Banca de DEFESA: JOSE ODIMAR DE CALDAS BRANDAO FILHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOSE ODIMAR DE CALDAS BRANDAO FILHO
DATA : 31/05/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO DE MÉTODO ANALÍTICO PARA DETERMINAÇÃO DO TEOR DE ÁCIDO OXÁLICO EM Artocarpus altilis (Parkinson) Fosberg


PALAVRAS-CHAVES:

Matrizes vegetais, Artocarpus altilis (parkinson) fosberg, ácido oxálico, complicações renais

 


PÁGINAS: 100
RESUMO:

As espécies vegetais têm alto consumo mundial. As matrizes vegetais são complexas, contendo compostos bioativos com efeitos farmacológicos e/ou toxicológicos. O consumo de ácido oxálico ou oxalato, metabólito presente em altas concentrações em diferentes espécies vegetais, pode causar complicações renais a curto e longo prazo, principalmente se a concentração plasmática for ≥ 0,8-2,5 μmol.L-1 e a concentração urinária for ≥ 20- 30 mg.24h-1. Algumas pessoas predispostas a complicações renais, como aquelas com doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) como diabetes e hipertensão, apresentam uma predisposição a desenvolverem distúrbios renais em decorrência de sua condição fisiopatológica e ao mesmo tempo fazem uso de espécies de plantas medicinais como terapia adjuvante, como Artocarpus altilis (parkinson) fosberg Assim, o objetivo deste trabalho foi realizar o desenvolvimento  de um método analítico para determinação do teor de ácido oxálico em Artocarpus altilis (parkinson) fosberg. A separação cromatográfica dos analitos em fase reversa foi obtida em uma coluna C18 (250 x 4,6 mm; 5 μm; 80 Å) em modo isocrático e usando água acidificada com ácido fosfórico:metanol  (99:1) a 0,6 mL.min-1 em pH 2,0como fase móvel (25°C e detecção a 220 nm). O tempo de análise foi de 5 min. Para o preparo da amostra, lâminas foliares de Artocarpus altilis foram coletadas, secas em estufa, trituradas e acondicionadas até o momento de preparo do extrato. O extrato era preparado a cada dia de análise a partir de   1,0 g do triturado com 20 mL de HCl 2 mol.L -1, a 21 ° C, por 15 min (sob agitação), centrifugado e filtrado. O método apresentou intervalos linares de concentração de 5 a 45 µg.mL-1 para ácido oxálico. O método demonstrou boa precisão e exatidão intra e intercorrida com erros relativos inferior a 15%. Ainda, o método foi aplicado em amostras de lâmina foliar de Artocarpus altilis encontrando uma concentração de 1,06 mg.g-1 de ácido oxálico. Os resultados trouxeram dados inéditos a respeito do teor de ácido oxálico contido em Artocarpus altilis. Espera-se que esse método possa contribuir para o desenvolvimento de outros métodos com o mesmo propósito.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 1928643 - DANIELLE CRISTINE ALMEIDA SILVA DE SANTANA
Interno - 1666905 - JOSE LAMARTINE SOARES SOBRINHO
Presidente - 2283500 - KARINA PERRELLI RANDAU
Notícia cadastrada em: 13/05/2022 12:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02