Banca de DEFESA: RAFAEL HENRIQUE DE MOURA FALCAO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAFAEL HENRIQUE DE MOURA FALCAO
DATA : 24/02/2022
HORA: 09:00
LOCAL: https://meet.google.com/bsr-javo-pxm
TÍTULO:

Efeitos da variabilidade ambiental na estrutura, diversidade e biomassa fitoplanctônica na Confluência Brasil-Malvinas


PALAVRAS-CHAVES:

Fitoplâncton

Corrente do Brasil

Corrente das Malvinas

Dinoflagelados

Rio da Prata

Vórtice de núcleo frio


PÁGINAS: 60
RESUMO:

AConfluência Brasil-Malvinas (CBM) é caracterizada pela alta variabilidade ambiental e um hotspot para a biodiversidade fitoplanctônica. A presente dissertação objetivou verificar os padrões de distribuição e diversidade da comunidade fitoplanctônica na região da CBM e determinar os efeitos dos vórtices sobre essa comunidade. A comunidade fitoplanctônica foi amostrada a partir de arrastos verticais entre a profundidade de máxima clorofila (PMC) e a superfície com rede de plâncton com abertura de malha de 20 µc e coletas com garrafas de Niskin acopladas a rossetes em onze pontos amostrais na CBM (4), no Vórtice de Núcleo Quente (3) e Vórtice de Núcleo Frio (4) durante a primavera austral (Novembro de 2019). Os valores de temperatura e teores de salinidade foram determinda in situ. A análise de Bray-curtis separou a comunidade fitoplanctônica em quatro regiões: Corrente do Brasil (CB), Corrente das Malvinas (CM), Vórtice de Núcleo Quente (VNQ) e Vórtice de Núcleo Frio (VNF). A comunidade fitoplanctônica do VNQ e VNF foi similar a CB e a CM, respectivamente. O filo Bacillariophyta, os organismos autotróficos e as formas de vida Marinha Planctônica Oceânica e ou Nerítica foram predominantes nas regiões estudadas. Os organismos muito frequentes foram: Minidiscus sp., Azadinium sp., Prorocentrum dentatum, Gymnodiniales, Fragilariopsis kerguelensis, Nitzschia longíssima, Thalassionema nitzschioides e Oxytoxum gracile, além de dezesseis espécies indicadoras da CB, CM, VNQ e PMC. No filo Miozoa, os dinoflagelados heterotróficos foram dominantes na BC e VNF, e os mixotróficos na MC. A alta diversidade de espécies foi confirmada na região principalmente associada as espécies Marinhas Planctônicas Oceânicas e ou Neríticas assim como houve o predomínio dos autotróficos. O domínio de dinoflagelados Mixotróficos e Heterotróficos foi associado a regiões específicas.  Dessa forma, concluímos que os vórtices modificam a estrutura da comunidade fitoplanctônica na região e aumentam a diversidade de espécies.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2330768 - PEDRO AUGUSTO MENDES DE CASTRO MELO
Externo ao Programa - 1131256 - FERNANDO ANTONIO DO NASCIMENTO FEITOSA
Externo à Instituição - MÁRCIO SILVA DE SOUZA - UFRGS
Externa à Instituição - EVELINE PINHEIRO DE AQUINO
Externa à Instituição - GISLAYNE CRISTINA PALMEIRA BORGES
Notícia cadastrada em: 02/02/2022 15:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01