Banca de DEFESA: GUTEMBERGUE ARAGAO DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GUTEMBERGUE ARAGAO DOS SANTOS
DATA : 13/05/2022
HORA: 13:30
LOCAL: GSUIT
TÍTULO:

Validade baseada na estrutura da Escala de comportamentos de autocuidado do paciente renal
em tratamento conservador


PALAVRAS-CHAVES:

Estudos de validação. Tratamento Conservador. Insuficiência renal crônica. Enfermagem.
Educação em saúde. Autocuidado.


PÁGINAS: 150
RESUMO:

Indivíduos acometidos por doença renal crônica necessitam de um tratamento direcionado de
acordo com a funcionalidade dos rins. Para os pacientes que não se encontram na categoria da falência
renal, deve ser realizado o tratamento conservador que se baseia em três pilares de conduta:
diagnóstico e classificação precoce da doença, encaminhamento imediato ao nefrologista e a
implementação de medidas para preservar a função renal. Nesse contexto, o enfermeiro deve atuar, por
meio da educação em saúde, na perspectiva de instrumentalizar pacientes e familiares sobre ações de
autocuidado para que retardem ou mesmo interrompam a progressão para os estágios mais avançados
da doença. Para tanto, utilizar um instrumento, como a Escala de Comportamentos de Autocuidado de
Paciente Renal (ECAP-Renal) em Tratamento Conservador, na consulta de enfermagem ao paciente
renal em tratamento conservador, pode subsidiar intervenções de enfermagem direcionadas as reais
demandas de cada indivíduo. Diante do contexto, o presente estudo tem como objetivo avaliar as
evidências de validade baseada na estrutura interna da escala de comportamentos de autocuidado do
paciente renal em tratamento conservador. Trata-se de um estudo metodológico com abordagem
quantitativa onde realizou-se a aplicação da ECAP-Renal à 310 participantes. Para a análise dos dados,
foi utilizada estatística descritiva e inferencial. A normalidade das médias das frequências foi avaliada
pelo teste de Kolmogorov-Smirnov. Para a adequação da amostra verificou-se através do teste de
Kaiser-Meyer-Olkin (KMO) e do teste de esfericidade de Bartlett. A análise fatorial exploratória foi
aplicada na verificação das variáveis do estudo, assim como a análise fatorial confirmatória para testar
estrutura interna e avaliação dos índices de ajustes. Para todas as conclusões, foram consideradas o
nível de significância de 5%. O estudo foi realizado em concordância com a resolução 466/12 do
Conselho Nacional de Saúde mediante aprovação sob número do parecer 3.576.916 e financiamento da
Fundação de Amparo a Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco. O estudo utilizou a escala de
comportamentos de autocuidado de paciente renal em tratamento conservador com 62 itens e três
domínios relacionados a consumo alimentar e de bebidas; sinais e sintomas de complicação e por
último, cuidados de saúde geral. Em sua versão final a escala apresentou 25 itens nos três domínios
com valores de ômega de McDonald de 0,527, 0,881 e 0,598, respectivamente. Observou-se a
presença de níveis insatisfatórios de confiabilidade nos domínios um e três. No entanto, o domínio dois
resultou em melhores condições de mensuração de autocuidado relacionado ao domínio sinais e
sintomas de complicação.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2781358 - CECILIA MARIA FARIAS DE QUEIROZ FRAZAO
Externo à Instituição - CLEMENTE NEVES DE SOUSA - UNIPORTO
Interna - 1657188 - JAQUELINE GALDINO ALBUQUERQUE PERRELLI
Interna - 2161517 - VANIA PINHEIRO RAMOS
Notícia cadastrada em: 19/04/2022 16:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02