Banca de DEFESA: THIAGO BORGES MADUREIRA SABINO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : THIAGO BORGES MADUREIRA SABINO
DATA : 30/09/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Sala virtual PPGEF-UFPE
TÍTULO:

EFEITO DE DIFERENTES INTENSIDADES DO TREINAMENTO DE FORÇA SOBRE A FUNÇÃO ENDOTELIAL DE PESSOASCOM DIABETES MELLITUS TIPO 2: Uma Revisão Sistemática


PALAVRAS-CHAVES:

Diabetes mellitus, Exercício de Força, Endotélio vascular, Dilatação mediada pelo fluxo


PÁGINAS: 65
RESUMO:

As doenças cardiovasculares (DCV) são a principal causa de mortalidade em pessoas com diabetes mellitus do tipo 2 (DM2). O DM2 é uma doença metabólica associado com piora da função endotelial (FE). A disfunção endotelial (DE) é um forte fator de risco para futuros eventos cardiovasculares nessa população, além de ser um dos principais mecanismos de mediação das complicações microvasculares. O treinamento físico é considerado um dos pilares para o tratamento e o controle da diabetes, no entanto, o efeito do treinamento de força (TF) sobre a FE de pessoas com DM2 ainda não foi totalmente compreendido. O objetivo desta revisão sistemática (RS) foi analisar os efeitos de diferentes intensidades do TF sobre a FE de pessoas com DM2. Os ensaios clínicos randomizados (ECRs) que compararam o grupo TF com o grupo ou condição controle foram incluídos na RS. Diferentes intensidades foram categorizadas em baixa a moderada e alta intensidade. Seis bases de dados eletrônicas foram pesquisadas (Pubmed, Cochrane, Embase, Scopus, Web of Science, CINAHL e PeDro) até fevereiro de 2021.Os critérios de elegibilidade seguiram a estratégia PICOS. Para avaliação da qualidade dos estudos foi utilizada a escala TESTEX. As divergências foram resolvidas com um terceiro avaliador, por consenso. Quatro ECRs preencheram os critérios de elegibilidade. Sobre a amostra, 106 pessoas participaram dos estudos, sendo 57 do grupo TF (% homens: 24,53; % mulheres= 29,25) e 49 do controle (% homens: 15,09; % mulheres: 31,13), com idade média de 67,25 ± 5,5 anos e tempo médio do DM2 de 8,0 ± 2,3 anos. Um estudo agudo crossover demonstrou aumento na FMD da artéria braquial imediatamente após (IC95%: de 3,0% para + 5,9%; p< 0,05), 60 minutos após (IC95%: 0,8% para + 4,2%; p< 0,05) e 120 minutos após (IC95%: 0,7% para +3,1%; p< 0,05) uma única sessão de treino de força de alta intensidade (RPE ~ 5 “hard”) comparado a sessão controle. Os resultados desta revisão sistemática sugerem que em pessoas com DM2 uma única sessão de treino de força de alta intensidade, em membros inferiores, foi capaz de melhorar agudamente a FE de pessoas com DM2, porém mais estudos são necessários para estabelecer a intensidade ideal e a efetividade da prescrição desse método de treinamento


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1960661 - ANDRE DOS SANTOS COSTA
Externa à Instituição - DENISE MARIA MARTINS VANCEA - UPE
Externo à Instituição - JORGE LUIZ DE BRITO GOMES - UPE
Notícia cadastrada em: 30/09/2021 00:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01