PPGFILO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA - CFCH DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA - CFCH Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: JULIANA SEVERINA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANA SEVERINA DA SILVA
DATA : 28/02/2023
HORA: 10:00
LOCAL: Sala Virtual
TÍTULO:

O Patriarcado, o Especismo e a Objetificação de Corpos


PALAVRAS-CHAVES:

Patriarcado, Especismo, Política, Objetificação, Ecofeminismo.


PÁGINAS: 87
RESUMO:

O patriarcado determinou, a partir do período da caça às bruxas, a institucionalização de
violências como sexismo, machismo e misoginia. Embora tais opressões existissem
anteriormente, foi após a perseguição e morte de mulheres na fogueira que os homens
iniciaram o projeto de poder patriarcal capitalista, como o aponta a autora Silvia Federici
(2017). Através da colonização e crueldades contra seres humanos e não humanos,
introduziram-se na sociedade, pensamentos e práticas especistas e sexistas. A
desigualdade de gênero e espécie foi essencial para a ascensão política e econômica do
homem branco europeu, sendo este por sua vez, o único beneficiado com as violências
praticadas. O processo de crueldades contra mulheres e animais apresenta similaridades
que são pouco questionadas dentro do movimento feminista e na luta pela igualdade de
gênero. A escritora norte-americana Carol J. Adams, com o livro A Política Sexual da
Carne (2018), apresenta por meio da teoria feminista vegetariana, uma leitura metafórica
das opressões realizadas contra pessoas humanas e não humanas. Adams criou o termo
“referente ausente” para tornar explícita a semelhança de violências implícitas contra
mulheres e animais até então não observadas pelo feminismo. A autora também expõe
como o processo de objetificação de corpos é capaz de transformar vidas em mercadorias
para benefício do patriarcado e satisfação de interesses financeiros e sexuais dos homens
na sociedade. Entendemos que o feminismo como movimento político e social, embora
apresente diversas vertentes, ainda não consegue enxergar com clareza a similaridade das
violências existentes da estrutura patriarcal, como propõe a obra A Política Sexual da
Carne. O livro é uma referência dentro da vertente ecofeminista que dialoga com pautas
coletivas incluindo não apenas machismo e sexismo, mas também racismo e especismo.
Assim, é através do ecofeminismo que se pode contemplar as diversas desigualdades
sociais resultantes do patriarcado, e não apenas as violências vivenciadas pelas mulheres,
analisando-se uma estrutura que interfere na vida de toda sociedade e vitima pessoas
humanas e não humanas. Nosso trabalho irá articular a teoria de Adams com as teses de
outras autoras interessadas no tratamento das diversas articulações entre o patriarcado e
suas diferentes formas de atuação e opressão na sociedade capitalista, como Federici
(2017), Lerner (2019), Pateman (1993) e Joy (2014).


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2364054 - ERICO ANDRADE MARQUES DE OLIVEIRA
Presidente - ***.076.830-** - JULIELE MARIA SIEVERS - UFAL
Externa à Instituição - WALESKA MENDES CARDOSO
Notícia cadastrada em: 23/02/2023 11:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11.ufpe.br.sigaa11