PPGEDU PROGRAMA DE POS-GRADUACAO EM EDUCACAO - CE DIRETORIA DO CENTRO DE EDUCACAO - CE Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: SILVIA DE SOUSA AZEVEDO ARAGAO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SILVIA DE SOUSA AZEVEDO ARAGAO
DATA : 20/06/2022
HORA: 08:30
LOCAL: Online
TÍTULO:

CONHECIMENTOS SOBRE A ESCRITA ALFABÉTICA REVELADOS POR CRIANÇAS AO FINAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL


PALAVRAS-CHAVES:

Educação Infantil, Alfabetização, Psicogênese da Escrita, Consciência fonológica, Conhecimento de Letras.


PÁGINAS: 260
RESUMO:

Nosso objetivo geral foi investigar, longitudinalmente, a aprendizagem das crianças
em relação ao sistema de escrita alfabética (SEA) nos dois últimos anos da
Educação Infantil, em três escolas (uma privada e duas públicas). Os objetivos
específicos foram: i) Identificar e acompanhar a evolução das hipóteses de escrita e
a aprendizagem de conhecimentos sobre letras, e de habilidades de consciência
fonológica (CF); ii) Comparar o desempenho das crianças em cada escola em
diferentes momentos dos anos; iii) Identificar possíveis efeitos da origem
sociocultural sobre aquelas aprendizagens e iv) Comparar o desempenho nas
diferentes habilidades de CF e de conhecimentos de letras, considerando as
diferentes hipóteses de escrita. A pesquisa foi organizada em dois estudos. No
estudo 1, analisamos os resultados coletados no penúltimo ano da Educação
Infantil. As atividades, aplicadas em duas ocasiões foram: Escrita espontânea de
palavras, atividades de CF (Contagem de Sílabas; Identificação das palavras com a
mesma sílaba inicial; Identificação da palavra maior; Identificação das palavras que
rimam) e de conhecimento das letras (Nomeação de letras e Produção de palavras
a partir de letras apresentadas). Constatamos que as crianças progrediram nas três
escolas. Nas escritas, identificamos uma variedade de hipóteses em uma mesma
ocasião para a maioria das crianças. Entre as escolas, houve aproximações no
decorrer do ano. Na aprendizagem das letras, ao encerrarem o Infantil 4, não houve
diferenças significativas entre as escolas. Quanto às habilidades de CF, aquelas
envolvendo a contagem de sílabas, foram mais fáceis para todas. Entre as escolas,
houve diferenças que se mantiveram ou aumentaram na Contagem de sílabas e na
Identificação de Palavras que rimam. A análise qualitativa das atividades de CF
revelou: i) a presença da análise fonológica mesmo quando as crianças erravam; ii)
que o tipo de justificativa verbal geralmente evoluiu quanto à explicitação
consciente, iii) porém, os acertos nem sempre estiveram relacionados à explicitação
verbal dos segmentos sonoros analisados. No estudo 2, analisamos os dados
coletados nos dois últimos anos da Educação Infantil. Durante o último ano,
aplicamos as mesmas atividades, no início e final do ano, e acrescentamos a
Identificação de palavras com o mesmo fonema inicial. Analisamos os dados,
comparando dois grupos sociais: Escola privada e Escolas públicas. Os resultados
indicaram que as crianças continuaram progredindo, porém, em relação à escrita,
as distâncias entre os grupos sociais aumentaram a favor da Escola Privada, na
qual a maioria das crianças alcançou uma hipótese alfabética. Na aprendizagem
das letras não houve diferenças significativas ao final da Educação Infantil entre os
grupos sociais. Porém, os acertos indicadores de conhecimento das letras nem
sempre se relacionavam a um avanço na hipótese de escrita. Quanto às
habilidades de CF, houve aproximações entre os grupos sociais apenas nas
habilidades envolvendo o número de sílabas, as diferenças aumentaram em relação
a todas as demais habilidades. Vimos ainda que os acertos nas habilidades de CF
nem sempre garantiram hipóteses de escrita mais elaboradas. Assim, se por um
lado, concordamos que não devemos ter como foco central, na Educação infantil, o
processo de alfabetização, entendemos que muitos saberes podem ser aprendidos
sobre a escrita nessa etapa. Porém, reconhecemos a complexidade da interação
dos diversos conhecimentos envolvidos nesse processo e, com isso, defendemos que o treinode letras isoladas ou de habilidades fonêmicas não deve ser o foco da Educação Infantil e destacamos a importância de diferentes oportunidades de reflexão pelas professoras sobre esse objeto de estudo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2364398 - ALEXSANDRO DA SILVA
Interna - 1134365 - ANA CAROLINA PERRUSI ALVES BRANDAO
Presidente - 1132499 - ARTUR GOMES DE MORAIS
Externa à Instituição - LEILA NASCIMENTO DA SILVA
Externa à Instituição - SILVANNE RIBEIRO SANTOS - UFBA
Notícia cadastrada em: 24/05/2022 14:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01