Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPE

2022
Dissertações
1
  • GEYMEESSON BRITO DA SILVA
  • Bem-Estar do Indivíduo, Consciência de Saúde e Hábitos Alimentares Saudáveis como Antecedentes do Consumo de Alimentos Orgânicos.

  • Orientador : MARCONI FREITAS DA COSTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CRISTIANE SALOME RIBEIRO COSTA
  • MARCONI FREITAS DA COSTA
  • MARIA DE LOURDES DE AZEVEDO BARBOSA
  • Data: 23/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Esse estudo buscou investigar a influência do bem-estar do indivíduo, da consciência de saúde e dos hábitos alimentares saudáveis sobre o consumo de alimentos orgânicos. Para que esse objetivo fosse alcançado, foi realizada uma pesquisa de caráter quantitativo descritivo, utilizando uma amostragem do tipo não probabilística. A coleta de dados foi realizada por meio de um survey online (questionário), distribuído pela técnica snowball (bola de neve). A amostra obteve 402 respondentes e utilizou a Modelagem de Equações Estruturais para análise dos dados. Os resultados obtidos destacam que o consumo de alimentos orgânicos é influenciado pelo bem-estar do indivíduo e pelos hábitos alimentares saudáveis. Adicionalmente, destaca-se o papel de influência da consciência de saúde na adoção de hábitos alimentos saudáveis. Dentre os resultados alcançados, considera-se que as principais contribuições desta pesquisa foi demonstrar que o bem-estar do indivíduo influencia positivamente o consumo de alimentos orgânicos, atuando como um importante antecedente, exercendo uma relação considerável no consumo desses alimentos, e que a consciência de saúde não tem influência sobre o consumo de alimentos orgânicos, além de demonstrar que os hábitos alimentares saudáveis apresentaram resultados promissores, constatando uma relação positiva para o consumo de alimentos orgânicos. Ademais, esse estudo suscita contribuições teóricas e práticas. No que se refere às contribuições teóricas, constata-se que a investigação se apresenta como inédita, visto que não foi encontrado nenhuma pesquisa semelhante nas bases de pesquisas consultadas que correlacione, em conjunto, os construtos propostos nesta investigação. Sendo assim, a pesquisa corrobora com a ampliação dos conhecimentos sobre o bem-estar do indivíduo, consciência de saúde e hábitos alimentares saudáveis, contribuindo para estudos da literatura e para o avanço nas pesquisas relacionadas ao consumo de alimentos orgânicos. Em relação às contribuições práticas, as empresas e/ou profissionais de marketing poderão utilizar as informações desta pesquisa, para aumentar a compreensão sobre a percepção do consumo de alimentos orgânicos e seus potenciais consumidores, buscando conquistar essa parcela no mercado e atender melhor às necessidades e desejos desses consumidores.


  • Mostrar Abstract
  • A indústria alimentícia tem perpassado por significativas transformações nas últimas décadas. Dias et al. (2015) salientam que essas mudanças no consumo alimentar seguem uma tendência mundial, a qual proporcionou um crescimento na procura de alimentos saudáveis, orgânicos e nutritivos, bem como possibilitou um aumento na demanda de produtos e serviços que proporcionam saúde e bem-estar. O interesse pelo consumo de alimentos orgânicos se mostra relevante no mundo. Dessa forma, com o intuito de contribuir para o tratamento desta questão, a investigação tem como objetivo analisar se o bem-estar do indivíduo, a consciência de saúde e os hábitos alimentares saudáveis influenciam o consumo de alimentos orgânicos. Na coleta de dados será utilizado um survey online (questionário), estruturado e desenvolvido no Google Forms. Os dados adivinhos da pesquisa serão tratados com o auxílio dos softwares Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) e AMOS analisados por meio de estatísticas descritivas, como frequência, média e desvio-padrão. Desse modo, como resultados dessa investigação espera-se contribuir para a literatura do consumo orgânico por meio de um conjunto de construtos –– bem-estar do indivíduo, consciência de saúde e hábitos alimentares saudáveis –– que podem servir para avaliar os possíveis antecedentes do fenômeno.  

2
  • JOINA IJUNICLAIR ARRUDA SILVA DOS SANTOS
  • ATITUDE DE SIMPLICIDADE VOLUNTÁRIA, FRUGALIDADE E AUTODETERMINAÇÃO NO COMPORTAMENTO DE REDUÇÃO DO DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS

  • Orientador : MARCONI FREITAS DA COSTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCONI FREITAS DA COSTA
  • CRISTIANE SALOME RIBEIRO COSTA
  • SIMONI FERNANDA ROHDEN
  • Data: 24/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • O desperdício de alimentos se demonstra importante a nível global, devido ao seu impacto
    econômico, ambiental e social que pode ser afetado caso o objetivo da redução não seja
    alcançado. Assim, a presente pesquisa busca analisar os antecedentes comportamentais do
    consumidor em relação a intenção comportamental de reduzir o desperdício de alimentos nas
    residências. Para esse fim, realizou-se uma pesquisa quantitativa com o uso da modelagem de
    equações estruturais através dos dados obtidos por 410 respondentes de um survey online. Os
    resultados da análise mostram que a atitude de simplicidade voluntária exerce influência
    significativa sobre a intenção de reduzir o desperdício de alimentos, além de verificar
    associações entre as variáveis preditoras da autodeterminação e a frugalidade, das quais embora
    não apresentem influência com a redução do desperdício, aparecem recebendo influência da
    atitude de simplicidade voluntária. Esse estudo, dentro do contexto sobre aspectos que auxiliem
    na redução do desperdício de alimentos, pesquisou e forneceu sua contribuição teórica a
    literatura para que insights sobre a temática sejam gerados. Além, de sugerir caminhos que as
    políticas públicas podem seguir, através dos resultados encontrados, para uma maior
    conscientização e criação de medidas que sejam adequadas para o alcance das metas dos
    Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).


  • Mostrar Abstract
  • RESUMO

    O desperdício de alimentos é um fator de grande importância que tem sido investigado com
    relação ao comportamento do consumidor, visto que os consumidores são apontados com um
    dos maiores provedores da geração de resíduos. Porém, estudos quantitativos sobre a temática
    apresentam pouca abrangência e principalmente em países em desenvolvimento como é o
    caso do Brasil. Assim, a presente pesquisa tem o objetivo de analisar os construtos de status
    socioeconômico, frugalidade e controle comportamental percebido com relação ao
    desperdício de alimentos específicos que são as frutas, legumes e verduras (FLV) buscando
    cobrir outra lacuna na literatura ao fazer uma investigação sobre o desperdício de alimentos
    sobre a ótica de investigação da categoria de alimentos que possui um maior número de
    desperdício nas residências. Desse modo, este estudo pretende realizar sua análise através do
    conjunto de modelagem de equações estruturais, para verificar a relação dos construtos
    supracitados com o desperdício de alimentos.

3
  • LUCIMARIO FERRAZ SOARES DE LIMA
  • Consumo Alinhado ao Movimento Slow Food: Um estudo à luz da Orientação Cultural Pessoal de Interdependência do consumidor e da Teoria do Comportamento Planejado

  • Orientador : MARCONI FREITAS DA COSTA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANDERSON GOMES DE SOUZA
  • FRANCISCO VICENTE SALES MELO
  • MARCONI FREITAS DA COSTA
  • Data: 24/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo buscou analisar relação entre orientação cultural pessoal de interdependência
    e a Teoria do Comportamento Planejado (TCP) no consumo alinhado ao movimento Slow Food.
    Para tanto, realizou-se uma pesquisa de caráter quantitativo descritivo, utilizando-se uma
    amostragem do tipo não-probabilística. A coleta de dados deu-se por meio de uma survey
    online, distribuída pela técnica snowball. A amostra foi composta por 410 respondentes, e
    utilizou-se a Modelagem de Equações Estruturais para análise dos dados. Os resultados obtidos
    indicam que o consumo Slow Food é influenciado positivamente pela orientação cultural
    pessoal, pelas normas subjetivas, e pelo controle comportamental percebido. Além disso,
    destaca-se o papel da orientação cultural pessoal tanto nas atitudes dos consumidores, quanto
    nas normas subjetivas, obtendo uma associação positiva. Destaca-se ainda a influência da
    orientação cultural pessoal no controle comportamental percebido, apresentando uma
    associação negativa. Outrossim, esse estudo elucida contribuições teóricas e práticas. No que
    se refere às contribuições teóricas, constata-se que o estudo se mostra como inédito
    aprimorando a perspectiva da Orientação Cultural Pessoal e a Teoria do Comportamento
    Planejado (TCP) no contexto do consumo de alimentos considerados Slow Food, contribuindo,
    assim, para o aumento da literatura e a ampliação das pesquisas relacionadas ao consumo Slow
    Food. No que se refere as contribuições práticas, percebe-se com o estudo quais os fatores que
    determinam o comportamento do consumidor Slow Food, gerando assim, indícios sobre como
    disponibilizar tais fatores para futuros consumidores e, desse modo, servir de subsídio para
    ações de marketing mais assertivas.


  • Mostrar Abstract
  • As escolhas alimentares dos consumidores passaram por recentes mudanças significativas, sendo conduzidas a um maior desejo de bem-estar, em detrimento aos fenômenos da globalização e da progressiva individualização da sociedade. Ademais, a cultura e as subculturas também impactam nas decisões alimentares, pois traduzem valores culturais, rituais baseados em refeições que são passadas por gerações, associando à comida significados como prazer, comunidade, conforto e parentesco que se encontram nas atitudes culturais dos consumidores. O movimento slow food relaciona-se a uma atitude ecológica e sem pressa, contestando o estilo de vida baseado na aceleração, na padronização da alimentação, na supressão das identidades locais e na exploração do trabalho. Propõe-se uma investigação cross-cultural e de abordagem quantitativa por meio da aplicação de questionários com o uso de escalas já validadas, e a análise pelo modelo de equação estrutural (MEE), analisar a relação da orientação cultural de interdependência e da teoria do comportamento planejado com o consumo Slow Food.

4
  • TAYNAH MARQUES DE LIRA ANDRADE
  • “Fiz o contrário do que se esperava”: uma análise da Ação Empreendedora Cultural de Kleber Mendonça Filho no Cinema Brasileiro à luz dos Estudos Culturais

  • Orientador : FERNANDO GOMES DE PAIVA JUNIOR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FERNANDO GOMES DE PAIVA JUNIOR
  • HENRIQUE CESAR MUZZIO DE PAIVA BARROSO
  • JOSE ROBERTO FERREIRA GUERRA
  • Data: 25/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A sociedade tem passado por transformações socioculturais nas últimas décadas em
    decorrência de mudanças estruturadoras no campo tecnológico, essas transformações são
    responsáveis pela reestruturação da relação produção-consumo, o que acarreta em
    alterações nos padrões de sociabilidade. No momento em que a cultura passa a fazer parte
    da arena organizacional, novas formas de produção e comercialização de bens simbólicos
    emergem. O empreendedorismo cultural assume a criação de valor subjetivo como
    elemento imanente para a implementação e estabelecimento de negócios culturais, uma
    vez que a produção de bens simbólicos é determinada por significados sociais a ele
    atribuídos, que despertam no consumidor associação e identificação por meio do
    consumo. Artefatos de comunicação e entretenimento, como o cinema, refletem os
    processos de ressignificação e adaptação do consumo midiático, uma vez que sua
    expansão está atrelada à massificação de bens culturais propiciada pela técnica de
    reprodução capitalista, assim, surge a necessidade de investigarmos o modo como
    funciona o mercado cinematográfico, precisamente aquele focado no empreendedor
    cultural de cinema. A partir de uma abordagem qualitativa de cunho interpretativista, sob
    o arcabouço teórico dos Estudos Culturais, utilizamos o modelo teórico-metodológico do
    “circuito da cultura” para tentar compreender como ocorre a ação empreendedora cultural
    do diretor, roteirista, crítico e cineasta Kleber Mendonça Filho no cinema brasileiro, por
    meio da Análise Crítica do Discurso. As formações discursivas emergentes da análise
    desvelam o protagonismo desse realizador fílmico no sentido de articular recursos
    preexistentes com a sua subjetividade para desenvolver e disponibilizar bens e serviços
    culturais. Dessa forma, visualizamos um empreendedor cultural que se relaciona com as
    artes e por meio delas estabelece diálogos com o seu interlocutor, com a sociedade,
    evidenciando as tensões inerentes à arena cultural e artística. A formação de um ambiente
    de produção marcado pela colaboratividade é inerente ao setor do cinema, evidenciando
    nuances de uma prática produtiva cada vez mais interativa, afastada da figura do sujeito
    atomizado do mundo bussiness, apontando para a necessidade de expansão produtiva que
    viabilize uma esfera organizacional profissional e especializada. Esses avanços apontam
    para a emergência de práticas empreendedoras em função de uma demanda de
    ressignificação dos formatos de consumo, da articulação social, de capital humano e
    financeiro, bem como o incentivo à reflexão crítica diante de políticas públicas de
    assistência ao setor de cinema e de como esse sistema ainda precisa ser estabilizado para
    subsidiar produção de qualidade, bem como salientar a importância de valorização da
    arte, dos artistas e da cultura, subvertendo a lógica utilitarista da força do capital,
    ressignificando o ponto de vista conferido ao fenômeno empreendedor cultural.


  • Mostrar Abstract

  • As tecnologias de informação e comunicação e os novos arranjos produtivos econômicos propiciaram a transformação da economia mundial e estruturação da área da economia criativa. O empreendedorismo cultural, como fenômeno empreendedor de cunho simbólico, assume a criação de valor criativo como elemento imanente para a implementação e estabelecimento de negócios culturais e criativos, uma vez que a produção de bens simbólicos é determinada por significados sociais e culturais a ele atribuídos e que despertam no consumidor aspectos associativos e de identificação por meio do consumo. O cinema independente brasileiro é formado por ramificações representadas por Arranjos Produtivos Locais, em Pernambuco temos um setor de produção audiovisual que se destaca nacionalmente pela sua filmografia desde o momento da Retomada do Cinema Brasileiro. A atuação desses realizadores contribui para a descentralização do eixo Rio-São Paulo e da emancipação do cinema pernambucano através das suas narrativas, das composições imagéticas de identidade, da representatividade cultural e criativa, das reformulações estéticas e tecnológicas de produção. A partir de uma abordagem qualitativa de cunho interpretativista, sob o arcabouço teórico dos Estudos Culturais, foi utilizado o modelo teórico-metodológico do “circuito da cultura” para analisar como ocorre a ação empreendedora cultural na produção fílmica do cineasta Kleber Mendonça Filho, por meio de uma Análise Dialógica do Discurso. As estratégias empreendedoras desenvolvidas pelo cineasta indicam que o afastamento temático, estético, narrativo e político desvelam um posicionamento ideológico contrário ao mainstream e esse diferencial coloca sua produção nos patamares aos quais ela chega dentro do universo do cinema independente brasileiro proporcionando a emancipação e a valorização de artefatos culturais que operam às margens do circuito vigente.

5
  • MARIANA LARISSA DOS SANTOS SILVA
  • Os sentidos do trabalho domiciliar industrial: um estudo nas unidades produtivas do Polo de Confecções do Agreste

    Pernambucano.

  • Orientador : DEBORA COUTINHO PASCHOAL DOURADO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DEBORA COUTINHO PASCHOAL DOURADO
  • ELISABETH CAVALCANTE DOS SANTOS
  • LUCIANA ARAUJO DE HOLANDA
  • Data: 31/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • O sentido do trabalho pode ser compreendido como um construto psicossocial, fruto de um
    processo de atribuição individual de significado e de aspectos compartilhados socialmente. Na
    pós-modernidade, a metanarrativa moderna sobre o sentido e o valor do trabalho foi decomposta
    em pequenas narrativas, que se sobrepõem e geram nos indivíduos uma espécie de insegurança
    ontológica. Concomitantemente, a racionalização econômica da sociedade implicou numa
    colonização das várias esferas da vida pelo trabalho, tendo como corolário o trabalho domiciliar.
    Nesse contexto, o trabalho no Polo de Confecções do Agreste Pernambucano (PCAP) é
    marcado pela informalidade e terceirização do processo produtivo para pequenas unidades
    produtivas. Essas organizações funcionam na casa dos trabalhadores ou em um anexo dela e
    são representantes do trabalho domiciliar industrial. Esse arranjo laboral apresenta algumas
    especificidades que podem implicar na subjetividade do trabalhador e na forma como ele se
    relaciona com o seu trabalho, especialmente no sentido atribuído a ele. Frente a essa conjuntura,
    o presente estudo buscou analisar os sentidos atribuídos ao trabalho domiciliar industrial em
    unidades produtivas do PCAP. Tomando como lente teórica a perspectiva de Pedro Bendassolli
    acerca dos cinco principais ethos sobre o sentido do trabalho na contemporaneidade, se adotou
    uma pesquisa qualitativa básica. Os dados foram coletados por meio de entrevista, observação
    e pesquisa documental e analisados através da análise de conteúdo. Os resultados mostraram

    que os sentidos do trabalho para esses indivíduos apresentam aspectos das cinco narrativas pós-
    moderna, porém a instrumental foi a predominante. Além disso, foram identificadas alterações

    do sentido do trabalho quando este passou a ser realizado no domicílio, que possuem uma
    relação com as especificidades desse arranjo do trabalho.


  • Mostrar Abstract
  • O sentido do trabalho pode ser compreendido como um construto psicossocial, fruto de
    um processo de atribuição individual de significado e de aspectos compartilhados
    socialmente. Na pós-modernidade, a metanarrativa moderna sobre o sentido e o valor do
    trabalho foi decomposta em pequenas narrativas, que se sobrepõem e geram nos
    indivíduos uma espécie de insegurança ontológica. Concomitantemente, a racionalização
    econômica da sociedade implicou numa colonização das várias esferas da vida pelo
    trabalho, tendo como corolário o trabalho domiciliar. As facções de costura, pequenas
    unidades produtivas informais que funcionam na casa dos trabalhadores ou em um anexo
    dela, são representantes do trabalho domiciliar do tipo industrial. Essa situação laboral
    apresenta algumas especificidades que podem implicar na subjetividade do trabalhador e
    na forma como ele se relaciona com o seu trabalho, especialmente no sentido atribuído a
    ele. Dentre os locais do Brasil conhecidos pela presença dessas organizações, nota-se a
    representatividade do Polo de Confecções do Agreste Pernambucano (PCAP), marcado
    pela informalidade das relações de trabalho e terceirização do processo produtivo. Frente
    a essa conjuntura, a presente pesquisa busca analisar como o sentido do trabalho se
    relaciona com o trabalho domiciliar industrial para os trabalhadores das facções de
    costura do PCAP. Tomando como lente teórica a perspectiva de Pedro Bendassolli acerca
    dos cinco principais ethos sobre o sentido do trabalho na contemporaneidade, este estudo
    parte de uma abordagem qualitativa e pode ser classificado como descritivo e explicativo.
    O estudo de caso naturalista será adotado como estratégia de pesquisa. Os dados serão
    coletados por meio de entrevista, observação participante e revisão de documentos e
    analisados através da análise de conteúdo.

6
  • NAHUAN ALAFF VIRGINO SOARES
  • COMPETÊNCIAS DIGITAIS PARA DOCÊNCIA: um estudo com professores de uma universidade pública federal


  • Orientador : JOSE RICARDO COSTA DE MENDONCA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DEBORA COUTINHO PASCHOAL DOURADO
  • JOSE RICARDO COSTA DE MENDONCA
  • KELY CESAR MARTINS DE PAIVA
  • Data: 27/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • As tecnologias digitais têm transformado o trabalho docente no Brasil, em que novas competências, saberes e papéis surgem diante de mudanças sociais e culturais que tem impactado a educação. Dessa forma, os atores envolvidos no processo de ensino e aprendizagem são desafiados a uma adaptação constante as inovações que ocorrem no ambiente e contexto educacional, como é o caso dos docentes que atuam no ensino superior, ao serem impulsionados a desenvolverem Competências Digitais para uma educação digital de qualidade, inclusiva e emancipatória. Com isso, esse trabalho científico possui a seguinte questão de pesquisa: Quais as competências digitais necessárias aos(as) professores(as) do ensino superior para a docência mediada por tecnologias digitais? Dessa forma, a pesquisa é de natureza qualitativa, com caráter exploratório, no qual adota-se a revisão sistemática de literatura e a entrevista semiestruturada como técnicas para coleta de dados.  Para análise de dados, o processo adotado foi a análise de conteúdo de Bardin (2016) com técnica de análise categorial. Os dados obtidos apontam para a necessidade do docente integrar quatro dimensões em seu processo formativo, que são Socioemocional, Sociocultural, Tecnológica e Pedagógica. Além disso, as experiências vividas no semestre remoto aceleraram o processo de inserção das tecnologias digitais no ensino, em que os entrevistados pretendem manter o seu uso em outras modalidades de ensino. Os resultados colaboram para a formulação de estratégias e políticas no âmbito institucional para uma educação digital de qualidade.



  • Mostrar Abstract
  • O conceito de tecnologia no ensino durante o século XXI, perpassa a visão estreita do valor
    instrumental, para a amplitude da inserção de Tecnologias Digitais de Informação e
    Comunicação no processo de ensino aprendizagem. Não basta apenas fazer o uso das TDICs
    de forma medianeira no ensino, é necessário gerenciar de forma consciente e criativa em busca
    de atender as necessidades e objetivos dos atores envolvidos. Para isso, requer dos professores
    o desenvolvimento de Competências Digitais para a tomada de decisão responsável sobre as
    práticas pedagógicas alinhadas as novos desafios, decorrente das transformações sociais e
    culturais. Dessa forma, este trabalho busca investigar quais as Competências Digitais
    desenvolvidas por professores do ensino superior para o ensino emergencial remoto serão
    empregadas, subsequentemente, nas modalidades presencial, semipresencial e a distância. Visto
    que, devido as medidas tomadas para o enfretamento da COVID-19 pelas Instituições de Ensino
    Superior no Brasil, tem como tendência após o período emergencial o rompimento de práticas
    tradicionais, para uma educação digital. O contexto que pretende-se investigar é a Universidade
    Federal de Pernambuco, em que as unidades de análise são os cursos de graduação em
    administração nos campi Recife e Caruaru. A pesquisa é de natureza qualitativa, com caráter
    exploratório, no qual adota-se a revisão sistemática de literatura, entrevista semiestruturada e
    pesquisa documental como técnicas para coleta de dados. Para análise de dados, o processo a
    ser adotado é o de análise de conteúdo de Bardin (2011) com técnica de análise categorial.

7
  • ANGÉLICA PEREIRA SOARES
  • Resistir para existir: o organizar político dos entregadores de plataformas digitais.

  • Orientador : DEBORA COUTINHO PASCHOAL DOURADO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DEBORA COUTINHO PASCHOAL DOURADO
  • DIOGO HENRIQUE HELAL
  • SÉBASTIEN ANTOINE
  • Data: 30/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • Em um contexto envolvendo uma força de trabalho geograficamente dispersa, sob demanda,
    altamente dependente das plataformas de entrega como única opção de renda e imersos na
    ideologia do empreendedor de si, ações de resistência e movimentos de organização política
    parecem menos prováveis do que várias formas de individualismo. No entanto, durante a
    pandemia de Covid-19, os entregadores organizaram no Brasil quatro paralisações nacionais,
    denominadas de Breque dos Apps, foram criadas cooperativas e coletivos de luta como forma
    de reivindicar melhores condições de trabalho ou para criar outros modos de trabalho por fora
    das plataformas digitais. Nesse sentido, o objetivo dessa dissertação consiste em compreender
    a construção do organizar político dos entregadores que atuam subordinados às plataformas
    digitais. As premissas das Epistemologias do Sul (SANTOS, 2010a, 2019) me guiaram para
    traduzir as experiências organizativas silenciadas e os movimentos de resistência emergentes
    construídos de baixo para cima pelos próprios entregadores e entregadoras. Para tanto, realizei
    uma pesquisa netnográfica, por meio da qual busquei articular o conhecimento científico ao
    conhecimento artesanal. Os instrumentos utilizados para a coleta dos saberes foram a
    observação participante e entrevistas narrativas e a análise se baseou na hermenêutica diatópica
    (SANTOS, 2002). Os achados indicam um organizar autonomista, emergente e plurifacetado,
    são diferentes saberes, temporalidades e modos que constituem esse organizar, que podem
    tomar a forma de cooperativas, associações, coletivos autogestionados e movimentos que
    surgem sem uma estrutura definida, em que os contornos vão se desenhando ao longo do
    processo de luta. Os modos de organizar identificados trazem luz sobre os movimentos políticos
    de trabalhadores usualmente considerados despolitizados e sub-representados pelas
    organizações políticas tradicionais. O estudo contribui para evidenciar a capacidade de ação e
    de articulação dos coletivos pesquisados, muitas vezes, ignorados por serem pequenos e locais,
    além de descrever formas emergentes de resistir e organizar dos trabalhadores inseridos no
    capitalismo de plataforma.

     


  • Mostrar Abstract
  • O Brasil e a América Latina representam locais atraentes para o investimento das empresas globais que são detentoras das plataformas digitais, principalmente as que atuam no ramo de entregas. Fatores como desigualdade de renda, altos índices de desemprego, infraestrutura de transporte público deficitária e o avanço da tecnologia móvel, aliados à herança colonial e políticas neoliberais, tornam os países periféricos locais promissores para o desenvolvimento do capitalismo de plataforma. As relações de trabalho que se manifestam no capitalismo de plataforma podem ser caracterizadas pelo que se tem chamado de gig economy, em que o trabalho se baseia em atividades sob demanda e trabalhos intermitentes. Diante desse cenário, os entregadores que atuam por meio das plataformas digitais são atores centrais nessa nova (velha) dinâmica denominada de uberização do trabalho. No contexto brasileiro, a maioria dos entregadores são representados por jovens periféricos, que historicamente têm sido invisibilizados e excluídos de direitos sociais e trabalhistas. No entanto, estes também produzem formas alternativas de organizar e buscam afirmar a sua existência diante da subalternidade e invisibilidade social. Diante da degradação das suas condições de trabalho, os entregadores buscam resistir e contradizer o status de empreendedor ao se reconhecerem como trabalhadores e sujeitos de direitos. Nesse sentido, o objetivo desse projeto consiste em compreender a construção do organizar político dos entregadores que atuam por meio das plataformas digitais. A perspectiva do pós-colonialismo de oposição será adotada como base teórica, tendo como categoria central o cosmopolitismo subalterno, nos auxiliando na tradução dos modos de organizar e práticas de resistência empregados pelos entregadores. O presente estudo trata-se de uma pesquisa qualitativa, que será desenvolvida através de uma netnografia, onde serão utilizados como instrumentos de coleta de dados a observação participante, a análise de documentos e entrevistas. A análise de dados ocorrerá através da análise interpretativa, tendo como base a hermenêutica diatópica. Este estudo se encontra inserido na área de Estudos Organizacionais e pretende contribuir para a desfamiliarização dos modos de organizar ao ampliar os estudos relacionados com os trabalhadores subalternos, destacando a capacidade de ação destes a partir da investigação do organizar político dos entregadores.

8
  • LEONARDO ANTONIO ALBUQUERQUE REUL
  • O impacto das crises econômicas sobre os investimentos, financiamentos e fluxos de caixa de companhias brasileiras: uma abordagem utilizando-se o contexto de rating.

  • Orientador : UMBELINA CRAVO TEIXEIRA LAGIOIA TORRES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • UMBELINA CRAVO TEIXEIRA LAGIOIA TORRES
  • JOSETE FLORENCIO DOS SANTOS
  • MAURICIO ASSUERO LIMA DE FREITAS
  • Data: 30/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve o objetivo de avaliar se em períodos de crise financeira, as empresas brasileiras listadas no Brasil, Bolsa, Balcão que apresentam boa classificação de rating e maiores investimentos apresentam menores perdas em seu valor de mercado, comparativamente às demais. A amostra total de ste estudo foi composta por 188 empresas resultantes após processo de limpeza dos dados, que inicialmente contavam com 344 empresas. Totalizando 4896 observações para a análise do modelo de avaliação do impacto do rating e investimento sobre o valor de mer cado das empresas analisadas durante os períodos de crise financeira. A amostra foi separada em empresas restritas e não restritas de acordo com o critério de rating e tratada através do modelo de efeitos fixos de regressão com dados em painel. Os resultad os apontam que, houve comportamentos diferentes quando comparadas as crises em conjunto e de forma separada. Quando analisadas em conjunto, as empresas classificadas como não restritas, no geral, se comportaram melhor se comparadas com as empresas restrita s. A mudança significativa aconteceu com relação as crises em específico, tendo a crise de 2008 impactado mais e de forma significativa o valor de mercado das empresas que compuseram a amostra das empresas restritas em comparação com as empresas não restri tas. Já a crise de 2015, em específico, influenciou negativamente de forma significativa o valor de mercado das empresas não restritas, mas de forma não significativa as empresas classificadas como restritas. Finalmente, com relação à crise de 2020, o impa cto foi o maior dentre tais crises para as empresas não restritas mostrando o quanto um período não previsto pode fazer com o mercado.


  • Mostrar Abstract
  • Este estudo teve o objetivo de avaliar se em períodos de crise financeira, as empresas brasileiras listadas no Brasil, Bolsa, Balcão que apresentam boa classificação de rating e maiores investimentos apresentam menores perdas em seu valor de mercado, comparativamente às demais. A amostra total de ste estudo foi composta por 188 empresas resultantes após processo de limpeza dos dados, que inicialmente contavam com 344 empresas. Totalizando 4896 observações para a análise do modelo de avaliação do impacto do rating e investimento sobre o valor de mer cado das empresas analisadas durante os períodos de crise financeira. A amostra foi separada em empresas restritas e não restritas de acordo com o critério de rating e tratada através do modelo de efeitos fixos de regressão com dados em painel. Os resultad os apontam que, houve comportamentos diferentes quando comparadas as crises em conjunto e de forma separada. Quando analisadas em conjunto, as empresas classificadas como não restritas, no geral, se comportaram melhor se comparadas com as empresas restrita s. A mudança significativa aconteceu com relação as crises em específico, tendo a crise de 2008 impactado mais e de forma significativa o valor de mercado das empresas que compuseram a amostra das empresas restritas em comparação com as empresas não restri tas. Já a crise de 2015, em específico, influenciou negativamente de forma significativa o valor de mercado das empresas não restritas, mas de forma não significativa as empresas classificadas como restritas. Finalmente, com relação à crise de 2020, o impa cto foi o maior dentre tais crises para as empresas não restritas mostrando o quanto um período não previsto pode fazer com o mercado.

9
  • CAMILA BEZERRA CORREIA NEVES
  • O desempenho corporativo em ESG e a performance financeira das empresas brasileiras 

  • Orientador : JOSETE FLORENCIO DOS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOSETE FLORENCIO DOS SANTOS
  • RENATA BRAGA BERENGUER DE VASCONCELOS
  • VICENTE LIMA CRISÓSTOMO
  • Data: 31/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação buscou investigar se o comprometimento ambiental aliado ao desempenho corporativo em ESG (IESG) influencia a performance financeira (atual e futura) das empresas listadas na B3 no período de 2010 a 2021. As informações para mensurar o ESG, as emissões de CO2 e o P& D ambiental foram coletadas dos Relatórios de Sustentabilidade, publicados nos website das empresas e no site da Comissão de Valores Mobiliários. Foi composto o Índice de Desempenho Corporativo em ESG (IESG) e as empresas com maiores pontuações identificadas operam no setor de consumo não cíclico, com pontuação média de 21 pontos. A análise foi feita por meio regressão múltipla de dados com efeitos fixos. O desempenho corporativo em ESG melhora a performance financeira (Q de Tobin) atual e futura. Sobre o ROA não foi identificada influência do ESG. As práticas ambientais e de governança melhoram a performance financeira atual (Q de Tobin) futura (Q de Tobin e ROA) e não o foi constada influência das práticas sociais. As emissões de CO2 deterioram a performance financeira atual (ROA) e também a performance financeira futura (ROA e Q de Tobin). Já os investimentos em P&D ambiental não influenciam o desempenho financeiro atual e futuro (ROA e Q de Tobin). O comprometimento ambiental (CO2) exerceu efeito moderador negativo sobre a relação do desempenho corporativo em ESG e a performance financeira atual e futura (Q de Tobin). Assim, o desempenho corporativo em ESG tende a ser mais elevado quanto menores forem as emissões de CO2, ao passo que a performance financeira atual e futura são aprimoradas.


  • Mostrar Abstract
  • Frente a emergente situação climática têm sido debatido o papel corporativo na preservação ambiental, em especial no que tange às emissões de Gases de Efeito Estufa (GEEs). A governança socioambiental pode ser compreendida como os mecanismos de controle que as empresas adotam voluntariamente para integrar as preocupações sociais e ambientais em suas operações. Por outro lado, a preocupação com resultados financeiros das empresas sempre foi uma questão básica para os proprietários e a adaptação às práticas corporativas sustentáveis demanda o aporte de capital. Assim, a presente pesquisa visa responder ao seguinte questionamento: qual é a relação dos compromissos com o meio ambiente aliado às práticas de governança socioambiental com a performance financeira das empresas brasileiras? Nesse sentido este estudo tem como objetivo geral investigar se o compromisso com o meio ambiente aliado às práticas de governança socioambiental influenciam a performance financeira atual e futura das empresas listadas na B3 no período de 2010 a 2020 , a ser atingido por meio análises de regressão linear múltipla por mínimos quadrados ordinários (MQO) com dados em painel. Para mensurar o nível de práticas de governança socioambiental das empresas no período será construída uma proxy denominada Índice de Governança Socioambiental, por meio da coleta de dados secundários que parte de um questionário baseado em Almeida e Santos (2016) e Li et al. (2020). Face às urgente demandas climáticas, este estudo ainda visa analisar o efeito do comprometimento ambiental, que considera as emissões de CO2 e os investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento Ambiental, sobre o desempenho das empresas durante o período de 2010 a 2020, além de verificar se o comprometimento ambiental tem efeito moderador sobre a relação das práticas de governança socioambiental e o desempenho das empresas durante o período do estudo.

10
  • ADOLFO DE ALENCAR MELO JUNIOR
  • Suporte Organizacional Percebido e Vínculos Organizacionais: um estudo com
    Trabalhadores Terceirizados de uma Instituição Federal de ensino superior.

  • Orientador : DIOGO HENRIQUE HELAL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DEBORA COUTINHO PASCHOAL DOURADO
  • DIOGO HENRIQUE HELAL
  • VÂNIA MEDIANEIRA FLORES COSTA
  • Data: 29/07/2022

  • Mostrar Resumo
  • A multiplicidade de vínculos do trabalhador terceirizado abre a perspectiva de análise de uma
    cadeia de relacionamento complexa, na qual o vínculo formal é estabelecido com a
    organização contratante, distante da vivência cotidiana desse indivíduo, enquanto sua
    referência do dia a dia organizacional está na empresa para a qual o serviço é prestado, onde
    suas atividades são, de fato, desenvolvidas. É a partir do entendimento do comportamento do
    trabalhador terceirizado que novas práticas de gestão que envolvem essa categoria podem ser
    adotadas, coadunando interesses de indivíduo e organizações que, sob um paradigma
    humanístico, estarão desempenhando sua função social satisfatoriamente e, numa perspectiva
    funcional, terão impactos significativos na redução dos índices de rotatividade, afastamentos
    e, consequentemente, maiores ganhos. Desse modo, essa pesquisa buscou entender como
    ocorrem os processos de formação dos vínculos organizacionais: comprometimento,
    entrincheiramento e consentimento a partir da percepção de suporte organizacional dos
    trabalhadores terceirizados da UFPE. Sob uma perspectiva qualitativa, desenvolveu-se uma
    análise de conteúdo com base em entrevistas realizadas com os trabalhadores terceirizados,
    cujos resultados apontam para o entendimento de que apenas a satisfação, ainda que baixa, de
    fatores higiênicos, não é suficiente para o fortalecimento dos vínculos entre organização e
    indivíduo, tampouco para a garantia de percepção de suporte por parte das organizações, em
    especial quando tratamos de indivíduos terceirizados que, a priori, já apresentam prejuízos na
    identificação com a organização, o que tem reflexos diretos em seu trabalho e na sua vivência
    dentro do ambiente organizacional.


  • Mostrar Abstract
  • O fenômeno da terceirização no Brasil remonta à década de 1960, quando se registra o início da utilização dessa prática mercadológica por parte de organizações do setor público, posteriormente expandindo-se para o setor privado. Iniciado o século 21, uma nova rodada de processos de neoliberalização se avultavam no país, num processo que Pochmann (2020) chama de tempo da sociedade de serviços – levando o mercado de trabalho à generalização do emprego na base social, gerando uma franca terciarização da economia do país, com a informalidade nas relações de trabalho ganhando destaque. É a partir do processo de terceirização que emergem dois conjuntos de trabalhadores: os core workers, trabalhadores contratados pela empresa fim, com melhores condições de trabalho e salário; e o conjunto de trabalhadores autônomos, prestadores de serviços, terceirizados em geral que, nas mesmas atividades dos core workers, auferem menores salários e piores condições de trabalho. Essa discrepância impacta no processo não apenas da percepção de suporte organizacional, haja vista que os indivíduos passam a desenvolver percepções favoráveis do suporte organizacional quando julga que as retribuições organizacionais são sinceras; bem como no processo de vinculação do indivíduo em um dos seus principais eixos, que é a identificação com a organização. Neste ínterim, sob uma perspectiva do campo do comportamento organizacional, este projeto de pesquisa pretende debruçar-se sobre os construtos suporte organizacional e sua relação com os vínculos organizacionais desenvolvidos a partir da vivência do trabalhador terceirizado. Tendo por locus de pesquisa a Universidade Federal de Pernambuco, pretende-se com este projeto de pesquisa responder à seguinte questão: “Como se constroem os processos de formação dos vínculos organizacionais comprometimento e entrincheiramento a partir da percepção de suporte organizacional dos trabalhadores terceirizados da UFPE?”.

Teses
1
  • KELLY MARIA PAZ E SILVA
  • A rede social de inteligência coletiva e a criatividade na cidade:
    implicações teóricas e proposição de framework para cidades
    inteligentes e criativas

  • Orientador : HENRIQUE CESAR MUZZIO DE PAIVA BARROSO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FERNANDO GOMES DE PAIVA JUNIOR
  • HENRIQUE CESAR MUZZIO DE PAIVA BARROSO
  • JOSIVANIA SILVA FARIAS
  • MAGNUS LUIS EMMENDOERFER
  • MARCOS ROBERTO GOIS DE OLIVEIRA MACEDO
  • Data: 04/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Na literatura acerca de cidades, temos conceitos atrelados a cidades inteligentes e a cidades criativas, que em suas premissas procuram melhorar os contextos urbanos, através do uso de tecnologias e da criatividade. Porém, percebemos lacunas em suas visões, quando vistas de maneira estanque. Deste modo, o estudo de tese apresenta como objetivo geral de “Compreender como a rede social de inteligência coletiva pode tornar a cidade mais criativa”. Isto porque, acredita-se que através da rede social, que conecta os atores da hélice quádrupla, a rede social de inteligência coletiva pode ser ativada, refletindo na criatividade da cidade. A partir deste objetivo, realizamos uma revisão da literatura de cidades inteligentes, com destaque para os frameworks existentes na área. Já na literatura de cidades criativas, nos debruçamos sobre as precondições para o estabelecimento deste tipo de cidade, assim como sobre a possibilidade destas cidades serem vistas como espaços de experimentação e
    inovação. Com esta revisão, empreendemos discussões no sentido de propor uma nova configuração urbana: a Cidade Inteligente e Criativa. A partir destas reflexões, obtivemos alguns elementos norteadores do conceito de CIC, quais sejam: uso central da criatividade, papel de auxílio da tecnologia, inovação que gera transformação, participação cidadã, diversidade para a criatividade, conectividade social e inovação enquanto fomento da criatividade das pessoas. Além disso, foi gerado um framework de CIC, que considerava inicialmente três dimensões relevantes: suporte tecnológico, criatividade social e governança participativa. Em seguida, em virtude da importância do conceito de rede social para a tese, foram empreendidas reflexões sobre os principais conceitos atrelados, como: laços fracos e fortes, buracos estruturais e embeddedness. Sendo assim, para que fosse possível respaldar a configuração de CIC e seu framework, realizou-se uma pesquisa de natureza qualitativa, com a utilização de documentos e entrevistas em profundidade com 30 sujeitos pertencentes à quádrupla hélice, que foram analisados mediante análise documental e análise de conteúdo, respectivamente. Com a análise documental, foi gerado um checklist de indicadores que foi validado pelos sujeitos entrevistados, assim como foi acrescentada uma nova dimensão ao framework de CIC, “Economia e Negócios”. Na análise dos achados, percebeu-se na categoria “Suporte tecnológico”, que as principais tecnologias na CIC devem ser as sociais, que permitem a transformação dos espaços urbanos. Já na categoria “Criatividade social”, visualizou-se que a criatividade do cidadão deve ser resgatada, principalmente, através da educação, de modo que possa existir engajamento social. A categoria “Governança participativa”, por sua vez, demonstra que a rede social é um importante mecanismo de conectividade social, que destrói desequilíbrios sócio-históricos. Por fim, a categoria “Economia e Negócios”, trouxe a reflexão de que a criatividade deve estar presente nasprofissões e nas organizações-ponte, de modo a gerar consequências positivas nas cidades. Com o estudo de tese, podemos concluir que a rede cria o ambiente adequado para a criatividade acontecer, já que permite quebrar com desequilíbrios sociais, dá voz aos atores e apoia a diversidade. Sendo assim, a rede antecede e permite que a cidade possa ser mais criativa, à medida que é possível pensar soluções mais eficientes.


  • Mostrar Abstract
  • As cidades constituem os espaços de consolidação das vivências humanas. São nelas
    que os indivíduos estabelecem os relacionamentos sociais, desenvolvem suas carreiras e
    realizam seus objetivos. A modificação do mercado de trabalho através da industrialização, ou
    seja, o desenvolvimento das cidades, gerou a migração da mão de obra para os centros de
    oportunidades, não só por motivos de sobrevivência, mas também pela expectativa de
    melhoria de vida (ABDALLA; FARIA, 2019).
    A temática de urbanização se amplia nos estudos e nas iniciativas de pesquisadores,
    planejadores e gestores, principalmente porque no espectro do capitalismo, a cidade enquanto
    construção social e histórica passa por desigualdades socioespaciais (CARLOS, 2007;
    QUEIROZ; MORAIS; ALOUFA, 2019). O crescimento urbano acelerado e sem
    planejamento, com o aumento da população gerou/ gera problemas técnicos, físicos e
    materiais, como aqueles de infraestrutura, de saneamento, de distribuição de água, gestão de
    resíduos, escassez de recursos, poluição do ar, acesso aos serviços básicos de saúde e de
    manutenção da vida, além do tráfego congestionado e inadequado (CHOURABI et al., 2012;
    UN, 2014a; 2014b).

2
  • MIRIAM LEITE FARIAS
  • Remitologizando a negritude: identidade cultural e representações da consumidora negra brasileira.

  • Orientador : SALOMAO ALENCAR DE FARIAS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SALOMAO ALENCAR DE FARIAS
  • ANA RAQUEL COELHO ROCHA
  • LETICIA MOREIRA CASOTTI
  • OLGA MARIA COUTINHO PEPECE
  • RODRIGO BISOGNIN CASTILHOS
  • Data: 11/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • O mito da democracia racial brasileira e a forma como esse fora sustentado por atores de mercado e pelo Estado brasileiro no século XX faz com que ele possa ser interpretado um mito mercadológico. Mitos de mercado são recursos culturais que atraem os consumidores para atividades de consumo ou marcas. Nesse caso, esse mito foi utilizado para defender uma determinada agenda ideológica, a qual visava localizar o Brasil em um contexto de nações progressistas com população mestiça, tropical e única no mundo. No entanto, esse mito, ao homogenizar a população na condição de povo brasileiro, não permitia espaços para reivindicações de políticas identitárias da população descendente dos negros escravizados. Consequentemente, subjacente a esse contexto, estruturou-se uma hierarquia social em que os traços físicos e culturais mulher branca descendente dos colonizadores europeus eram tidos como ideias, a figura da mulata apareceria no meio, representada de forma sexualizada, sendo linkada a símbolos nacionais, e por último, estaria a mulher negra, tendo sua imagem relacionada a estigmas negativos de submissão, e não adequação aos padrões socialmente desejáveis. Nessa Tese, considerei esse contexto de formação identitária da mulher negra, e, apoiada na ideia de identidade cultural de Stuart Hall, busquei como essa identidade estaria sendo construída nos dias de hoje. Para tanto, foi realizada uma pesquisa de caráter qualitativo com três fontes de dados: postagens de quatro páginas de Instagram que abordavam temas sobre o identidades negras no Brasil, entrevistas com criadores de conteúdo e consumidoras negras dessas páginas analisadas. Por meio da técnica de análise hermenêutica, compreendi que a identidade da consumidora negra brasileira está dividida em quatro dimensões, são elas: naturalização da negritude, família afro centrada, poder, e comunidade fortalecida. Na constituição dessa identidade cultural, ocorre o processo de remitologização da negritude, por meio de três mecanismos: o re-ancoramento da identidade cultural nas raízes africanas, a desconstrução de estigmas negativos relacionados a mulher negra, e, o reposicionamento de  papeis sociais. Ao final desse processo, é possível observar o surgimento de uma contra-mitologia de mercado, a qual denomino Afro centrismo feminino.


  • Mostrar Abstract
  • Mitos de mercado constituem recursos culturais que atraem os consumidores para uma atividade de consumo ou marca. Para este projeto de tese, me debruço sobre o mito de democracia racial pertinente à construção da identidade nacional da sociedade brasileira, negociado por atores de mercado e consumidores ao longo do século XX. Por meio de sua representação simbólica, se sustentou uma hierarquia social em que a beleza da mulher negra ocuparia a posição de baixo. No entanto, essas consumidoras, ao negociarem esses padrões de beleza em formas de produtos e serviços ofertados no mercado, também estão negociando suas identidades culturais, consequentemente elas não estão apenas reafirmando a hierarquia proposta pelo mito da morenidade brasileira, mas também a contestando. Por meio de uma abordagem de pesquisa qualitativa com fontes documentais, entrevistas narrativas e técnicas projetivas, proponho que essa contestação poderia ser observada na maneira como a identidade da beleza feminina negra, em torno do movimento negro brasileiro, vem se desenvolvendo nos últimos anos. Seria o surgimento de uma contra-mitologia de mercado por meio do discurso das africanidades, desenvolvendo, consequentemente, a subjetividade étnica da consumidora negra brasileira nos dias de hoje.

3
  • BRUNO MELO MOURA
  • Est(éticas) cosplay: performatividades de consumo que possibilitam viver o nomadismo

  • Orientador : ANDRE LUIZ MARANHAO DE SOUZA LEAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADRIANA DA ROSA AMARAL
  • ANDRE LUIZ MARANHAO DE SOUZA LEAO
  • MARCONI FREITAS DA COSTA
  • MARIA CAROLINA ZANETTE
  • MARIBEL CARVALHO SUAREZ
  • Data: 29/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • O cosplay é um fenômeno capaz de ilustrar como as práticas de consumo podem ser
    investigadas como um mosaico de relações culturais. O fenômeno combina diversas
    performances, quando consumidores de objetos midiáticos fazem uso de fantasias para brincar,
    interpretar ou vivenciar elementos do que são fã. Consequentemente, os cosplays são
    performances exercidas entre fãs e fandoms – ou interfandom: interações de subcultura de
    consumo que celebram a cultura pop. Tal qual, são um exercício de prossumidores, já que os
    cosplayers são simultaneamente produtores de suas performances e consumidores do objeto
    midiático que performam. Outrossim, as performances de um cosplay são assumidas como
    experiências únicas, quando os praticantes vivenciam o extraordinário. Ainda, as performances
    exercidas via cosplay se arranjam em performatividades que extrapolam relações de consumo.
    Logo, consideramos que as múltiplas performances exercidas pelos cosplayers lhes permitem
    compreender e elaborar a si próprios, mas também o ethos fazem parte. Esta consideração nos
    permite acessar a obra de Michel Foucault. No âmbito teórico, evocamos o conceito da
    subjetivação, quando práticas de si são exercidas para que os sujeitos se produzam como tais e,
    simultaneamente, para substanciar as éticas que guiam suas existências. E entre as formas de
    inferir as éticas substanciadas pela subjetivação, a busca contínua por se aprimorar
    esteticamente é destacada. Ao combinar o empírico, temáticas do consumo como uma prática
    cultural e conceitos foucaultianos, articulamos nossa pergunta de pesquisa: como cosplayers
    produzem est(ética)s por meio de suas performances interfandômicas? Nesta articulação, a
    estética é uma forma de elaborar interacionalmente as éticas que conduzem as práticas de
    consumo de sujeitos – os cosplayers. O que nos leva a um impasse: uma trilha metodológica
    que nos permita compreender o processo de subjetivação foucaultiana através de uma
    investigação sobre um fenômeno cultural do presente. A solução foi combinar abordagens
    naturalistas para coleta de campo e a arqueogenealogia – o método ulterior foucaultiano – para
    realizar a análise. Assim, entre 2019 e 2021, realizamos – como método de coleta de campo –
    netnografias, entrevistas etnográficas, etnometodologias virtuais e autoetnografia com
    cosplayers dispersos geograficamente nos cinco continentes, mas alcançáveis pela
    convergência e conectividade das redes sociais. Os dados analisados nos permitiram inferir três
    est(éticas) cosplay – mercado, fanidade e política – que representam como seus praticantes em
    busca de viver uma vida bela, são capazes de extrapolar a iterabalidade de suas performances,
    alcançando um nomadismo em que criam os próprios desejos.


  • Mostrar Abstract
  • O cosplay é uma prática de consumo exercida entre as subculturas de fãs e caracterizada pelo uso de fantasias para brincar e/ou interpretar personagens da cultura pop. Quando os fãs elaboram o cosplay, os fãs assumem o papel de prossumidores para expor versões próprias dos objetos culturais que consomem e numa busca de viver experiências de consumo hedônicas. É um meio para interagir com diferentes membros e comunidades de fãs (fandoms) através de um arranjo de performances que compõem complexas performatividades de consumo que, por sua vez, podem ser compreendidas como um meio para produzir subjetividades e éticas fânicas. Seguindo as concepções de Michel Foucault acerca das práticas que permitem a elaboração da própria subjetividade, articulamos que o cosplay é um caminho para o fã buscar uma vida bela por combinar práticas que são, simultaneamente, estéticas e éticas. O que nos permite articular uma estrutura conceitual em que diferentes conceitos temáticos legitimados entre estudos da Consumer Culture Theory (cultura de fãs, experiência de consumo, prossumo e performatividade de consumo) são discutidos como representativos a concepções teóricos alinhadas a uma mesma ontologia: construtos do próprio Foucault, mas também de autores próximos como Judith Butler ou Giles Deleuze e Félix Guatarri. Logo, o projeto apresenta quatro proposições intermediárias: a cultura dos fãs permite um autoconhecimento (cultura de si) por meio de estilizações; as experiências hedônicas de consumo funcionam como uso dos prazeres que manifestam experiências subjetivas; o prossumo pode refletir exercícios de técnicas de si que em relações características de máquinas desejantes; e a performatividade de consumo apresenta meios para uma estética da existência composta pela performatividades citacionais. Assim, nos apoiamos na combinação de diversos conceitos para discorrer sobre o cosplay como prática de consumidores que representa uma busca vida bela. Para tanto, acessamos a metodologia ulterior foucaultiana, a arqueogenealogia, para tratar de um fenômeno do presente e que é praticado culturalmente a partir de dados obtidos por abordagens naturalistas já estabelecidos nas ciências administrativas (observação participante, netnografia, etnometodologia e autoetnografia). Isso é possível porque o método proposto por Foucault, apesar de ser utilizado para investigar documentos, é fundamentado em investigar práticas com historicidade que evocam o contexto em que são executadas. E para realizar a pesquisa, apresentamos um cronograma para sua conclusão e defesa no prazo estipulado para um aluno de doutorado.

4
  • REBEKA CRISTINY BARBOSA DE SANTANA
  • [Re]articulação discursiva da criatividade: a construção de significados no turismo criativo sob o enfoque dos Estudos Culturais

  • Orientador : FERNANDO GOMES DE PAIVA JUNIOR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FERNANDO GOMES DE PAIVA JUNIOR
  • CARLA REGINA PASA GOMEZ
  • HENRIQUE CESAR MUZZIO DE PAIVA BARROSO
  • CARLA BORBA DA MOTA SILVEIRA
  • EDUARDO PAES BARRETO DAVEL
  • Data: 29/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • A adoção de práticas criativas como elemento diferenciador, agregador de riqueza e vantagem
    competitiva tem sido impulsionada por agentes da iniciativa privada e formuladores de
    políticas públicas na conjuntura de desenvolvimento dos destinos turísticos. As
    representações culturais que permeiam o uso do termo criatividade no contexto do turismo
    criativo não estão claramente definidas, resultando em uma polissemia conceitual e uma
    fragmentação teórica em torno das práticas turísticas diferenciadas pela criatividade. Os
    estudos que estendem a discussão de modo a considerar as questões culturais, sociais e
    valores simbólicos envolvidos no turismo criativo sã escassos. Fato que suscita a seguinte
    questão: como ocorre a formação discursiva do produtor cultural em torno da articulação de
    significados do termo criatividade no contexto do turismo criativo? A composição teórica que
    dá suporte ao debate se ancora nos Estudos Culturais, em especial nos desenvolvimentos
    teóricos do Circuito da Cultura proposto por Du Gay et al e seu modelo de articulação dos
    momentos de produção, consumo, identidade, regulação e representação do artefato cultural.
    Projetamos a construção do corpora, composto por documentos e entrevistas, para acessar os
    discursos que permeiam as ações dos produtores culturais de turismo criativo, enquanto
    sujeitos do estudo. Os resultados da análise do discurso apontam que as articulações
    discursivas são direcionadas ao processo de ressignificação da criatividade no contexto do
    turismo criativo para atender demandas públicas relacionadas ao desenvolvimento local e à
    sustentabilidade, como forma de construção de significados benéficos em torno do artefato
    cultural. O sistema discursivo indica a crença implícita dos produtores culturais de que a
    criação de valor simbólico proporcionada pela difusão de significados positivos seja refletida
    em trocas econômicas.


  • Mostrar Abstract
  • A adoção de práticas criativas como elemento diferenciador, agregador de riqueza e vantagem
    competitiva tem sido impulsionada por agentes da iniciativa privada e formuladores de
    políticas públicas na conjuntura de desenvolvimento dos destinos turísticos. As
    representações culturais que permeiam o uso do termo criatividade no contexto do turismo
    criativo não estão claramente definidas, resultando em uma polissemia conceitual e uma
    fragmentação teórica em torno das práticas turísticas diferenciadas pela criatividade. Os
    estudos que estendem a discussão de modo a considerar as questões culturais, sociais e
    valores simbólicos envolvidos no turismo criativo sã escassos. Fato que suscita a seguinte
    questão: como ocorre a formação discursiva do produtor cultural em torno da articulação de
    significados do termo criatividade no contexto do turismo criativo? A composição teórica que
    dá suporte ao debate se ancora nos Estudos Culturais, em especial nos desenvolvimentos
    teóricos do Circuito da Cultura proposto por Du Gay et al e seu modelo de articulação dos
    momentos de produção, consumo, identidade, regulação e representação do artefato cultural.
    Projetamos a construção do corpora, composto por documentos e entrevistas, para acessar os
    discursos que permeiam as ações dos produtores culturais de turismo criativo, enquanto
    sujeitos do estudo. Os resultados da análise do discurso apontam que as articulações
    discursivas são direcionadas ao processo de ressignificação da criatividade no contexto do
    turismo criativo para atender demandas públicas relacionadas ao desenvolvimento local e à
    sustentabilidade, como forma de construção de significados benéficos em torno do artefato
    cultural. O sistema discursivo indica a crença implícita dos produtores culturais de que a
    criação de valor simbólico proporcionada pela difusão de significados positivos seja refletida
    em trocas econômicas.

5
  • LUANA ALEXANDRE SILVA
  • A construção de valores culturais nas ações públicas de fomento ao turismo criativo: um olhar para o movimento de articulação discursiva

  • Orientador : FERNANDO GOMES DE PAIVA JUNIOR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LENIA MARQUES
  • EDUARDO PAES BARRETO DAVEL
  • FERNANDO GOMES DE PAIVA JUNIOR
  • HENRIQUE CESAR MUZZIO DE PAIVA BARROSO
  • MAGNUS LUIS EMMENDOERFER
  • Data: 30/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • O contexto de fomento às expressões da cultura e da criatividade nas políticas públicas urbanas
    posicionam o turismo criativo como atividade estratégica dirigida para agregar valor às
    localidades visitadas, uma vez que essa abordagem potencializa a cocriação de práticas e
    significados que representam valores culturais para os indivíduos. As experiências de cocriação
    demarcadas pela interação estabelecida entre os agentes que atuam no turismo criativo
    constituem discussão incipiente no que tange aos estudos a respeito das ações públicas de
    fomento ao turismo. Os aspectos relacionais e contextuais que permeiam as políticas de fomento
    ao turismo criativo tendem a ser negligenciados por estudiosos e formuladores dos projetos de
    intervenção urbana em decorrência da visão instrumental que fundamenta a promoção
    institucional do turismo de modo que a participação crítica e democrática dos representantes da
    sociedade no planejamento institucional do setor fica comprometida. O estudo visa aprofundar
    a compreensão a respeito do modo como ocorre a construção de valores culturais em meio à
    articulação de agentes locais com o fim de fomentar o turismo criativo. A articulação discursiva
    é definida no modelo de codificação e decodificação de significados culturais proposto por
    Stuart Hall a fim de desvelar as estruturas de sentido e posições de leitura que compõem o
    campo discursivo das ações de fomento ao turismo criativo na Cidade do Recife. O estudo de
    caso único foi realizado com o aporte metodológico de elementos característicos da análise de
    discurso por meio de entrevistas individuais realizadas junto a agentes locais atuantes na área
    do turismo criativo, observação participativa e pesquisa documental, em que acessamos gêneros
    discursivos distintos, tais como palestras, relatórios, atas de reuniões, reportagens e vídeos que
    tratam da temática do turismo criativo. Os valores culturais vinculados ao turismo criativo têm
    sido articulados por meio de lutas simbólicas e jogos de poder, em que prevalecem os interesses
    e significados aderentes ao bloco social dominante. As referências de conhecimento que
    sustentam as ações de fomento ao turismo criativo revelam a existência de discursos formados
    em torno da endogenia criativa, do simbolismo cultural e da ressignificação do produto turístico
    local. As relações de produção potencializam os discursos de cocriação institucional, dialética
    criativa, participação coletiva e relegação ao mérito. Os meios de comunicação mobilizados
    pelos agentes locais são problematizados por meio de discursos que indicam a existência de
    assimetrias informativas, entraves tecnológicos e redundância discursiva na articulação entre
    tais agentes. Tais discursos congregam posições de leituras hegemônicas, negociadas e opostas
    em relação ao fomento do turismo criativo, cujos repertórios de adesão ou resistência a esses
    discursos variam conforme as experiências anteriores dos indivíduos com o setor turístico e pelas posições sociais  assumidas por esses sujeitos na cadeia produtiva do turismo. O sistemadiscursivo que sustenta o fomento ao turismo criativo em Recife está impregnado de demandas relacionadas a valores intrínsecos e instrumentais associados ao incremento das atividades turísticas, em que se vislumbra melhoria da qualidade de vida das pessoas residentes nas regiões visitadas e a ampliação da competitividade daquele destino turístico. A construção de valores culturais institucionais surge como resultado do diálogo estabelecido entre os agentes participantes da elaboração e implantação de ações públicas, em que se destaca a oportunidade de se impulsionar a criatividade dos indivíduos e de aprimorar a relação entre agentes dos poderes público e privado em articulação com representantes da sociedade civil. As fragilidades identificadas nas etapas de mobilização, negociação, consolidação e divulgação das ações de fomento ao turismo criativo sugerem a atenção dos agentes locais no sentido de direcionar esforços para facilitar o acesso das pessoas aos meios de cocriação e compartilhamento de significados, de modo a reduzir as assimetrias de voz e poder existentes entre os indivíduos.


  • Mostrar Abstract
  • A institucionalização do turismo criativo em meio às políticas públicas locais representa movimento de construção ou destruição de valores culturais, os quais são fruto de disputas e negociações em torno de significados. Na gestão de políticas públicas, os processos e significados que formam os valores culturais se manifestam na comunicação estabelecida entre os atores sociais, como agentes privados, paraestatais e lideranças oriundas de segmentos informais da sociedade civil. Porém, os estudos sobre a temática da geração de valor no turismo tendem a contemplar as relações de consumo e produção de serviços
    turísticos, sem aprofundar os fatores subjetivos e contextuais que contemplam a gestão pública do setor, como as relações de poder e as disputas por significados no âmbito dos arranjos institucionais. Em virtude dessa problemática e lacuna teórica, surge a inquietação por compreender: como ocorre a construção de valor cultural em meio à articulação de agentes locais para fomentar o turismo criativo? O estudo segue a abordagem de pesquisa qualitativa, a ontologia do discurso e a e a orientação epistemológica do construcionismo social. Optou-se pelo Estudo de caso único, em que se analisa a atuação dos agentes que participaram da elaboração do Plano de Turismo Criativo da Cidade de Recife e atuam ou já atuaram no Fórum de Turismo criativo, instância de governança responsável pelo acompanhamento do Plano. A etapa de coleta de dados será feita por meio de entrevistas semiestruturadas, pesquisa documental, e observação participativa direta e indireta. A técnica de análise de discurso será utilizada com vistas a lançar um olhar crítico e analítico sobre o corpora.

2021
Dissertações
1
  • RAPHAEL SILVEIRA GUERRA CAVALCANTI
  • Dinâmica da Seleção de Portfólios por Pairs Trading no Mercado Brasileiro.

  • Orientador : JOSETE FLORENCIO DOS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOSETE FLORENCIO DOS SANTOS
  • WILTON BERNARDINO DA SILVA
  • MAURICIO ASSUERO LIMA DE FREITAS
  • Data: 30/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi analisar de que forma a delimitação dos prazos operacionais e critérios de volatilidade contribuíram para o desempenho do modelo de pairs trading no mercado de ações brasileiro, considerando os níveis de rentabilidades ponderados aos riscos de mercado, no período entre janeiro de 2008 a dezembro de 2019. Foram analisados no período proposto um total de 21.771.180 pares possíveis em backtesting identificando ao todo 4.696.407 de pares cointegrados com aplicação dos testes de cointegração Dickey-Fuller Aumentado, Phillips-Perron, KPSS e Johansen para diferentes periodicidades do ADF (252, 222, 192, 162, 132, 102 períodos) e intervalo discreto entre um e cinco desvios padrões para banda de dispersão dos resíduos das regressões. O estudo se justificou pela generalidade de análise dos ativos proposta pelo modelo e sua característica de baixa correlação dos retornos em relação ao benchmark de mercado. Os resultados indicaram que a inclusão de um critério de volatilidade mínima dos pares, ou ainda, de volatilidades superiores às medianas (20 períodos) das volatilidades dos ativos dependentes, apresentam em média retornos superiores e melhor desempenho sobre os aspectos de risco e retorno mensurados índice de Sharpe, no período em análise. Além de, demonstrar a correlação não linear negativa entre as médias de retornos dos pares e os prazos decorridos por operação. Dessa forma, demonstrou que a utilização de tais critérios comparados à utilização ad hoc modelo de pairs trading apresentou no período resultados superiores.


  • Mostrar Abstract
  • O objetivo deste estudo foi analisar de que forma a delimitação dos prazos operacionais e critérios de volatilidade contribuíram para o desempenho do modelo de pairs trading no mercado de ações brasileiro, considerando os níveis de rentabilidades ponderados aos riscos de mercado, no período entre janeiro de 2008 a dezembro de 2019. Foram analisados no período proposto um total de 21.771.180 pares possíveis em backtesting identificando ao todo 4.696.407 de pares cointegrados com aplicação dos testes de cointegração Dickey-Fuller Aumentado, Phillips-Perron, KPSS e Johansen para diferentes periodicidades do ADF (252, 222, 192, 162, 132, 102 períodos) e intervalo discreto entre um e cinco desvios padrões para banda de dispersão dos resíduos das regressões. O estudo se justificou pela generalidade de análise dos ativos proposta pelo modelo e sua característica de baixa correlação dos retornos em relação ao benchmark de mercado. Os resultados indicaram que a inclusão de um critério de volatilidade mínima dos pares, ou ainda, de volatilidades superiores às medianas (20 períodos) das volatilidades dos ativos dependentes, apresentam em média retornos superiores e melhor desempenho sobre os aspectos de risco e retorno mensurados índice de Sharpe, no período em análise. Além de, demonstrar a correlação não linear negativa entre as médias de retornos dos pares e os prazos decorridos por operação. Dessa forma, demonstrou que a utilização de tais critérios comparados à utilização ad hoc modelo de pairs trading apresentou no período resultados superiores.

2
  • MANUELLA GAMA DE SOUZA
  • CRIATIVIDADE ABERTA: A EXPERIÊNCIA DO LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E DE NEGÓCIOS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE PERNAMBUCO.

  • Orientador : HENRIQUE CESAR MUZZIO DE PAIVA BARROSO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FERNANDO GOMES DE PAIVA JUNIOR
  • FRANCISCO JOSE DA COSTA
  • HENRIQUE CESAR MUZZIO DE PAIVA BARROSO
  • Data: 21/10/2021

  • Mostrar Resumo
  • A criatividade é o componente que aprimora a capacidade de inovar das organizações, onde os insights e as ideias são de importância crucial para manter sua vantagem competitiva seja no acréscimo no faturamento, no caso das empresas, seja na melhoria da prestação de serviços à sociedade, no caso do setor público. Para alcançar a inovação as organizações estão, de maneira crescente, fazendo o uso de abordagens mais abertas considerado um caminho novo para atingir níveis mais altos de inovação. Nessa direção, este trabalho objetivou entender como ocorre o processo de geração de ideias através do fenômeno da Criatividade Aberta. Como passo anterior a inovação, a criatividade tem um papel importante neste panorama, sendo assim é relevante sua discussão. Para tanto, foi feito um levantamento teórico acerca dos conceitos criatividade, inovação, inovação aberta, redes e laços fortes e fracos que deram suporte ao entendimento sobre a ideia de Criatividade Aberta. Dessa forma, a pesquisa partiu de uma abordagem qualitativa, exploratória e descritiva, do tipo de estudo de caso único, os dados e informações foram coletados através de dezesseis relatos de entrevistas semiestruturadas, realizadas a partir da experiência do Laboratório de Inovação Tecnológica e de Negócios, do Ministério Público de Pernambuco (MPLabs - MPPE) localizado na cidade do Recife-PE, e através de amostragem em bola de neve e análise documental. Os achados indicam que a Criatividade Aberta emerge da interação constante entre os atores proporcionando um compartilhamento de recursos, habilidades, capacidades, expertises e conhecimentos através de atores diversos. Essas ações acontecem através da emergência de redes caracterizadas por laços fortes e fracos por meio de parcerias que estão contidas em um contexto presencial e virtual, formal e informal. Além disso também foram encontradas evidências empíricas que apontam para a ocorrência ações e práticas de Criatividade Aberta no campo onde se realizou o estudo.


  • Mostrar Abstract
  • A criatividade é o componente que aprimora a capacidade de inovar das organizações, onde os insights e as ideias são de importância crucial para manter sua vantagem competitiva seja no acréscimo no faturamento, no caso das empresas, seja na melhoria da prestação de serviços à sociedade, no caso do setor público. Para alcançar a inovação as organizações estão, de maneira crescente, fazendo o uso de abordagens mais abertas considerado um caminho novo para atingir níveis mais altos de inovação. Nessa direção, este trabalho objetivou entender como ocorre o processo de geração de ideias através do fenômeno da Criatividade Aberta. Como passo anterior a inovação, a criatividade tem um papel importante neste panorama, sendo assim é relevante sua discussão. Para tanto, foi feito um levantamento teórico acerca dos conceitos criatividade, inovação, inovação aberta, redes e laços fortes e fracos que deram suporte ao entendimento sobre a ideia de Criatividade Aberta. Dessa forma, a pesquisa partiu de uma abordagem qualitativa, exploratória e descritiva, do tipo de estudo de caso único, os dados e informações foram coletados através de dezesseis relatos de entrevistas semiestruturadas, realizadas a partir da experiência do Laboratório de Inovação Tecnológica e de Negócios, do Ministério Público de Pernambuco (MPLabs - MPPE) localizado na cidade do Recife-PE, e através de amostragem em bola de neve e análise documental. Os achados indicam que a Criatividade Aberta emerge da interação constante entre os atores proporcionando um compartilhamento de recursos, habilidades, capacidades, expertises e conhecimentos através de atores diversos. Essas ações acontecem através da emergência de redes caracterizadas por laços fortes e fracos por meio de parcerias que estão contidas em um contexto presencial e virtual, formal e informal. Além disso também foram encontradas evidências empíricas que apontam para a ocorrência ações e práticas de Criatividade Aberta no campo onde se realizou o estudo.

Teses
1
  • RENATA BRAGA BERENGUER DE VASCONCELOS
  • Inovação e estrutura de capital: novas perspectivas

  • Orientador : JOSETE FLORENCIO DOS SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOSETE FLORENCIO DOS SANTOS
  • UMBELINA CRAVO TEIXEIRA LAGIOIA TORRES
  • EDUARDO KAZUO KAYO
  • MOISES ARAUJO ALMEIDA
  • ORLEANS SILVA MARTINS
  • TERESA CRISTINA JANES CARNEIRO
  • Data: 30/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • A presente tese buscou analisar se a divulgação da inovação seria capaz de afetar a estrutura de capital das empresas brasileiras de capital aberto negociadas na B3, buscando explicar esta relação a partir dos efeitos que a divulgação pode apresentar sobre a assimetria e o custo implícito de capital. Para tanto, foram adotadas duas perspectivas de análise. Na primeira, analisou-se a qualidade das informações de inovação disseminadas nos relatórios anuais publicadas pelas companhias durante os anos de 2014 a 2019. As relações entre a divulgação, assimetria, custo e estrutura foram analisadas por meio de modelagem de equações estruturais, que demonstrou que tais divulgações não são capazes de afetar a assimetria, o custo e a estrutura de capital das empresas. Porém, foram verificados efeitos significativos da assimetria sobre o endividamento a mercado, mediada pelo custo implícito de capital. Na segunda perspectiva, a divulgação de inovação foi analisada por meio da publicação de patentes realizadas durante os anos de 2014 a 2019. Para tanto, as relações foram avaliadas por meio de regressão em dados em painel. Os resultados indicaram que a publicação de patentes é capaz de reduzir o custo implícito de capital, cuja relação é mediada pela volatilidade do ativo. Ademais, também se verificou que a assimetria apresenta uma relação positiva com o endividamento a mercado e contábil, cujas relações também são mediadas pelas proxies de assimetria. Assim, verifica-se que a publicação de patentes pode ser um instrumento efetivo para redução das assimetrias informacionais, que podem resultar na modificação da estrutura de capital das empresas.


  • Mostrar Abstract
  • O presente projeto de tese busca apresentar um núcleo conceitual que permite discutir
    os efeitos da divulgação da inovação sobre a estrutura de capital das empresas brasileiras de
    capital aberto listadas na B3. A relação é posta como uma nova perspectiva, pois parte da
    análise da divulgação da inovação, e não da inovação, onde se espera encontrar efeitos
    diversos sobre a estrutura de capital e a assimetria de informação.

2
  • FRANCISCO RICARDO BEZERRA FONSECA
  • A Prática de Importar Teorias Estrangeiras no
    Domínio da Teoria Organizacional: um Novo
    Framework Epistemológico para Apropriação de
    Radical Traveling Theories Normativas

  • Orientador : DEBORA COUTINHO PASCHOAL DOURADO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DEBORA COUTINHO PASCHOAL DOURADO
  • GUILHERME LIMA MOURA
  • JOSE RICARDO COSTA DE MENDONCA
  • RENATA OVENHAUSEN ALBERNAZ
  • RODRIGO GAMEIRO GUIMARAES
  • Data: 30/11/2021

  • Mostrar Resumo
  • A importação de teorias estrangeiras é um método legítimo e prevalente de
    teorização na Teoria Organizacional. Esse método é reconhecido, entre os teóricos
    organizacionais, como uma faceta integral do desenvolvimento teórico desse
    domínio disciplinar. Defendo a necessidade de elaborar uma novo framework
    epistemológico para compreender o modus operandi da prática de importar e
    domesticar radical traveling theories normativas na Teoria Organizacional. O
    principal fundamento da minha proposta de tese reside na constatação empírica de
    que: os frameworks prévios de importação de teorias são insuficientes para explicar essa
    prática de teorização, particularmente, por não oferecem uma abordagem de justificação
    epistêmica capaz de garantir e sustentar suas reivindicações de conhecimento.
    Essa constatação se deu mediante a construção da minha própria versão de revisão
    sistemático-configurativa de literatura, alicerçada nos princípios da hermenêutica
    filósofica da Hans-George Gadamer. Os procedimentos analíticos de interpretação
    do corpus de pesquisa foram pautados nas orientações e diretrizes da análise
    temática reflexiva. O arsenal epistêmico do framework de importação, que ofereço
    nesta tese, foi criado a partir da articulação do círculo das matrizes epistêmicas de
    Ana Paula Paes de Paula, aliada aos sistemas de produção de conhecimento
    Michael Hill e a teoria dos interesses cognitivos de Jürgen Habermas. Adotei a
    teoria coerentista de justificação epistêmica de Paul Thagard com a finalidade de
    estabelecer critérios de coerência que possibilitem explicar e justificar o modus
    operandi do framework de importação de radical traveling theories normativas na
    Teoria Organizacional.


  • Mostrar Abstract
  • A importação de teorias estrangeiras é um método legítimo e prevalente de
    teorização na Teoria Organizacional. Esse método é reconhecido, entre os teóricos
    organizacionais, como uma faceta integral do desenvolvimento teórico desse
    domínio disciplinar. Defendo a necessidade de elaborar uma novo framework
    epistemológico para compreender o modus operandi da prática de importar e
    domesticar radical traveling theories normativas na Teoria Organizacional. O
    principal fundamento da minha proposta de tese reside na constatação empírica de
    que: os frameworks prévios de importação de teorias são insuficientes para explicar essa
    prática de teorização, particularmente, por não oferecem uma abordagem de justificação
    epistêmica capaz de garantir e sustentar suas reivindicações de conhecimento.
    Essa constatação se deu mediante a construção da minha própria versão de revisão
    sistemático-configurativa de literatura, alicerçada nos princípios da hermenêutica
    filósofica da Hans-George Gadamer. Os procedimentos analíticos de interpretação
    do corpus de pesquisa foram pautados nas orientações e diretrizes da análise
    temática reflexiva. O arsenal epistêmico do framework de importação, que ofereço
    nesta tese, foi criado a partir da articulação do círculo das matrizes epistêmicas de
    Ana Paula Paes de Paula, aliada aos sistemas de produção de conhecimento
    Michael Hill e a teoria dos interesses cognitivos de Jürgen Habermas. Adotei a
    teoria coerentista de justificação epistêmica de Paul Thagard com a finalidade de
    estabelecer critérios de coerência que possibilitem explicar e justificar o modus
    operandi do framework de importação de radical traveling theories normativas na
    Teoria Organizacional.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01