Banca de DEFESA: AURINETE OLIVEIRA NEGROMONTE

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AURINETE OLIVEIRA NEGROMONTE
DATA : 31/05/2022
HORA: 08:00
LOCAL: meet.google.com/rke-ztsn-iyj
TÍTULO:

Variação temporal de crustáceos capturados por armadilha luminosa na baía de Tamandaré, Pernambuco


PALAVRAS-CHAVES:

Armadilhas de luz, crustáceos bentônicos, larvas de Decapoda, Cleantioides, ambientes recifais, Atlântico sul


PÁGINAS: 100
RESUMO:

As armadilhas luminosas são um método de amostragem passivo capaz de capturar organismos vivos. É considerado uma ferramenta chave não somente para compreender as larvas, mas também organismos zooplanctônicos, nectônicos e invertebrados bentônicos migradores. O presente trabalho teve como objetivo analisar a diversidade de grandes grupos de crustáceos capturados com armadilha luminosa ao longo de 5 anos no ambiente recifal da praia de Tamandaré, em Pernambuco, descrever a diversidade de crustáceos bentônicos capturados, analisar a variação temporal das larvas de Brachyura e Anomura, além de verificar quais os fatores determinantes que influenciam a chegada delas na baía de tamandaré e descrever as espécies novas que ocorreram ao londo do estudo. As coletas foram realizadas mensalmente no período de outubro/2011 até abril/2016, através da técnica de captura por armadilhas de luz cônica do tipo CARE®. Foram marcados três pontos com 250 m de distância entre eles no complexo recifal da praia de Tamandaré. As armadilhas foram instaladas por três dias consecutivos no fim do pôr-do-sol, numa profundidade local de 8 a 12 metros, permanecendo aproximadamente 12h em subsuperfície de 1 m de profundidade, sendo assim retiradas ao amanhecer. Foram coletados dados abióticos de temperatura, pluviosidade, direção do vento, velocidade do vento, swell, luminosidade da lua e nebulosidade. Os grandes grupos foram classificados em: Amphipoda, Cumacea, Isopoda, Mysida, Axiidea, Caridea, Dendrobranchiata, Achelata, Portunidae, Megalopa, Zoea, Copepoda, Ostracoda e Stomatopoda. O grupo mais abundante foi Mysida e também o mais frequente. Houve diferenças significativas entre as estações do ano e os anos, mostrando que há uma padronização na distribuição temporal desses animais. O grupo dos bentônicos apresentaram 52 espécies, mostrando a grande eficácia das armadilhas luminosas para a captura de organismos bentônicos (epifauna, infauna e fossoriais). A ordem Isopoda obteve o maior número de espécies (19), sendo 1 novo registro para a costa de Pernambuco, Cymodoce barrerae. Os Amphipoda obteve 12 espécies, dentre elas 2 possíveis espécies novas de Metharpinia. As larvas identificadas ao menor nível taxonômico possível. A serie temporal mostrou que as larvas apresentam os picos em diferentes épocas do anos, cerca de 8 meses de intervalo de um pico para o outro. As megalopa de Pachygrapsus transversus foram as mais abundante, seguido da Zoea I de Epialthidae. A abundância das larvas apresentou relações significativas com a velocidade do vento, a presença de swell e a temperatura. Três novas espécies foram descritas, Cleantioides garciachartoni sp. nov., C. pandemus sp. nov. e C. tamandarensis sp. nov. Estas espécies são distinguidas pela forma do pleotelson e ornamentação dos pereiópodos. O gênero Cleantioides foi descrito pela primeira vez para o sudoeste do oceano Atlântico e a família Holognatidae foi registrada pela primeira vez para a costa brasileira. Esta tese fez contribuições pioneiras sobre a comunidades de crustáceos capturados com armadilhas luminosas no sudoeste do oceano Atlântico e em amebientes recifais de regiões tropicais, trazendo resultados podem elucidar  mais sobre a dinâmica das comunidades de crustáceos. As armadilhas luminosas são muito eficientes para coletar crustáceos, possui um baixo custo e é capaz de fazer um monitoramento da biodiversidade local sem causar danos ao meio ambiente. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1999153 - JESSER FIDELIS DE SOUZA FILHO
Externo ao Programa - 2154667 - ALEXANDRE OLIVEIRA DE ALMEIDA
Externa à Instituição - ELKENITA GUEDES SILVA
Externa à Instituição - GIRLENE FÁBIA SEGUNDO VIANA - UFRPE
Externo à Instituição - HENRIQUE GRANDE
Notícia cadastrada em: 19/05/2022 23:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01