Banca de DEFESA: SUELEN CAROLINE DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SUELEN CAROLINE DA SILVA
DATA : 25/02/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Departamento de Oceanografia
TÍTULO:

O USO DE UMA FERRAMENTA DE SUPORTE À DECISÃO EM APOIO AO PLANEJAMENTO ESPACIAL MARINHO: um estudo de caso sobre as atividades de mergulho em Fernando de Noronha.


PALAVRAS-CHAVES:

Planejamento Espacial Marinho; Áreas Marinhas Protegidas.
Ferramentas de Suporte à Decisão; Alocação de sítios de mergulho; Fernando de
Noronha.


PÁGINAS: 93
RESUMO:

O Planejamento Espacial Marinho (PEM) é um processo público que busca alcançar
usos mais racionais dos ambientes marinhos. Um dos resultados do PEM pode ser a
criação de Áreas Marinhas Protegidas (AMPs). Consequentemente, as Ferramentas
de Suporte à Decisão (FSD) tornaram-se necessárias para encontrar áreas
adequadas para as AMPs, maximizando a conservação da biodiversidade e
minimizando os custos socioeconômicos. No entanto, a utilização de FSD sob o
PEM no Brasil é ainda um processo em fase inicial. Neste estudo, dados de
biomassa de peixes, pesca, habitas e mergulho foram integrados em uma FSD para
explorar os possíveis efeitos da atribuição de novos pontos de mergulho sobre o
desenho da reserva marinha em torno do arquipélago de Fernando de Noronha
(FN). Para isso, foram realizadas análises de sensibilidade dos parâmetros da FSD
sob diferentes cenários de gestão. Foram observados índices de biomassa de
peixes mais elevados ao longo da quebra da plataforma continental do mar de fora,
concentração das atividades de pesca na área da Área de Proteção Ambiental
(APA)-FN e a importância do norte do arquipélago para a atividade de mergulho.
Dada as atuais condições de restrição do Parque Nacional Marinho (PARNAMAR)-
FN, encontramos uma baixa correlação entre pontos de mergulho já explorados e a
reserva computada, sugerindo que estes locais não coincidem necessariamente com
áreas onde foram registradas importantes taxas de biomassa de peixes. Nos
cenários em que não foi considerado uma atividade ameaçadora a fauna, novas
áreas de mergulho foram identificadas principalmente na plataforma continental da
costa SE da ilha principal. Já quando considerado atividade ameaçadora, novas
áreas foram priorizadas na plataforma continental da costa SW da ilha principal.
Independentemente do cenário, observou-se que o aumento do número de locais de
mergulho em mais de 100% teria implicações no planejamento, devido ao reduzido
número de locais disponíveis para isso. A definição de diferentes cenários ilustrou o
interesse e a flexibilidade dos FSD para enquadrar visões divergentes de um
problema de conservação, e como podem ser uma boa base para esclarecer
questões complexas, dados prioritários, e promover a discussão e a decisão,
aspectos essenciais do PEM.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1738148 - ALEX COSTA DA SILVA
Interna - 1171022 - BEATRICE PADOVANI FERREIRA
Externa à Instituição - FLAVIA LUCENA FREDOU
Interna - 1286817 - MONICA FERREIRA DA COSTA
Externa à Instituição - SOLANGE TELES DA SILVA
Notícia cadastrada em: 15/02/2022 11:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01