Banca de DEFESA: LEONARDO BERNARDO DE MORAIS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LEONARDO BERNARDO DE MORAIS
DATA : 13/06/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Google Meet (webconferência)
TÍTULO:

GRANDEZAS E MEDIDAS NO ENSINO FUNDAMENTAL BRASILEIRO

 


PALAVRAS-CHAVES:

Grandeza. Teoria Antropológica do Didático. Modelo Epistemológico de Referência.


PÁGINAS: 180
RESUMO:

Esta pesquisa investigou a relação entre grandeza e medida na Matemática do ensino fundamental brasileiro e buscou compreender as razões que levaram à ênfase na medida em detrimento da grandeza. A fundamentação está ancorada no modelo didático-matemático para o conceito de área (DOUADY; PERRIN-GLORIAN, 1989), em elementos da Teoria dos Campos Conceituais (TCC) (VERGNAUD, 1990) e em construtos da Teoria Antropológica do Didático (TAD) (CHEVALLARD, 1991). O primeiro fundamentou o modelo de referência inicial para conceituar uma grandeza, enquanto o segundo explicitou um conjunto de situações e de procedimentos que permitem dar sentido não apenas a uma grandeza em particular, mas a um conjunto de grandezas. Também permitiu responder às questões de pesquisas: Existe ênfase na medida em detrimento da grandeza? Quais as consequências dessa ênfase? A Teoria Antropológica do Didático norteou a busca de respostas para a questão de pesquisa: por que se enfatiza na matemática do ensino fundamental brasileiro a medida em detrimento da grandeza? Com a Teoria dos Campos Conceituais e à luz do modelo didático-matemático, constatou-se tanto em estudos mais recentes como em outros realizados há mais de uma década, que estudantes de diferentes países e de diferentes etapas de escolarização, apresentam dificuldades em dissociar a grandeza de sua medida e, no caso de comprimento, área e volume, persiste a indissociação entre a grandeza e o objeto geométrico. Sob o arcabouço da TAD, constatou-se a prevalência da medida nos documentos curriculares nacionais (RCNEI, PCN, BNCC) e em uma coleção de livros didáticos. Embora a medida seja necessária, a ênfase exagerada compromete o estudo de outros elementos, que sob a perspectiva do modelo de referência, são necessários para compreender a dissociação entre grandeza e medida, como a comparação de grandezas de mesma espécie sem intervenção da medida. Entre as razões que explicam a ênfase na medida, a TAD permitiu evidenciar a influência das práticas sociais, fortemente presente nos currículos, e da matemática do saber sábio, que no decorrer de seu desenvolvimento abdicou da perspectiva de grandeza como um objeto do saber independente da medida.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - LUCIA DE FATIMA DURAO FERREIRA - UFPE
Externo à Instituição - LUIZ MARCIO SANTOS FARIAS - UFBA
Externo à Instituição - MARCELO CAMARA DOS SANTOS
Externa à Instituição - MARILENA BITTAR - UFMS
Presidente - 2345694 - PAULA MOREIRA BALTAR BELLEMAIN
Interna - 2377374 - ROSINALDA AURORA DE MELO TELES
Notícia cadastrada em: 25/05/2022 08:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01