Banca de QUALIFICAÇÃO: NATÁLIA DE CASTRO E SILVA MARTINS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NATÁLIA DE CASTRO E SILVA MARTINS
DATA : 23/02/2022
LOCAL: REMOTO GOOGLE MEET
TÍTULO:

EFEITO DA TERAPIA MIOFUNCIONAL OROFACIAL NA MORFOLOGIA E NA MOVIMENTAÇÃO DA LÍNGUA NA FASE ORAL DA DEGLUTIÇÃO EM PESSOAS COM APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO


PALAVRAS-CHAVES:

ULTRASSONOGRAFIA; DEGLUTIÇÃO; APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO


PÁGINAS: 122
RESUMO:

: O sono é fundamental para a manutenção da saúde física e emocional do ser humano. Alguns estudos apontam que grande parte da população apresenta queixas em relação ao sono e que a prevalência de distúrbios do sono é alta. Dentre os distúrbios do sono, a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), definida como um distúrbio respiratório do sono, é um dos mais estudados, sendo considerado, nos dias atuais, um problema de saúde pública por ser uma doença de alta prevalência e mortalidade. Pesquisas apontam que pacientes com SAOS apresentam uma disfunção subclínica da deglutição e que normalmente não é elucidada de forma espontânea, tendo como principais achados clínicos escapes orais prematuros e estase faríngea após a deglutição. A indicação da reabilitação fonoaudiológica para os pacientes com Apneia Obstrutiva do Sono tem crescido nos últimos anos. Estudos apontam que as pessoas com AOS submetidas a três meses de terapia fonoaudiológica apresentaram diminuição do índice de apneia e hipopneia, melhora da saturação mínima SpO2 e na pontuação da escala de sonolência e do ronco. Na área da Motricidade Orofacial, vários instrumentos estão sendo estudados e analisados para sua aplicabilidade na clínica fonoaudiológica, principalmente no que diz respeito ao comportamento da língua e seu desempenho nas funções de mastigação, deglutição e fala. A ultrassonografia de língua pode emergir como uma ferramenta para contribuir na triagem da Apneia Obstrutiva do Sono em um ambiente clínico. OBJETIVO: Analisar o efeito da terapia miofuncional orofacial (TMO) na morfologia e movimentação da língua na fase oral da deglutição em pessoas com Apneia Obstrutiva do Sono (AOS). MÉTODOS: Trata-se de um estudo prospectivo do tipo ensaio clínico randomizado. A população da pesquisa será composta por pessoas com diagnóstico de Apneia Obstrutiva do Sono. A primeira etapa da seleção acontecerá a partir do preenchimento de um questionário referente aos dados de identificação e saúde geral, avaliação miofuncional orofacial, aplicação do Protocolo Fonoaudiológico de Avaliação do Risco para Disfagia do Instrumento de Autoavaliação da Alimentação. Após a seleção haverá a aplicação do questionário de Pittsburgh, a coleta do peso e altura e as medições antropométricas de circunferência cervical, circunferência abdominal, além da classificação de Mallampati modificada. Posteriormente, os sujeitos serão submetidos à avaliação da deglutição por meio do exame de ultrassonografia. Após essa etapa, os participantes serão distribuídos por randomização em dois grupos (controle e experimental). Após 12 semanas de intervenção fonoaudiológica com o grupo experimental, ocorrerá uma nova avaliação completa. As variáveis analisadas serão: idade, diagnóstico de Apneia Obstrutiva do Sono, sexo, IMC, Classificação de Mallampati, Circunferência cervical, Circunferência abdominal, Gestos da língua durante a deglutição, espessura da língua, excursão da sombra do osso hioide: movimento de elevação e anteriorização que o osso hioide realiza durante a deglutição.

 


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 3380879 - DANIELE ANDRADE DA CUNHA
Externa à Instituição - LARISSA CRISTINA BERTI - UNESP
Notícia cadastrada em: 09/03/2022 08:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01