Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPE

2022
Dissertações
1
  • JEFFERSON WILDES DA SILVA MOURA
  • CARTILHA EDUCACIONAL PARA PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR SAUDÁVEL DE CRIANÇAS MENORES DE 2 ANOS À LUZ DA TEORIA DE CALLISTA ROY

  • Orientador : ELIANE MARIA RIBEIRO DE VASCONCELOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EDNALDO CAVALCANTE DE ARAUJO
  • VANIA PINHEIRO RAMOS
  • WALDEMAR BRANDAO NETO
  • Data: 03/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • A alimentação e o estado nutricional interferem na saúde e qualidade de vida de crianças, mas se observam práticas alimentares impróprias para os primeiros anos de vida. Neste contexto, o enfermeiro é um importante aliado no desenvolvimento de ações de educação em saúde, utilizando como recurso, as tecnologias educacionais, que promovem a sensibilização do público-alvo e oportunizam a mudança de hábitos de vida. À vista disso, este estudo teve como objetivo descrever o processo de construção de uma cartilha educacional para promoção da alimentação complementar saudável de crianças menores de 2 anos à luz da Teoria do Modelo de Adaptação de Callista Roy. Trata-se de um estudo metodológico e qualitativo, desenvolvido em três etapas: 1) Levantamento da literatura; 2) Exploração da realidade; e 3) Construção da tecnologia educacional. Os dados da exploração da realidade por meio da técnica de coleta de dados de grupo focal, foram transcritos e a confiabilidade/validade do material ocorreu a partir da leitura dos relatos, por parte dos sujeitos. As transcrições foram analisadas em consonância com a Técnica de Análise de Conteúdo na modalidade Análise Categorial, gerando três categorias temáticas, a saber: 1) Adaptação e transição do aleitamento materno/artificial para a alimentação complementar; 2) Integração entre os estímulos e as respostas no contexto da alimentação complementar infantil; e 3) Respostas comportamentais e reflexões acerca das tecnologias educacionais. A cartilha educacional foi construída à luz da Teoria do Modelo de Adaptação de Callista Roy e seguiram-se as recomendações para a elaboração de material educativo impresso para pacientes que contemplou a linguagem, ilustrações, layout e design, além de ser considerada a sensibilidade cultural para que estivesse de acordo com o público-alvo. A cartilha é composta por nove sessões que integra desde os princípios para a alimentação complementar saudável até orientações comportamentais que podem ser adotadas durante as refeições, bem como modelos de cardápio para cada faixa etária e levando-se em consideração as particularidades dos aspectos nutricionais pregressos como o aleitamento materno e/ou artificial. Conclui-se que a cartilha é um recurso a ser utilizada durante as ações de educação em saúde e proporciona avanços tecnológicos e científicos significativos no que se discute a assistência e o cuidado à saúde com o auxílio destes recursos, além de fomentar discussões acerca dos benefícios da alimentação complementar junto ao público-alvo.


  • Mostrar Abstract
  • A alimentação e o estado nutricional interferem diretamente na saúde e qualidade de vida das
    crianças, mas observam-se práticas alimentares impróprias para os primeiros anos de vida. No
    cenário em tela, o enfermeiro é um importante aliado no desenvolvimento de ações de
    educação em saúde, podendo utilizar como recurso as tecnologias educacionais, que
    promovem a sensibilização do público-alvo e oportunizam a mudança de hábitos de vida. À
    vista disso, este estudo teve como objetivo descrever o processo de construção de uma cartilha
    educacional para promoção da alimentação complementar saudável em crianças menores de 2
    anos à luz do Modelo de Adaptação de Callista Roy. Trata-se de um estudo metodológico,
    ancorado na Teoria do Modelo de Adaptação de Roy, que foi desenvolvido em três etapas: i)
    levantamento da literatura; ii) exploração da realidade; e iii) construção da tecnologia
    educacional. Os dados resultantes da exploração da realidade por meio do grupo focal, após a
    transcrição e validação junto ao público-alvo foram analisados em consonância com a análise
    de conteúdo proposta por Bardin e gerou três categorias temáticas, a saber: i) Adaptação e
    transição do aleitamento materno/artificial para a alimentação complementar; ii) Integração
    entre os estímulos e as respostas no contexto da alimentação complementar infantil; e iii)
    Respostas comportamentais e reflexões acerca das tecnologias educacionais. A cartilha
    educacional foi construída à luz da teoria de Roy e com base no guia alimentar para crianças
    brasileiras menores de 2 anos. Seguiu as recomendações de Moreira, Nóbrega e Silva para a
    elaboração de material educativo impresso para pacientes que contemplou a linguagem,
    ilustrações, layout e design, além de ser considerada a sensibilidade cultural para que
    estivesse de acordo com o público-alvo. A cartilha é um recurso a ser utilizada durante as
    ações de educação em saúde e traz avanços tecnológico e científico significativos no que se
    discute a assistência e o cuidado à saúde com o auxílio deste recurso tecnológico, além de
    fomentar discussões acerca dos benefícios da alimentação complementar com o público-alvo.

2
  • DANILO MARTINS ROQUE PEREIRA
  • Representações Sociais da gestação entre homens trans

  • Orientador : EDNALDO CAVALCANTE DE ARAUJO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ESTELA MARIA LEITE MEIRELLES MONTEIRO
  • SHEYLA COSTA DE OLIVEIRA
  • JAQUELINE GOMES DE JESUS
  • Data: 23/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A gestação é concebida pela sociedade ocidental como uma possibilidade
    “improvável” para o “homem trans”, visto que se trata de pessoas constituídas pela ideia de
    “abjeção”, promovendo uma “esterilidade ou castração simbólica” compreendida como um
    processo de negação do direito a escolha de quando e como engravidar ou exercer a sua
    parentalidade. Objetivou-se com este estudo conhecer as representações sociais da gestação
    entre homens trans, por meio de estudo qualitativo, descritivo e exploratório, ancorado pela
    Teoria das Representações Sociais de Serge Moscovici e seguidores, com sete homens trans
    gestantes ou que vivenciaram a gestação, selecionados por conveniência e disponibilidade,
    definindo-se a amostragem pelo critério de saturação teórica, vinculados às instituições de
    referência para a população LGBT: Aliança Nacional LGBTI+, Ambulatório LGBT Patrícia
    Gomes (Recife – PE, Brasil) e Coordenação de Atenção Integral à Saúde LGBT do Estado de
    Pernambuco (SES/PE). A produção de dados empíricos ocorreu de setembro a outubro de
    2021, pela plataforma Google Meet, a partir de entrevistas on-line com roteiro
    semiestruturado, após a aprovação do projeto de pesquisa pelo Comitê de Ética e Pesquisa
    (CAAE: 47777421.0.0000.5208). A análise textual lexicográfica das entrevistas transcritas e
    validadas pelos participantes foi pelo método Reinert de classificação de segmentos de texto e
    instrumentalizada pelo software IRAMUTEQ versão 7.0. O corpus de análise foi composto
    por sete textos, submetidos à análise por obtenção da Classificação Hierárquica Descendente,
    com 92,75% de aproveitamento, gerando 4 classes e nomeadas à luz da Teoria das
    Representações Sociais. A Classe 1 foi denominada “Descoberta da gestação e suas
    implicações”, a Classe 2 “Relações familiares, solidão e falta de apoio”; a Classe 3 “Sentidos
    e experiências durante a assistência à saúde” e a classe 4 “Modificações corpóreas e
    estratégias de ocultação da gestação”. As representações sociais da gestação entre homens
    trans envolveram um amplo campo de significados, em que foram articulados seus esforços
    em “aceitar” a gravidez oportuna, o estabelecimento de relações familiares constituídas por
    uma afirmação social deste “corpo grávido masculino”, gestação como “experiência
    solitária”, medo do processo de parturição e influência das mudanças físicas e emocionais
    proporcionadas pela gravidez.


  • Mostrar Abstract
  • A gestação é concebida pela sociedade ocidental como uma possibilidade
    “improvável” para o “homem trans”, visto que se trata de pessoas constituídas pela ideia de
    “abjeção”, promovendo uma “esterilidade ou castração simbólica” compreendida como um
    processo de negação do direito a escolha de quando e como engravidar ou exercer a sua
    parentalidade. Objetivou-se com este estudo conhecer as representações sociais da gestação
    entre homens trans, por meio de estudo qualitativo, descritivo e exploratório, ancorado pela
    Teoria das Representações Sociais de Serge Moscovici e seguidores, com sete homens trans
    gestantes ou que vivenciaram a gestação, selecionados por conveniência e disponibilidade,
    definindo-se a amostragem pelo critério de saturação teórica, vinculados às instituições de
    referência para a população LGBT: Aliança Nacional LGBTI+, Ambulatório LGBT Patrícia
    Gomes (Recife – PE, Brasil) e Coordenação de Atenção Integral à Saúde LGBT do Estado de
    Pernambuco (SES/PE). A produção de dados empíricos ocorreu de setembro a outubro de
    2021, pela plataforma Google Meet, a partir de entrevistas on-line com roteiro
    semiestruturado, após a aprovação do projeto de pesquisa pelo Comitê de Ética e Pesquisa
    (CAAE: 47777421.0.0000.5208). A análise textual lexicográfica das entrevistas transcritas e
    validadas pelos participantes foi pelo método Reinert de classificação de segmentos de texto e
    instrumentalizada pelo software IRAMUTEQ versão 7.0. O corpus de análise foi composto
    por sete textos, submetidos à análise por obtenção da Classificação Hierárquica Descendente,
    com 92,75% de aproveitamento, gerando 4 classes e nomeadas à luz da Teoria das
    Representações Sociais. A Classe 1 foi denominada “Descoberta da gestação e suas
    implicações”, a Classe 2 “Relações familiares, solidão e falta de apoio”; a Classe 3 “Sentidos
    e experiências durante a assistência à saúde” e a classe 4 “Modificações corpóreas e
    estratégias de ocultação da gestação”. As representações sociais da gestação entre homens
    trans envolveram um amplo campo de significados, em que foram articulados seus esforços
    em “aceitar” a gravidez oportuna, o estabelecimento de relações familiares constituídas por
    uma afirmação social deste “corpo grávido masculino”, gestação como “experiência
    solitária”, medo do processo de parturição e influência das mudanças físicas e emocionais
    proporcionadas pela gravidez.

3
  • THAIS RODRIGUES JORDAO
  • ASSOCIAÇÃO ENTRE O PERFIL NUTRICIONAL E A SAÚDE MENTAL DE ENFERMEIROS

  • Orientador : IRACEMA DA SILVA FRAZAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SUZANA DE OLIVEIRA MANGUEIRA
  • LUCIANA GONCALVES DE ORANGE
  • FELICIALLE PEREIRA DA SILVA
  • Data: 25/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • A saúde mental é considerada o estado de bem estar físico, mental e social. Os Transtornos Mentais Comuns são caracterizados por sintomas, principalmente, depressivos e de ansiedade, alterando o estado de humor e sentimentos dos indivíduos, variando em gravidade e duração. Condições associadas ao estilo de vida e alimentação saudável, desempenham um papel importante na saúde mental. Este estudo objetivou analisar a associação entre o perfil nutricional e saúde mental de enfermeiros. Trata-se de um estudo transversal descritivo exploratório com abordagem quantitativa. Desenvolvido nas unidades de internação do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC/UFPE),      integrante do Sistema Único de Saúde – SUS, com uma amostra total de 118 enfermeiros. A coleta de dados acorreu entre maio a agosto de 2021. Foram utilizados três instrumentos autoaplicáveis: “Como está sua alimentação”? para avaliação do consumo e hábitos alimentares; “Self Reporting Questionnaire (SQR-20)” para avaliar a saúde mental, e o inquérito sociodemográfico e de estilo de vida. Além destes, os participantes foram avaliados fisicamente em relação ao IMC referido. Foram estimadas frequências absolutas e relativas das variáveis estudadas, seguida da análise bivariada com razão de chances. Também foi estimado um modelo de regressão logística multivariado, com teste de Hosmer e Lemeshow, para identificar quais variáveis influenciam na saúde mental. Para testar a relação entre variáveis explicativas, utilizou-se o teste qui-quadrado de Pearson para independência. Todos os cálculos foram realizados utilizando a linguagem de programação estatística R versão 4.1.0. A prevalência de boa saúde mental e boa qualidade alimentar foi de 78,8% e 41,1%, respectivamente. Apesar do IMC não mostrar valor significativo, a maior parte dos enfermeiros foi  classificada como eutrófica . O estudo evidenciou que (valor-p < 0,05): boa qualidade de alimentar eleva as chances de se ter uma boa saúde mental em relação a qualidade ruim (RC = 8,45; p < 0,01); sensação de cansaço se associou a menores chances de apresentar boa saúde mental em relação aqueles que não tem cansaço (RC = 0,12; p = 0,02); realizar atividades físicas aumentam as chances de ter saúde mental boa em relação a quem não realiza (RC = 3,87; p = 0,04); ser diarista se relacionou com menos chances de ter boa saúde mental em relação a quem não é (RC = 0,28; p = 0,04).  O modelo de regressão logística multivariado apontou para : melhor qualidade alimentar apresentou 13 vezes mais chances de ter uma boa saúde mental (RC = 13,33; p = 0,01); dificuldade para manter o sono relacionou-se a  83% menos chances de ter boa saúde mental em relação a quem não apresenta dificuldades (RC = 0,17; p = 0,01); e ser diarista tem 87% menos chances de apresentar boa saúde mental em relação a quem não é (RC = 0,13; p < 0,01) .


     


  • Mostrar Abstract
  • A saúde mental é considerada o estado de bem estar físico, mental e social. Os Transtornos Mentais Comuns são caracterizados por sintomas, principalmente, depressivos e de ansiedade, alterando o estado de humor e sentimentos dos indivíduos, variando em gravidade e duração. Condições associadas ao estilo de vida e alimentação saudável, desempenham um papel importante na saúde mental. Este estudo objetivou analisar a associação entre o perfil nutricional e saúde mental de enfermeiros. Trata-se de um estudo transversal descritivo exploratório com abordagem quantitativa. Desenvolvido nas unidades de internação do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC/UFPE),      integrante do Sistema Único de Saúde – SUS, com uma amostra total de 118 enfermeiros. A coleta de dados acorreu entre maio a agosto de 2021. Foram utilizados três instrumentos autoaplicáveis: “Como está sua alimentação”? para avaliação do consumo e hábitos alimentares; “Self Reporting Questionnaire (SQR-20)” para avaliar a saúde mental, e o inquérito sociodemográfico e de estilo de vida. Além destes, os participantes foram avaliados fisicamente em relação ao IMC referido. Foram estimadas frequências absolutas e relativas das variáveis estudadas, seguida da análise bivariada com razão de chances. Também foi estimado um modelo de regressão logística multivariado, com teste de Hosmer e Lemeshow, para identificar quais variáveis influenciam na saúde mental. Para testar a relação entre variáveis explicativas, utilizou-se o teste qui-quadrado de Pearson para independência. Todos os cálculos foram realizados utilizando a linguagem de programação estatística R versão 4.1.0. A prevalência de boa saúde mental e boa qualidade alimentar foi de 78,8% e 41,1%, respectivamente. Apesar do IMC não mostrar valor significativo, a maior parte dos enfermeiros foi  classificada como eutrófica . O estudo evidenciou que (valor-p < 0,05): boa qualidade de alimentar eleva as chances de se ter uma boa saúde mental em relação a qualidade ruim (RC = 8,45; p < 0,01); sensação de cansaço se associou a menores chances de apresentar boa saúde mental em relação aqueles que não tem cansaço (RC = 0,12; p = 0,02); realizar atividades físicas aumentam as chances de ter saúde mental boa em relação a quem não realiza (RC = 3,87; p = 0,04); ser diarista se relacionou com menos chances de ter boa saúde mental em relação a quem não é (RC = 0,28; p = 0,04).  O modelo de regressão logística multivariado apontou para : melhor qualidade alimentar apresentou 13 vezes mais chances de ter uma boa saúde mental (RC = 13,33; p = 0,01); dificuldade para manter o sono relacionou-se a  83% menos chances de ter boa saúde mental em relação a quem não apresenta dificuldades (RC = 0,17; p = 0,01); e ser diarista tem 87% menos chances de apresentar boa saúde mental em relação a quem não é (RC = 0,13; p < 0,01) .


     

4
  • VALERIA ALEXANDRE DO NASCIMENTO
  • Jogo de tabuleiro para prevenção e controle da sífilis em mulheres privadas de liberdade

  • Orientador : FRANCISCA MARCIA PEREIRA LINHARES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FRANCISCA MARCIA PEREIRA LINHARES
  • LUCIANA PEDROSA LEAL
  • VILMA COSTA DE MACEDO
  • Data: 28/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível prevalente no ambiente prisional feminino, devido
    todas as iniquidades sociais vivenciadas por esta população. O uso de jogos educativos lúdicos do tipo
    Jogo de Tabuleiro são estratégias de educação em saúde que poderão direcionar a prevenção e controle
    desta infecção, pois proporciona interação entre aquisição de conhecimento, desenvolvimento de
    habilidades cognitivas e favorece a troca de experiências Nesse sentido, o enfermeiro é um dos
    profissionais da saúde que devem conduzir o processo de educação em saúde. Assim, esta dissertação
    teve como objetivo avaliar o processo de desenvolvimento, validação e avaliação de um jogo de tabuleiro
    para prevenção e controle da sífilis em mulheres privadas de liberdade. Trata-se de um estudo
    metodológico, realizado em três etapas: 1) Desenvolvimento do jogo de tabuleiro; 2) Validação de
    conteúdo por juízes; 3) Avaliação de aparência pelo público-alvo. Para o desenvolvimento do jogo,

    utilizou-se um referencial metodológico específico, com etapas fundamentadas em: concepção, pré-
    produção e protótipo. Para o conteúdo abordado no jogo buscou-se levantamento bibliográfico, por meio

    de revisão integrativa e documentos nacionais e internacionais. A validação de conteúdo do jogo
    educacional, foi realizada com 22 juízes da área da saúde e 10 profissionais da área da educação e design
    gráfico. A avaliação de aparência foi realizada com 10 mulheres em privação de liberdade, na colônia
    penal feminina do Recife-PE. O estudo foi efetivado em concordância com a resolução 466/12 do
    Conselho Nacional de Saúde. Os dados foram analisados no Stata versão 16.0. A análise dos dados
    ocorreu por meio de cálculo de frequências absoluta, média, mediana, desvio-padrão, intervalo
    interquartílico, Índice de Validade de Conteúdo, Coeficiente de Validade de Conteúdo e Coeficiente de
    Correlação Intraclasse. Os juízes da área da saúde apresentaram concordância em 13 itens, o S-IVC
    global foi igual 0,94 e o CVC em todos os itens apresentaram valores maiores ou iguais a 0,85. Os juízes
    da área da educação e design gráfico apresentaram concordância satisfatória em todos os itens, com
    valores maiores ou iguais a 90%. Após os ajustes, foi enviada a segunda versão do jogo de tabuleiro para
    os 22 juízes da área da saúde, destes, sete responderam, reforçando a concordância dos juízes, que foi
    satisfatória em todos os itens, o S-IVC global igual a 1,0 e o CVC em todos os itens tiveram valores
    maiores ou iguais a 0,92. Já na avaliação de aparência com o público-alvo, todos os itens obtiveram uma
    concordância de 100%. O conteúdo do jogo de tabuleiro “Corrida Contra Sífilis” foi considerado válido
    por juízes e obteve avaliação de aparência adequada pelo público-alvo. Recomenda-se que outros estudos
    sejam desenvolvidos a fim de avaliar a efetividade do Jogo de Tabuleiro com recurso pedagógico para
    ações de educação em saúde na prevenção e controle da sífilis.


  • Mostrar Abstract
  • A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível prevalente no ambiente prisional feminino, devido
    todas as iniquidades sociais vivenciadas por esta população. O uso de jogos educativos lúdicos do tipo
    Jogo de Tabuleiro são estratégias de educação em saúde que poderão direcionar a prevenção e controle
    desta infecção, pois proporciona interação entre aquisição de conhecimento, desenvolvimento de
    habilidades cognitivas e favorece a troca de experiências Nesse sentido, o enfermeiro é um dos
    profissionais da saúde que devem conduzir o processo de educação em saúde. Assim, esta dissertação
    teve como objetivo avaliar o processo de desenvolvimento, validação e avaliação de um jogo de tabuleiro
    para prevenção e controle da sífilis em mulheres privadas de liberdade. Trata-se de um estudo
    metodológico, realizado em três etapas: 1) Desenvolvimento do jogo de tabuleiro; 2) Validação de
    conteúdo por juízes; 3) Avaliação de aparência pelo público-alvo. Para o desenvolvimento do jogo,

    utilizou-se um referencial metodológico específico, com etapas fundamentadas em: concepção, pré-
    produção e protótipo. Para o conteúdo abordado no jogo buscou-se levantamento bibliográfico, por meio

    de revisão integrativa e documentos nacionais e internacionais. A validação de conteúdo do jogo
    educacional, foi realizada com 22 juízes da área da saúde e 10 profissionais da área da educação e design
    gráfico. A avaliação de aparência foi realizada com 10 mulheres em privação de liberdade, na colônia
    penal feminina do Recife-PE. O estudo foi efetivado em concordância com a resolução 466/12 do
    Conselho Nacional de Saúde. Os dados foram analisados no Stata versão 16.0. A análise dos dados
    ocorreu por meio de cálculo de frequências absoluta, média, mediana, desvio-padrão, intervalo
    interquartílico, Índice de Validade de Conteúdo, Coeficiente de Validade de Conteúdo e Coeficiente de
    Correlação Intraclasse. Os juízes da área da saúde apresentaram concordância em 13 itens, o S-IVC
    global foi igual 0,94 e o CVC em todos os itens apresentaram valores maiores ou iguais a 0,85. Os juízes
    da área da educação e design gráfico apresentaram concordância satisfatória em todos os itens, com
    valores maiores ou iguais a 90%. Após os ajustes, foi enviada a segunda versão do jogo de tabuleiro para
    os 22 juízes da área da saúde, destes, sete responderam, reforçando a concordância dos juízes, que foi
    satisfatória em todos os itens, o S-IVC global igual a 1,0 e o CVC em todos os itens tiveram valores
    maiores ou iguais a 0,92. Já na avaliação de aparência com o público-alvo, todos os itens obtiveram uma
    concordância de 100%. O conteúdo do jogo de tabuleiro “Corrida Contra Sífilis” foi considerado válido
    por juízes e obteve avaliação de aparência adequada pelo público-alvo. Recomenda-se que outros estudos
    sejam desenvolvidos a fim de avaliar a efetividade do Jogo de Tabuleiro com recurso pedagógico para
    ações de educação em saúde na prevenção e controle da sífilis.

5
  • RUTE COSTA REGIS DE SOUSA
  • EDUCAÇÃO PERMANENTE COM PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA SOBRE A PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
  • Orientador : MARIA WANDERLEYA DE LAVOR CORIOLANO MARINUS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SHEILA COELHO RAMALHO VASCONCELOS MORAIS
  • ELIANE MARIA RIBEIRO DE VASCONCELOS
  • FABIA ALEXANDRA POTTES ALVES
  • GRAYCE ALENCAR ALBUQUERQUE
  • Data: 30/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • O desenvolvimento infantil está compreendido dentro do desenvolvimento humano, e
    pode ser definido como um processo de amadurecimento, de continuidade e mudanças,
    ao longo do tempo, no qual diferentes habilidades são desenvolvidas, seguindo uma
    sequência progressiva desde o começo da vida. Os profissionais de saúde da atenção
    primária possuem como responsabilidade, a vigilância do desenvolvimento infantil, com
    a incorporação de conhecimentos que apoiem as famílias e cuidadores nesse processo.
    O objetivo desse estudo foi analisar as contribuições de um processo de educação
    permanente com profissionais da atenção primaria frente aos conhecimentos e práticas
    sobre a promoção do desenvolvimento infantil à luz da Teoria Bioecológica do
    Desenvolvimento Humano de Bronfenbrenner. O estudo seguiu as etapas da pesquisa
    ação, com abordagem qualitativa. Os participantes foram profissionais de saúde da
    atenção básica, os quais trabalhavam com crianças de zero a seis anos, em três equipes
    de saúde da família, no bairro da Várzea, no município do Recife. A coleta de dados se
    deu por meio da técnica de grupo focal na modalidade de grupo operativo, e se deu ao
    longo de oito encontros, onde ocorreram os grupos focais. AAção Educativa, contemplou
    as etapas de ação-reflexão-ação, conforme diretrizes da Política Nacional de Educação
    Permanente em Saúde, e foi executada em conjunto com os participantes, por meio de
    atividades de ensino-aprendizagem e aplicação dos conhecimentos à realidade do
    trabalho com crianças e famílias. A avaliação ocorreu de forma processual ao longo da
    ação educativa, além de uma avaliação após um mês do término da ação educativa. A
    partir dos conhecimentos construídos ao longo dos grupos focais, foram construídas
    indutivamente e dedutivamente três categorias temáticas: 1) Práticas profissionais e
    conhecimentos prévios sobre o desenvolvimento infantil; 2) Reflexões sobre os novos
    conhecimentos e novas ressignificações para a prática profissional; 3) Planejamento e
    implementação de mudanças na prática. Ao analisar os dados à luz da Teoria de
    Bronfenbrenner, as pessoas presentes no desenvolvimento foram a avó, a mãe e o
    profissional de saúde. Os processos proximais estabelecidos entre as pessoas eram
    principalmente negativos. A violência, o uso de drogas, a pobreza, a falta de creches e
    educação, o desemprego, o machismo e falta de planejamento familiar formavam o
    contexto em que o desenvolvimento ocorria. O tempo foi o componente menos presente
    no discurso dos profissionais e aparece como um marcador das mudanças que se deseja
    que aconteça e das alterações na sociedade. A intervenção de educação permanente

    permitiu reflexões no processo de trabalho dos profissionais e reflexões na vida pessoal
    dos profissionais. Os profissionais de saúde também vivenciaram mudanças em suas
    práticas profissionais e foram capazes de planejar intervenções que promoviam o
    desenvolvimento. A motivação foi outra mudança que também foi identificada na fala dos
    participantes, que relataram estarem com mais otimistas quanto a mudanças na
    comunidade em que trabalhavam


  • Mostrar Abstract
  • Odesenvolvimentoinfantilestácompreendidodentrododesenvolvimentohumano,epode
    serdefinidocomoumprocessodeamadurecimento,decontinuidadeemudanças,aolongo
    dotempo,noqualdiferenteshabilidadessãodesenvolvidas,seguindoumasequência
    progressivadesdeocomeçodavida.Essashabilidadesincluemaspectossensoriais,motores,
    cognitivos,linguísticos,sócioemocionaiseaautorregulaçãodocomportamentoedas
    emoções.Osprofissionaisdesaúdedaatençãoprimáriapossuemcomoresponsabilidadea
    vigilânciadodesenvolvimentoinfantil,com aincorporaçãodeconhecimentosqueapoiemas
    famíliasnesseprocesso.Oobjetivodesseestudoéanalisarascontribuiçõesdeumprocesso
    deeducaçãopermanentecomprofissionais daatençãoprimarianosconhecimentosepráticas
    sobreapromoçãododesenvolvimentoinfantil.Trata-sedeumaaçãoeducativa,na
    modalidadepesquisa-ação,comabordagemqualitativa.Apropostaserávoltadapara
    profissionaisdesaúdedaatençãobásicaquetrabalhemcomcriançasdezeroaseisanos,em
    trêsEquipesdeSaúdedaFamília,nobairrodaVárzea,nomunicípiodoRecife.Acoletade
    dadosserádesenvolvidapormeiodeetapascíclicas,asquaisincluem:1)Planejamento;2)
    Ação;3)Elaboração;4)Reflexão.Asetapaspropostasserãorealizadaspormeiodo
    diagnósticoinicialdasatividadesjárealizadaspelosprofissionais.Emseguida,será
    desenvolvidooplanejamentodaaçãoeducativa,contextualizadoàsnecessidadeserealidade
    dosparticipantes.Arealizaçãodaaçãoeducativaserádesenvolvidaemconjuntocomos
    participantes,pormeiodeatividadesdeensino-aprendizagemeaplicaçãodosconhecimentos
    à realidadedo trabalho comcrianças efamílias. Aavaliação será processual ao longo daação
    educativa,alémdeumaavaliaçãoapósummêsetrêsmesesdotérminodaaçãoeducativa.
    Espera-sequeresultadospositivossejamencontradosnaformaçãoequalificaçãode
    profissionaisdaAtençãoPrimáriasobreodesenvolvimentoinfantildecriançasnaprimeira
    infância,equeessessaberesconstruídosaolongodoprocessoformativopossamser
    aplicadosnocotidianodetrabalho,contribuindoparaapromoçãodemaiorvínculoentreas
    famíliasecriançaseempoderamentodasfamíliasnapromoçãododesenvolvimentodeseus
    filhos.
6
  • CAROLINA LUIZA BEZERRA SILVA
  • ESTIMATIVA DE SOBREVIDA E TRAJETÓRIA GEOGRÁFICA NO ANTEPARTO DE PREMATUROS COM DESFECHO DE ÓBITO NEONATAL NO ESTADO DE PERNAMBUCO

  • Orientador : LUCIANA PEDROSA LEAL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LUCIANA PEDROSA LEAL
  • VANIA PINHEIRO RAMOS
  • AMANDA PRISCILA DE SANTANA CABRAL SILVA
  • ANA PAULA ESMERALDO LIMA
  • Data: 31/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • A prematuridade representa a segunda causa de mortalidade em crianças menores de cinco anos e a maior causa das mortes neonatais no Brasil e no mundo. Apesar dos avanços no atendimento aos prematuros e do aumento da sobrevida neonatal, as taxas de mortalidade ainda permanecem elevadas, devido, principalmente, às desigualdades relacionadas ao desenvolvimento socioeconômico e a dificuldade no acesso aos serviços de saúde. A pesquisa objetivou analisar a estimativa de sobrevida de recém-nascidos prematuros com desfecho de óbito neonatal e a trajetória geográfica percorrida no anteparto entre os municípios do Estado de Pernambuco. Trata-se de estudo epidemiológico, em duas etapas: coorte retrospectivo com análise de sobrevida e ecológico utilizando análise espacial do padrão de fluxos. A unidade de análise foram os 184 municípios pernambucanos. A população foi composta por 4.643 casos de óbito neonatal de recém-nascidos prematuro. Os dados foram obtidos do Sistema de Informação sobre Mortalidade e do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos referentes ao período de 2013 a 2019. A coleta de dados ocorreu em janeiro de 2021. Foram realizadas análises: univariada, por meio de estatística descritiva; bivariada, com o teste de Kruskal-Wallis e multivariada, adotando-se a modelagem estatística mediante modelo linear generalizado a partir da distribuição de probabilidade normal inversa ajustada para um alto volume de zero (ZAIG). Para analisar a trajetória geográfica percorrida no anteparto dos prematuros aos serviços de saúde, utilizou-se a análise espacial do padrão de fluxo entre a residência, o local de nascimento e o local do óbito pelo método K-means. Encontrou-se que a sobrevida dos recém-nascidos foi de 2 dias e 34% (n = 1578) viveram menos de 1 dia. Os óbitos prematuros foram em sua maioria do sexo masculino 55,16% (n = 2.561), com peso ao nascer extremamente baixo 52,19% (n = 2.423) e prematuros extremos 45,08% (n = 2093). Os seguintes fatores foram associados ao maior tempo de sobrevida: nascimento no período da madrugada, Apgar no 1o e 5o minuto ≥ 7, ausência de anomalia congênita, apresentação cefálica, idade materna ≥ 35 anos, maior tempo de estudo materno, maiores semanas de gestação, gravidez dupla ou tripla, parto cesáreo, maior número de consultas de pré-natal, trabalho de parto não induzido e residir na região metropolitana. Os neonatos cujas mães eram da cor parda, o tempo de sobrevida foi menor em relação às mães de raça/cor branca (p = 0,03). Em relação ao padrão de fluxo residência-óbitos, observou-se maior concentração de casos na distância até 62,6 km (60,9%, n = 2946) e 15,4% (n = 743) no segmento com distâncias entre 62,6km e 164,3km. Quanto ao deslocamento entre residência-local de nascimento, os casos com distância entre 0 e 61,3km foi de 74,7% (n = 2449) e 17,5% (n = 572) entre 61,3km até 163,5km. Observou-se que o deslocamento percorrido entre o local de nascimento-óbito em 95,9% dos casos (n = 3569) percorreram distância de 0 a 34,9km. O conhecimento das variáveis associadas ao desfecho do óbito em prematuros e sua trajetória desde a gestação até o nascimento e óbito favorece o planejamento de ações em saúde direcionadas a redução de agravos e a agilidade no atendimento a grupos de risco, auxiliando na redução da taxa de mortalidade neonatal.


  • Mostrar Abstract
  • A prematuridade representa a segunda causa de mortalidade em crianças menores de cinco anos e a maior causa das mortes neonatais no Brasil e no mundo. Apesar dos avanços no atendimento aos prematuros e do aumento da sobrevida neonatal, as taxas de mortalidade ainda permanecem elevadas, devido, principalmente, às desigualdades relacionadas ao desenvolvimento socioeconômico e a dificuldade no acesso aos serviços de saúde. A pesquisa objetivou analisar a estimativa de sobrevida de recém-nascidos prematuros com desfecho de óbito neonatal e a trajetória geográfica percorrida no anteparto entre os municípios do Estado de Pernambuco. Trata-se de estudo epidemiológico, em duas etapas: coorte retrospectivo com análise de sobrevida e ecológico utilizando análise espacial do padrão de fluxos. A unidade de análise foram os 184 municípios pernambucanos. A população foi composta por 4.643 casos de óbito neonatal de recém-nascidos prematuro. Os dados foram obtidos do Sistema de Informação sobre Mortalidade e do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos referentes ao período de 2013 a 2019. A coleta de dados ocorreu em janeiro de 2021. Foram realizadas análises: univariada, por meio de estatística descritiva; bivariada, com o teste de Kruskal-Wallis e multivariada, adotando-se a modelagem estatística mediante modelo linear generalizado a partir da distribuição de probabilidade normal inversa ajustada para um alto volume de zero (ZAIG). Para analisar a trajetória geográfica percorrida no anteparto dos prematuros aos serviços de saúde, utilizou-se a análise espacial do padrão de fluxo entre a residência, o local de nascimento e o local do óbito pelo método K-means. Encontrou-se que a sobrevida dos recém-nascidos foi de 2 dias e 34% (n = 1578) viveram menos de 1 dia. Os óbitos prematuros foram em sua maioria do sexo masculino 55,16% (n = 2.561), com peso ao nascer extremamente baixo 52,19% (n = 2.423) e prematuros extremos 45,08% (n = 2093). Os seguintes fatores foram associados ao maior tempo de sobrevida: nascimento no período da madrugada, Apgar no 1o e 5o minuto ≥ 7, ausência de anomalia congênita, apresentação cefálica, idade materna ≥ 35 anos, maior tempo de estudo materno, maiores semanas de gestação, gravidez dupla ou tripla, parto cesáreo, maior número de consultas de pré-natal, trabalho de parto não induzido e residir na região metropolitana. Os neonatos cujas mães eram da cor parda, o tempo de sobrevida foi menor em relação às mães de raça/cor branca (p = 0,03). Em relação ao padrão de fluxo residência-óbitos, observou-se maior concentração de casos na distância até 62,6 km (60,9%, n = 2946) e 15,4% (n = 743) no segmento com distâncias entre 62,6km e 164,3km. Quanto ao deslocamento entre residência-local de nascimento, os casos com distância entre 0 e 61,3km foi de 74,7% (n = 2449) e 17,5% (n = 572) entre 61,3km até 163,5km. Observou-se que o deslocamento percorrido entre o local de nascimento-óbito em 95,9% dos casos (n = 3569) percorreram distância de 0 a 34,9km. O conhecimento das variáveis associadas ao desfecho do óbito em prematuros e sua trajetória desde a gestação até o nascimento e óbito favorece o planejamento de ações em saúde direcionadas a redução de agravos e a agilidade no atendimento a grupos de risco, auxiliando na redução da taxa de mortalidade neonatal.

7
  • SILVIA CAMELO DE ALBUQUERQUE
  • FATORES ASSOCIADOS AO CONSUMO DE BENZODIAZEPÍNICOS POR ESTUDANTES DE UM INSTITUTO FEDERAL

  • Orientador : JAQUELINE GALDINO ALBUQUERQUE PERRELLI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FERNANDA JORGE GUIMARAES
  • JAQUELINE GALDINO ALBUQUERQUE PERRELLI
  • TATIANE GOMES GUEDES
  • VANIA PINHEIRO RAMOS
  • Data: 31/03/2022
    Ata de defesa assinada:

  • Mostrar Resumo
  • O consumo de benzodiazepínicos é um grave problema de saúde pública, sobretudo na população de estudantes, considerando seu potencial para dependência e os diversos prejuízos associados, principalmente quando o uso ocorre sem prescrição médica, o que desperta a necessidade de averiguar os fatores associados para o uso desses medicamentos por estudantes de um Instituto Federal. Este estudo teve o objetivo de analisar em que medida as variáveis sociodemográficas, acadêmicas, estilo de vida, situação de violência e estado de saúde mental são capazes de predizer o uso de benzodiazepínicos por estudantes de nível técnico e superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco. Trata-se de um estudo transversal, com abordagem quantitativa, realizado com 971 estudantes de um Instituto Federal, localizado em Recife – PE. Para a coleta de dados, foram utilizados o Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20), a Beck Scale for Suicide Ideantion (BSI), a Kessler Psychological Distress Scale (K10) e um formulário composto por variáveis sociodemográficas,
    acadêmicas, estilo de vida e situação de violência. A análise foi realizada por meio de software estatístico. A associação entre uso de benzodiazepínicos e as variáveis independentes foi avaliada pelo teste Qui-quadrado e por meio de Regressão Logística Binária. Foram verificadas as razões de chances com seus respectivos intervalos de confiança e o valor de p<0,05 para fins de significância estatística. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Pernambuco, por meio número do parecer 2.937.477. O uso de benzodiazepínicos foi referido por 20,7% dos estudantes, 4,6% informaram uso nos últimos 12 meses com prescrição médica e 6,9% utilizaram sem prescrição médica nesse mesmo período. As variáveis que melhor predisseram o uso de benzodiazepínicos, no último ano, independente de prescrição médica, foram: frequentar festa open bar, uso de analgésico opioide nos últimos 12 meses, quadro sugestivo de Transtorno Mental Comum e tentativa de suicídio, de modo que esses dois últimos fatores aumentaram em mais de três vezes a chance de o estudante ter utilizado ansiolíticos nos últimos 12 meses. Quanto ao modelo preditor do uso de benzodiazepínicos, no último ano, sem prescrição médica, as variáveis que mostraram melhor ajuste na regressão logística binária foram: ser mulher cisgênero, frequentar festa open bar, quadro sugestivo de Transtorno Mental Comum e uso de opioides nos últimos 12 meses sem prescrição médica. Conclui-se que o uso de ansiolíticos sem prescrição médica por estudantes pode vir acompanhado do consumo de outras substâncias, como o uso concomitante opioides. Mulheres cisgêneros, estudantes que frequentam festas open bar, possuem quadro sugestivo de TMC e tentaram suicídio apresentaram maior chance de uso de benzodiazepínico e, portanto, devem ser grupos prioritários nas intervenções de enfermagem, com base na educação em saúde, voltadas para a prevenção do uso indiscriminado desses medicamentos por estudantes de nível técnico e superior.


  • Mostrar Abstract
  • O consumo de ansiolíticos é um grave problema de saúde pública, pelo aumento da prevalência que tem sido registrado na população jovem e os diversos prejuízos associados, o que desperta a necessidade da compreensão dos seus aspectos, das ações de prevenção ao uso e de educação em saúde no ambiente acadêmico. Objetivo: Analisar o padrão de uso de ansiolíticos prescritos e sem prescrição e os fatores associados entre jovens estudantes matriculados em uma Instituição Federal de Ensino Superior (IFES) localizada em Recife-PE. Método: Trata-se de um estudo transversal, com abordagem quantitativa. A população será composta por estudantes, maiores de 18 anos, regularmente matriculados no curso superior, que serão convidados a participar da pesquisa, com assinatura prévia do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Será utilizado um instrumento para caracterização sociodemográfica, com informações acadêmicas, avaliação de saúde mental, consumo e conseqüências associadas ao uso de ansiolíticos.  A análise dos dados ocorrerá por meio da estatística descritiva, através de testes de associação (Qui-quadrado de Pearson ou teste de Fisher) e regressão logística. Resultados esperados: Fornecer evidências descritivas sobre o uso de ansiolíticos entre jovens estudantes e avaliar seus fatores associados; ampliar o conhecimento sobre o consumo desses psicofármacos e a intersecção desse evento com a saúde mental e problemas de saúde, social, legal ou financeiro para a compreensão dos aspectos relacionados a esse fenômeno.

8
  • NIELLYS DE FATIMA DA CONCEICAO GONCALVES COSTA
  • Adaptação transcultural e validação do conteúdo do “Kidney Transplant Understanding Tool(k-
    tut)” ao contexto brasileiro

  • Orientador : CECILIA MARIA FARIAS DE QUEIROZ FRAZAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CECILIA MARIA FARIAS DE QUEIROZ FRAZAO
  • CLEMENTE NEVES DE SOUSA
  • KATARINNE LIMA MORAES
  • LUCIANA PEDROSA LEAL
  • Data: 26/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • O Transplante Renal é a intervenção terapêutica ideal para os pacientes com Doença Renal Crônica
    Terminal elegíveis clinicamente. Existe uma relação positiva entre a adesão a essa modalidade de
    tratamento e o Letramento em Saúde adequado, no qual o conhecimento é um dos componentes. Logo, se
    faz necessário ter instrumentos, como o “Kidney Transplant Understanding Tool” que avaliem o
    conhecimento do paciente sobre a doença/tratamento para subsidiar a implementação de intervenções de
    educação em saúde pelo enfermeiro em busca de uma melhor adesão terapêutica. O estudo teve como
    objetivo desenvolver o processo de adaptação transcultural e validação de conteúdo do instrumento
    “Kidney Transplant Understanding Tool” para o contexto brasileiro. Tratou-se de um estudo
    metodológico com abordagem quantitativa, realizado entre os meses de outubro de 2021 a fevereiro de
    2022. Foi realizado percorrendo cinco etapas: i) Tradução do instrumento original para o português
    brasileiro por dois tradutores independentes, biculturais, nativos no idioma português e fluentes em
    inglês; ii) Comparação das versões por um tradutor independente ; iii) Retrotradução cega da versão
    preliminar traduzidas por outros dois tradutores independentes e biculturais, com o inglês como língua
    nativa, fluentes em português; iv) Comparação das versões retrotraduzidas por um comitê de composto
    por seis especialistas; e v) Teste piloto da versão pré-final: debriefing cognitivo, em que foi executada a
    validação do instrumento. Nesta última etapa, a versão pré-final do instrumento oriunda das fases
    anteriores foi submetida à validação por pacientes em terapia renal substitutiva e especialistas em
    Nefrologia. O estudo obteve aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa sob o parecer de número
    4.980.63. O processo de adaptação transcultural que foi conduzido resultou em instrumento considerado
    claro pela população-alvo após a aplicação do teste piloto. O conteúdo do instrumento foi considerado
    claro e teve o conteúdo validado, após avaliação pelos especialistas, e obteve para cada item o I-IVC ≥
    0,85 e para escala S-IVC/Ave obteve o índice de 0,99. O teste binomial foi satisfatório e obteve para todos
    os itens o p>0,5. Os valores obtidos pelo cálculo do IVC foram confirmados pelo Coeficiente de
    Concordância de Kappa e obteve-se o valor de 0,90. Dessa forma, a versão em português do “Kidney
    Transplant Understand Tool”, após o processo de tradução e adaptação transcultural, tem seu conteúdo
    válido para utilização na realidade do transplante renal no Brasil. Sugere-se que estudos de viabilidade e
    ensaios clínicos sejam realizados para comprovação da eficácia desse instrumento.


  • Mostrar Abstract
  • O presente estudo terá como objetivo desenvolver o processo de adaptação transcultural e
    validação do instrumento “Kidney Transplant Understanding Tool” ao contexto brasileiro.
    Essa ferramenta avalia o conhecimento, um dos componentes do Letramento em Saúde, do
    paciente com Doença Renal Crônica sobre o transplante renal. Tratar-se-á de um estudo
    metodológico de natureza quantitativa, o qual terá como referencial metodológico as
    diretrizes propostas por Sousa e Rajjanasrirat (2011), constituída por sete etapas, das quais, o
    estudo abordará cinco destas: i) Tradução do instrumento original para o idioma alvo
    (tradução direta ou unidirecional); ii) Comparação das duas versões traduzidas do
    instrumento: Síntese I; iii) Retrotradução cega da versão preliminar do instrumento traduzido;
    iv) Comparação das duas versões retrotraduzidas do instrumento: Síntese II; v) Teste piloto da
    versão pré-final do instrumento na língua alvo: debriefing cognitivo. Nesta última etapa, a
    população-alvo avaliará o instrumento quanto à sua clareza, através de uma escala
    dicotômica; assim como, um comitê de especialistas examinará a validade relacionada ao
    conteúdo usando o Índice de Validade de Conteúdo e o Coeficiente de Kappa. Para o
    desenvolvimento do estudo serão selecionados: a) tradutores com seleção mediada por uma
    empresa especializada em tradução e adaptação transcultural de instrumentos; b) 10
    profissionais especialistas captados através da estratégia “bola de neve”; e c) população-alvo
    compostas por 20 pacientes pré-transplante (na lista de espera para o transplante renal) e 20
    pós-transplante com idade maior ou igual 18 anos, selecionados por conveniência, com
    reposição, até atingir o número proposto. Os participantes serão excluídos, caso: especialistas
    estiverem de férias no período da coleta ou que não responderem ao instrumento de pesquisa
    em um prazo de 30 dias e pacientes que autodeclararem dificuldades de leitura e/ou visuais. O
    instrumento “Kidney Transplant Understanding Tool(K-TUT)” será disponibilizado via
    correio eletrônico em sua versão original, aos tradutores e; na versão pré-final, aos
    especialistas, para avaliação. O teste piloto da versão pré-final junto ao público-alvo ocorrerá
    individualmente; e a coleta destes dados será realizada pela pesquisadora, que atua como
    enfermeira assistencial, que está vacinada e que cumprirá todos os protocolos adotados pelo
    Ministério da Saúde e pela instituição para prevenção de infecções relacionadas ao
    Coronavirus (SARS-CoV-2). Salienta-se que o início da coleta de dados acontecerá após a
    aprovação do projeto no Comitê de ética. Espera-se, que o instrumento traduzido e adaptado

    para o uso no Brasil seja uma ferramenta que ao ser aplicada à realidade do transplante renal,
    propicie identificar as lacunas relacionadas ao entendimento do paciente sobre essa
    possibilidade de tratamento, evidenciando possíveis objetos de intervenções em educação em
    saúde, visando aumentar a sua adesão.

9
  • SUELAYNE SANTANA DE ARAUJO
  • Validação clínica do diagnóstico de enfermagem Conhecimento deficiente em pacientes com insuficiência
    cardíaca

  • Orientador : CECILIA MARIA FARIAS DE QUEIROZ FRAZAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA LUÍSA BRANDÃO DE CARVALHO LIRA
  • CAMILA TAKAO LOPES
  • CECILIA MARIA FARIAS DE QUEIROZ FRAZAO
  • MARIA ISABEL DA CONCEIÇÃO DIAS FERNANDES
  • Data: 29/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • A identificação acurada do diagnóstico de enfermagem Conhecimento deficiente por meio do
    reconhecimento da relevância, especificidade e consistência das respostas humanas permite a elaboração
    de intervenções baseadas na educação em saúde com metas que visem o autocuidado e aderência
    terapêutica. Para tanto, o estudo teve como objetivo analisar as evidências de validade clínica do
    diagnóstico de enfermagem Conhecimento deficiente em pacientes com insuficiência cardíaca. Tratou-se
    de um estudo de acurácia diagnóstica, transversal, baseado na abordagem de testes diagnósticos, ancorado
    sob o aporte do método de validade do construto clínico. A amostra do estudo foi composta por 140
    pacientes com insuficiência cardíaca crônica, acompanhados no ambulatório da Casa de Chagas, do
    Pronto Socorro Cardiológico Universitário da Universidade de Pernambuco. A coleta de dados ocorreu
    nos meses de novembro e dezembro de 2021, por meio de entrevista com auxílio de um formulário
    estruturado com itens sobre anamnese, parâmetros clínicos e definições conceituais/empíricas dos
    indicadores clínicos e fatores etiológicos do diagnóstico de enfermagem Conhecimento deficiente e
    consulta aos prontuários. Os dados coletados foram consolidados em uma planilha no Microsoft Office
    Excel e analisados por meio do programa Statistical Package for the Social Sciences versão 21. A análise
    incorporou medidas descritivas, de tendência central e dispersão. A distribuição de normalidade foi
    avaliada pelo teste de Kolmogorov-Smirnov com intervalo de confiança de 95%. Utilizou-se o modelo de
    duas classes latentes de efeitos randômicos para verificar a sensibilidade e a especificidade dos
    indicadores clínicos e determinar a prevalência do diagnóstico através do software R 3.5.1. No ajuste do
    modelo aplicou-se os parâmetros do teste de verossimilhança e da entropia. O cálculo de probabilidades
    posteriores analisou a associação dos indicadores clínicos com o diagnóstico e a Odds Ratio a associação
    dos fatores etiológicos com o diagnóstico. A pesquisa teve aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da
    Universidade Federal de Pernambuco, sob o no do parecer: 4.969.568 e no do CAAE:
    50976221.0.0000.5208. Os resultados evidenciaram a prevalência estimada de 38,57% do diagnóstico de
    enfermagem nos pacientes. Entre os indicadores clínicos, a Piora da qualidade de vida indicou maior
    prevalência. As Declarações imprecisas sobre a doença e/ou terapêutica, Déficit no desempenho do
    autocuidado e Comportamento inadequado, revelaram ser sensíveis e específicos, os que melhor
    predisseram a ocorrência do diagnóstico. O Desempenho impreciso no manejo das intercorrências e o
    Seguimento inadequado de instrução apresentaram alta sensibilidade e o Aumento das readmissões
    hospitalares manifestou alta especificidade. No tocante aos fatores etiológicos, Indivíduos
    economicamente desfavorecidos demonstrou maior frequência e o fator Idoso apresentou associação
    estatística significativa com aproximadamente duas vezes a chance de desenvolver o desfecho
    conhecimento deficiente. Conclui-se que a validação clínica contribuiu para o aprimoramento dos
    elementos constituintes do diagnóstico de enfermagem Conhecimento deficiente e sua fidedignidade na
    prática clínica, permitindo ao enfermeiro inferir a existência do diagnóstico nos pacientes com
    insuficiência cardíaca e a partir daí planejar com precisão as intervenções de enfermagem diante das reais
    necessidades dos indivíduos para o alcance dos resultados.


  • Mostrar Abstract
  • A presença do conhecimento deficiente acerca da doença e tratamento em indivíduos
    acometidos pela insuficiência cardíaca repercute para um déficit no autocuidado e uma má
    adesão terapêutica. Neste contexto, a identificação do diagnóstico de enfermagem
    Conhecimento deficiente, propicia ao enfermeiro a partir da prática baseada em evidências, o
    reconhecimento de respostas humanas, contribuindo na elaboração de estratégias baseadas na
    educação em saúde com foco, principalmente, no autocuidado e aderência terapêutica,
    estimulando o protagonismo do indivíduo no cenário da saúde. Para tanto, o estudo tem como
    objetivo validar clinicamente o diagnóstico de enfermagem Conhecimento deficiente em
    pacientes portadores de insuficiência cardíaca. Tratar-se-á de um estudo de acurácia
    diagnóstica, transversal, baseado na abordagem de testes diagnósticos, ancorado sob o aporte
    do método de validade do construto clínico. A população do estudo será composta por pacientes
    com insuficiência cardíaca crônica, acompanhados no Ambulatório da Casa de Chagas, do
    Pronto Socorro Cardiológico Universitário da Universidade de Pernambuco. A coleta de dados
    ocorrerá por meio da utilização de um formulário estruturado em anamnese, exame físico e
    consulta ao prontuário, elaborado a partir da equivalência dos indicadores clínicos e fatores
    etiológicos, embasados em definições conceituais e empíricas. Os dados coletados serão
    consolidados em uma planilha no Microsoft Office Excel e analisados através dos programas
    SPSS versão 21. Para verificar a especificidade e sensibilidade dos indicadores clínicos, será
    usado o modelo de duas classes latentes de efeitos randômicos, por meio do software R 3.5.1,
    bem como para determinar a prevalência do diagnóstico. Utilizará, também, o teste da razão de
    verossimilhança para averiguar a frequência da presença/ausência de uma característica
    definidora entre indivíduos com ou sem o diagnóstico e a curva Operador-Receptor em busca
    da relação entre os valores de sensibilidade e especificidade para indicar a acurácia dos
    indicadores clínicos. Espera-se que a validação clínica do diagnóstico de enfermagem
    Conhecimento deficiente ofereça subsídios aos enfermeiros para um planejamento de cuidados
    focado em estratégias educativas que proporcionem a aquisição do conhecimento sobre a
    doença. Ademais, acredita-se que o estudo possa contribuir para elevar o nível de evidência do
    referido diagnóstico na Taxionomia II da NANDA-I nas próximas edições.

10
  • ADELIA KARLA FALCAO SOARES
  • PROCESSO EDUCATIVO COM A EQUIPE DE ENFERMAGEM SOBRE COMUNICAÇÃO E LETRAMENTO EM SAÚDE NA EMERGÊNCIA PEDIÁTRICA.

  • Orientador : MARIA WANDERLEYA DE LAVOR CORIOLANO MARINUS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FERNANDA MACHADO SILVA RODRIGUES
  • ERIKA ACIOLI GOMES PIMENTA
  • FRANCISCA MARCIA PEREIRA LINHARES
  • MARIA WANDERLEYA DE LAVOR CORIOLANO MARINUS
  • Data: 03/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • A assistência destinada à criança em um contexto de emergência, exige da equipe de
    saúde uma atuação rápida e eficiente, para minimizar as situações de risco de morte. Nesse
    cenário, o profissional precisa desenvolver o cuidado técnico e emocional, estabelecer
    vínculos de confiança com a criança/família e aperfeiçoar o processo de comunicação e
    letramento em saúde com a criança e suas particularidades. Este estudo tem como objetivo
    analisar as contribuições de um processo educativo com a equipe de enfermagem sobre
    comunicação e letramento em saúde no contexto de uma emergência pediátrica. Trata-se
    de uma pesquisa participativa em saúde, com abordagem qualitativa, desenvolvida por meio
    de um processo educativo realizado em um hospital do município de Recife-PE, nos meses
    de agosto a novembro de 2021. A pesquisa ocorreu em quatro etapas: 1- Revisão
    integrativa; 2- Planejamento da ação educativa; 3-Exploração da realidade por meio de
    pequenos grupos operativos; 4- Avaliação da intervenção durante todo o processo
    formativo. Participaram 10 enfermeiros e 28 técnicos de enfermagem, selecionados de
    forma intencional. Para a coleta dos dados foi utilizada a técnica de grupos operativos a
    partir de sessões grupais desenvolvidas durante os encontros presenciais e no ambiente de
    trabalho ao longo do processo educativo. A análise dos dados seguiu as etapas propostas
    por Graham Gibbs (2009): codificação linha por linha, categorização dos temas e análise
    dos dados analíticos. Nesse processo foi usado o software atlas. ti (versão 8.0), para a
    codificação e recorte dos núcleos de sentido, os dados empíricos foram articulados com os
    conceitos da educação permanente, comunicação em saúde e o construto do letramento
    em saúde. Na codificação dos dados foram gerados 1014 códigos descritivos, destes 997
    códigos foram selecionados e agrupados em 12 grupos de códigos que deram origem às 4
    categorias temáticas: 1- Resgatando a criança interior dos profissionais de enfermagem; 2-
    Desenvolvendo a empatia com a crianças/família; 3- Comunicação e letramento em saúde;
    4- Novas ações a partir dos conhecimentos construídos. A ação educativa contribuiu para o
    ensino-aprendizagem dos participantes, aperfeiçoando os conhecimentos já adquiridos e

    potencializando a comunicação e o letramento em saúde entre a equipe de enfermagem e a
    criança/família no contexto de uma emergência pediátrica.


  • Mostrar Abstract
  • A assistência destinada a criança em um contexto de emergência, exige da equipe de saúde uma atuação rápida e eficiente, para minimizar as situações de risco de morte. Nesse cenário, o profissional precisa desenvolver o cuidado técnico e emocional, e estabelecer um vínculo de confiança com a criança. Dessa forma, destaca-se a necessidade de aperfeiçoar o processo de comunicação entre os profissionais enfermeiros e a criança/família, no contexto de internação. Então, torna-se peculiar promover um cuidado integral e participativo da criança, com base na promoção do Letramento em Saúde e das particularidades da criança. Diante disso, este trabalho tem como objetivo geral: analisar as contribuições de um processo educativo com a equipe de enfermagem sobre comunicação com a criança no contexto de uma emergência pediátrica, a partir do referencial teórico do Letramento em Saúde, e como objetivos específicos: realizar um processo educativo sobre comunicação entre a equipe de enfermagem e a criança em um contexto de emergência pediátrica; identificar as principais estratégias de comunicação utilizadas pelos profissionais; verificar as principais mudanças na comunicação entre equipe de enfermagem e criança após a realização do processo formativo. Trata-se de um estudo de caso, sob o olhar da pesquisa qualitativa, que será desenvolvido em seis etapas: 1- a questão de pesquisa; 2- design – estudo de caso único e holístico, onde o contexto será no Hospital da Restauração Governador Paulo Guerra-PE, a partir da realização de uma ação educativa com a equipe de enfermagem; 3-preparação: planejamento operacional das atividades realizadas durante o processo formativo; 4- coleta de dados: aplicação da técnica do grupo focal operativo, por meio do uso do roteiro de entrevistas das sessões, roteiro de observação antes e após a ação educativa pela pesquisadora e instrumentos de avaliação e autoavaliação; 5- análise dos dados: ocorrerá em 6 etapas propostas por Yin (2016): composição da base de dados, decomposição, recomposição, interpretação e conclusão. Nesse processo será usado o Software Atlas.ti(versão 8.0), para a codificação e recorte dos núcleos de sentido. Os dados empíricos serão articulados com o referencial do Letramento em Saúde; 6-compartilhamento: elaboração de relatórios analíticos preliminares e discussão dos resultados com o orientador e grupo de pesquisa.

11
  • KARLA HELLEN DIAS SOARES
  • EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM STRICTO SENSU NA MODALIDADE REMOTA: VIVÊNCIAS DE DOCENTES E DISCENTES



  • Orientador : ESTELA MARIA LEITE MEIRELLES MONTEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • HELENA RAFAELA VIEIRA DO ROSÁRIO
  • ELIANE MARIA RIBEIRO DE VASCONCELOS
  • ESTELA MARIA LEITE MEIRELLES MONTEIRO
  • SHEILA COELHO RAMALHO VASCONCELOS MORAIS
  • Data: 11/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • A COVID-19 alterou o contexto sócio-político-econômico-educacional de todo o
    mundo, o distanciamento social necessário a tentativa de frear as inúmeras mortes
    ocasionadas pelo SARS-CoV-2, exigiu das instituições de ensino a reflexão e
    renovação da prática pedagógica, requerendo de docentes e discentes a aquisição da
    fluência digital com vistas a dar continuidade ao processo educativo-formativo. A
    pesquisa tem por objetivo analisar as vivências de docentes e discentes na educação
    em Enfermagem stricto sensu na modalidade remota. Trata-se de um estudo descritivo
    interpretativo de abordagem qualitativa. A população do estudo foi composta pelos
    docentes e discentes de dois Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu em
    Enfermagem situados na região Nordeste do Brasil. A seleção dos participantes
    baseou-se na técnica de amostragem intencional. Para a definição do número de
    participantes que compuseram a amostra foi utilizado o critério de saturação teórica,
    totalizando 37 participantes, desses, 25 discentes e 12 docentes. A coleta de dados
    ocorreu mediante aplicação de um instrumento para a caracterização dos
    participantes, elaborado no Google Forms e enviado via e-mail, e entrevistas com uso
    de roteiro semiestruturado, realizada via Plataforma Google Meet. O material foi
    transcrito, validado e posteriormente submetido à técnica de Análise Temática de
    Braun e Clarke composta por seis fases: familiarização dos dados; geração de códigos
    iniciais; pesquisa de temas; revisão de temas; definição e nomenclatura de temas e
    produção do relatório. Os discursos foram categorizados manualmente. A análise dos
    dados deu origem a 9 temas, os quais revelaram que as vivências de docentes e
    discentes na educação em Enfermagem na modalidade remota foram permeadas por
    desafios e possibilidades nas etapas de planejamento, implementação, avaliação e
    orientação de dissertações e teses. A formação em stricto sensu mediada por
    tecnologias requereu o abandono de práticas e concepções tradicionais acerca do ato
    de ensinar e aprender, anunciando que ainda há vestígios de autoritarismo docente na
    academia; assim como há também a necessidade de educação permanente destes,
    sendo urgente a aplicação de práticas inovadoras no fazer pedagógico. Observou-se
    que o distanciamento físico produz impacto na interação docente-discente. A ausência
    de domínio das TIC, pelos docentes, ocasionou a reprodução de ações do ensino
    presencial no ambiente online, conferindo sobrecarga de atividades e avaliações ao
    discente. Dificuldades acerca das condições de estudo também emergiram nas falas
    discentes, evidenciando a necessidade de garantia de equidade para o alcance de
    uma formação de qualidade. Acerca das possibilidades, o ensino remoto proporcionou
    o aprendizado e a consequente adoção de diferentes estratégias educacionais
    aplicadas ao longo do processo ensino-aprendizagem; conferiu maior autonomia ao
    discente; proporcionou ultrapassar as barreiras geográficas, garantindo maior
    acessibilidade e facilidade no intercâmbio de conhecimentos entre pesquisadores de

    diferentes localidades; e o reconhecimento da orientação virtual como grande ponto
    positivo do ensino remoto. Infere-se que a modalidade remota na formação em stricto
    sensu em Enfermagem de qualidade, é viável e possível, embora necessite de
    adequações, e, para além disso, pode proporcionar a imersão de discentes, residentes
    em localidades distantes, nos programas de pós-graduação, tornando-os propulsores
    de ciência nos espaços geográficos nos quais estão inseridos.


  • Mostrar Abstract
  • O presente estudo tem o objetivo de compreender as possibilidades e os desafios vivenciados
    por docentes e discentes da pós-graduação em enfermagem
    stricto sensu, no processo de
    educação remota. Trata-se de um estudo descritivo interpretativo de abordagem qualitativa, a
    ser realizado em dois Programas de Pós-Graduação
    Stricto Sensu em Enfermagem situados na
    região Nordeste do Brasil. A população do estudo será composta pelos docentes e discentes
    dos Programas de Pós-Graduação
    Stricto Sensu em Enfermagem da Universidade Federal de
    Pernambuco, e da Universidade de Pernambuco em associação com a Universidade Estadual
    da Paraíba. A seleção dos participantes será realizada com base na técnica de amostragem
    intencional. Serão incluídos na amostra: Docentes, dos programas de pós-graduação
    stricto
    sensu
    em enfermagem, que ministram aulas na modalidade remota. Discentes, que
    ingressaram nos programas de pós-graduação
    stricto sensu em enfermagem até 2021 com
    participação em aulas na modalidade remota. Serão excluídos: Docentes e discentes que, por
    problemas pessoais, interromperam suas atividades de ensino e de aprendizagem na
    modalidade remota, não concluindo a vivência de ensino e aprendizagem em todas as suas
    fases. A coleta de dados será realizada utilizando a técnica de triangulação de dados, mediante
    aplicação de roteiro de observação dos momentos síncronos e entrevistas com uso de roteiro
    semiestruturado, a ser realizada via Plataforma
    Google Meet. Os dados de caracterização dos
    participantes serão apreendidos por instrumento enviado por e-mail elaborado no
    Google
    Forms
    . O roteiro de entrevista constará de questionamentos subjetivos referentes ao processo
    de planejamento, implementação e avaliação do processo ensino-aprendizagem na
    modalidade remota. O material será transcrito e enviado aos participantes para validação do
    conteúdo. Para a definição do número de participantes que irão compor a amostra será
    utilizado o critério de saturação teórica. Os dados serão submetidos à técnica de Análise
    Temática de Braun e Clarke composta por seis fases: familiarização dos dados; geração de
    códigos iniciais; pesquisa de temas; revisão de temas; definição e nomenclatura de temas e
    produção do relatório. Os discursos serão categorizados manualmente. Espera-se, que o
    estudo permita compreender as possibilidades e desafios vivenciados por docentes e discentes
    da pós-graduação
    stricto sensu em enfermagem, no processo de educação remota e possa
    contribuir para o desenvolvimento de estratégias, para minimizar tais desafios e
    instrumentalizar o desenvolvimento de propostas inovadoras, na construção do conhecimento
    crítico e reflexivo. O estudo possibilita desvelar o contexto de produção de conhecimentos e
    formação de mestres e doutores em enfermagem e assim, propor modos renovados e criativos

    de formar pesquisadores/docentes comprometidos com a qualidade do ensino, mediante a
    educação remota. Ademais, poderá explorar o uso das Tecnologias Digitais de Informação e
    Comunicação na formação
    stricto sensu e motivar o desenvolvimento na elaboração de arenas
    pedagógicas propícias à construção crítica e reflexiva de conhecimentos teóricos
    metodológicos, com contribuições para a práxis profissional.


12
  • GUTEMBERGUE ARAGAO DOS SANTOS
  • Validade baseada na estrutura da Escala de comportamentos de autocuidado do paciente renal
    em tratamento conservador

  • Orientador : CECILIA MARIA FARIAS DE QUEIROZ FRAZAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CECILIA MARIA FARIAS DE QUEIROZ FRAZAO
  • CLEMENTE NEVES DE SOUSA
  • JAQUELINE GALDINO ALBUQUERQUE PERRELLI
  • VANIA PINHEIRO RAMOS
  • Data: 13/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • Indivíduos acometidos por doença renal crônica necessitam de um tratamento direcionado de
    acordo com a funcionalidade dos rins. Para os pacientes que não se encontram na categoria da falência
    renal, deve ser realizado o tratamento conservador que se baseia em três pilares de conduta:
    diagnóstico e classificação precoce da doença, encaminhamento imediato ao nefrologista e a
    implementação de medidas para preservar a função renal. Nesse contexto, o enfermeiro deve atuar, por
    meio da educação em saúde, na perspectiva de instrumentalizar pacientes e familiares sobre ações de
    autocuidado para que retardem ou mesmo interrompam a progressão para os estágios mais avançados
    da doença. Para tanto, utilizar um instrumento, como a Escala de Comportamentos de Autocuidado de
    Paciente Renal (ECAP-Renal) em Tratamento Conservador, na consulta de enfermagem ao paciente
    renal em tratamento conservador, pode subsidiar intervenções de enfermagem direcionadas as reais
    demandas de cada indivíduo. Diante do contexto, o presente estudo tem como objetivo avaliar as
    evidências de validade baseada na estrutura interna da escala de comportamentos de autocuidado do
    paciente renal em tratamento conservador. Trata-se de um estudo metodológico com abordagem
    quantitativa onde realizou-se a aplicação da ECAP-Renal à 310 participantes. Para a análise dos dados,
    foi utilizada estatística descritiva e inferencial. A normalidade das médias das frequências foi avaliada
    pelo teste de Kolmogorov-Smirnov. Para a adequação da amostra verificou-se através do teste de
    Kaiser-Meyer-Olkin (KMO) e do teste de esfericidade de Bartlett. A análise fatorial exploratória foi
    aplicada na verificação das variáveis do estudo, assim como a análise fatorial confirmatória para testar
    estrutura interna e avaliação dos índices de ajustes. Para todas as conclusões, foram consideradas o
    nível de significância de 5%. O estudo foi realizado em concordância com a resolução 466/12 do
    Conselho Nacional de Saúde mediante aprovação sob número do parecer 3.576.916 e financiamento da
    Fundação de Amparo a Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco. O estudo utilizou a escala de
    comportamentos de autocuidado de paciente renal em tratamento conservador com 62 itens e três
    domínios relacionados a consumo alimentar e de bebidas; sinais e sintomas de complicação e por
    último, cuidados de saúde geral. Em sua versão final a escala apresentou 25 itens nos três domínios
    com valores de ômega de McDonald de 0,527, 0,881 e 0,598, respectivamente. Observou-se a
    presença de níveis insatisfatórios de confiabilidade nos domínios um e três. No entanto, o domínio dois
    resultou em melhores condições de mensuração de autocuidado relacionado ao domínio sinais e
    sintomas de complicação.


  • Mostrar Abstract
  • Indivíduos acometidos por doença renal crônica necessitam de um tratamento direcionado de
    acordo com a funcionalidade dos rins. Para os pacientes que não se encontram na categoria da falência
    renal, deve ser realizado o tratamento conservador que se baseia em três pilares de conduta:
    diagnóstico e classificação precoce da doença, encaminhamento imediato ao nefrologista e a
    implementação de medidas para preservar a função renal. Nesse contexto, o enfermeiro deve atuar, por
    meio da educação em saúde, na perspectiva de instrumentalizar pacientes e familiares sobre ações de
    autocuidado para que retardem ou mesmo interrompam a progressão para os estágios mais avançados
    da doença. Para tanto, utilizar um instrumento, como a Escala de Comportamentos de Autocuidado de
    Paciente Renal (ECAP-Renal) em Tratamento Conservador, na consulta de enfermagem ao paciente
    renal em tratamento conservador, pode subsidiar intervenções de enfermagem direcionadas as reais
    demandas de cada indivíduo. Diante do contexto, o presente estudo tem como objetivo avaliar as
    evidências de validade baseada na estrutura interna da escala de comportamentos de autocuidado do
    paciente renal em tratamento conservador. Trata-se de um estudo metodológico com abordagem
    quantitativa onde realizou-se a aplicação da ECAP-Renal à 310 participantes. Para a análise dos dados,
    foi utilizada estatística descritiva e inferencial. A normalidade das médias das frequências foi avaliada
    pelo teste de Kolmogorov-Smirnov. Para a adequação da amostra verificou-se através do teste de
    Kaiser-Meyer-Olkin (KMO) e do teste de esfericidade de Bartlett. A análise fatorial exploratória foi
    aplicada na verificação das variáveis do estudo, assim como a análise fatorial confirmatória para testar
    estrutura interna e avaliação dos índices de ajustes. Para todas as conclusões, foram consideradas o
    nível de significância de 5%. O estudo foi realizado em concordância com a resolução 466/12 do
    Conselho Nacional de Saúde mediante aprovação sob número do parecer 3.576.916 e financiamento da
    Fundação de Amparo a Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco. O estudo utilizou a escala de
    comportamentos de autocuidado de paciente renal em tratamento conservador com 62 itens e três
    domínios relacionados a consumo alimentar e de bebidas; sinais e sintomas de complicação e por
    último, cuidados de saúde geral. Em sua versão final a escala apresentou 25 itens nos três domínios
    com valores de ômega de McDonald de 0,527, 0,881 e 0,598, respectivamente. Observou-se a
    presença de níveis insatisfatórios de confiabilidade nos domínios um e três. No entanto, o domínio dois
    resultou em melhores condições de mensuração de autocuidado relacionado ao domínio sinais e
    sintomas de complicação.

13
  • KARLA PIRES MOURA BARBOSA
  • VALIDAÇÃO DO ÁLBUM SERIADO “PAPO RETO: SÍFILIS"; PARA GESTANTES ECOMPANHEIROS

  • Orientador : ELIANE MARIA RIBEIRO DE VASCONCELOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ELIANE MARIA RIBEIRO DE VASCONCELOS
  • ESTELA MARIA LEITE MEIRELLES MONTEIRO
  • SHEILA COELHO RAMALHO VASCONCELOS MORAIS
  • ZAILDE CARVALHO DOS SANTOS
  • Data: 30/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve como objetivo descrever o processo de validação do álbum seriado sobre sífilis para gestantes e companheiros. Trata-se de um estudo metodológico, realizado em duas etapas: a primeira consistiu na validação do conteúdo e aparência e na adequação do álbum de acordo com os juízes-especialistas; e a segunda foi a validação da semântica e aparência e a adequação do álbum seriado segundo as sugestões das gestantes e companheiros, resultando na versão final do álbum seriado. A amostra da primeira fase foi composta por 19 juízes-especialistas e da segunda fase por 9 gestantes e 2 companheiros. Na validação pelos
    juízes, os dados foram coletados eletronicamente, via Google Forms, através de um instrumento adaptado formado por questões destinadas a avaliar a aparência, o conteúdo, a relevância, a linguagem e sugestões/considerações para adequação dos itens. Com o público-alvo, a coleta dos dados se deu presencialmente no ambulatório de pré-natal do Hospital das Clínicas UFPE/EBSERH utilizando-se também um instrumento adaptado com questões destinadas a avaliar a aparência, relevância, linguagem e sugestões/considerações para adequação dos itens. Os dados foram analisados segundo o Índice de Validade de Conteúdo (IVC), cuja validação foi considerada a partir de 0,80 para a validação pelos juízes e 0,75 para o público-alvo, e tabulados no Microsoft Office Excel, expostos sob a forma de tabelas e quadros. Quanto a validação pelos juízes, dois dos 27 itens obtiveram um I-CVI menor que 0,80 e o álbum seriado alcançou um IVC global igual a 0,93. Já com o público-alvo, todos os itens alcançaram um I-CVI maior que 0,80 e o material educativo obteve um IVC global igual a 1,00. Mesmo atingindo itens e um IVC global maiores do que o valor mínimo estipulado, todos os itens foram revisados. Apenas as sugestões que não estavam em concordância com os objetivos do álbum seriado não foram atendidas. Mediante os resultados alcançados, o álbum seriado “Papo Reto: Sífilis” foi validado em conteúdo e aparência pelos juízes-especialistas e em semântica e aparência pelo público-alvo, sendo considerado um material confiável e relevante para ser utilizado pelos profissionais de saúde, principalmente o enfermeiro, nas ações de educação em saúde com gestantes e companheiros no propósito de disseminar o conhecimento acerca da sífilis, buscando promover o autocuidado e melhores parâmetros epidemiológicos dessa infecção.


  • Mostrar Abstract
  • Objetivo: Identificar evidências científicas disponíveis na literatura acerca de intervenções educativas sobre sífilis para as gestantes. Método: Trata-se de uma revisão integrativa, sendo realizada através da busca de artigos nas bases de dados MEDLINE/PUBMED, CINAHL, LILACS, BDENF, SCOPUS, Web of Science, IBECS, e nas seguintes bibliotecas: Biblioteca COCHRANE e SciELO. Resultados: Com a aplicação dos critérios de inclusão foram obtidos 355 estudos. Após leitura dos títulos, dos resumos, eliminação dos duplicados e leitura na íntegra, para identificar quais deles respondem à pergunta de pesquisa, a amostra foi composta por apenas quatro estudos. Das ações educativas tratadas nos estudos, duas eram dirigidas às gestantes e as outras duas às gestantes e seus parceiros. Em relação à estratégia de abordagem, duas tinham o diálogo como método para a educação em saúde, uma fazia uso de mensagens de texto e outra analisava os materiais educativos utilizados para transmitir informação. Conclusão: As ações educativas são importantes e contribuem para a prevenção e controle da sífilis em gestantes. Porém, há uma carência de trabalhos sobre tecnologias educativas sobre sífilis voltadas para gestantes, sendo de suma importância a realização de novos estudos.

14
  • MARIA ROSEANE DOS SANTOS PENHA
  • SIMBOLISMO DO CUIDADO PARA CRIANÇAS EM ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL

  • Orientador : LUCIANA PEDROSA LEAL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GABRIELA MARCELLINO DE MELO LANZONI
  • ANA PAULA ESMERALDO LIMA
  • ELIANE MARIA RIBEIRO DE VASCONCELOS
  • LUCIANA PEDROSA LEAL
  • Data: 28/07/2022

  • Mostrar Resumo
  • As crianças como seres sociais, constroem nas relações com a sociedade os seus significados para as coisas. Elas podem expressar os significados atribuídos por intermédio de histórias, brincadeiras e outras abordagens lúdicas. A interação social no ambiente institucional pode ressignificar a compreensão que a criança tem do mundo, inclusive do cuidado. A institucionalização pode ser compreendida como o afastamento do convívio com a família biológica, onde a criança é protegida pelo Estado por violações dos seus direitos. A ruptura e fragilidade nos vínculos familiares e sociais podem prejudicar os processos de cuidado e autocuidado da criança, trazendo prejuízos a sua boa saúde e desenvolvimento. O enfermeiro como membro da equipe multidisciplinar pode utilizar estratégias de educação em saúde e educação permanente que contribuam com o cuidado da criança no ambiente de acolhimento. Este estudo teve por objetivo desvelar o simbolismo do cuidado para crianças em acolhimento institucional. Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo, exploratório, realizado em instituições de acolhimento na cidade do Recife/PE, com 18 crianças entre sete e dez anos. A amostra foi delimitada pela saturação teórica dos dados. A coleta de dados ocorreu, nos meses de outubro de 2021 a março de 2022, seguindo os pressupostos da Teoria Fundamentada nos Dados, utilizando-se o procedimento desenho-história. Os dados foram analisados à luz do Interacionismo Simbólico. A pesquisa teve aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Pernambuco. A análise dos dados resultou em três categorias: reafirmando o cuidado como papel da família; tornando a alimentação um símbolo do cuidado; ampliando o olhar sobre as múltiplas esferas do cuidado e o fenômeno central foi adotando o autocuidado como uma expressão de cuidado. As crianças institucionalizadas expressam o autocuidado como um símbolo do cuidado. Partindo de suas interações com seus cuidadores as crianças interpretam as ações de cuidados recebidas e internalizam essas práticas construindo para si, rotinas de autocuidado e contribuindo com a cultura de cuidado com o corpo, representados pela provisão de necessidades físicas. Ademais, considera-se necessária a potencialização dessas práticas de autocuidado na promoção de ações educativas capazes de fortalecer as competências já desenvolvidas e acrescentar novos conhecimentos a criança como símbolo do seu autocuidado.


  • Mostrar Abstract
  • As crianças como seres sociais, constroem nas relações com a sociedade os seus significados para as coisas. Elas podem expressar os significados atribuídos por intermédio de histórias, brincadeiras e outras abordagens lúdicas. A interação social no ambiente institucional pode ressignificar a compreensão que a criança tem do mundo, inclusive do cuidado. A institucionalização pode ser compreendida como o afastamento do convívio com a família biológica, onde a criança é protegida pelo Estado por violações dos seus direitos. A ruptura e fragilidade nos vínculos familiares e sociais podem prejudicar os processos de cuidado e autocuidado da criança, trazendo prejuízos a sua boa saúde e desenvolvimento. O enfermeiro como membro da equipe multidisciplinar pode utilizar estratégias de educação em saúde e educação permanente que contribuam com o cuidado da criança no ambiente de acolhimento. Este estudo teve por objetivo desvelar o simbolismo do cuidado para crianças em acolhimento institucional. Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo, exploratório, realizado em instituições de acolhimento na cidade do Recife/PE, com 18 crianças entre sete e dez anos. A amostra foi delimitada pela saturação teórica dos dados. A coleta de dados ocorreu, nos meses de outubro de 2021 a março de 2022, seguindo os pressupostos da Teoria Fundamentada nos Dados, utilizando-se o procedimento desenho-história. Os dados foram analisados à luz do Interacionismo Simbólico. A pesquisa teve aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Pernambuco. A análise dos dados resultou em três categorias: reafirmando o cuidado como papel da família; tornando a alimentação um símbolo do cuidado; ampliando o olhar sobre as múltiplas esferas do cuidado e o fenômeno central foi adotando o autocuidado como uma expressão de cuidado. As crianças institucionalizadas expressam o autocuidado como um símbolo do cuidado. Partindo de suas interações com seus cuidadores as crianças interpretam as ações de cuidados recebidas e internalizam essas práticas construindo para si, rotinas de autocuidado e contribuindo com a cultura de cuidado com o corpo, representados pela provisão de necessidades físicas. Ademais, considera-se necessária a potencialização dessas práticas de autocuidado na promoção de ações educativas capazes de fortalecer as competências já desenvolvidas e acrescentar novos conhecimentos a criança como símbolo do seu autocuidado.

Teses
1
  • LAURA CRISTHIANE MENDONÇA REZENDE CHAVES
  • PREVENÇÃO DO USO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS ENTRE ADOLESCENTES:
    CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM SOFTWARE PARA TECNOLOGIA MÓVEL

  • Orientador : IRACEMA DA SILVA FRAZAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA WANDERLEYA DE LAVOR CORIOLANO MARINUS
  • POLLYANNA FAUSTA PIMENTEL DE MEDEIROS
  • SELENE CORDEIRO VASCONCELOS
  • TATIANE GOMES GUEDES
  • ZILA VAN DER MEER SANCHEZ DUTENHEFNER
  • Data: 18/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo descrever o processo de construção e validação de um software
    educacional para dispositivos móveis, sobre a prevenção do uso de álcool e outras drogas entre
    adolescentes. Trata-se de um estudo metodológico, de produção tecnológica. O software foi validado
    quanto ao seu conteúdo por 22 juízes-especialistas e quanto a aparência por 13 adolescentes
    representantes do público-alvo. Os dados foram analisados com o auxílio do software R 4.0.2 e do
    Statistical Package for Social Sciences (SPSS) versão 20.0. O nível de significância considerado foi de
    5% de probabilidade. Na validação de conteúdo, o coeficiente de Kappa Fleiss encontrado foi de 0,312, um valor considerado razoável e, portanto, aceitável, enquanto a média geral de I-IVC foi de 0,87, valor acima do recomendado pela literatura para que se considere um instrumento como válido. O coeficiente Alfa de Cronbach encontrado sobre as respostas dos juízes ao questionário, foi de 0,93, valor classificado como muito confiável. Na validação de aparência foi encontrado um alto nível de concordância entre os participantes, uma vez que o índice foi de 96,6%. Os resultados do estudo permitiram confirmar a hipótese de que o software para tecnologia móvel intitulado “EPP: Educação Para Prevenção”, sobre o uso de álcool e outras drogas entre adolescentes, foi considerado válido e confiável, podendo ser, portanto, uma ferramenta apropriada para utilização pelos profissionais da educação e da saúde, sobretudo pelo enfermeiro, nas ações de educação em saúde sobre a temática junto aos adolescentes.


  • Mostrar Abstract
  • O presente estudo tem como objetivo descrever o processo de construção e validação de um software
    educacional para dispositivos móveis, sobre a prevenção do uso de álcool e outras drogas entre
    adolescentes. Trata-se de um estudo metodológico, de produção tecnológica. O software foi validado
    quanto ao seu conteúdo por 22 juízes-especialistas e quanto a aparência por 13 adolescentes
    representantes do público-alvo. Os dados foram analisados com o auxílio do software R 4.0.2 e do
    Statistical Package for Social Sciences (SPSS) versão 20.0. O nível de significância considerado foi de
    5% de probabilidade. Na validação de conteúdo, o coeficiente de Kappa Fleiss encontrado foi de 0,312, um valor considerado razoável e, portanto, aceitável, enquanto a média geral de I-IVC foi de 0,87, valor acima do recomendado pela literatura para que se considere um instrumento como válido. O coeficiente Alfa de Cronbach encontrado sobre as respostas dos juízes ao questionário, foi de 0,93, valor classificado como muito confiável. Na validação de aparência foi encontrado um alto nível de concordância entre os participantes, uma vez que o índice foi de 96,6%. Os resultados do estudo permitiram confirmar a hipótese de que o software para tecnologia móvel intitulado “EPP: Educação Para Prevenção”, sobre o uso de álcool e outras drogas entre adolescentes, foi considerado válido e confiável, podendo ser, portanto, uma ferramenta apropriada para utilização pelos profissionais da educação e da saúde, sobretudo pelo enfermeiro, nas ações de educação em saúde sobre a temática junto aos adolescentes.

2
  • NATALIA RAMOS COSTA PESSOA
  • VÍDEO EDUCACIONAL PARA A PROMOÇÃO DO AUTOCUIDADO COM A FÍSTULA ARTERIOVENOSA: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO

  • Orientador : VANIA PINHEIRO RAMOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLEMENTE NEVES DE SOUSA
  • LUCIANA PEDROSA LEAL
  • MARCOS VENICIOS DE OLIVEIRA LOPES
  • SHEILA COELHO RAMALHO VASCONCELOS MORAIS
  • TATIANE GOMES GUEDES
  • VANIA PINHEIRO RAMOS
  • Data: 22/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A Fístula Arteriovenosa é o acesso mais adequado para o tratamento em hemodiálise por permitir uma abordagem segura e contínua do sistema vascular, além de possuir maior durabilidade. Contudo, algumas complicações são frequentes durante a sua construção e uso, sendo importante a implementação de ações de autocuidado pelos pacientes renais crônicos. Na tentativa de favorecer a prática dessas ações, o enfermeiro deve organizar treinamentos regulares direcionados aos pacientes com o uso de tecnologias educacionais a exemplo dos meios audiovisuais, as quais são intervenções simples, de baixo custo e fácil implementação e estão associadas a melhoras do nível de conhecimento. A utilização de um vídeo educacional como estratégia educativa pode promover o autocuidado de pacientes renais com a fístula.  Diante do exposto, o objetivo deste estudo é avaliar o efeito de um vídeo educacional no conhecimento, atitude e prática de autocuidado nos pacientes submetidos à hemodiálise por fístula arteriovenosa. Trata-se de um estudo desenvolvido em duas etapas: 1) Construção e validação de um inquérito para medir o conhecimento, atitude e prática do paciente renal acerca do autocuidado com a fístula arteriovenosa e 2) Avaliação do efeito de um vídeo educacional na promoção desse autocuidado. A construção do inquérito seguiu as etapas dos polos teóricos, empíricos e analíticos descritos por Pasquali (2010). A construção do instrumento foi pautada nos resultados de uma revisão bibliográfica, busca por livros textos e de uma revisão integrativa da literatura e foi validado o conteúdo e semântica por enfermeiros especialistas em nefrologia e representantes do público alvo (pacientes renais), respectivamente. A validação de construto ocorreu no polo analítico com a aplicação do instrumento a 220 pacientes renais em hemodiálise. A validade do instrumento foi verificada pela aplicação da análise fatorial exploratória e confirmatória das três dimensões (conhecimento, atitude e prática) e a confiabilidade, pelo cáculo do ômega de McDonald. Já a avaliação do efeito de um vídeo educacional, foi realizada através de um ensaio clínico randomizado. Participaram desta fase 55 pacientes renais em hemodiálise, dispostos nos grupos controle (27pacientes) e intervenção (28 pacientes). Os critérios de inclusão foram: idade superior a 18 anos e possuir fístula para tratamento de hemodiálise por pelo menos seis meses. Foram excluídos os pacientes que apresentaram desordem mental ou cognitiva que impossibilitasse a aplicação do instrumento de coleta de dados, escore de conhecimento superior a 76 no pré-teste ou diagnóstico de hipoacusia total.  A coleta de dados ocorreu em três etapas: 1) contato inicial; 2) aplicação da intervenção; 3) avaliação dos desfechos. Para a análise dos dados, foi utilizada estatística descritiva e inferencial. A normalidade das médias das frequências foi avaliada pelo teste de Kolmogorov-Smirnov. Para verificação da homogeneidade na linha de base e verificação da diferença so conhecimento, atitude e prática de autocuidado com a fístula entre os grupos no sétimo e décimo quarto dia, foi utilizado o teste t de Student quando as variáveis eram normais, o teste de Mann-Whitney quando não houve normalidade. Os testes T de Student pareaso e de Wilcoxon foram utilizados para verificação da diferença entre os escores de conhecimento, atitude e prática de autocuidado com a fístula na linha de base, sétimo e décimo quarto dia em cada grupo. Para todas as conclusões, foram consideradas o nível de significância de 5%. O estudo foi realizado em concordância com a resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde e a coleta de dados somente será iniciada após aprovação do projeto de pesquisa pelo CEP e mediante a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido pelos participantes do estudo. A pesquisa teve o financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, por meio da Chamada MCTIC/CNPq No 28/2018 - Universal/Faixa A - Até R$ 30.000,00. A versão final da escala apresentou 19 itens relacionados ao conhecimento, 4 da prática e 8 relativos à prática de autocuidado com a fístula. O ômega de McDonald foi de 0,896, 0,843 e 0,702, respectivamente. Em relação ao ensaio clínico randomizado, não houve diferença estatísticas entre o conhecimento, atitude e prática de autocuidado com a fístula dos participantes do grupo controle e intervenção na linha de base. Evidenciou-se diferença estatística entre a prática dos grupos avaliada no sétimo dia e entre o conhecimento e atitude medido na linha de base, sétimo e décimo quarto dia do grupo intervenção. Logo, o vídeo educacional contribuiu para o aumento do conhecimento, atitude e prática do autocuidado de pacientes renais com a fístula arteriovenosa.


  • Mostrar Abstract
  • A Fístula Arteriovenosa é o acesso mais adequado para o tratamento em hemodiálise por permitir uma abordagem segura e contínua do sistema vascular, além de possuir maior durabilidade. Contudo, algumas complicações são frequentes durante a sua construção e uso,
    sendo importante a implementação de ações de autocuidado pelos pacientes renais crônicos. Na tentativa de favorecer a prática dessas ações, o enfermeiro deve organizar treinamentos regulares direcionados aos pacientes. O uso da tecnologia educacional deve ser considerado na
    prática clínica. Os meios audiovisuais são intervenções simples, de baixo custo e de fácil implementação e estão associadas a melhoras do nível de conhecimento. A utilização de um vídeo educacional como estratégia educativa pode promover o autocuidado de pacientes renais
    com a fístula. Diante do exposto, o objetivo deste estudo avaliar o efeito de um vídeo educacional no desenvolvimento de comportamentos de autocuidado nos pacientes submetidos à hemodiálise por fístula arteriovenosa. Trata-se de um ensaio clínico randomizado, que
    ocorrerá nas clínicas de hemodiálise do Recife. A amostra será composta por pacientes renais em hemodiálise, dispostos em dois grupos (Controle e Intervenção) com 52 pacientes em cada um deles. Os critérios de inclusão serão: idade superior a 18 anos, possuir fístula para tratamento
    de hemodiálise por pelo menos seis meses. Serão excluídos os pacientes que possuam desordem mental ou cognitiva que impossibilite a aplicação do instrumento de coleta de dados e que apresentarem diagnóstico de hipoacusia total. A coleta de dados ocorrerá em três etapas: 1)
    contato inicial; 2) aplicação da intervenção; 3) avaliação dos desfechos. Para a análise dos dados, será utilizada estatística descritiva e inferencial. A normalidade das médias das frequências será avaliada pelo teste de Kolmogorov-Smirnov. Será utilizado o teste t de Student
    e da ANOVA para variáveis normais, o teste de Mann-Whitney e da Kruskal-Wallis quando não houver normalidade e o Odds Ratio e seu intervalo de confiança para avaliação da magnitude do efeito do vídeo. Para todas as conclusões, serão consideradas o nível de significância de 5%. O estudo será realizado em concordância com a resolução 466/12 do
    Conselho Nacional de Saúde e a coleta de dados somente será iniciada após aprovação do projeto de pesquisa pelo CEP e mediante a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido pelos participantes do estudo. Espera-se, com esse estudo, que o vídeo educacional
    avaliado seja capaz de aumentar a frequência de comportamentos de autocuidado direcionados à fístula arteriovenosa entre os pacientes renais em hemodiálise.

3
  • IRIS NAYARA DA CONCEICAO SOUZA INTERAMINENSE
  • EFEITO DE VÍDEO EDUCACIONAL NO CONHECIMENTO, ATITUDE E PRÁTICA SOBRE A VACINAÇÃO CONTRA O PAPILOMAVÍRUS HUMANO: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO

  • Orientador : LUCIANA PEDROSA LEAL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA PAULA ESMERALDO LIMA
  • ANA PAULA SILVA ROCHA CANTANTE
  • ELIANE MARIA RIBEIRO DE VASCONCELOS
  • LUCIANA PEDROSA LEAL
  • MARIA AUXILIADORA SOARES PADILHA
  • TATIANE GOMES GUEDES
  • Data: 24/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Ações educativas desenvolvidas pelo enfermeiro podem contribuir no enfrentamento do papilomavírus humano. Assim, o objetivo desta tese foi avaliar o efeito de um vídeo educacional na vacinação contra o papilomavírus humano por meio do conhecimento, da atitude e da prática de escolares, adolescentes e pais. Ensaio clínico controlado randomizado, desenvolvido em escolas municipais e estaduais do Distrito Sanitário IV de Recife-PE, de agosto de 2020 a novembro de 2021. Foram acompanhados 92 pais e 110 escolares e adolescentes, distribuídos em grupo controle e grupo de intervenção. Construíram-se, para a coleta de dados, um inquérito conhecimento, atitude e prática e um inquérito conhecimento e atitude, pré-teste e pós-teste, com base em conceitos sobre a temática; no vídeo educacional; em revisão integrativa fundamentada em 44 estudos; além de documentos nacionais e internacionais. Os instrumentos foram validados para conteúdo, com 22 juízes, e avaliados quanto à semântica, com dez pais e 20 escolares e adolescentes, sendo calculados o teste binomial e o Content Validity Index. Foram operacionalizados: aplicação do pré-teste nos dois grupos; intervenção com o vídeo educacional para o grupo de intervenção; aplicação do pós-teste, nos grupos, com sete e 30 dias após a intervenção. A análise do conhecimento, da atitude e da prática considerou as medianas dos escores do pré-teste e do pós-teste. Na comparação entre os grupos, utilizou-se o teste de Mann-Whitney e, dentro do mesmo grupo, o teste de Wilcoxon. A revisão integrativa evidenciou que crianças, adolescentes, pais e professores do ensino fundamental possuem conhecimento sobre a vacina contra o HPV, acreditam que a vacinação é importante e tem atitudes positivas, sendo a prática vacinal efetuada sob várias influências. Na validação de conteúdo, alguns itens das três seções foram insatisfatórios (recomendado índice >0,85) nos instrumentos, apesar de obterem índices globais >0,94. Na avaliação semântica, o inquérito dos pais foi bem avaliado; enquanto, para os menores, quatro itens mostraram valores abaixo do esperado. Ambos tiveram índices globais adequados. No conhecimento dos genitores, houve diferença estatística significante entre os grupos, sete dias e 30 dias (p<0,001), com mediana dos escores maiores para o grupo de intervenção. A atitude não apresentou diferença estatística significante entre eles nos três momentos. Na prática vacinal, a mediana foi maior para o grupo de intervenção no 30º dia, sem diferença estatística significante entre os grupos. Para escolares e adolescentes, as medianas dos escores de conhecimento foram maiores no grupo de intervenção, com diferença estatística significante no 7º dia e 30º dia (p<0,001 entre os grupos). A atitude não revelou diferença estatística significante ao compará-los nas fases do estudo. Dentro dos grupos, entre momento basal e 30º dia, houve aumento estatisticamente significante das medianas dos escores de conhecimento, atitude (exceto no grupo controle dos estudantes) e prática, que também mostrou diferença estatística significante entre sete e 30 dias. O vídeo educacional contribuiu para aumento dos escores de conhecimento de escolares, adolescentes e pais do grupo de intervenção, com maior cobertura vacinal da primeira dose, consistindo em uma ferramenta válida para promoção da saúde junto à escola.



  • Mostrar Abstract
  • A vacina contra o HPV é uma forma de prevenção primária para o câncer de colo do
    útero e outros cânceres anogenitais. No Brasil, está disponibilizada para meninas de
    nove a 14 anos e meninos de 12 a 14 anos. Desde sua implantação no Sistema Único de
    Saúde, os índices de vacinação vem apresentando decréscimos, o que pode estar
    relacionado a baixos níveis de conhecimento sobre o imunobiológico. A realização de
    ações de educação em saúde poderá proporcionar melhoria desse conhecimento,
    refletindo em atitudes positivas e prática da vacinação. Uma revisão integrativa
    realizada a partir de estudos de 21 países evidenciou que escolares, adolescentes, pais e
    professores do ensino fundamental conhecem algumas questões relacionadas à vacina e
    possuem atitudes favoráveis à vacinação, porém ainda apresentam uma prática limitada
    para a imunização. Para isso, o enfermeiro tem a possibilidade de realizar um trabalho
    em parceria com os profissionais da educação nas escolas, utilizando tecnologias
    educacionais para o envolvimento da família na tomada de decisão. Um vídeo
    educacional é uma ferramenta que poderá incentivar à adesão à imunização do HPV.
    Para que se torne confiável e seja disponibilizado nas intervenções educativas, deve ser
    submetido a todas etapas do processo de validação, inclusive a validação clínica. Assim,
    o objetivo desta tese será avaliar os efeitos de um vídeo educacional no conhecimento,
    atitude e prática de escolares, adolescentes e pais para a vacinação do Papilomavirus
    humano. Ensaio clínico randomizado, a ser desenvolvido em escolas municipais e
    estaduais do ensino fundamental, pertencentes à região coberta pelo Distrito Sanitário
    IV da cidade do Recife-PE, no período de maio de 2018 a dezembro de 2019.
    Inicialmente, será construído um inquérito conhecimento, atitude e prática (CAP), a ser
    aplicado como pré e pós-teste, com base em uma revisão integrativa e em documentos
    nacionais e internacionais. Em seguida, este instrumento será validado, sendo a
    validação de conteúdo realizada por 22 juízes expertises na temática e a validação de
    aparência feita por dez escolares, dez adolescentes e dez pais nas escolas. Após,
    ocorrerá a intervenção educativa com o vídeo educacional com 130 escolares e
    adolescentes e 130 pais, que serão randomizados por conglomerados ou cluster para
    compor os grupos de intervenção e controle. Os escolares e adolescentes serão
    abordados antes da intervenção e com sete e 30 dias para avaliação do conhecimento e
    atitudes, enquanto os pais serão abordados antes da intervenção, com sete, 30 dias e seis
    meses para avaliação do conhecimento, atitude e prática. Na análise da validação do
    CAP, será aplicado o teste binomial e calculado o índice de validade de conteúdo. Na
    avaliação do conhecimento, atitude e prática, será realizada a análise estatística
    descritiva e analítica das variáveis. Todos os trâmites éticos e legais para a realização do
    estudo serão seguidos. Espera-se obter uma tecnologia educacional sobre HPV e
    vacinação que possua credibilidade e possa ser utilizada pelos profissionais da saúde e
    educação nas ações educativas com a população, contribuindo para a melhoria da
    adesão de meninas e meninos à vacinação, no combate ao câncer de colo do útero, e que
    e colabore para o avanço científico e tecnológico da ciência de enfermagem.

4
  • LAIS HELENA DE SOUZA SOARES LIMA
  • AÇÃO EDUCATIVA PARA INCLUSÃO SOCIAL COM FAMÍLIAS DE CRIANÇAS COM SÍNDROME CONGÊNITA DO ZIKA VÍRUS A LUZ DA TEORIA DE BETTY NEUMAN E DA EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE

  • Orientador : FRANCISCA MARCIA PEREIRA LINHARES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FRANCISCA MARCIA PEREIRA LINHARES
  • CLEIDE MARIA PONTES
  • ELIANE MARIA RIBEIRO DE VASCONCELOS
  • ESTELA MARIA LEITE MEIRELLES MONTEIRO
  • IRACEMA DA SILVA FRAZAO
  • Altamira Pereira da Silva Reichert
  • ANA MARCIA TENORIO DE SOUZA CAVALCANTI
  • Data: 27/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • A família é a base para promoção e garantia de direitos que visem à dignidade e o bem-estar da criança. Percebe-se que a busca por acesso aos recursos sociais no contexto da Síndrome Congênita do Zika Vírus ainda é um grande desafio. É preciso reconhecer o protagonismo social da família no exercício de cidadania considerando que a inclusão social, consiste na garantia do acesso a benefícios sociais como saúde, educação, emprego, cumprimento de direitos as pessoas com necessidades especiais. Por meio de uma rede de inclusão formada pela família, escola e sociedade é possível garantir oportunidades equitativas, com respeito às diferenças. O objetivo deste estudo é analisar o processo de construção coletiva de uma Ação Educativa para inclusão social com famílias de crianças com Síndrome Congênita do Zika vírus à luz da Teoria de Betty Neuman e da Educação Popular em Saúde. Esta tese caracterizou-se por um estudo do tipo descritivo, exploratório, com abordagem qualitativa a partir do referencial metodológico da Pesquisa-Ação. A Ação Educativa foi realizada com familiares de crianças com Síndrome Congênita do Zika Vírus. Participaram do estudo as mães das crianças, membro da rede de apoio e colaboradores. A coleta de dados ocorreu no período de novembro de 2019 a fevereiro de 2022, por meio de entrevistas individuais, grupos focais e grupos operativos. Os dados foram analisados com auxílio do software IRAMUTEQ. Optou-se por utilizar a análise de dados textuais da Classificação Hierárquica Descendente nas fases de investigação, planejamento e avaliação e, a partir das classes de segmentos de texto e dendrograma, foi realizada a análise de conteúdo manifesto. A fase de implementação da Ação Educativa foi analisada de forma descritiva. Utilizou-se como referencial teórico para fundamentar a construção coletiva a teoria de Betty Neuman e para subsidiar o planejamento e a implementação da Ação Educativa, os pressupostos da Educação Popular em Saúde. Os dados referentes à fase de investigação permitiram a construção de três categorias: atividades externas ao lar: estressores e fortalezas; dificuldades de adaptação: estressores e fortalezas; saberes sobre direitos e inclusão: estressores e fortalezas. Durante o planejamento emergiram 12 temas, referentes aos seis grupos focais realizados. A implementação da Ação aconteceu em oito grupos operativos com o objetivo de produzir aprendizado mútuo. Na avaliação evidenciaram-se duas categorias: protagonistas de sua história; saberes e perspectivas ressignificadas, que refletiram a percepção das participantes sobre as repercussões da Ação Educativa realizada. A proposta de planejamento e execução da Ação Educativa por meio da construção coletiva perpassou por temas que envolveram desde o conhecimento sobre direitos e inclusão social, a importância de espaços de acolhimento, escuta ativa e comunicação efetiva com o desenvolvimento de estratégias educativas participativas, compartilhadas e reivindicatórias que abriram espaços de fala, de escuta e de participação ativa à luz da Educação Popular em Saúde. Como implicações e contribuições para a Enfermagem emerge a apropriação do alcance da ação educativa com famílias de crianças com Síndrome Congênita do Zika vírus, para a potencialização quanto à capacidade de autocuidado e de proteção do Sistema Familiar.


  • Mostrar Abstract
  • A família é a base para promoção e garantia de direitos que visem à dignidade e o bem-estar da criança. Percebe-se que a busca por acesso aos recursos sociais no contexto da Síndrome Congênita do Zika Vírus ainda é um grande desafio. É preciso reconhecer o protagonismo social da família no exercício de cidadania considerando que a inclusão social, consiste na garantia do acesso a benefícios sociais como saúde, educação, emprego, cumprimento de direitos as pessoas com necessidades especiais. Por meio de uma rede de inclusão formada pela família, escola e sociedade é possível garantir oportunidades equitativas, com respeito às diferenças. O objetivo deste estudo é analisar o processo de construção coletiva de uma Ação Educativa para inclusão social com famílias de crianças com Síndrome Congênita do Zika vírus à luz da Teoria de Betty Neuman e da Educação Popular em Saúde. Esta tese caracterizou-se por um estudo do tipo descritivo, exploratório, com abordagem qualitativa a partir do referencial metodológico da Pesquisa-Ação. A Ação Educativa foi realizada com familiares de crianças com Síndrome Congênita do Zika Vírus. Participaram do estudo as mães das crianças, membro da rede de apoio e colaboradores. A coleta de dados ocorreu no período de novembro de 2019 a fevereiro de 2022, por meio de entrevistas individuais, grupos focais e grupos operativos. Os dados foram analisados com auxílio do software IRAMUTEQ. Optou-se por utilizar a análise de dados textuais da Classificação Hierárquica Descendente nas fases de investigação, planejamento e avaliação e, a partir das classes de segmentos de texto e dendrograma, foi realizada a análise de conteúdo manifesto. A fase de implementação da Ação Educativa foi analisada de forma descritiva. Utilizou-se como referencial teórico para fundamentar a construção coletiva a teoria de Betty Neuman e para subsidiar o planejamento e a implementação da Ação Educativa, os pressupostos da Educação Popular em Saúde. Os dados referentes à fase de investigação permitiram a construção de três categorias: atividades externas ao lar: estressores e fortalezas; dificuldades de adaptação: estressores e fortalezas; saberes sobre direitos e inclusão: estressores e fortalezas. Durante o planejamento emergiram 12 temas, referentes aos seis grupos focais realizados. A implementação da Ação aconteceu em oito grupos operativos com o objetivo de produzir aprendizado mútuo. Na avaliação evidenciaram-se duas categorias: protagonistas de sua história; saberes e perspectivas ressignificadas, que refletiram a percepção das participantes sobre as repercussões da Ação Educativa realizada. A proposta de planejamento e execução da Ação Educativa por meio da construção coletiva perpassou por temas que envolveram desde o conhecimento sobre direitos e inclusão social, a importância de espaços de acolhimento, escuta ativa e comunicação efetiva com o desenvolvimento de estratégias educativas participativas, compartilhadas e reivindicatórias que abriram espaços de fala, de escuta e de participação ativa à luz da Educação Popular em Saúde. Como implicações e contribuições para a Enfermagem emerge a apropriação do alcance da ação educativa com famílias de crianças com Síndrome Congênita do Zika vírus, para a potencialização quanto à capacidade de autocuidado e de proteção do Sistema Familiar.

2021
Dissertações
1
  • TARCILA LIMA ALCANTARA DE GUSMAO
  • Validação de conteúdo do diagnóstico de enfermagem disfunção sexual em mulheres com câncer do colo do útero submetidas a tratamento radioterápico

  • Orientador : TATIANE GOMES GUEDES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ELIANE MARIA RIBEIRO DE VASCONCELOS
  • MARIA WANDERLEYA DE LAVOR CORIOLANO MARINUS
  • NELSON MIGUEL GALINDO NETO
  • TATIANE GOMES GUEDES
  • Data: 25/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Estudos de validação de conteúdo são importantes para prática clínica do enfermeiro por fornecer subsídios para confiabilidade e viabilidade dos diagnósticos de enfermagem. O objetivo desta pesquisa foi validar o conteúdo do diagnóstico de enfermagem Disfunção Sexual em mulheres com câncer do colo do útero submetidas a tratamento radioterápico. Trata-se de um estudo metodológico, o qual foi realizado em duas etapas: análise de conceito e análise de conteúdo por especialistas. A análise de conceito foi realizada por meio do modelo proposto por Walker e Avant. A segunda etapa caracterizou-se pela análise de conteúdo por especialistas, cuja finalidade foi verificar com 48 especialistas a relevância dos elementos do diagnóstico de enfermagem por meio da abordagem da sabedoria coletiva. A validade de conteúdo dos componentes diagnósticos foi analisada através do cálculo do Índice de Validade de Conteúdo (IVC) baseado no modelo de diversidade preditiva, em que a avaliação dos juízes foi ponderada por seu nível de expertise, para verificar a normalidade de distribuição foi aplicado o teste de Shapiro-Wilk. O Teste de Wilcoxon foi utilizado para avaliar a adequação dos componentes diagnósticos. Inicialmente identificaram-se 4 atributos críticos, os quais permitiram a elaboração de uma nova definição conceitual para o diagnóstico de enfermagem. Em seguida foram identificados 26 componentes diagnósticos, sendo 19 antecedentes e 7 consequentes do conceito, os quais foram categorizados de acordo com a NANDA-I. Posteriormente foram elaboradas suas definições conceituais e operacionais, assim como um caso modelo que exemplificasse o uso do conceito na prática clínica. Na segunda etapa, dos 26 componentes identificados, 10 não apresentaram validade estatística quanto à clareza e precisão diagnóstica, o que resultou em exclusão dos itens. Cinco componentes sofreram ajustes em sua categorização, conforme indicação dos juízes. Logo, 16 novos componentes foram identificados e validados, e estabeleceu-se uma nova definição conceitual para o diagnóstico estudado. 



  • Mostrar Abstract
  • As Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) representam um agravo à saúdepúblicanoBrasilenomundo.Mundialmente,osníveisdeISTentreapopulaçãoprivadadeliberdade tendem a ser mais elevados quando comparados à população fora dos ambientesprisionais.Compreende-sequeoespaçoescolarrepresentaumlocalestratégicoparaestabelecer o cuidado às mulheres por meio de projetos que informem a respeito da saúdesexual e prevenção das IST e HIV. Assim, fomentar a formação continuada dos professorestorna-se fundamental para o desenvolvimento de atividades técnicas e pedagógicas acercada temática em escolas prisionais femininas. A inserção de uma tecnologia educacional paraformaçãocontinuadadosdocentesnoespaçoprisional poderáfacilitaroprocessodeensinagem, tanto para educadores quanto para educandos. Este estudo objetivou construir evalidar uma tecnologia educacional acerca das IST direcionada a professores de escolasprisionais femininas. Trata-se de um estudo metodológico desenvolvido em três etapas:seleção do conteúdo da tecnologia educacional; construção da tecnologia educacional; eavaliação da tecnologia educacional. Para fundamentar a etapa de seleção de conteúdo,realizou-se uma Revisão Integrativa que objetivou identificar as IST mais prevalentes napopulação feminina privada de liberdade. A amostra, composta por 7 artigos,evidenciou queasISTdominantesnestapopulaçãosãoclamídia,gonorreia,sífilis,VírusdaImunodeficiência Humana (HIV), tricomoníase, hepatite B e hepatite C. Em seguida, com ointuito de identificar a tecnologia educacional mais adequada para o público-alvo, realizou-se um grupo focal com nove docentes de uma escola localizada em uma unidade prisionalfeminina em Recife-PE, que elegeu o vídeo educacional como a tecnologia a ser construída.Naetapadeconstrução,seguiu-seodesenvolvimentodasfasesdepré-produção,produçãoe pós-produção do vídeo, de acordo com o referencial metodológico de Comparato (2009).O vídeo foi construído no formato White Board por meio da plataforma Vídeo Scribe a partirdoroteiropreviamenteelaborado.Aterceiraetapaconsistiunavalidaçãodovídeoeducacional. A avaliação de conteúdo foi realizada por 22 juízes especialistas e a análisesemântica contou com a participaçãode 10 docentes.O instrumento de avaliaçãofoiconstruído com base no referencial metodológico e avaliou itens das seguintes seções:conceito da ideia, construção dramática, ritmo, personagens, potencial dramático, diálogos,estilovisualepúblicoreferente.OsdadosforamanalisadosnossoftwaresR3.5.2eSPSS 2.0. Realizou-se o cálculo da frequência absoluta, média, desvio padrão, teste binomial eÍndicedeValidadedeConteúdo(ContentValidityIndexCVI). O S CVI/AVEGlobaldovídeofoisatisfatório(0,90). Para adequar os itens e atenderàs recomendações dos juízes, alguns trechos do áudio foram regravados com a substituiçãoe/ouexplicaçãodetermostécnicos,afimdetorná-loscompreensíveis.Osdocentesconsideraram todos os itens adequados na etapa de avaliação semântica. Aversãofinaldovídeo“Papodeprofessor:InfecçõesSexualmenteTransmissíveisnocontextoprisionalfeminino”possuiduraçãode11’55”efoiconsiderado válido quanto ao conteúdo e semântica, caracterizando-se com uma ferramentaeducacionalparaaformaçãocontinuadadeprofessoresacercadasISTnocontextoprisional.

2
  • THAYNAN GONÇALVES DA SILVA
  • Validação de conteúdo do diagnóstico de enfermagem disfunção sexual em mulheres com câncer do colo do útero submetidas a tratamento radioterápico

  • Orientador : FRANCISCA MARCIA PEREIRA LINHARES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JAQUELINE GALDINO ALBUQUERQUE PERRELLI
  • MAGALY BUSHATSKY
  • SANTANA DE MARIA ALVES DE SOUSA
  • Data: 27/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Estudos de validação de conteúdo são importantes para prática clínica do enfermeiro por fornecer subsídios para confiabilidade e viabilidade dos diagnósticos de enfermagem. O objetivo desta pesquisa foi validar o conteúdo do diagnóstico de enfermagem Disfunção Sexual em mulheres com câncer do colo do útero submetidas a tratamento radioterápico. Trata-se de um estudo metodológico, o qual foi realizado em duas etapas: análise de conceito e análise de conteúdo por especialistas. A análise de conceito foi realizada por meio do modelo proposto por Walker e Avant. A segunda etapa caracterizou-se pela análise de conteúdo por especialistas, cuja finalidade foi verificar com 48 especialistas a relevância dos elementos do diagnóstico de enfermagem por meio da abordagem da sabedoria coletiva. A validade de conteúdo dos componentes diagnósticos foi analisada através do cálculo do Índice de Validade de Conteúdo (IVC) baseado no modelo de diversidade preditiva, em que a avaliação dos juízes foi ponderada por seu nível de expertise, para verificar a normalidade de distribuição foi aplicado o teste de Shapiro-Wilk. O Teste de Wilcoxon foi utilizado para avaliar a adequação dos componentes diagnósticos. Inicialmente identificaram-se 4 atributos críticos, os quais permitiram a elaboração de uma nova definição conceitual para o diagnóstico de enfermagem. Em seguida foram identificados 26 componentes diagnósticos, sendo 19 antecedentes e 7 consequentes do conceito, os quais foram categorizados de acordo com a NANDA-I. Posteriormente foram elaboradas suas definições conceituais e operacionais, assim como um caso modelo que exemplificasse o uso do conceito na prática clínica. Na segunda etapa, dos 26 componentes identificados, 10 não apresentaram validade estatística quanto à clareza e precisão diagnóstica, o que resultou em exclusão dos itens. Cinco componentes sofreram ajustes em sua categorização, conforme indicação dos juízes. Logo, 16 novos componentes foram identificados e validados, e estabeleceu-se uma nova definição conceitual para o diagnóstico estudado.


  • Mostrar Abstract
  • Estudos de validação de conteúdo são importantes para prática clínica do enfermeiro por fornecer subsídios para confiabilidade e viabilidade dos diagnósticos de enfermagem. O objetivo desta pesquisa foi validar o conteúdo do diagnóstico de enfermagem Disfunção Sexual em mulheres com câncer do colo do útero submetidas a tratamento radioterápico. Trata-se de um estudo metodológico, o qual foi realizado em duas etapas: análise de conceito e análise de conteúdo por especialistas. A análise de conceito foi realizada por meio do modelo proposto por Walker e Avant. A segunda etapa caracterizou-se pela análise de conteúdo por especialistas, cuja finalidade foi verificar com 48 especialistas a relevância dos elementos do diagnóstico de enfermagem por meio da abordagem da sabedoria coletiva. A validade de conteúdo dos componentes diagnósticos foi analisada através do cálculo do Índice de Validade de Conteúdo (IVC) baseado no modelo de diversidade preditiva, em que a avaliação dos juízes foi ponderada por seu nível de expertise, para verificar a normalidade de distribuição foi aplicado o teste de Shapiro-Wilk. O Teste de Wilcoxon foi utilizado para avaliar a adequação dos componentes diagnósticos. Inicialmente identificaram-se 4 atributos críticos, os quais permitiram a elaboração de uma nova definição conceitual para o diagnóstico de enfermagem. Em seguida foram identificados 26 componentes diagnósticos, sendo 19 antecedentes e 7 consequentes do conceito, os quais foram categorizados de acordo com a NANDA-I. Posteriormente foram elaboradas suas definições conceituais e operacionais, assim como um caso modelo que exemplificasse o uso do conceito na prática clínica. Na segunda etapa, dos 26 componentes identificados, 10 não apresentaram validade estatística quanto à clareza e precisão diagnóstica, o que resultou em exclusão dos itens. Cinco componentes sofreram ajustes em sua categorização, conforme indicação dos juízes. Logo, 16 novos componentes foram identificados e validados, e estabeleceu-se uma nova definição conceitual para o diagnóstico estudado.

3
  • KILDERS MITSHEL LUCAS DE OLIVEIRA
  • VALIDAÇÃO DE CONTEÚDO DO DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM PROTEÇÃO INEFICAZ EM PACIENTES SUBMETIDOS AO TRANSPLANTE DE CÉLULAS TRONCO HEMATOPOIÉTICAS

  • Orientador : SUZANA DE OLIVEIRA MANGUEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CECILIA MARIA FARIAS DE QUEIROZ FRAZAO
  • KATIUSCIA ARAUJO DE MIRANDA
  • MARCOS VENICIOS DE OLIVEIRA LOPES
  • Data: 30/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • A realização de estudos de validação promove o aperfeiçoamento e legitimação de conceitos relacionados ao DE com o objetivo de contribuir para a prática assistencial do enfermeiro e com a execução das etapas do processo de enfermagem (PE). A atuação da equipe de enfermagem é parte fundamental na realização e acompanhamento do Transplante de Células Tronco Hematopoiéticas (TCTH). A assistência de enfermagem ao paciente transplantado e suas famílias inclui ações direcionadas à educação em saúde para a resolução de problemas e à realização de terapias complementares para promover o bem-estar e a qualidade de vida destes pacientes. Dentre os diagnósticos traçados pelos enfermeiros para os pacientes submetidos ao TCHT, encontra-se o diagnóstico de enfermagem Proteção ineficaz. É necessário adequar e estabelecer termos que esclareçam e aprofundem o conhecimento do diagnóstico para os pacientes transplantados. O estudo tem por objetivo validar o conteúdo do diagnóstico de enfermagem Proteção ineficaz em pacientes submetidos ao TCTH. Trata-se um estudo metodológico de validação de diagnóstico de enfermagem realizado em duas etapas: Análise de conceito e Análise de conteúdo por juízes. A análise de conceito seguiu o referencial de Walker e Avant. Para subsidiar a análise, foi realizada uma revisão integrativa da literatura. A busca foi realizada com os descritores “Protection” e “hematopoietic stem cell transplantation” utilizando o recorte temporal de cinco anos. A amostra foi composta de 16 artigos, sendo possível identificar: três atributos, quinze antecedentes e onze consequentes. Elaborou-se um caso modelo e foram utilizados livros, artigos, diretrizes e manuais para a construção das definições conceituais e operacionais. A análise de conteúdo foi realizada por 48 juízes e efetivada por meio da abordagem da sabedoria coletiva, cuja finalidade foi verificar a relevância dos elementos do diagnóstico de enfermagem em estudo para possibilitar a sua correta identificação e subsidiar o planejamento da assistência de enfermagem. O estudo está em consonância com as recomendações da resolução CNS 466/2012. A coleta de dados com os juízes só foi realizada após parecer favorável do CEP da UFPE (nº parecer: 4.013.353). Em relação a definição do DE, 58,1% dos juízes concordaram que a nova definição originada da análise conceito foi a mais adequada. Dos dez fatores relacionados avaliados, seis foram considerados relevantes e um acrescentado por sugestão do juiz, a saber: Não adesão ao tratamento medicamentoso, Ausência de monitoramento imunológico e virológico, Ausência de Vacinas, Baixo grau de compatibilidade do HLA, Microbiota intestinal deficiente, Dieta inadequada e Cateter venoso central. As três condições associadas (Quimioterapia, Perfil sanguíneo anormal, Doença hematológica) e as duas populações em risco (Indivíduos imunocomprometidos, Pessoas com comorbidades) foram validadas pelos juízes. Dos onze fatores relacionados avaliados, oito foram considerados válidos, a saber: Infecção, Diminuição da qualidade de vida, Aumento no tempo de hospitalização, Aumento na quantidade de medicamentos, Diarreia infecciosa, Mucosite oral, Disfagia e Fadiga.


  • Mostrar Abstract
  • A realização de estudos de validação promove o aperfeiçoamento e legitimação de conceitos relacionados ao DE com o objetivo de contribuir para a prática assistencial do enfermeiro e com a execução das etapas do processo de enfermagem (PE). A atuação da equipe de enfermagem é parte fundamental na realização e acompanhamento do Transplante de Células Tronco Hematopoiéticas (TCTH). A assistência de enfermagem ao paciente transplantado e suas famílias inclui ações direcionadas à educação em saúde para a resolução de problemas e à realização de terapias complementares para promover o bem-estar e a qualidade de vida destes pacientes. Dentre os diagnósticos traçados pelos enfermeiros para os pacientes submetidos ao TCHT, encontra-se o diagnóstico de enfermagem Proteção ineficaz. É necessário adequar e estabelecer termos que esclareçam e aprofundem o conhecimento do diagnóstico para os pacientes transplantados. O estudo tem por objetivo validar o conteúdo do diagnóstico de enfermagem Proteção ineficaz em pacientes submetidos ao TCTH. Trata-se um estudo metodológico de validação de diagnóstico de enfermagem realizado em duas etapas: Análise de conceito e Análise de conteúdo por juízes. A análise de conceito seguiu o referencial de Walker e Avant. Para subsidiar a análise, foi realizada uma revisão integrativa da literatura. A busca foi realizada com os descritores “Protection” e “hematopoietic stem cell transplantation” utilizando o recorte temporal de cinco anos. A amostra foi composta de 16 artigos, sendo possível identificar: três atributos, quinze antecedentes e onze consequentes. Elaborou-se um caso modelo e foram utilizados livros, artigos, diretrizes e manuais para a construção das definições conceituais e operacionais. A análise de conteúdo foi realizada por 48 juízes e efetivada por meio da abordagem da sabedoria coletiva, cuja finalidade foi verificar a relevância dos elementos do diagnóstico de enfermagem em estudo para possibilitar a sua correta identificação e subsidiar o planejamento da assistência de enfermagem. O estudo está em consonância com as recomendações da resolução CNS 466/2012. A coleta de dados com os juízes só foi realizada após parecer favorável do CEP da UFPE (nº parecer: 4.013.353). Em relação a definição do DE, 58,1% dos juízes concordaram que a nova definição originada da análise conceito foi a mais adequada. Dos dez fatores relacionados avaliados, seis foram considerados relevantes e um acrescentado por sugestão do juiz, a saber: Não adesão ao tratamento medicamentoso, Ausência de monitoramento imunológico e virológico, Ausência de Vacinas, Baixo grau de compatibilidade do HLA, Microbiota intestinal deficiente, Dieta inadequada e Cateter venoso central. As três condições associadas (Quimioterapia, Perfil sanguíneo anormal, Doença hematológica) e as duas populações em risco (Indivíduos imunocomprometidos, Pessoas com comorbidades) foram validadas pelos juízes. Dos onze fatores relacionados avaliados, oito foram considerados válidos, a saber: Infecção, Diminuição da qualidade de vida, Aumento no tempo de hospitalização, Aumento na quantidade de medicamentos, Diarreia infecciosa, Mucosite oral, Disfagia e Fadiga.

4
  • MARÍLIA DE OLIVEIRA CRISPIM
  • FATORES ASSOCIADOS À IDEAÇÃO SUICIDA E À TENTATIVA DE SUÍCIDIO DE JOVENS ESTUDANTES DO INSTITUTO FEDERAL DE PERNAMBUCO

     

  • Orientador : IRACEMA DA SILVA FRAZAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • IRACEMA DA SILVA FRAZAO
  • Rossana Carla Rameh de Albuquerque
  • TATIANE GOMES GUEDES
  • VANIA PINHEIRO RAMOS
  • Data: 31/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • O comportamento suicida é um grave problema de saúde pública, pelo aumento da prevalência que tem sido registrado na população jovem e os prejuízos sociais advindos, o que desperta a necessidade da compreensão dos seus aspectos, das ações de prevenção ao suicídio e de educação em saúde no ambiente acadêmico. A pesquisa objetivou analisar os fatores associados à ideação suicida e tentativa de suicídio de estudantes de uma Instituição Federal de Ensino Superior. Estudo transversal, com abordagem quantitativa, realizado no período de abril a dezembro de 2019. A amostra foi composta por 876 estudantes de ambos os sexos, maiores de 18 anos, matriculados na modalidade presencial dos cursos técnico e superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco, campus Recife. Foi utilizado um instrumento com informações sociodemográficas, acadêmicas, comportamentos de risco e avaliação de saúde mental. Para verificação do comportamento suicida, adotou-se a escala de Ideação suicida de Beck (BSI) e para identificação de sofrimento mental, o Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20). A análise dos dados ocorreu por meio da estatística descritiva, com testes de associação (Qui-quadrado de Pearson ou teste de Fisher) e regressão logística binária.

    O estudo foi aprovado pelo Comitê de ética da Universidade Federal de Pernambuco, parecer no 4.040.537. A prevalência de ideação suicida foi de 15,6% e tentativa de suicídio foi de 7,9%. O percentual de ocorrência de Transtorno Mental Comum foi de 41,3%. Os fatores associados à ideação suicida foram ter religião, consumo de maconha nos últimos 30 dias e quadro sugestivo de sofrimento mental. A religião diminuiu as chances de ocorrência desse pensamento. Sobre a tentativa de suicídio, a religião também se mostrou como fator que diminui as chances de ocorrência. Tentar suicídio duas ou mais vezes teve como variáveis associadas o uso de maconha dos últimos 30 dias e ocorrência de quadro sugestivo de sofrimento mental, ambas aumentaram substancialmente a chance de outra tentativa de suicídio. Ideação suicida e tentativa de suicídio mostraram associação significativa com consumo de maconha nos últimos 30 dias e quadros sugestivos de sofrimento mental. A alta prevalência de ideação suicida, tentativa de suicídio e sofrimento mental revela a necessidade de intervenções de curto e médio prazo, voltadas para população de jovens estudantes. Assim, dentro do contexto acadêmico, o enfermeiro educador pode direcionar as ações de educação em saúde para prevenção do suicídio, considerando, sobretudo, o uso abusivo de drogas, tentativas prévias de suicídio e quadro sugestivo de sofrimento mental.


  • Mostrar Abstract
  • O comportamento suicida é um grave problema de saúde pública, pelo aumento da prevalência que tem sido registrado na população jovem e os prejuízos sociais advindos, o que desperta a necessidade da compreensão dos seus aspectos, das ações de prevenção ao suicídio e de educação em saúde no ambiente acadêmico. A pesquisa objetivou analisar os fatores associados à ideação suicida e tentativa de suicídio de estudantes de uma Instituição Federal de Ensino Superior. Estudo transversal, com abordagem quantitativa, realizado no período de abril a dezembro de 2019. A amostra foi composta por 876 estudantes de ambos os sexos, maiores de 18 anos, matriculados na modalidade presencial dos cursos técnico e superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco, campus Recife. Foi utilizado um instrumento com informações sociodemográficas, acadêmicas, comportamentos de risco e avaliação de saúde mental. Para verificação do comportamento suicida, adotou-se a escala de Ideação suicida de Beck (BSI) e para identificação de sofrimento mental, o Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20). A análise dos dados ocorreu por meio da estatística descritiva, com testes de associação (Qui-quadrado de Pearson ou teste de Fisher) e regressão logística binária.

    O estudo foi aprovado pelo Comitê de ética da Universidade Federal de Pernambuco, parecer no 4.040.537. A prevalência de ideação suicida foi de 15,6% e tentativa de suicídio foi de 7,9%. O percentual de ocorrência de Transtorno Mental Comum foi de 41,3%. Os fatores associados à ideação suicida foram ter religião, consumo de maconha nos últimos 30 dias e quadro sugestivo de sofrimento mental. A religião diminuiu as chances de ocorrência desse pensamento. Sobre a tentativa de suicídio, a religião também se mostrou como fator que diminui as chances de ocorrência. Tentar suicídio duas ou mais vezes teve como variáveis associadas o uso de maconha dos últimos 30 dias e ocorrência de quadro sugestivo de sofrimento mental, ambas aumentaram substancialmente a chance de outra tentativa de suicídio. Ideação suicida e tentativa de suicídio mostraram associação significativa com consumo de maconha nos últimos 30 dias e quadros sugestivos de sofrimento mental. A alta prevalência de ideação suicida, tentativa de suicídio e sofrimento mental revela a necessidade de intervenções de curto e médio prazo, voltadas para população de jovens estudantes. Assim, dentro do contexto acadêmico, o enfermeiro educador pode direcionar as ações de educação em saúde para prevenção do suicídio, considerando, sobretudo, o uso abusivo de drogas, tentativas prévias de suicídio e quadro sugestivo de sofrimento mental.

5
  • MARIANA QUEIROGA BARBOSA
  • EFEITO DE UMA INTERVENÇÃO EDUCATIVA NO CONHECIMENTO DE ESCOLARES SOBRE REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR

  • Orientador : ELIANE MARIA RIBEIRO DE VASCONCELOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CARLOS RENATO DOS SANTOS
  • KENNIA SIBELLY MARQUES DE ABRANTES
  • VANIA PINHEIRO RAMOS
  • Data: 16/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • A inclusão do ensino de reanimação cardiopulmonar nas escolas é considerada como a melhor maneira de levar a um número elevado de pessoas o conhecimento para a população em geral. Este estudo teve como objetivo avaliar o efeito de uma intervenção educativa no conhecimento de escolares sobre reanimação cardiopulmonar. Trata-se de um estudo quase experimental. Teve como cenário, escolas integrais da rede estadual da Gerência Regional de Educação Sul do Distrito Sanitário IV do Recife, Pernambuco. A amostra foi composta por 110 alunos na faixa etária de 14 a 19 anos. A análise dos dados se deu por meio da comparação entre os escores obtidos e as ações executadas no pré-teste e pós-teste da avaliação teórica e prática. A idade média dos alunos foi 16,3 anos.  Na avaliação teórica observou-se que não houve igualdade de desempenhos entre as etapas pré e pós ao nível de 5% de significância. Na avaliação prática verificou-se que houve mudança nas habilidades práticas antes e depois da intervenção educativa ao nível de 5% de significância em todas as ações a ser executada.  Acredita-se que esse estudo colaborou com a construção do conhecimento dos escolares sobre parada cardiorrespiratória e reanimação cardiopulmonar. Espera-se que esse estudo possa contribuir na estruturação e implementação do ensino e treinamento de reanimação cardiopulmonar nas escolas, identificando alunos que poderão ser multiplicadores de conhecimento e salvar vidas.


  • Mostrar Abstract
  • A inclusão do ensino de reanimação cardiopulmonar nas escolas é considerada como a melhor maneira de levar a um número elevado de pessoas o conhecimento para a população em geral. Este estudo teve como objetivo avaliar o efeito de uma intervenção educativa no conhecimento de escolares sobre reanimação cardiopulmonar. Trata-se de um estudo quase experimental. Teve como cenário, escolas integrais da rede estadual da Gerência Regional de Educação Sul do Distrito Sanitário IV do Recife, Pernambuco. A amostra foi composta por 110 alunos na faixa etária de 14 a 19 anos. A análise dos dados se deu por meio da comparação entre os escores obtidos e as ações executadas no pré-teste e pós-teste da avaliação teórica e prática. A idade média dos alunos foi 16,3 anos.  Na avaliação teórica observou-se que não houve igualdade de desempenhos entre as etapas pré e pós ao nível de 5% de significância. Na avaliação prática verificou-se que houve mudança nas habilidades práticas antes e depois da intervenção educativa ao nível de 5% de significância em todas as ações a ser executada.  Acredita-se que esse estudo colaborou com a construção do conhecimento dos escolares sobre parada cardiorrespiratória e reanimação cardiopulmonar. Espera-se que esse estudo possa contribuir na estruturação e implementação do ensino e treinamento de reanimação cardiopulmonar nas escolas, identificando alunos que poderão ser multiplicadores de conhecimento e salvar vidas.

Teses
1
  • JOSUEIDA DE CARVALHO SOUSA
  • INSTRUMENTO PARA CONSULTA DE ENFERMAGEM ÀS MULHERES TRANSEXUAIS À LUZ DA TEORIA DA DIVERSIDADE E UNIVERSALIDADE DO CUIDADO CULTURAL

  • Orientador : EDNALDO CAVALCANTE DE ARAUJO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANALÍDIA RODOLPHO PETRY
  • JAQUELINE GOMES DE JESUS
  • CECILIA MARIA FARIAS DE QUEIROZ FRAZAO
  • ESTELA MARIA LEITE MEIRELLES MONTEIRO
  • SHEYLA COSTA DE OLIVEIRA
  • Data: 30/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • Pessoas trans ou com variabilidade de gênero possuem necessidades específicas à saúde e exigem dos enfermeiros mudanças no saber e fazer da Enfermagem diante dos cuidados à saúde, especialmente, na prevenção dos agravos e promoção à saúde.Assim ,esse estudo objetivou realizar o processo de construção e validação de um instrumento para a consulta de enfermagem às mulheres trans à luz da Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidado Cultural bem como verificar a aplicabilidade de sua utilização no aumento da satisfação das mulheres trans consultadas pelo enfermeiro.Tratou-se de estudo multimétodo, composto por uma pesquisa metodológica (para construção e validação de conteúdo do instrumento para a consulta de enfermagem) e por um estudo quase-experimental (para aplicação do instrumento em consulta com mulheres transexuais e avaliação da satisfação das mesmas). O quase-experimento foi realizado no Espaço de Cuidado e Acolhimento Trans do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco/HC/UFPE da cidade do Recife/PE, Nordeste do Brasil, com amostra alocada por conveniência, de 30 mulheres trans a partir da demanda espontânea no período de novembro de 2020 à maio de 2021.A construção do instrumento ocorreu a partir dos pressupostos e requisitos da Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidado Cultural, seguiu as fases do Processo de Enfermagem e as diretrizes internacionais acerca da temática em estudo. A versão final compôs-se de 59 itens subdivididos em três blocos: Identificação, Dados Clínicos e a Propedêutica que segue para o planejamento da assistência de enfermagem. A validação do conteúdo foi realizada por 11 especialistas em saúde sexual de transgênero e seis enfermeiros atuantes na assistência às mulheres transexuais. Todos os itens possuíram concordância superior a 0,8 e o Índice de Validade de Conteúdo global foi de 80%, de modo que o instrumento foi considerado válido. Utilizou-se o questionário Service Quality para medir a satisfação das mulheres transexuais atendidas antes e após realização da consulta de enfermagem. Os testes estatísticos utilizados foram o teste de Kolmogorov-Smirnov e o teste de Wilcoxon, admitindo ser significativo o p<0,05. Quanto à satisfação das mulheres trans, na comparação do pré e pós teste de satisfação das mulheres com a consulta de Enfermagem, todos os itens possuíram maiores escores, com significância estatísticas, de satisfação após a consulta na qual foi utilizado o instrumento. Dos oito itens avaliados, observou-se que em uma escala de pontuação máxima cinco a mediana do pré-teste dos oito itens foi de quatro, entretanto no pós-teste observou-se que a pontuação máxima do escore no valor de cinco foi atingida em sete das oito variáveis. Assim, comprova-se a tese de que o instrumento de consulta de Enfermagem à luz da Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidado Cultural ( TDUCC) configurou-se como uma tecnologia válida quanto ao conteúdo, compreensível pelo seu público-alvo e que aumentou a satisfação das mulheres trans com sua utilização.


  • Mostrar Abstract
  • Pessoas trans ou com variabilidade de gênero possuem necessidades específicas à saúde e exigem dos enfermeiros mudanças no saber e fazer da Enfermagem diante dos cuidados à saúde, especialmente, na prevenção dos agravos e promoção à saúde.Assim ,esse estudo objetivou realizar o processo de construção e validação de um instrumento para a consulta de enfermagem às mulheres trans à luz da Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidado Cultural bem como verificar a aplicabilidade de sua utilização no aumento da satisfação das mulheres trans consultadas pelo enfermeiro.Tratou-se de estudo multimétodo, composto por uma pesquisa metodológica (para construção e validação de conteúdo do instrumento para a consulta de enfermagem) e por um estudo quase-experimental (para aplicação do instrumento em consulta com mulheres transexuais e avaliação da satisfação das mesmas). O quase-experimento foi realizado no Espaço de Cuidado e Acolhimento Trans do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco/HC/UFPE da cidade do Recife/PE, Nordeste do Brasil, com amostra alocada por conveniência, de 30 mulheres trans a partir da demanda espontânea no período de novembro de 2020 à maio de 2021.A construção do instrumento ocorreu a partir dos pressupostos e requisitos da Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidado Cultural, seguiu as fases do Processo de Enfermagem e as diretrizes internacionais acerca da temática em estudo. A versão final compôs-se de 59 itens subdivididos em três blocos: Identificação, Dados Clínicos e a Propedêutica que segue para o planejamento da assistência de enfermagem. A validação do conteúdo foi realizada por 11 especialistas em saúde sexual de transgênero e seis enfermeiros atuantes na assistência às mulheres transexuais. Todos os itens possuíram concordância superior a 0,8 e o Índice de Validade de Conteúdo global foi de 80%, de modo que o instrumento foi considerado válido. Utilizou-se o questionário Service Quality para medir a satisfação das mulheres transexuais atendidas antes e após realização da consulta de enfermagem. Os testes estatísticos utilizados foram o teste de Kolmogorov-Smirnov e o teste de Wilcoxon, admitindo ser significativo o p<0,05. Quanto à satisfação das mulheres trans, na comparação do pré e pós teste de satisfação das mulheres com a consulta de Enfermagem, todos os itens possuíram maiores escores, com significância estatísticas, de satisfação após a consulta na qual foi utilizado o instrumento. Dos oito itens avaliados, observou-se que em uma escala de pontuação máxima cinco a mediana do pré-teste dos oito itens foi de quatro, entretanto no pós-teste observou-se que a pontuação máxima do escore no valor de cinco foi atingida em sete das oito variáveis. Assim, comprova-se a tese de que o instrumento de consulta de Enfermagem à luz da Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidado Cultural ( TDUCC) configurou-se como uma tecnologia válida quanto ao conteúdo, compreensível pelo seu público-alvo e que aumentou a satisfação das mulheres trans com sua utilização.

2
  • VIVIANE CRISTINA FONSECA DA SILVA JARDIM
  • ARTETERAPIA COMO INTERVENÇÃO EDUCATIVA NA PROMOÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DA PESSOA IDOSA

  • Orientador : ELIANE MARIA RIBEIRO DE VASCONCELOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EDNALDO CAVALCANTE DE ARAUJO
  • ESTELA MARIA LEITE MEIRELLES MONTEIRO
  • ETIENE OLIVEIRA DA SILVA FITTIPALDI
  • SUELI MORENO SENNA
  • VANIA PINHEIRO RAMOS
  • Data: 08/10/2021

  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo avaliou os efeitos da Arteterapia na promoção da qualidade de vida da pessoa idosa. Trata-se de um estudo quase experimental com abordagem quanti-qualitativa. A amostra foi composta de 14 idosos do Núcleo de Atenção ao Idoso da UFPE. Para coleta dos dados, foram utilizados WHOQOL-BREF, questionário semiestruturado e observação direta participante nas intervenções em Arteterapia. Os dados quantitativos foram analisados por estatística descritiva e inferencial (Testes de Kolmogrov-Smirnov, Shapiro-Wilk e Teste t). A análise qualitativa foi realizada por meio do Discurso do Sujeito Coletivo. Os resultados obtidos foram: 85,7% de mulheres idosas, idade média dos participantes de 69,1 anos, 85,7% sabiam ler e escrever, 42,9% cursaram até o ensino médio completo, 85,7% eram aposentados, 50,0% possuíam renda mensal de 1 salário mínimo, 71,4% tinham filhos, 78,6% residiam em casas próprias com arranjos domiciliares multigeracionais. Houve aumento dos escores nos domínios da qualidade de vida após as intervenções da Arteterapia, principalmente nos domínios Relações Sociais (9,3%) e Ambiente (6,2%). Nos resultados qualitativos emergiram 16 ideias centrais, provenientes das expressões chaves, que foram agrupadas de acordo com os quatros domínios da qualidade de vida e suas facetas. Pode-se concluir que a Arteterapia é um recurso terapêutico que resgata no idoso o seu potencial criativo; e com isso abre caminhos de possibilidades para ressignificar positivamente o processo do envelhecimento, favorecendo a melhora da qualidade da vida da pessoa idosa.


  • Mostrar Abstract
  • O presente estudo avaliou os efeitos da Arteterapia na promoção da qualidade de vida da pessoa idosa. Trata-se de um estudo quase experimental com abordagem quanti-qualitativa. A amostra foi composta de 14 idosos do Núcleo de Atenção ao Idoso da UFPE. Para coleta dos dados, foram utilizados WHOQOL-BREF, questionário semiestruturado e observação direta participante nas intervenções em Arteterapia. Os dados quantitativos foram analisados por estatística descritiva e inferencial (Testes de Kolmogrov-Smirnov, Shapiro-Wilk e Teste t). A análise qualitativa foi realizada por meio do Discurso do Sujeito Coletivo. Os resultados obtidos foram: 85,7% de mulheres idosas, idade média dos participantes de 69,1 anos, 85,7% sabiam ler e escrever, 42,9% cursaram até o ensino médio completo, 85,7% eram aposentados, 50,0% possuíam renda mensal de 1 salário mínimo, 71,4% tinham filhos, 78,6% residiam em casas próprias com arranjos domiciliares multigeracionais. Houve aumento dos escores nos domínios da qualidade de vida após as intervenções da Arteterapia, principalmente nos domínios Relações Sociais (9,3%) e Ambiente (6,2%). Nos resultados qualitativos emergiram 16 ideias centrais, provenientes das expressões chaves, que foram agrupadas de acordo com os quatros domínios da qualidade de vida e suas facetas. Pode-se concluir que a Arteterapia é um recurso terapêutico que resgata no idoso o seu potencial criativo; e com isso abre caminhos de possibilidades para ressignificar positivamente o processo do envelhecimento, favorecendo a melhora da qualidade da vida da pessoa idosa.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02