Banca de QUALIFICAÇÃO: THAYANE ROBERTA COSTA DE ARAÚJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : THAYANE ROBERTA COSTA DE ARAÚJO
DATA : 31/03/2022
LOCAL: Departamento de Oceanografia
TÍTULO:

INTRASEASONAL AND INTERANNUAL VARIABILITY OF SALINITY AND TEMPERATURE SEA SURFACE ON WESTERN BOUNDARY OFF NORTHEAST BRAZIL


PALAVRAS-CHAVES:

Temperatura da superfície do Mar, salinidade da superfície do mar, termosalinógrafos, Voluntary Observing Ships (VOS), Soil Moisture and Ocean Salinity (SMOS)


PÁGINAS: 42
RESUMO:

Dois parâmetros físico-químicos de grande importância para a circulação oceânica e manutenção do clima foram analisados na região da borda oeste do Atlântico Tropical Sul (plataforma continental e região oceânica adjacente), na costa leste do Nordeste brasileiro (NEB), são eles: a Temperatura (SST) e Salinidade da Superfície do Mar (SSS). Para isto foram usados dados in situ, oriundos de termosalinógrafos (TSGs) instalados em navios mercantes voluntários (VOS) e em embarcações de pesquisa das campanhas ABRACOS I (set/out de 2015) e II (abr/mai de 2017), levantamento de dados obtidos por satélites (SMOS para a SSS e Global Ocean OSTIA para SST) durante um período de coletar de 10 anos (2010 a 2019). Também foram analisadas as correntes de superfície (GEKCO) em conjunto com dados de SSS. Os resultados mostraram que há uma variabilidade sazonal típica da SST na área de estudo, com os menores valores durante a primavera e os maiores valores durante o outono, com gradientes termal meridional na Plataforma Continental (PC) e gradientes termal zonal na PC ao norte de 8°S. A região offshore apresentou um perfil senoidal sazonal de SST com um tempo de defasagem de um mês comparada ao da PC. Anualmente, a SST apresentou anomalia positiva (2011-2013, 2015-2016 e 2018-2019) e negativa (2010, 2013 e 2014). Estas variações podem estar relacionadas aos eventos ENSO, Dipolo do Atlântico Tropical e de outros sistemas meteorológicos de interação oceano-atmosfera no Atlântico Tropical Sul, como a ZCIT, VCANs e intensificação de ventos alísios. A SSS não apresentou um padrão sazonal. Apenas uma maior intensidade durante o inverno (julho) na porção ao sul de 9°S (abaixo da posição do Platô de Pernambuco) e uma “pluma” de maior SSS dispersando-se por toda a região a partir do Sul, durante o verão, e recuando até 8°S no inverno (até julho), devido a presença da ZCIT (ao norte de 5°S), e das ondas de leste. Outra região, centrada no Platô de Pernambuco, também apresentou baixa SSS no início da década e passou a ter alta SSS a partir de 2016. As anomalias de SSS mostraram um aumento de 2010 a 2013, mantendo positivas em 2014 e 2015, e em 2016 a 2019 houve um decréscimo de SSS, com exceção da latitude 8°S que manteve anomalia de SSS positiva. Através das correntes superficiais, pôde-se observar a presença de possíveis vórtices (ciclônicos e anticiclônicos) na região de menor ou maior intensidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1738148 - ALEX COSTA DA SILVA
Interna - 1131532 - CARMEN MEDEIROS LIMONGI
Interno - 1514583 - MANUEL DE JESUS FLORES MONTES
Externo à Instituição - FABRICE HERNANDEZ
Externa à Instituição - RAMILLA VIEIRA DE ASSUNCAO
Notícia cadastrada em: 28/03/2022 11:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01