PPGBT PROGRAMA DE POS-GRADUACAO EM BIOTECNOLOGIA - CB DEPARTAMENTO DE ANTIBIOTICOS - CB Telefone/Ramal: Não informado
Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPE

2022
Dissertações
1
  • NINIVE BEZERRA FLORENCIO
  • AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIMICROBIANA E ANTIOXIDANTE DE PIGMENTO PRODUZIDO POR FUNGO FILAMENTOSO, A PARTIR DE RESÍDUOS AGROIDUSTRIAIS (FARINHA DE MARACUJÁ E FARINHA DE BANANA)

  • Orientador : NORMA BUARQUE DE GUSMAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GLAUCIA MANOELLA DE SOUZA LIMA
  • NORMA BUARQUE DE GUSMAO
  • LEONOR ALVES DE OLIVEIRA DA SILVA
  • Data: 28/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • A busca por fontes biológicas que gerem pigmentos bioativos em quantidades significativas tem aumentado 10% ao ano, principalmente, pelas vantagens dos pigmentos naturais frente aos sintéticos e a crescente tendência mundial por produtos naturais e sustentáveis. Os fungos filamentosos são potenciais produtores de metabólitos bioativos, como os pigmentos. O presente estudo objetivou avaliar o uso de resíduos agroindustriais (casca de banana e de maracujá) como substrato de meios de cultura para crescimento e produção de pigmentos por fungos filamentosos. Ademais, avaliar a atividade antimicrobiana e antioxidante dos extratos pigmentados produzidos. A extração foi feita com diclorometano e ressuspendida em álcool etílico 95% P.A, formando os extratos etanólicos pigmentados de maracujá (EEPM) e de banana (EEPB). Tais extratos foram testados quanto suas atividades antimicrobiana (CLSI) e antioxidantes (ABTS, DPPH e MO6+). Ainda, foram parcialmente caracterizados através de espectroscopia (FT-IR). Constatou-se que os extratos possuem atividade antimicrobiana frente às cepas de Bacillus subtilis (UFPEDA 16) e Escherichia coli (UFPEDA 224). Também, verificou-se atividade do EEPM frente a Staphylococcus aureus (UFPEDA 02). Ambos tiveram atividade antioxidante, destacando-se o EEPB. Os extratos apresentaram espectro (FT-IR) sugestivos para pigmentos carotenoides. Diante aos resultados, comprovou-se que os meios de cultura alternativos são eficientes para o crescimento e produção de pigmentos por fungo filamentoso. Além disso, constatou-se bioatividade nos extratos etanólicos pigmentados. Tais observações, contribuem na descoberta de novos compostos de interesse para a indústria farmacêutica e alimentícia.


  • Mostrar Abstract
  • A busca por fontes biológicas que gerem pigmentos bioativos em quantidades significativas tem aumentado 10% ao ano, principalmente, pelas vantagens dos pigmentos naturais frente aos sintéticos e a crescente tendência mundial por produtos naturais e sustentáveis. Os fungos filamentosos são potenciais produtores de metabólitos bioativos, como os pigmentos. O presente estudo objetivou avaliar o uso de resíduos agroindustriais (casca de banana e de maracujá) como substrato de meios de cultura para crescimento e produção de pigmentos por fungos filamentosos. Ademais, avaliar a atividade antimicrobiana e antioxidante dos extratos pigmentados produzidos. A extração foi feita com diclorometano e ressuspendida em álcool etílico 95% P.A, formando os extratos etanólicos pigmentados de maracujá (EEPM) e de banana (EEPB). Tais extratos foram testados quanto suas atividades antimicrobiana (CLSI) e antioxidantes (ABTS, DPPH e MO6+). Ainda, foram parcialmente caracterizados através de espectroscopia (FT-IR). Constatou-se que os extratos possuem atividade antimicrobiana frente às cepas de Bacillus subtilis (UFPEDA 16) e Escherichia coli (UFPEDA 224). Também, verificou-se atividade do EEPM frente a Staphylococcus aureus (UFPEDA 02). Ambos tiveram atividade antioxidante, destacando-se o EEPB. Os extratos apresentaram espectro (FT-IR) sugestivos para pigmentos carotenoides. Diante aos resultados, comprovou-se que os meios de cultura alternativos são eficientes para o crescimento e produção de pigmentos por fungo filamentoso. Além disso, constatou-se bioatividade nos extratos etanólicos pigmentados. Tais observações, contribuem na descoberta de novos compostos de interesse para a indústria farmacêutica e alimentícia.

2
  • PERSIO ALEXANDRE DA SILVA
  • POTENCIAL TECNOLÓGICO DE LEVEDURAS NÃO-SACCHAROMYCES

  • Orientador : NORMA BUARQUE DE GUSMAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ERIK JONNE VIEIRA DE MELO
  • NORMA BUARQUE DE GUSMAO
  • RITA DE CASSIA MENDONCA DE MIRANDA
  • Data: 28/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • Com o crescente número de consumidores de cervejas e a grande diversidade de sabores, o número de micro e pequenas cervejarias artesanais vêm aumentando, sendo um importante gerador de empregos e de receita. O objetivo desta pesquisa foi avaliar o potencial biotecnológico de leveduras (Saccharomyces cerevisiae, Pichia membranifaciens, Candida lambica, Saccharomyces cerevisiae, Saccharomyces diastaticus, Saccharomyces norbensis) mantidas em coleção de micro-organismos. Realizou-se a diferenciação bioquímica das cepas em ALE e LAGER, a tolerância ao etanol das leveduras e o potencial de floculação das leveduras. Os resultados obtidos nesta pesquisa demonstraram que as leveduras apresentaram um potencial para serem aplicadas em processos fermentativos. Todas as leveduras utilizadas nos testes de diferenciação bioquímica apresentaram resultados que permite classifica-las como leveduras do tipo LAGER. No teste de floculação todas as leveduras se mostraram com característica industrial segundo o critério de classificação da American Society of Brewing Chemistry (ASBC). Na avaliação de tolerância ao etanol nas concentrações de 10%, 15% e 20% apenas a levedura usada no controle demonstrou tolerância ao etanol 15%, a levedura Saccharomyces cerevisiae obtida na coleção de cultura demonstrou tolerância ao etanol 10%, e as demais não apresentaram tolerância ao etanol nas concentrações utilizadas no teste. O atual estudo apresentou resultados promissores sugerindo que as leveduras podem ser utilizadas em processos fermentativos, sendo necessária a realização de maiores investigações para certificar o real potencial destas leveduras.


  • Mostrar Abstract
  • Com o crescente número de consumidores de cervejas e a grande diversidade de sabores, o número de micro e pequenas cervejarias artesanais vêm aumentando, sendo um importante gerador de empregos e de receita. O objetivo desta pesquisa foi avaliar o potencial biotecnológico de leveduras (Saccharomyces cerevisiae, Pichia membranifaciens, Candida lambica, Saccharomyces cerevisiae, Saccharomyces diastaticus, Saccharomyces norbensis) mantidas em coleção de micro-organismos. Realizou-se a diferenciação bioquímica das cepas em ALE e LAGER, a tolerância ao etanol das leveduras e o potencial de floculação das leveduras. Os resultados obtidos nesta pesquisa demonstraram que as leveduras apresentaram um potencial para serem aplicadas em processos fermentativos. Todas as leveduras utilizadas nos testes de diferenciação bioquímica apresentaram resultados que permite classifica-las como leveduras do tipo LAGER. No teste de floculação todas as leveduras se mostraram com característica industrial segundo o critério de classificação da American Society of Brewing Chemistry (ASBC). Na avaliação de tolerância ao etanol nas concentrações de 10%, 15% e 20% apenas a levedura usada no controle demonstrou tolerância ao etanol 15%, a levedura Saccharomyces cerevisiae obtida na coleção de cultura demonstrou tolerância ao etanol 10%, e as demais não apresentaram tolerância ao etanol nas concentrações utilizadas no teste. O atual estudo apresentou resultados promissores sugerindo que as leveduras podem ser utilizadas em processos fermentativos, sendo necessária a realização de maiores investigações para certificar o real potencial destas leveduras.

2021
Dissertações
1
  • PAULO HENRIQUE ELOI FERNANDES
  • DESENVOLVIMENTO DE UM GASTROPROTETOR COM POTENCIAL ANTI-INFLAMATÓRIO E ANALGÉSICO A PARTIR DO ÓLEO ESSENCIAL DE Algrizea Minor

  • Orientador : MARCIA VANUSA DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCIA VANUSA DA SILVA
  • MARIA BETANIA MELO DE OLIVEIRA
  • TANIA LUCIA MONTENEGRO STAMFORD
  • Data: 30/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • A Algrizea minor pertence à família das Myrtaceae e está distribuída nos biomas do Cerrado e Caatinga. Devido ao seu alto potencial de volatilização, os óleos essenciais necessitam minimizar a perda dos seus componentes. O presente trabalho traz como objetivo avaliar o potencial farmacológico do óleo essencial da Algrizea minor livre e complexado em β-Ciclodextrina. O óleo essencial foi obtido por hidrodestilação, sendo caracterizado por CG/EMS e CG/DIC. O complexo de inclusão foi preparado juntando o óleo essencial e β-Ciclodextrina e em seguida caracterizado por FTIR, DSC e TG. O teste de nocicepção foi realizado pelo teste da formalina, onde também foram avaliadas as vias de nocicepção e o potencial anti-inflamatório. Além disso, foi testado a capacidade gastroprotetora com etanol 0,8%. Foram dosados as citocinas e o estresse oxidativo causado, além da avaliação histopatológica do tecido. O óleo se destacou pela presença β-Pineno e α-Pineno. A caracterização do complexo de inclusão revelou características mista do óleo essencial e da β-Ciclodextrina. O teste de contorção por ácido acético revelou inibição 100% da percepção de dor. No teste da formalina foi mostrado uma atividade analgésica na primeira fase do teste pela via central. Além disso, foi verificada uma potente atividade anti-inflamatória. Na gastroproteção foi avaliado uma proteção de 100% da mucosa. A expressão de citocinas, estresse oxidativo e histologia corroboraram com os resultados apresentados na gastroproteção. Por fim, é possível verificar uma intensa atividade gastroprotetora, analgésica e anti-inflamatória do produto vegetal da Algrizea minor que foi potencializada quando complexada a β-Ciclodextrina.


  • Mostrar Abstract
  • A Algrizea minor pertence à família das Myrtaceae e está distribuída nos biomas do Cerrado e Caatinga. Devido ao seu alto potencial de volatilização, os óleos essenciais necessitam minimizar a perda dos seus componentes. O presente trabalho traz como objetivo avaliar o potencial farmacológico do óleo essencial da Algrizea minor livre e complexado em β-Ciclodextrina. O óleo essencial foi obtido por hidrodestilação, sendo caracterizado por CG/EMS e CG/DIC. O complexo de inclusão foi preparado juntando o óleo essencial e β-Ciclodextrina e em seguida caracterizado por FTIR, DSC e TG. O teste de nocicepção foi realizado pelo teste da formalina, onde também foram avaliadas as vias de nocicepção e o potencial anti-inflamatório. Além disso, foi testado a capacidade gastroprotetora com etanol 0,8%. Foram dosados as citocinas e o estresse oxidativo causado, além da avaliação histopatológica do tecido. O óleo se destacou pela presença β-Pineno e α-Pineno. A caracterização do complexo de inclusão revelou características mista do óleo essencial e da β-Ciclodextrina. O teste de contorção por ácido acético revelou inibição 100% da percepção de dor. No teste da formalina foi mostrado uma atividade analgésica na primeira fase do teste pela via central. Além disso, foi verificada uma potente atividade anti-inflamatória. Na gastroproteção foi avaliado uma proteção de 100% da mucosa. A expressão de citocinas, estresse oxidativo e histologia corroboraram com os resultados apresentados na gastroproteção. Por fim, é possível verificar uma intensa atividade gastroprotetora, analgésica e anti-inflamatória do produto vegetal da Algrizea minor que foi potencializada quando complexada a β-Ciclodextrina.

2
  • IHASMYN DOS SANTOS NUNES
  • Nanocomposito quitosana-goma arabica-óleo da semente de maracuja (Passiflora edulis  f flavicarpa): Biotecnologia ecosustentável para obtenção de produto natural antifungico

  • Orientador : TANIA LUCIA MONTENEGRO STAMFORD
  • MEMBROS DA BANCA :
  • TANIA LUCIA MONTENEGRO STAMFORD
  • JACIANA DOS SANTOS AGUIAR
  • NATALIA FERRAO CASTELO BRANCO MELO
  • Data: 31/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • A semente do maracujá, subproduto do processamento da fruta, é rica em compostos bioativos com características antioxidante e antimicrobiana, tornando-se uma fonte alternativa para obtenção de produtos funcionais. O objetivo deste trabalho consistiu em preparar e caracterizar nanopartículas de quitosana-goma arábica contendo óleo da semente de maracujá (NP-OSM) e avaliar a atividade antifúngica do sistema frente a Colletrotichum siamense e Aspergillus niger. As NP-OSM foram obtidas através do método de coacervação complexa e caracterizadas físico-quimicamente pelas técnicas de espalhamento dinâmico de luz (DLS), espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier (FTIR), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e de transmissão (MET) e termogravimetria/calorimetria exploratória diferencial (TGA/DSC). A atividade antifúngica in vitro das NP-OSM foi determinada através das análises das concentrações inibitórias mínimas e das alterações morfológicas nos fungos; e in vivo pela aplicação de cobertura à base de NP-OSM em morangos previamente contaminados com Aspergillus niger. As NP-OSM apresentaram estrutura densa e esférica, e seus tamanhos variaram entre 213,6 e 297,8 nm. As análises de FTIR e TGA/DSC confirmaram o sucesso da encapsulação. As NP-OSM apresentaram atividade antifúngica contra ambos os fungos avaliados, sendo capazes de causar danos severos às morfologias. A cobertura comestível à base de NP-OSM reduziu em 40% a infecção fúngica visível em morangos armazenados a 4ºC durante 12 dias, tornando-se uma alternativa para o controle de infecções fúngicas com aplicações na agricultura e na indústria de alimentos.


  • Mostrar Abstract
  • A semente do maracujá, subproduto do processamento da fruta, é rica em compostos bioativos com características antioxidante e antimicrobiana, tornando-se uma fonte alternativa para obtenção de produtos funcionais. O objetivo deste trabalho consistiu em preparar e caracterizar nanopartículas de quitosana-goma arábica contendo óleo da semente de maracujá (NP-OSM) e avaliar a atividade antifúngica do sistema frente a Colletrotichum siamense e Aspergillus niger. As NP-OSM foram obtidas através do método de coacervação complexa e caracterizadas físico-quimicamente pelas técnicas de espalhamento dinâmico de luz (DLS), espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier (FTIR), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e de transmissão (MET) e termogravimetria/calorimetria exploratória diferencial (TGA/DSC). A atividade antifúngica in vitro das NP-OSM foi determinada através das análises das concentrações inibitórias mínimas e das alterações morfológicas nos fungos; e in vivo pela aplicação de cobertura à base de NP-OSM em morangos previamente contaminados com Aspergillus niger. As NP-OSM apresentaram estrutura densa e esférica, e seus tamanhos variaram entre 213,6 e 297,8 nm. As análises de FTIR e TGA/DSC confirmaram o sucesso da encapsulação. As NP-OSM apresentaram atividade antifúngica contra ambos os fungos avaliados, sendo capazes de causar danos severos às morfologias. A cobertura comestível à base de NP-OSM reduziu em 40% a infecção fúngica visível em morangos armazenados a 4ºC durante 12 dias, tornando-se uma alternativa para o controle de infecções fúngicas com aplicações na agricultura e na indústria de alimentos.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02