GLORIAN, 1989), em elementos da Teoria dos Campos Conceituais (TCC) (VERGNAUD, 1990) e em construtos da Teoria Antropológica do Didático (TAD) (CHEVALLARD, 1991). O primeiro fundamentou o modelo de referência inicial para conceituar uma grandeza, enquanto o segundo explicitou um conjunto de situações e de procedimentos que permitem dar sentido não apenas a uma grandeza em particular, mas a um conjunto de grandezas. Também permitiu responder às questões de pesquisas: Existe ênfase na medida em detrimento da grandeza? Quais as consequências dessa ênfase? A Teoria Antropológica do Didático norteou a busca de respostas para a questão de pesquisa: por que se enfatiza na matemática do ensino fundamental brasileiro a medida em detrimento da grandeza? Com a Teoria dos Campos Conceituais e à luz do modelo didático-matemático, constatou-se tanto em estudos mais recentes como em outros realizados há mais de uma década, que estudantes de diferentes países e de diferentes etapas de escolarização, apresentam dificuldades em dissociar a grandeza de sua medida e, no caso de comprimento, área e volume, persiste a indissociação entre a grandeza e o objeto geométrico. Sob o arcabouço da TAD, constatou-se a prevalência da medida nos documentos curriculares nacionais (RCNEI, PCN, BNCC) e em uma coleção de livros didáticos. Embora a medida seja necessária, a ênfase exagerada compromete o estudo de outros elementos, que sob a perspectiva do modelo de referência, são necessários para compreender a dissociação entre grandeza e medida, como a comparação de grandezas de mesma espécie sem intervenção da medida. Entre as razões que explicam a ênfase na medida, a TAD permitiu evidenciar a influência das práticas sociais, fortemente presente nos currículos, e da matemática do saber sábio, que no decorrer de seu desenvolvimento abdicou da perspectiva de grandeza como um objeto do saber independente da medida.


  • Mostrar Abstract
  • O presente texto apresenta um projeto de tese de doutorado em desenvolvimento que tem por objetivo caracterizar o conceito de grandeza em diferentes instituições, a fim de embasar a elaboração de um modelo epistemológico de referência para o domínio das Grandezas e Medidas no ensino fundamental brasileiro. O marco teórico metodológico adotado é a Teoria Antropológica do Didático, com ênfase nas perspectivas ecológica e praxeológica. Procuramos interrogar a razão de ser das grandezas e das medidas, as conexões com outros domínios e saberes e os tipos de tarefas, as técnicas, e os elementos tecnológico-teóricos presentes nas relações institucionais com esse saber. Entre as instituições a serem consideradas, além da matemática a ser ensinada no ensino fundamental, estão a comunidade científica dos matemáticos, a educação matemática, a matemática da educação infantil e do ensino médio e a física do ensino médio.

2021
Dissertações
1
  • LEONARDO DE ALBUQUERQUE MORAES
  • AS TECNOLOGIAS DIGITAIS NAS AULAS DE LÍNGUA INGLESA: USO E PERCEPÇÕES DOS DOCENTES

  • Orientador : ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • PATRICIA SMITH CAVALCANTE
  • IVANDA MARIA MARTINS SILVA
  • Data: 12/03/2021

  • Mostrar Resumo
  • Partindo do princípio que as tecnologias estiveram presentes no ensino e aprendizagem da
    Língua Inglesa, desde o advento do CALL - Computer Assisted Language Learning, nos anos
    50 e 60, este trabalho procurou identificar de que forma as tecnologias têm sido utilizadas
    hoje em sala de aula. Temos a especificidade das aulas observadas serem de crianças e
    adolescentes pois é um ponto importante analisar como seria este uso das tecnologias com
    este público que está mergulhado no uso delas. O objetivo desta pesquisa foi analisar o uso
    pedagógico das tecnologias digitais nas aulas de Língua Inglesa em diferentes contextos de
    ensino. Para atingirmos esse objetivo elaboramos três objetivos específicos, que são: 1)
    Identificar o percurso de formação dos professores de Língua Inglesa para o uso das
    tecnologias digitais em sala de aula; 2) Descrever as estratégias e materiais que são utilizados
    pelo professor em sala de aula ; 3) Descrever alguns aspectos observados em sala como
    comportamento dos alunos, forma de uso das tecnologias, exigência da escola para uso de
    tecnologias e a concepção de inovação em aula na visão do professor. Para atingirmos estes
    objetivos utilizamos uma abordagem qualitativa, sendo uma pesquisa descritiva, , cuja técnica
    utilizada para a coleta de dados foi a observação sistemática em sala de aula e foi utilizada
    também o instrumento de coleta de dados para a realização de entrevistas com os professores.
    A pesquisa foi não participante, pois o pesquisador assistiu às aulas sem participar delas,
    apenas observando e tomando notas. Procurando dialogar com trabalhos recentes e de
    temática semelhante fizemos também uma revisão sistemática da literatura utilizando como
    banco de dados a BDTD (Biblioteca Digital de Teses e Dissertações). Este portal possui 124
    universidades brasileiras e proporciona acessibilidade irrestrita aos estudos através dos
    repositórios de origem. Em relação aos autores, este trabalho se baseou em Levy (1999),
    Moran(2006), Kensky (2007,2012,2013), Prensky (2001), Pinto (2005) no que tange ao uso
    das tecnologias digitais entre outros autores. Em relação ao aprendizado do idioma Inglês,
    com tecnologias digitais, este trabalho se orientou baseado em
    Paiva(1997,2005,2009,2010,2012,2013), Leffa (1999,2006,2012,2013), Brewler,Ellis e Girard
    (2004), Betcher e Lee (2009) e outros autores. Os resultados apontaram que nem todos os
    professores possuem formação em Letras Português-Inglês; em relação ao domínio da
    tecnologia, eles estão em sua maioria na faixa intermediária; em relação a apropriação das
    tecnologias digitais, muitos do professores tiveram treinamento nas escolas onde ensinam
    para o domínio das tecnologias; Apesar de a maior parte das escolas oferecerem os artefatos
    tecnológicos, foram utilizadas também não tecnologias não digitais; Não encontramos muitas
    diferenças nas estratégias de aula adotadas; Para os professores, as tecnologias digitais, de
    forma geral, motivam os alunos e conseguem fazer com que os alunos aprendam melhor.
    Apesar desta resposta, a maioria dos professores acha que ela não é essencial para se aprender
    o idioma Inglês; Professores também apontaram algumas dificuldades no uso das tecnologias
    digitais que podem ser de ordem política, técnica e pedagógica; As escolas também
    incentivam o uso das tecnologias digitais no qual para algumas é obrigatório; e por fim, o
    professor deu o seu conceito de inovação em sala de aula, no qual encontramos uma
    associação com o uso de novos artefatos ou com uma nova abordagem pedagógica.


  • Mostrar Abstract
  • Partindo do princípio que as tecnologias estiveram presentes no ensino e aprendizagem da
    Língua Inglesa, desde o advento do CALL - Computer Assisted Language Learning, nos anos
    50 e 60, este trabalho procurou identificar de que forma as tecnologias têm sido utilizadas
    hoje em sala de aula. Temos a especificidade das aulas observadas serem de crianças e
    adolescentes pois é um ponto importante analisar como seria este uso das tecnologias com
    este público que está mergulhado no uso delas. O objetivo desta pesquisa foi analisar o uso
    pedagógico das tecnologias digitais nas aulas de Língua Inglesa em diferentes contextos de
    ensino. Para atingirmos esse objetivo elaboramos três objetivos específicos, que são: 1)
    Identificar o percurso de formação dos professores de Língua Inglesa para o uso das
    tecnologias digitais em sala de aula; 2) Descrever as estratégias e materiais que são utilizados
    pelo professor em sala de aula ; 3) Descrever alguns aspectos observados em sala como
    comportamento dos alunos, forma de uso das tecnologias, exigência da escola para uso de
    tecnologias e a concepção de inovação em aula na visão do professor. Para atingirmos estes
    objetivos utilizamos uma abordagem qualitativa, sendo uma pesquisa descritiva, , cuja técnica
    utilizada para a coleta de dados foi a observação sistemática em sala de aula e foi utilizada
    também o instrumento de coleta de dados para a realização de entrevistas com os professores.
    A pesquisa foi não participante, pois o pesquisador assistiu às aulas sem participar delas,
    apenas observando e tomando notas. Procurando dialogar com trabalhos recentes e de
    temática semelhante fizemos também uma revisão sistemática da literatura utilizando como
    banco de dados a BDTD (Biblioteca Digital de Teses e Dissertações). Este portal possui 124
    universidades brasileiras e proporciona acessibilidade irrestrita aos estudos através dos
    repositórios de origem. Em relação aos autores, este trabalho se baseou em Levy (1999),
    Moran(2006), Kensky (2007,2012,2013), Prensky (2001), Pinto (2005) no que tange ao uso
    das tecnologias digitais entre outros autores. Em relação ao aprendizado do idioma Inglês,
    com tecnologias digitais, este trabalho se orientou baseado em
    Paiva(1997,2005,2009,2010,2012,2013), Leffa (1999,2006,2012,2013), Brewler,Ellis e Girard
    (2004), Betcher e Lee (2009) e outros autores. Os resultados apontaram que nem todos os
    professores possuem formação em Letras Português-Inglês; em relação ao domínio da
    tecnologia, eles estão em sua maioria na faixa intermediária; em relação a apropriação das
    tecnologias digitais, muitos do professores tiveram treinamento nas escolas onde ensinam
    para o domínio das tecnologias; Apesar de a maior parte das escolas oferecerem os artefatos
    tecnológicos, foram utilizadas também não tecnologias não digitais; Não encontramos muitas
    diferenças nas estratégias de aula adotadas; Para os professores, as tecnologias digitais, de
    forma geral, motivam os alunos e conseguem fazer com que os alunos aprendam melhor.
    Apesar desta resposta, a maioria dos professores acha que ela não é essencial para se aprender
    o idioma Inglês; Professores também apontaram algumas dificuldades no uso das tecnologias
    digitais que podem ser de ordem política, técnica e pedagógica; As escolas também
    incentivam o uso das tecnologias digitais no qual para algumas é obrigatório; e por fim, o
    professor deu o seu conceito de inovação em sala de aula, no qual encontramos uma
    associação com o uso de novos artefatos ou com uma nova abordagem pedagógica.

2
  • DJALMA FERNANDES DA SILVA NETO
  • A ENGENHARIA DIDÁTICO-INFORMÁTICA NA PROTOTIPAÇÃO DE UM JOGO EDUCATIVO DIGITAL

  • Orientador : FRANCK GILBERT RENE BELLEMAIN
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FRANCK GILBERT RENE BELLEMAIN
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • AUTA LUCIANA LAURENTINO
  • RICARDO TIBURCIO DOS SANTOS
  • Data: 07/05/2021

  • Mostrar Resumo
  • O uso de softwares para a educação matemática não é novidade entre as pesquisas
    acadêmicas, mas a mesma frequência não é observada ao se investigar sobre o uso
    de jogos digitais para o ensino de matemática. Por mais que usar jogos analógicos
    seja comum, ao se falar de jogos no computador há pouco auxílio na elaboração e
    concepção deles, por depender de habilidades não específicas dos professores de
    matemática, como programação e design. Em 2016, foi desenvolvida a Engenharia
    Didático-Informática, uma metodologia que alinhava os conceitos de Engenharia de
    Softwares com Engenharia Didática construindo um processo de elaboração de
    softwares educativos para o estudo da matemática. O objetivo desta pesquisa é
    articular o conhecimento que existe de elaboração de softwares da Engenharia
    Didático-Informática (EDI) com a metodologia de desenvolvimento de jogos
    Mechanics Dynamics and Aesthetics (MDA), de modo a ampliar as possibilidades dos
    pesquisadores no mundo digital em que se encontram. Estudando como se dá a
    utilização de jogos na educação matemática, foi possível construir a articulação entre
    a EDI e a MDA a partir do estudo de caso da elaboração de um jogo digital baseado
    num já existente – o Pokétrunfo. Os questionamentos para análise de requisitos
    previstos pela EDI guiaram o processo de desenvolvimento do jogo, através de três
    versões experimentais, a fim de encontrar a mais didaticamente adequada. Nesta
    pesquisa é possível observar o passo-a-passo de como desenvolver os jogos digitais
    de modo que sejam educacionais e, ao mesmo tempo, atrativos e divertidos aos
    estudantes.

    PALAVRAS-CHAVE:


  • Mostrar Abstract
  • O uso de softwares para a educação matemática não é novidade entre as pesquisas
    acadêmicas, mas a mesma frequência não é observada ao se procurar sobre o uso de
    jogos digitais para o ensino de matemática. Por mais que usar jogos analógicos seja
    comum, ao se falar de jogos no computador há pouco auxílio na elaboração e concepção
    deles, por depender de habilidades não específicas dos professores de matemática, como
    programação e design. O objetivo desta dissertação é articular o conhecimento que há de
    elaboração de softwares da Engenharia Didático-Informática com a metodologia de
    desenvolvimento de jogos MDA – Mechanics Dynamics and Aesthetics, de modo a ampliar
    as possibilidades dos pesquisadores no mundo digital em que se encontram. Ao elaborar
    um jogo digital – O Pokétrunfo – como um estudo de caso, a dissertação apresenta
    passo-a-passo como desenvolver os jogos digitais de modo que sejam educacionais e, ao
    mesmo tempo, atrativos e divertidos aos estudantes.

3
  • FABIANA GOMES DA SILVA
  • Conhecimentos docentes para o Ensino de Educação Financeira Escolar

  • Orientador : CRISTIANE AZEVEDO DOS SANTOS PESSOA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CRISTIANE AZEVEDO DOS SANTOS PESSOA
  • ROSINALDA AURORA DE MELO TELES
  • MARIA ALVES DE AZEREDO
  • Data: 26/05/2021

  • Mostrar Resumo
  •  

    Esta pesquisa, de abordagem qualitativa, teve por objetivo geral construir um modelo de
    conhecimentos docentes para o Ensino de Educação Financeira Escolar para os anos
    iniciais do Ensino Fundamental. Buscamos responder às seguintes questões de pesquisa:
    (1) em tempos de obrigatoriedade do ensino de Educação Financeira na escola, quais
    são os conhecimentos demonstrados por professores que ensinam Matemática nos anos
    iniciais do Ensino Fundamental sobre a temática? (2) Quais conhecimentos são
    esperados que os professores dominem para um ensino crítico de EF na escola? Para
    isso realizamos entrevistas semiestruturadas individuais com cinco professoras que
    ensinam Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental em Recife – PE. Como
    aporte teórico utilizamos o Mathematical Knowledge for Teaching – MKT de Ball,
    Thames e Phelps (2008). Como resultado, aponta-se que o modelo criado recebeu o
    nome de Conhecimentos docentes para o Ensino de Educação Financeira Escolar
    (CEEFE), adaptado da teoria MKT, constituído a partir de estudos anteriores sobre
    Educação Financeira, entrevistas com professoras e documentos oficiais da educação,
    entre eles a Base Nacional Curricular Comum – BNCC (BRASIL, 2017; 2018) que
    institui a obrigatoriedade da Educação Financeira (EF) a partir de 2017, quando houve a
    homologação correspondente às etapas da Educação Infantil e Ensino Fundamental e
    em 2018, com a homologação correspondente à etapa do Ensino Médio,
    compreendendo a obrigatoriedade da EF em toda a Educação Básica. Como
    supracitado, as entrevistas às professoras foi um elemento importante no
    desenvolvimento do modelo, auxiliando na configuração dos diferentes conhecimentos
    para o ensino de Educação Financeira Escolar (EFE) a partir da discussão de suas
    práticas em sala de aula e de suas habilidades. O CEEFE é composto por:
    Conhecimento Comum de EF, Conhecimento Especializado de EF, Conhecimento
    Horizontal de EF, Conhecimento de EF e Ensino, Conhecimento de EF e Aluno,
    Conhecimento de EF e Currículo. Desse modo, o modelo consiste na imbricação de
    grandes áreas do conhecimento, com ênfase em algumas subáreas e conteúdos,
    considerando elementos como os matemáticos e não matemáticos, de linguagem,
    econômicos, psicológicos, entre outros. Apresentamos, ainda, uma síntese do CEEFE
    das professoras entrevistadas, no qual é possível perceber a reorganização de seus
    conhecimentos sobre EFE à medida que a entrevista avançava, em alguns momentos
    com relações mais restritas sobre EF, mais voltadas a finanças pessoais, ou confundindo
    com o ensino de sistema monetário ou Matemática Financeira, em outros momentos
    com observações mais amplas considerando diversos elementos, de forma integradora,
    coletiva e para a coletividade. Em vista disso, defendemos formações continuadas sobre
    o tema, para que os professores e as professoras consigam fazer essas interrelações entre
    os diversos conhecimentos e possam abordar a EFE de forma crítica e contextualizada
    com intencionalidade pedagógica de forma sistemática no decorrer dos anos escolares.


  • Mostrar Abstract
  •  

    Esta pesquisa tem por objetivo investigar quais Conhecimentos sobre Educação

    Financeira Escolar (EFE) professores que ensinam Matemática nos anos iniciais do
    Ensino Fundamental possuem e estabelecer tipos de Conhecimentos para o Ensino de
    Educação Financeira na Escola. Para isso, serão realizadas entrevistas semiestruturadas
    com dez professores que ensinam Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental.
    Para o estudo piloto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com duas
    professoras dos anos iniciais do Ensino Fundamental de Recife-PE. Como aporte
    teórico utilizamos o Mathematical Knowledge for Teaching – MKT de Ball, Thames e
    Phelps (2008). Buscamos identificar e analisar os Conhecimentos de EFE e
    Conhecimentos Pedagógicos de EFE de professores, para isso definimos seis tipos de
    Conhecimentos para o Ensino de Educação Financeira na Escola – CEEFE, baseados na
    revisão de literatura e na teoria MKT de Ball e colaboradores (2008). Dessa forma,
    compreendemos que é fundamental que os professores reflitam sobre esses seis tipos de
    conhecimentos para que possam ensinar Educação Financeira - EF na escola de forma
    crítica, reflexiva e contextualizada baseada nos aspectos sociais, econômicos,
    matemáticos, psicológicos e políticos. Para a entrevista semiestruturada, selecionamos
    cinco atividades de EF que são de livros didáticos, propomos algumas possibilidades de
    aulas assim como as professoras entrevistadas também propuseram possibilidades de
    cenários de aulas no decurso da entrevista. Os seis tipos de CEEFE são: o
    Conhecimento Comum de Educação Financeira, que consiste em conhecer sobre algum
    tipo de planejamento de finanças pessoais; o Conhecimento Especializado de Educação
    Financeira, que engloba conhecimentos e habilidades utilizadas no ensino, que o
    professor deve conhecer as diferentes concepções e abordagens de EF; o Conhecimento
    Horizontal de Educação Financeira, que consiste em conhecer documentos da
    educação e como a abordagem do tema EF vai se complexificando nos diferentes anos
    escolares; o Conhecimento de Educação Financeira e Aluno, que consiste em conhecer
    as facilidades e dificuldades apresentadas pelos alunos quanto ao tema, bem como as
    habilidades e estratégias utilizadas pelos estudantes quando refletem e respondem
    questões no contexto da EF; o Conhecimento de Educação Financeira e Ensino, que
    consiste nas formas de ensinar o tema, que engloba as representações feitas pelo
    professor de forma a deixar o conteúdo compreensível aos estudantes, assim como quais
    exemplos utilizar e quando utilizar, dependendo do contexto cultural, regional e da
    etapa escolar, de modo a superar as dificuldades dos alunos; o Conhecimento de
    Educação Financeira e Currículo, que consiste em conhecer a abordagem dos
    documentos oficiais sobre o tema para o ano escolar que leciona, como a BNCC
    (BRASIL, 2017) e o PCPE (PERNAMBUCO, 2019), bem como conhecer e ser capaz
    de identificar abordagens de EF propostas em livros didáticos, assim como, iniciativas
    governamentais nacionais sobre EF. Outro resultado foi o da entrevista foi que uma das
    professoras demonstrou conhecimentos mais próximos do que propomos nos tipos de
    CEEFE e a outra demonstrou uma visão um pouco mais limitada sobre a abordagem do
    tema em sala de aula, demonstrando uma visão mais voltada a finanças pessoais. Uma
    delas passou por uma palestra sobre EF, mesmo a palestra não sendo direcionada ao
    ensino, pode ter contribuído para os conhecimentos que demonstrou. Portanto,
    concluímos reafirmando a importância da formação dos professores sobre a temática em
    que os tipos de conhecimentos apresentados no presente estudo sejam refletidos.

4
  • JOSE ROBSON DE ARAUJO
  • CONVERSÃO ENTRE OS REGISTROS DE REPRESENTAÇÃO GRÁFICO E ALGÉBRICO DA FUNÇÃO AFIM: ANÁLISE A PARTIR DA INTERPRETAÇÃO GLOBAL DE PROPRIEDADES FIGURAIS

  • Orientador : ROSINALDA AURORA DE MELO TELES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FERNANDA ANDREA FERNANDES SILVA
  • JOSE IVANILDO FELISBERTO DE CARVALHO
  • ROSINALDA AURORA DE MELO TELES
  • VERIDIANA REZENDE
  • Data: 28/05/2021

  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa, cujo aporte teórico é a Teoria dos Registros de Representação Semiótica
    (TRRS), desenvolvida pelo filósofo francês Raymond Duval (2003, 2009, 2011a, 2011b, 2012,
    2018), tem por objetivo analisar a conversão entre os registros de representação gráfico e
    algébrico da função afim realizada por estudantes do ensino médio, a partir da abordagem de
    interpretação global de propriedades figurais. Um levantamento do desempenho dos estudantes
    concluintes do Ensino Médio, nos itens dos testes de Matemática do Sistema de Avaliação
    Educacional de Pernambuco (SAEPE) que abordam o reconhecimento da representação da
    função afim em seu registro algébrico dado o seu registro gráfico, apontou dificuldades para
    articular esses dois registros por parte dos estudantes. O procedimento metodológico consistiu
    na aplicação de um instrumento composto por quatro questões: duas caracterizadas como tarefa
    de reconhecimento e duas do tipo abertas, para 45 estudantes do 3o ano do ensino médio de
    duas escolas estaduais da cidade de Garanhuns – PE; complementado com a realização de 16
    entrevistas semi-estruturadas. As análises foram realizadas a partir da categorização dos dados
    em unidades de registros, de acordo com a Análise de Conteúdo, de Bardin (2016). Em resposta
    ao primeiro objetivo específico, os dados apontam como estratégias empregadas no processo
    de conversão entre os registros gráfico e algébrico, a abordagem ponto a ponto em conjunto
    com tratamentos na expressão algébrica e o apoio no registro tabular. Em relação ao segundo
    objetivo específico: analisar como os estudantes reconhecem a representação da função afim
    em seu registro algébrico, a partir do seu registro gráfico e vice-versa, foram diagnosticados
    falsos reconhecimentos das unidades significativas do registro de representação gráfica,
    ocasionando conversões não exitosas da representação da função afim para o registro algébrico.
    Os resultados obtidos permitem concluir e ratificar, as afirmações já preconizadas por Duval
    (2011a): para uma leitura e interpretação correta das representações gráficas se faz necessária
    a sua interpretação global, permitindo que os estudantes discriminem as suas diferentes
    variáveis visuais e tenham consciência de suas correspondências com as alterações
    significativas nas unidades simbólicas da representação algébrica.


  • Mostrar Abstract
  • Esta pesquisa, cujo aporte teórico é a Teoria dos Registros de Representação
    Semiótica (TRRS) desenvolvida pelo filósofo francês Raymond Duval, tem por objetivo
    analisar a conversão entre os registros de representação gráfico e algébrico da função
    afim realizada por estudantes do ensino médio, a partir da abordagem de interpretação
    global de propriedades figurais. Um levantamento do desempenho dos estudantes
    concluintes do ensino médio, nos itens dos testes de Matemática do Sistema de
    Avaliação Educacional de Pernambuco (SAEPE) que abordam o reconhecimento da
    representação da função afim em seu registro algébrico dado o registro gráfico, apontou
    dificuldades para articular esses dois registros por parte dos estudantes. O procedimento
    metodológico consistiu na aplicação de um instrumento composto por quatro questões,
    duas caracterizadas como tarefa de reconhecimento e duas do tipo abertas, para 45
    estudantes do 3º ano do ensino médio de duas escolas estaduais da cidade de Garanhuns
    – PE. E na realização de16 entrevistas semi=estruturadas. As análises foram realizadas
    a partir da categorização dos dados em unidades de registros, de acordo com a Análise
    de Conteúdo de Laurence Bardin. Os dados apontam como estratégias empregadas no
    processo de conversão entre os registros gráfico e algébrico a abordagem ponto a ponto
    em conjunto com tratamentos na expressão algébrico e o registro tabular, contemplado o
    primeiro objetivo de pesquisa, identificar as estratégias utilizadas pelos estudantes para
    realizarem a conversão entre os registros. Também foram diagnosticados falsos
    reconhecimentos das unidades significativas do registro de representação gráfico,
    ocasionando conversões não exitosas da representação da função afim para o registro
    algébrico. O que respondeu ao segundo objetivo específico do estudo, analisar como os
    estudantes reconhecem a representação da função afim em seu registro algébrico dado o
    seu registro gráfico e vice-versa. Os resultados obtidos nos permitem concluir, e
    ratificar o preconizado por Duval (2011a), que, para uma leitura e interpretação das
    representações gráficas se faz necessário a sua interpretação global, permitindo que os
    estudantes discriminem as suas diferentes variáveis visuais e tenham consciência de sua
    correspondência com as alterações significativas nas unidades simbólicas da
    representação algébrica.

5
  • FLAVIA MYRELLA TENORIO BRAZ
  • INTERAÇÃO CEGO-VIDENTE: a resolução de problemas combinatórios com materiais que exploram diferentes sentidos

  • Orientador : RUTE ELIZABETE DE SOUZA ROSA BORBA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JAQUELINE APARECIDA FORATTO LIXANDRAO SANTOS
  • LILIANE MARIA TEIXEIRA LIMA DE CARVALHO
  • FERNANDA MALINOSKY COELHO DA ROSA
  • Data: 11/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • O estudo visou contribuir para a aprendizagem de Combinatória por
    estudantes cegos, em interação com videntes, utilizando materiais que
    exploram diferentes sentidos e atendem as necessidades de cada um. Foram
    revisados problemas e materiais utilizados em estudo anterior, elaborando-se
    ou adaptando-se novos problemas e materiais, explorando os sentidos do tato,
    olfato e visão. Estes foram aplicados junto a uma estudante cega e uma
    estudante vidente, matriculadas numa escola municipal do Recife, que os
    resolveram de forma conjunta. Os resultados apontam que os materiais
    desenvolvidos, bem como a interação entre as estudantes, possibilitaram a
    identificação dos elementos e o estabelecimento de relações necessárias à
    resolução dos problemas combinatórios, além da troca de estratégias entre as
    estudantes. Posteriormente, os materiais e momentos da interação, bem como
    a resolução dos problemas pelas estudantes foram apresentados a uma
    professora da sala regular e outra de Atendimento Educacional Especializado,
    ambas com experiência com estudantes cegos. Estas analisaram que os
    materiais cumprem a proposta a que se propõem, reconheceram a importância
    da interação entre as estudantes cega e vidente para a construção das
    aprendizagens de Combinatória, e sugerem outras situações pedagógicas em
    que os materiais podem ser utilizados, como para realizar padrões,
    classificações e quantificações. Espera-se que o estudo contribua com o
    campo teórico e para a prática da educação inclusiva com foco na
    aprendizagem dos estudantes, partindo-se das considerações de suas
    necessidades e da interação entre eles.


  • Mostrar Abstract
  • O presente texto traz os resultados preliminares de um estudo que vem sendo
    desenvolvido para o mestrado em Educação Matemática e Tecnológica. Esse estudo
    possui como objetivo geral investigar a interação cego-vidente na resolução de problemas
    combinatórios, por estudantes do 5o ano do Ensino Fundamental, a partir de materiais que
    explorem tato, olfato e visão. Para tal, foram revisados problemas combinatórios e
    materiais manipuláveis desenvolvidos em estudo anterior, adaptando-se ou criando-se
    novos problemas e novos materiais. Estes materiais foram pensados de modo que
    possibilitassem a exploração de variados sentidos. Participaram dessa primeira etapa do
    estudo, duas estudantes da rede municipal do Recife – PE, sendo uma estudante cega e
    uma estudante vidente, pertencentes à mesma turma. A partir de resoluções, sem
    mediação e com mediação da pesquisadora, em dois momentos, as estudantes
    resolveram oito problemas combinatórios, sendo dois de cada tipo de problema (arranjos,
    permutação, combinação e produtos de medida). As resoluções das estudantes foram
    analisadas a partir da Vergaud (1986), Vigostky (1997), Gallese e Lakoff (2005), Lambert,
    Sampaio, Mauss e Scheiber (2004), além de estudiosos que desenvolveram pesquisas
    anteriores voltadas à Matemática e à aprendizagem do deficiente visual. Os resultados
    iniciais apontaram que os materiais manipuláveis desenvolvidos, a partir do estímulo a
    diferentes sentidos (através de texturas e odores), possibilitaram às estudantes identificar
    os elementos a serem combinados e estabelecer as relações necessárias à resolução dos
    problemas. A mediação possibilitou avanços na compreensão das situações
    combinatórias e de seus invariantes. Apontou-se, ainda, a importância da interação entre
    as estudantes para a troca de estratégias. Espera-se que o estudo possa contribuir com o
    campo teórico dos processos de aprendizagem de crianças cegas em interação com
    videntes em sala de aula regular, pautando-se na perspectiva inclusiva de educação e
    que possa colaborar com as práticas inclusivas de professores da Educação Básica.

6
  • JOÉLIA SANTOS DE LIMA
  • FRAMEAGAP UM DISPOSITIVO PARA O ACOMPANHAMENTO DA APRENDIZAGEM: Um estudo em Sala de Aula Invertida sobre cônicas

  • Orientador : VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • JAQUELINE APARECIDA FORATTO LIXANDRAO SANTOS
  • VALDIR BEZERRA DOS SANTOS JUNIOR
  • JOSÉ ARMANDO VALENTE
  • Data: 14/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • Em decorrência das dificuldades encontradas por estudantes do Ensino Superior em disciplinas específicas do curso, como Geometria Analítica, a metodologia de Sala de Aula Invertida vem sendo utilizada neste contexto. Esta metodologia reorganiza o tempo em sala de aula e propõe avaliações frequentes por meio de feedbacks e recursos de personalização. Esta pesquisa, parte de um estudo maior realizado no GERE - Grupo de Estudos sobre Recursos para a Educação, tem como objetivo analisar como o FrameAGAP - um framework para o acompanhamento e gestão da aprendizagem personalizada, em um contexto da sala de aula invertida, pode auxiliar o estudante na aprendizagem de Cônicas, no contexto da Geometria Analítica. Para estruturação do FrameAGAP nos baseamos na Teoria dos Campos Conceituais de Vergnaud, mapeando as habilidades, significados e representações das situações sobre cônicas e a linguagem SQL (Structured Query Language) para estruturar o banco de dados. Como metodologia, acompanhamos 3 licenciandos em matemática, no tópico de cônicas de uma disciplina de Geometria Analítica, utilizando o FrameAGAP como suporte para avaliar os estudantes e tomar decisões sobre melhor material a ofertá-los. Ao fim deste estudo, percebemos que o dispositivo permitiu-nos acompanhar os conhecimentos e dificuldades do estudante, o auxiliando na identificação de bons materiais para a personalização da aprendizagem. Os estudantes conseguiram com a ajuda dos recursos e situações superar diferentes tipos de erros que apresentavam anteriormente.


  • Mostrar Abstract
  • Due to the difficulties encountered by Higher Education students in specific subjects of the course, such as Analytical Geometry, the Flipped Classroom methodology has been used in this context. This methodology reorganizes the time in the classroom and proposes evaluations through feedbacks and personalization resources. This research is part of a larger study conducted at GERE - Study Group on Resources for Education, aims to analyze how FrameAGAP - a framework for monitoring and managing personalized learning, in an inverted classroom context, can help the student in the learning of Conics, in the context of Analytical Geometry. For structuring FrameAGAP we used Vergnaud's Theory of Conceptual Fields, mapping skills, meanings and representations of hypotheses about conics and an SQL language to structure the database. As a methodology, we followed 3 undergraduates in mathematics, on the topic of conics of an Analytical Geometry discipline, using FrameAGAP as a support to evaluate students and make decisions about the best material to offer them. At the end of the study, we realized that this device evolves us in the student's knowledge and difficulties, helping him in the identification of good materials for the personalization of learning. The students managed with the help of resources and hypotheses to overcome different types of errors that they had previously.

7
  • ARLAINE GABRIELA PEREIRA DA SILVA
  • ANÁLISE METODOLÓGICA DA MOBILIZAÇÃO DO TPACK POR PROFESSORES DE MATEMÁTICA A PARTIR DAS COREOGRAFIAS DIDÁTICAS

  • Orientador : MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ERNANI MARTINS DOS SANTOS
  • JADILSON RAMOS DE ALMEIDA
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • Data: 15/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • De acordo com Lima e Giraffa (2007), ainda que exista uma variedade muito grande de dispositivos tecnológicos e ambientes virtuais disponíveis, o maior desafio do professor está em relacionar a tecnologia com sua metodologia de trabalho e a objetivos pedagógicos bem definidos. Em consonância, Fonseca e Barrére (2013) apontam que as dificuldades metodológicas no planejamento de aula com uso de recurso tecnológico é um dos principais motivos que dificultam a utilização das TDICs nas escolas. Isto posto, fica evidente que “as TDICs demandam conhecimentos diversos os quais são necessários para que o professor de Matemática possa ‘raciocinar com’, ‘criar com’ e ‘ensinar com’ tecnologia” (COSTA; PRADO, 2015, p.102). Esta última ação poderá ser desenvolvida e potencializada por propostas metodológicas que consideram sequências de estratégias didáticas como um “conjunto de atividades ordenadas, estruturadas e articuladas para a realização de certos objetivos educacionais, que têm um princípio e um fim conhecidos tanto pelos professores como pelos alunos” (ZABALA, 1998, p.18). Especificamente no caso do estudo da Matemática com o auxílio de TDICs, é possível provocar no educando a mobilização de alguns modelos base, tais como: aprendizagem por descoberta, resolução de problemas, construção de conceito, aprendizagem social e aprendizagem de hipertexto, conforme citam Oser e Baeriswyl (2001).  Por conseguinte, este estudo busca investigar as abordagens de ensino e aprendizagem que se utilizam de tecnologias digitais presentes em LDs, com o objetivo de integrar as TDICs no cenário educacional vigente, com foco nos modelos base de aprendizagem, mais especificamente, os que são mobilizados na atividade matemática. Mais geralmente, o presente estudo visa responder os seguintes questionamentos: De que maneira vem sendo feita a integração de TDICs em LDs de Matemática? Como as Coreografias Didáticas podem potencializar o planejamento das atividades propostas com o uso da tecnologia (sugerida), de modo a evidenciar os modelos base de aprendizagem próprios da área de Matemática?Disto, objetivamos identificar nas coleções de LDs de Matemática aprovados no PNLD 2018 propostas de atividades com a implementação de tecnologias e, a partir disso, analisar as atividades propostas por meio das Coreografias Didáticas como proposta metodológica que integre a construção do conhecimento matemático com o uso da tecnologia no planejamento e na criação de situações de aprendizagem.

     


  • Mostrar Abstract
  • De acordo com Lima e Giraffa (2007), ainda que exista uma variedade muito grande de dispositivos tecnológicos e ambientes virtuais disponíveis, o maior desafio do professor está em relacionar a tecnologia com sua metodologia de trabalho e a objetivos pedagógicos bem definidos. Em consonância, Fonseca e Barrére (2013) apontam que as dificuldades metodológicas no planejamento de aula com uso de recurso tecnológico é um dos principais motivos que dificultam a utilização das TDICs nas escolas. Isto posto, fica evidente que “as TDICs demandam conhecimentos diversos os quais são necessários para que o professor de Matemática possa ‘raciocinar com’, ‘criar com’ e ‘ensinar com’ tecnologia” (COSTA; PRADO, 2015, p.102). Esta última ação poderá ser desenvolvida e potencializada por propostas metodológicas que consideram sequências de estratégias didáticas como um “conjunto de atividades ordenadas, estruturadas e articuladas para a realização de certos objetivos educacionais, que têm um princípio e um fim conhecidos tanto pelos professores como pelos alunos” (ZABALA, 1998, p.18). Especificamente no caso do estudo da Matemática com o auxílio de TDICs, é possível provocar no educando a mobilização de alguns modelos base, tais como: aprendizagem por descoberta, resolução de problemas, construção de conceito, aprendizagem social e aprendizagem de hipertexto, conforme citam Oser e Baeriswyl (2001).  Por conseguinte, este estudo busca investigar as abordagens de ensino e aprendizagem que se utilizam de tecnologias digitais presentes em LDs, com o objetivo de integrar as TDICs no cenário educacional vigente, com foco nos modelos base de aprendizagem, mais especificamente, os que são mobilizados na atividade matemática. Mais geralmente, o presente estudo visa responder os seguintes questionamentos: De que maneira vem sendo feita a integração de TDICs em LDs de Matemática? Como as Coreografias Didáticas podem potencializar o planejamento das atividades propostas com o uso da tecnologia (sugerida), de modo a evidenciar os modelos base de aprendizagem próprios da área de Matemática?Disto, objetivamos identificar nas coleções de LDs de Matemática aprovados no PNLD 2018 propostas de atividades com a implementação de tecnologias e, a partir disso, analisar as atividades propostas por meio das Coreografias Didáticas como proposta metodológica que integre a construção do conhecimento matemático com o uso da tecnologia no planejamento e na criação de situações de aprendizagem.

     

8
  • PRISCILLA DA SILVA DUTRA
  • ENGAJAMENTO DOCENTE NOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NO USO DA ROBÓTICA EDUCACIONAL EM ESCOLAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DO RECIFE

  • Orientador : MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MARCELO SABBATINI
  • JOAO MARCELO XAVIER NATARIO TEIXEIRA
  • FLAVIA BARBOSA FERREIRA DE SANTANA
  • Data: 15/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa teve como objetivo investigar o engajamento docente dos professores de anos finais do ensino fundamental, no Programa Robótica na Escola e nos demais projetos de robótica educacional desenvolvidos em escolas municipais do Recife. A pesquisa foi de natureza qualitativa e do tipo exploratória, realizando uma análise documental utilizando a técnica da Análise de Conteúdo (BARDIN, 2011). Para o desenvolvimento do estudo realizamos um mapeamento dos projetos e atividades com a robótica educacional desenvolvidos pelos docentes na Rede Municipal de Ensino do Recife. Para coletar os dados, aplicamos dois questionários, disponibilizando-os em formato de formulários online. Nas respostas identificamos três linhas de robótica que os docentes desenvolviam as atividades e projetos. Linha 1 – Robótica com Ferramentas, Linha 2 – Robótica de Encaixe e Linha 3 – Robótica Avançada. De acordo com o levantamento, 73,3% dos sujeitos participantes da pesquisa, demonstraram ter maior interesse em trabalhar com robótica de encaixe, 53,3% com ferramentas e 6,7% com robótica avançada, com atividades desenvolvidas em feiras de conhecimento, competições, torneios, eventos específicos da área de robótica e encontros pedagógicos. Fizemos então a análise da percepção que os professores apresentaram em relação ao uso da Robótica Educacional. Para a análise do engajamento docente, nos baseamos na Escala de Professores Engajados (ETS) criada por Klassen, Yerdelen, Durksen (2013), que apresenta quatro dimensões relacionadas ao engajamento docente: emocional, cognitiva, social com estudantes e social com colegas. No instrumento de coleta, houve uma questão para cada dimensão, o que possibilitou identificar, cinco categorias relacionadas ao engajamento docente no trabalho com RE: incentivo cognitivo ao estudante, envolvimento emocional, envolvimento cognitivo, comunicação direta com colegas de trabalho e incentivo ao protagonismo estudantil.


  • Mostrar Abstract
  • O objetivo geral deste trabalho é analisar o engajamento dos docentes dos anos finais do ensino fundamental, das escolas públicas municipais do Recife, a partir da participação dos mesmos em projetos e/ou atividades com a robótica educacional. Com a implementação em 2014, do "Programa Robótica na Escola" nas escolas do Recife, surgiu o interesse de estudantes e docentes de participarem de atividades e projetos relacionados a área de Robótica. Como objetivos específicos iremos: (1) mapear os projetos, ações e/ou atividades pedagógicas com a utilização da Robótica Educacional (RE) para atividades em sala de aula; (2) conhecer o significado de robótica educacional (RE) para docentes que participam de projetos de RE na Rede Municipal de ensino do Recife (RMER); (3) categorizar os modos de engajamento docente no desenvolvimento de projetos e atividades pedagógicas com uso da robótica educacional, pelos docentes pesquisados De acordo, com a escala ETS, modelo que aborda as dimensões de engajamento docente, proposta validada por Klassen, Yerdelen, Durksen (2013). Este estudo utiliza uma abordagem de pesquisa qualitativa do tipo exploratória. Os dados serão produzidos através de questionários e entrevistas semiestruturadas e para analisar, utilizaremos a técnica de Análise de conteúdo (Bardin, 2011). E nossa hipótese é que mesmo diante dos diferentes projetos relacionados a tecnologia, desenvolvidos nos anos finais do ensino fundamental, das escolas públicas da rede municipal do Recife, existe elementos que promovem o engajamento docente no trabalho com robótica educacional, pois a robótica é uma área que envolve também os estudantes e esses projetos e atividades acontecem de maneira plural, oferecendo diferentes possibilidades no trabalho educacional.

9
  • NEFERSON BARBOSA DA SILVA RAMOS
  • METODOLOGIAS ATIVAS NA EDUCAÇÃO ONLINE: uma análise a partir das Coreografias Didáticas na Educação Superior

  • Orientador : MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • JOSE IVANILDO FELISBERTO DE CARVALHO
  • QUERTE TERESINHA CONZI MEHLECKE
  • Data: 18/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • No cenário atual em que vivemos os contextos sociais, políticos e educacionais estão sendo potencializados com a integração das tecnologias digitais da informação e comunicação e novos métodos inovadores para a sala de aula, seja ela presencial ou online. Visivelmente a educação, requer novas metodologias e métodos ativos, criativos e construtivos. A educação a distância, historicamente se manteve com métodos tradicionais e nesta perspectiva buscaremos discutir as metodologias ativas na educação online, onde destacam-se nas discussões atuais sobre modalidades e métodos que promovem a autonomia, a criatividade e a aprendizagem significativa de professores e estudantes. Neste processo de investigação, utilizaremos a Coreografia Didática, para relacionar as metodologias ativas como modelos de ensino e aprendizagem ativos. Nessa perspectiva, o objetivo deste estudo é investigar a implementação de metodologias ativas na educação online no ensino superior a partir do modelo das coreografias didáticas. Tendo como objetivos específicos (1) analisar a antecipação do planejamento de metodologias ativas na educação online; (2) analisar colocação em cena de metodologias ativas na educação online; (3) analisar a avaliação de metodologias ativas na educação online; e (4) analisar a relação entre o modelo das coreografias didáticas e as metodologias ativas utilizadas. Este estudo se caracteriza como uma pesquisa de natureza qualitativa tendo como campo empírico o Curso de Licenciatura em Letras-Língua Portuguesa (EAD), e campo de análise a disciplina de didática. Com isso, definimos o professor da disciplina, como sujeito da pesquisa onde analisamos o planejamento de metodologia ativa na antecipação, investigado por através de um documental com base de análise no planejamento do professor e sua prática na colocação em cena, ou seja, no ambiente online. Posteriormente, percebemos com o aprofundamento do estudo que não existem muito estudo sobre avaliação nas práticas de metodologias ativas, contudo a atuação avaliativa do sujeito da pesquisa evidenciou convergência com os estudos encontrados. Mais adiante, percebemos características e elementos que relacionam coreografias didáticas e metodologias ativas que são importantes o contexto escolar, contudo, se diferenciam, pois um trata-se de um modelo didático e o outro as estratégias metodológicas. Para esta investigação realizamos imersões através da etnografia virtual (HINE, 2000) no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Moodle da UFPE, com intuito coletar e analisar os dados da pesquisa através dos artefatos culturais da internet e observações sistemáticas (GIL, 2003). Por fim, os resultados dos dados da pesquisa apontaram que, a atuação do professor, sujeito da pesquisa confirmou que a utilização e implementação de metodologias ativas na educação online, mais especificamente na disciplina de didática, contribuiu para o desenvolvimento da autonomia, possibilitou uma pluralidade de atividade que correspondiam aos objetivos, de forma ativa, visando os estilos de aprendizagem dos alunos.


  • Mostrar Abstract

  • No cenário atual em que vivemos, os contextos sociais, políticos e
    educacionais estão sendo potencializados com a integração das tecnologias
    digitais da informação e comunicação e novos métodos inovadores para a sala
    de aula, seja ela presencial ou online. Visivelmente a educação, requer novas
    metodologias e métodos ativos, criativos e construtivos. A educação a
    distância, historicamente se manteve com métodos tradicionais e nesta
    perspectiva buscaremos discutir as metodologias ativas na educação online,
    onde destacam-se nas discussões atuais sobre modalidades e métodos que
    promovem a autonomia, a criatividade e a aprendizagem significativa de
    professores e estudantes. Neste processo de investigação, utilizaremos a
    Coreografia Didática, para relacionar as metodologias ativas como modelos de
    ensino e aprendizagem ativos.Nessa perspectiva, o objetivo deste estudo é
    investigar a implementação de metodologias ativas na educação online no
    ensino superior a partir do modelo das coreografias didáticas. Tendo como
    objetivos específicos (1) analisar a antecipação do planejamento de
    metodologias ativas na educação online; (2) analisar colocação em cena de
    metodologias ativas na educação online; (3) analisar a avaliação de
    metodologias ativas na educação online; e (4) analisar a relação entre o
    modelo das coreografias didáticas e as metodologias ativas utilizadas. Este
    estudo se caracteriza como uma pesquisa de natureza qualitativa tendo como
    campo empírico o Curso de Licenciatura em Letras-Língua Portuguesa (EAD),
    e campo de análise a disciplina de didática. Para esta investigação utilizamos
    imersões através da Etnografia Virtual (HINE, 2000) no Ambiente Virtual de
    Aprendizagem (AVA) Moodle e observações sistemáticas (GIL, 2003). Também
    será possível uma análise documental, com foco no planejamento do professor.
    Através da análise documental, será possível explorar o planejamento da
    disciplina. A priori, apresentaremos uma breve análise introdutória acerca de
    um dos módulos da disciplina online, correspondendo um dos objetivos da
    pesquisa.

10
  • JEAN VAZ DE OLIVEIRA RIBEIRO
  • COMPETÊNCIAS DOCENTES PARA O ENSINO HÍBRIDO: construção de um framework referencial

  • Orientador : WALQUÍRIA CASTELO BRANCO LINS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • WALQUÍRIA CASTELO BRANCO LINS
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • QUERTE TERESINHA CONZI MEHLECKE
  • Data: 07/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • O ensino híbrido é apontado como tendência educacional a alguns anos por se mostrar um modelo versátil e recentemente as discussões sobre a sua adoção tornou-se mais presente nas instituições de ensino, gerando a necessidade de professores capacitados e adaptados ao trabalho em ambientes distintos, demandando novas competências docentes. Considerando a produção de pesquisas sobre essa temática no Brasil, este trabalho objetivou desenvolver um quadro de competências docentes norteador para o ensino híbrido, com base em um levantamento bibliográfico e diferentes quadros de competências docentes. Para fundamentar as discussões sobre competências docentes usamos Perrenoud (1999, 2000) e Zabala e Arnau (2010) e sobre as competências digitais as Notas Técnicas do Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB, 2018, 2019). Já sobre o ensino híbrido, consideramos Bacich (2015, 2018), Chistensen, Horn, Staker (2013) e Moran (2015, 2018). Após o levantamento bibliográfico, foram realizadas
    análises em documentos de diferentes instituições sobre o ensino híbrido, chegando a um grupo de competências docentes: Personalização, Colaboração, Tecnológicas, Mentalidade e Gestão de ambientes. Foi preciso identificar, dentro das produções brasileiras, aspectos relacionados às competências docentes para o ensino híbrido apontados pelos autores. Foi possível elaborar um quadro referencial com o grupo de competências para o ensino híbrido destacando como elas estão presentes nas produções brasileiras, sendo um norteador para compreender quais competências são apontadas para trabalhar com esse modelo no contexto do ensino no Brasil.


  • Mostrar Abstract
  • O ensino híbrido é apontado como tendência educacional a alguns anos por se mostrar um modelo
    versátil e que busca aproveitar o melhor que o ensino presencial e online podem ofecer. Recentemente
    as discussões sobre a adoção do ensino híbrido tornou-se mais presente nas diversas instituições de
    ensino, gerando assim a necessidade de professores capacitados e adaptados ao trabalho em
    ambientes distintos – virtual e presencial, o que demanda o desenvolvimento de novas competências
    docentes. Diante disso e considerando a produção de pesquisas sobre essa temática no Brasil, este
    trabalho tem como objetivo desenvolver um quadro de competências docentes norteador para o ensino
    híbrido com base em um levantamento bibliográfico em produções brasileiras sobre à atuação docente
    com o ensino híbrido e diferentes quadros de competências docentes elaborados por instituições
    internacionais, buscando realizar a análise e confronto dos dados apontados. Para fundamentar as
    discussões sobre competências docentes tomamos como base Perrenoud (1999, 2000) e Zabala e
    Arnau (2010) e para elucidar sobre as competências digitais utilizamos as Notas Técnicas do Centro
    de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB, 2018, 2019). No que se refere a fundamentação sobre
    o ensino híbrido, serão considerados autores como Bacich (2015, 2018), Chistensen, Horn, Staker
    (2013) e Moran (2015, 2018). Pretende-se elaborar como resultado do confronto dos dados o quadro
    referencial em que se destaque quais as competências docentes apontadas como necessárias para
    trabalhar com o modelo de ensino híbrido no contexto das instituições de ensino do Brasil.

11
  • CLAUDIA DANIELLE DA SILVA OLIVEIRA
  • Relações entre a Praxeologia Matemática em uma coleção de livros didáticos e as técnicas utilizadas pelos estudantes ao resolver tarefas envolvendo razões trigonométricas no triângulo retângulo.

  • Orientador : MARILENE ROSA DOS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANDRE PEREIRA DA COSTA
  • MARILENE ROSA DOS SANTOS
  • PAULA MOREIRA BALTAR BELLEMAIN
  • Data: 13/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objeto de estudo o saber razões trigonométricas no
    triângulo retângulo, no qual temos por objetivo geral é verificar as relações entre a
    praxeologia matemática presente em uma coleção de livro didático e as técnicas utilizadas
    pelos estudantes do 3o ano do ensino médio, quanto ao estudo das razões trigonométricas
    no triângulo retângulo. Como referencial teórico, nos apoiamos na Teoria Antropológica do
    Didático (TAD), desenvolvida por Yves Chevallard (1999) e seus colaboradores. Essa
    teoria nos fornece ferramentas teóricas e metodológicas possíveis de analisar tanto livros
    didáticos como as respostas dos estudantes, por meio de praxeologias, no qual poderemos
    observar a realidade matemática, assim como, modelizar as técnicas utilizadas por eles.
    Em nossa metodologia, optamos por uma abordagem qualitativa com caráter de análise
    documental, de modo que possibilitou alcançar o nosso objetivo geral. A escolha dos
    procedimentos metodológicos está dividida em três etapas: análise da coleção do livro
    didático, análise dos protocolos com as respostas os estudantes, e por fim, a comparação
    entre alguns elementos da praxeologia matemática dos livros didáticos e as técnicas dos
    estudantes. Quanto ao procedimento metodológico aplicamos um teste, com 54
    estudantes do ensino médio, composto por quatro problemas, extraídos do Sistema de
    Avaliação Educacional de Pernambuco (SAEPE), mas que apresentavam os mesmos tipos
    de tarefas na coleção do livro didático. Na análise dos resultados, identificamos nessa
    coleção seis tipos de tarefas referentes ao saber razões trigonométricas no triângulo
    retângulo, totalizando 88 tarefas, as quais a maioria se concentra no primeiro volume da
    coleção. Quanto aos resultados dos protocolos dos estudantes, percebemos que um terço
    deles não respondeu nenhuma das tarefas do teste. Os demais estudantes que



  • Mostrar Abstract
  • A presente pesquisa tem como objeto de estudo a aprendizagem do conceito das
    razões trigonométricas no triângulo retângulo, no qual tomamos como foco, a análise de
    uma coleção de livros didáticos de matemática e as respostas dos estudantes do 3o ano
    do Ensino Médio. Nosso objetivo geral é verificar possíveis relações entre as
    praxeologias presentes em uma coleção de livro didático de matemática e as respostas
    dos estudantes do 3o ano do ensino médio, quanto ao estudo das razões trigonométricas
    no triângulo retângulo. Como referencial teórico, nos apoiamos na Teoria Antropológica
    do Didático (TAD), desenvolvida por Yves Chevallard (1999) e seus colaboradores. A
    TAD nos fornece ferramentas teóricas e metodológicas suficientes para investigar como
    a coleção de livros didáticos trata o estudo das razões trigonométricas, por meio da
    modelização da praxeologia matemática, no qual poderemos observar a realidade
    matemática, assim como, modelizar as técnicas utilizadas pelos estudantes. Em nossa
    metodologia, optamos por uma abordagem qualitativa e análise documental, de modo
    que possamos alcançar o nosso objetivo geral. A escolha dos procedimentos
    metodológicos está dividida em três etapas: análise da coleção do livro didático, análise
    dos testes com as respostas os estudantes, e por fim, a comparação entre elementos da
    praxeologia matemática dos livros didáticos com as resoluções dos estudantes. Dessa
    forma, procuramos obter respostas nos procedimentos adotados pelos estudantes quanto
    ao saber razões trigonométricas ao resolver os itens do SAEPE, possibilitando assim,
    revelar relações existentes com a praxeologia matemática, presente na coleção do livro
    didático.

12
  • POLIANA MARIA FARIAS DE ARRUDA
  • Concepções sobre Inovação Pedagógica, no Curso de Pedagogia:

     Um estudo de caso

  • Orientador : THELMA PANERAI ALVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • NURIA PONS VILARDELL CAMAS
  • SERGIO PAULINO ABRANCHES
  • THELMA PANERAI ALVES
  • Data: 10/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • Há alguns anos o conceito de inovação vem sendo incorporado ao campo educacional e mais precisamente à sociedade em redes que constitui o século XXI. Este conceito polissêmico tem norteado práticas e políticas educacionais que estão embasando a utilização do orçamento público do MEC. Portanto, neste estudo de caso, entendemos que o substantivo inovação precisa estar adjetivado, ou seja, ele precisa estar delimitado em um contexto para que seja compreendido e, consequentemente, sejam filtradas as concepções de mundo que o embasam. Neste sentido, a área de Ensino, conhecida como a de nº 46, pela CAPES, é o contexto que pesquisamos dentro do campo epistemológico da Educação. Assim sendo, o nosso problema de pesquisa foi estruturado diante do conceito de inovação pedagógica, contudo, percebemos que o problema estava além da adjetivação do conceito de inovação. Por este motivo, o nosso problema surgiu da seguinte maneira: Quais concepções sobre inovação pedagógica estão alicerçando os cursos de Pedagogia? No decorrer do estudo, percebemos que o tema concepções, dentro do campo de estudo da Pedagogia, é outro conceito amplo e, portanto, em nosso estudo, adotamos e assumimos as concepções liberais e progressistas. Neste caminho, estruturamos o nosso objetivo geral que foi o de analisar as concepções de inovação pedagógica que estão alicerçando os Cursos de Pedagogia de uma Universidade Pública Federal de Pernambuco. Para responder a este objetivo geral, estruturamos nossa pesquisa com três objetivos específicos: a) identificar as concepções de inovação pedagógica dos Cursos de Pedagogia, em documentos oficiais tais como: na Diretriz Curricular Nacional (DCN) do Curso de Pedagogia, na Resolução CNE/CP nº 1 de 2006 e nos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPCs); b) verificar as concepções de inovação pedagógica dos docentes que atuam nos dois Cursos de Pedagogia desta universidade; c) relacionar as concepções de inovação pedagógicas dos documentos oficiais com as concepções de inovação pedagógica dos docentes. Encontramos que a discussão sobre as concepções de inovação pedagógica precisa ser ampliada e está relacionada à prática docente e ao uso de tecnologias digitais de informação e comunicação, tanto pelos documentos, que são resultados de movimentos históricos educacionais, quanto pelos docentes do curso, que também relataram não terem formação sobre este conceito. Diante deste cenário, percebemos que as concepções sobre inovação pedagógica que aparecem, tanto nos documentos oficiais quanto na expressão dos docentes, podem não apresentar critérios consistentes, possíveis, democráticos e norteando políticas educacionais que estruturem as práticas inovadoras além da cobrança pelo docente ser inovador com metodologias amplamente publicitadas.

     


  • Mostrar Abstract
  • A presente pesquisa visa contribuir com o Campo da Educação, na área de ensino,
    respondendo ao seguinte problema: quais concepções de inovação pedagógica estão
    alicerçando os cursos de Pedagogia? Para tanto, o objetivo geral é analisar as concepções de
    inovação pedagógica que norteiam o Curso de Pedagogia e os específicos são levantar as
    concepções sobre inovação pedagógica entre os documentos reguladores da Licenciatura em
    Pedagogia e discutir as concepções de inovação pedagógica sob a perspectiva dos
    coordenadores de curso e dos documentos institucionais. A metodologia é de abordagem
    qualitativa, por meio da pesquisa documental, entrevista e aplicação de questionário
    eletrônico. Fundamenta-se nas abordagens Cognitivista, Sócio(Construtivista) e
    Aprendizagem significativa para embasar o uso de metodologias ativas em concepções
    inovadoras na prática pedagógica do Ensino Superior.

13
  • LUIZ HENRIQUE DO NASCIMENTO
  • CONHECIMENTOS MOBILIZADOS POR PROFESSORES DA EDUCAÇÃO
    DE JOVENS E ADULTOS SOBRE A ÁREA DE PARALELOGRAMOS, SUA
    APRENDIZAGEM E SEU ENSINO

  • Orientador : PAULA MOREIRA BALTAR BELLEMAIN
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PAULA MOREIRA BALTAR BELLEMAIN
  • CRISTIANE AZEVEDO DOS SANTOS PESSOA
  • LUCIA DE FATIMA DURAO FERREIRA
  • Data: 14/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo dessa pesquisa foi investigar conhecimentos cognitivos, didáticos e/ou matemáticos mobilizados por professores da Educação de Jovens e Adultos em relação à área de paralelogramos (quadrados, retângulos e paralelogramos não retângulos e não losangos). Como suporte teórico, utilizamos a Teoria dos Campos Conceituais, desenvolvida por Gérard Vergnaud e seus colaboradores, e a abordagem de área como grandeza geométrica proposta por Régine Douady e Marie-Jeanne Perrin-Glorian. O material empírico analisado foi composto pelas respostas de 24 professores que ensinam ou ensinaram matemática na EJA a um questionário elaborado no Google Forms. Além de perguntas que visavam traçar o perfil dos participantes da pesquisa, foi solicitado aos professores que analisassem algumas atividades sobre a área de paralelogramos e avaliassem resoluções de supostos estudantes da EJA ao responder essas atividades. Após as análises dos resultados, destacamos a importância de mais formações voltadas para o ensino de área de paralelogramos na EJA, visto que 45,8% dos professores comunicaram nunca terem tido formação voltada para o ensino desse conteúdo. Isso pode ter influenciado no resultado dos professores entrevistados, dado que alguns mostraram indícios de dificuldades como: falta de importância para o uso de unidades de medida; dificuldade em figuras não prototípicas; dificuldade no cálculo de área e perímetro de paralelogramos.


  • Mostrar Abstract
  • The objective of this research was to investigate cognitive, didactic and/or mathematical knowledge mobilized by teachers of Youth and Adult Education in relation to the area of parallelograms (squares, rectangles and non-rectangles and non-diamonds parallelograms). As theoretical support, we use the Theory of Conceptual Fields, developed by Gérard Vergnaud and his collaborators, and the approach of area as geometrical magnitude proposed by Régine Douady and Marie-Jeanne Perrin-Glorian. The empirical material analyzed consisted of the responses of 24 teachers who teach or taught mathematics at EJA to a questionnaire prepared on Google Forms. In addition to questions aimed at outlining the profile of the research participants, teachers were asked to analyze some activities in the area of parallelograms and evaluate resolutions of supposed EJA students when answering these activities. After analyzing the results, we highlight the importance of more training aimed at teaching the area of parallelograms in EJA, as 45.8% of teachers reported never having had training aimed at teaching this content. This may have influenced the result of the interviewed teachers, as some showed signs of difficulties such as: lack of importance for the use of measurement units; difficulty in non-prototypical figures; difficulty in calculating area and perimeter of parallelograms.

14
  • ALESSANDRA SIMONE DO PRADO SIQUEIRA
  • DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NO ENSINO E APRENDIZAGEM DA LÍNGUA INGLESA ATRAVÉS DA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL EM UMA UNIDADE DE ENSINO POTENCIALMENTE SIGNIFICATIVA

  • Orientador : PATRICIA SMITH CAVALCANTE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PATRICIA SMITH CAVALCANTE
  • THELMA PANERAI ALVES
  • KATIA APARECIDA DA SILVA AQUINO
  • SUELI SALLES FIDALGO
  • Data: 21/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho pretende apresentar uma análise da influência da implementação de uma Unidade de Ensino Potencialmente Significativa (UEPS) apoiada pelo recurso audiovisual, em uma das suas etapas, no desenvolvimento das competências no ensino e aprendizagem da língua inglesa. Esta pesquisa participante, de intervenção didática, desenvolveu o planejamento de uma ação didática na perspectiva da Aprendizagem Significativa Crítica amparada pela a produção de curtas-metragens por estudantes do Ensino Médio de uma escola pública de Recife. Os resultados mostraram que a utilização da UEPS apoiada pelo recurso audiovisual trouxe um impacto positivo para o desenvolvimento de competências da língua estrangeira de estudantes do segundo ano do Ensino Médio de uma escola pública de Recife. Além disso, foi fator relevante para o aprimoramento linguístico e socioemocional dos sujeitos envolvidos na pesquisa. Espera-se que essa pesquisa possa contribuir para a formulação de ações pedagógicas que ofereçam oportunidade para a troca de experiências sociolinguísticas, que incentivem o protagonismo e a formação integral dos estudantes. Outra expectativa é que a intervenção possa ser reformulada e adaptada à realidade vivenciada em outros contextos escolares.


  • Mostrar Abstract
  • This reasearch aims to present an analysis of the influence of a Potentially Meaningful Teaching Unit (PMTU), supported by the audiovisual resource in one of its stages, in the development of competences in teaching and learning.The present participative research of a didactic intervention developed the planning and production of short films by students of secondary school in a public school in Recife. The results revealed that the production of short films by students as a tool for the promotion of Critical Meaningful Learning had a positive impact on the acquisition of the English language. Furthermore, it was relevant for the linguistic and socio-emotional improvement of the students involved in the research. It is expected that this research can contribute to the formulation of pedagogical actions that offer opportunities for the exchange of sociolinguistic experiences, which encourage the protagonism and the integral education of students. It is also hoped that the intervention can be reformulated and adapted to what is actually experienced in the school environment.

15
  • ELIDIENE GOMES DE OLIVEIRA LIMA
  • O PAPEL DOS COORDENADORES PEDAGÓGICOS: DESAFIOS DAS AÇÕES PEDAGÓGICAS COM O USO DAS TDIC EM TEMPOS DE PANDEMIA

  • Orientador : THELMA PANERAI ALVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • THELMA PANERAI ALVES
  • SERGIO PAULINO ABRANCHES
  • ANA DE FATIMA PEREIRA DE SOUSA ABRANCHES
  • Data: 24/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo está inserido no Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática e Tecnológica (EDUMATEC), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). As Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC) vêm progressivamente ampliando as possibilidades de interação entre as pessoas, as trocas de informações, a colaboração participativa, a produção de novos conteúdos e a construção de uma inteligência coletiva, nesta sociedade que está cada vez mais imersa na cultura digital. O período pandêmico da Covid-19 trouxe muitos desafios, mostrando a necessidade do desenvolvimento de determinadas habilidades; do acesso aos dispositivos digitais e à internet; e de adaptações metodológicas, para que os envolvidos no processo educativo pudessem acompanhar as aulas remotas emergenciais. Dentro deste contexto, é importante afirmar que a corresponsabilidade das ações pedagógicas é de todos, com foco na qualidade da aprendizagem dos estudantes, destacando o papel do coordenador pedagógico, que é um dos profissionais responsáveis pela articulação das ações pedagógicas entre os autores desse processo educativo. Nesse cenário, surgiu o seguinte problema de pesquisa: qual o papel dos coordenadores pedagógicos diante dos desafios das ações pedagógicas com o uso das TDIC, em tempos de pandemia, nas escolas da Rede Municipal do Recife? Assim, o objetivo geral de nosso estudo foi o de analisar o papel dos coordenadores pedagógicos em relação aos desafios das ações pedagógicas com o uso das TDIC, em tempos de pandemia, nas escolas da rede municipal do Recife. Para alcançarmos o objetivo geral, estabelecemos os seguintes objetivos específicos: a) identificar o papel dos coordenadores pedagógicos dos anos iniciais na Rede Municipal de Ensino do Recife (RMER), quanto aos usos das TDIC; b) investigar os desafios das ações pedagógicas dos coordenadores durante a pandemia com os usos das TDIC; c) relacionar o papel dos coordenadores pedagógicos dos anos iniciais na RMER quanto aos usos das TDIC com os desafios de suas ações na pandemia com os usos das TDIC. Os principais autores que contribuíram para o desenvolvimento e articulação de nosso estudo foram: a) em relação aos coordenadores pedagógicos, Placco & Almeida (2003), Placco et al.  (2012), Monteiro et al. (2012), Freire (1983, 1987), Libâneo (2012); b) em relação aos usos das TDIC, abordamos os estudos de Castells (2009), Kenski (2015), Silva, R. (2017), Bates (2016), Masseto (2000), Moreira et al. (2020) entre outros; c) no contexto dos desafios das ações pedagógicas durante as aulas remotas emergenciais na pandemia, discutimos os estudos de Joye et al (2020), Moreira e Schlemmer (2020), Palú et al (2020), Cardoso et al (2020). Decidimos realizar um estudo de caso único, utilizando uma metodologia de natureza qualitativa, com caráter exploratório e descritivo. Como instrumentos de coleta de dados, optamos por realizar uma pesquisa documental e um questionário semiestruturado online (formulário eletrônico). A análise dos dados foi realizada através da Análise de Conteúdo (AC), de Bardin (2011) e Moraes (1999), na perspectiva de realizar procedimentos sistemáticos e objetivos de descrição e interpretação. Os resultados mostraram forte influência dos coordenadores pedagógicos nas práticas pedagógicas com o uso da TDIC. Eles são um dos principais responsáveis pelo incentivo, articulação e intervenção no que se refere ao uso de tecnologias digitais, contribuindo para buscas de novas possibilidades e alternativas de enfrentamentos de diferentes situações pedagógicas, nesses tempos de pandemia, nas escolas na Rede Municipal de Ensino (RMER).


  • Mostrar Abstract
  • This study is part of the Postgraduate Program in Mathematics and Technology Education
    (EDUMATEC), at the Federal University of Pernambuco (UFPE). Digital Information and
    Communication Technologies (ICT) have been progressively expanding the possibilities
    of interaction between people, information exchange, participatory collaboration, the
    production of new content and the construction of a collective intelligence, in this society
    that is increasingly immersed in the digital culture. The Covid-19 pandemic period
    brought many challenges, showing the need for the development of certain skills; for
    access to digital devices and the internet; and for methodological adaptations, so that those
    involved in the educational process could follow the emergency remote classes. Within
    this context, it is important to state that co-responsibility for pedagogical actions belongs
    to everyone, focusing on the quality of student learning, highlighting the role of the
    pedagogical coordinator, who is one of the professionals responsible for the articulation of
    pedagogical actions among the authors of this educational process. In this scenario, the
    following research problem arose: what is the role of the pedagogical coordinators facing
    the challenges of pedagogical actions with the use of ICT, in times of pandemic, in the
    schools of the Municipal Network of Recife? Thus, the general objective of our study was
    to analyze the role of pedagogical coordinators in relation to the challenges of pedagogical
    actions with the use of ICT, in times of pandemic, in schools of the municipal network of
    Recife. To achieve the general objective, we established the following specific objectives:
    a) to identify the role of pedagogical coordinators of the initial years in the Municipal
    Education Network of Recife (RMER), regarding the use of ICT; b) to investigate the
    challenges of the pedagogical actions of coordinators during the pandemic with the use of
    ICT; c) to relate the role of pedagogical coordinators of the initial years in RMER
    regarding the use of ICT with the challenges of their actions in the pandemic with the use
    of ICT. The main authors who contributed to the development and articulation of our
    study were : a) regarding pedagogical coordinators , Placco & Almeida (2003), Placco et
    al. (2012), Monteiro et al. (2012), Freire (1983, 1987), Libâneo (2012); b) regarding the
    uses of ICT, we addressed the studies of Castells (2009), Kenski (2015), Silva, R. (2017),
    Bates (2016), Masseto (2000), Moreira et al. (2020) among others; c) in the context of the
    challenges of pedagogical actions during emergency remote classes in the pandemic, we
    discussed the studies of Joye et al (2020), Moreira and Schlemmer (2020), Palú et al
    (2020), Cardoso et al (2020). We decided to conduct a single case study, using a
    methodology of qualitative nature, with an exploratory and descriptive character. As data
    collection instruments, we chose to conduct a documentary research and an online semi-
    structured questionnaire (electronic form). Data analysis was performed through Content
    Analysis (CA), by Bardin (2011) and Moraes (1999), with the perspective of performing
    systematic and objective procedures of description and interpretation. The results showed
    strong influence of the pedagogical coordinators in pedagogical practices with the use of
    ICT. They are one of the main responsible for the incentive, articulation and intervention
    regarding the use of digital technologies, contributing to the search for new possibilities and alternatives to face different pedagogical situations, in these times of pandemic, in

    schools in the Municipal Education Network (RMER).

16
  • DIEGO JONATA DE MEDEIROS
  • Sistemas de Recursos de Professores para ensinar conteúdos estatísticos nos anos finais do Ensino Fundamental em Escolas do Campo

  • Orientador : IRANETE MARIA DA SILVA LIMA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • IRANETE MARIA DA SILVA LIMA
  • VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • SONIA BARBOSA CAMARGO IGLIORI
  • Data: 29/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa se situa na articulação entre os domínios da Educação Estatística, da Educação do Campo e da Abordagem Documental do Didático para compreender o sistema de recursos de professores que ensinam matemática nos anos finais do Ensino Fundamental em escolas do campo. Buscamos, em particular, mapear em documentos oficiais as orientações para o ensino de conteúdos estatísticos em termos de recursos; caracterizar os recursos mãe selecionados pelos professores e classificá-los em recursos materiais e não-materiais; identificar os recursos filhos construídos a partir da modificação dos recursos mãe já identificados e as relações entre as realidades dos alunos e das comunidades camponesas com os recursos dos professores. Para tanto, realizamos, inicialmente, uma análise documental e, em seguida, coletamos os dados com três professores de três municípios do Agreste Pernambucano por meio de cinco instrumentos: entrevista semiestruturada; gravação de um vídeo apresentando os recursos e a construção do mapa de recursos para ensinar estatística, pelos próprios professores; observação da elaboração do planejamento de uma aula e observação da aula planejada. Em razão da pandemia causada pela Covid-19, os dados da pesquisa foram coletados de forma presencial e remota. As análises dos resultados revelam que os sistemas de recursos dos professores são compostos por recursos mãe de natureza material e não-material, sendo os recursos materiais os mais citados. Alguns recursos filhos foram construídos com base nos contextos escolares e nas realidades camponesas dos alunos, porém, não representam a maioria. Compreendemos que os recursos utilizados pelos professores têm potencial para possibilitar o desenvolvimento do letramento estatístico pelos alunos, mesmo que, algumas vezes, eles se restrinjam a atividades que demandam a aplicação de fórmulas, por exemplo, sem uma maior problematização. Os resultados mostram, também, pouca relação entre os recursos recomendados pelos documentos oficiais e o sistema de recursos dos professores para se trabalhar conteúdos estatísticos nos anos finais do Ensino Fundamental.


  • Mostrar Abstract
  • Esta pesquisa é parte de um projeto maior registrado no CNPq, e foi desenvolvida nos domínios da Educação do Campo, da Educação Estatística e da Abordagem Documental do Didático. Buscamos compreender o sistema de recursos de professores de matemática dos anos finais do Ensino Fundamental para ensinar Estatística em escolas do campo. Para fundamentar a investigação apoiamo-nos nos referenciais teórico e metodológico da Educação do Campo, da Abordagem Documental do Didático e do Letramento Estatístico. Realizamos um estudo documental das orientações oficiais da educação básica brasileira, das orientações curriculares de Matemática do Estado de Pernambuco, assim como, efetuamos uma revisão de literatura acerca das produções sobre Abordagem Documental do Didático e a das que abordam a Educação do Campo e a Educação Estatística conjuntamente. Utilizaremos a Metodologia proposta pelos autores da Abordagem Documental do Didático, a Investigação Reflexiva, com dois professores. Os instrumentos de coleta adotados são os mesmos utilizados pelo projeto registrado no CNPq, contudo, adaptamos para a especificidade desta pesquisa.

17
  • ANA CLAUDIA LINS BORGES
  • EDUCAÇÃO DE SURDOS: a produção de vídeos pelos professores intérpretes de Libras

  • Orientador : THELMA PANERAI ALVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • THELMA PANERAI ALVES
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • WILMA PASTOR DE ANDRADE SOUSA
  • Data: 03/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo está inserido na Linha de Pesquisa de Educação Tecnológica, do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática e Tecnológica (EDUMATEC), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A Educação de Surdos está sendo amplamente discutida, mais precisamente pelo reconhecimento da Língua Brasileira de Sinais (Libras), através da Lei nº10.436/2002, apontando elementos específicos quanto à formação do sujeito Surdo. E, com a popularização das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC), os estudos na área da Educação de Surdos voltaram-se para inclusão das pessoas Surdas nos meios digitais. Nesse sentido, o vídeo é um artefato difundido na Comunidade Surda, por sua facilidade de manuseio e por proporcionar que o discurso em Libras seja gravado e compartilhado com maior rapidez e veracidade. Assim, a fim de contribuir com a produção de vídeos para Educação de Surdos, propusemos responder ao seguinte questionamento: de que maneira acontece a produção de vídeos pelos professores intérpretes de Libras, do Ipojuca, na Educação de Surdos? No que se refere à metodologia, e para alcançar os objetivos do estudo, optamos por realizar uma pesquisa de natureza qualitativa, que, quanto aos objetivos, apresenta um caráter exploratório e descritivo e, quanto aos procedimentos, caracteriza-se como um estudo de caso. Os instrumentos de coleta de dados foram a pesquisa documental, o questionário (formulário online) aplicado juntos aos sujeitos desta pesquisa e a observação dos vídeos cedidos. As análises foram realizadas através da Análise de Conteúdo, de Moraes (1999). Os resultados mostram que a produção de vídeos para Educação de Surdos não possui amparo em documentos oficiais da área, é estudada por alguns autores da área, mas sem diretrizes que conduzam os professores à uma produção efetiva. Acreditamos que a produção de orientações específicas para a produção de vídeos para Educação de Surdos, precisa ser discutida entre os profissionais da área, já que para eles, essa produção ocorre de forma experimental. 


  • Mostrar Abstract
  • A Língua Brasileira de Sinais (Libras) é a língua materna dos sujeitos surdos
    que moram no Brasil. Reconhecida no país, enquanto língua, desde a
    promulgação da Lei de número 10.436/ 2002, marco que trouxe às pessoas
    Surdas do país maior reconhecimento de suas necessidades linguísticas,
    culturais, identitárias e educacionais. Nesse sentido surgem as possibilidades
    pedagógicas visuais para a Educação de Surdos e dentre elas, o uso de
    narrativas visuais, em formato de vídeo, como estratégia de ensino utilizada
    pelos professores.
    Essa pesquisa objetiva investigar maneira as narrativas visuais, em formato de
    vídeo, podem contribuir com as estratégias de ensino utilizadas pelos
    professores na Educação de Surdos. Com base nos estudos de Kearney
    (2012), Carvalho e Alves (2020) sobre narrativas; nas pesquisas de Pereira
    (2014), Coscarelli e Ribeiro (2014) sobre narrativas visuais além das
    contribuições de Skliar (2010), Flor e Vanzin (2019) acerca do uso do vídeo na
    Educação de Surdos, traçamos o aporte teórico desse ensaio. No contexto
    atual da pandemia, todo processo de investigação acontece online através de
    formulário Google elaborado para que os professore intérpretes de Libras do
    município do Ipojuca, sujeitos de nossa pesquisa, possam responder com
    segurança.

18
  • MARINA JACINTO DA SILVA OLIVEIRA
  • Criatividade Docente na Educação Superior: uma reflexão à luz das Práticas Inovadoras

  • Orientador : MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • CRISTIANE LUCIA DA SILVA
  • Data: 21/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve por objetivo geral investigar a relação entre o uso de práticas
    consideradas inovadoras e a criatividade nas atividades de ensino dos docentes da
    Educação Superior. Esta pesquisa buscou destacar a relação entre criatividade,
    docência e inovação, enfatizando a sua importância e necessidade para o
    desenvolvimento docente, já que a demanda para o cultivo da inovação dentro do
    ensino superior vem crescendo vertiginosamente nos últimos anos. Já que o
    professor é o elemento chave para o potencial criativo dentro do contexto
    educacional, é importante que se cultive atos criativos a partir dele. Para
    operacionalizar o objetivo geral, tivemos como objetivos específicos: conhecer a
    percepção dos professores sobre criatividade na Educação Superior, identificar
    quais as práticas que docentes da Educação Superior consideram inovadoras em
    suas atividades de ensino e identificar os elementos que denotam criatividade
    presentes nas atividades de ensino dos professores que utilizam práticas
    consideradas por eles como inovadoras. O estudo possui como base estudos sobre
    criatividade (VYGOTSKY, 2012), criatividade docente (FLEICH; ALENCAR, 2010) e
    práticas inovadoras (FILATRO; CAVALCANTI,2018), (MORAN, 2018) dentre outros.
    Com relação à metodologia, o estudo teve uma abordagem qualitativa de caráter
    exploratório, sendo também uma pesquisa participante realizada de forma on-line e
    síncrona entre docentes de instituições de Educação Superior públicas de
    Pernambuco. O instrumento utilizado para a construção dos dados foi Pláticas
    (GUAJARDO; GUAJARDO,2013) e as análises foram realizadas através da Análise
    Textual Discursiva de Moraes e Galiazzi (2020). Os resultados mostram que a
    relação entre criatividade docente e o uso de práticas inovadoras não só existe
    como também é importantíssima para a realização de práticas mais inovadoras de
    ensino. Através das respostas dos entrevistados, foi possível verificar que: a
    percepção deles sobre a criatividade no ensino superior é a capacidade de se
    reinventar partindo também da base pedagógica, sendo um ato de transformação
    discente e uma maneira diferenciada de se resolver problemas acadêmicos; As
    práticas consideradas inovadoras mais utilizadas por eles são diversas, desde os
    modelos híbridos menos disruptivos como a rotação por estações e a sala de aula
    invertida, como também metodologias ativas(Aprendizagem baseada em
    problemas/projetos, Estudo de caso e Storytelling), imersivas (Gamificação e Role
    playing) e ágeis (Microlearning) e que os elementos que denotam criatividade nas
    atividades de ensino dos participantes são o incentivo a novas ideias, interesse pela
    aprendizagem do aluno, estratégias diversificadas de ensino e clima para a
    expressão de ideias.


  • Mostrar Abstract
  • O presente estudo trata do cultivo da criatividade no contexto educacional,
    mais especificamente a partir do olhar docente e tem como objetivo geral
    investigar como as metodologias inovadoras estimulam a criatividade dos
    docentes na realização das demais estratégias de ensino por eles utilizadas no
    contexto da Educação Superior. Esta pesquisa busca destacar a relação entre
    criatividade, docência e inovação, enfatizando a sua importância e necessidade
    para o desenvolvimento docente, já que a demanda para o cultivo da inovação
    dentro do ensino superior vem crescendo vertiginosamente nos últimos anos. Já
    que o professor é o elemento chave para o potencial criativo dentro do contexto
    educacional, é importante que se cultive atos criativos a partir dele. Para
    operacionalizar o objetivo geral, temos como objetivos específicos: investigar os
    fatores que propulsionam a criatividade docente, analisar como os professores
    integram as metodologias inovadoras em suas práticas pedagógicas e identificar
    os elementos presentes nas aulas dos professores que utilizam metodologias
    inovadoras que denotam criatividade. O estudo tem uma abordagem qualitativa
    de caráter exploratório, sendo também uma pesquisa – ação que será realizada
    de forma on-line dentro de instituições de Ensino superior de Pernambuco e da
    Paraíba. O estudo possui como base estudos sobre criatividade, criatividade
    docente e metodologias inovadoras como os de Vigotski (2012), Alencar (2007),
    Freire (2011), Filatro e Cavalcanti (2018), Moran (2018) dentre outros.

Teses
1
  • MARIA DAS DORES DE MORAIS
  • ABORDAGEM SOBRE FRAÇÕES: Uma análise do Contrato Didático e das Concepções de Ensino da Matemática como fatores de influência na aprendizagem de estudantes do 5o ano do Ensino Fundamental

  • Orientador : MARCELO CAMARA DOS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCELO CAMARA DOS SANTOS
  • JADILSON RAMOS DE ALMEIDA
  • PAULA MOREIRA BALTAR BELLEMAIN
  • JOSE DILSON BESERRA CAVALCANTI
  • ANNA PAULA DE AVELAR BRITO LIMA
  • Data: 14/05/2021

  • Mostrar Resumo

  • A presente pesquisa teve como objetivo analisar o contrato didático e as concepções de ensino
    e aprendizagem da Matemática como fatores de influência no desempenho de frações dos
    estudantes do 5o ano do Ensino Fundamental em duas escolas municipais em Jaboatão dos
    Guararapes – PE. Utilizamos como fundamentos a Teoria das Situações Didáticas, em especial
    o contrato didático, já que esse fenômeno se circunscreve na relação didática em função dos
    componentes do triângulo didático (professor, estudantes e saber). A partir desse contexto, nos
    apoiamos também nos estudos sobre Concepções De Ensino E Aprendizagem De Matemática
    de Câmara dos Santos, dentre outros que consideramos pertinentes. Em geral, nossa pesquisa
    envolveu uma parte teórica propositiva e uma empírica. Dessa forma, organizamos nossa
    investigação em três momentos correlacionados. No primeiro, construímos as bases teóricas
    para o esboço da atribuição de tipos de contrato didático inspirados nos modelos de
    aprendizagem propostos por Charnay, fundamentados a partir do conceito do referido
    fenômeno. No segundo, uma entrevista semiestruturada com três professoras dos referidos anos
    e, no terceiro, o acompanhamento das aulas reservadas para o ensino de fração. Cada professora
    explicitou, na entrevista, trabalhar dentro de diferentes concepções de ensino e aprendizagem.
    A primeira se associou à socioconstrutivista, a segunda tanto à socioconstrutivista quanto à
    baldista e à terceira, escadinha e baldista. No decorrer das etapas dois e três, puderam-se
    observar, como resultados, discrepâncias nas concepções de ensino e aprendizagem entre a
    prática de ensino das professoras e suas respostas à entrevista semiestruturada. Partindo da
    hipótese do contrato didático e das concepções de ensino e aprendizagem enquanto construtos
    teóricos complementares que nos permitiram ver coisas diferentes, foi possível compreender
    melhor a origem das dificuldades encontradas pelos estudantes dos anos iniciais do Ensino
    Fundamental para lidar adequadamente com frações. As análises dos dados de estudo nos deram
    indícios dos elementos constitutivos desse fenômeno, dentre eles: as expectativas das
    professoras no conhecimento prévio dos estudantes sobre frações e no seu aprofundamento; a
    ocorrência dos efeitos Topaze e Pigmaleão; e o estabelecimento de regras como a de que o
    numerador de uma fração deve ser menor que o denominador, da ideia de fração enquanto
    divisão e dois números independentes, que denotaram o contrato didático e as concepções de
    ensino como fatores de influência no desempenho de frações. Encontramos também algumas
    fragilidades conceituais das docentes.


  • Mostrar Abstract
  • A presente pesquisa tem como objetivo analisar uma tipologia de Contrato Didático estabelecida
    pelos professores que atuam no 5 o ano do Ensino Fundamental, tomando como referência as
    concepções de ensino mobilizadas quando é ensinado o saber frações. Para tanto, será utilizado
    como fundamentos a Teoria das Situações Didáticas, em especial o conceito de Contrato
    Didático, já que esse fenômeno se circunscreve na relação didática, em função dos componentes
    do triângulo didático (professor, estudantes e saber). A partir desse contexto, a pesquisa também
    se respalda nos estudos de referências sobre concepções de ensino, nos modelos de aprendizagem
    propostos por Charnay, dentre outros considerados pertinentes para se definir a tipologia de
    Contrato Didático desejado. Em geral, a pesquisa envolve uma parte teórica propositiva e uma
    empírica, relacionadas ao acompanhamento das aulas sobre fração. Dessa forma, a investigação
    foi organizada em três momentos correlacionados, a saber: a) Explanação da fundamentação das
    bases teóricas para o esboço de modelização de uma tipologia de Contrato Didático; b) Entrevista
    semiestruturada com duas professoras dos referidos anos; e c) acompanhamento das aulas
    reservadas para o ensino de fração. As análises preliminares dos dados de estudo das professoras
    Joana, Ana e Maria demonstraram as características preponderantes das concepções de ensino de
    cada professora. Foi identificado no discurso que as concepções de Maria, estavam associadas à
    baldista, Joana, socioconstrutivista e Ana, escadinha e baldista. Entretanto, no acompanhamento
    das aulas, Maria as desenvolveu em função da baldista e de um Contrato Didático
    regulamentativo e Joana da socioconstrutivista/baldista, associadas a um Contrato Didático com
    alguns traços do reflexivo, mas também do regulamentativo. Além disso, o acompanhamento das
    práticas docentes deram indícios dos elementos constitutivos desse fenômeno, tais como: as
    expectativas das professoras em relação ao conhecimento prévio dos estudantes sobre frações e a
    necessidade do seu aprofundamento; a ocorrência dos efeitos Topaze e Pigmaleão; o
    estabelecimento de regras como por exemplo, o numerador de uma fração deve ser sempre menor
    que o denominador; a ideia de fração enquanto divisão e como dois números independentes,
    dentre outros que puderam ser observados.

2
  • GLAUCE VILELA MARTINS
  • DO PRESCRITO AO AVALIADO: O CURRÍCULO DE MATEMÁTICA DA EJA EM SUAS DISTINTAS INSTÂNCIAS NO QUE SE REFERE AO TEMA COMBINATÓRIA

  • Orientador : RUTE ELIZABETE DE SOUZA ROSA BORBA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RUTE ELIZABETE DE SOUZA ROSA BORBA
  • LILIANE MARIA TEIXEIRA LIMA DE CARVALHO
  • FATIMA M LEITE CRUZ
  • GILBERTO JANUÁRIO
  • EDDA CURI
  • Data: 10/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • Os currículos de Matemática na Educação de Jovens e Adultos (EJA) devem estimular
    as diversas formas de raciocínio, levando em conta as características próprias dos
    estudantes dessa modalidade de ensino. Sendo assim, o presente estudo de
    doutoramento teve como objetivo analisar as convergências e divergências do ensino
    e aprendizagem da Combinatória na EJA nas distintas instâncias curriculares
    propostas por Sacristán (2000) (currículos prescritos, apresentados, moldados, em
    ação, realizados e avaliados), buscando compreender em cada uma delas como esse
    conhecimento está organizado em relação ao tripé conceitual de Vergnaud (1986) (S,
    I, R: situações, invariantes e representações simbólicas). Para isso, a pesquisa foi
    dividida em quatro etapas. Na primeira etapa foram examinadas as orientações
    referentes ao ensino e à aprendizagem da Combinatória em currículos prescritos para
    o primeiro e segundo segmentos da EJA. Observou-se, nos documentos, proximidade
    entre as informações contidas para os dois segmentos da EJA referente às
    prescrições a respeito das situações, invariantes e representações simbólicas. Na
    Etapa 2 foram analisados livros didáticos aprovados no PNLD-EJA – 2014 para os
    dois segmentos, sendo identificados 41 problemas de Combinatória. Evidenciou-se
    que dentre as diferentes situações apresentadas, houve maior frequência de
    permutações para o primeiro segmento e de combinações para o segundo segmento.
    A maioria dos problemas apresentavam apenas enunciado e solicitavam uso de
    manipulativos para sua resolução. Os invariantes da Combinatória não foram
    contemplados na orientação das situações problemas. Na terceira etapa foram
    entrevistados dois professores e analisados seus respectivos planos de aula. Os
    professores evidenciaram pouco conhecimento do conteúdo, de sua abordagem em
    materiais curriculares e de seus processos de ensino e aprendizagem. Entretanto, na
    modelação e na apresentação de aspectos a avaliar, exibiram diferentes situações
    combinatórias, seus invariantes, e variadas representações simbólicas. Na Etapa 4
    foram observadas duas aulas de cada professor, verificando suas práticas de ensino,
    bem como os efeitos dessas práticas. Percebeu-se que os professores contemplaram
    em seus currículos em ação diferentes situações de Combinatória, sendo no 1o
    segmento apenas produtos de medidas e quatro tipos de situação no 2o segmento.
    Os invariantes foram contemplados no desenvolvimento de suas aulas, bem como o
    uso de desenhos, imagens, listagens e árvores de possibilidades como
    representações simbólicas. No tocante aos efeitos das práticas, tanto os estudantes
    como os professores evidenciaram aprendizagens referentes ao tripé (S, I, R), com
    desenvolvimento de estratégias de sistematização dos dados contidos nos problemas.
    Desse modo, conclui-se que há mais convergências do que divergências nas
    instâncias curriculares nos dois primeiros segmentos da EJA, o que não favorece o
    aprofundamento no que se refere às situações, aos invariantes e às representações
    simbólicas da Combinatória tratados nessa modalidade de ensino. Tais resultados
    implicam em necessárias reformulações feitas nos marcos legais da EJA em âmbito
    nacional, com posterior reestruturação dos livros didáticos, assim como formações
    continuadas para professores, para possibilitar avanços no conhecimento docente em
    relação ao conteúdo de Combinatória para que a prática possa contribuir de forma
    efetiva no desenvolvimento do raciocínio combinatório de estudantes jovens e adultos.


  • Mostrar Abstract
  • Mathematics curricula in Youth and Adult Education (EJA) should stimulate different
    forms of reasoning, taking into account the characteristics of students in this type of
    teaching. Therefore, the present doctoral study aimed to analyze the convergences
    and divergences of the teaching and the learning of Combinatorics in EJA in the
    different curricular instances proposed by Sacristán (2000) (prescribed, presented,
    molded, in action, carried out and evaluated curriculum), seeking to understand in each
    of them how this knowledge is organized in relation to Vergnaud's conceptual tripod
    (1986) (S, I, R: situations, invariants and symbolic representations). For this, the
    research was divided into four stages. In the first stage, the guidelines for teaching and
    learning Combinatorics were examined in prescribed curricula for the first and second
    segments of EJA. It was observed, in the documents, proximity between the
    information contained for the two segments of EJA regarding the prescriptions
    concerning situations, invariants and symbolic representations. In Step 2, textbooks
    approved in the PNLD-EJA - 2014 for both segments were analyzed, with 41
    Combinatorial problems identified. It was evident that among the different situations
    presented, there was a higher frequency of permutations for the first segment and
    combinations for the second segment. Most of the problems presented only a
    statement and requested the use of manipulatives to solve them. The Combinatorics
    invariants were not included in the orientation of the problem situations. In the third
    stage, two teachers were interviewed and their respective lesson plans were analyzed.
    Teachers showed little knowledge of the content, of their approach to curricular
    materials and of the teaching and learning processes. However, in the modeling and
    presentation of aspects to be evaluated, they presented different combinatorial
    situations, their invariants, and different symbolic representations. In Step 4, two
    classes of each teacher were observed, verifying their teaching practices, as well as
    the effects of these practices. It was noticed that the teachers contemplated in their
    curricula in action different Combinatorial situations, being in the 1st segment only
    products of measures and four types of situation in the 2nd segment. Invariants were
    included in the development of their classes, as well as the use of drawings, images,
    listings and trees of possibilities as symbolic representations. Regarding the effects of
    practices, both students and teachers showed learning related to the tripod (S, I, R),
    with the development of strategies to systematize the data contained in the problems.
    Thus, it is concluded that there are more convergences than divergences in the
    curricular instances in the first two segments of the EJA, which does not favor the
    deepening with regard to the situations, the invariants and the symbolic
    representations of the Combinatorium treated in this teaching modality. Such results
    imply necessary reforms made in the legal frameworks of EJA at the national level,
    with subsequent restructuring of textbooks, as well as continued training for teachers,
    to enable advances in teaching knowledge in relation to the content of Combinatorics
    so that the practice can contribute in a meaningful and effective way in the
    development of the combinatorial reasoning of young and adult students.

3
  • DAYSE BIVAR DA SILVA
  • O contexto escolar na aprendizagem sobre gráficos para estudantes cegas dos anos iniciais

  • Orientador : GILDA LISBOA GUIMARAES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GILDA LISBOA GUIMARAES
  • JAQUELINE APARECIDA FORATTO LIXANDRAO SANTOS
  • JOSE IVANILDO FELISBERTO DE CARVALHO
  • EVANILSON LANDIM ALVES
  • CLELIA MARIA IGNATIUS NOGUEIRA
  • Data: 14/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • Vygotsky (1997) destaca que a cultura é a principal esfera em que é possivel compensar a defiência. Assim, é fundamental que sejam criadas novos instrumentos culturais que respeitem a singularidade do desenvolvimento cognitivo da pessoa com deficiência. Para Vygotsky (2011)  as crianças cegas podem se desenvolver e aprender como qualquer outra, desde que lhes sejam asseguradas as condições adequadas. É preciso termos em mente que as principais dificuldades não são necessariamente cognitivas e que o meio pode constituir-se na principal barreira que dificulda a construção de um novo caminho impedindo assim, o desenvolvimento da pessoa cega. Nesse sentido, acreditamos que estudantes dos anos iniciais de escolarização são capazes de compreender e analisar, de forma crítica, informações veiculadas em gráficos para tomar decisões a partir de suas conclusões, desde que o planejamento das aulas, a metodologia e os recursos didáticos utilizados atendam as especificidades desses estudantes. Entretanto, há uma escassez de estudos que investigam a compreensão dessas representações por estudantes cegos dos anos iniciais. Assim, esse estudo teve por objetivo analisar a compreensão de estudantes cegas dos anos iniciais do Ensino Fundamental em atividades de interpretação e construção de gráficos, considerando o contexto escolar. Como objetivos específicos buscamos compreender como o atendimento educacional especializado é realizado na escola e como este vem subsidiando professores para o ensino de representações em gráficos com estudantes cegos; Investigar como professores de sala comum trabalham com ensino de representações em gráficos para turmas que possuem estudantes cegos e, finalmente, investigar a aprendizagem de estudantes cegos resolvendo situações de interpretação de gráfico de barras e construção de pictogramas. Para contemplar esses objetivos, identificamos duas escolas da região metropolitana de Recife (Escola A e Escola B) que tinham estudantes cegas matriculadas. Em seguida, realizamos entrevistas com as professoras do AEE, observamos uma aula sobre gráficos ministrada por cada professora da sala comum, seguida de uma entrevista ao final da aula, e entrevistamos as estudantes cegas. Para esta entrevista com as estudantes cegas elaboramos, a partir de dados reais, quatro atividades envolvendo gráficos, sendo duas de interpretação de gráfico de barras e duas de construção de pictogramas. Para a realização das atividades de interpretação, disponibilizamos o gráfico de barras em alto relevo e em braille. Já para as atividades de construção de pictograma, disponibilizamos o ábaco de hastes verticais e uma placa de metal com ícones imantados. Nossos resultados revelam que a escola não está preparada para a inclusão. Apesar das professoras reconhecerem a importância da aprendizagem do conteúdo de gráficos pelas estudantes cegas e se mostrarem, de modo geral, empenhadas em viabilizar o acesso delas às representações gráficas, as mesmas carecem de uma prática pedagógica inclusiva para atender as singularidades das estudantes cegas em seu processo de aprendizagem, a fim de levá-las a participar ativamente das atividades desenvolvidas em sala de aula de forma mais autônoma possível. Acrescido a isso, o pouco domínio conceitual dos conceitos estatísticos e metodológicos, contribuiu no desenvolvimento de uma aula tradicional e não problematizadora, não favorecendo a aprendizagem das estudantes cegas. Esse dado evidencia a necessidade de investimentos na formação inicial e continuada dos professores da sala comum para que sejam levados a compreenderem conceitos estatísticos e a desenvolverem práticas pedagógicas inclusivas, garantindo a todos os estudantes o direito de aprender. O pouco conhecimento das estudantes sobre representações em gráficos ficou ainda mais evidente quando a pesquisadora propôs a realização das atividades de interpretação e construção de gráficos, individualmente, na sala de recursos multifuncionais. Entretanto, as estudantes apresentaram indícios de aprendizagens durante a entrevista com a pesquisadora, cuja mediação esteve centrada em associar a leitura tátil com a linguagem oral descritiva, permitindo que as estudantes cegas tivessem acesso às imagens e atribuísse significado a elas, a partir da fala descritiva. Além disso, a mediação realizada pela pesquisadora permitia reflexões, por parte das estudantes, sobre o que estava sendo realizado, o que também foi fundamental para favorecer a compreensão das representações gráficas. Assim, defendemos que estudantes cegas dos anos iniciais conseguem aprender sobre representações em gráficos se os professores do atendimento educacional especializado e a professora da sala comum desenvolverem um trabalho colaborativo atendendo cada um às suas atribuições. Além disso, é premente processos formativos de professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental sobre conhecimentos estatísticos e que os levem a atuar pedagogicamente em uma perspectiva inclusiva. Esses são fundamentais para que professores da sala comum tenham condições de desenvolver um ensino articulado, propondo atividades desafiadoras, envolvendo didáticas e materiais adequados que favoreçam a aprendizagem de todos os estudantes da turma.

     


  • Mostrar Abstract
  • Esse estudo tem o objetivo de investigar o ensino e a aprendizagem de crianças cegas e videntes do 5º ano do Ensino Fundamental sobre gráficos de barras e gráficos pictóricos, a partir de uma sequência de atividades vivenciada com todos os estudantes da turma. Para atingir esse objetivo serão desenvolvidos três estudos. No primeiro, iremos elaborar e analisar a adequação de atividades envolvendo diferentes materiais para o ensino de dados representados em gráficos de barras e pictóricos, para estudantes cegos dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Para tanto, identificadas duas escolas da região metropolitana de Recife que tinham crianças cegas que frequentavam os anos iniciais do Ensino Fundamental. Ao todo, foram elaboradas e testadas 3 (três) atividades, sendo uma envolvendo interpretação de gráfico de barras e duas de construção de gráfico pictórico. Esta etapa foi realizada, individualmente, na sala de recursos multifuncionais da própria escola. Diferentes materiais foram propostos aos estudantes cegos para o trabalho de construção de gráficos, a fim de descobrirmos qual deles melhor auxilia a compreensão desse tipo de representação ou se os diferentes materiais permitem diferentes aspectos da compreensão dessas representações O segundo estudo buscou investigar como professores trabalham com ensino de gráficos para cegos em escolas públicas da região metropolitana de Recife. Para tanto, foram observadas uma aula sobre gráficos ministrada por duas professoras do ensino regular. E por fim, desenvolver uma sequência de ensino aprendizagem com turmas do 5º ano com alunos cegos e videntes sobre interpretação e construção de gráficos de barras e pictóricos. Para a realização dessa etapa participarão 3 (três) turmas de escolas públicas do 5º ano do Ensino Fundamental, as quais tem alunos cegos. Optamos por desenvolver essa investigação nesse ano de escolaridade em função do tipo de habilidade envolvida nas atividades. Esse estudo será realizado em 3 etapas (teste diagnóstico, intervenção e pós teste). Na primeira etapa será realizado um teste diagnóstico para investigar o que sabem os estudantes sobre representações em gráficos de barras e pictogramas. Esse teste constará de 4 (quatro) questões, sendo duas envolvendo interpretação e duas envolvendo construção de gráficos. Nas atividades de interpretação será disponibilizado aos estudantes sem deficiência visual o gráfico impresso em tinta e, para o estudante cego, o gráfico em alto relevo e em braille. As atividades serão realizadas com toda a turma, em um mesmo momento. Caso o aluno cego apresente dificuldades com a escrita braille, a pesquisadora ajudará no registro das respostas. A leitura dos enunciados será realizada pela pesquisadora para toda a turma. Nas atividades de construção, os estudantes sem deficiência visual terão à sua disposição apenas lápis e papel. Já o aluno cego construirá os gráficos em um ábaco de hastes verticais. Os gráficos elaborados pelo estudante cego, quando prontos, serão fotografados.

4
  • RITA DE CASSIA BATISTA DA SILVA
  • JUSTIÇA EM JOGOS: COMPREENSÕES DE ESTUDANTES (CRIANÇAS E ADULTOS) E PROFESSORES À LUZ DE
    DEMANDAS COGNITIVAS DA PROBABILIDADE

  • Orientador : RUTE ELIZABETE DE SOUZA ROSA BORBA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RUTE ELIZABETE DE SOUZA ROSA BORBA
  • JOSE IVANILDO FELISBERTO DE CARVALHO
  • GILDA LISBOA GUIMARAES
  • LORÍ VIALI
  • CILEDA DE QUEIROZ E SILVA COUTINHO
  • Data: 15/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa consubstanciou-se a partir de três estudos que se interconectaram entre
    si, objetivando analisar compreensões acerca de justiça em jogos à luz de demandas
    cognitivas da probabilidade concernentes à aleatoriedade, ao espaço amostral e à
    comparação de probabilidades. O Estudo 1 contou com a participação de 15 crianças do 5o
    ano e 15 estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA); o Estudo 2 estabeleceu um
    paralelo entre 15 crianças portuguesas (5o ano) e as crianças brasileiras do Estudo 1; no
    Estudo 3 foram investigados 15 professores dos anos iniciais, sendo: cinco brasileiros e cinco
    portugueses do ensino regular e cinco brasileiros da EJA. Utilizou-se seis diferentes jogos,
    associados a elementos da probabilidade, por meio de entrevista clínica e questionário,
    analisados a partir de demandas cognitivas da probabilidade, de construtos do pensamento
    probabilístico e de níveis de crenças em jogos. Os participantes dos distintos estudos
    apresentaram similitudes em suas compreensões no que tange à justiça em jogos
    considerando as conexões estabelecidas com elementos da probabilidade, tanto em relação
    a concepções coerentes do ponto de vista formal, como também a equívocos conceituais. De
    modo geral, os participantes associaram jogo justo à equiprobabilidade com conexões com
    sorte, incerteza, regras, uso de artefatos iguais e equilíbrio. As crianças e adultos (Estudo 1)
    apresentaram aproximação de desempenho, o que indica que a maturidade e a experiência
    dos estudantes adultos parecem não influenciar as compreensões acerca de jogos justos
    imbricados nos conceitos probabilísticos explorados. As crianças do Estudo 2, apresentaram
    compreensões similares em relação à justiça em jogos, evocando conceitos intuitivos
    análogos, que possibilita inferir que as diferentes culturas dessas crianças parecem também
    não influir em suas concepções. Os estudantes, sejam adultos ou crianças, em sua maioria,
    apresentaram compreensões típicas dos níveis mais elementares dos construtos do
    pensamento probabilístico, que denota fragilidades conceituais em relação a conceitos
    probabilísticos. Como esses estudantes não tiveram acesso formal a conceitos referentes à
    probabilidade, reforça-se a convicção de que há elementos probabilísticos que são somente
    consolidados por meio do ensino. Os professores, apresentaram compreensões pariformes
    com equívocos e potencialidades observados nos distintos grupos do Estudo 3. Na pesquisa,
    de forma geral, constatou-se fragilidade de compreensão dos participantes dos três estudos
    em relação a sequências aleatórias pelo tênue entendimento de independência de eventos,

    bem como, incompreensões acerca do raciocínio proporcional para comparar eventos de
    espaços amostrais distintos e equívocos sobre o espaço amostral, que, por conseguinte,
    implicaram em análises equivocadas de jogos (in)justos. Sinteticamente, pode-se concluir
    que compreensões e incompreensões acerca de elementos probabilísticos que envolvem
    demandas cognitivas da probabilidade influenciaram a avaliação dos participantes ao
    considerar um jogo justo, ou não. Assim sendo, os equívocos e acertos apresentados para
    avaliar a justiça em jogos possuem relação com conhecimentos de natureza probabilísticas
    que necessitam ser ensinados nas escolas.


  • Mostrar Abstract
  • This research was based on three studies that interconnected with each other, aiming to analyze understandings about fairness in games in the light of cognitive demands of probability concerning randomness, sample space and comparison of probabilities. Study 1 had the participation of 15 fifth grade children and 15 students from Youth and AdultEducation (Educação de Jovens e Adultos - EJA); Study 2 established a parallel between 15 Portuguese children (5th year) and the Brazilian children in Study 1; in Study 3, 15 teachers from the initial school years were investigated, being: five Brazilians and five Portuguese from regular education and five Brazilians from EJA. Six different games were used, associated with elements of probability, through clinical interview and questionnaire, analyzed from cognitive demands of probability, constructs of probabilistic thinking and levels of beliefs in games. The participants in the different studies showed similarities intheir understanding of justice in games considering the connections established withelements of probability, both in relation to coherent conceptions from the formal point ofview, as well as conceptual misunderstandings. In general, the participants associated fairplay with equiprobability with connections with luck, uncertainty, rules, use of equal artifacts and balance. Children and adults (Study 1) showed an approximation of performance, which indicates that the maturity and experience of adult students do not seem to influence understandings about fair games intertwined with the explored probabilistic concepts. The children in Study 2, presented similar understandings in relation to justice in games, evoking similar intuitive concepts, which makes it possible to infer that the different cultures of these children also do not seem to influence their conceptions. Most students, whether adults or children, presented typical understandings of the most elementary levels of the constructs of probabilistic thinking, which denotes conceptual weaknesses in relation to probabilistic concepts. As these students did not have formal access to concepts related to probability, the belief that there are probabilistic elements that are only consolidated through teaching is reinforced. The teachers showed similar understandings with mistakes andpotentialities observed in the different groups of Study 3. In the research, in general, weakness of understanding of the participants in the three studies was found in relation to random sequences due to the weak understanding of event independence, as well as, misunderstandings about the proportional reasoning to compare events of distinct sampling  spaces and misunderstandings concerning the sampling space, which, consequently, implied in mistaken analyzes of (un)fair games. Synthetically, it can be concluded that understandings and misunderstandings about probabilistic elements that involve cognitive demands of probability influenced the evaluation of the participants when considering agame fair, or not. Therefore, the mistakes and successes presented to assess fairness in games have relationship with knowledge of a probabilistic nature that needs to be taught in schools.

5
  • ERNANDES RODRIGUES DO NASCIMENTO
  • ENGAJAMENTO DOCENTE E COREOGRAFIAS INSTITUCIONAIS: um estudo sobre cursos superiores de tecnologia ofertados por meio de uma educação híbrida a partir de um web currículo

  • Orientador : MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JADILSON RAMOS DE ALMEIDA
  • LILIAN CASSIA BACICH MARTINS
  • MARCELO SABBATINI
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • ROSANGELA VIDAL DE SOUZA ARAUJO
  • Data: 22/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • O cenário educacional atual, especialmente no Brasil, vem trazendo a integração das tecnologias digitais e a utilização de metodologias ativas no processo de ensino e aprendizagem, o que vem modificando o trabalho do professor, o qual assumiu diversas novas funções, tais como mentor dos estudantes e curador de materiais digitais. Uma faculdade situada na Região Metropolitana de Recife promoveu, em suas coreografias institucionais, uma inovação disruptiva, ao decidir elaborar e implementar um web currículo em dois cursos superiores de tecnologia, para serem ofertados através de uma educação híbrida. Essa mudança impactou diretamente no trabalho do professor, eles passaram a utilizar a metodologia ágil, trabalhando por Scrum, deixando de ministrar aulas tradicionais e começaram a gerenciar equipes de estudantes, projetos de softwares e suas respectivas aprendizagens. Surgiu então a pergunta de pesquisa: Como se desenvolve o engajamento docente através de coreografias institucionais que promovem a educação híbrida em cursos superiores projetados a partir de um web currículo? Trata-se de uma pesquisa mista longitudinal, a partir de estudo de caso único. Tem como objetivo geral: Investigar o engajamento dos docentes de uma IES, durante a transição do modelo tradicional de ensino para o disruptivo, na implantação de uma coreografia institucional para a oferta de cursos superiores através de um web currículo que promova a educação híbrida. São objetivos específicos: Descrever como a IES insere o web currículo e a educação híbrida em suas coreografias institucionais; Identificar a interferência das coreografias institucionais no engajamento docente; Analisar o engajamento dos docentes que atuam no contexto da educação híbrida; Analisar como o web currículo colabora com o engajamento docente; Descrever a percepção dos estudantes em relação ao engajamento dos docentes. Para construção e análise dos dados, foram utilizadas a pesquisa documental, oito grupos focais e aplicação da escala de engajamento docente. Também usarei da análise de conteúdo e análise descritiva. O estudo iniciou em outubro de 2018 e concluirá em dezembro de 2020, contando com cinco fases, possibilitando a triangulação de fonte de dados e de método. Ao final da fase dois deste estudo, as análises preliminares conduziram o autor a propor uma quinta dimensão de engajamento docente, considerando elementos associados à captação e ao combate à evasão, ao autodesenvolvimento dos professores e ao cumprimento das normas institucionais. A continuidade dos estudos, além de responder ao problema de pesquisa, dará suporte ao pesquisador para a construção do modelo de análise entre a relação do engajamento com as coreografias institucionais.


  • Mostrar Abstract
  • The current educational scenario, especially in Brazil, has brought the integration of
    digital technologies and the use of active methodologies in the teaching and learning
    process, which has been changing the work of the teacher, who has taken on several
    new functions, such as mentoring students and curator of digital materials. A college
    located in the Metropolitan Region of Recife promoted, in its institutional
    choreographies, a sustained innovation, when deciding to elaborate and implement a
    web curriculum in two higher technology courses, to be offered through a hybrid
    education. This change directly impacted the teachers' work, they started to use agile
    methodology, working through Scrum, stop teaching classes in the traditional way and
    started to manage teams of students, software projects and their respective learning.
    The research question then arose: How does teacher engagement develop through
    institutional choreographies that promote hybrid education in higher technology
    courses designed from a web curriculum? It had as its general objective: To investigate
    the engagement of professors of an HEI, during the implementation of an institutional
    choreography that uses a web curriculum to promote the transition from the traditional
    model of teaching to the hybrid in two higher technology courses. Specific objectives
    were: Examine how the HEI inserts the web curriculum and hybrid education in its
    institutional choreographies; Identify the interference of institutional choreographies in
    teaching engagement; Analyze the engagement of teachers who work in the context
    of hybrid education; Analyze how the web curriculum collaborates with teacher
    engagement; Analyze the perception of students in relation to the engagement of
    teachers. It is a mixed longitudinal research, based on a single case study. For data
    construction and analysis, documentary research, four focus groups and the
    application of the teacher engagement scale were used. We also used content analysis
    and descriptive analysis. The research started in October 2018 and concluded in
    December 2020, organized in five phases, enabling the triangulation of data source
    and method. Throughout the investigation, the analyzes led us to propose a fifth
    dimension of teacher engagement at the ETS scale, considering elements associated
    with attracting and combating evasion, teachers' self-development and compliance
    with institutional rules. It was also possible to identify the main causes of teacher
    engagement and disengagement, in addition to proposing a model for analyzing the
    relationship between institutional choreographies and the engagement of teachers.

6
  • JOSIANE LEMOS MACHIAVELLI
  • PRINCÍPIOS TEÓRICO-PRÁTICOS PARA O DESENHO DE CURSOS ABERTOS MASSIVOS ONLINE (MOOCs) APLICADOS À FORMAÇÃO DOCENTE CONTINUADA

  • Orientador : PATRICIA SMITH CAVALCANTE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PATRICIA SMITH CAVALCANTE
  • THELMA PANERAI ALVES
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • IVANDA MARIA MARTINS SILVA
  • DIENE EIRE DE MELLO
  • Data: 26/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo propor um conjunto de princípios teóricos e práticos para o desenho de cursos abertos massivos on-line, a fim de que sejam eficientes e eficazes para contribuir com a formação docente continuada interna no ensino superior público brasileiro. Os Massive Open Online Courses (MOOCs) são cursos on-line, projetados para atender a um grande número de participantes, que podem ser acessados por qualquer pessoa, em qualquer lugar, desde que haja conexão com a Internet, sem restrições de qualificação prévia. Tais cursos surgiram com a proposta de oferecer uma experiência de ensino e aprendizagem completa, on-line e gratuitamente. O percurso metodológico empregado na pesquisa ancorouse na Design Based Reserach (DBR), um processo que integra design e métodos científicos, quantitativos e qualitativos, para gerar intervenções educacionais efetivas com objetivo de resolver problemas/desafios da área da educação; criar artefatos; propor práticas pedagógicas ou programas; definir políticas educacionais; gerar novas teorias e princípios de design. Ao final da pesquisa, identificamos um conjunto de princípios que foram organizados em quatro categorias: i) Humanos: envolvem a criação de espaços afetuosos, de diálogo, de escuta atenta, respeitosa e empática, que considere as necessidades de quem está em processo de formação, incluindo aqui a equipe de desenvolvimento e também os facilitadores; ii) Pedagógicos: dizem respeito não apenas à abordagem pedagógica aplicada no curso, mas também à definição das estratégias de aprendizagem, dos recursos educacionais utilizados e atividades propostas, bem como à necessidade de prever suporte acadêmico aos cursistas para tratar questões de ordem técnico-estrutural e também relacionadas aos conteúdos trabalhados no curso; iii) Estruturais e tecnológicos: têm relação com a compreensão do contexto no qual a solução educacional estará inserida, seu desenho, desenvolvimento e implementação. São etapas que envolvem um conjunto de atividades que dizem respeito ao design educacional e à definição das soluções tecnológicas e recursos digitais utilizados no curso, a acessibilidade e usabilidade; iv) Regulatórios e avaliativos: remetem à definição de estratégias processuais e indicadores que contribuirão com o diagnóstico das necessidades de aprendizagem, monitoramento contínuo da oferta, bem como suas melhorias, a fim de responder às necessidades das pessoas em formação. Envolvem, ainda, a avaliação final da solução educacional. A partir disso, confirmamos nossa hipótese de que os MOOCs, pelo fato de serem ofertas de curta duração, possibilitarem disponibilizar uma variedade de recursos didáticos, proporcionarem o aprendizado aberto, flexível, contextualizado e focado nos interesses dos cursistas são alternativas eficientes e eficazes para oportunizar a formação docente continuada, ampliar o acesso e melhorar a equidade, proporcionando ofertas educacionais com qualidade e relevantes. Sem a pretensão de que funcionem como fórmulas ou protocolos para o planejamento, desenvolvimento e a oferta de soluções educacionais baseadas em MOOCs para formação docente continuada, esperamos que os resultados desta tese contribuam com a reflexão dos elementos que, para nós, foram norteadores e, na nossa perspectiva, definidores do sucesso do modelo curso aqui apresentado, e que eles possam ser reconfigurados, melhorados e experimentados em outras ofertas educacionais.


  • Mostrar Abstract
  • Os Massive Open Online Courses (MOOCs), originalmente, são cursos on-line, projetados para atender um grande número de participantes, que podem ser acessados por qualquer pessoa, em qualquer lugar, desde que haja conexão com a Internet, sem restrições de qualificação prévia. A utilização dos MOOCs nos processos de ensino e aprendizagem é considerada um fenômeno recente, iniciada em 2008, com George Siemens e Stephen Downes, na Universidade de Manitoba, no Canadá (TEIXEIRA et al., 2018; YOUSEF et al., 2014; YUAN; POWELL, 2013). Os MOOCs possibilitam pensar em novas abordagens de educação on-line e de modelos de negócio que incluem elementos da educação aberta, que envolve não apenas aspectos relacionados ao acesso e à redução de custos das ofertas educacionais, mas também à construção coletiva do conhecimento (ANDRADE; SILVEIRA, 2016). Andrade e Silveira (2016) chamam atenção para o fato de que, nesta modalidade de ensino, o foco da aprendizagem passa a ser o contexto e não apenas o conteúdo. A proposta dessa pesquisa é desenvolver e avaliar um modelo de formação docente baseado em xMOOCs que possa ser empregado no ensino formal de modo eficiente e eficaz. Para isso, buscaremos explorar o uso de softwares livres, recursos educacionais abertos e atividades que estimulem a aprendizagem prática e colaborativa, ou seja, menos teóricas e mais aplicadas. 

7
  • WILTER FREITAS IBIAPINA
  • A VONTADE DOS ALUNOS MEDALHISTAS DA OBMEP DO MUNICÍPIO DE COCAL DOS ALVES - PI

  • Orientador : CARLOS EDUARDO FERREIRA MONTEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CARLOS EDUARDO FERREIRA MONTEIRO
  • LILIANE MARIA TEIXEIRA LIMA DE CARVALHO
  • CANDY ESTELLE MARQUES LAURENDON
  • ANNA PAULA DE AVELAR BRITO LIMA
  • ALDINETE SILVINO DE LIMA
  • Data: 05/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Muitas são as dificuldades enfrentadas por professores e alunos em Matemática. Uma dessas dificuldades é o fato dos alunos não quererem aprender Matemática. Em contraste a isso, surge tem-se Cocal dos Alves - PI que é uma cidade afastada de Teresina que é a capital do estado e com uma população estimada em 6 mil habitantes cujos alunos estão tendo sucesso na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) que é um projeto nacional, criado em 2005 e realizado anualmente. Poder-se-ia imaginar que os alunos do referido município estão apenas reproduzindo algum conhecimento para terem sucesso nessa olimpíada. Entretanto, pode-se perceber que eles não só querem participar da OBMEP, como também querem aprender Matemática e realmente estão se destacando na OBMEP. Nesse sentido, surge a seguinte pergunta: quais os motivos que favorecem aos alunos medalhistas da OBMEP em Cocal dos Alves a quererem aprender Matemática? Assim, a pesquisa procurou analisar, a partir da teoria histórico-cultural, os motivos que despertam a vontade dos alunos medalhistas da OBMEP de Cocal dos Alves para a aprendizagem de Matemática. Para isso, procurou-se identificar as necessidades que manifestavam o interesse e/ou as aspirações desses alunos, bem como procurou-se analisar as dificuldades enfrentadas por eles durante as aulas de Matemática e na preparação para a OBMEP, procurou-se também identificar o que possibilitou a tomada de consciência para esses alunos quererem aprender Matemática, além de analisar as relações entre backgrounds e foregrounds dos alunos medalhistas por meio da Teoria da Educação Matemática Crítica. Como abordagem metodológica foi utilizada a pesquisa qualitativa. Dentre as modalidades de pesquisa qualitativa, optou-se pelo estudo de caso. O instrumento utilizado para a coleta de dados foi a entrevista, que foi realizada de forma online com os alunos por meio do aplicativo WhatsApp e com os professores por meio do Google Meet. Para o tratamento e análise dos dados colhidos recorreu-se a análise de conteúdo, mais especificamente a análise temática. A análise indicou que o gosto deles pela Matemática foi importante para eles quererem aprender Matemática, mas o papel dos professores, das famílias, da direção da escola e da comunidade se mostrou mais importante. Além disso, pode-se identificar que os alunos querem aprender Matemática para utilizarem no cotidiano, mas o principal motivo que desperta a vontade dos alunos é a possibilidade que eles encontraram na Matemática de atravessar as fronteiras sociais e econômicas que os limitam.


  • Mostrar Abstract
  • There are many difficulties faced by Mathematics teachers and students. One of these difficulties is the fact that students do not want to learn Mathematics. In contrast to this, there is Cocal dos Alves - PI which is a city far from Teresina which is the state capital and with an estimated population of 6,000 whose students are succeeding in the Brazilian Public Schools Mathematics Olympiad ( OBMEP) which is a national project, created in 2005 and carried out annually. One could imagine that the students in that municipality are just reproducing some knowledge to succeed in this Olympics. However, you can see that not only do they want to participate in OBMEP, they also want to learn Mathematics and are really standing out at OBMEP. In this sense, the following question arises: what are the reasons that favor OBMEP medal-winning students in Cocal dos Alves to want to learn Mathematics? Thus, the research sought to analyze, from the historical-cultural theory, the reasons that arouse the desire of medal-winning students of the OBMEP Cocal dos Alves to learn Mathematics. For this, we tried to identify the needs that expressed the interest and/or aspirations of these students, as well as to analyze the difficulties faced by them during Mathematics classes and in preparing for the OBMEP. which made it possible for these students to become aware of wanting to learn Mathematics, in addition to analyzing the relationships between medalist students' backgrounds and foregrounds through the Critical Mathematics Education Theory. As a methodological approach, qualitative research was used. Among the modalities of qualitative research, the case study was chosen. The instrument used for data collection was the interview, which was conducted online with students through the WhatsApp application and with teachers through Google Meet. For the treatment and analysis of the data collected, content analysis was used, more specifically, thematic analysis. The analysis indicated that their liking for Mathematics was important for them to want to learn Mathematics, but the role of teachers, families, school management and the community proved to be more important. Furthermore, it can be identified that students want to learn Mathematics to use in their daily lives, but the main reason that awakens the students' desire is the possibility they found in Mathematics to cross the social and economic boundaries that limit them.

8
  • RAYANNE ANGELA ALBUQUERQUE DOS SANTOS
  •  

    CENÁRIOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM, O ENSINO REMOTO E O ENGAJAMENTO ESTUDANTIL NO ENSINO SUPERIOR

  • Orientador : PATRICIA SMITH CAVALCANTE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PATRICIA SMITH CAVALCANTE
  • THELMA PANERAI ALVES
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • WALMA NOGUEIRA RAMOS GUIMARAES
  • IVANDA MARIA MARTINS SILVA
  • Data: 18/11/2021

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo sobre cenários virtuais de aprendizagem, o ensino remoto e o engajamento estudantil no ensino superior pretendeu responder: como os cenários virtuais de aprendizagem elaborados no ensino remoto contribuem no engajamento dos estudantes? Trazemos como objetivo analisar os diferentes cenários virtuais de aprendizagem criados no ensino remoto de emergência, os quais contribuem para promoção do engajamento estudantil no ensino superior. Nossa metodologia foi baseada em um estudo qualitativo, do tipo exploratório, utilizando para as análises o Ciclo de codificação de SALDAÑA (2013). Foram aplicados questionários online com estudantes e professores de uma Instituição do Ensino Superior (IES) privada. Também foi realizado um grupo focal virtual para a realização de entrevista semiestruturada com os estudantes do curso de Pedagogia. Os resultados da pesquisa apontaram para a plataforma do Google Classroom como o ambiente virtual mais utilizado nas aulas, de acordo com os estudantes e professores. Houve uma variação de cenários virtuais utilizados, de acordo com as respostas dos sujeitos, utilizados de forma equilibrada no período remoto, na IES pesquisada. Algumas dificuldades dos estudantes no período remoto foram a conectividade com a internet e a concentração nos estudos. Já para os docentes, a readaptação de suas próprias práticas pedagógicas foi um grande desafio no ensino remoto. Em relação ao engajamento estudantil no cenário virtual, a inter-relação entre as dimensões (comportamental, cognitiva e emocional) e os tipos de engajamento (passivo, independente, colaborativo e intenso) foram praticados diante das atividades elaboradas nos cenários virtuais nesse período. Observamos que o engajamento comportamental de modo passivo foi um dos mais identificados durante a pesquisa. Considerando que a experiência do ensino remoto gerou aprendizagem para o uso de várias ferramentas e a readequação das estratégias de ensino e aprendizagem, consideramos que uma nova cultura curricular foi implementada a partir dessa experiência emergencial. Deve-se seguir com os resultados positivos proporcionados por essas experiências construindo uma recuperação resiliente na educação, com a oportunidade de traçar um caminho que possibilite a todos encarar o futuro com confiança.


  • Mostrar Abstract
  • This study on virtual learning scenarios, remote learning and student engagement in higher education aims to answer: how do virtual learning scenarios developed in remote learning contribute to student engagement? Our objective is to analyze the different virtual learning scenarios created in emergency remote education, which contribute to promoting student engagement in higher education. Our methodology was based on a qualitative, exploratory study, using the SALDAÑA (2013) codification cycle for analysis. Online questionnaires were applied to students and teachers from a private Higher Education Institution (HEI). A virtual focus group was also carried out to conduct a semi-structured interview with the students of the Pedagogy course. The survey results pointed to the Google Classroom platform as the most used virtual environment, according to students and teachers. There was applied a variation of virtual scenarios, according to the responses of the subjects, used in a balanced way during the remote period. Some of the students' difficulties in the remote learning were internet connectivity and concentration on their studies. As for the teachers, the re-adaptation of their pedagogical practices was a great challenge in remote education. Regarding student engagement in the virtual scenario, the interrelationship between dimensions (behavioral, cognitive, and emotional) and types of engagement (passive, independent, collaborative and intense) were practiced in the face of activities developed for virtual scenarios during this period. We observed that the behavioral engagement in a passive way was the most identified behaviour during the research. Considering that the remote teaching experience generated learning for the use of various tools and the readjustment of teaching and learning strategies, we considered that a new curricular culture was implemented based on this emergency experience. We must continue with the positive results provided by these experiences, building a resilient recovery in education, with the opportunity to build a path that enables everyone to face the future with confidence.

9
  • CAMILA MENDONÇA MORAIS
  • O MODELO DA METAORQUESTRAÇÃO INSTRUMENTAL NO ENSINO TÉCNICO INTEGRADO AO MÉDIO: um olhar interdisciplinar para o ensino da matemática

  • Orientador : VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VERONICA GITIRANA GOMES FERREIRA
  • JADILSON RAMOS DE ALMEIDA
  • LICIA DE SOUZA LEAO MAIA
  • ROSILANGELA MARIA DE LUCENA SCANONI COUTO
  • MANUELLE REGINA TAVARES DE OLIVEIRA
  • LUC MARIE GABRIEL TROUCHE
  • Data: 03/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa construir e analisar uma Metaorquestração Instrumental (MOI) na formação de professores do Ensino Técnico Integrado ao Médio, em uma perspectiva interdisciplinar. Para tanto, utilizou-se como lócus de ensino o IFPE campus Garanhuns e seu curso técnico em Eletroeletrônica, na modalidade de ensino integrado. A investigação foi organizada em três etapas: um estudo inicial; uma formação destinada a professores do ensino técnico; e a elaboração e teste de uma MOI interdisciplinar, desenvolvida como um aperfeiçoamento da primeira formação. O primeiro estudo foi realizado por meio da análise do PPC do curso e das respostas a um questionário enviado como formulário eletrônico aos docentes da área profissional. Ele compõe-se de um levantamento das possibilidades de integração entre recursos da Matemática e de disciplinas técnicas do referido curso, com análise da distribuição de conteúdos matemáticos nas respectivas disciplinas, e de temáticas e artefatos técnicos do curso profissional passíveis de integração. A partir dos dados obtidos, foi feita uma análise referente a três disciplinas, resultando em nove propostas interdisciplinares. O segundo estudo buscou elaborar e testar um modelo de formação interdisciplinar voltado a professores do ensino técnico, o qual foi vivenciado presencialmente por docentes das áreas de matemática e eletroeletrônica, com base em uma das nove propostas interdisciplinares. A análise dos dados desse estudo revelou a necessidade de uma nova formação, com o objetivo de atender às demandas de integração e interdisciplinaridade referentes ao ensino integrado. Assim, o terceiro estudo consistiu na definição, desenvolvimento e teste de uma MOI Interdisciplinar, que ocorreu de forma on-line com parte dos professores participantes da primeira formação, e cujo objetivo era capacitá-los a integrar recursos próprios da área profissional e da matemática utilizando OI, de forma a facilitar o aprendizado dos estudantes. A partir da constatação da necessidade de comunicação entre docentes de ambas as áreas; do papel do professor da área técnica em auxiliar os colegas da matemática no desenvolvimento de esquemas que correlacionem temáticas e artefatos técnicos a conteúdos matemáticos; de certa resistência por parte dos professores de matemática em adotar a interdisciplinaridade em sua prática docente comumente tradicional; do desvelamento de barreiras pelo professor de eletroeletrônica relativo à abordagem de conhecimentos matemáticos no contexto técnico; os resultados apontaram a viabilidade e sucesso da MOI interdisciplinar no ensino técnico integrado.



  • Mostrar Abstract
  • Esta pesquisa tem por objetivo analisar o uso do Modelo Teórico de Orquestração Instrumental no Ensino Técnico integrado ao Médio, identificando as adequações necessárias para o ensino da Matemática nesta modalidade educacional em uma perspectiva de integração. O estudo foi realizado no IFPE campus Garanhuns, e delimitado ao curso técnico em Eletroeletrônica. A investigação dividiu-se em três etapas. Em um primeiro estudo, realizado por meio da análise do PPC do curso e das respostas a um questionário enviado como formulário eletrônico aos docentes da área profissional, foi feita uma análise da coerência entre conteúdos da Matemática e das disciplinas técnicas do referido curso, e um levantamento dos artefatos utilizados nas disciplinas específicas. Os dados apontaram um descompasso entre os momentos em que os conteúdos matemáticos são estudados nas disciplinas de Matemática e demandados nas disciplinas técnicas, sugerindo um repensar das condições curriculares para integração. Ademais, foram identificadas potencialidades de integração entre recursos próprios do curso técnico e conteúdos matemáticos para as aulas de matemática. Um segundo estudo buscou analisar o uso do modelo da OI para definição da situação, configuração didática e modo de execução. Após análise detalhada do primeiro estudo, uma das possibilidades de integração foi selecionada para servir de base de uma oficina a ser realizada por uma equipe interdisciplinar – docentes das áreas de física, eletroeletrônica e matemática –, cujo objetivo final é desenvolver uma orquestração instrumental (OI) que integre temáticas e artefatos próprios da área profissional nas aulas de matemática, de forma que facilite o aprendizado dos estudantes quanto ao conteúdo matemático integrado ao técnico. A oficina será realizada em janeiro de 2020, no Encontro Pedagógico da instituição em questão, com posterior análise de cada uma de suas etapas. Um terceiro estudo consiste na vivência da OI (pelo docente e estudantes da turma objeto da pesquisa), a qual será observada e analisada a partir de sua performance didática, com foco na gênese instrumental do professor de matemática, a fim de validar o modelo de formação proposto.

10
  • TALITA HELENA MONTEIRO DE MOURA
  • ANÁLISE DOS MASSIVE ONLINE OPEN COURSES DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE DA FAMÍLIA DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM DO SUS

  • Orientador : PATRICIA SMITH CAVALCANTE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PATRICIA SMITH CAVALCANTE
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • CRISTINE MARTINS GOMES DE GUSMAO
  • JOSÉ ADAILTON DA SILVA
  • ELOIZA DA SILVA GOMES DE OLIVEIRA
  • Data: 17/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Os Massive Open Online Courses (MOOCs) constituem estratégia para possibilitar o acesso à informação e compartilhamento de conhecimentos, neste caso, entre os profissionais de saúde nas ações de educação permanente. Os programas e políticas que estimulam a qualificação de recursos humanos para o Sistema Único de Saúde (SUS) fomentam a realização de cursos de extensão, aperfeiçoamento, especialização e outras modalidades. O objetivo geral desta pesquisa foi analisar os impactos dos MOOCs do Programa de Educação Permanente em Saúde da Família (PEPSUS) ao contexto de trabalho na Atenção Primária a Saúde (APS). Trata-se de uma pesquisa do tipo exploratória, descritiva e analítica, com abordagem quantitativa e qualitativa. O estudo foi desenvolvido em três etapas: 1. mapeamento da estrutura dos MOOCs do PEPSUS; 2. mapeamento das opiniões dos profissionais/estudantes que concluíram no mínimo um destes cursos; e 3. análise das opiniões dos profissionais e relação com a estrutura dos cursos. O mapeamento da estrutura dos cursos foi realizado no software ATLAS Ti seguindo a Codificação por Ciclos proposta por Saldaña (2013). Os documentos normativos do PEPSUS e as imagens representativas do ambiente virtual de aprendizagem foram analisados e comparados às opiniões dos profissionais da saúde, buscando identificar o atendimento às demandas de educação permanente no SUS e aplicabilidade na APS. No primeiro ciclo aplicou-se a codificação provisória com base nas referências bibliográficas sobre estrutura de MOOCs, de modo que foram sistematizadas em três áreas: currículo e espaços virtuais, objetos de aprendizagem, suporte e comunicação. O mapeamento das opiniões dos profissionais foi realizado através de um questionário online, totalizando-se 584 respondentes. Os dados quantitativos foram analisados no software SPSS, versão 18. Para caracterizar o perfil sociodemográfico e de ocupação foram calculadas as frequências percentuais. Os principais motivos para se inscrevem nos cursos foram: necessidade de aprimorar a prática profissional (52,1%), necessidade de conhecer os conteúdos (19,2%) e melhorar o processo de trabalho da equipe (8%). Do total de 19 MOOCs analisados, os que apresentaram maior proporção de inscritos foram: 1. Atenção Primária à Saúde, Estratégia de Saúde da Família e Territorialização (9,1%), 2. Atenção à saúde do idoso na APS (8,0%), 3. Feridas e curativos na APS (7,6%). Foi aplicado o teste Qui-quadrado para independência, na análise da influência da escolaridade dos participantes em relação a qualidade dos recursos para aprendizagem; atividades avaliativas; navegação no AVASUS; suporte; certificações; correspondência dos conteúdos às necessidades de aprendizagem; coerência dos conteúdos com a prática profissional; aplicabilidade dos conteúdos na prática profissional; e aplicabilidade do conhecimento na prática profissional. Os resultados apresentaram prevalência acima de 95%, sendo evidente a relevância estatística da satisfação (p-valor < 0,001). As dificuldades comuns a todas as categorias de escolaridade avaliadas foram: conciliar carga horária de trabalho com o curso e envolver a equipe. Ao final da pesquisa, foi sugerido um conjunto de princípios para subsidiar a construção de MOOCs com temáticas da APS: 1) Humanos; 2) Pedagógicos; 3) Estruturais e tecnológicos; 4) Regulatórios e avaliativos; 5) Rede de Atenção à Saúde e 6) Gestão em Saúde.


  • Mostrar Abstract
  • Massive Open Online Courses (MOOCs) are a strategy to enable access to information and knowledge sharing, in this case, among health professionals in continuing education actions. The programs and policies that encourage the qualification of human resources for the Unified Health System (SUS) encourage the realization of extension, improvement, specialization and other modalities courses. The general objective of this research was to analyze the impacts of the MOOCs of the Program of Continuing Education in Family Health (PEPSUS) on the work context in Primary Health Care (APS). This is an exploratory, descriptive and analytical research, with a quantitative and qualitative approach. The study was carried out in three stages: 1. mapping the structure of the PEPSUS MOOCs; 2. mapping the opinions of professionals/students who completed at least one of these courses; and 3. analysis of professionals' opinions and relationship with the structure of the courses. The mapping of the structure of the courses was carried out in the ATLAS Ti software following the Cycle Coding proposed by Saldaña (2013). The normative documents of the PEPSUS and the representative images of the virtual learning environment were analyzed and compared to the opinions of health professionals, seeking to identify the fulfillment of the demands of permanent education in the SUS and applicability in the PHC. In the first cycle, provisional coding was applied based on bibliographical references on the structure of MOOCs, so that they were systematized into three areas: curriculum and virtual spaces, learning objects, support and communication. The mapping of the professionals' opinions was carried out through an online questionnaire, with a total of 584 respondents. Quantitative data were analyzed using the SPSS software, version 18. To characterize the sociodemographic and occupation profile, the percentage frequencies were calculated. The main reasons for enrolling in the courses were: need to improve professional practice (52,1%), need to know the contents (19,2%) and to improve the team work process (8%). Of the total 19 MOOCs analyzed, those with the highest proportion of registered were: 1. Primary Health Care, Family Health Strategy and Territorialization (9,1%), 2. Health Care for the Elderly in PHC (8,0 %), 3. Wounds and dressings in PHC (7,6%). The Chi-square test for independence was applied to analyze the influence of the participants' education in relation to the quality of learning resources; evaluation activities; AVASUS browsing; Support; certifications; matching of content to learning needs; content consistency with professional practice; applicability of contents in professional practice; and applicability of knowledge in professional practice. The results showed a prevalence above 95%, the statistical relevance of satisfaction being evident (p-value < 0.001). The difficulties common to all education categories evaluated were: reconciling workload with the course and involving the team. At the end of the research, a set of principles was suggested to support the construction of MOOCs with PHC themes: 1) Humans; 2) Pedagogical; 3) Structural and technological; 4) Regulatory and evaluative; 5) Health Care Network and 6) Health Management.

11
  • STHENIO JOSÉ FERRAZ MAGALHÃES
  • DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA NAS REDES SOCIAIS: CONHECIMENTO CIENTÍFICO EM GUERRA, QUEM VENCE A BATALHA DAS NARRATIVAS?

  • Orientador : ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOSÉ GONÇALVES DA SILVA RIBEIRO
  • ANA BEATRIZ GOMES PIMENTA DE CARVALHO
  • MARCELO SABBATINI
  • THAMYRIS MARIANA CAMAROTE MANDU
  • THELMA PANERAI ALVES
  • Data: 20/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo buscou tratar da produção de vídeos para internet como um lugar
    de comunicação e construção de conhecimento, priorizando a construção de
    ambientes de produção de conteúdo audiovisual didático que ultrapassem uma
    esfera de transferência de conhecimento. A partir da análise de canais de vídeo
    na internet, percebeu-se como essa produção de conhecimento pode colaborar
    no desejo de alimentar um letramento científico que questiona as narrativas e
    ampliam o processo de aprendizado. Os capítulos teóricos exploram a relação
    entre narrativas, gêneros e formatos tomando como base no Youtube,
    aprofundando as discussões sobre narrativas; sobre o Youtube enquanto lugar
    de construção de conhecimento e suas relações com o campo da educação;
    sobre as definições e características dos letramentos científicos e digitais e as
    possibilidades de conexão entre os critérios e competências para educação
    científica no contexto digital. O percurso metodológico inclui um mapeamento
    sistemático e a análise e discussão dos dados nos canais de vídeo. A análise
    dos dados desdobrou-os nas categorias Elementos das Narrativas Digitais,
    Estratégias Didáticas, Organização das Narrativas e Elementos de Divulgação
    Científica. A partir da análise desses aspectos, conclui-se que a conjunção
    entre os elementos das narrativas digitais e as estratégias didáticas colaboram
    para a produção de conhecimento por meio das linguagens do entretenimento.
    A partir dos pressupostos teóricos e análise dos exemplos, percebeu-se que os
    canais de vídeo na internet se tornam importantes meios de construção de
    letramento científico e digital.


  • Mostrar Abstract
  • Nos últimos anos a produção de narrativas digitais voltadas para o entretenimento e a veiculação de informações vem se desdobrando de forma cada vez mais espraiada. Esse fenômeno se contrapõe ao movimento centralizador e unidirecional dos meios de comunicação de massa durante o século XX, onde essa produção estava concentrada em poucas emissoras e grandes conglomerados de comunicação, que assumiam sozinhas o papel de
    formadoras de opinião ao se comunicar em via de mão única com o público. Atualmente a elaboração de conteúdos (textos, áudios, vídeos, etc.), sejam eles instrucionais, informativos e/ou educativos, também se difundiu, potencializada pelas tecnologias digitais e suas ferramentas que cada vez mais estimulam a experiência personalizada e possibilitam que qualquer pessoa exponha suas opiniões, teorias e vivências por meio dessas formas narrativas. Deste fato surge a problemática da insipiente discussão a respeito de critérios que ajudem na análise e seleção de canais confiáveis de informação frente à abundância de alternativas à disposição. Pôde-se observar os desdobramentos dessa questão quando da propagação mundial da pandemia do COVID-19, momento em que as pessoas foram obrigadas a diminuírem o contato presencial umas com as outras e ao mesmo tempo buscarem informações a respeito do vírus e seus impactos sem precedentes no mundo contemporâneo. Num Brasil com cenário social, político e econômico completamente fragilizado, surgem diversos casos de propagação de fake
    news, incitação dos discursos de ódio, impulso do movimento antivacina e desvalorização da produção científica, instaurando uma verdadeira batalha de narrativas que se pretendem verdades absolutas. É nesse contexto que surge o interesse dessa pesquisa em enfatizar a importância da construção de critérios de validação das narrativas que são veiculadas e que possuem a divulgação científica como finalidade principal. Assim, pretende-se tratar da produção de vídeos para internet como um lugar de comunicação e construção de conhecimento, priorizando a construção de ambientes de produção de conteúdo audiovisual didático que ultrapassem uma esfera de transferência de conhecimento. Pelo contrário, ao aproximarem o espectador ao desejo de saber, essa produção de conhecimento pode colaborar no desejo de alimentar um letramento científico que questiona as narrativas e ampliam o processo de aprendizado.

12
  • VITOR EMANUEL DE LYRA SANTOS NAVARRETE
  • Crenças e Práticas Docentes de Professores de Estatística Introdutória

  • Orientador : SERGIO PAULINO ABRANCHES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SERGIO PAULINO ABRANCHES
  • PATRICIA SMITH CAVALCANTE
  • GILDA LISBOA GUIMARAES
  • SUZI SAMÁ PINTO
  • MAUREN PORCIÚNCULA MOREIRA DA SILVA
  • Data: 21/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Os conhecimentos estatísticos, como a inferência estatística, são relevantes na atuação profissional e na pesquisa científica de diversas áreas do conhecimento. Em variados cursos, tais conhecimentos são majoritariamente ensinados em uma disciplina de Estatística Introdutória ministrada por professores com perfis variados, como bacharéis em estatística ou formados na área do curso. Nesta pesquisa, investigamos as práticas e crenças de seis docentes de Estatística Introdutória da Universidade Federal de Pernambuco, bem como as características dos docentes e de suas disciplinas. Utilizamos um conjunto de recomendações de especialistas como referencial para uma boa prática da disciplina. Nossos dados foram coletados através de entrevistas semiestruturadas. Encontramos evidências de que parte dos docentes apresenta crenças aderentes às recomendações dos especialistas, contudo a prática dos professores nem sempre se alinha a suas crenças. A variável sexo foi a mais importante para determinar as crenças docentes, enquanto a crença mais distante das recomendações são as relacionadas ao uso da tecnologia para o ensino.




  • Mostrar Abstract
  • O ensino de conhecimentos estatísticos é parte integral do ensino superior. A relevância de
    conceitos como os de inferência estatística tanto na atuação profissional como na pesquisa
    científica justifica a existência da disciplina de Estatística Introdutória em cursos de todas as
    áreas do conhecimento. Tais disciplinas são ministradas por professores com perfis variados,
    como bacharéis em estatística ou mesmo professores com formação no curso no qual ensinam
    estatística. Nesta pesquisa, então, procuramos relacionar as características pessoais e as
    crenças docentes de seis professores de Estatística Introdutória da Universidade Federal de
    Pernambuco e suas decisões relativas à sua atividade docente. Como instrumento de coleta
    foram utilizadas uma entrevista semiestruturada e um experimento. Os resultados iniciais
    apontam o forte impacto das crenças dos professores em suas decisões pedagógicas,
    principalmente em aspectos como a avaliação e o uso de recursos tecnológicos.

2020
Dissertações
1
  • KATY WELLEN MENESES LEÃO
  • ABORDAGEM DE VOLUME E CAPACIDADE EM UMA COLEÇÃO DE LIVROS DIDÁTICOS: Uma Análise a Luz da Teoria Antropológica do Didático

  • Orientador : MARILENE ROSA DOS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARILENE ROSA DOS SANTOS
  • LUCIA DE FATIMA DURAO FERREIRA
  • MARILENA BITTAR
  • Data: 12/03/2020

  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação teve como objetivo analisar a proposta de ensino das grandezas volume e
    capacidade veiculada por coleções de livros didáticos do 1º ao 6º ano do ensino fundamental.
    Foram utilizadas duas coleções de Livros Didáticos além de documentos oficiais de orientação
    curricular, guias dos livros didáticos do Programa Nacional do Livro Didático dos anos de 2017
    e 2019 para referência. As análises foram feitas sob a ótica da Teoria Antropológica do Didático
    de Yves Chevallard, na adaptação para volume da abordagem da área como grandeza,
    proveniente da hipótese didática formulada por Régine Douady e Marie-Jeanne Perrin-Glorian
    e do ponto de vista da dimensionalidade do volume e capacidade. As categorias de análise foram
    definidas e foi realizada uma modelação praxeológica dos capítulos e seções sobre capacidade
    e volume dos livros. Como resultado, observou-se que as tarefas referentes à medida são
    maioria, seguidas pelas tarefas de resolução de operações básicas e resolução de problemas.
    Tarefas envolvendo comparação de volumes (ou de capacidades) e de produção de sólidos dado
    o volume (ou a capacidade) são escassas ou até mesmo inexistentes em alguns livros analisados.
    Constatou-se ambiguidades no tratamento dos conceitos de volume e capacidade, abordando
    inúmeras vezes capacidade como volume e volume como capacidade, o que pode ser danoso
    aos processos de ensino e de aprendizagem. As relações entre massa, volume e capacidade são
    pouco abordadas. Muitas tarefas dos livros analisados relacionam estas grandezas a outros
    campos do conhecimento e aos usos no dia a dia. Observou-se ainda uma evolução nos tipos de
    tarefas propostos, nas técnicas associadas e na complexidade crescente nas relações com outras
    grandezas. Os aspectos unidimensional e tridimensional das grandezas foram destacados nas
    análises e percebeu-se que o volume em sua forma unidimensional e a capacidade foram
    tratados nos primeiros livros enquanto a forma tridimensional foi deixada para os posteriores


  • Mostrar Abstract
  •  Greatnesses and Measures. Textbook. Elementary School. Volume and Capacity.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02