Banca de DEFESA: JOAO MARCOS AUAD SCALDINI

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOAO MARCOS AUAD SCALDINI
DATA : 17/11/2021
HORA: 18:00
LOCAL: Online
TÍTULO:

BALANÇO CONTÁBIL DAS NAÇÕES: EVIDÊNCIAS
EMPÍRICAS DAS PARTICIPAÇÕES DOS MUNICÍPIOS
DAS MESORREGIÕES DAS CAPITAIS DO NORDESTE
BRASILEIRO NA PRESERVAÇÃO DO MEIO
AMBIENTE


PALAVRAS-CHAVES:

   

Balanço Contábil das Nações. Sustentabilidade. Meio Ambiente.
Mesorregiões das Capitais do Nordeste.


PÁGINAS: 130
RESUMO:

   

O objetivo desta dissertação é verificar por meio da metodologia do Balanço Contábil
das Nações (BCN), qual a participação dos municípios das Mesorregiões das
Capitais do Nordeste na preservação do meio ambiente. O presente estudo é
caracterizado como empírico, exploratório, longitudinal e documental que, com a
utilização de dados secundários verifica-se os indicadores que compõem o balanço
contábil das nações; em quais condições o método BCN pode ser aplicado a um
contexto regional e sua elaboração para as mesorregiões das capitais do Nordeste e
um consolidado da região; e a elaboração de um cenário projetado para 2050.
Utilizou-se como população os municípios da região Nordeste e a amostra
selecionada foi representada pelos 122 municípios que compõem as mesorregiões
das capitais do Nordeste, correspondentes a 50,57% do PIB da região. Os principais
achados foram: identificação dos indicadores que compõem o balanço contábil das
nações, como: Produto Interno Bruto (PIB), PIB per capita, População, Tonelada
Equivalente de Petróleo (TEP), Consumo de Energia em TEP per capita,
Depreciação, Estoque MtC, Sequestro MtC e Emissão MtC; constatação de que as
mesorregiões das capitais do Nordeste encontra-se em uma situação patrimonial
deficitária, tendo 79 municípios com resultados positivos, porém 16 municípios
encontram-se com o Patrimônio Líquido Ambiental muito próximo de zero, indicando

que se não houver redução na emissão de CO2 tais municípios se tornarão
deficitários. Ademais o Patrimônio Líquido Ambiental dos nove piores municípios é
13,7 vezes menor e degrada 1,5 vezes mais o meio ambiente em relação aos nove
melhores municípios que tem menos polos industriais e mais preocupações
socioambientais. O cenário projetado para 2050 demonstra uma situação muito
preocupante e que se não diminuir a emissão de carbono e desmatamento a região
Nordeste entrará em situação crítica para com o meio ambiente.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - JOSÉ ROBERTO KASSAI - USP
Interno - 1133718 - JERONYMO JOSE LIBONATI
Presidente - 1292683 - RAIMUNDO NONATO RODRIGUES
Notícia cadastrada em: 12/11/2021 11:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01