Banca de DEFESA: CLEDSON PEDRO DA SILVA JUNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CLEDSON PEDRO DA SILVA JUNIOR
DATA : 25/08/2022
HORA: 14:00
LOCAL: meet.google.com/die-iqxr-wbf
TÍTULO:

Influência dos Fatores Meteoceanográficos na Composição e Biomassa de Algas Arribadas em duas Praias de Pernambuco


PALAVRAS-CHAVES:

macroalga, bloom, Bryopsis, PAR, sargaço


PÁGINAS: 100
RESUMO:

Algas arribadas ocorrem como eventos naturais de origem dinâmica, e suas causas
podem estar associadas a diferentes fatores meteoceanográficos ou relacionadas aos
impactos ambientais de origem antrópica. Este estudo teve como principal objetivo
analisar a influência dos diferentes fatores meteoceanográficos, tais como ventos,
ondas, pluviosidade, radiação solar e nutrientes, na composição e biomassa de algas
arribadas, nas praias de Candeias e Tamandaré, litoral sul de Pernambuco - Brasil.
Foram realizadas 6 campanhas em cada praia entre os anos de 2020 e 2021, durante
o período seco e chuvoso. Para as coletas de dados biológicos foram utilizados
transectos de 10m e quadrados de 25x25cm, onde foram realizadas 9 réplicas por
campanha em 1 km de praia. Para análise da qualidade da água foram coletados 1,5 L
por campanha em áreas adjacentes aos recifes. Os dados de vento, onda e irradiação
solar foram coletados em base de dados da NOAA, e os dados de pluviosidade foram
obtidos na Agência Pernambucana de Água e Clima (APAC). Dentre as macroalgas
coletadas, foram identificados 41 gêneros, sendo 23 Rhodophyta, 11 Chlorophyta e 8
Ochrophyta, distribuídas em 22 ordens. Oito gêneros ocorreram exclusivamente em
Tamandaré e 3, em Candeias. Ochrophyta foi o principal filo em termos de biomassa,
seguido de Chlorophyta e Rhodophyta. Em Candeias, a biomassa das algas verdes foi
superior às de pardas e vermelhas enquanto em Tamandaré, algas pardas. Dos 41
gêneros, 13 foram responsáveis por 95% do total da biomassa coletada, sendo Bryopsis
(29,6%) e Dictyopteris (26,7%), os principais. Foi identificada uma floração de Bryopsis
em Candeias, que alterou significativamente a biomassa para a região. As estações do
ano influenciaram a biomassa em Candeias, sendo maior no período seco. Ao contrário,
em Tamandaré, o ambiente é mais homogêneo, não havendo diferença significativa
entre as estações. Foram detectados valores de nutrientes (fosfato, nitrito e nitrato)
elevados em Candeias, caracterizando a à região, como ambiente eutrofizado. Em
Tamandaré, os valores de nutrientes foram baixos e não apresentaram diferenças entre
as estações. As algas arribadas em Candeias apresentaram maior correlação com os
fatores químicos e radiação fotossinteticamente ativa, corroborando com os resultados
obtidos para biomassa, com a dominância de Bryopsis, e das algas vermelhas
Gracilaria, Chondracanthus e Hypnea, que são bioindicadoras de ambientes
eutrofizados. Por outro lado, as algas arribadas em Tamandaré responderam melhor
aos fatores físicos mecânicos, como ondas e vento. Foi possível aferir como os fatores
ambientais e atividade humana podem alterar e influenciar a composição das algas arribadas. Praia mais preservada apresentara uma composição de algas mais homogênea, prevenindo a ocorrência de florações.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - GEORGE EMMANUEL CAVALCANTI DE MIRANDA - UFPB
Externo à Instituição - JOSÉ MARCOS DE CASTRO NUNES - UFBA
Externa à Instituição - MUTUE TOYOTA FUJII - USP
Notícia cadastrada em: 23/08/2022 13:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02