Banca de DEFESA: ANDERSON RODRIGUES BALBINO DE LIMA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANDERSON RODRIGUES BALBINO DE LIMA
DATA : 30/05/2022
HORA: 09:00
LOCAL: videoconferência
TÍTULO:
Uso de marcadores biológicos em Mugil curema; Valenciennes, 1836 (Actinopterygii: Mugilidae) no diagnóstico ambiental de estuários da região nordeste do brasil

PALAVRAS-CHAVES:

Saúde ambiental. Biomonitoramento. Biomarcadores. Estuários. Peixes.


PÁGINAS: 150
RESUMO:

O crescente desenvolvimento industrial e a rápida urbanização em regiões próximas de recursos hídricos têm contribuído de maneira alarmante com a introdução de compostos químicos prejudiciais à saúde ambiental e das espécies. Nas últimas décadas, os ecossistemas aquáticos têm sido alterados de maneira significativa em função de múltiplos impactos ambientais advindos do lançamento de grandes quantidades de efluentes sem tratamento adequado e/ou com intensidade, em concentração e características discordantes dos padrões estabelecidos em legislação. No nordeste do Brasil, os grandes centros urbanos localizam-se nas regiões costeiras próximos a ambientes estuarinos. Como consequência, estes ambientes têm sofrido uma grande intervenção ambiental, decorrente da descarga de efluentes produzidos pela intensa atividade humana. Esses compostos podem induzir nas espécies que utilizam os estuários de forma transitória ou definitiva uma série de alterações genéticas, bioquímicas e histológicas, podendo assim comprometer a adaptabilidade e sobrevivência dessas espécies neste ecossistema. O objetivo deste trabalho foi realizar o biomonitoramento de seis sistemas estuarinos da região nordeste do Brasil, por meio de marcadores enzimáticos, histológicos e genotóxicos da espécie M. curema. As coletas ocorreram de forma semestral (Inverno – Verão) durante os anos de 2019 e 2020 em seis sistemas estuarinos distribuídos nos estados da Paraíba, Pernambuco e Alagoas. Para os dados de genotoxicidade amostra controle foi utilizada da estação ecológica da Juréia-Itatins (Litoral Sul do Estado de São Paulo) conforme dados da literatura. Em cada um dos estuários uma média de 8 espécimes de M. curema foram capturados, das quais foi coletado sangue para realização dos ensaios genotóxicos (Teste do Micronúcleo – MN e Ensaio Cometa – EC). Em seguida foram retirados tecidos (cérebro) para análise das atividades das enzimas colinesterases (ChEs). Concomitantemente tecidos das brânquias e fígado foram retirados para analise histológica. Os resultados das atividades realizadas demonstram que os estuários do Nordeste do Brasil encontram-se fortemente impactados e que as Áreas de Proteção Ambiental tem sido pouco efetivas na proteção da biodiversidade do ecossistema estuarino. Foi observado efeito da sazonalidade nos padrões de contaminação dos estuários, indicando que as diferentes dinâmicas de fluxo hídrico entre o inverno e o verão exercem efeito direto na expressão dos biomarcadores.  



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2356344 - RANILSON DE SOUZA BEZERRA
Interno - 1130271 - LUIZ BEZERRA DE CARVALHO JUNIOR
Externa à Instituição - NÉDIA DE CASTILHOS GHISI
Externo à Instituição - DIEGO DE SOUZA BUARQUE
Externo à Instituição - GLAUBER PEREIRA DE CARVALHO SANTOS
Notícia cadastrada em: 26/05/2022 14:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02