Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPE

2022
Dissertações
1
  • SUEDEN OLIVEIRA DE SOUZA
  • Inativação Fotodinâmica de Células Planctônicas e Biofilmes de Candida albicans Mediada pela Porfirina ZnTnHex-2-PyP4+

  • Orientador : ADRIANA FONTES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ILKA TIEMY KATO PRATES
  • ADRIANA FONTES
  • CAMILA GALVÃO DE ANDRADE
  • Data: 27/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • O fungo Candida albicans é o principal agente etiológico da candidíase tópica, e ainda é capaz de formar biofilmes, os quais são mais resistentes aos antifúngicos do que células planctônicas. O repertório de antifúngicos disponível para candidíase é limitado e isolados resistentes vêm emergindo cada vez mais. Nesse contexto, a terapia fotodinâmica (TFD) vem sendo apontada como alternativa promissora para o tratamento antifúngico. A TFD causa morte microbiana por estresse oxidativo quando um fotossensibilizador (FS) é excitado pela luz em comprimento de onda ressonante a sua absorção. As zincoporfirinas (ZnPs) vêm sendo consideradas FSs atrativos por apresentarem elevada produção de oxigênio singleto, caráter catiônico e estabilidade química. Ademais, a ZnTnHex-2-PyP4+ (ZnP hexil), em particular, pode apresentar aprimorada interação com diferentes tipos celulares devido ao seu caráter anfifílico. Assim, esta dissertação teve como objetivo investigar o efeito fotodinâmico mediado por ZnP hexil em células planctônicas e biofilmes de C. albicans. A cepas de C. albicans ATCC 10231 e ATCC 90028 foram incubadas com diferentes concentrações de ZnP hexil por 10 min e irradiadas por um LED azul (4,3 J/cm2). O efeito fotodinâmico em células planctônicas foi avaliado por contagem de unidades formadoras de colônias. O impacto do tratamento nos biofilmes da cepa ATCC 90028 foi avaliado pelo ensaio de MTT, marcação com iodeto de propídio (IP) e microscopia eletrônica de varredura (MEV). A citotoxicidade foi investigada utilizando células Vero como modelo de célula epitelial de mamífero. As formas planctônicas das cepas ATCC 10231 e ATCC 90028 foram completamente inativadas pela TFD a 0,8 e 1,5 µM de ZnP hexil, respectivamente. A viabilidade celular dos biofilmes de C. albicans ATCC 90028 foi reduzida em ca. 88% após TFD mediada por 0,8 µM de ZnP hexil, em concordância com a extensa marcação observada nos ensaios de microscopia com IP, sugerindo perda da integridade da membrana e parede celular. As imagens por MEV indicaram ruptura dos biofilmes após TFD, incluindo redução de emaranhados de hifas e da cobertura de células planctônicas no substrato. O tratamento fotodinâmico não apresentou citotoxicidade considerável nas células de mamífero. Em conjunto, os resultados indicam que o protocolo fotodinâmico mediado por ZnP hexil descrito foi bem sucedido na inativação de células planctônicas e biofilmes de C. albicans, e tem potencial para ser explorado para inativação de outras espécies de Candida e isolados resistentes a antifúngicos.


  • Mostrar Abstract
  • O fungo Candida albicans é o principal agente etiológico da candidíase tópica, e ainda é capaz de formar biofilmes, os quais são mais resistentes aos antifúngicos do que células planctônicas. O repertório de antifúngicos disponível para candidíase é limitado e isolados resistentes vêm emergindo cada vez mais. Nesse contexto, a terapia fotodinâmica (TFD) vem sendo apontada como alternativa promissora para o tratamento antifúngico. A TFD causa morte microbiana por estresse oxidativo quando um fotossensibilizador (FS) é excitado pela luz em comprimento de onda ressonante a sua absorção. As zincoporfirinas (ZnPs) vêm sendo consideradas FSs atrativos por apresentarem elevada produção de oxigênio singleto, caráter catiônico e estabilidade química. Ademais, a ZnTnHex-2-PyP4+ (ZnP hexil), em particular, pode apresentar aprimorada interação com diferentes tipos celulares devido ao seu caráter anfifílico. Assim, esta dissertação teve como objetivo investigar o efeito fotodinâmico mediado por ZnP hexil em células planctônicas e biofilmes de C. albicans. A cepas de C. albicans ATCC 10231 e ATCC 90028 foram incubadas com diferentes concentrações de ZnP hexil por 10 min e irradiadas por um LED azul (4,3 J/cm2). O efeito fotodinâmico em células planctônicas foi avaliado por contagem de unidades formadoras de colônias. O impacto do tratamento nos biofilmes da cepa ATCC 90028 foi avaliado pelo ensaio de MTT, marcação com iodeto de propídio (IP) e microscopia eletrônica de varredura (MEV). A citotoxicidade foi investigada utilizando células Vero como modelo de célula epitelial de mamífero. As formas planctônicas das cepas ATCC 10231 e ATCC 90028 foram completamente inativadas pela TFD a 0,8 e 1,5 µM de ZnP hexil, respectivamente. A viabilidade celular dos biofilmes de C. albicans ATCC 90028 foi reduzida em ca. 88% após TFD mediada por 0,8 µM de ZnP hexil, em concordância com a extensa marcação observada nos ensaios de microscopia com IP, sugerindo perda da integridade da membrana e parede celular. As imagens por MEV indicaram ruptura dos biofilmes após TFD, incluindo redução de emaranhados de hifas e da cobertura de células planctônicas no substrato. O tratamento fotodinâmico não apresentou citotoxicidade considerável nas células de mamífero. Em conjunto, os resultados indicam que o protocolo fotodinâmico mediado por ZnP hexil descrito foi bem sucedido na inativação de células planctônicas e biofilmes de C. albicans, e tem potencial para ser explorado para inativação de outras espécies de Candida e isolados resistentes a antifúngicos.

2
  • RENNAN RIBEIRO MANO DE LIMA
  • NANOPLATAFORMAS ÓPTICO-MAGNÉTICAS MULTIMODAIS PARA INTERAÇÃO COM RECEPTORES DE TRANSFERRINA

  • Orientador : ADRIANA FONTES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADRIANA FONTES
  • CARINNA NUNES DE LIMA
  • WESLLEY FELIX DE OLIVEIRA
  • Data: 27/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • Os pontos quânticos (PQs) são nanocristais fluorescentes de semicondutores com propriedades ópticas singulares. Os quelatos de Gd(III) são utilizados como agentes contraste (ACs) na técnica de imagem por ressonância nuclear magnética (IRM). Combinando-se PQs a quelatos de Gd(III) é possível aliar a especificidade e a sensibilidade dos métodos baseados em fluorescência e proporcionar um sinal paramagnético otimizado para IRM. Assim, o objetivo dessa dissertação foi desenvolver uma nanoplataforma multimodal formada por PQs de CdTe carboxilados, quelatos do tipo DOTA-Gd(III) e a transferrina (Tf), uma vez que receptores de transferrina (RTfs) podem estar superexpressos em células de câncer, sendo então alvos interessantes para estudos sobre a biologia do câncer. Para tanto, os PQs foram conjugados de forma covalente com os ACs na proporção 1:30 (PQs:ACs), via etilenodiamina. Conjugou-se então covalentemente o nanossistema obtido com a Tf. As nanossondas foram caracterizadas por espectroscopias de absorção e emissão e relaxometria. A conjugação com a Tf foi analisada por ensaio fluorescente em microplaca (EFM). Para avaliar a efetividade do nanossistema multimodal e sua especificidade por RTfs, ensaios de marcação fluorescente com células HeLa foram também realizados. A nanossonda multimodal exibiu uma relaxividade longitudinal T1 nominal ca. 5× menor que a do quelato molecular (a 37 oC e 60 MHz) e manteve a fluorescência. Observou-se uma efetiva conjugação com a Tf, obtendo-se um sinal de fluorescência relativa de ca. 1.130% pelo EFM. Na citometria de fluxo observou-se uma marcação de ca. 88% das células HeLa, reduzida para ca. 39% após saturação prévia dos RTfs com Tf, sugerindo especificidade para o nanossistema. Uma captação celular eficiente foi observada pela microscopia de fluorescência. Portanto, a nanoplataforma multimodal óptica-magnética desenvolvida apresentou potencial para ser aplicada em estudos biológicos associados ao câncer tendo como alvo os RTfs.


     



  • Mostrar Abstract
  • Os pontos quânticos (PQs) são nanocristais fluorescentes de semicondutores com propriedades ópticas singulares. Os quelatos de Gd(III) são utilizados como agentes contraste (ACs) na técnica de imagem por ressonância nuclear magnética (IRM). Combinando-se PQs a quelatos de Gd(III) é possível aliar a especificidade e a sensibilidade dos métodos baseados em fluorescência e proporcionar um sinal paramagnético otimizado para IRM. Assim, o objetivo dessa dissertação foi desenvolver uma nanoplataforma multimodal formada por PQs de CdTe carboxilados, quelatos do tipo DOTA-Gd(III) e a transferrina (Tf), uma vez que receptores de transferrina (RTfs) podem estar superexpressos em células de câncer, sendo então alvos interessantes para estudos sobre a biologia do câncer. Para tanto, os PQs foram conjugados de forma covalente com os ACs na proporção 1:30 (PQs:ACs), via etilenodiamina. Conjugou-se então covalentemente o nanossistema obtido com a Tf. As nanossondas foram caracterizadas por espectroscopias de absorção e emissão e relaxometria. A conjugação com a Tf foi analisada por ensaio fluorescente em microplaca (EFM). Para avaliar a efetividade do nanossistema multimodal e sua especificidade por RTfs, ensaios de marcação fluorescente com células HeLa foram também realizados. A nanossonda multimodal exibiu uma relaxividade longitudinal T1 nominal ca. 5× menor que a do quelato molecular (a 37 oC e 60 MHz) e manteve a fluorescência. Observou-se uma efetiva conjugação com a Tf, obtendo-se um sinal de fluorescência relativa de ca. 1.130% pelo EFM. Na citometria de fluxo observou-se uma marcação de ca. 88% das células HeLa, reduzida para ca. 39% após saturação prévia dos RTfs com Tf, sugerindo especificidade para o nanossistema. Uma captação celular eficiente foi observada pela microscopia de fluorescência. Portanto, a nanoplataforma multimodal óptica-magnética desenvolvida apresentou potencial para ser aplicada em estudos biológicos associados ao câncer tendo como alvo os RTfs.


     


3
  • ABDÊNEGO RODRIGUES DA SILVA
  • PONTOS QUÂNTICOS CONJUGADOS AS LECTINAS DAS FOLHAS DE Schinus terebinthifolius (SteLL) E SARCOTESTA DE Punica granatum (PgTeL) COMO POTENCIAIS NANOFERRAMENTAS FLUORESCENTES PARA ESTUDOS GLICOBIOLÓGICOS

  • Orientador : THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • BEATE SAEGESSER SANTOS
  • PATRICIA MARIA GUEDES PAIVA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 28/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • Lectinas são proteínas/glicoproteínas que se ligam reversivelmente a carboidratos, uma vez ligadas, essas proteínas podem estimular uma gama de atividades biológicas. A PgTeL e SteLL são lectinas de origem vegetal, isoladas da  sarcotesta da romã (Punica granatum) e folhas de aroeira da praia (Schinus terebinthifolia), respectivamente. Devido a essa característica em reconhecer carboidratos, uma vez ligadas a fluoróforos, as lectinas podem formar interessantes sondas fluorescentes. Os Quantum dots (QDs), vem sendo largamente utilizados como nanossondas fluorescentes em investigações envolvendo alvos das lectinas em sistemas biológicos por possuírem propriedades físico-quimica intrínsecas como resistência a fotodegradação e superfície ativa para conjugações a diferentes biomoléculas. Nesse sentido, objetivo dessa pesquisa foi desenvolver novas nanoferramentas fluorescentes baseadas em QDs, PgTeL ou SteLL para estudos glicobiológicos. Utilizamos o Cryptococcus neoformans como modelo devido a sua complexidade e rica glicocomposição. Inicialmente foram realizadas as coletas dos materiais vegetais e purificações das lectinas, dosagem proteica (DP), atividade hemaglutinante (AHE) e focalização isoelétrica (pI). Posteriormente, síntese dos QDs carboxilados seguidos pelas conjugações em diferentes pHs bem como as caracterizações opticas, estabilidade das lectinas nos conjugados e AHE livres ou previamente inibidos com N-acetilglicosamina, fetuína, ovalbumina ou azocaseína. Como modelo biológico, foram analisadas as marcações nas leveduras de Cryptococcus neoformans por citometria de fluxo de microscopia de fluorescência. Os resultados gerais mostramque a PgTeL apresentou DP = 3,14 mg/mL; AHE = 163,06 e pI = 6,5; já a SteLL DP = 2,0 mg/mL; AHE = 1019;  pI= 5,7. A citometria revelou uma marcação superior a 99% em C. neoformans para ambos os conjugados, confirmadas pela intensa marcação na parede celular da levedura por microscopia de fluorescência. Adicionalmente, a partir da inibição dos conjugados com glicoproteínas foi observada uma diminuição considerável na marcação celular demonstrando especificidade do conjugado. De acordo com as caracterizações ópticas o conjugado QDs-PgTeL apresentarou um blueshift em relação ao QDs livre e o QDs-SteLL houve um redshift. Através da microplaca de fluorescência foi observada uma fluorescência relativa de 1262% e 374%, para QDs-PgTeL e QDs-SteLL, respectivamente, indicativos de eficientes conjugações. Como conclusãoforam obtidos conjugados para amplas as lectinas estáveis e que podem ser utilizados como uma nova nanoferramenta para investigação de glicoconjugados na superfície de patógenos


  • Mostrar Abstract
  • Lectinas são proteínas/glicoproteínas que se ligam reversivelmente a carboidratos, uma vez ligadas, essas proteínas podem estimular uma gama de atividades biológicas. A PgTeL e SteLL são lectinas de origem vegetal, isoladas da  sarcotesta da romã (Punica granatum) e folhas de aroeira da praia (Schinus terebinthifolia), respectivamente. Devido a essa característica em reconhecer carboidratos, uma vez ligadas a fluoróforos, as lectinas podem formar interessantes sondas fluorescentes. Os Quantum dots (QDs), vem sendo largamente utilizados como nanossondas fluorescentes em investigações envolvendo alvos das lectinas em sistemas biológicos por possuírem propriedades físico-quimica intrínsecas como resistência a fotodegradação e superfície ativa para conjugações a diferentes biomoléculas. Nesse sentido, objetivo dessa pesquisa foi desenvolver novas nanoferramentas fluorescentes baseadas em QDs, PgTeL ou SteLL para estudos glicobiológicos. Utilizamos o Cryptococcus neoformans como modelo devido a sua complexidade e rica glicocomposição. Inicialmente foram realizadas as coletas dos materiais vegetais e purificações das lectinas, dosagem proteica (DP), atividade hemaglutinante (AHE) e focalização isoelétrica (pI). Posteriormente, síntese dos QDs carboxilados seguidos pelas conjugações em diferentes pHs bem como as caracterizações opticas, estabilidade das lectinas nos conjugados e AHE livres ou previamente inibidos com N-acetilglicosamina, fetuína, ovalbumina ou azocaseína. Como modelo biológico, foram analisadas as marcações nas leveduras de Cryptococcus neoformans por citometria de fluxo de microscopia de fluorescência. Os resultados gerais mostramque a PgTeL apresentou DP = 3,14 mg/mL; AHE = 163,06 e pI = 6,5; já a SteLL DP = 2,0 mg/mL; AHE = 1019;  pI= 5,7. A citometria revelou uma marcação superior a 99% em C. neoformans para ambos os conjugados, confirmadas pela intensa marcação na parede celular da levedura por microscopia de fluorescência. Adicionalmente, a partir da inibição dos conjugados com glicoproteínas foi observada uma diminuição considerável na marcação celular demonstrando especificidade do conjugado. De acordo com as caracterizações ópticas o conjugado QDs-PgTeL apresentarou um blueshift em relação ao QDs livre e o QDs-SteLL houve um redshift. Através da microplaca de fluorescência foi observada uma fluorescência relativa de 1262% e 374%, para QDs-PgTeL e QDs-SteLL, respectivamente, indicativos de eficientes conjugações. Como conclusãoforam obtidos conjugados para amplas as lectinas estáveis e que podem ser utilizados como uma nova nanoferramenta para investigação de glicoconjugados na superfície de patógenos

4
  • JOSIVAN BARBOSA DE FARIAS
  • AVALIAÇÃO DAS INTERAÇÕES BIOLÓGICAS POR ELETROQUÍMICA ENTRE MICROORGANISMOS ENDOFÍTICOS E LECTINA GALACTOSE ESPECÍFICA (BmoLL) ISOLADOS DE FOLHAS DE Bauhinia monandra Kurz.

  • Orientador : LUANA CASSANDRA BREITENBACH BARROSO COELHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANDRE DE LIMA AIRES
  • HALLYSSON DOUGLAS ANDRADE DE ARAUJO
  • LUANA CASSANDRA BREITENBACH BARROSO COELHO
  • Data: 28/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • A espécie vegetal Bauhinia monandraKurz., pertencente a família Fabaceae e amplamente distribuída no território brasileiro é conhecida popularmente como “pata de vaca” e utilizada principalmente na medicina pelo uso no tratamento de inflamação e Diabetes. Bactérias endofíticas podem promover inúmeras vantagens a suas plantas hospedeiras, como indução do crescimento e defesa contra agentes patogênicos. Lectinas são proteínas reconhecedoras e ligantes de carboidratos e promovem inúmeras atividades biológicas. E em alguns estudos foram demonstrados a capacidade de lectinas aglutinar células bacterianas endofíticas sem promover atividade antimicrobiana. Processos de caracterização de lectinas são fundamentais para definição de sua estrutura e função, sendo empregados métodos convencionais e diferenciados para este processo, como a técnica eletroquímica de Voltametria Cíclica. O objetivo do presente estudo foi avaliar a interação entre bactérias endofíticas e a lectina galactose específica BmoLL isolados de folhas de B. monandra com técnicas de aglutinação e eletroquímica como estrtégia de caracterização da lectina. Nos ensaios de aglutinação BmoLL  foi testada para três estírpes bacterianas Bacillus sp. , Burkholderia sp. e Enterobacter sp., onde a lectina promoveu  maior atividade aglutinante em células de Enterobacter sp. em títulos de 1.024¹. E em ensaios de inibição por galactose, ainda manteve atividade aglutinante para Enterobacter sp. em títulos de 8¹. Nos ensaios eletroquímicos com Voltametria cíclica, as diminuições das correntes de pico catódica e anódica de  BmoLL imobilizada em eletrodo de ouro na presenção de carboidratos redutores Glicose e Galactose, foi possível perceber a interação eletroquímica específica da lectina por galactose. Nos ensaios com as bactérias endofíticas, BmoLL imobilizada em eletrodo de Ouro promoveu interação com as três estípes endofíticas testadas, sendo detectado uma diminuição dos processos de oxidação e redução na interface eletrodo/solução a medida que aumentava a concentração de bactérias. Diante dos resultados foi possível perceber a possibilidade de caracterização eletroquímica da lectina BmoLL na interação com bactérias endofíticas.



  • Mostrar Abstract
  • A espécie vegetal Bauhinia monandraKurz., pertencente a família Fabaceae e amplamente distribuída no território brasileiro é conhecida popularmente como “pata de vaca” e utilizada principalmente na medicina pelo uso no tratamento de inflamação e Diabetes. Bactérias endofíticas podem promover inúmeras vantagens a suas plantas hospedeiras, como indução do crescimento e defesa contra agentes patogênicos. Lectinas são proteínas reconhecedoras e ligantes de carboidratos e promovem inúmeras atividades biológicas. E em alguns estudos foram demonstrados a capacidade de lectinas aglutinar células bacterianas endofíticas sem promover atividade antimicrobiana. Processos de caracterização de lectinas são fundamentais para definição de sua estrutura e função, sendo empregados métodos convencionais e diferenciados para este processo, como a técnica eletroquímica de Voltametria Cíclica. O objetivo do presente estudo foi avaliar a interação entre bactérias endofíticas e a lectina galactose específica BmoLL isolados de folhas de B. monandra com técnicas de aglutinação e eletroquímica como estrtégia de caracterização da lectina. Nos ensaios de aglutinação BmoLL  foi testada para três estírpes bacterianas Bacillus sp. , Burkholderia sp. e Enterobacter sp., onde a lectina promoveu  maior atividade aglutinante em células de Enterobacter sp. em títulos de 1.024¹. E em ensaios de inibição por galactose, ainda manteve atividade aglutinante para Enterobacter sp. em títulos de 8¹. Nos ensaios eletroquímicos com Voltametria cíclica, as diminuições das correntes de pico catódica e anódica de  BmoLL imobilizada em eletrodo de ouro na presenção de carboidratos redutores Glicose e Galactose, foi possível perceber a interação eletroquímica específica da lectina por galactose. Nos ensaios com as bactérias endofíticas, BmoLL imobilizada em eletrodo de Ouro promoveu interação com as três estípes endofíticas testadas, sendo detectado uma diminuição dos processos de oxidação e redução na interface eletrodo/solução a medida que aumentava a concentração de bactérias. Diante dos resultados foi possível perceber a possibilidade de caracterização eletroquímica da lectina BmoLL na interação com bactérias endofíticas.


5
  • NAIR SILVA MACÊDO
  • AVALIAÇÃO DA INIBIÇÃO DE BOMBA DE EFLUXO PELOS EXTRATOS ETANÓLICO DE Libidibia ferrea (MART. EX TUL.) L.P.QUEIROZ SOBRE Staphylococcus aureus E SUA TOXICIDADE EM Drosophila melanogaster

  • Orientador : MARCIA VANUSA DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • HENRIQUE DOUGLAS MELO COUTINHO
  • MARCIA VANUSA DA SILVA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 02/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Libidibia ferrea (Mart. ex Tul.) L.P.Queiroz é uma espécie arbórea, encontrada no domínio fitogeográfico Caatinga que tem sido utilizada na medicina popular como anti-inflamatória, cicatrizante, analgésica e para o tratamento de distúrbios do sistema respiratório. Diante disso, o objetivo do presente estudo foi avaliar a composição química dos extratos etanólicos das folhas e entrecascas de Libidibia ferrea, bem como, verificar a sua atividade antibacteriana e como potencial inibidor da bomba de efluxo TetK em cepas de Staphylococcus aureus, além de investigar a toxicidade dos extratos em modelo de Drosophila melanogaster. Foi realizada a análise e quantificação dos marcadores dos extratos por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE). Para determinação da Concentração Inibitória Mínima (CIM) foram realizados ensaios de microdiluição em caldo. A avaliação da inibição da bomba de efluxo foi realizada através da modificação da CIM dos antibióticos e do brometo de etídio. Enquanto que ensaios de mortalidade e geotaxia negativa foram utilizados para verificar a toxicidade dos extratos em D. melanogaster. Foram encontrados nas análises por CLAE taninos hidrolisáveis (ácido gálico e ácido elágico) e flavonóides. Os extratos não apresentaram atividade antibacteriana, demonstrando uma CIM ≥ 1024 µg/mL, entretanto o extrato etanólico das folhas diminuiu a CIM do antibiótico de 64 µg/mL para 16 µg/mL, porém esse efeito não está associado à inibição de bomba de efluxo. Os extratos não demonstraram toxicidade em modelo de D. melanogaster. Esse é o primeiro estudo que avalia a atividade antibacteriana de extratos de L. ferrea sobre a cepa IS-58 de S. aureus, como também é o primeiro a investigar sua toxicidade utilizando D. melanogaster. Em face dos resultados, são necessários novos estudos para determinar os mecanismos de ação do extrato com outros antibióticos.


     



  • Mostrar Abstract
  • Libidibia ferrea (Mart. ex Tul.) L.P.Queiroz é uma espécie arbórea, encontrada no domínio fitogeográfico Caatinga que tem sido utilizada na medicina popular como anti-inflamatória, cicatrizante, analgésica e para o tratamento de distúrbios do sistema respiratório. Diante disso, o objetivo do presente estudo foi avaliar a composição química dos extratos etanólicos das folhas e entrecascas de Libidibia ferrea, bem como, verificar a sua atividade antibacteriana e como potencial inibidor da bomba de efluxo TetK em cepas de Staphylococcus aureus, além de investigar a toxicidade dos extratos em modelo de Drosophila melanogaster. Foi realizada a análise e quantificação dos marcadores dos extratos por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE). Para determinação da Concentração Inibitória Mínima (CIM) foram realizados ensaios de microdiluição em caldo. A avaliação da inibição da bomba de efluxo foi realizada através da modificação da CIM dos antibióticos e do brometo de etídio. Enquanto que ensaios de mortalidade e geotaxia negativa foram utilizados para verificar a toxicidade dos extratos em D. melanogaster. Foram encontrados nas análises por CLAE taninos hidrolisáveis (ácido gálico e ácido elágico) e flavonóides. Os extratos não apresentaram atividade antibacteriana, demonstrando uma CIM ≥ 1024 µg/mL, entretanto o extrato etanólico das folhas diminuiu a CIM do antibiótico de 64 µg/mL para 16 µg/mL, porém esse efeito não está associado à inibição de bomba de efluxo. Os extratos não demonstraram toxicidade em modelo de D. melanogaster. Esse é o primeiro estudo que avalia a atividade antibacteriana de extratos de L. ferrea sobre a cepa IS-58 de S. aureus, como também é o primeiro a investigar sua toxicidade utilizando D. melanogaster. Em face dos resultados, são necessários novos estudos para determinar os mecanismos de ação do extrato com outros antibióticos.


     


6
  • ZILDENE DE SOUSA SILVEIRA
  • DIVERSIDADE GENÔMICA DE CEPAS DE SARS-CoV-2 DURANTE A PRIMEIRA ONDA DA COVID-19 NO ESTADO DE PERNAMBUCO, BRASIL"

  • Orientador : VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • REGINALDO GONCALVES DE LIMA NETO
  • ROSANE SILVA
  • VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
  • Data: 04/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A Síndrome Respiratória Aguda Grave coronavírus 2 (SARS-CoV-2) é responsável pela pandemia da doença do coronavírus-2019 (COVID-19), a qual levou à notificação de mais de 200 milhões de casos em todo o mundo. Desde então, a vigilância genômica tem sido uma ferramenta fundamental para rastrear a disseminação viral. Neste estudo fornecemos uma análise detalhada da dinâmica temporal de mutações e linhagens de SARS-CoV-2 durante a primeira onda da pandemia no estado de Pernambuco, Brasil. Para isso, realizamos a caracterização de 67 genomas de 22 municípios, os quais foram combinados com 293 sequências de Pernambuco disponíveis no GISAID. Detectamos um total de 962 SNPs em regiões codificantes, a maioria deles localizados na ORF1ab. Observamos padrões dinâmicos de mutações correlacionados a propagação de linhagens ao longo da primeira onda. Observamos a presença de mutações com frequências relativas constantes em Pernambuco durante todo o período de amostragem C241T, C3037T (F924F), C14408T (P4715L/P323L), A23403G (D614G), G28881A (R203K), G28882A (R203R) e G28883C (G204R). Foi detectada a circulação simultânea de 18 linhagens em Pernambuco, sendo as mais prevalentes B.1.1, B.1.1.28, B.1.1.33 e P.2, respectivamente. A rede de haplótipos e a análise filogenômica mostraram que as sequências se agruparam em 4 clados principais de acordo com a dinâmica evolutiva de SARS-CoV-2, tendo havido importações iniciais de linhagens, seguida por expansão e transmissão local de linhagens nacionais, contribuindo para o crescimento acelerado da epidemia regional. Esses resultados evidenciam elevados níveis de diversidade genômica em Pernambuco e destacam a importância de investigações contínuas em vigilância genômica para rastreamento de variantes virais.


  • Mostrar Abstract
  • A Síndrome Respiratória Aguda Grave coronavírus 2 (SARS-CoV-2) é responsável pela pandemia da doença do coronavírus-2019 (COVID-19), a qual levou à notificação de mais de 200 milhões de casos em todo o mundo. Desde então, a vigilância genômica tem sido uma ferramenta fundamental para rastrear a disseminação viral. Neste estudo fornecemos uma análise detalhada da dinâmica temporal de mutações e linhagens de SARS-CoV-2 durante a primeira onda da pandemia no estado de Pernambuco, Brasil. Para isso, realizamos a caracterização de 67 genomas de 22 municípios, os quais foram combinados com 293 sequências de Pernambuco disponíveis no GISAID. Detectamos um total de 962 SNPs em regiões codificantes, a maioria deles localizados na ORF1ab. Observamos padrões dinâmicos de mutações correlacionados a propagação de linhagens ao longo da primeira onda. Observamos a presença de mutações com frequências relativas constantes em Pernambuco durante todo o período de amostragem C241T, C3037T (F924F), C14408T (P4715L/P323L), A23403G (D614G), G28881A (R203K), G28882A (R203R) e G28883C (G204R). Foi detectada a circulação simultânea de 18 linhagens em Pernambuco, sendo as mais prevalentes B.1.1, B.1.1.28, B.1.1.33 e P.2, respectivamente. A rede de haplótipos e a análise filogenômica mostraram que as sequências se agruparam em 4 clados principais de acordo com a dinâmica evolutiva de SARS-CoV-2, tendo havido importações iniciais de linhagens, seguida por expansão e transmissão local de linhagens nacionais, contribuindo para o crescimento acelerado da epidemia regional. Esses resultados evidenciam elevados níveis de diversidade genômica em Pernambuco e destacam a importância de investigações contínuas em vigilância genômica para rastreamento de variantes virais.

7
  • ELISANDRA CIBELY CABRAL DE MELO
  • CARACTERIZAÇÃO REOLÓGICA E AVALIAÇÃO DE PROPRIEDADES FUNCIONAIS DE DIFERENTES POLISSACARÍDEOS DE PLANTAS DO NORDESTE

  • Orientador : MARIA DAS GRACAS CARNEIRO DA CUNHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCIA VANUSA DA SILVA
  • MARTHYNA PESSOA DE SOUZA
  • PAULO ANTONIO GALINDO SOARES
  • Data: 16/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Polissacarídeos são macromoléculas naturais com potencial atividade emulsificante devido sua habilidade espessante. Nesse trabalho, a galactomanana (G) e a xiloglucana (X) extraídas das sementes de Cassia grandis e Hymenaea coubaril respectivamente, e o arabinogalactano (P) extraído do exsudato de Anacardium occidentale e a goma bruta de Schinopsis brasiliensis (GB), foram testados em diferentes formulações óleo/água a fim de avaliar sua atividade emulsificante, utilizando a goma arábica (GA) como controle positivo para comparação. Para estudar a atividade emulsificante de cada polissacarídeo, um planejamento experimental em três etapas foi desenvolvido. Em cada etapa, parâmetros como a concentração da goma ou polissacarídeo, a concentração de óleo, a velocidade de agitação e o tempo de agitação, foram estudados. A avaliação das propriedades físico-químicas das emulsões indicou que a velocidade de agitação e a concentração de óleo foram as variáveis que mais influenciaram na estabilidade das emulsões. Independente do tipo de goma ou polissacarídeo, as emulsões que foram preparadas com a maior velocidade de agitação (25000 rpm) e menor concentração de óleo (1,0 % v/v), em geral, apresentaram menor tamanho de gotícula e PDI, e portanto, maior estabilidade. Comparando as propriedades reológicas e emulsificantes entre GB e GA, foi verificado que GB pode ser um excelente substituto emulsificante para as gomas comerciais já aplicadas nas indústrias, principalmente na área alimentar. Além disso, os polissacarídeos G, X e P também demonstraram possuir excelentes propriedades emulsificantes, contudo apenas G e X foram classificadas como bons estabilizantes de emulsões a longo prazo (28 dias). Apesar da concentração das gomas e dos polissacarídeos não ter sido uma variável significante que venha a prejudicar a estabilidade das emulsões aqui estudadas, foi verificado que a concentração de 0,4 % (p/v) manteve as emulsões preparadas com GB, G e X estabilizadas por mais tempo (28 dias) que GA e P. Apesar de P não ter sido um agente emulsificante de boa estabilidade, novos estudos variando as condições de preparo dessas emulsões podem melhorar os seus parâmetros de estabilidade. 




  • Mostrar Abstract
  • Polissacarídeos são macromoléculas naturais com potencial atividade emulsificante devido sua habilidade espessante. Nesse trabalho, a galactomanana (G) e a xiloglucana (X) extraídas das sementes de Cassia grandis e Hymenaea coubaril respectivamente, e o arabinogalactano (P) extraído do exsudato de Anacardium occidentale e a goma bruta de Schinopsis brasiliensis (GB), foram testados em diferentes formulações óleo/água a fim de avaliar sua atividade emulsificante, utilizando a goma arábica (GA) como controle positivo para comparação. Para estudar a atividade emulsificante de cada polissacarídeo, um planejamento experimental em três etapas foi desenvolvido. Em cada etapa, parâmetros como a concentração da goma ou polissacarídeo, a concentração de óleo, a velocidade de agitação e o tempo de agitação, foram estudados. A avaliação das propriedades físico-químicas das emulsões indicou que a velocidade de agitação e a concentração de óleo foram as variáveis que mais influenciaram na estabilidade das emulsões. Independente do tipo de goma ou polissacarídeo, as emulsões que foram preparadas com a maior velocidade de agitação (25000 rpm) e menor concentração de óleo (1,0 % v/v), em geral, apresentaram menor tamanho de gotícula e PDI, e portanto, maior estabilidade. Comparando as propriedades reológicas e emulsificantes entre GB e GA, foi verificado que GB pode ser um excelente substituto emulsificante para as gomas comerciais já aplicadas nas indústrias, principalmente na área alimentar. Além disso, os polissacarídeos G, X e P também demonstraram possuir excelentes propriedades emulsificantes, contudo apenas G e X foram classificadas como bons estabilizantes de emulsões a longo prazo (28 dias). Apesar da concentração das gomas e dos polissacarídeos não ter sido uma variável significante que venha a prejudicar a estabilidade das emulsões aqui estudadas, foi verificado que a concentração de 0,4 % (p/v) manteve as emulsões preparadas com GB, G e X estabilizadas por mais tempo (28 dias) que GA e P. Apesar de P não ter sido um agente emulsificante de boa estabilidade, novos estudos variando as condições de preparo dessas emulsões podem melhorar os seus parâmetros de estabilidade. 



8
  • JEANDERSON MARCELINO DA SILVA
  • AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTIVIRULÊNCIA DO INIBIDOR DE TRIPSINA ISOLADO DE Enterolobium contortisiliquum (EcTI) CONTRA Staphylococcus aureus e Candida albicans

  • Orientador : MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLOVIS MACEDO BEZERRA FILHO
  • MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • WESLLEY FELIX DE OLIVEIRA
  • Data: 21/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A prospecção por novos padrões moleculares visando o tratamento de doenças causadas por microrganismos patogênicos tem aumentado nas últimas décadas, em decorrência do surgimento de cepas resistentes às terapias vigentes, mas também devido aos seus efeitos tóxicos. Bactérias e fungos apresentam vasto repertório de moléculas como as proteases, enzimas catalisadoras de ligações peptídicas, essenciais para infectividade e virulência. Estudos mostraram que compostos como aqueles oriundos de fontes biológicas, reduziram a infectividade e proteção de diversos microrganismos pela ação inibitória sobre proteases específicas. De posse dessas informações, os inibidores derivados de plantas podem ser pleiteados como potenciais fármacos para atenuar complicações clínicas provocadas por patógenos como Staphylococcuss aureus e Candida albicans. Ensaios in vitro revelaram a capacidade de um Inibidor de Tripsina de Enterolobium contortisiliquum (EcTI) em promover ação antivirulência contra esses patógenos oportunistas, dificultando a produção do pigmento estafiloxantina da S. aureus, que uma vez ausente torna a bactéria suscetível à defesa imunológica do hospedeiro. A capacidade de S. aureus em causar hemólise e de produzir biofilme também foi reduzida na presença desse composto natural. O EcTI ainda prejudicou a formação do biofilme de C. albicans, promovendo inclusive a quebra dessa barreira protetora. Diante desse cenário, esse estudo oportuniza discussões sobre os mecanismos virulentos relacionados às proteases e aos efeitos provocados por inibidores. Além disso, as atividades in vitro realizadas concedem o primeiro relato sobre os efeitos do EcTI na antivirulência contra S. aureus e C. albicans.


  • Mostrar Abstract
  • A prospecção por novos padrões moleculares visando o tratamento de doenças causadas por microrganismos patogênicos tem aumentado nas últimas décadas, em decorrência do surgimento de cepas resistentes às terapias vigentes, mas também devido aos seus efeitos tóxicos. Bactérias e fungos apresentam vasto repertório de moléculas como as proteases, enzimas catalisadoras de ligações peptídicas, essenciais para infectividade e virulência. Estudos mostraram que compostos como aqueles oriundos de fontes biológicas, reduziram a infectividade e proteção de diversos microrganismos pela ação inibitória sobre proteases específicas. De posse dessas informações, os inibidores derivados de plantas podem ser pleiteados como potenciais fármacos para atenuar complicações clínicas provocadas por patógenos como Staphylococcuss aureus e Candida albicans. Ensaios in vitro revelaram a capacidade de um Inibidor de Tripsina de Enterolobium contortisiliquum (EcTI) em promover ação antivirulência contra esses patógenos oportunistas, dificultando a produção do pigmento estafiloxantina da S. aureus, que uma vez ausente torna a bactéria suscetível à defesa imunológica do hospedeiro. A capacidade de S. aureus em causar hemólise e de produzir biofilme também foi reduzida na presença desse composto natural. O EcTI ainda prejudicou a formação do biofilme de C. albicans, promovendo inclusive a quebra dessa barreira protetora. Diante desse cenário, esse estudo oportuniza discussões sobre os mecanismos virulentos relacionados às proteases e aos efeitos provocados por inibidores. Além disso, as atividades in vitro realizadas concedem o primeiro relato sobre os efeitos do EcTI na antivirulência contra S. aureus e C. albicans.

9
  • RICARDO SALAS ROLDAN FILHO
  • Heveínas da seringueira (Hevea brasiliensis): Prospecção in silico, análise estrutural e expressão diferencial sob estresses biótico e abiótico

  • Orientador : ANA MARIA BENKO ISEPPON
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA MARIA BENKO ISEPPON
  • MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • SERGIO CROVELLA
  • Data: 22/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A síntese de peptídeos antimicrobianos (AMPs) foi uma alternativa encontrada pelas plantas que garantiu sua sobrevivência frente aos estresses como ataque de herbívoros e de agentes patogênicos. Tais peptídeos são classificados de acordo com padrões de cisteína, hidrofobicidade e motivos conservados na estrutura primária, secundária e terciária. Entre as classes pode-se destacar os peptídeos hevein-like, que são pequenas lectinas com domínio heveína o qual é responsável pela ligação à quitina. O nome da classe vem do peptídeo antifúngico “heveína”, descoberto no látex da seringueira (Hevea brasiliensis). Tendo em vista o aumento do número de cepas resistentes aos antibióticos convencionais, o presente estudo buscou prospectar a diversidade de peptídeos hevein-like em H. brasiliensis, caracteriza-los estruturalmente, predizer seu potencial antimicrobiano, desenhar pelo menos um peptídeo bioinspirado nas sequências e avaliar sua atividade antimicrobiana. Para isso, foram utilizadas sequências hevein-like de outras espécies como templates para mineração in silico em banco de dados proteicos de H. brasiliensis. As sequências dos peptídeos hevein-like de H. brasilienisi (HbHevs) foram caracterizadas, as estruturas tridimensionais foram montadas por modelagem comparativa (software Modeller 10.0) e a estabilidade dos melhores modelos foram avaliados pela simulação molecular pelo pacote GROMACS 2019.4. Em paralelo, foram realizados desenhos racionais de peptídeos baseados nas HbHevs, destacando regiões com melhores probabilidades antimicrobianas e modificando pontualmente determinados resíduos de aminoácidos de forma a aumentar essa probabilidade. As estruturas dos peptídeos desenhados foram geradas por modelagem ab initio (Rosetta 3.10) e então submetidas à simulação molecular. Nesse estudo, foram encontrados 11 HbHevs hidrofílicas com massa molecular 4.19 – 4.7 kDa, ponto isoelétrico médio 4.9 (3.7 – 7.5), carga líquida no geral aniônica. Foi observada a conservação nas posições dos resíduos responsáveis pelo sítio de ligação à quitina, principalmente em Ser e Tyr. No entanto, em HbHev11 houveram mutações Cys17🡪 Ser17 e Tyr23🡪 Cys23 que resultaram em uma baixa estabilidade na simulação molecular. As HbHevs 8-11 apresentaram deleções no primeiro loop estrutural, resultando na perda da ponte dissulfeto C1-C4. Apesar da perda de pontes dissulfeto dentro do domínio, as análises de desvio da raiz média quadrática (RMSD), flutuação da raiz quadrática média (RMSF), número de pontes de hidrogênio e raio de giro se mostraram estáveis. Os peptídeos desenhados apresentaram altas probabilidades de atividade antimicrobiana através de preditores CAMPR3, Antifp, ClassAMP e MLAMP, assim como baixa probabilidade de toxicidade, alergenicidade e hemolítica. Os peptídeos selecionados apresentaram estabilidade nos parâmetros de concentração salina fisiológica na simulação molecular, onde adotaram conformação Beta-hairpin. Dessa forma, o presente trabalho encontrou peptídeos hevein-like em H. brasiliensis com configurações canônicas e outras distintas, fornecendo uma diversidade no arsenal químico contra fitopatógenos, assim como podem ser aproveitados como base para desenvolvimento de peptídeos bioinspirados de interesse à saúde humana.


  • Mostrar Abstract
  • A síntese de peptídeos antimicrobianos (AMPs) foi uma alternativa encontrada pelas plantas que garantiu sua sobrevivência frente aos estresses como ataque de herbívoros e de agentes patogênicos. Tais peptídeos são classificados de acordo com padrões de cisteína, hidrofobicidade e motivos conservados na estrutura primária, secundária e terciária. Entre as classes pode-se destacar os peptídeos hevein-like, que são pequenas lectinas com domínio heveína o qual é responsável pela ligação à quitina. O nome da classe vem do peptídeo antifúngico “heveína”, descoberto no látex da seringueira (Hevea brasiliensis). Tendo em vista o aumento do número de cepas resistentes aos antibióticos convencionais, o presente estudo buscou prospectar a diversidade de peptídeos hevein-like em H. brasiliensis, caracteriza-los estruturalmente, predizer seu potencial antimicrobiano, desenhar pelo menos um peptídeo bioinspirado nas sequências e avaliar sua atividade antimicrobiana. Para isso, foram utilizadas sequências hevein-like de outras espécies como templates para mineração in silico em banco de dados proteicos de H. brasiliensis. As sequências dos peptídeos hevein-like de H. brasilienisi (HbHevs) foram caracterizadas, as estruturas tridimensionais foram montadas por modelagem comparativa (software Modeller 10.0) e a estabilidade dos melhores modelos foram avaliados pela simulação molecular pelo pacote GROMACS 2019.4. Em paralelo, foram realizados desenhos racionais de peptídeos baseados nas HbHevs, destacando regiões com melhores probabilidades antimicrobianas e modificando pontualmente determinados resíduos de aminoácidos de forma a aumentar essa probabilidade. As estruturas dos peptídeos desenhados foram geradas por modelagem ab initio (Rosetta 3.10) e então submetidas à simulação molecular. Nesse estudo, foram encontrados 11 HbHevs hidrofílicas com massa molecular 4.19 – 4.7 kDa, ponto isoelétrico médio 4.9 (3.7 – 7.5), carga líquida no geral aniônica. Foi observada a conservação nas posições dos resíduos responsáveis pelo sítio de ligação à quitina, principalmente em Ser e Tyr. No entanto, em HbHev11 houveram mutações Cys17🡪 Ser17 e Tyr23🡪 Cys23 que resultaram em uma baixa estabilidade na simulação molecular. As HbHevs 8-11 apresentaram deleções no primeiro loop estrutural, resultando na perda da ponte dissulfeto C1-C4. Apesar da perda de pontes dissulfeto dentro do domínio, as análises de desvio da raiz média quadrática (RMSD), flutuação da raiz quadrática média (RMSF), número de pontes de hidrogênio e raio de giro se mostraram estáveis. Os peptídeos desenhados apresentaram altas probabilidades de atividade antimicrobiana através de preditores CAMPR3, Antifp, ClassAMP e MLAMP, assim como baixa probabilidade de toxicidade, alergenicidade e hemolítica. Os peptídeos selecionados apresentaram estabilidade nos parâmetros de concentração salina fisiológica na simulação molecular, onde adotaram conformação Beta-hairpin. Dessa forma, o presente trabalho encontrou peptídeos hevein-like em H. brasiliensis com configurações canônicas e outras distintas, fornecendo uma diversidade no arsenal químico contra fitopatógenos, assim como podem ser aproveitados como base para desenvolvimento de peptídeos bioinspirados de interesse à saúde humana.

10
  • VITOR ALFREDO DE SANTANA SILVA
  • EFEITO TERAPÊUTICO DE DIFERENTES CONDROITINS SULFATO EM MODELO ANIMAL DE OSTEOARTRITE

  • Orientador : MARIA DAS GRACAS CARNEIRO DA CUNHA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KÁTIA ALVES RIBEIRO
  • PAULO ANTONIO GALINDO SOARES
  • RAFAEL MATOS XIMENES
  • Data: 23/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A osteoartrite (OA) é uma doença sem tratamento claro e eficaz que afeta mais de 237 milhões de pessoas no mundo. Devido a ineficácia dos tratamentos atuais, novas alternativas terapêutica mais eficazes e com menos efeitos colaterais tem sido necessárias. O condroitim sulfato (CS) é um polissacarídeo sulfatado (PS) bastante recomendado para o tratamento de pacientes com OA de joelho, apesar de sua eficácia terapêutica ainda não estar bem estabelecida. O condroitim sulfato fucosilado (CSF) é um PS extraído de organismos marinhos e que possui uma estrutura análoga ao CS de mamíferos, e que por apresentarem excelentes propriedade anti-inflamatórias, é um candidato promissor para o tratamento da OA. Devido ao potencial terapêutico desses PSs, este trabalho visou avaliar o efeito terapêutico do CS de traqueia bovina (CS-A), da cartilagem de tubarão (CS-C) e do CSF da parede corporal do pepino-do-mar Holothuria grisea em modelo in vivo de OA induzido por monoiodoacetato de sódio na articulação femoropatelar de camundongos C57BL/6. Após indução da OA, os camundongos foram divididos aleatoriamente em grupos (n = 5) de acordo com o tratamento oral diário durante 28 dias: (1) SHAM (falso operado, salina 0,9 % v.o.); (2) controle negativo (doente, salina 0,9% v.o); (3) CS-A (doente, 100mg/kg v.o); (4) CS-C (doente, 100mg/kg v.o) e (5) CSF (doente, 100mg/kg v.o). A eficácia dos tratamentos foi avaliada através da mensuração da alodinia (50% do limiar de nocicepção), atividade motora, migração de leucócitos, atividade anti-inflamatória (dosagem de IL-10), análise morfométrica e escore histopatológico OARSI. Durante 28 dias de experimentação, o CS-A (100 mg/kg), CS-C (100 mg/kg) e CSF (100 mg/kg) conseguiram induzir analgesia, aumentar a atividade motora e reduzir a migração de leucócitos de camundongos osteoartriticos de forma significativa em relação ao controle negativo (salina 0,9 %). Além disso, a morfometria revelou um aumento significativo da cartilagem sobre a tíbia para os animais tratado com CS-A e CSF, cujos resultados foram confirmados pela análise histopatológica OARSI, mostrando uma redução da gravidade da OA em relação ao controle negativo. Contudo, apenas CS-A (100 mg/kg) aumentou significativamente os níveis de IL-10, sugerindo que esta molécula possui uma atividade protetora contra a degeneração da cartilagem através da regulação da inflamação. Apesar de preliminares, os mecanismos envolvidos no tratamento com CSF precisam ser melhores investigados, visto que seu efeito protetor na OA foi semelhante ao apresentado para o CS-A.


     


  • Mostrar Abstract
  • A osteoartrite (OA) é uma doença sem tratamento claro e eficaz que afeta mais de 237 milhões de pessoas no mundo. Devido a ineficácia dos tratamentos atuais, novas alternativas terapêutica mais eficazes e com menos efeitos colaterais tem sido necessárias. O condroitim sulfato (CS) é um polissacarídeo sulfatado (PS) bastante recomendado para o tratamento de pacientes com OA de joelho, apesar de sua eficácia terapêutica ainda não estar bem estabelecida. O condroitim sulfato fucosilado (CSF) é um PS extraído de organismos marinhos e que possui uma estrutura análoga ao CS de mamíferos, e que por apresentarem excelentes propriedade anti-inflamatórias, é um candidato promissor para o tratamento da OA. Devido ao potencial terapêutico desses PSs, este trabalho visou avaliar o efeito terapêutico do CS de traqueia bovina (CS-A), da cartilagem de tubarão (CS-C) e do CSF da parede corporal do pepino-do-mar Holothuria grisea em modelo in vivo de OA induzido por monoiodoacetato de sódio na articulação femoropatelar de camundongos C57BL/6. Após indução da OA, os camundongos foram divididos aleatoriamente em grupos (n = 5) de acordo com o tratamento oral diário durante 28 dias: (1) SHAM (falso operado, salina 0,9 % v.o.); (2) controle negativo (doente, salina 0,9% v.o); (3) CS-A (doente, 100mg/kg v.o); (4) CS-C (doente, 100mg/kg v.o) e (5) CSF (doente, 100mg/kg v.o). A eficácia dos tratamentos foi avaliada através da mensuração da alodinia (50% do limiar de nocicepção), atividade motora, migração de leucócitos, atividade anti-inflamatória (dosagem de IL-10), análise morfométrica e escore histopatológico OARSI. Durante 28 dias de experimentação, o CS-A (100 mg/kg), CS-C (100 mg/kg) e CSF (100 mg/kg) conseguiram induzir analgesia, aumentar a atividade motora e reduzir a migração de leucócitos de camundongos osteoartriticos de forma significativa em relação ao controle negativo (salina 0,9 %). Além disso, a morfometria revelou um aumento significativo da cartilagem sobre a tíbia para os animais tratado com CS-A e CSF, cujos resultados foram confirmados pela análise histopatológica OARSI, mostrando uma redução da gravidade da OA em relação ao controle negativo. Contudo, apenas CS-A (100 mg/kg) aumentou significativamente os níveis de IL-10, sugerindo que esta molécula possui uma atividade protetora contra a degeneração da cartilagem através da regulação da inflamação. Apesar de preliminares, os mecanismos envolvidos no tratamento com CSF precisam ser melhores investigados, visto que seu efeito protetor na OA foi semelhante ao apresentado para o CS-A.


     

11
  • KLEBER RIBEIRO FIDELIS
  • EFEITO NEUROCOMPORTAMENTAL DE PREPARAÇÕES DE FOLHAS DE Moringa oleifera

  • Orientador : PATRICIA MARIA GUEDES PAIVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALISSON MACARIO DE OLIVEIRA
  • LEYDIANNE LEITE DE SIQUEIRA PATRIOTA
  • PATRICIA MARIA GUEDES PAIVA
  • Data: 25/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Doenças neurológicas, como depressão e ansiedade, podem causar sérios danos ao comportamento e qualidade de vida das pessoas. Extratos vegetais contendo proteínas e metabólitos secundários são avaliados como alternativas terapeuticas para essas doenças. Compostos vegetais que promovem danos ao organismos humano tem sido descritos e ensaios de toxicidade aguda são indispensáveis na determinação da segurança de uso de um extrato.  As folhas de Moringa oleifera (família Moringaceae) são muito utilizadas na alimentação humana devido ao alto valor nutricional e elevada atividade antioxidante. A dissertação investigou a toxicidade oral aguda do extrato salino das folhas de M. oleifera (ESFMO) na dose de 2000mg/kg em camundongos. Adicionalmente, os ensaios de labirinto em cruz elevado, nado forçado e suspensão de cauda foram realizados visando definir o efeito de ESFMO (500, 1000 e 2000mg/kg) em características comportamentais de depressão e ansiedade em camundongos. No ensaio de toxicidade aguda os animais tratados com ESFMO não houveram óbitos e os parâmetros fisiológicos (ganho de peso, consumo de água e ração), hematológicos e bioquímicos foram semelhantes aos animais não tratados (p>0,05) e nenhuma alteração histo-morfológica no fígado, baço e rins foi detectada. No labirinto em cruz elevado o tratamento com ESFMO aumentou (p<0,05) o número de entradas nos braços abertos (7,0±0,35-8,5±0,31) e fechados (3,5±0,26-4,3±0,29) e o tempo de permanência dos braços abertos (224,17±1,74-388,00±2,95). Também ocorreu redução no tempo de permanência nos braços fechados (112,5±5,95-49,17±3,01) quando comparado ao grupo controle (1,67±0,17-10,16±0,20), porém os resultados foram semelhantes com o diazepam (6,5±0,42; 2,0±0,23;116,3±1,47; 92,33±0,88)  (p>0,05).  Os testes de nado forçado (112,5±1,04-127,33±1,13) e de suspensão de cauda (38,67±0,35-147,17±1,42) revelaram que ESFMO nas concentrações de 1000 e 2000 mg/kg reduziu a atividade locomotora espontânea quando comparado ao controle negativo (74±0,39 e 22,33±0,30), respectivamente. O estudo demonstrou que ESFMO não é letal e apresenta efeito ansiolítico e/ou depressor em camundongos.


  • Mostrar Abstract
  • Doenças neurológicas, como depressão e ansiedade, podem causar sérios danos ao comportamento e qualidade de vida das pessoas. Extratos vegetais contendo proteínas e metabólitos secundários são avaliados como alternativas terapeuticas para essas doenças. Compostos vegetais que promovem danos ao organismos humano tem sido descritos e ensaios de toxicidade aguda são indispensáveis na determinação da segurança de uso de um extrato.  As folhas de Moringa oleifera (família Moringaceae) são muito utilizadas na alimentação humana devido ao alto valor nutricional e elevada atividade antioxidante. A dissertação investigou a toxicidade oral aguda do extrato salino das folhas de M. oleifera (ESFMO) na dose de 2000mg/kg em camundongos. Adicionalmente, os ensaios de labirinto em cruz elevado, nado forçado e suspensão de cauda foram realizados visando definir o efeito de ESFMO (500, 1000 e 2000mg/kg) em características comportamentais de depressão e ansiedade em camundongos. No ensaio de toxicidade aguda os animais tratados com ESFMO não houveram óbitos e os parâmetros fisiológicos (ganho de peso, consumo de água e ração), hematológicos e bioquímicos foram semelhantes aos animais não tratados (p>0,05) e nenhuma alteração histo-morfológica no fígado, baço e rins foi detectada. No labirinto em cruz elevado o tratamento com ESFMO aumentou (p<0,05) o número de entradas nos braços abertos (7,0±0,35-8,5±0,31) e fechados (3,5±0,26-4,3±0,29) e o tempo de permanência dos braços abertos (224,17±1,74-388,00±2,95). Também ocorreu redução no tempo de permanência nos braços fechados (112,5±5,95-49,17±3,01) quando comparado ao grupo controle (1,67±0,17-10,16±0,20), porém os resultados foram semelhantes com o diazepam (6,5±0,42; 2,0±0,23;116,3±1,47; 92,33±0,88)  (p>0,05).  Os testes de nado forçado (112,5±1,04-127,33±1,13) e de suspensão de cauda (38,67±0,35-147,17±1,42) revelaram que ESFMO nas concentrações de 1000 e 2000 mg/kg reduziu a atividade locomotora espontânea quando comparado ao controle negativo (74±0,39 e 22,33±0,30), respectivamente. O estudo demonstrou que ESFMO não é letal e apresenta efeito ansiolítico e/ou depressor em camundongos.

12
  • WILSON DIAS DE OLIVEIRA
  • Avaliação da atividade antimicrobiana e citogenotóxica de análogos de Taumatinas-like de Feijão-Caupi [Vigna unguiculata (L.) WALP.]

  • Orientador : ANA MARIA BENKO ISEPPON
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA CHRISTINA BRASILEIRO VIDAL
  • ANA MARIA BENKO ISEPPON
  • CARLOS ANDRÉ DOS SANTOS SILVA
  • Data: 25/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • O uso desordenado de antibióticos tem aumentado e vem se tornando, nos últimos anos, um grande problema de acordo com a Organização Mundial da Saúde, gerando microrganismos resistentes aos medicamentos tradicionais. Em contrapartida a este problema de saúde pública, novos antibióticos com diferentes vias de ação têm sido pesquisados. Muitos destes antimicrobianos têm sido descobertos a partir da primeira linha de defesa de vegetais, onde os peptídeos antimicrobianos destacam-se como agentes promissores. Portanto, o objetivo do presente estudo foi desenvolver e avaliar pelo menos um peptídeo vegetal bioinspirado em thaumatin-like (TLPs) identificadas no feijão-caupi [Vigna unguiculata (L.) Walp.] fornecendo conhecimentos sobre suas principais características funcionais e toxicidade. No intuito de encontrar novos compostos com atividade antimicrobiana, foram utilizadas como template sequências de TLP obtidas do transcriptoma do feijão caupi. A predição da atividade antimicrobiana e a identificação dessas regiões com atividade foi realizada no servidor CAMPr3 e a toxicidade, no Toxipred. O desenho racional do peptídeo foi conduzido com objetivo de manter a atividade antimicrobiana predita e minimizar a toxicidade dessa molécula. A modelagem tridimensional foi realizada por threading e a estabilidade do modelo foi avaliado pela simulação em dinâmica molecular (DM) pelo pacote GROMACS 2019.4. A síntese do peptídeo foi realizada comercialmente. Por fim, foram realizadas as análises da atividade antimicrobiana contra cepas bacterianas (Staphylococcus aureus ATCC-25923, Pseudomonas aeruginosa ATCC-27853, Klebsiella pneumoniae ATCC-13883 e Acinetobacter baumannii ATCC-19606) e o potencial citotóxico e genotóxico foram avaliados através do ensaio de MTT (Brometo de 3-[4,5-dimetil-tiazol-2-il]-2, 5- difeniltetrazólio) e teste do micronúcleo, utilizando cultura de células de fibroblastos de camundongo (células L929). Os resultados revelaram que o Peptídeo PVu_LTP_Seq1 apresentou potencial de 90% nas predições de atividade antimicrobiana e não apresentou toxicidade e alergenicidade predita, além disso, mostrou-se estável nas análises de desvio da raiz média quadrática (RMSD) e flutuação da raiz quadrática média (RMSF). O peptídeo desenvolvido conseguiu inibir o crescimento bacteriano das quatro cepas testadas, exibindo MIC (Concentração inibitória mínima) de 256 µg/mL (Staphylococcus aureus ATCC-25923), 256 µg/mL (Pseudomonas aeruginosa ATCC-27853), 128 µg/mL (Klebsiella pneumoniae ATCC-13883) e 32 µg/mL (Acinetobacter baumannii ATCC-19606).  PVu_LTP_Seq1 não apresentou danos a linhagem celular nos ensaios citotóxicos e genotóxicos realizados. Dessa forma, o presente trabalho desenvolveu um peptídeo com potencial antimicrobiano e livre de toxicidade nas concentrações e linhagem celular testada, fornecendo informações sobre suas principais características funcionais, ainda podendo ser aproveitado para o uso em terapias alternativas de interesse à saúde humana. 

     

     



  • Mostrar Abstract
  • O uso desordenado de antibióticos tem aumentado e vem se tornando, nos últimos anos, um grande problema de acordo com a Organização Mundial da Saúde, gerando microrganismos resistentes aos medicamentos tradicionais. Em contrapartida a este problema de saúde pública, novos antibióticos com diferentes vias de ação têm sido pesquisados. Muitos destes antimicrobianos têm sido descobertos a partir da primeira linha de defesa de vegetais, onde os peptídeos antimicrobianos destacam-se como agentes promissores. Portanto, o objetivo do presente estudo foi desenvolver e avaliar pelo menos um peptídeo vegetal bioinspirado em thaumatin-like (TLPs) identificadas no feijão-caupi [Vigna unguiculata (L.) Walp.] fornecendo conhecimentos sobre suas principais características funcionais e toxicidade. No intuito de encontrar novos compostos com atividade antimicrobiana, foram utilizadas como template sequências de TLP obtidas do transcriptoma do feijão caupi. A predição da atividade antimicrobiana e a identificação dessas regiões com atividade foi realizada no servidor CAMPr3 e a toxicidade, no Toxipred. O desenho racional do peptídeo foi conduzido com objetivo de manter a atividade antimicrobiana predita e minimizar a toxicidade dessa molécula. A modelagem tridimensional foi realizada por threading e a estabilidade do modelo foi avaliado pela simulação em dinâmica molecular (DM) pelo pacote GROMACS 2019.4. A síntese do peptídeo foi realizada comercialmente. Por fim, foram realizadas as análises da atividade antimicrobiana contra cepas bacterianas (Staphylococcus aureus ATCC-25923, Pseudomonas aeruginosa ATCC-27853, Klebsiella pneumoniae ATCC-13883 e Acinetobacter baumannii ATCC-19606) e o potencial citotóxico e genotóxico foram avaliados através do ensaio de MTT (Brometo de 3-[4,5-dimetil-tiazol-2-il]-2, 5- difeniltetrazólio) e teste do micronúcleo, utilizando cultura de células de fibroblastos de camundongo (células L929). Os resultados revelaram que o Peptídeo PVu_LTP_Seq1 apresentou potencial de 90% nas predições de atividade antimicrobiana e não apresentou toxicidade e alergenicidade predita, além disso, mostrou-se estável nas análises de desvio da raiz média quadrática (RMSD) e flutuação da raiz quadrática média (RMSF). O peptídeo desenvolvido conseguiu inibir o crescimento bacteriano das quatro cepas testadas, exibindo MIC (Concentração inibitória mínima) de 256 µg/mL (Staphylococcus aureus ATCC-25923), 256 µg/mL (Pseudomonas aeruginosa ATCC-27853), 128 µg/mL (Klebsiella pneumoniae ATCC-13883) e 32 µg/mL (Acinetobacter baumannii ATCC-19606).  PVu_LTP_Seq1 não apresentou danos a linhagem celular nos ensaios citotóxicos e genotóxicos realizados. Dessa forma, o presente trabalho desenvolveu um peptídeo com potencial antimicrobiano e livre de toxicidade nas concentrações e linhagem celular testada, fornecendo informações sobre suas principais características funcionais, ainda podendo ser aproveitado para o uso em terapias alternativas de interesse à saúde humana. 

     

     


13
  • RAFAELLA BEZERRA DE LIMA HENRIQUE
  • Interação de Esferoides e Monocamadas de Células de Câncer com Conjugados de Pontos Quânticos e Glicose

  • Orientador : ADRIANA FONTES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADRIANA FONTES
  • CASSIA REGINA ALBUQUERQUE DA CUNHA
  • WESLLEY FELIX DE OLIVEIRA
  • Data: 28/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • O esferoide é um modelo biológico tridimensional que vem apresentando potencial para o estudo de interação com nanopartículas (NPs) por mimetizar o ambiente tumoral. Os pontos quânticos (PQs) são nanocristais de semicondutores que possuem emissão fluorescente fotoestável e superfície ativa para conjugação com moléculas de interesse biológico. Essas vantagens vêm transformando os PQs em nanossondas versáteis para o estudo da biologia celular do câncer. O efeito Warburg relata que as células de câncer podem apresentar uma maior captação de glicose devido ao uso da glicólise para produção energética, mesmo na presença de oxigênio. Assim, o desenvolvimento de modelos biológicos mais complexos como os esferoides e de gliconanossondas baseadas em PQs pode favorecer uma melhor compreensão dos processos biológicos envolvidos no câncer. Nesse contexto, essa dissertação objetivou desenvolver esferoides a partir da linhagem de adenocarcinoma cervical (HeLa) e estudar a interação de conjugados PQs-glicose com esse modelo biológico e monocamadas celulares. Os esferoides foram preparados pelo método da gota suspensa, sendo testadas variações de densidade de células/mL, volume da gota e tempo de crescimento. Os esferoides foram monitorados por microscopia óptica. Os PQs de CdTe foram conjugados à glicose tiolada (GT) explorando a afinidade do grupo tiol da GT pela superfície metálica das NPs. Os PQs e conjugados foram caracterizados por espectroscopias de absorção e emissão. A conjugação dos PQs-GT foi avaliada por espectroscopia de correlação por fluorescência (FCS) e pela marcação citométrica de leveduras de Candida albicans revestidas com concanavalina A, explorando a afinidade lectina-carboidrato. O esferoide escolhido para o estudo foi o proveniente de 20.000 células/mL, gota de 30 μL e 48 h de incubação, por apresentar morfologia característica e preparação reprodutível. O esferoide apresentou dimensões laterais de ca. 250 por 275 μm. Pelo FCS, o conjugado apresentou diâmetro hidrodinâmico cerca de 3,5x maior que os PQs, indicando que houve conjugação; a qual foi confirmada pelo ensaio com Cândida albicans que exibiu uma marcação de ca. 99%, reduzida em ca. 4x ao inibir os sítios da lectina com manopiranosídeo. Uma marcação efetiva, com visualização de vesículas, foi observada nos esferoides e monocamadas por microscopia de fluorescência. Ademais, cerca de 38% das células HeLa cultivadas em monocamada captaram o conjugado em apenas 30 min de incubação. Portanto, foram desenvolvidos esferoides com características típicas e promissoras para ensaios com NPs, bem como uma nova gliconanossonda fluorescente que apresentou potencial para ser aplicada em estudos biológicos associados ao câncer.


     



  • Mostrar Abstract
  • O esferoide é um modelo biológico tridimensional que vem apresentando potencial para o estudo de interação com nanopartículas (NPs) por mimetizar o ambiente tumoral. Os pontos quânticos (PQs) são nanocristais de semicondutores que possuem emissão fluorescente fotoestável e superfície ativa para conjugação com moléculas de interesse biológico. Essas vantagens vêm transformando os PQs em nanossondas versáteis para o estudo da biologia celular do câncer. O efeito Warburg relata que as células de câncer podem apresentar uma maior captação de glicose devido ao uso da glicólise para produção energética, mesmo na presença de oxigênio. Assim, o desenvolvimento de modelos biológicos mais complexos como os esferoides e de gliconanossondas baseadas em PQs pode favorecer uma melhor compreensão dos processos biológicos envolvidos no câncer. Nesse contexto, essa dissertação objetivou desenvolver esferoides a partir da linhagem de adenocarcinoma cervical (HeLa) e estudar a interação de conjugados PQs-glicose com esse modelo biológico e monocamadas celulares. Os esferoides foram preparados pelo método da gota suspensa, sendo testadas variações de densidade de células/mL, volume da gota e tempo de crescimento. Os esferoides foram monitorados por microscopia óptica. Os PQs de CdTe foram conjugados à glicose tiolada (GT) explorando a afinidade do grupo tiol da GT pela superfície metálica das NPs. Os PQs e conjugados foram caracterizados por espectroscopias de absorção e emissão. A conjugação dos PQs-GT foi avaliada por espectroscopia de correlação por fluorescência (FCS) e pela marcação citométrica de leveduras de Candida albicans revestidas com concanavalina A, explorando a afinidade lectina-carboidrato. O esferoide escolhido para o estudo foi o proveniente de 20.000 células/mL, gota de 30 μL e 48 h de incubação, por apresentar morfologia característica e preparação reprodutível. O esferoide apresentou dimensões laterais de ca. 250 por 275 μm. Pelo FCS, o conjugado apresentou diâmetro hidrodinâmico cerca de 3,5x maior que os PQs, indicando que houve conjugação; a qual foi confirmada pelo ensaio com Cândida albicans que exibiu uma marcação de ca. 99%, reduzida em ca. 4x ao inibir os sítios da lectina com manopiranosídeo. Uma marcação efetiva, com visualização de vesículas, foi observada nos esferoides e monocamadas por microscopia de fluorescência. Ademais, cerca de 38% das células HeLa cultivadas em monocamada captaram o conjugado em apenas 30 min de incubação. Portanto, foram desenvolvidos esferoides com características típicas e promissoras para ensaios com NPs, bem como uma nova gliconanossonda fluorescente que apresentou potencial para ser aplicada em estudos biológicos associados ao câncer.


     


14
  • GEORON FERREIRA DE SOUSA
  • INVESTIGAÇÃO HEMATOLÓGICA, BIOQUÍMICA, MICROBIOLÓGICA E CLÍNICA DE PACIENTES COM COVID-19 INTERNADOS NA ENFERMARIA E UTI DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EM PERNAMBUCO

  • Orientador : CRISTIANE MOUTINHO LAGOS DE MELO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CRISTIANE MOUTINHO LAGOS DE MELO
  • JOSE LUIZ DE LIMA FILHO
  • MARCOS ANDRE CAVALCANTI BEZERRA
  • Data: 28/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A pandemia da COVID-19 há dois anos tem causado muitos transtornos mundiais em termos de saúde pública, economia e política. O número de casos e óbitos tem aumentado em oscilações denominadas ondas e mesmo após o processo de vacinação ter iniciado, ainda não existe um medicamento direcionado ao combate ao vírus. Este estudo visa fornecer mais conhecimento a respeito da patogênese da COVID-19, nos aspectos laboratoriais e clínicos, confrontando a evolução da doença em pacientes de Enfermaria e de UTI. Amostras biológicas de 85 pacientes foram coletadas para investigação hematológica, bioquímica, imunológica, microbiológica e clínica. Os resultados demonstraram que os principais sintomas apresentados pelos pacientes de Enfermaria e UTI foram dispineia (74,41% e 45,45%) e febre (55,17% e 27,27%). As principais comorbidades observadas foram hipertensão (34,48% e 70%) e obesidade (17,24 e 20%) dados para Enfermaria e UTI, respectivamente. Os exames de Tomografia computadorizada demonstraram a prevalência dos achados clássicos como as opacidades em vidro fosco. Além disso, os pacientes de UTI apresentaram os graus moderado e grave da doença como os mais prevalentes. Os principais fármacos utilizados na Enfermaria foram os anti-inflamatórios, antibióticos e anticoagulantes. Para a UTI, além dos descritos acima, destacaram-se os antirretrovirais e os ansiolíticos. Nos pacientes de UTI houve redução de hemácias, de hematócrito e de linfócitos (inclusive todas as sublinhagens T (CD3+, CD4+, CD8+ e CD19+), associada com aumento de neutrófilos, DHL, ferritina, D-Dímero, fibrinogênio e Proteína C reativa (PCR). Os microrganismos mais prevalentes foram Staphylococcus epidermidis, Escherichia coli, Enterococcus feacalis e Klebsiella pneumoniae. Os antibióticos Ampicilina-Sulbactam, Estreptomicina,Eritromicina, Oxaciclina, Rifampicina, Ceftriaxoma, Imipenem e Meropenem foram os menos responsivos nos testes de resistência antimicrobiana. Exames laboratoriais na COVID-19, são importantes ferramentas no diagnóstico da condição clínica do paciente. A interrelação entre dados hematológicos, bioquímicos e imunológicos, pode ser um fator preditivo da conduta médica e permanência do paciente na enfermaria ou UTI. Além disso, o longo tempo de internamento na UTI associado ao uso de dispositivos invasivos, também são fatores predisponentes para o favorecimento das coinfecções nosocomiais. Por fim, investigar e controlar as condições pré-clínicas, ou seja, possíveis comorbidades, parece ser essencial na prevenção do agravamento da doença.


  • Mostrar Abstract
  • A pandemia da COVID-19 há dois anos tem causado muitos transtornos mundiais em termos de saúde pública, economia e política. O número de casos e óbitos tem aumentado em oscilações denominadas ondas e mesmo após o processo de vacinação ter iniciado, ainda não existe um medicamento direcionado ao combate ao vírus. Este estudo visa fornecer mais conhecimento a respeito da patogênese da COVID-19, nos aspectos laboratoriais e clínicos, confrontando a evolução da doença em pacientes de Enfermaria e de UTI. Amostras biológicas de 85 pacientes foram coletadas para investigação hematológica, bioquímica, imunológica, microbiológica e clínica. Os resultados demonstraram que os principais sintomas apresentados pelos pacientes de Enfermaria e UTI foram dispineia (74,41% e 45,45%) e febre (55,17% e 27,27%). As principais comorbidades observadas foram hipertensão (34,48% e 70%) e obesidade (17,24 e 20%) dados para Enfermaria e UTI, respectivamente. Os exames de Tomografia computadorizada demonstraram a prevalência dos achados clássicos como as opacidades em vidro fosco. Além disso, os pacientes de UTI apresentaram os graus moderado e grave da doença como os mais prevalentes. Os principais fármacos utilizados na Enfermaria foram os anti-inflamatórios, antibióticos e anticoagulantes. Para a UTI, além dos descritos acima, destacaram-se os antirretrovirais e os ansiolíticos. Nos pacientes de UTI houve redução de hemácias, de hematócrito e de linfócitos (inclusive todas as sublinhagens T (CD3+, CD4+, CD8+ e CD19+), associada com aumento de neutrófilos, DHL, ferritina, D-Dímero, fibrinogênio e Proteína C reativa (PCR). Os microrganismos mais prevalentes foram Staphylococcus epidermidis, Escherichia coli, Enterococcus feacalis e Klebsiella pneumoniae. Os antibióticos Ampicilina-Sulbactam, Estreptomicina,Eritromicina, Oxaciclina, Rifampicina, Ceftriaxoma, Imipenem e Meropenem foram os menos responsivos nos testes de resistência antimicrobiana. Exames laboratoriais na COVID-19, são importantes ferramentas no diagnóstico da condição clínica do paciente. A interrelação entre dados hematológicos, bioquímicos e imunológicos, pode ser um fator preditivo da conduta médica e permanência do paciente na enfermaria ou UTI. Além disso, o longo tempo de internamento na UTI associado ao uso de dispositivos invasivos, também são fatores predisponentes para o favorecimento das coinfecções nosocomiais. Por fim, investigar e controlar as condições pré-clínicas, ou seja, possíveis comorbidades, parece ser essencial na prevenção do agravamento da doença.

Teses
1
  • BRUNO IRAQUITAN MIRANDA DA SILVA
  • Atividade antitumoral de mono e sesquiterpenos

  • Orientador : JACIANA DOS SANTOS AGUIAR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FABRICIO OLIVEIRA SOUTO
  • GARDENIA CARMEN GADELHA MILITAO
  • JACIANA DOS SANTOS AGUIAR
  • MARCIA VANUSA DA SILVA
  • PALOMA LYS DE MEDEIROS
  • Data: 27/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • o Brasil, são estimados 625 mil novos casos de câncer para cada ano do triênio 2020-2022. Os efeitos adversos dos quimioterápicos citotóxicos muitas vezes causam enfraquecimento dos pacientes, por apresentarem citotoxicidade às células saudáveis e em casos mais graves toxicidade a órgãos. Por isso, há uma demanda crescente na prospecção de fármacos anticâncer oriundos de produtos naturais, por serem considerados menos tóxicos. Nesse contexto, a classe dos terpenos representa uma alternativa no combate ao câncer, pois, alguns dos compostos dessa classe já estão bem descritos como efetivos antitumorais de baixa toxicidade. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade antitumoral de um painel de 17 terpenos, mono e sesquiterpenos, destes, o que demonstrou melhores resultados foi incluido nos estudos de docking molecular para verificação de ancoragem em receptores associados ao câncer. Para isto, foi realizado o screening inicial dos 17 terpenos pelo ensaio do MTT em linhagens de células tumorais humanas: adenocarcinoma de mama (MCF-7), carcinoma epidermóide cervical (HeLa), adenocarcinoma de cólon (HT-29) e carcinoma colorretal (HCT-116) e não tumoral: fibroblasto de camundongo (L929). Os compostos que apresentaram inibição do crescimento > 75%, tiveram os valores de concentração que inibe 50% do crescimento celular (CI50) definidos, do composto que apresentou melhores resultados, foram realizados ensaio hemolítico em eritrócitos murinos, análise morfológica e de formação de colônias em células HeLa. E, ainda, o estudo de docking molecular utilizando os receptores p53, Bcl2-xL, tubulina e DNA. Conjuntamente, foi desenvolvida uma revisão sistemática dos artigos encontrados nas bases de dados literárias: MEDLINE/PubMed, Web of Science, Scopus e Science Direct, utitilizando as seguintes palavras chaves: monoterpenes AND anticancer AND in vitro. Os seguintes compostos monoterpeno; α-pineno e sesquiterpenos; (+)-valenceno, β-cariofileno, (-)-α-copaeno e nerolidol, apresentaram inibição acima de 75 % para mais de uma linhagem ou apresentaram inibição específica para linhagens tumorais, esses compostos tiveram valores CI50 definidos. Nenhum dos 17 compostos testados apresentou inibição acima de 75 % para a linhagem celular HCT-116. Os valores de CI50 obtidos variaram entre 13,28 e 19,60 µg/mL. Entre os 17 compostos, o nerolidol foi selecionado, pois mostrou especificidade para as linhagens tumorais MCF-7 e HeLa, apresentando valores de CI50 de 17,63 e 13,50 µg/mL, respectivamente. Além disso, foi calculado o índice de seletividade onde foi observado que o nerolidol apresentou os maiores valores de seletividade tanto para linhagem MCF-7 (141,80) quanto para HeLa (185,15), em comparação com a linhagem saudável L929. Foi repetido o ensaio do MTT com o nerolidol na linhagem HeLa nos períodos de incubação de 24 e 48 h, apresentando CI50 de 18,44 e 15,14 µg/mL, respectivamente, esses valores foram utilizados para determinação da concentração usada na análise morfológica, que, na menor concentração testada (7,5 µg/mL), foi observado a formação de vacúolos, presença de núcleos condensados e a diminuição dose dependente das células viáveis. O nerolidol causou hemólise nos eritrócitos murinos de forma dose dependente, no entanto, parece ser seguro até a concentração de 39 µg/mL onde apenas 2,7 % dos eritrócitos foram hemolisados, além disso, apresentou concentração efeitva de 50% (CE50) alta de 736,8 µg/mL. O nerolidol teve efeito negativo na formação de colônia de células HeLa, provocando redução de até 93% na maior dose testada (15 µg/mL), no entanto, os efeitos inibitórios do nerolidol foram reversiveis, uma vez que, as células retomaram o crescimento após suspensão do tratamento. Dentre os compostos analisados, em concordância com os estudos in vitro, o nerolidol demostrou melhores resultados de ancoragem, realizando ligações de hidrogênio com os receptores Bcl2-xL, tubulina e fragmento de DNA. A provável interação do nerolidol com esses receptores indicam interferência na divisão celular e indução da apoptose. Como resultado da revisão sistemática foi publicado o artigo “Anticancer activity of monoterpenes: a systematic review” no periódico MOLECULAR BIOLOGY REPORTS, onde foram expostos os principais mecanismos de ação dos monoterpenos com propriedades antitumorais, seu uso em sistemas de entrega de drogas e o sinergismo desses com quimioterápicos convencionais. Diante desses resultados, é possível concluir que, entre os 17 terpenos analisados, o nerolidol demostrou maior citotoxicidade frente às linhagens tumorais e segurança frente às células saudáveis testadas, ademais, ambos os estudos in vitro e in silico, mostram indícios que o nerolidol esteja causando a morte celular por apoptose, embora, outros mecanismos intermediários como autofagia e bloqueio do ciclo celular possam está envolvidos.


  • Mostrar Abstract
  • No Brasil, são estimados 625 mil novos casos de câncer para cada ano do triênio 2020-2022. Os efeitos adversos dos quimioterápicos convencionais muitas vezes causam enfraquecimento dos pacientes, por apresentarem citotoxicidade às células saudáveis e em casos mais graves toxicidade a órgãos como rins e coração. Por isso, há um aumento na prospecção de fármacos anticâncer com menor toxicidade. Nesse contexto, a classe dos terpenos representam uma alternativa no combate ao câncer, pois, alguns dos compostos dessa classe já estão bem descritos como efetivos antitumorais, por exemplo, o paclitaxel. O objetivo deste trabalho é avaliar a atividade antitumoral de um painel de 17 terpenos, mono e sesquiterpenos, destes, o que demonstrar melhores resultados, avaliar seu mecanismo de morte celular in vitro, a atividade antitumoral e toxicidade em camundongos swiss. Para isto, foi realizado o screening inicial dos 17 terpenos pelo ensaio do (MTT) em linhagens de células tumorais humanas adenocarcinoma de mama (MCF-7), carcinoma epidermóide cervical (HeLa), adenocarcinoma de cólon (HT-29) e carcinoma colorretal (HCT-116) e não-tumoral fibroblasto de camundongo (L929). Em seguida foi repetido o ensaio do MTT no tempo de incubação (24 e 48 h) para determinar o melhor tempo de incubação e concentração do terpeno que apresentou a maior citotoxicidade para realização dos ensaios posteriores: análise morfológica, wound healing para migração celular, análise de apoptose, ciclo celular e geração de EROs intracelular. Além disso, serão realizados os ensaios de formação de colônias, a atividade antitumoral e toxicidade in vivo, em camundongos. Os seguintes compostos monoterpeno (α-pineno) e sesquiterpenos ((+)-valenceno, β-cariofileno, (-)-α-copaeno e nerolidol) apresentaram inibição acima de 80 % para mais de uma linhagem ou apresentaram inibição específica para linhagens tumorais, esses compostos tiveram valores CI50 determinados. Nenhum dos 17 compostos testados apresentou inibição acima de 75 % para a linhagem celular HCT-116. Os valores de CI50 obtidos variaram entre 13,28 e 19,60 µg/mL. Entre os compostos selecionados o nerolidol mostrou especificidade para as linhagens tumorais MCF-7 e HeLa, apresentando valores de CI50 de 17,63 e 13,50 µg/mL, respectivamente. Também foi calculado o índice de seletividade onde foi observado que o nerolidol apresentou os maiores valores de seletividade tanto para linhagem MCF-7 (141,80) quanto para HeLa (185,15). Com base nesses resultados o composto nerolidol foi escolhido para os ensaios subsequentes. Foi repetido e ensaio do MTT com o nerolidol nas linhagens HeLa e MCF-7 no período de incubação de 48 h, o nerolidol apresentou CI50 de 29,88 e 15,14 µg/mL para as linhagens MCF-7 e HeLa, respectivamente. Na análise morfológica em células HeLa foi possível observar já na menor concentração testada a formação intensa de vacúolos, a presença de núcleos condensados e a diminuição dose dependente das células viáveis. O nerolidol não demostrou citotoxicidade para eritrócitos uma vez que não causou hemólise acima de 5 % até a concentração de 39 µg/mL, 2,7 % de hemólise, além disso, apresentou CE50 alta de 736,8 µg/mL. Ademais, foi escrito o artigo de revisão intitulado Anticancer activity of monoterpenes: A systematic review aceito para publicação pela revista Molecular Biology Reports. 


2
  • LEONARDO PREZZI DORNELLES
  • Potencial inseticida de lectinas contra Aedes aegypti: definindo mecanismos de ação a nível histológico, celular e molecular

  • Orientador : THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA PATRÍCIA SILVA DE OLIVEIRA
  • LIDIANE PEREIRA DE ALBUQUERQUE
  • MARÍLIA CAVALCANTI CORIOLANO
  • NATALY DINIZ DE LIMA SANTOS
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 28/01/2022

  • Mostrar Resumo
  • Os arbovírus são vírus de RNA transmitidos principalmente por mosquitos hematófagos aos hospedeiros vertebrados. O mosquito Aedes aegypti (Diptera: Culicidae) é responsável pela transmissão de algumas das principais arboviroses em todo o mundo, como a dengue, a doença causada pelo Zika vírus, chikungunya e febre amarela. O desenvolvimento de novos inseticidas, preferencialmente naturais, é importante para ampliar essa lista de alternativas disponíveis, visando o uso em estratégias de manejo integrado e rotatividade. Lectinas são proteínas que se ligam especificamente a carboidratos e são amplamente distribuídas nas plantas. Lectinas isoladas de sementes de Moringa oleifera (WSMoL) e folhas de Myracrodruon urundeuva apresentaram atividade larvicida contra A. aegypti. O objetivo geral do trabalho é avaliar efeitos das lectinas MuLL e WSMoL no comportamento larval e investigar mecanismos envolvidos na ação larvicida das mesmas a níveis histológico, celular e molecular. WSMoL e MuLL foram isoladas de acordo com protocolos previamente estabelecidos e a eficácia das amostras obtidas foi avaliada através de ensaio de atividade larvicida. Também foram avaliados os efeitos das lectinas na organização histológica do intestino médio das larvas. Por fim, extratos de intestino de larvas do controle e tratadas com as lectinas foram submetidas a análises metabolômicas. Quando testados nos valores de CL50 previamente determinados, os extratos de sementes de M. oleifera e folhas de M. urundeuva, bem como as lectinas WSMoL e MuLL isoladas, foram capazes de matar as larvas, conformando a atividade das preparações. WSMoL promoveu redução na capacidade natatória das larvas e causou inibição da atividade de acetilcolinesterase. WSMoL e MuLL foram capazes de alterar a estrutura do intestino médio das larvas, causando desorganização e formação de vacúolos no epitélio. O tratamento com WSMoL reduziu a quantidade de células proliferativas e aumentou o número de células em apoptose, em comparação com o controle. Os ensaios de análise metabolômica estão sendo finalizados.


  • Mostrar Abstract
  • N/A

3
  • RICARDO SERGIO DA SILVA
  • AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES ANTI-INFLAMATÓRIA, ANTINOCICEPTIVA, ANTIPIRÉTICA E CICATRIZANTE DE ÓLEO FIXO DE Syagrus schizophylla EM CAMUDONGOS

  • Orientador : MARCIA VANUSA DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCIA VANUSA DA SILVA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • ALISSON MACARIO DE OLIVEIRA
  • JEYMESSON RAPHAEL CARDOSO VIEIRA
  • FERNANDA GRANJA DA SILVA OLIVEIRA
  • Data: 17/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Syagrus schizophylla (Mart.) Glass. (Arecaceae) é uma espécie oleaginosa de palmeira, nativa do Nordeste do Brasil, e conhecida popularmente como aricuriroba. Estudos sobre o seu potencial biotecnológico são escassos, entretanto, há estudos sobre várias espécies desta família que comprovam suas atividades biológicas, tais como, antioxidante, analgésica, antipirética, e anti-inflamatória. Diante do exposto, o objetivo do trabalho foi avaliar o potencial anti-inflamatório, antinociceptivo, antipirético e cicatrizante do óleo fixo de sementes de S. schizophylla (OFSs) epomada de OFSs a 5%, para uso tópico em camundongos. Para tanto, foram realizados os testes de toxicidade aguda em camundongos, o OFSs foi administrado por via oral, nas concentrações de 100, 200 e 400 mg/kg. Realizou-se ainda o teste de contorção abdominal induzida por ácido acético 0,8%, teste de dor por formalina, edema de pata induzido por carragenina 1%, peritonite aguda, com avaliação da migração leucócitos e neutrófilos, quantificação de citocinas IL1-α   e TNF-α, e pirexia induzida por leveduras. O potencial cicatrizante foi investigado em feridas cutâneas em camundongos tratados durante 15 dias com DMSO 2%, Dersani, Bepantol, OFSs (10%, 25% e 100%), e pomada  de S. schizophylla a 5%. As análises de GC-FID revelaram a presença de 8 constituintes na amostra do OFSs, dentre as quais o ácido láurico foi o mais abundante, o qual não promoveu mortalidade dos animais no teste de toxicidade aguda. O OFSs em doses crescentes (10; 100; 1000; 1600; 2900 e 5000 mg / kg de corpo peso) não induziram alterações/modificações persistentes comportamentais durante todo o ensaio, demonstrando possuir um valor de LD50 maior que 5000 mg / kg. As contorções abdominais foram reduzidas utilizando o OFSs, de 16,17, 51,96 e 72,05%, e reduziu-se o tempo de lambedura da pata, de 16,17, 51,96 e 72,05%, respectivamente. A investigação dos mecanismos sugerem ação antinociceptiva via sistema opióide. O óleo mostrou-se eficaz na inibição de 100% (400 mg/kg) do edema a partir de 5 horas, com resultado superior a indometacina (20 mg/kg, v.o.). O modelo de peritonite demonstrou migração significativa de leucócitos e neutrófilos (37,93, 62,06 e 77,58%, respectivamente) e neutrófilos (41,02, 66,66 e 87,17%) respectivamente. Além disso as concentrações do óleo de OFSs foram capazes de reduzir IL-1β em 59,26, 68,93 e 76,35% e TNF- α em 41,60, 57,52 e 75,44%. A administração do OFSs inibiu a febre nos animais  desde a primeira hora de teste, em todas as concentrações testadas. Na análise morfométrica, a porcentagem de contração da ferida após 7 dias foi maior no grupo Dersani (92,68%). Em 10 dias, o menor percentual de contração foi apresentado no grupo DMSO 2% (87,78%) e o maior nos grupos Dersani, Bepantol, e OFSs 25% e 100% alcançando 100% de reepitelização. A histomorfometria demonstrou que os grupos Dersani, Bepantol e OFSs apresentaram o menor tempo de reepitelização, em 10 dias, todos apresentando 100% de reepitelização. O estudo mostrou-se promissor para indústria terapêutica, e demonstrou que o OFSs pode ser um contributo para o auxílio de doenças, atuando como agente antinociceptivo, anti-inflamatório, antipirético e cicatrizante. Além da pomada de S. schizophyllaestabelecer potencial para se tornar um tratamento tópico alternativo no processo de reparo tecidual.


  • Mostrar Abstract
  • As plantas são amplamente utilizadas na medicina popular em diferentes partes do mundo e são consideradas como fundamentais na assistência à saúde humana. Syagrus schizophylla (Mart.) Glass. (Arecaceae) é uma espécie oleaginosa de palmeira, nativa do Nordeste do Brasil, e conhecida popularmente como aricuriroba, ocorre da Paraíba à Bahia, e apresenta potencial ornamental, paisagístico e alimentar não convencional. Estudos sobre o seu potencial biotecnológico são escassos, entretanto, há estudos sobre várias espécies da família Arecaceae que comprovam suas propriedades biológicas, tais como, antioxidante, antimicrobiana, analgésica, antipirética, e anti-inflamatória, além de ser reportado na literatura o alto teor de ácido láurico, o que rotineiramente se apresenta como composto majoritário nas plantas dessa família e se destaca por possuir atividade anti-inflamatória, e antineoplásica. Diante do exposto, o objetivo do trabalho foi caracterizar fitoquimicamente o óleo fixo de sementes de S. schizophylla, e avaliar o seu potencial anti-inflamatório, antinociceptivo e antipirético em modelos experimentais in vivo, bem como determinar o seu mecanismo de ação, através da análise dos seguintes agentes, nalaxona, atropina, glibenclamida e cafeína. Para tanto, foram realizados teste de toxicidade aguda, em que utilizou-se ratos Swiss albinos. A administração do óleo foi dada por via oral, nas concentrações de 100, 200 e 400 mg/kg, e os animais foram monitorados quanto ao comportamento e mortalidade. Realizou-se ainda o teste de contorção abdominal induzida por ácido ácetico, teste de dor por formalina, edema de pata induzido por carragenina, e peritonite aguda, com avaliação da migração leucócitos e neutrófilos, e quantificação de citocinas IL1-α   e TNF-α. As análises de GC-FID demonstraram a presença de 8 constituintes na amostra do óleo fixo de S. schizophylla, dentre as quais o ácido láurico foi o mais abundante, o qual não promoveu mortalidade dos animais no  teste de toxicidade aguda. O óleo fixo de S. schizophylla em doses crescentes (10; 100; 1000; 1600; 2900 e 5000 mg / kg de corpo peso) não produziram alterações/modificações persistentes comportamentais durante todo o ensaio, demonstrando possuir um valor de LD50 maior que 5000 mg / kg. As contorções abdominais foram reduzidas utilizando o óleo de S. schizophylla, de 16,17, 51,96 e 72,05%, e reduziram o tempo de lambedura da pata, de 16,17, 51,96 e 72,05%, respectivamente. A investigação dos mecanismos sugerem ação antinociceptiva via sistema opióide. O óleo mostrou-se eficaz na inibição de 100% (400 mg/kg) do edema a partir de 5 horas, com resultado superior a indometacina (20 mg/kg, v.o.). O modelo de peritonite demonstrou migração significativa de leucócitos e neutrófilos (37,93, 62,06 e 77,58%, respectivamente) e neutrófilos (41,02, 66,66 e 87,17%) respectivamente. Além disso as concentrações do óleo de S. schizophylla foram capazes de reduzir IL-1β em 59,26, 68,93 e 76,35% e TNF- α em 41,60, 57,52 e 75,44%. O estudo mostrou-se promissor para indústria terapêutica, e pode ser um grande contributo para o auxílio de doenças, atuando como agente antinociceptivo e anti-inflamatório.

4
  • ROBSON RAION DE VASCONCELOS ALVES
  • AVALIAÇÃO DA TOXICIDADE, ANÁLISE METABOLÔMICA E EFEITO NO METABOLISMO ENERGÉTICO EM ANIMAIS TRATADOS COM PREPARAÇÕES DE FOLHAS DE Moringa oleifera

  • Orientador : PATRICIA MARIA GUEDES PAIVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALISSON MACARIO DE OLIVEIRA
  • ANA PATRÍCIA SILVA DE OLIVEIRA
  • PATRICIA MARIA GUEDES PAIVA
  • ROBERTO ARAUJO SA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 22/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • As folhas da Moringa oleifera possuem alto valor nutricional, sendo ricas em proteínas. As folhas são bastante utilizadas como remédio e na alimentação. No entanto, há necessidade de mais estudos sobre a segurança de uso de preparações de folhas. Este trabalho analisou preparações ricas em proteína das folhas de M. oleifera. O extrato salino (LE) e a fração rica em proteínas (PRF) de folhas de M. oleifera foram investigados quanto a presença de metabólitos secundários e proteínas antinutricionais (inibidor de tripsina e lectina), citotoxicidade para linfócitos humanos, atividade hemolítica, toxicidade oral aguda em camundongos e genotoxicidade. Adicionalmente, PRF foi investigada quanto à toxicidade oral subaguda em ratos. Os flavonoides rutina e vixetina e inibidor de tripsina foram detectados em LE (0,12g%, 0,01g% e 55,38U/mg, respectivamente) e em PRF (0,04g%, 0,05g% e 87,89U/mg, respectivamente), enquanto lectina foi detectada apenas em PRF (2,5 título -1 /proteína mg/mL). LE e PRF não foram tóxicas para os linfócitos e não apresentaram atividade hemolítica. Os animais tratados com LE e PRF (2.000 mg/kg) apresentaram mudança comportamental apenas na primeira hora após os tratamentos e parâmetros hematológicos semelhantes aos animais do grupo não tratado. Aumento significativo nos níveis séricos de alanina aminotransferase (ALT) e discreta infiltração leucocitária com vacuolização citoplasmática nos hepatócitos foram detectados apenas nos animais tratados com LE. As preparações não foram genotóxicas ou mutagênicas. O ensaio de toxicidade oral subaguda revelou que os animais tratados com PRF nas concentrações de 20 mg/kg/dia, 40 mg/kg/dia e 80 mg/kg/dia não apresentaram alterações comportamentais. Os parâmetros hematológicos e bioquímicos, assim como hemostasia e eletrólitos, foram semelhantes aos do grupo não tratado. Não foram observadas alteração histopatológicas no fígado, rins, baço, pulmão e coração. PRF alterou o biomarcador de estresse oxidativo TBARS em relação ao grupo não tratado, enquanto os níveis de Carbonil não foram alterados. Os tratamentos nas concentrações de 40 e 80 mg/kg/dia resultaram em aumento da atividade das enzimas antioxidantes superóxido dismutase (SOD), catalase (CAT) e glutationa-S-transferase (GST) enquanto o tratamento na concentração de 20 mg/kg/dia levou a aumento nos níveis de sufídrilas. PFR também modulou a concentração de moléculas antioxidantes não enzimáticas (glutationa e glutationa dissulfeto) em todas as concentrações testadas. Análise de metabolômica por RMN- 1 H revelou a presença de 43 metabólitos polares em animais tratados e não tratados com PRF e que PRF promoveu diminuição de glicose e aumento de xantina e aminoácidos essenciais no fígado. Os estudos revelaram que as preparações proteicas testadas contem inibidor de tripsina, lectina e flavonoides. LE e PRF não foram citotóxicas, hemolíticas ou genotóxicas e não apresentaram toxicidade oral aguda. Adicionalmente, PRF não apresentou toxicidade subaguda, elevou a atividade de enzimas antioxidantes hepáticas, promoveu dano oxidativo, diminuiu o balanço redox, apresentou efeito hipoglicemiante e elevou a quantidade de intermediários do ciclo de Krebs. 


  • Mostrar Abstract
  • As folhas da Moringa oleifera possuem alto valor nutricional, sendo ricas em proteínas. As folhas são bastante utilizadas como remédio e na alimentação. No entanto, há necessidade de mais estudos sobre a segurança de uso de preparações de folhas. Este trabalho buscou realizar avaliação da toxicidade de preparações ricas em proteína das folhas de M. oleifera. A presença de metabólitos secundários e proteínas antinutricionais (inibidor de tripsina e lectina) foi investigada no extrato da folha (LE) e na fração rica em proteínas (PRF) de folhas de M. oleifera. LE e PRF também foram investigados quanto à citotoxicidade para linfócitos humanos, atividade hemolítica, toxicidade oral aguda em camundongos e genotoxicidade. Os flavonoides rutina e vixetina e inibidor de tripsina foram detectados em LE (0,12g%, 0,01g% e 55,38U/mg, respectivamente) e em PRF (0,04g%, 0,05g% e 87,89U/mg, respectivamente) enquanto as lectinas estavam presentes apenas em PRF (2,5 título-1/proteína mg/mL). LE e PRF não foram tóxicas para os linfócitos e não mostraram ação hemolítica. Os animais tratados com LE e PRF (2.000 mg/kg) apresentaram mudança comportamental apenas na primeira hora após os tratamentos, sessando em seguida. Os parâmetros hematológicos foram semelhantes aos do grupo não tratado. Aumento significativo nos níveis séricos de alanina aminotransferase (ALT) e discreta infiltração leucocitária com vacuolização citoplasmática nos hepatócitos foram detectados apenas nos animais tratados com LE. As preparações não foram genotóxicas ou mutagênicas. PRF também foi investigada quanto à toxicidade oral subaguda em ratos, e marcadores hepáticos do estresse oxidativo. Os animais tratados com PRF nas concentrações de 20 mg/kg/dia, 40 mg/kg/dia e 80 mg/kg/dia não apresentaram alterações comportamentais. Os parâmetros hematológicos e bioquímicos, assim como hemostasia e eletrólitos, foram semelhantes aos do grupo não tratado. Não foram observadas alteração histopatológicas no fígado, rins, baço, pulmão e coração. PRF não alterou os biomarcadores de estresse oxidativo: malondialdeído, carbonil e sufidrila, em relação ao grupo não tratado. No entanto, aumentou a atividade das enzimas antioxidantes superoxido dismutase (SOD), catalase (CAT) e glutationa-S-transferase (GST) nas maiores concentrações (40 e 80 mg/kg/dia). PFR também modulou a concentração de moléculas antioxidantes não enzimáticas (glutationa e glutationa dissulfeto) em todas as concentrações testadas. Os estudos revelaram que as preparações proteicas testadas contem inibidor de tripsina, lectina e flavonoides. LE e PRF não foram citotóxicas, hemolíticas ou genotóxicas e não apresentaram toxicidade oral aguda. Adicionalmente, PRF não apresentou toxicidade subaguda e modulou a atividade de marcadores antioxidantes hepáticos.

5
  • BARBARA RIBEIRO ALVES ALENCAR
  • AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DA PRODUÇÃO DE ETANOL, A PARTIR DE BIOMASSAS LIGNOCELULÓSICAS E MELAÇO, COMO ALTERNATIVA ENERGÉTICA PARA O PERÍODO DE ENTRESSAFRA DA CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE PERNAMBUCO

  • Orientador : MARCOS ANTONIO DE MORAIS JUNIOR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCOS ANTONIO DE MORAIS JUNIOR
  • JORGE LUIZ SILVEIRA SONEGO
  • JOÃO RICARDO MOREIRA DE ALMEIDA
  • SARITA CÂNDIDA RABELO
  • INÊS CONCEIÇÃO ROBERTO
  • Data: 23/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • As limitações geográficas e climáticas de Pernambuco impossibilitam a produção de cana-de-açúcar o ano inteiro e por toda a sua extensão, sem a adição de sistema de irrigação adequado, já que 48% da região Nordeste está inserida no clima árido/semiárido. Dentro deste cenário, o primeiro capítulo consiste em uma avaliação do potencial de produção de etanol a partir das frações da biomassa de sorgo sacarino, como o seu caldo, grãos e bagaço. No segundo capítulo, avaliou-se qual a melhor época do ano e período do dia para a colheita da biomassa de palma forrageira, considerando-se o pH ideal para a realização da etapa de hidrólise enzimática. Além disso, determinou-se a melhor temperatura e o tempo de secagem, desse vegetal, para a etapa de produção de carboidratos. Os resultados sugeriram que o início da manhã e a estação seca são os melhores períodos de colheita, enquanto que a melhor temperatura e tempo de secagem da biomassa são 105°C e 12h, respectivamente. E, por fim, o terceiro capítulo objetivou a identificação de leveduras isoladas em solos, nos quais é plantado cana-de-açúcar. Esse procedimento visou a avaliação da produção de etanol 1G, 2G e xilitol, usando como substratos caldo e melaço de cana-de-açúcar, bem como hidrolisados ácidos dos bagaços de cana-de-açúcar e sorgo, além da biomassa de palma forrageira, por Meyerozyma Caribbica. Esta levedura fermentou tais substratos, apresentando eficiências superiores a 75%, para a produção de etanol 1G e,  >80%, para a 2G. Para a produção de xilitol, verificou-se que a melhor relação entre glicose e xilose é de 1:5, com rendimento de 0,88, em meios contendo apenas estes dois carboidratos, sem qualquer outra fonte nutricional. Já nas condições dos hidrolisados ácidos, não foi observada a produção de xilitol, apesar de ter havido o consumo >80% da xilose disponível no meio. Assim, pode-se concluir que as alternativas propostas na presente tese são um caminho, na tentativa de suprir a lacuna na produção de etanol, durante o período de entressafra da cana. Porém, ajustes, principalmente no que se diz a respeito aos subprodutos desse processo precisam ser realizados, a fim de que o mesmo seja viável economicamente.


  • Mostrar Abstract
  • N/D

6
  • GUSTAVO RAMOS SALLES FERREIRA
  • ESTUDO DO POTENCIAL ANTIMICROBIANO DE LECTINAS CONTRA ESPÉCIES DE Cryptococcus E BIOFILME BACTERIANOS MULTICEPAS E MULTIESPÉCIES

  • Orientador : THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LIDIANE PEREIRA DE ALBUQUERQUE
  • MARILENE HENNING VAINSTEIN
  • MARÍLIA CAVALCANTI CORIOLANO
  • POLLYANNA MICHELLE DA SILVA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 23/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Cryptococcus é um gênero de fungos leveduriformes que possuem como principal característica fenotípica a presença de uma cápsula polissacarídica que envolve sua estrutura celular. Dentre as espécies desse gênero, Cryptococcus neoformans e Cryptococcus gattii são patógenos oportunistas capazes de causar a criptococose, doença infecciosa invasiva que atinge o sistema nervoso central, causando uma meningoencefalite fúngica com alta mortalidade. Biofilmes são comunidades microbianas que causam diversos problemas a saúde pública, tanto por sua alta capacidade de aderência aos tecidos vivos e dispositivos médicos, quanto por sua alta resistência a antibióticos usados na clinica medica. Lectinas são proteínas que se ligam reversivelmente a carboidratos, possuindo um amplo espectro de aplicações biológicas, incluindo ação antimicrobiana. As lectinas da sarcotesta de Punica granatum (PgTeL) e de folíololos de Calliandra surinamensis (CasuL) apresentaram potencial antimicrobiano e antibiofilme em estudos anteriores. O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial antifúngico e antibiofilme de PgTeL e CasuL contra Cryptococcus neoformans e Cryptococcus gattii, bem como seu potencial de inibir e erradicar biofilmes multiespécie e multicepas de isolados de Staphylococcus aureus e Staphylococcus saprophyticus. CasuL não apresentou atividade antifúngica e nem antibiofilme frente às cepas de Cryptococcus, porém PgTeL apresentou atividade fungistática contra a cepa B3501 de C. neoformans (Sorotipo D), com uma concentração mínima inibitória de 172 μg/mL. PgTeL também foi capaz de inibir a formação de biofilme por B3501, reduzindo significativamente a biomassa e a atividade metabolica no biofilme. PgTeL também foi capaz de erradicar significativamente o biofilme pré-formado da cepa B3501. A ação fungistática e antibiofilme de PgTeL sobre B3501 puderam ser também observadas por microscopia eletrônica de varredura. PgTeL, contudo, não foi capaz de alterar o tamanho relativo da cápsula de B3501 de C. neoformans. Em relação aos biofilmes multiespécie e multicepas de Staphylococcus, CasuL isoladamente não apresentou capacidade de inibir a formação de biofilme por nenhuma das testadas; porém, quando em conjunto com o antibiótico ceftazidima, CasuL inibiu significativamente a formação de biofilme multicepa por S. aureus UFPEDA-670 + MRSA, e por S. aureus UFPEDA-670 + 8325-4. Em conclusão, foram identificados o potencial antifúngico de PgTeL contra a cepa B3501 de C. neoformans sobre a replicação dessa levedura e a formação e manutenção de biofilmes, bem como o potencial de CasuL em conjunto com antibióticos em inibir a formação de biofilme multicepas de S. aureus.


  • Mostrar Abstract
  • Cryptococcus é um gênero de fungos leveduriformes que possuem como principal caracteristica fenotípica a presença de uma cápsula polissacarídica que envolve sua estrutura celular. Dentre as espécies desse gênero, Cryptococcus neoformans e Cryptococcus gattii são patógenos oportunistas capazes de causar a criptococose, doença infecciosa invasiva que atinge o sistema nervoso central, causando uma meningoencefalite fúngica com alta mortalidade. Biofilmes são comunidades microbianas que causam diversos problemas a saúde pública, tanto por sua alta capacidade de aderência aos tecidos vivos e dispositivos médicos, quanto por sua alta resistência a antibióticos usados na clinica medica. Lectinas são proteínas que se ligam reversivelmente a carboidratos, possuindo um amplo espectro de aplicações biológicas, incluindo ação antimicrobiana. As lectinas da sarcotesta de Punica granatum (PgTeL) e de folíololos de Calliandra surinamensis (CasuL) apresentaram potencial antimicrobiano e antibiofilme em estudos anteriores. O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial antifúngico e antibiofilme de PgTeL e CasuL contra Cryptococcus neoformans e Cryptococcus gattii, bem como seu potencial de inibir e erradicar biofilmes multiespécie e multicepas de isolados de Staphylococcus aureus e Staphylococcus saprophyticus. CasuL não apresentou atividade antifúngica e nem antibiofilme frente às cepas de Cryptococcus, porém PgTeL apresentou atividade fungistática contra a cepa B3501 de C. neoformans (Sorotipo D), com uma concentração mínima inibitória de 172 μg/mL. PgTeL também foi capaz de inibir a formação de biofilme por B3501, reduzindo significativamente a biomassa e a atividade metabolica no biofilme. PgTeL também foi capaz de erradicar significativamente o biofilme pré-formado da cepa B3501. A ação fungistática e antibiofilme de PgTeL sobre B3501 puderam ser também observadas por microscopia eletrônica de varredura. PgTeL, contudo, não foi capaz de alterar o tamanho relativo da cápsula de B3501 de C. neoformans. Em relação aos biofilmes multiespécie e multicepas de Staphylococcus, CasuL isoladamente não apresentou capacidade de inibir a formação de biofilme por nenhuma das testadas; porém, quando em conjunto com o antibiótico ceftazidima, CasuL inibiu significativamente a formação de biofilme multicepa por S. aureus UFPEDA-670 + MRSA, e por S. aureus UFPEDA-670 + 8325-4. Os ensaios com PgTeL serão iniciados. Em conclusão, foram identificados até o momento o potencial antifúngico de PgTeL contra a cepa B3501 de C. neoformans sobre a replicação dessa levedura e a formação e manutenção de biofilmes, bem como o potencial de CasuL em conjunto com antibióticos em inibir a formação de biofilme multicepas de S. aureus.

7
  • ROMULO DA FONSECA DOS SANTOS
  • FATORES DE TRANSCRIÇÃO (FTs) E SUAS REGIÕES CIS-REGULADORAS EM ASSOCIAÇÃO COM A DEFESA VEGETAL EM FABACEAE

  • Orientador : ANA MARIA BENKO ISEPPON
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA MARIA BENKO ISEPPON
  • JOSÉ RIBAMAR COSTA FERREIRA NETO
  • VALESCA PANDOLFI
  • MANASSES DANIEL DA SILVA
  • ROBERTA LANE DE OLIVEIRA SILVA
  • Data: 24/02/2022

  • Mostrar Resumo
  •  

    Os Fatores de Transcrição (FT) são componentes essenciais do sistema de imunidade inata e defesa basal de plantas, que codificam proteínas que regulam a expressão gênica através da ligação de sequências específicas de DNA na região regulatória dos genes-alvo, modulando a atividade da RNA polimerase para início do processo transcricional. Dentre as principais famílias, os genes da família NAC (NAM, ATAF1/2, CUC2), por exemplo, codificam FTs específicos de plantas, com importante papel na resposta a estresses bióticos e abióticos, bem como no crescimento e desenvolvimento vegetal. Neste estudo, sequências de NAC de Arabidopsis thaliana e de outras angiospermas foram utilizadas para a identificação e caracterização de FTs-NAC no transcriptoma de feijão-caupi, bem como sua presença e distribuição no genoma, sob desidratação radicular, comparativamente aos controles não estressados. As proteínas correspondentes aos FTs-NAC foram avaliadas com vistas à presença de domínios conservados, sendo classificadas em diferentes subgrupos. As sequências analisadas apresentaram relativa conservação na região 5’ e maior variação na região 3’, bem como a presença do motivo WVLCR, característico da família. Análises de expressão diferencial revelaram diversos padrões de expressão, desde candidatos induzidos em todos os tecidos e situações, inclusive controles não estressados, como também, candidatos com baixos níveis de expressão ou especificidade, enquanto outros apresentaram-se reprimidos. A análise das regiões cis-reguladoras revelou que os FTs-NAC estão possivelmente associados a outros FTs sabidamente relacionados às vias de resposta a estresses bióticos e abióticos, como MYB, DOF e AP2/ERF. Os resultados indicam uma diversidade considerável dos membros da família NAC e uma possível associação com outras famílias de FTs, sendo potencialmente úteis para uso como marcadores moleculares ou em estudos de transgenia, com o objetivo de melhorar o desempenho desta espécie sob estresses bióticos e abióticos.

     


  • Mostrar Abstract
  • Os Fatores de Transcrição (FTs) são proteínas que regulam a expressão gênica através de sua ligação a sequências específicas de DNA em regiões promotoras de genes-alvo. Tais proteínas auxiliam no processo de transcrição por meio de sua interação com a RNA polimerase, enzima responsável pela síntese de RNAs mensageiros. Deste modo, os FTs posicionam a RNA polimerase e a ativam para iniciar sua ação polimerizadora. Dentre as principais famílias de FTs, os genes da família NAC (NAM, ATAF1/2, CUC2) codificam proteínas específicas de plantas, com importante papel na resposta a estresses bióticos e abióticos, bem como no crescimento e desenvolvimento vegetal. Neste estudo, o transcriptoma de feijão-caupi foi submetido a uma análise via iTAK para a identificação e posterior caracterização dos FTs NAC em feijão-caupi (VuNACs). Para isso, analisou- se a orquestração transcricional dessa classe de FTs no transcriptoma de feijão-caupi sob desidratação
    radicular e os estresses combinados de injúria mais inoculação viral com CABMV e injúria mais inoculação viral com CPSMV. As proteínas correspondentes aos FTs-NAC foram avaliadas quanto à presença de domínios conservados, sendo classificadas em diferentes subgrupos. As sequências analisadas apresentaram relativa conservação na região 5’ e maior variação na região 3’, bem como a presença do motivo [WVLCR], característico da família. Análises de expressão diferencial revelaram diversos padrões de expressão, desde candidatos induzidos em todos os tecidos e situações, inclusive controles não estressados, como também, candidatos com baixos níveis de expressão ou especificidade, enquanto outros apresentaram-se reprimidos, sendo os FTs-NAC de feijão-caupi mais intimamente associados à resposta à seca. A análise das regiões cis-reguladoras revelou que os FTs-NAC são modulados por famílias de FTs associadas à resposta a estresses bióticos e abióticos, como MYB, DOF e AP2/ERF. Os resultados indicam uma diversidade considerável dos membros da família NAC e uma possível associação com outras famílias de FTs, como C2H2 e bZIP. Sendo assim, sugere-se que estas famílias possuem potencial para utilização em estudos futuros, envolvendo marcadores moleculares e transgenia, visando melhorar o desempenho desta espécie sob condições adversas, tais como estresses bióticos e abióticos.

8
  • DIEGO LEANDRO REIS DA SILVA FERNANDES
  • PESTE: DINÂMICA DA DISTRIBUIÇÃO E CIRCULAÇÃO DA INFECÇÃO NO ESTADO DE PERNAMBUCO, BRASIL

  • Orientador : ALZIRA MARIA PAIVA DE ALMEIDA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALZIRA MARIA PAIVA DE ALMEIDA
  • DANILO ELIAS XAVIER
  • EMILIA CAROLLE AZEVEDO DE OLIVEIRA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • VERÔNICA SANTOS BARBOSA
  • Data: 25/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A peste é uma zoonose de roedores silvestres, transmitida por pulgas, que pode infectar outros mamíferos, inclusive humanos. Pela gravidade da doença e sua rápida evolução a peste pode gerar emergências de saúde pública de interesse internacional. Os avanços tecnológicos e científicos ainda não foram suficientes para eliminar os focos naturais persistentes em numerosos países. Os períodos de silêncio, caracterizados por ausência ou ocorrência de raros casos humanos, podem gerar a falsa impressão da sua eliminação ou erradicação, mas ela pode reaparecer após décadas de aparente controle. Globalmente os fatores que mantêm a enzootia e determinam o desencadeamento das epizootias ainda não estão suficientemente esclarecidos. No estado de Pernambuco a zoonose introduzida em 1902 apresenta-se silente desde a década de 1980. Para definição da dinâmica da infecção pestosa e construção dos cenários futuros de risco para sua transmissão foram construídos bancos de dados contendo informações sobre os casos humanos, reservatórios, vetores e dados ambientais utilizando dados primários e secundários disponíveis no Serviço de Referencia Nacional de Peste da FIOCRUZ PE que foram analisados utilizando ferramentas de geoprocessamento. O uso dessas ferramentas aplicado aos casos humanos usando o município de Exu, localizado no foco de peste da Chapada do Araripe (Pernambuco), como área de estudo de caso no período de 1945-1976 permitiu evidenciar a transição da infecção da área urbana para a silvestre e o ressurgimento dos casos após um período de quiescência, independente da reintrodução a partir de outros focos ativos. Os resultados das análises sobre a ocorrência e distribuição geográfica de roedores hospedeiros e de pulgas vetores nas áreas de peste brasileiras revelaram diferenças na composição das faunas rodentia e sifonapteriana no foco da Serra dos Órgãos (RJ) região sudeste, e no nordeste do Brasil que são atribuídas aos diferentes biomas nas duas regiões. Importante flutuação nas populações de roedores foi observada após um período epidêmico no município de Exu, com redução da fauna silvestre representada principalmente por Necromys lasiurus e aumento da espécie comensal Rattus rattus. Os resultados confirmam a espécie N. lasiurus como responsável por epidemias de peste n área focal de transmissão no nordeste do Brasil, uma vez que a redução na abundância desta espécie ao longo do tempo coincide com o período de quiescência da doença. Além disso, o aumento da abundância de R. rattus diretamente relacionado ao processo de urbanização de pequenas localidades rurais não produziu epidemias de peste como se poderia esperar, especialmente considerando sua proximidade com os humanos favorecendo a propagação da peste e outras doenças transmitidas por esses roedores. Nossa análise contribuiu para confirmar o papel das espécies silvestres como hospedeiros amplificadores da peste e dos ratos comensais (Rattus rattus) como hospedeiros preservadores no período quiescente naquela área de infecção de transmissão. A ocorrência de reservatórios naturais e vetores competentes evidencia o potencial de manutenção e transmissão da bactéria e, consequentemente, a necessidade de manutenção e aprimoramento do programa de vigilância da peste.


  • Mostrar Abstract
  • N/D

9
  • LUIS ANDRE DE ALMEIDA CAMPOS
  • NANOPARTÍCULAS DE ZEÍNA REVESTIDAS COM QUITOSANA CONTENDO CEFTAZIDIMA E TOBRAMICINA COMO ESTRATÉGIA TERAPÊUTICA PARA INFECÇÕES BACTERIANAS RESISTENTES

  • Orientador : NEREIDE STELA SANTOS MAGALHAES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADRIANA FONTES
  • ELISÂNGELA AFONSO DE MOURA KRETZSCHMAR
  • MARIANE CAJUBA DE BRITTO LIRA NOGUEIRA
  • NEREIDE STELA SANTOS MAGALHAES
  • THAYZA CHRISTINA MONTENEGRO STAMFORD
  • Data: 30/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desse estudo foi encapsular ceftazidima e tobramicina em nanopartículas de zeína com e sem revestimento pela quitosana, caracterizar e avaliar a atividade antibacteriana e antibiofilme. As nanopartículas foram sintetizadas pelo método de nanoprecipitação e revestidas por interação elestrostática, em seguida, foram caracterizadas e analisadas durante o armazenamento pelo tamanho de partícula (Ø), índice de polidispersão (PDI), potencial zeta (ζ), pH e eficiência de encapsulação (%EE), além das caracterizações físico-químicas através de microscopia eletrônica de varredura (MEV), difração de raio X (DRX), espectroscopia no infravermelho por transformada de Fourier (FTIR), calorimetria exploratória diferencial (DSC) e termogravimetria (TGA). As nanopartículas revestidas tiveram a estabilidade analisada em meio pH gástrico (1,2) e intestinal (6,8) simulados, além da estabilidade a longo prazo. A cinética de liberação foi realizada pelo método de diálise em meio pH gástrico (1,2), intestinal (6,8) simulados e tampão salino-fosfato (pH 7,4), e o ensaio de citotoxicidade pelo método MTT utilizando linhagens de fibroblastos L929 e hepatócitos HEPG2. A determinação da concentração inibitória mínima (CIM) e a concentração bactericida mínima (CBM) foram realizadas pelo método de microdiluição em caldo seguindo protocolo do Clinical and Laboratory Standards Institute. Os ensaios antibiofilme foram realizados pelo método de cristal violeta. As nanopartículas de zeína contento ceftazidima (CAZ-ZNP) e tobramicina (TOB-ZNP) apresentaram Ø entre 196,1 nm e 187,2 nm, PDI <0,1, ζ entre -31,4 ± 0,8 mV e -32,0 ± 1,5 mV, pH de 7,1 e %EE entre 83,94±0,4% e 59,76±0,3%. Enquanto as nanopartículas de zeína revestidas por quitosana contento ceftazidima (CAZ-ZNP-CH), tobramicina (TOB-ZNP-CH), e ceftazidima e tobramicina (CAZ-TOB-ZNP-CH) apresentaram Ø entre 314,6 nm e 330,6 nm, PDI ≤ 0,2, ζ entre +39,2 ± 0,7mV e +45,1 ± 1,0 mV,  pH de 5 e %EE entre 57,47 ± 0,5% e 87,28 ± 0,2%. As caracterizações por MEV, DRX, FTIR, DSC e TGA indicaram interações químicas entre os componentes da formulação, encapsulação dos fármacos e estabilidade térmica das nanopartículas. As nanopartículas apresentam estabilidade ao armazenamento durante 6 meses e estabilidade em meio pH gástrico e intestinal simulados. Os ensaios de cinética comprovaram a liberação controlada de CAZ e TOB encapsuladas em nanopartículas de zeina por 24h, e por 48h nas nanopartículas revestidas com quitosana. Os ensaios de citotoxidade comprovaram uma redução entre 9 e 25 vezes da citotoxicidade das nanopartículas comparado aos fármacos livres. CAZ-ZNP, TOB-ZNP, CAZ-ZNP-CH e TOB-ZNP-CH exibiram atividade antibacteriana, inibiram a formação do biofilme e erradicaram biofilmes de P. aeruginosa e K. pneumoniae resistentes, contudo, CAZ-ZNP+TOB-ZNP e CAZ-TOB-ZNP-CH apresentaram essas atividades biológicas potencializadas devido a combinação e co-encapsulação dos antibióticos. Assim, as nanopartículas desenvolvidas apresentam características físico-químicas ideiais para estudos in vivo, liberando os fármacos de forma controlada, reduzindo a citotoxicidade, potencializando a atividade antibacteriana e antibiofilme, tornado-se uma estratégia promissora para o tratamento de infecções bacterianas causadas por K. pneumoniae, E. coli e P. aeruginosa sensíveis e resistentesprodutoras de biofime.


  • Mostrar Abstract
  • As infecções bacterianas causadas por cepas resistentes produtoras de biofilme causam altos índices de morbimortalidade impactando negativamente na economia e na saúde pública mundial. O tratamento dessas infecções é oneroso e complexo devido ao espectro limitado de antimicrobianos eficazes, especialmente, para eliminar bacilos Gram-negativos (BGNs), como Acinetobacter baumannii, Klebsiella pneumoniae, Escherichia coli e Pseudomonas aeruginosa que causam infecções do trato urinário, do trato digestório, no sistema nervoso central, pneumonia, bacteremia, septicemias e infecções nas unidades de terapia intensiva (UTI). Em geral, para tratar essas infecções, utiliza-se a terapia combinada de β-lactâmicos, como a ceftazidima (CAZ), e aminoglicosídeos como a tobramicina (TOB), contudo esses fármacos apresentam limitações como baixa biodisponibilidade, níveis elevados de toxicidade e não apresentam formas farmacêuticas para administração pela via oral devido à sensibilidade a degradação pelas enzimas digestivas, a dificuldade de atravessar a barreira epitelial do intestino e de penetrar os biofilmes bacterianos. Com o objetivo de sobrepor essas limitações, encapsular CAZ e TOB em nanopartículas de zeína revestidas com quitosana torna-se uma alternativa promissora na utilização de partículas orais para liberação controlada de antimicrobianos no tratamento de infecções causadas por cepas de A. baumannii, K. pneumoniae, E. coli e P. aeruginosa. Assim, este estudo teve objetivo desenvolver, caracterizar e avaliar a atividade antibacteriana e antibiofilme de nanocarreadores poliméricos contendo antimicrobianos comerciais para uso pela via oral. As nanopartículas de zeína contendo ceftazidima e tobramicina (CAZ-ZNP, TOB-ZNP, TOB-CAZ-ZNP) e as nanopartículas de zeína revestidas com quitosana contendo ceftazidima e tobramicina (CAZ-ZNP-CH, TOB-ZNP-CH, TOB-CAZ-ZNP-CH) foram preparadas pelo método de nanoprecipitação e caracterizadas pelo tamanho de partícula (Ø), índice de polidispersão (PDI), potencial zeta (ξ), pH e eficiência de encapsulação (EE%). A determinação da concentração inibitória mínima (CIM) e da concentração bactericida mínima (CBM) das nanopartículas frente as cepas Escherichia coli ATCC 25922 e H100407, Acinetobacter baumannii ATCC 19606, Klebsiella pneumoniae ATCC 13883, ATCC 700603, K25 A2, K26 A2, K29 A2, K31 A2 e K32 A2, e Pseudomonas aeruginosa ATCC 27853, PA 19, PA 56 e PA 69 foi realizada pelo método de microdiluição em caldo de acordo com o Clinical and Laboratory Standards Institute. Os ensaios de inibição da formação de biofilme e da erradicação do biofilme pré-formado foram realizados em concentrações subinibitórias e suprainibitórias, respectivamente, nas cepas classificadas como moderadamente e fortemente produtoras de biofilme através do método do cristal violeta. As CAZ-ZNP, TOB-ZNP, TOB-CAZ-ZNP apresentaram Ø variando de 187,2nm a 197,8nm, PDI variando de 0,032 a 0,053, ξ variando de -31,4 ± 0,8 mV a -37,4 ± 0,9 mV e pH variando entre 6,9 e 7,2. As CAZ-ZNP-CH, TOB-ZNP-CH, TOB-CAZ-ZNP-CH apresentaram Ø variando de 314,6 nm a 330,6 nm, PDI variando de 0,217 a 0,274, o ξ variando de +39,2 ± 0,7 mV a +45,1 ± 1,0 mV e pH variando entre 4,3 e 4,9. A EE% de CAZ e TOB nas nanopartículas variou de 67,81% a 87,28% e de 53,01% a 63,38%, respectivamente. Para as cepas testadas, as TOB-CAZ-ZNP e TOB-CAZ-ZNP-CH apresentaram maior potencial antibacteriano e antibiofilme. Elas apresentaram a menor CIM (0,195 µg/mL) frente a E. coli ATCC 25922, K. pneumoniae ATCC 13883e P. aeruginosa ATCC 27853 e a menor CBM (0,195 µg/mL) frente a E. coli ATCC 25922. As TOB-CAZ-ZNP e TOB-CAZ-ZNP-CH inibiram a formação de biofilme na concentração CIM entre 46% e 99% e eliminaram o biofilme na concentração 16xMIC entre 38% e 92% em todas a cepas testadas. Assim, ceftazidima e tobramicina encapsuladas em nanopartículas de zeína revestidas com quitosana apresentaram características físico-químicas apropriadas para aplicação in vivo via oral epossuem promissoras atividades antibacteriana e antibiofilme com potencial terapêutico para tratamento de infecções causadas por bacilos Gram-negativos.

10
  • GILBERTO HENRIQUE TELES GOMES DA SILVA
  • ASPECTOS FISIOGENÔMICOS DA PRODUÇÃO DE ACETATO E ETANOL NA REGULAÇÃO DO METABOLISMO RESPIRO-FERMENTATIVO DA LEVEDURA INDUSTRIAL DEKKERA BRUXELLENSIS

  • Orientador : MARCOS ANTONIO DE MORAIS JUNIOR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MONICA MONTERO LOMELI
  • BORIS JUAN CARLOS UGARTE STAMBUK
  • LEUCIO DUARTE VIEIRA FILHO
  • MARCOS ANTONIO DE MORAIS JUNIOR
  • MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • Data: 30/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • A levedura Dekkera bruxellensis, embora ainda fortemente associada a eventos de contaminação nos processos de produção de etanol combustível e de vinho, tem sido apresentada recentemente com grande potencial industrial. Vários estudos caracterizaram metabolicamente esta levedura e observaram fatores relacionados a esse papel como contaminante, bem como sua benéfica função em outros processos industriais, como é o caso da fermentação espontânea para produção da cerveja Belga Lambic. Essa levedura adquiriu características primordiais para seu estabelecimento e manutenção nas dornas de fermentação alcoólica, como a capacidade em suportar o elevado teor alcoólico do processo e a habilidade diferencial em assimilar o nitrato como fonte de nitrogênio. Para seguir caracterizando o metabolismo respiro-fermentativo de D. bruxellensis, o objetivo do presente estudo foi investigar fatores fisiogenômicos associados à produção de acetato e etanol, com ênfase no desvio da produção de acetil-CoA citosólico (o chamado Pdh bypass). Os resultados foram obtidos a partir de medidas fisiológicas e de expressão gênica em cultivos em meio sintético definido com diferentes combinações de fontes de carbono e nitrogênio, e na presença ou ausência do inibidor bioquímico da acetaldeído desidrogenase, chamado dissulfiram (DSF). Em geral, a presença de DSF diminuiu o crescimento da levedura em várias condições de cultivo, enquanto promoveu aumento na eficiência fermentativa da levedura. A eficiência na conversão em etanol na presença do inibidor ultrapassou 96% em alguns casos, representando incremento de 33% em relação à condição de referência. Esse resultado fisiológico foi acompanhado por um nível geral de aumento da expressão gênica relativa dos genes alvos (PFK1, FBP1, PDC1, ADH1, ALD3, ALD5, IDH1, SDH1 e ATP1). Os dados indicam, por exemplo, que o acetato pode fluir da mitocôndria e restabelecer as necessidades citosólicas quando a enzima acetaldeído desidrogenase (Ald3p) é bloqueada. Diferente do seu epímero glicose, a galactose foi metabolizada exclusivamente pela via respiratória em D. bruxellensis GDB 248 e a utilização dessa fonte de carbono na presença de nitrato indica que o desvio metabólico da produção de acetil-CoA (Pdh bypass) é o principal caminho nesta levedura para o aporte de equivalentes redutores NAPDH para a redução do nitrato a amônio. Além disso, também foi identificado que o antioxidante N-acetilcisteína restaura os crescimentos de D. bruxellensis frente aos efeitos metabólicos exercidos pelo DSF. Adicionalmente, a eficiência fermentativa de D. bruxellensis aumenta quando a sacarose é utilizada como fonte única de carbono, independentemente da fonte de nitrogênio. Possivelmente a frutose liberada de sua hidrólise deve estar exercendo um efeito regulatório importante no metabolismo da levedura, principalmente no desvio do carbono pela via das pentoses fosfato. Outros aspectos genéticos e fisiológicos de D. bruxellensis são discutidos e contribuem para o entendimento de fatores diferenciais para a manutenção industrial e capacidade fermentativa desse microrganismo



  • Mostrar Abstract
  • Dekkera bruxellensis é uma levedura com grande potencial industrial, sendo associada a eventos de contaminação no processo de produção de bioetanol e de vinho. No decorrer dos anos, vários estudos caracterizaram metabolicamente esta levedura e observaram fatores relacionados a esse papel como contaminante, bem como sua benéfica função em outros processos industriais, como é o caso da produção da cerveja Belga Lambic. Ao longo do curso evolutivo, essa levedura adquiriu características primordiais para seu estabelecimento e manutenção nas dornas de fermentação alcoólica, como por exemplo, a capacidade em produzir etanol mesmo em condições de aerobiose, a habilidade em suportar o elevado teor alcoólico do processo e a capacidade em assimilar o nitrato como fonte de nitrogênio, característica essencial quando é esgotado o aporte de amônia presente no caldo de cana-de-açucar. Apesar disso, outros aspectos do seu metabolismo necessitam de entendimento, como é o caso da produção de acetato pela levedura. Diante disso, o objetivo do presente trabalho foi investigar fatores associados à produção de acetato pela levedura D. bruxellensis, observando como essa disponibilidade iria influenciar na capacidade em produzir etanol pelo seu metabolismo. Além disso, identificar os mecanismos genéticos associados a esses eventos fisiológicos. Como resultados, foi mostrado que a presença do inibidor bioquímico de acetato, dissulfiram, retardou o crescimento da levedura em diversas condições respiro-fermentativas. Adicionalmente, análises genéticas e fisiológicas mostraram expressão aumentada de genes chaves do metabolismo respiro-fermentativo, depleção de acetato citosólico com a utilização do inibidor, aumento do fluxo metabólico para produção de etanol pela levedura, bem como a identificação do mecanismo de saída do acetato das mitocôndrias de D. bruxellensis.

11
  • FLAVIA MORGANA MONTEIRO
  • Efeitos nas hidrolises e potencial genotóxico de cianotoxinas em peixes-zebra (Danio rerio - Hamilton, 1822). E

  • Orientador : RANILSON DE SOUZA BEZERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JULIANA DOS SANTOS SEVERIANO
  • LUIZ BEZERRA DE CARVALHO JUNIOR
  • RAFAEL DAVID SOUTO DE AZEVEDO
  • RANILSON DE SOUZA BEZERRA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 04/04/2022

  • Mostrar Resumo
  • Devido às mudanças climáticas e a interferência de ações antropogênicas, florações de cianobactérias tornaram-se comuns em ambientes aquáticos em todo o mundo, conferindo cor, odor e sabor desagradáveis à água, acarretando uma série de problemas para o abastecimento público. Entretanto, um aspecto bastante relevante das florações é que elas representam potencial risco para os animais, inclusive, os seres humanos, pelo fato de produzirem compostos tóxicos que comprometem a qualidade da água. A fim de minimizar o risco de exposição às cianotoxinas (microcistina-LR, cilindrospermopsina, saxitoxina e anatoxina-a), e confirmando a necessidade de se estabelecer um monitoramento para garantir a segurança, a OMS (Organização Mundial da Saúde) desenvolveu um quadro de recomendações para o manejo de toxinas de algas em águas potáveis e recreativas, com valores máximos permitidos de cianotoxinas. Nesse sentido, o estudo objetivou avaliar as técnicas biológicas utilizadas para detecção das cianotoxinas microcistina-LR, cilindrospermopsina, saxitoxina e anatoxina, bem como, compreender mecanismos de toxicidade neurológicas, digestivas e genotóxicas ocasionados por essas cianotoxinas. Assim, no 1º capítulo foi realizado um estudo de revisão sobre as técnicas biológicas utilizadas para detecção das cianotoxinas: bioensaios com organismos modelos, ensaio de inibição da proteína fosfatase (PPIA) ou o ensaio de imunoabsorção enzimática (ELISA). Esses métodos bioanalíticos, de maneira geral,  verificam os efeitos tóxicos da amostra, através da resposta analítica da presença ou ausência da cianotoxina. Dentre essas técnicas, o ensaio imunoenzimático (ELISA) é o mais comumente utilizado, no entanto, esse método não é tão eficaz na detecção de toxinas como a saxitoxina e cilindrospermopsina. O método ELISA pode subestimar a concentração de saxitoxina presente quando mais de uma variante se faz presente, em relação a cilindrospermopsina, durante o uso dessa técnica, pode ocorrer uma incerteza na detecção da toxina CYN quando desoxi-CYN ou 7-epi-CYN estiver presente. Diante disso, é de extrema importância abordagens analíticas de alto rendimento capazes de quantificar toxinas multiclasses em matrizes ambientais, e assim direcionar para um tratamento mais eficaz da água de reservatórios destinados ao abastecimento público. No 2º capítulo foi avaliado os possíveis impactos neurológicos, digestivos e genotóxicos das cianotoxinas (MC-LR, CYN, STX, ATX) em concentrações ambientalmente relevantes e em valores máximos permitidos (VMP), utilizando o peixe-zebra como organismo modelo. Os resultados aqui apresentados fornecem boa correspondência com as respostas em humanos, tendo em vista, que esta espécie apresenta grande similaridade genômica humana. Então, foi observado que a exposição as cianotoxinas (MC-LR, CYN, STX, ATX) nas concentrações testadas (0.5, 1, 2.5, 5, 10, 15, 20, 25 µg/L) induziu efeitos bioquímicos e genotóxicos no sistema nervoso e digestivo do peixe-zebra, além disso, os resultados aqui encontrados servem como alerta e gatilhos para novos estudos no que diz respeito aos níveis de toxinas permitidos pela legislação na água usada para abastecimento público.


  • Mostrar Abstract
  • Devido às mudanças climáticas e a interferência de ações antropogênicas, florações de cianobactérias tornaram-se comuns em ambientes aquáticos em todo o mundo, conferindo cor, odor e sabor diferenciado à água, acarretando uma série de problemas para o abastecimento público. Entretanto, um aspecto bastante relevante das florações é que elas representam potencial risco para os animais, inclusive, os seres humanos, pelo fato de produzirem compostos tóxicos que comprometem a qualidade dos recursos hídricos. As cianotoxinas são alguns dos metabólitos secundários produzidos pelas cianobactérias, que compõem várias classes com propriedades físico-químicas, estruturais e mecanismos de ações toxicológicas diferentes. Diante dessas circunstâncias, os efeitos tóxicos das cianotoxinas vêm sendo estudados, principalmente aqueles causados pelas chamadas hepatotoxinas, como a microcistina (MC) e a cilindrospermopsina (CYN), porém, os efeitos causados por toxinas neurológicas como a saxitoxina (STX) e anatoxina (ATX) ainda são bastante escassos. Por isso, novos estudos abordando efeitos das cianotoxinas em organismo modelo como o peixe-zebra permitirá a obtenção de importantes informações sobre os possíveis impactos neurológicos e intestinais que os organismos aquáticos possam estar submetidos em eventos de floração de cianobactérias. Além disso, teremos bons resultados em correspondência com as respostas em humanos, tendo em vista, que esta espécie apresenta grande similaridade genômica humana. Dessa forma, o presente trabalho pretende avaliar a toxicidade das cianotoxinas microcistina-LR, cilindrospermopsina, saxitoxina e anatoxina utilizando o peixe-zebra como modelo para estudos teratogênicos e de desordens metabólicas

12
  • JOELSON GERMANO CRISPIM
  • EFEITOS DA SUPEREXPRESSÃO DE GENES VuWRKY DO FEIJÃO-CAUPI EM Arabidopsis SOB ESTRESSES ABIÓTICOS

  • Orientador : ANA CHRISTINA BRASILEIRO VIDAL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA CHRISTINA BRASILEIRO VIDAL
  • JOAO PACIFICO BEZERRA NETO
  • MARCUS VINÍCIUS LOSS SPERANDIO
  • MITALLE KAREN DA SILVA MATOS
  • NATONIEL FRANKLIN DE MELO
  • Data: 20/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho caracterizou os efeitos da superexperessão de dois genes WRKY de Vigna unguiculata, VuWRKY21 e VuWRKY87, sob condições de estresse salino em plantas transgências de Arabisopsis, eos efeitos da superexpressão do gene VuWRKY21 em Arabidopsis após déficit hídrico (DH). Após estresse salino, as linhagens VuWRKY21-OE ou VuWRKY87-OE apresentaram modulação positiva por qPCR de seis genes envolvidos nas vias de sinalização em resposta ao estress em Arabidopsis, incluindo AtP5CS1, AtNHX1, AtRD29A, AtSOS3, AtSOS2 e AtSOS1. Adicionalmente, as linhagens transgênicas apresentaram menor teor de H2O2 e maiores teores de SOD e CAT nos tempos iniciais do estresse. Plantas VuWRKY21-OE e plantas selvagens (WT), foram submetidas ao estresse por DH, considerando-se três grupos: i) controle, ii) reidratado, ii) tratado. Foram avaliados parâmetros fisiológicos e bioquímicos. As plantas transformadas apresentaram maiores médias de NF, DR e PR, assim como maior atividade de CAT (60 % e 120%, nos grupos DH e reidratado, respectivamente) e da SOD (70%, após reidratação) em relação às plantas WT. Plantas transformadas também mostraram um teor de proteínas totais duas vezes maior na condição DH. Por outro lado, os teores de H2O2 foram 20% superiores nas plantas WT em ambas as condições. Esses resultados sugerem que a superexpressão de ambos os genes VuWRKY em Arabidopsis ativou a expressão de genes envolvidos em mecanismos de tolerância à salinidade. Além disso, os resultados demonstraram uma melhoria nos parâmetros fisiológicos e bioquímicos de Arabidopsis superexpressando o gene VuWRKY21, constatando a importância desse gene nos mecanismos de tolerância ao déficit hídrico.







  • Mostrar Abstract
  • O feijão-caupi destaca-se dentre as leguminosas de importância agrícola por ser uma excelente fonte proteica e apresentar relativa tolerância a condições adversas, incluindo o estresse salino. O presente trabalho teve por objetivo analisar os efeitos da superexpressão do gene VuWRKY21 do feijão-caupiem linhagens de Arabidopsis thaliana sob estresse salino, na ativação de genes alvos, visando à compreensão dos mecanismos de tolerância ao sal. Foram avaliados parâmetros fisiológicos, bioquímicos e proteínas e a expressão (qPCR) de um conjunto de genes relacionados ao estresse. Linhagens de Arabidopsis superexpressando o gene VuWRKY21 (L1, L2 e L3) e selvagem (WT), foram submetidas ao estresse salino (200 mM de NaCl) por 1, 2, 4 e 8 h. Os valores de atividade da SOD e de CAT e o acúmulo de proteínas totais foram maiores nas linhagens transgênicas quando comparados a WT, enquanto o conteúdo de H2O2 foi comparativamente menor. De modo geral, os genes AtP5CS1, AtRD29A e AtNHX1 apresentaram precocemente maiores níveis de expressão nas linhagens transgênicas quando comparados às plantas WT. Para os genes da via SOS, AtSOS3, foi upregulated em L1 e L3 (2 h) e em WT (1 e 4 h), enquanto AtSOS2 foi upregulated em L1 (2 h) e em WT (1 e 4 h). Os resultados indicam que a superexpressão do gene VuWRKY21 atua na regulação positiva de genes envolvidos nos mecanismos de tolerância ao estresse salino, presentes nas vias de sinalização e defesa, dependente e independente ABA.


13
  • DANIELLI BATISTA BEZERRA CAJUEIRO
  • Ancoragem de antígenos virais na superfície celular de Saccharomyces cerevisiae

  • Orientador : DIOGO ARDAILLON SIMOES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RITA DE CASSIA CARVALHO MAIA
  • ANNA JESSICA DUARTE SILVA
  • DIOGO ARDAILLON SIMOES
  • ISABELLE FREIRE TABOSA VIANA
  • PATRICIA MARIA GUEDES PAIVA
  • Data: 23/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • A produção de proteínas recombinantes em sistemas de expressão heteróloga utilizando a levedura Saccharomycescerevisiae tem sido largamente empregada pela facilidade de manipulação genética e de cultivo das células, sua capacidade de realizar modificações pós-traducionais tipicamente associadas a eucariotos superiores e pela possibilidade de crescimento em altas densidades celulares. Além dessas vantagens, é possível utilizar em S. cerevisiae sistemas de ancoragem de proteínas à superfície da levedura como forma alternativa de secretar, selecionar e purificar as proteínas heterólogas produzidas. Tal abordagem pode ser empregada no desenvolvimento de vacinas e imunoreagentes, uma vez que a exposição de epítopos na superfície da levedura se mostra uma ferramenta eficiente tanto para a apresentação de antígenos ao sistema imune, como também para a triagem de anticorpos. Este trabalho pretende construir linhagens recombinantes de S. cerevisiae úteis para o desenvolvimento de vacinas e imunoreagentes, adotando como exemplos de aplicação proteínas relacionadas ao papilomavírus humano (HPV) e ao vírus da imunodeficiência humana (HIV).


  • Mostrar Abstract
  • APLICAÇÃO DE UMA PLATAFORMA DE MODIFICAÇÕES DE Saccharomyces cerevisiae BASEADA EM CRISPR/Cas9 PARA O DESENVOLVIMENTO DE IMUNOREAGENTES E VACINAS ANCORADAS À SUPERFÍCIE CELULAR

14
  • ANDERSON RODRIGUES BALBINO DE LIMA
  • Uso de marcadores biológicos em Mugil curema; Valenciennes, 1836 (Actinopterygii: Mugilidae) no diagnóstico ambiental de estuários da região nordeste do brasil
  • Orientador : RANILSON DE SOUZA BEZERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RANILSON DE SOUZA BEZERRA
  • LUIZ BEZERRA DE CARVALHO JUNIOR
  • NÉDIA DE CASTILHOS GHISI
  • DIEGO DE SOUZA BUARQUE
  • GLAUBER PEREIRA DE CARVALHO SANTOS
  • Data: 30/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • O crescente desenvolvimento industrial e a rápida urbanização em regiões próximas de recursos hídricos têm contribuído de maneira alarmante com a introdução de compostos químicos prejudiciais à saúde ambiental e das espécies. Nas últimas décadas, os ecossistemas aquáticos têm sido alterados de maneira significativa em função de múltiplos impactos ambientais advindos do lançamento de grandes quantidades de efluentes sem tratamento adequado e/ou com intensidade, em concentração e características discordantes dos padrões estabelecidos em legislação. No nordeste do Brasil, os grandes centros urbanos localizam-se nas regiões costeiras próximos a ambientes estuarinos. Como consequência, estes ambientes têm sofrido uma grande intervenção ambiental, decorrente da descarga de efluentes produzidos pela intensa atividade humana. Esses compostos podem induzir nas espécies que utilizam os estuários de forma transitória ou definitiva uma série de alterações genéticas, bioquímicas e histológicas, podendo assim comprometer a adaptabilidade e sobrevivência dessas espécies neste ecossistema. O objetivo deste trabalho foi realizar o biomonitoramento de seis sistemas estuarinos da região nordeste do Brasil, por meio de marcadores enzimáticos, histológicos e genotóxicos da espécie M. curema. As coletas ocorreram de forma semestral (Inverno – Verão) durante os anos de 2019 e 2020 em seis sistemas estuarinos distribuídos nos estados da Paraíba, Pernambuco e Alagoas. Para os dados de genotoxicidade amostra controle foi utilizada da estação ecológica da Juréia-Itatins (Litoral Sul do Estado de São Paulo) conforme dados da literatura. Em cada um dos estuários uma média de 8 espécimes de M. curema foram capturados, das quais foi coletado sangue para realização dos ensaios genotóxicos (Teste do Micronúcleo – MN e Ensaio Cometa – EC). Em seguida foram retirados tecidos (cérebro) para análise das atividades das enzimas colinesterases (ChEs). Concomitantemente tecidos das brânquias e fígado foram retirados para analise histológica. Os resultados das atividades realizadas demonstram que os estuários do Nordeste do Brasil encontram-se fortemente impactados e que as Áreas de Proteção Ambiental tem sido pouco efetivas na proteção da biodiversidade do ecossistema estuarino. Foi observado efeito da sazonalidade nos padrões de contaminação dos estuários, indicando que as diferentes dinâmicas de fluxo hídrico entre o inverno e o verão exercem efeito direto na expressão dos biomarcadores.  



  • Mostrar Abstract
  • N/D

15
  • MARIANA RODRIGUES XAVIER
  • A DEFESA DA LEVEDURA DEKKERA BRUXELLENSIS CONTRA ESTRESSE OXIDATIVO

  • Orientador : MARCOS ANTONIO DE MORAIS JUNIOR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCOS ANTONIO DE MORAIS JUNIOR
  • MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • LEUCIO DUARTE VIEIRA FILHO
  • DIEGO BONATTO
  • SANDRA REGINA CECCATO ANTONINI
  • Data: 17/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • A levedura Dekkera bruxellensis utilizada neste trabalho foi isolada do processo industrial de produção de etanol combustível. Desde então vem sendo estudada para se compreender os mecanismos celulares e moleculares de sua adaptação àquele ambiente, principalmente aquele relacionado com a tolerância a estresse. Em face do exposto, o presente trabalho teve como objetivo estudar o mecanismo de defesa de D. bruxellensis contra estresse oxidativo usando peróxido de hidrogênio como modelo. Os resultados de concentração mínima inibitória e concentração mínima biocida mostraram que D. bruxellensis é mais sensível a estresse oxidativo do que Saccharomyces cerevisiae. Isso é decorrente da ausência de produção de proteínas sulfidriladas nas células cultivadas em glicose e amônio, que é não revertida pela adição de glutationa no meio de cultivo. Essas proteínas são produzidas quando a fonte de carbono é exclusivamente respirável, tornando as células resistentes. Os dados são corroborados pela indução dos genes GPX e SOD. Em nitrato, esse mecanismo de defesa é inibido, tornando as células novamente sensíveis. A ausência de indução de tolerância pela restrição calórica e pelo pré-tratamento com doses subletais indicou que não há sistema de indução de tolerância nessa levedura. Por fim, experimentos com o uso de inibidores das quinases das vias PKA e TOR, reguladoras do crescimento celular, revelaram que esse mecanismo de defesa antioxidante depende principalmente do mecanismo regulatório da via TOR e permitiram a proposição de um modelo regulatório ainda que preliminar sobre o controle do mecanismo de defesa antioxidante em D. bruxellensis dependente do sistema Sod-Gpx-tiorredoxina.


  • Mostrar Abstract
  • Dekkera bruxellensis é uma espécie de levedura associada a processos fermentativos industriais, especialmente na produção de cervejas, vinhos e etanol combustível. Contudo, D. bruxellensis não pode ser classificada como um micro-organismo industrial comum, visto que é principalmente apontado como uma espécie contaminante. Nesse cenário, a contaminação ocorre por D. bruxellensis competir com Saccharomyces cerevisiae pelo açúcar presente no substrato industrial, levando a diminuição do rendimento e produtividade do etanol. Apesar de ser considerada contaminante, esta leveduratambém é capaz de produzir etanol por fermentação alcoólica. Estudos recentes revelaram, que D. bruxellensis apresenta menor produtividade de etanol que S. cerevisiae, provavelmente devido a uma mudança do metabolismo fermentativo para o respiratório. Essa possível mudança é responsável por uma grande reprogramação metabólica, na qual a fermentação não é mais preferencial e a produção de etanol é diminuída. Portanto, o presente estudo pretende caracterizar o metabolismo oxidativo em Dekkera bruxellensis, identificando os fatores que desencadeiam a transição entre os metabolismos fermentativo e respiratório. A linhagem industrial Saccharomyces cerevisiae JP1 foi utilizada como referência. O teste de susceptibilidade indicou a concentração inibitória mínima (CIM) do H2O2 de 1,5 mM, sem inibição do crescimento na concentração de 4,0 mM para S. cerevisiae JP1. O mesmo foi efeito de sensibilidade foi observado no ensaio de viabilidade celular para ambas as leveduras em H2O2. Os resultados mostraram que a fonte de carbono influenciou a resposta de D. bruxellensis em reposta ao estresse oxidativo. A levedura D. bruxellensis GDB248 manteve a viabilidade até 1 mM em glicose (fonte respiro fermentativa) e o cultivo em fontes estritamente respirável (Citrato, galactose e glicerol) tornou as células mais tolerantes ao H2O2, com crescimento em até 3mM. Este efeito é justificado pela ativação de uma reprogramação para o aumento na expressão de genes e síntese de proteínas e enzimas antioxidantes que irão atuar na proteção da oxidação de substratos. Quando o Nitrato foi utilizado como fonte de nitrogênio, foi observado um aumentou na sensibilidade das células ao H2O2 em todas as fontes de carbono testadas, quando comparado a amônio, devido ao aumento da demanda energética gerada para assimilação do nitrato, provocando um desvio na capacidade redutora da célula. O conteúdo de tióis livres foi quantificado no extrato das células cultivadas em fontes tanto respiráveis como respiro-fermentativa. Em glicose, não houve diferença entre a concentração de grupos tióis totais e de tióis não-proteicos. Já nas respiráveis mostrou um decréscimo no conteúdo de GSH. Isto é resultado do processo de detoxificação dos EROs oriundos da elevada atividade mitocondrial em metabolismo respiratório. Foi possível perceber que a levedura D. bruxellensis GDB248 apresenta o dobro do conteúdo de tióis livres comparado a levedura S. cerevisiae JP1. Contudo, a presença deste maior potencial redutor não significa dizer que é para combater a produção de EROs e sim para restaurar o que já foi oxidado pelo metabolismo normal da levedura de tendência oxidativa. 


16
  • MARIA ROSANA DE SOUZA FERREIRA
  • ICONCENTRAÇÕES DE CGRP, OCITOCINA E OXÍDO NÍTRICO NO LÍQUIDO CEFALORRAQUIDIANO DE PACIENTES COM MIGRÂNEA

  • Orientador : MARCELO MORAES VALENCA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIO FERNANDO PRIETO PERES
  • ARÃO BELITARDO DE OLIVEIRA
  • DANYELLY BRUNESKA GONDIM MARTINS
  • JULIANA RAMOS DE ANDRADE
  • MARCELO MORAES VALENCA
  • Data: 21/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • A migrânea, doença neurológica mais prevalente no mundo, é caracterizada por crises de dor de cabeça unilateral e latejante, com sensibilidade visual, auditiva e ao movimento. Uma das principais causas de incapacidade em todo o mundo, a migrânea gera gastos sanitários anuais estimados em mais de US$ 20 bilhões. Várias moléculas estão envolvidas nas crises de migrânea, gerando a ativação de algumas estruturas, particularmente da dura-máter. As moléculas que estão envolvidas nas crises de migrânea podem estar circulando no LCR, dada sua circulação por todas as estruturas do sistema nervoso central. Com isso, objetivou-se mensurar as concentrações de CGRP, ocitocina e óxido nítrico no LCR de pacientes que iriam passar pela punção de lombar para procedimentos de rotina. Os grupos foram divididos em pacientes com migrânea e do grupo controle, de ambos os sexos. As amostras foram coletadas no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco. A quantificação das moléculas foi realizada através de Elisa, radioimunoensaio e quimiluminescência. Não foram observadas diferenças significativas nos níveis das moléculas analisadas entre homens e mulheres com migrânea. Vários fatores estão envolvidos na migrânea, embora o NO e CGRP estejam envolvidos no mecanismo de ativação da migrânea, os níveis dessas moléculas não foram significativamente diferentes no LCR, assim como os níveis de ocitocina, que atua como modulador da dor.


  • Mostrar Abstract
  • A enxaqueca, doença neurológica mais prevalente no mundo, é caracterizada por ataques de dor de cabeça unilateral e latejante, com sensibilidade visual, auditiva e ao movimento. Uma das principais causas de incapacidade em todo o mundo, a enxaqueca gera gastos sanitários anuais estimados em mais de US$ 20 bilhões. Várias moléculas estão envolvidas nos ataques de enxaqueca, gerando a ativação de algumas estruturas, particularmente da dura-máter. As moléculas que estão envolvidas nos ataques de enxaqueca podem estar circulando no LCR, dada sua circulação por todas as estruturas do sistema nervoso central. Com o surgimento do SARS-CoV-2 em 2019, notou-se sintomas compatíveis com a enxaqueca, levando a necessidade de investigar a presença do vírus no LCR. Com isso, objetivou-se mensurar as concentrações do CGRP, ocitocina e óxido nítrico e avaliar a expressão gênica de SARS-CoV-2 no LCR, além de otimizar protocolos comerciais de extração de RNA da dura-máter. Foram coletadas 76 amostras de LCR, de pacientes que iriam passar pela punção de lombar para procedimentos de rotina. Os grupos foram divididos em pacientes com enxaqueca, com covid-19 e do grupo controle, de ambos os sexos. As amostras foram coletadas no Hospital das Clinicas e no Laboratório Fernando Travassos. A quantificação das moléculas foi realizada através de Elisa, radioimunoensaio e quimiluminescência. Para realizar a otimização do protocolo de extração de RNA da dura-máter, as amostras foram obtidas de ratos Wistar e mantidas em dois estabilizadores diferentes. As amostras foram purificadas em quatro protocolos diferentes e o RNA foi avaliado quanto ao rendimento e pureza no NanoDrop 2000. O gene da beta-actina foi utilizado para analisar a expressão gênica. Houve diferença significativa na quantificação do oxido nítrico entre homens e mulheres com enxaqueca. Também foi significativamente diferente a comparação entre o grupo controle e os indivíduos com enxaqueca, em relação ao oxido nítrico. Com relação ao CGRP, houve diferença significativa na comparação entre homens e mulheres com enxaqueca. Na extração de RNA da dura-máter, a preservação do RNA foi semelhante em ambos os estabilizadores. O RNA purificado pelos protocolos baseados em membrana apresentou qualidade superior ao da purificação líquido-líquido. Este impacto foi observado na avaliação de três semanas usando RT-qPCR.


2021
Dissertações
1
  • BARBARA RAFAELA DA SILVA BARROS
  • ANÁLISE CELULAR E MOLECULAR SOBRE A EFICÁCIA DA TERAPIA COMPLEXA DESCONGESTIVA EM PACIENTES COM LINFEDEMA DE MEMBRO INFERIOR

  • Orientador : CRISTIANE MOUTINHO LAGOS DE MELO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CRISTIANE MOUTINHO LAGOS DE MELO
  • JACINTO DA COSTA SILVA NETO
  • JEYMESSON RAPHAEL CARDOSO VIEIRA
  • Data: 06/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • O linfedema de membro inferior é uma doença que afeta milhares de pessoas em todo o mundo. Seu estabelecimento nos indivíduos afetados consiste no mau funcionamento do sistema linfático no processo de regulação e homeostase do líquido intersticial, o que causa o desequilíbrio de todo o sistema circulatório, promovendo o extravasamento e acúmulo nos tecidos superficiais dos membros inferiores. E suas complicações clínicas vão desde problemas bioquímicos até físicos, e os sintomas podem ser agravados pelo desenvolvimento de outras doenças oportunistas e comorbidades graves como hipertensão, diabetes, obesidade e depressão, potencializando o agravamento da doença. Com o comprometimento da deambulação e dificuldade para realizar atividades básicas do dia a dia, os afetados pela doença também sofrem com o isolamento social que é dificultado pelo comprometimento da qualidade de vida. A Terapia Complexa Descongestiva é um tipo de tratamento considerado padrão ouro pela Sociedade Internacional e Linfologia, para o tratamento de membros afetados pelo linfedema. Inicialmente utilizada em mulheres pós mastectomizadas acometidas com linfedema de membro superior, a terapia passou a ser adaptada para os membros inferiores, na intenção de promover uma melhora significativa na reabilitação de pacientes nessa condição. Como uma proposta de tratamento bastante difundida atualmente e que tem apresentado efeitos físicos significativos na qualidade de vida dos pacientes, a TCD está sendo proposta como alvo de avaliação dos seus efeitos bioquímicos e celulares, uma vez que os estudos associados à investigação dessa proposta de intervenção ainda são muito escassos na comunidade científica. Pensando na necessidade de intervenções terapêuticas economicamente acessíveis às pessoas afetadas pela doença, a Sociedade Internacional de Linfologia sugeriu em 2018, que a comunidade científica investigasse os aspectos celulares e moleculares promovidos pela TCD, nos pacientes afetados com a doença. Diante disso, esse estudo propôs uma investigação a fim de confirmar os efeitos e benefícios gerados pela TCD a nível celular e molecular em pacientes atendidos pelo SRNF/FIOCRUZ-PE. Foram feitas análises microbiológicas das lesões e feridas dos membros inferiores afetados, bem como a coleta e análise hematológica, bioquímica e celular (imunofenotipagem e dosagem de citocinas) antes, durante e após as 22 (vinte e duas) sessões da TCD em todos os pacientes incluídos no programa. Os resultados demonstraram que houve melhora na cicatrização das lesões ao longo da TCD e uma importante redução dos microrganismos isolados antes da terapia, que já não foram mais isolados ao final dela. Houve também redução importante da população de células TCD4+, acompanhados de resposta pró-inflamatórias, com o aumento de IFN-γ+. Além da redução do edema nos membros inferiores, a Terapia Complexa Descongestiva demonstrou melhora significativa das lesões e a redução da resposta inflamatória nos pacientes tratados.



  • Mostrar Abstract
  • O linfedema de membro inferior é uma doença que afeta milhares de pessoas em todo o mundo. Seu estabelecimento nos indivíduos afetados consiste no mau funcionamento do sistema linfático no processo de regulação e homeostase do líquido intersticial, o que causa o desequilíbrio de todo o sistema circulatório, promovendo o extravasamento e acúmulo nos tecidos superficiais dos membros inferiores. E suas complicações clínicas vão desde problemas bioquímicos até físicos, e os sintomas podem ser agravados pelo desenvolvimento de outras doenças oportunistas e comorbidades graves como hipertensão, diabetes, obesidade e depressão, potencializando o agravamento da doença. Com o comprometimento da deambulação e dificuldade para realizar atividades básicas do dia a dia, os afetados pela doença também sofrem com o isolamento social que é dificultado pelo comprometimento da qualidade de vida. A Terapia Complexa Descongestiva é um tipo de tratamento considerado padrão ouro pela Sociedade Internacional e Linfologia, para o tratamento de membros afetados pelo linfedema. Inicialmente utilizada em mulheres pós mastectomizadas acometidas com linfedema de membro superior, a terapia passou a ser adaptada para os membros inferiores, na intenção de promover uma melhora significativa na reabilitação de pacientes nessa condição. Como uma proposta de tratamento bastante difundida atualmente e que tem apresentado efeitos físicos significativos na qualidade de vida dos pacientes, a TCD está sendo proposta como alvo de avaliação dos seus efeitos bioquímicos e celulares, uma vez que os estudos associados à investigação dessa proposta de intervenção ainda são muito escassos na comunidade científica. Pensando na necessidade de intervenções terapêuticas economicamente acessíveis às pessoas afetadas pela doença, a Sociedade Internacional de Linfologia sugeriu em 2018, que a comunidade científica investigasse os aspectos celulares e moleculares promovidos pela TCD, nos pacientes afetados com a doença. Diante disso, esse estudo propôs uma investigação a fim de confirmar os efeitos e benefícios gerados pela TCD a nível celular e molecular em pacientes atendidos pelo SRNF/FIOCRUZ-PE. Foram feitas análises microbiológicas das lesões e feridas dos membros inferiores afetados, bem como a coleta e análise hematológica, bioquímica e celular (imunofenotipagem e dosagem de citocinas) antes, durante e após as 22 (vinte e duas) sessões da TCD em todos os pacientes incluídos no programa. Os resultados demonstraram que houve melhora na cicatrização das lesões ao longo da TCD e uma importante redução dos microrganismos isolados antes da terapia, que já não foram mais isolados ao final dela. Houve também redução importante da população de células TCD4+, acompanhados de resposta pró-inflamatórias, com o aumento de IFN-γ+. Além da redução do edema nos membros inferiores, a Terapia Complexa Descongestiva demonstrou melhora significativa das lesões e a redução da resposta inflamatória nos pacientes tratados.


2
  • ANDREZA LARISSA DO NASCIMENTO
  • Avaliação da atividade antinoceptiva e anti-inflamatória do óleo essencial das folhas de Eugenia pohliana DC.

  • Orientador : MARCIA VANUSA DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALISSON MACARIO DE OLIVEIRA
  • MARCIA VANUSA DA SILVA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 11/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Muitos medicamentos são utilizados para amenizar as repostas inflamatórias e a dor, estes por sua vez causam adversidades e não podem ser usados excessivamente. Existe a necessidade de encontrar formas terapêuticas menos prejudiciais e eficientes contra essa resposta do organismo, as plantas são candidatas promissoras. Diversas Eugenias, são utilizadas na medicina popular e possuem comprovação científica sobre atividade Biológica. Até o momento não existem publicações sobre Eugenia pohliana, nesta dissertação foi realizada pela primeira vez a determinação da composição química, por meio de cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massas (CG-MS), avaliação do potencial antinociceptivo pelos testes de contorções, movimento de cauda, formalina e anti-inflamatório pelo método de edema de pata e peritonite nas concentrações de 25, 50 e 100mg/kg. Além da determinação da taxa de hemólise em diluições seriadas (5.000-156,25) e avaliação comportamental (1.000mg/kg) pelo teste de campo aberto e labirinto em cruz elevado.  Como resultado da análise química, foi descoberto que o principal composto do óleo essencial de E.pohliana (OEEp) é β- (E) -cariofileno. No teste de hemólise, não houve valores significativos para lise de eritrócitos que teve taxas entre 2,2 e 0,74%. Já a atividade inibindo contorções abdominais, apresentou diminuição em 42,95; 52,94 e 70,70%. No teste de movimento de cauda o OEEP foi mais eficiente no tempo de 90 minutos (69-86,5%) e no teste de formalina os resultados inibiram a dor neurogênica em 29,6; 65,6 e 61,75% e a dor inflamatória em 37,3; 64,3 e 65,2%. Como anti-inflamatório o OEEp reduziu o edema de pata após 3h em 74,9; 78,4 e 81,4% e no teste de peritonite houve redução de leucócitos em 51,86; 60,50; 70,38% e neutrófilos em 37,74; 49,06 e 71,69%. Após alta dose do OEEp, os resultados dos testes de campo aberto e labirinto em cruz elevada não tiveram resultados significativos comprovando que OEEp não afeta o sistema nervoso central (SNC). Com base nos resultados pode-se concluir que, o óleo essencial de E. pohliana não provoca lise celular in vitro e apresenta atividade antinociceptiva e anti-inflamatória in vivo sem afetar o SNC. 



  • Mostrar Abstract
  • Muitos medicamentos são utilizados para amenizar as repostas inflamatórias e a dor, estes por sua vez causam adversidades e não podem ser usados excessivamente. Existe a necessidade de encontrar formas terapêuticas menos prejudiciais e eficientes contra essa resposta do organismo, as plantas são candidatas promissoras. Diversas Eugenias, são utilizadas na medicina popular e possuem comprovação científica sobre atividade Biológica. Até o momento não existem publicações sobre Eugenia pohliana, nesta dissertação foi realizada pela primeira vez a determinação da composição química, por meio de cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massas (CG-MS), avaliação do potencial antinociceptivo pelos testes de contorções, movimento de cauda, formalina e anti-inflamatório pelo método de edema de pata e peritonite nas concentrações de 25, 50 e 100mg/kg. Além da determinação da taxa de hemólise em diluições seriadas (5.000-156,25) e avaliação comportamental (1.000mg/kg) pelo teste de campo aberto e labirinto em cruz elevado.  Como resultado da análise química, foi descoberto que o principal composto do óleo essencial de E.pohliana (OEEp) é β- (E) -cariofileno. No teste de hemólise, não houve valores significativos para lise de eritrócitos que teve taxas entre 2,2 e 0,74%. Já a atividade inibindo contorções abdominais, apresentou diminuição em 42,95; 52,94 e 70,70%. No teste de movimento de cauda o OEEP foi mais eficiente no tempo de 90 minutos (69-86,5%) e no teste de formalina os resultados inibiram a dor neurogênica em 29,6; 65,6 e 61,75% e a dor inflamatória em 37,3; 64,3 e 65,2%. Como anti-inflamatório o OEEp reduziu o edema de pata após 3h em 74,9; 78,4 e 81,4% e no teste de peritonite houve redução de leucócitos em 51,86; 60,50; 70,38% e neutrófilos em 37,74; 49,06 e 71,69%. Após alta dose do OEEp, os resultados dos testes de campo aberto e labirinto em cruz elevada não tiveram resultados significativos comprovando que OEEp não afeta o sistema nervoso central (SNC). Com base nos resultados pode-se concluir que, o óleo essencial de E. pohliana não provoca lise celular in vitro e apresenta atividade antinociceptiva e anti-inflamatória in vivo sem afetar o SNC. 


3
  • RAYSSA GUEDES GOMES DA SILVA
  • Proteômica diferencial de colmo de cana-de-açúcar (Saccharum spp.) em resposta à infecção por Leifsonia xyli subsp. xyli

  • Orientador : TERCILIO CALSA JUNIOR
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOSÉ RIBAMAR COSTA FERREIRA NETO
  • KATIA CASTANHO SCORTECCI
  • TERCILIO CALSA JUNIOR
  • Data: 27/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • A cana-de-açúcar (Saccharum spp.) é uma das plantas mais cultivadas no mundo devido ao seu elevado rendimento em biomassa e concentração de sacarose nos colmos, sendo o Brasil o maior produtor. Entretanto, diversos fatores bióticos afetam sua produtividade, entre eles a bactéria Leifsonia xyli subsp. xyli (Lxx), agente causal do raquitismo-da-soqueira (RSD). Portanto, o objetivo deste trabalho foi determinar o perfil proteômico caulinar diferencial de cana-de-açúcar (var. RB867515) infectada com Lxx. As proteínas totais dos colmos inoculados ou não com Lxx foram extraídas utilizando o método fenólico, quantificadas pelo método de Bradford e submetidas à eletroforese uni e bidimensional, seguindo-se a análise por espectrometria de massas. Um total de 76 proteínas diferencialmente acumuladas (DAPs) de ambos os tratamentos foram identificadas, presumivelmente, permitindo associá-las a diversos processos funcionais, tais como modificação de proteínas, resposta ao estresse, processamento de mRNA, biossíntese, desenvolvimento, metabolismo de nitrogênio, metabolismo de carboidratos, transporte e outros. Os dados proteômicos demonstraram um maior acúmulo de proteínas relacionadas à defesa nas plantas infectadas, incluindo uma proteína com domínio NB-ARC que está envolvida no reconhecimento de efetores do fitopatógeno e que desencadeia uma resposta hipersensitiva (HR) no hospedeiro. A infecção com Lxx promove o acúmulo de danos ao DNA, porém, algumas proteínas envolvidas na resposta a esses danos, tais como a PARP1 e a AGO10b são induzidas, e parecem integrar mecanismos de defesa ativados. Por outro lado, a indução da TPX2 e inibição da MAP3Kε1 na cana-de-açúcar em interação com Lxx sugerem que a presença da bactéria interfere no ciclo celular vegetal. Os resultados apresentados contribuem para o entendimento dos mecanismos moleculares envolvidos nesse patossistema e podem auxiliar os programas de melhoramento genético para resistência ao RSD.


  • Mostrar Abstract
  • A cana-de-açúcar (Saccharum spp.) é uma das plantas mais cultivadas no mundo devido ao seu elevado rendimento em biomassa e concentração de sacarose nos colmos, sendo o Brasil o maior produtor. Entretanto, diversos fatores bióticos afetam sua produtividade, entre eles a bactéria Leifsonia xyli subsp. xyli (Lxx), agente causal do raquitismo-da-soqueira (RSD). Portanto, o objetivo deste trabalho foi determinar o perfil proteômico caulinar diferencial de cana-de-açúcar (var. RB867515) infectada com Lxx. As proteínas totais dos colmos inoculados ou não com Lxx foram extraídas utilizando o método fenólico, quantificadas pelo método de Bradford e submetidas à eletroforese uni e bidimensional, seguindo-se a análise por espectrometria de massas. Um total de 76 proteínas diferencialmente acumuladas (DAPs) de ambos os tratamentos foram identificadas, presumivelmente, permitindo associá-las a diversos processos funcionais, tais como modificação de proteínas, resposta ao estresse, processamento de mRNA, biossíntese, desenvolvimento, metabolismo de nitrogênio, metabolismo de carboidratos, transporte e outros. Os dados proteômicos demonstraram um maior acúmulo de proteínas relacionadas à defesa nas plantas infectadas, incluindo uma proteína com domínio NB-ARC que está envolvida no reconhecimento de efetores do fitopatógeno e que desencadeia uma resposta hipersensitiva (HR) no hospedeiro. A infecção com Lxx promove o acúmulo de danos ao DNA, porém, algumas proteínas envolvidas na resposta a esses danos, tais como a PARP1 e a AGO10b são induzidas, e parecem integrar mecanismos de defesa ativados. Por outro lado, a indução da TPX2 e inibição da MAP3Kε1 na cana-de-açúcar em interação com Lxx sugerem que a presença da bactéria interfere no ciclo celular vegetal. Os resultados apresentados contribuem para o entendimento dos mecanismos moleculares envolvidos nesse patossistema e podem auxiliar os programas de melhoramento genético para resistência ao RSD.

4
  • JOSE BANDEIRA DO NASCIMENTO JUNIOR
  • GENÔMICA COMPARATIVA DE 14 ESPÉCIES DO GÊNERO LEISHMANIA

  • Orientador : VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ROSANE SILVA
  • CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
  • VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
  • Data: 30/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Leishmania spp. São parasitas intracelulares obrigatórios, digenéticos e dimórficos, que causam uma doença zoonótica conhecida como leishmaniose que pode causar a morte em sua forma mais grave. Na tentativa de compreender as diferenças genômicas entre as espécies do gênero, 21 genomas de 14 espécie de Leishmania no TriTrypDB foram analisados para o pangenoma e similaridade genética. Os resultados mostraram que de um total de 20.319 clusters, 54,7% foram associados ao genoma cloud, 12,8% ao genoma shell e 32,5% ao genoma core. Além disso, observamos que todos os genomas da mesma espécie apresentaram uma similaridade genética maior do que 99% e entre todo o gênero a similaridade se manteve maior do que 80%. Os nossos resultados sugeriram que o genoma de leishmania mesmo que similar apresenta mais da metade do genoma composto por genes únicos para a espécie. Nossas observações indicam que é necessário a realização de estudos sobre função gênica desses clusters para melhor compreensão do processo de especiação desses genes. 



  • Mostrar Abstract
  • Leishmania spp. São parasitas intracelulares obrigatórios, digenéticos e dimórficos, que causam uma doença zoonótica conhecida como leishmaniose que pode causar a morte em sua forma mais grave. Na tentativa de compreender as diferenças genômicas entre as espécies do gênero, 21 genomas de 14 espécie de Leishmania no TriTrypDB foram analisados para o pangenoma e similaridade genética. Os resultados mostraram que de um total de 20.319 clusters, 54,7% foram associados ao genoma cloud, 12,8% ao genoma shell e 32,5% ao genoma core. Além disso, observamos que todos os genomas da mesma espécie apresentaram uma similaridade genética maior do que 99% e entre todo o gênero a similaridade se manteve maior do que 80%. Os nossos resultados sugeriram que o genoma de leishmania mesmo que similar apresenta mais da metade do genoma composto por genes únicos para a espécie. Nossas observações indicam que é necessário a realização de estudos sobre função gênica desses clusters para melhor compreensão do processo de especiação desses genes. 


5
  • KEYLA PATRICIA DE OLIVEIRA
  • ANÁLISE DE STRS DA DETERMINAÇÃO DO TEMPO MÍNIMO NECESSÁRIO PARA ENXERTIA EM PACIENTES SUBMETIDOS AO TCTH ALOGÊNICO

  • Orientador : VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CRISTIANE MOUTINHO LAGOS DE MELO
  • MARCOS DA SILVEIRA REGUEIRA NETO
  • RODRIGO SOARES DE MOURA NETO
  • Data: 30/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • O transplante de células-tronco hematopoiéticas (TCTH) trouxe avanços significativos para o tratamento de certas patologias hematológicas, mais notadamente as leucemias e as síndromes mielodisplásicas, possibilitando desde a remissão de casos até a cura. Este procedimento tem como finalidade a substituição da hematopoiese do receptor a partir de células do doador, proporcionando uma medula óssea saudável que irá desenvolver células sanguíneas livres de células tumorais. Imediatamente após a realização do TCTH ocorre um quimerismo misto, isto é, coexistência de células sanguíneas características do doador e do receptor do transplante. Análises precoces dos padrões de quimerismo doador/receptor após o TCTH permitem avaliar o grau de sucesso do transplante. A análise quimérica pode ser realizada em amostras de sangue total ou medula óssea ou sangue, usualmente coletadas em tubo contendo ácido etilenodiamino tetra-acético (EDTA). O STR-PCR é considerada a técnica-ouro para seguimento para Quimerismo de Medula Óssea (QMO). O objeto principal do estudo foi validar metodologia técnico-científica para análise e seguimento do TCTH a partir da coleta de amostras sanguíneas em cartões FTA® e do uso de técnicas de PCR-STR e, em paralelo, desenvolver Plataforma de Análise do Quimerismo da Medula Óssea. Inicialmente, os cartões FTA® foram idealizados para coletar amostras biológicas de referência de criminosos por permitir que o DNA seja armazenado em temperatura ambiente por anos, sem comprometimento da sua qualidade. Foram confrontados os resultados do TCTH obtidos a partir da extração de DNA de amostras de sangue total coletadas em tubo contendo anticoagulante EDTA e da amplificação direta do DNA de discos circulares de Cartões FTA®. De acordo com os resultados obtidos, a partir de 12 dias após o TCTH, não houve diferença estatisticamente significativa entre as metodologias. Desta forma, a coleta de sangue total em cartões FTA® pode ser usada para análises de seguimento de Quimerismo de Medula Óssea A Plataforma de Análise e Cálculo de Quimerismo de Medula Óssea (KimerCalcBR), desenvolvida e validada no presente trabalho, contribui para a reduzir o tempo de entrega do exame genético quimérico e fornece cálculos quiméricos precisos, podendo servir como ferramenta diagnóstica auxiliar para tomada de decisões de condutas terapêuticas.



  • Mostrar Abstract
  • O transplante de células-tronco hematopoiéticas (TCTH) trouxe avanços significativos para o tratamento de certas patologias hematológicas, mais notadamente as leucemias e as síndromes mielodisplásicas, possibilitando desde a remissão de casos até a cura. Este procedimento tem como finalidade a substituição da hematopoiese do receptor a partir de células do doador, proporcionando uma medula óssea saudável que irá desenvolver células sanguíneas livres de células tumorais. Imediatamente após a realização do TCTH ocorre um quimerismo misto, isto é, coexistência de células sanguíneas características do doador e do receptor do transplante. Análises precoces dos padrões de quimerismo doador/receptor após o TCTH permitem avaliar o grau de sucesso do transplante. A análise quimérica pode ser realizada em amostras de sangue total ou medula óssea ou sangue, usualmente coletadas em tubo contendo ácido etilenodiamino tetra-acético (EDTA). O STR-PCR é considerada a técnica-ouro para seguimento para Quimerismo de Medula Óssea (QMO). O objeto principal do estudo foi validar metodologia técnico-científica para análise e seguimento do TCTH a partir da coleta de amostras sanguíneas em cartões FTA® e do uso de técnicas de PCR-STR e, em paralelo, desenvolver Plataforma de Análise do Quimerismo da Medula Óssea. Inicialmente, os cartões FTA® foram idealizados para coletar amostras biológicas de referência de criminosos por permitir que o DNA seja armazenado em temperatura ambiente por anos, sem comprometimento da sua qualidade. Foram confrontados os resultados do TCTH obtidos a partir da extração de DNA de amostras de sangue total coletadas em tubo contendo anticoagulante EDTA e da amplificação direta do DNA de discos circulares de Cartões FTA®. De acordo com os resultados obtidos, a partir de 12 dias após o TCTH, não houve diferença estatisticamente significativa entre as metodologias. Desta forma, a coleta de sangue total em cartões FTA® pode ser usada para análises de seguimento de Quimerismo de Medula Óssea A Plataforma de Análise e Cálculo de Quimerismo de Medula Óssea (KimerCalcBR), desenvolvida e validada no presente trabalho, contribui para a reduzir o tempo de entrega do exame genético quimérico e fornece cálculos quiméricos precisos, podendo servir como ferramenta diagnóstica auxiliar para tomada de decisões de condutas terapêuticas.


6
  • LETHICIA MARIA DE SOUZA AGUIAR
  • ATIVIDADE LEISHMANICIDA DA LECTINA DE FRONDE DE Microgramma vacciniifolia (MvFL)

  • Orientador : THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARY ANGELA ARANDA DE SOUZA GOMES
  • MARÍLIA CAVALCANTI CORIOLANO
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 30/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Leishmaniose é uma doença negligenciada considerada uma zoonose, doença infecciosa transmissível entre animais e humanos, causada por diferentes espécies de protozoários Leishmania. Alguns medicamentos são utilizados para seu tratamento, porém, são de uso limitado devido a fatores como toxicidade e alto custo, com isso, a OMS enfatiza a importância de desenvolver novos medicamentos. As lectinas são proteínas com diversas atividades biológicas, incluindo antiparasitária in vitro e in vivo. Este estudo avaliou a atividade anti-Leishmania da lectina de fronde Microgramma vacciniifolia (MvFL) sobre promastiogotas e amastigotas intramacrofágicas de Leishmania amazonensis. Foram avaliados também a atividade lisossomal, fagocítica e os níveis intracelulares de óxido nítrico (NO) nos macrófagos infectados. A atividade hemolítica de MvFL foi determinada em eritrócitos de camundongo e humanos (tipos A+, B+, AB+ e O+). Nossos resultados mostraram que MvFL inibiu, de forma dose-dependente, o crescimento de promastigotas de L. amazonensis com CI50 de 88 µg/mL. Da mesma forma, MvFL (90 µg/mL) reduziu (p < 0.05) a infecção de macrófagos em amastigotas para 46,6±1,66 %, com CI50 de 52 µg/mL. MvFL também reduziu (p < 0.05) o número de amastigotas internalizadas por macrófago infectado em 68,9±0,53%. MvFL estimulou a atividade lisossomal na concentração de 25 µg/mL, porém não alterou a atividade fagocitária e não induziu a produção de NO. MvFL mostrou-se pouco hemolítica, com CH50 > 200 µg/mL. Sendo assim, MvFL é um agente leishmanicida, com potencial para investigação em modelos de imunização in vivo contra leishmaniose.


  • Mostrar Abstract
  • Leishmaniose é uma doença negligenciada considerada uma zoonose, doença infecciosa transmissível entre animais e humanos, causada por diferentes espécies de protozoários Leishmania. Alguns medicamentos são utilizados para seu tratamento, porém, são de uso limitado devido a fatores como toxicidade e alto custo, com isso, a OMS enfatiza a importância de desenvolver novos medicamentos. As lectinas são proteínas com diversas atividades biológicas, incluindo antiparasitária in vitro e in vivo. Este estudo avaliou a atividade anti-Leishmania da lectina de fronde Microgramma vacciniifolia (MvFL) sobre promastiogotas e amastigotas intramacrofágicas de Leishmania amazonensis. Foram avaliados também a atividade lisossomal, fagocítica e os níveis intracelulares de óxido nítrico (NO) nos macrófagos infectados. A atividade hemolítica de MvFL foi determinada em eritrócitos de camundongo e humanos (tipos A+, B+, AB+ e O+). Nossos resultados mostraram que MvFL inibiu, de forma dose-dependente, o crescimento de promastigotas de L. amazonensis com CI50 de 88 µg/mL. Da mesma forma, MvFL (90 µg/mL) reduziu (p < 0.05) a infecção de macrófagos em amastigotas para 46,6±1,66 %, com CI50 de 52 µg/mL. MvFL também reduziu (p < 0.05) o número de amastigotas internalizadas por macrófago infectado em 68,9±0,53%. MvFL estimulou a atividade lisossomal na concentração de 25 µg/mL, porém não alterou a atividade fagocitária e não induziu a produção de NO. MvFL mostrou-se pouco hemolítica, com CH50 > 200 µg/mL. Sendo assim, MvFL é um agente leishmanicida, com potencial para investigação em modelos de imunização in vivo contra leishmaniose.

7
  • JOAO VICTOR DE OLIVEIRA ALVES
  • CONTROLE INTEGRADO DO VETOR DE VIROSES HUMANAS AEDES AEGYPTI: O MODELO FUNGO ENTOMOPATOGÊNICO METARHIZIUM ANISOPLIAE ASSOCIADO AO ÓLEO ESSENCIAL DA PLANTA EUGENIA BREJOENSIS DA CAATINGA BRASILEIRA

  • Orientador : AUGUSTO SCHRANK
  • MEMBROS DA BANCA :
  • AUGUSTO SCHRANK
  • EMMANUEL VIANA PONTUAL
  • NICOLAU SBARAINI OLIVEIRA
  • Data: 31/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • O mosquito Aedes aegypti é altamente antropofílico presente no ambiente domiciliar, sendo um dos principais vetores de arboviroses graves como dengue, chikungunya e zika. O controle desse vetor é baseado no uso de inseticidas formulados com substâncias de origem natural ou sintética que são utilizadas para diminuir a incidência de insetos em diferentes fases do seu ciclo de vida. Na literatura, os óleos essenciais e fungos entomopatogênicos são descritos como alternativas naturais para o controle do Ae. aegypti. Nesta Dissertação investigamos a susceptibilidade das larvas do Ae. aegypti a formulações contendo o OE da Eugenia brejoensis e conídios do Metarhizium anisopliae. A E. brejoensis é uma planta da Caatinga e seu OE foi caracterizado por GC/MS, apresentando o δ-cadinene (17,6%), E-caryophyllene (16,3%), Epi-α-muurolol (9,3%), bicyclogermacrene (8,1%), α-cadinol (7,3%) e Spathulenol (6,6%) como compostos majoritários. O OE apresenta LC50 de 200,4±0,4 ppm e LC90 662,6±0,5 ppm contra as larvas de Ae. aegypti. Todas as linhagens de M. anisopliae testadas apresentaram atividade larvicida nos mosquitos, com destaque para a Linhagem E6 com TL50 1,5 dias (Concentração 1X108). Já nos ensaios de atividade larvicida com formulações contento ambos o OE e o fungo (Eb+Ma) (100 ppm de OE da E. brejoensis e 1X106 de conídios de M.anisopliae) atingem TL50 1,5 dias. As formulações Eb+Ma apresentaram menores curvas de sobrevivência e tempo letal em relação aos dois componentes isoladamente.Portanto, propomos formulações Eb+Ma para o desenvolvimento de controle biológico integrado de larvas de Ae. aegypti.


  • Mostrar Abstract
  • O mosquito Aedes aegypti é altamente antropofílico presente no ambiente domiciliar, sendo um dos principais vetores de arboviroses graves como dengue, chikungunya e zika. O controle desse vetor é baseado no uso de inseticidas formulados com substâncias de origem natural ou sintética que são utilizadas para diminuir a incidência de insetos em diferentes fases do seu ciclo de vida. Na literatura, os óleos essenciais e fungos entomopatogênicos são descritos como alternativas naturais para o controle do Ae. aegypti. Nesta Dissertação investigamos a susceptibilidade das larvas do Ae. aegypti a formulações contendo o OE da Eugenia brejoensis e conídios do Metarhizium anisopliae. A E. brejoensis é uma planta da Caatinga e seu OE foi caracterizado por GC/MS, apresentando o δ-cadinene (17,6%), E-caryophyllene (16,3%), Epi-α-muurolol (9,3%), bicyclogermacrene (8,1%), α-cadinol (7,3%) e Spathulenol (6,6%) como compostos majoritários. O OE apresenta LC50 de 200,4±0,4 ppm e LC90 662,6±0,5 ppm contra as larvas de Ae. aegypti. Todas as linhagens de M. anisopliae testadas apresentaram atividade larvicida nos mosquitos, com destaque para a Linhagem E6 com TL50 1,5 dias (Concentração 1X108). Já nos ensaios de atividade larvicida com formulações contento ambos o OE e o fungo (Eb+Ma) (100 ppm de OE da E. brejoensis e 1X106 de conídios de M.anisopliae) atingem TL50 1,5 dias. As formulações Eb+Ma apresentaram menores curvas de sobrevivência e tempo letal em relação aos dois componentes isoladamente.Portanto, propomos formulações Eb+Ma para o desenvolvimento de controle biológico integrado de larvas de Ae. aegypti.

8
  • JOYCE BEZERRA GUEDES
  • Composição química e avaliação da toxicidade aguda e atividades antinociceptiva e anti-inflamatória do óleo essencial das folhas de Eugenia gracillima Kiaersk

  • Orientador : MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALISSON MACARIO DE OLIVEIRA
  • MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 31/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • As plantas medicinais se apresentam como importantes agentes no tratamento e/ou cura de diversas enfermidades, sendo amplamente utilizadas pela população em geral. Muitas das suas propriedades farmacológicas relatadas são comprovadas em estudos científicos. Dentre essas plantas com potencial medicinal, evidenciamos a Eugenia gracillima, que é amplamente utilizada pela população na amenização e cura de diversas enfermidades, apesar de possuir muito poucos relatos na literatura a respeito do seu potencial medicinal. Dessa forma, para obtenção do óleo essencial (OEEg), suas folhas foram submetidas ao método de hidrodestilação, sendo realizada a identificação da sua composição química, sendo posteriormente avaliado quanto a sua toxicidade aguda e sobre suas atividades anti-inflamatória e antinociceptiva, bem como o seu possível efeito no comportamento dos camundongos. A análise feita por cromatografia gasosa acoplada ao espectrômetro de massas evidenciou o germacrene-D como composto majoritário (16,10%). Nas concentrações avaliadas para toxicidade aguda (2000 mg/kg e 5000 mg/kg), não foram observadas mortes nem alterações comportamentais, bem como o peso e consumo de água e ração também não foram alterados na concentração de 2000 mg/kg, na concentração de 5000 mg/kg houve uma redução do peso em 53,96% e consumo de ração em 38,82%. A DL50 foi acima de 5000 mg/kg sendo classificado como atóxico ou pouco tóxico Quando submetido ao teste de hemólise, o óleo apresentou taxas entre 0,79 a 1,91%, não demonstrando atividade hemolítica. Nos parâmetros hematológicos e bioquímicos avaliados não foram observadas alterações, exceto na concentração de 5000 mg/kg, que houve um aumento nos níveis de alanine aminotransferase e aspartate aminotransferase nos parâmetros bioquímicos. Na avaliação histopatológica, os órgãos internos dos animais não apresentaram alterações. Em relação ao potencial antinociceptivo, as concentrações de OEEg submetidas aos testes de contorção abdominal apresentaram redução de 78,82 a 84,75%. No teste de formalina, na primeira fase houve redução da dor de 24,71 a 62,17% e na segunda fase essa redução foi de 81,19, 60,80 e 40,36%. No teste de movimento de cauda os resultados também foram positivos na diminuição da dor. Na avaliação da atividade anti-inflamatória, no teste de edema de pata as concentrações testadas inibiram a inflamação em 98,13 a 98,20%. No teste de peritonite houve diminuição na migração do número de leucócitos de 82,71, 76,54 e 64,19% e neutrófilos de 69,81, 66,03 e 54,71%. Os animais tratados com OEEg e submetidos aos testes comportamentais de campo aberto e labirinto em cruz elevado não demonstraram efeitos depressores na função motora e atividade exploratória desses animais. Dessa forma, conclui-se que o uso do OEEg é seguro, uma vez que não causa efeitos toxicológicos, hemolíticos nem comportamentais, e apresenta atividades farmacológicas antinociceptiva e anti-inflamatória.



  • Mostrar Abstract
  • As plantas medicinais se apresentam como importantes agentes no tratamento e/ou cura de diversas enfermidades, sendo amplamente utilizadas pela população em geral. Muitas das suas propriedades farmacológicas relatadas são comprovadas em estudos científicos. Dentre essas plantas com potencial medicinal, evidenciamos a Eugenia gracillima, que é amplamente utilizada pela população na amenização e cura de diversas enfermidades, apesar de possuir muito poucos relatos na literatura a respeito do seu potencial medicinal. Dessa forma, para obtenção do óleo essencial (OEEg), suas folhas foram submetidas ao método de hidrodestilação, sendo realizada a identificação da sua composição química, sendo posteriormente avaliado quanto a sua toxicidade aguda e sobre suas atividades anti-inflamatória e antinociceptiva, bem como o seu possível efeito no comportamento dos camundongos. A análise feita por cromatografia gasosa acoplada ao espectrômetro de massas evidenciou o germacrene-D como composto majoritário (16,10%). Nas concentrações avaliadas para toxicidade aguda (2000 mg/kg e 5000 mg/kg), não foram observadas mortes nem alterações comportamentais, bem como o peso e consumo de água e ração também não foram alterados na concentração de 2000 mg/kg, na concentração de 5000 mg/kg houve uma redução do peso em 53,96% e consumo de ração em 38,82%. A DL50 foi acima de 5000 mg/kg sendo classificado como atóxico ou pouco tóxico Quando submetido ao teste de hemólise, o óleo apresentou taxas entre 0,79 a 1,91%, não demonstrando atividade hemolítica. Nos parâmetros hematológicos e bioquímicos avaliados não foram observadas alterações, exceto na concentração de 5000 mg/kg, que houve um aumento nos níveis de alanine aminotransferase e aspartate aminotransferase nos parâmetros bioquímicos. Na avaliação histopatológica, os órgãos internos dos animais não apresentaram alterações. Em relação ao potencial antinociceptivo, as concentrações de OEEg submetidas aos testes de contorção abdominal apresentaram redução de 78,82 a 84,75%. No teste de formalina, na primeira fase houve redução da dor de 24,71 a 62,17% e na segunda fase essa redução foi de 81,19, 60,80 e 40,36%. No teste de movimento de cauda os resultados também foram positivos na diminuição da dor. Na avaliação da atividade anti-inflamatória, no teste de edema de pata as concentrações testadas inibiram a inflamação em 98,13 a 98,20%. No teste de peritonite houve diminuição na migração do número de leucócitos de 82,71, 76,54 e 64,19% e neutrófilos de 69,81, 66,03 e 54,71%. Os animais tratados com OEEg e submetidos aos testes comportamentais de campo aberto e labirinto em cruz elevado não demonstraram efeitos depressores na função motora e atividade exploratória desses animais. Dessa forma, conclui-se que o uso do OEEg é seguro, uma vez que não causa efeitos toxicológicos, hemolíticos nem comportamentais, e apresenta atividades farmacológicas antinociceptiva e anti-inflamatória.


9
  • MILENA ROBERTA FREIRE DA SILVA
  • CARACTERIZAÇÃO AMOSTRAL DA MICROBIOTA DO RIO SÃO FRANCISCO NO MUNICÍPIO DE PAULO AFONSO, BAHIA, E SUA RELAÇÃO COM A SAUDE PÚBLICA

  • Orientador : MARIA BETANIA MELO DE OLIVEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KATIA CILENE DA SILVA FELIX
  • MARIA BETANIA MELO DE OLIVEIRA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 30/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • O rio São Francisco corresponde a um dos mais importantes rios brasileiros, sendo a principal fonte hídrica da região Nordeste do Brasil. O uso indiscirminado de suas águas vem intensificando seu processo de degradação. No município de Paulo Afonso, Bahia, esta bacia hidrográfica desempenha funções importantes para a população local. Contudo, o crescimento populacional desordenado e a utilização inadequada desse ecossistema vêm impactando a qualidade da água e vida aquática. O presente estudo objetivou avaliar os parâmetros, físico-químicos,  microbiológicos e parasitológico deste rio no municipio de Paulo Afonso, Bahia e correlacionar os dados com a saúde públuca, bem como analisar trabalhos de revisão relacionados a temas voltados para o monitoramento de ambientes aquáticos impactados. Para isso, foram realizadas coletas de água em cinco pontos estratégicos denominados P1-P5. A determinação dos parâmetros físico-químicos e de metais foram realizadas por meio de equipamentos e kits específicos. Já a a presença de contaminantes emergentes foi determinada por meio da análise cromatógrafica por cromatografia líquida de alta eficiência. Para classificação e identificação bacteriana foram utilizadas a coloração de Gram e o método bioquímico automatizado, respectivamente. Este último também foi aplicado para identificação do perfil de suscetibilidade\resistência. Adicionalmente, as amostras foram avaliadas quanto a presença de coliformes totais, termotolerante e parasitas. Os resultados demontraram que a maioria dos pontos investigados apresentou os parâmetros físico-químicos em conformidade com a resolução nº 357/2005 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) dos quais, apenas o P3 apresentou divergência para os valores  de amônia encontrado. Todos os metais investigados foram detectados na água, todavia, estes estavam dentro dos valores limítrofes. Em relação a análise cromatográfica não foi identificado nenhum dos contaminantes avalidos. Esta ausência pode ser devida a quantidades inferiores aos limites de detecção do equipamento. Já em relação a caracterização da microbiota local os resultados foram preocupantes. Foram identificadas tanto bactérias Gram-positivas quanto Gram-negativas, classificadas em 15 gêneros, representando 54 isolados. O perfil de suscetibilidade\resistência, revelaram que 40% foram resistentes a ampicilina e 31% a amoxilina\ácido clavulânico. Para os demais antimicrobianos foram identificados percentuais distintos e menores. Dos pontos investigados o P1 e o P3 foram os mais contaminados, uma vez que apresentaram maior diversidade bacteriana e  resistencia aos fármacos testados. Coliformes totais estavam presentes nos cinco pontos com valores  iguais ou maiores que 6.600 NMP/100 mL. Já a análise parasitologica detectou parasitas nos pontos P1, P3 e P5, sendo estes as espécies: Endolimax nana (P1 e P3); Entamoeba coli (P5) e Tênia sp (P3). Os resultados aqui apresentados corresponde a uma alternativa viável para o monitoramento de ambiente aquático impactado. A presença e disseminação de bactérias patogênicas é um indicativo de que este ambiente apesar de apresentar condições fisico-quimicas em conformidades com a legislação, está albergando microrganismos patogênicos que representam risco à populção podendo contribuir com problemas futuros de saúde pública. Diante disso, é evidente que sem a tomada de medidas corretivas pleiteando a recuperação do rio e a conscientização da população do entorno, os riscos para a saúde, segurança e bem-estar dos que utilizam  esta agua tendem a crescer.



  • Mostrar Abstract
  • O rio São Francisco corresponde a um dos mais importantes rios brasileiros, sendo a principal fonte hídrica da região Nordeste do Brasil. O uso indiscirminado de suas águas vem intensificando seu processo de degradação. No município de Paulo Afonso, Bahia, esta bacia hidrográfica desempenha funções importantes para a população local. Contudo, o crescimento populacional desordenado e a utilização inadequada desse ecossistema vêm impactando a qualidade da água e vida aquática. O presente estudo objetivou avaliar os parâmetros, físico-químicos,  microbiológicos e parasitológico deste rio no municipio de Paulo Afonso, Bahia e correlacionar os dados com a saúde públuca, bem como analisar trabalhos de revisão relacionados a temas voltados para o monitoramento de ambientes aquáticos impactados. Para isso, foram realizadas coletas de água em cinco pontos estratégicos denominados P1-P5. A determinação dos parâmetros físico-químicos e de metais foram realizadas por meio de equipamentos e kits específicos. Já a a presença de contaminantes emergentes foi determinada por meio da análise cromatógrafica por cromatografia líquida de alta eficiência. Para classificação e identificação bacteriana foram utilizadas a coloração de Gram e o método bioquímico automatizado, respectivamente. Este último também foi aplicado para identificação do perfil de suscetibilidade\resistência. Adicionalmente, as amostras foram avaliadas quanto a presença de coliformes totais, termotolerante e parasitas. Os resultados demontraram que a maioria dos pontos investigados apresentou os parâmetros físico-químicos em conformidade com a resolução nº 357/2005 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) dos quais, apenas o P3 apresentou divergência para os valores  de amônia encontrado. Todos os metais investigados foram detectados na água, todavia, estes estavam dentro dos valores limítrofes. Em relação a análise cromatográfica não foi identificado nenhum dos contaminantes avalidos. Esta ausência pode ser devida a quantidades inferiores aos limites de detecção do equipamento. Já em relação a caracterização da microbiota local os resultados foram preocupantes. Foram identificadas tanto bactérias Gram-positivas quanto Gram-negativas, classificadas em 15 gêneros, representando 54 isolados. O perfil de suscetibilidade\resistência, revelaram que 40% foram resistentes a ampicilina e 31% a amoxilina\ácido clavulânico. Para os demais antimicrobianos foram identificados percentuais distintos e menores. Dos pontos investigados o P1 e o P3 foram os mais contaminados, uma vez que apresentaram maior diversidade bacteriana e  resistencia aos fármacos testados. Coliformes totais estavam presentes nos cinco pontos com valores  iguais ou maiores que 6.600 NMP/100 mL. Já a análise parasitologica detectou parasitas nos pontos P1, P3 e P5, sendo estes as espécies: Endolimax nana (P1 e P3); Entamoeba coli (P5) e Tênia sp (P3). Os resultados aqui apresentados corresponde a uma alternativa viável para o monitoramento de ambiente aquático impactado. A presença e disseminação de bactérias patogênicas é um indicativo de que este ambiente apesar de apresentar condições fisico-quimicas em conformidades com a legislação, está albergando microrganismos patogênicos que representam risco à populção podendo contribuir com problemas futuros de saúde pública. Diante disso, é evidente que sem a tomada de medidas corretivas pleiteando a recuperação do rio e a conscientização da população do entorno, os riscos para a saúde, segurança e bem-estar dos que utilizam  esta agua tendem a crescer.


10
  • CAMILA REIS GUIMARÃES BALEEIRO
  • VALIDAÇÃO INTERNA DE MÉTODOS DE GENOTIPAGEM DE MARCADORES AUTOSSÔMICOS EM LABORATÓRIOS DE GENÉTICA FORENSE

  • Orientador : VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RONALDO CARNEIRO DA SILVA JÚNIOR
  • RODRIGO SOARES DE MOURA NETO
  • VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
  • Data: 30/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • A Genética Forense é uma área da Criminalística amplamente regulada por normas de qualidade, tendo em vista a robustez das provas por ela fornecidas. Entre os parâmetros de qualidade que devem ser seguidos por laboratórios de Genética Forense em todo o mundo, a validação interna dos métodos por ele utilizados é um procedimento essencial para atestar a validade dos resultados emitidos. O SWGDAM é um grupo composto de cientistas que representam os Laboratórios Forenses dos Estados Unidos e Canadá, e suas publicações são utilizadas como referência na área em todo o mundo. O grupo publicou um guia de referência para a condução do estudo de validação interna em laboratórios de Genética Forense e nele estão descritos quais os ensaios que devem ser realizados para que os principais parâmetros de análise sejam contemplados. Apesar disso, ainda não se dispõe de publicações de referência que reúnam as metodologias que poderão ser adotadas para a condução de cada um dos ensaios descritos, bem como que apresente as principais diferenças entre elas. Esse trabalho visa apresentar e discutir os métodos e procedimentos necessários para que laboratórios de genética forense possam realizar a Validação Interna de kits de amplificação e genotipagem de STRs autossômicos utilizados na rotina de processamento de amostras para análise de DNA.



  • Mostrar Abstract
  • A Genética Forense é uma área da Criminalística amplamente regulada por normas de qualidade, tendo em vista a robustez das provas por ela fornecidas. Entre os parâmetros de qualidade que devem ser seguidos por laboratórios de Genética Forense em todo o mundo, a validação interna dos métodos por ele utilizados é um procedimento essencial para atestar a validade dos resultados emitidos. O SWGDAM é um grupo composto de cientistas que representam os Laboratórios Forenses dos Estados Unidos e Canadá, e suas publicações são utilizadas como referência na área em todo o mundo. O grupo publicou um guia de referência para a condução do estudo de validação interna em laboratórios de Genética Forense e nele estão descritos quais os ensaios que devem ser realizados para que os principais parâmetros de análise sejam contemplados. Apesar disso, ainda não se dispõe de publicações de referência que reúnam as metodologias que poderão ser adotadas para a condução de cada um dos ensaios descritos, bem como que apresente as principais diferenças entre elas. Esse trabalho visa apresentar e discutir os métodos e procedimentos necessários para que laboratórios de genética forense possam realizar a Validação Interna de kits de amplificação e genotipagem de STRs autossômicos utilizados na rotina de processamento de amostras para análise de DNA.


11
  • MARIA CIDINARIA SILVA ALVES
  • Caracterização estrutural e expressão diferencial de TLPs (Thaumatin-Like Proteins) em duas leguminosas da Caatinga sob estresse abiótico

  • Orientador : VALESCA PANDOLFI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VALESCA PANDOLFI
  • JOSÉ RIBAMAR COSTA FERREIRA NETO
  • MAGNOLIA DE ARAUJO CAMPOS
  • Data: 26/10/2021

  • Mostrar Resumo
  • A seca e a salinidade estão entre os fatores de estresse que mais impactam o crescimento e o desenvolvimento das plantas, alterando a dinâmica dos ecossistemas naturais, a diversidade genética e diminuindo a produtividade agrícola. Além disso, os danos causados por esses estresses tendem a ser acentuados devido às mudanças climáticas globais. Tal cenário destaca a importância de estudos envolvendo espécies adaptadas a tais condições, como Cenostigma pyramidale e Stylosanthes scabra, com grande potencial na prospecção e análise de genes relacionados à tolerância a esses estresses. Proteínas semelhantes à taumatina (TLPs) são uma família de proteínas envolvidas no processo de desenvolvimento como também estão associadas à resposta da planta a estresses bióticos e abióticos. No presente estudo, nós identificamos, caracterizamos estruturalmente e verificamos o perfil transcricional de genes que codificam TLPs no transcriptoma dessas espécies em resposta a dois tipos de estresse: a) C. pyramidale sob imposição de salinidade (30 min, 2h e 11 dias após o estresse) e b) S. scabra 6, 24 e 48 horas após o estresse hídrico e após 6 horas de reidratação, inferindo sobre suas características estruturais, funcionais e padrões de expressão. A análise in silico permitiu a identificação de 100 TLPs, sendo 36 e 64 TLPs nos transcriptomas de C. pyramidale e S. scabra, respectivamente. As sequências candidatas (para ambas as espécies) mostraram similaridade estrutural significativa com as TLPs descritas em outras espécies. A análise de expressão (via PCR quantitativo) revelou tendências de expressão distintas para as duas espécies, bem como entre os tecidos avaliados (folha e raiz). No entanto, a superexpressão de algumas TLPs indicou uma associação com a tolerância de C. pyramidale à salinidade e a tolerância de S. scabra à restrição de água. As TLPs caracterizadas e diferencialmente expressas nas espécies estudadas representam candidatos promissores para uso biotecnológico e no melhoramento de plantas, visando a obtenção de plantas mais tolerantes à seca e salinidade.


  • Mostrar Abstract
  • A seca e a salinidade estão entre os fatores de estresse que mais impactam o crescimento e o desenvolvimento das plantas, alterando a dinâmica dos ecossistemas naturais, a diversidade genética e diminuindo a produtividade agrícola. Além disso, os danos causados por esses estresses tendem a ser acentuados devido às mudanças climáticas globais. Tal cenário destaca a importância de estudos envolvendo espécies adaptadas a tais condições, como Cenostigma pyramidale e Stylosanthes scabra, com grande potencial na prospecção e análise de genes relacionados à tolerância a esses estresses. Proteínas semelhantes à taumatina (TLPs) são uma família de proteínas envolvidas no processo de desenvolvimento como também estão associadas à resposta da planta a estresses bióticos e abióticos. No presente estudo, nós identificamos, caracterizamos estruturalmente e verificamos o perfil transcricional de genes que codificam TLPs no transcriptoma dessas espécies em resposta a dois tipos de estresse: a) C. pyramidale sob imposição de salinidade (30 min, 2h e 11 dias após o estresse) e b) S. scabra 6, 24 e 48 horas após o estresse hídrico e após 6 horas de reidratação, inferindo sobre suas características estruturais, funcionais e padrões de expressão. A análise in silico permitiu a identificação de 100 TLPs, sendo 36 e 64 TLPs nos transcriptomas de C. pyramidale e S. scabra, respectivamente. As sequências candidatas (para ambas as espécies) mostraram similaridade estrutural significativa com as TLPs descritas em outras espécies. A análise de expressão (via PCR quantitativo) revelou tendências de expressão distintas para as duas espécies, bem como entre os tecidos avaliados (folha e raiz). No entanto, a superexpressão de algumas TLPs indicou uma associação com a tolerância de C. pyramidale à salinidade e a tolerância de S. scabra à restrição de água. As TLPs caracterizadas e diferencialmente expressas nas espécies estudadas representam candidatos promissores para uso biotecnológico e no melhoramento de plantas, visando a obtenção de plantas mais tolerantes à seca e salinidade.

12
  • ALYSSON DE SÁ PEREIRA LIMA
  • Investigação do potencial biotecnológico da microalga Scenedesmus obliquus (Turpin) Kützing isolada no semiárido pernambucano.

  • Orientador : RANILSON DE SOUZA BEZERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DANIELLI MATIAS DE MACEDO DANTAS
  • MARIA BETANIA MELO DE OLIVEIRA
  • RANILSON DE SOUZA BEZERRA
  • Data: 29/10/2021

  • Mostrar Resumo
  • Investigação do potencial biotecnológico da microalga Scenedesmus obliquus (Turpin) Kützing isolada no Semiárido pernambucano.

    Resumo: Microalgas são organismos fotossintetizantes com grande diversidade bioquímica, e assim podem ser aplicadas em diferentes campos biotecnológicos. Porém, o conhecimento a respeito das potencialidades de moléculas bioativas ainda é insuficiente, sobretudo, num contexto de ascensão no mercado nutracêutico. O presente estudo teve como objetivo realizar uma investigação do potencial biotecnológico da clorófita Scenedesmus obliquus isolada no Semiárido pernambucano quanto a recuperação de compostos, atividades biológicas e possíveis aplicações da biomassa e seus derivados. A microalga foi cultivada em meio BBMmodificado (Bold Basal Medium) usando sistema semicontínuo e sob parâmetros de temperatura, luminosidade e pH controlados. A caracterização química preliminar da biomassa se deu por meio da quantificação do teor de proteína, carboidratos e amido (biomassa seca e residual, após extração). Além disso, um concentrado de exopolissacarídeos foi obtido e analisado. O processo de extração de compostos envolveu três ciclos para cada um dos solventes utilizados, compondo as frações aquosa, etanólica, acetônica e hexânica, que foram avaliadas quanto ao teor de compostos fenólicos e atividades antioxidante, antibacteriana, capacidade de inibição enzimática e atividade hemolítica. O potencial antioxidante variou entre os diferentes extratos, onde os valores de sequestro de DPPH variaram entre 17,51-63,12%, para o radical ABTS os extratos revelaram valores entre 6,82-22,89%, e para a redução de fosfomolibdêncio foram observados resultados entre 18,40 -71,44 mg EAA/ g peso seco. Além disso, a capacidade de inibição enzimática foi verificada para todos os tratamentos, com valores de inibição significativa (p<0,001) para as proteases quimotripsina (34,78-45,8%) e pepsina (16,64-27,27%), além da α-amilase (24,79%) e lipase (31,05%). No teste de atividade antibacteriana, apenas o extrato etanólico apresentou inibição contra Lysteria sp. (CIM=256 µg/mL). Tal fração apresentou também os maiores níveis significativos (p<0,001) de hemólise (31,88-52,45%). O potencial prebiótico dos exopolissacarídeos (EPS) de S. obliquus foi demonstrado, estimulando o crescimento das cepas de Lactobacillus rhamnosus e L. plantarum. Assim, os dados gerados neste estudo sugerem a presença de moléculas com potencial biotecnológico e nutracêutico. Os resultados obtidos com a cepa de S. obliquus isolada do semiárido, uma espécie local, revelam o potencial destas microalgas ainda pouco estudadas. Mais estudos complementares podem evidenciar tais propriedades e revelar mais informações quanto a sua segurança alimentar e aplicações terapêuticas.


  • Mostrar Abstract
  • Investigação do potencial biotecnológico da microalga Scenedesmus obliquus (Turpin) Kützing isolada no Semiárido pernambucano.

    Resumo: Microalgas são organismos fotossintetizantes com grande diversidade bioquímica, e assim podem ser aplicadas em diferentes campos biotecnológicos. Porém, o conhecimento a respeito das potencialidades de moléculas bioativas ainda é insuficiente, sobretudo, num contexto de ascensão no mercado nutracêutico. O presente estudo teve como objetivo realizar uma investigação do potencial biotecnológico da clorófita Scenedesmus obliquus isolada no Semiárido pernambucano quanto a recuperação de compostos, atividades biológicas e possíveis aplicações da biomassa e seus derivados. A microalga foi cultivada em meio BBMmodificado (Bold Basal Medium) usando sistema semicontínuo e sob parâmetros de temperatura, luminosidade e pH controlados. A caracterização química preliminar da biomassa se deu por meio da quantificação do teor de proteína, carboidratos e amido (biomassa seca e residual, após extração). Além disso, um concentrado de exopolissacarídeos foi obtido e analisado. O processo de extração de compostos envolveu três ciclos para cada um dos solventes utilizados, compondo as frações aquosa, etanólica, acetônica e hexânica, que foram avaliadas quanto ao teor de compostos fenólicos e atividades antioxidante, antibacteriana, capacidade de inibição enzimática e atividade hemolítica. O potencial antioxidante variou entre os diferentes extratos, onde os valores de sequestro de DPPH variaram entre 17,51-63,12%, para o radical ABTS os extratos revelaram valores entre 6,82-22,89%, e para a redução de fosfomolibdêncio foram observados resultados entre 18,40 -71,44 mg EAA/ g peso seco. Além disso, a capacidade de inibição enzimática foi verificada para todos os tratamentos, com valores de inibição significativa (p<0,001) para as proteases quimotripsina (34,78-45,8%) e pepsina (16,64-27,27%), além da α-amilase (24,79%) e lipase (31,05%). No teste de atividade antibacteriana, apenas o extrato etanólico apresentou inibição contra Lysteria sp. (CIM=256 µg/mL). Tal fração apresentou também os maiores níveis significativos (p<0,001) de hemólise (31,88-52,45%). O potencial prebiótico dos exopolissacarídeos (EPS) de S. obliquus foi demonstrado, estimulando o crescimento das cepas de Lactobacillus rhamnosus e L. plantarum. Assim, os dados gerados neste estudo sugerem a presença de moléculas com potencial biotecnológico e nutracêutico. Os resultados obtidos com a cepa de S. obliquus isolada do semiárido, uma espécie local, revelam o potencial destas microalgas ainda pouco estudadas. Mais estudos complementares podem evidenciar tais propriedades e revelar mais informações quanto a sua segurança alimentar e aplicações terapêuticas.

13
  • MARIA GABRIELA MORENO AVILA
  • USO DE FERRAMENTAS BIOTECNOLÓGICAS NO MANEJO DO CORAL CONSTRUTOR MUSSISMILIA HARTTII

  • Orientador : RANILSON DE SOUZA BEZERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KARINA RIBEIRO
  • RANILSON DE SOUZA BEZERRA
  • THIAGO BARBOSA CAHU
  • Data: 29/10/2021

  • Mostrar Resumo
  • Mussismilia harttii é uma espécie endêmica e o principal coral construtor de recifes no Nordeste do Brasil e suas populações estão atualmente classificadas como Em Perigo na lista vermelha brasileira. Portanto, é urgente priorizar os trabalhos de restauração com a espécie. Portanto, foi (1) avaliada a viabilidade do cultivo in situ de M. harttii utilizando duas versões de um berço de cultivo denominado FASTen, criado com tecnologia de impressão 3D e (2) avaliado o número de nubbins que podem ser obtidos de um pólipo doador. Os pólipos foram coletados do substrato marinho para evitar o uso de corais saudáveis. Foram realizados dois experimentos, cada uma com um N=10 por tratamento, devido às restrições da licença ambiental. No experimento 1, duas variantes do berço FASTen foram testadas, a primeira com uma superfície plana de fixação dos corais, e a segunda com colunas nas bordas.  No experimento 2, foram realizados três tratamentos: (TA) um pólipo correspondia a um nubbin, (TB) os pólipos foram divididos pela metade e (TC) cada pólipo foi dividido em três nubbins. Os pólipos foram produzidos utilizando um micro retífica, posteriormente, foram pesados, fixados nos berços e inseridos sobre a base de ancoragem fixada sobre uma mesa de cultivo. Com base nas métricas de produtividade dos dois experimentos, foi realizado uma análise de custo do berçário de corais. Após 150 dias de cultivo, foi demonstrado que os dispositivos impressos em 3D eram eficazes como substrato para o crescimento dos nubbins de Mussismismilia harttii. Foi observado um ganho de peso de 251% ou 9,75 ± 4,38 g para o berço liso e 192% ou 9,73 ± 4,14 g para o ornamentado. As taxas específicas de crescimento (SGR) e sobrevivência foram similares em ambos os tratamentos (p= 0,40726). No experimento 2, foi obtido um ganho de peso de 8,20 ± 0,95, 4,83 ± 1,76 e 4,44 ± 0,75 g, equivalente a um aumento de 82%, 92% e 106% para cada tratamento. Foi observada uma sobrevivência de 80% nos tratamentos A e B e 70% no tratamento C, e uma média SGR de 0,0039; 0,0042 e 0,0047 (dia-1) (p= 0,5667). Os custos mensais de produção de nubbins variaram entre 0,60 USD e 1,88 USD, destacando uma redução de custos através do aumento do tempo de produção e cultivo. O uso da tecnologia de impressão 3D permite o desenho de materiais leves e fáceis de manusear, bem como o uso de materiais biodegradáveis e biocompatíveis que favorecem o assentamento de corais. Os resultados de crescimento são encorajadores, e os pólipos estressados se recuperam com sucesso nas mesas de cultivo mesmo quando fragmentados em 3 partes, evidenciando a alta capacidade de regeneração da espécie, confirmando que o cultivo de corais com tecnologia 3D pode melhorar o desempenho da produção de nubbins de M. harttii em programas de restauração ambiental.


  • Mostrar Abstract
  • Mussismilia harttii é uma espécie endêmica e o principal coral construtor de recifes no Nordeste do Brasil e suas populações estão atualmente classificadas como Em Perigo na lista vermelha brasileira. Portanto, é urgente priorizar os trabalhos de restauração com a espécie. Portanto, foi (1) avaliada a viabilidade do cultivo in situ de M. harttii utilizando duas versões de um berço de cultivo denominado FASTen, criado com tecnologia de impressão 3D e (2) avaliado o número de nubbins que podem ser obtidos de um pólipo doador. Os pólipos foram coletados do substrato marinho para evitar o uso de corais saudáveis. Foram realizados dois experimentos, cada uma com um N=10 por tratamento, devido às restrições da licença ambiental. No experimento 1, duas variantes do berço FASTen foram testadas, a primeira com uma superfície plana de fixação dos corais, e a segunda com colunas nas bordas.  No experimento 2, foram realizados três tratamentos: (TA) um pólipo correspondia a um nubbin, (TB) os pólipos foram divididos pela metade e (TC) cada pólipo foi dividido em três nubbins. Os pólipos foram produzidos utilizando um micro retífica, posteriormente, foram pesados, fixados nos berços e inseridos sobre a base de ancoragem fixada sobre uma mesa de cultivo. Com base nas métricas de produtividade dos dois experimentos, foi realizado uma análise de custo do berçário de corais. Após 150 dias de cultivo, foi demonstrado que os dispositivos impressos em 3D eram eficazes como substrato para o crescimento dos nubbins de Mussismismilia harttii. Foi observado um ganho de peso de 251% ou 9,75 ± 4,38 g para o berço liso e 192% ou 9,73 ± 4,14 g para o ornamentado. As taxas específicas de crescimento (SGR) e sobrevivência foram similares em ambos os tratamentos (p= 0,40726). No experimento 2, foi obtido um ganho de peso de 8,20 ± 0,95, 4,83 ± 1,76 e 4,44 ± 0,75 g, equivalente a um aumento de 82%, 92% e 106% para cada tratamento. Foi observada uma sobrevivência de 80% nos tratamentos A e B e 70% no tratamento C, e uma média SGR de 0,0039; 0,0042 e 0,0047 (dia-1) (p= 0,5667). Os custos mensais de produção de nubbins variaram entre 0,60 USD e 1,88 USD, destacando uma redução de custos através do aumento do tempo de produção e cultivo. O uso da tecnologia de impressão 3D permite o desenho de materiais leves e fáceis de manusear, bem como o uso de materiais biodegradáveis e biocompatíveis que favorecem o assentamento de corais. Os resultados de crescimento são encorajadores, e os pólipos estressados se recuperam com sucesso nas mesas de cultivo mesmo quando fragmentados em 3 partes, evidenciando a alta capacidade de regeneração da espécie, confirmando que o cultivo de corais com tecnologia 3D pode melhorar o desempenho da produção de nubbins de M. harttii em programas de restauração ambiental.

14
  • IRIVANIA FIDELIS DA SILVA AGUIAR
  • Óleo essencial de Eugenia flavescens DC. (Myrtaceae): um gastroprotector com propriedades analgésicas

  • Orientador : MARCIA VANUSA DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCIA VANUSA DA SILVA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • ALISSON MACARIO DE OLIVEIRA
  • Data: 02/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • A Eugênia Flavescens Dc (Myrtaceae) é uma planta medicinal conhecida popularmente como araçá-da-mata, encontra-se distribuídas nas regiões tropicais e subtropicais com relatos na medicina tradicional no uso da dor, inflamação e diarreia, descrito na literatura as atividades fitotóxico e de citotoxicidade. Neste estudo avaliamos pela primeira vez o potencial gastroprotetor e nociceptivo do óleo essencial (OE) de E. flavescens. As folhas foram coletadas no município de Santa Cruz da Baixa Verde/PE, o OE foi extraído por hidrodestilação, a caracterização química do OE foi analisada por cromatografia gasosa e espectrometria de massa (GC/EM). Para os testes de lesão gástricas foram utilizados os métodos induzidos por etanol e etanol/HCl, a área ulcerada foi mensurada por software ImageJ (Version 1.45) em mm2. Como também, foram analisados os possíveis mecanismos de ação que atuam na proteção gástrica como os compostos sulfidrílicos (-SH), óxido nítrico (NO), canais K+ATP e síntese da prostaglandina E2 (PGE2). Ademais, analisamos o potencial antioxidante e toxicidade aguda do OE. Nossos resultados mostraram que o (OE) de E. flavescens apresentaram como majoritários o Guaiol 19,97%, Germacrene B 12,53%, bicyclogermacrene 11,11%, E-cariophylene 7,53%, compostos comuns encontradas em outras espécies de plantas medicinais com atividade gastroprotetora. Todos os resultados foram expressos em média epm (p<0.05), o OE apresentou eficácia na redução da úlcera gástrica induzidas por etanol e etanol/HCl, as concentrações de 50, 100 mg/kg apresentaram os melhores resultados comparados com o grupo controle (+) carbenoxolona com redução de 18,29±6,26; 6,75±2,00 % (etanol) e 16,26±1,49; 2,04±0,80% (etanol/HCl). O mecanismo de ação do OE pode estar relacionado com redução especies reativas como os compostos -SH e ON, sendo reduzidos em 42,73% e 64,73% respectivamente. Essa capacidade de redução é explicada pela presença de moléculas antioxidantes no EO de E. flavescens E-cariophylene, bicyclogermacrene.  Nossos resultados contribuem para a rápida recuperação da mucosa gástrica após tratamento com OE E. flavescens, sem qualquer toxicidade observada tem grande potencial para o desenvolvimento de novos fármacos antiúlcera.


  • Mostrar Abstract
  • A Eugênia Flavescens Dc (Myrtaceae) é uma planta medicinal conhecida popularmente como araçá-da-mata, encontra-se distribuídas nas regiões tropicais e subtropicais com relatos na medicina tradicional no uso da dor, inflamação e diarreia, descrito na literatura as atividades fitotóxico e de citotoxicidade. Neste estudo avaliamos pela primeira vez o potencial gastroprotetor e nociceptivo do óleo essencial (OE) de E. flavescens. As folhas foram coletadas no município de Santa Cruz da Baixa Verde/PE, o OE foi extraído por hidrodestilação, a caracterização química do OE foi analisada por cromatografia gasosa e espectrometria de massa (GC/EM). Para os testes de lesão gástricas foram utilizados os métodos induzidos por etanol e etanol/HCl, a área ulcerada foi mensurada por software ImageJ (Version 1.45) em mm2. Como também, foram analisados os possíveis mecanismos de ação que atuam na proteção gástrica como os compostos sulfidrílicos (-SH), óxido nítrico (NO), canais K+ATP e síntese da prostaglandina E2 (PGE2). Ademais, analisamos o potencial antioxidante e toxicidade aguda do OE. Nossos resultados mostraram que o (OE) de E. flavescens apresentaram como majoritários o Guaiol 19,97%, Germacrene B 12,53%, bicyclogermacrene 11,11%, E-cariophylene 7,53%, compostos comuns encontradas em outras espécies de plantas medicinais com atividade gastroprotetora. Todos os resultados foram expressos em média epm (p<0.05), o OE apresentou eficácia na redução da úlcera gástrica induzidas por etanol e etanol/HCl, as concentrações de 50, 100 mg/kg apresentaram os melhores resultados comparados com o grupo controle (+) carbenoxolona com redução de 18,29±6,26; 6,75±2,00 % (etanol) e 16,26±1,49; 2,04±0,80% (etanol/HCl). O mecanismo de ação do OE pode estar relacionado com redução especies reativas como os compostos -SH e ON, sendo reduzidos em 42,73% e 64,73% respectivamente. Essa capacidade de redução é explicada pela presença de moléculas antioxidantes no EO de E. flavescens E-cariophylene, bicyclogermacrene.  Nossos resultados contribuem para a rápida recuperação da mucosa gástrica após tratamento com OE E. flavescens, sem qualquer toxicidade observada tem grande potencial para o desenvolvimento de novos fármacos antiúlcera.

15
  • KAROLAYNE SILVA SOUZA
  • VIGILÂNCIA AMBIENTAL, POR MEIO DE PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICOS E MICROBIOLÓGICOS DE UM RIACHO URBANO IMPACTADO EM RECIFE-PE, BRASIL

  • Orientador : MARIA BETANIA MELO DE OLIVEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KATIA CILENE DA SILVA FELIX
  • MARIA BETANIA MELO DE OLIVEIRA
  • PATRICIA MARIA GUEDES PAIVA
  • Data: 03/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • O Riacho Cavouco é um afluente de uma das principais bacias hidrográficas do estado de Pernambuco. Estudos anteriores mostram que este ambiente vem sofrendo impactos de origem antrópica, os quais tem contribuído para mudanças expressivas na qualidade da água e propagação de microrganismos. O objetivo deste trabalho foi realizar um estudo de vigilância no Riacho Cavouco por meio de dados atuais e retrospectivos das condições ambientais deste ecossistema, além de realizar uma análise da literatura, afim de gerar artigos de revisão relacionados ao tema. Para o aporte de dados atuais foi obtido coleta de água em pontos específicos do “Cavouco”. A determinação dos parâmetros físico-químicos e metais foram efetuadas por meio de equipamentos e kits específicos. Já a detecção de contaminantes emergentes foi realizada por meio de cromatografia líquida de alta eficiência e a análise da microbiota foi realizada por parâmetros morfológicos e moleculares (MALDI-TOF-MS e sequenciamento do gene 16S rRNA); além de parâmetros parasitológicos. Os resultados apontaram que a maioria dos pontos investigados estavam em não conformidade com a Resolução nº 357/2005 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), principalmente os metais investigados, os quais estavam presentes em todos os pontos, com o Alumínio (Al) e o Ferro (Fe) apresentando valores acima dos limítrofes estabelecidos pela legislação. Os demais contaminantes (anilina, ácido benzoico, catecol, ácidos orgânicos voláteis, açúcares, álcoois, 2,4-diaminoanisol, 2,4-dinitroanisol e 2-metoxi-5-nitroanilina, não foram detectados pelas análises cromatográficas. Em relação a microbiota, foi verificado que o “Cavouco” apresenta uma alta diversidade bacteriana, representada por isolados Gram-positivos e Gram-negativos, alguns de origem ambiental e outros de origem clínica, com a presença de parasitas (Paramecium) apenas no ponto 2. O estudo realizou, também, uma análise restrospectiva e comparativa de dados obtidos a partir de 2013 até o presente momento (2021). Os resultados revelaram uma bioacumulação gradativa de metais e cargas orgânicas, além de uma significativa diversidade microbiana. Essa condição ambiental revela que este ambiente continua sofrendo impacto ambiental e, serve como um alerta para a gestão e a comunidade acadêmica e circunvizinha de que, medidas efetivas precisam ser tomadas para resgatar e conservar a qualidade da agua e vida deste ecossistema.

     



  • Mostrar Abstract
  • O Riacho Cavouco é um afluente de uma das principais bacias hidrográficas do estado de Pernambuco. Estudos anteriores mostram que este ambiente vem sofrendo impactos de origem antrópica, os quais tem contribuído para mudanças expressivas na qualidade da água e propagação de microrganismos. O objetivo deste trabalho foi realizar um estudo de vigilância no Riacho Cavouco por meio de dados atuais e retrospectivos das condições ambientais deste ecossistema, além de realizar uma análise da literatura, afim de gerar artigos de revisão relacionados ao tema. Para o aporte de dados atuais foi obtido coleta de água em pontos específicos do “Cavouco”. A determinação dos parâmetros físico-químicos e metais foram efetuadas por meio de equipamentos e kits específicos. Já a detecção de contaminantes emergentes foi realizada por meio de cromatografia líquida de alta eficiência e a análise da microbiota foi realizada por parâmetros morfológicos e moleculares (MALDI-TOF-MS e sequenciamento do gene 16S rRNA); além de parâmetros parasitológicos. Os resultados apontaram que a maioria dos pontos investigados estavam em não conformidade com a Resolução nº 357/2005 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), principalmente os metais investigados, os quais estavam presentes em todos os pontos, com o Alumínio (Al) e o Ferro (Fe) apresentando valores acima dos limítrofes estabelecidos pela legislação. Os demais contaminantes (anilina, ácido benzoico, catecol, ácidos orgânicos voláteis, açúcares, álcoois, 2,4-diaminoanisol, 2,4-dinitroanisol e 2-metoxi-5-nitroanilina, não foram detectados pelas análises cromatográficas. Em relação a microbiota, foi verificado que o “Cavouco” apresenta uma alta diversidade bacteriana, representada por isolados Gram-positivos e Gram-negativos, alguns de origem ambiental e outros de origem clínica, com a presença de parasitas (Paramecium) apenas no ponto 2. O estudo realizou, também, uma análise restrospectiva e comparativa de dados obtidos a partir de 2013 até o presente momento (2021). Os resultados revelaram uma bioacumulação gradativa de metais e cargas orgânicas, além de uma significativa diversidade microbiana. Essa condição ambiental revela que este ambiente continua sofrendo impacto ambiental e, serve como um alerta para a gestão e a comunidade acadêmica e circunvizinha de que, medidas efetivas precisam ser tomadas para resgatar e conservar a qualidade da agua e vida deste ecossistema.

     


Teses
1
  • AMANDA VIRGINIA BARBOSA
  • CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA E PROPRIEDADES BIOLÓGICAS DOS EXTRATOS DE Aspidosperma pyrifolium MART. & ZUCC

  • Orientador : MARCIA VANUSA DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ELBA VERONICA MATOSO MACIEL DE CARVALHO
  • MARCIA VANUSA DA SILVA
  • MARIA BETANIA MELO DE OLIVEIRA
  • PATRICIA MARIA GUEDES PAIVA
  • PRISCILLA ANDRADE DE MOURA
  • Data: 20/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • As plantas são utilizadas desde tempos primórdios com diversas finalidades, inclusive para o tratamento de diferentes enfermidades. Aspidosperma pyrifolium Mart. &amp; Zucc., é uma planta amplamente distribuída na Caatinga e bastante conhecida não apenas pela excelente madeira que produz como também pelas suas propriedades biológicas. Assim, o objetivo deste estudo foi investigar a composição química e as atividades biológicas de extratos orgânicos de As. pyrifolium presente na Caatinga. As folhas e cascas de A. pyrifolium foram coletadas no Parque Nacional do Catimbau, Buíque, Pernambuco. Para a produção dos extratos, as folhas de A. pyrifolium foram submetidas a duas condições: fermentação sólida pelo fungo Aspergillus niger (APFE) e extração hidroalcoólica em banho de ultrassom (APC e APF). A caracterização foi realizada através de Cromatografia líquida de alta eficiência / ionização por electropulverização acoplada a Espectrometria de massa (HPLC-ESI/MS). Os extratos foram comparados através da dosagem de compostos fenólicos, flavonols, flava -3-ols e proantocianidinas e pelas atividades antioxidantes (DPPH • , ABTS •+ CAT e FRAP). Os extratos também foram avaliados quanto à atividade antifúngica contra leveduras e fungos do Complexo Sporothrix schenkii e foi analizada a toxicidade em modelo in vivo de Galleria mellonela. Os extratos são ricos em ácidos fenólicos e flavonoides. Em relação à atividade antioxidante, o extrato foliar não fermentado (APF) apresentou os melhores resultados (DPPH • CI50 = 138,80 ± 6,11, ABTS %I = 67,38 ± 0,30, FRAP 183,13 ± 9,99 mg ET/g extrato) do que o extrato não fermentado entretanto, as folhas de A. pyrifolium servem como substrato de fermentação para A. niger. O extrato APF foi fungicida para todas as cepas de leveduras testadas com baixos valores de CFM que variou entre 2 – 64 µg/mL. Este extrato também apresentou a melhor atividade antifúngica para as cepas resistentes do Complexo S. schenkii, que obteve uma CIM de 2µg/mL e uma CFM de 4µg/mL para cepa de S. brasiliensis. Na atividade combinada com Itraconazol, APF demonstrou uma resposta sinérgica contra S. brasiliensis, com uma FIC de 0,12 µg/mL (sinergismo (IFIC ≤ 0,5)). A viabilidade das larvas de G. mellonella foi de 100% na concentração 256 µg/ larva do extrato APF. Assim, o extrato hidroalcoolico das folhas de A. pyrifolium apresenta-se como um potencial agente antioxidante e antifúngico contra leveduras e fungos resistentes do Complexo S. schenkii com alto grau de sinergismo e baixa toxicidade.


  • Mostrar Abstract
  • As plantas são utilizadas desde tempos primórdios com diversas finalidades, inclusive para o tratamento de diferentes enfermidades. Aspidosperma pyrifolium Mart. &amp; Zucc., é uma planta amplamente distribuída na Caatinga e bastante conhecida não apenas pela excelente madeira que produz como também pelas suas propriedades biológicas. Assim, o objetivo deste estudo foi investigar a composição química e as atividades biológicas de extratos orgânicos de As. pyrifolium presente na Caatinga. As folhas e cascas de A. pyrifolium foram coletadas no Parque Nacional do Catimbau, Buíque, Pernambuco. Para a produção dos extratos, as folhas de A. pyrifolium foram submetidas a duas condições: fermentação sólida pelo fungo Aspergillus niger (APFE) e extração hidroalcoólica em banho de ultrassom (APC e APF). A caracterização foi realizada através de Cromatografia líquida de alta eficiência / ionização por electropulverização acoplada a Espectrometria de massa (HPLC-ESI/MS). Os extratos foram comparados através da dosagem de compostos fenólicos, flavonols, flava -3-ols e proantocianidinas e pelas atividades antioxidantes (DPPH • , ABTS •+ CAT e FRAP). Os extratos também foram avaliados quanto à atividade antifúngica contra leveduras e fungos do Complexo Sporothrix schenkii e foi analizada a toxicidade em modelo in vivo de Galleria mellonela. Os extratos são ricos em ácidos fenólicos e flavonoides. Em relação à atividade antioxidante, o extrato foliar não fermentado (APF) apresentou os melhores resultados (DPPH • CI50 = 138,80 ± 6,11, ABTS %I = 67,38 ± 0,30, FRAP 183,13 ± 9,99 mg ET/g extrato) do que o extrato não fermentado entretanto, as folhas de A. pyrifolium servem como substrato de fermentação para A. niger. O extrato APF foi fungicida para todas as cepas de leveduras testadas com baixos valores de CFM que variou entre 2 – 64 µg/mL. Este extrato também apresentou a melhor atividade antifúngica para as cepas resistentes do Complexo S. schenkii, que obteve uma CIM de 2µg/mL e uma CFM de 4µg/mL para cepa de S. brasiliensis. Na atividade combinada com Itraconazol, APF demonstrou uma resposta sinérgica contra S. brasiliensis, com uma FIC de 0,12 µg/mL (sinergismo (IFIC ≤ 0,5)). A viabilidade das larvas de G. mellonella foi de 100% na concentração 256 µg/ larva do extrato APF. Assim, o extrato hidroalcoolico das folhas de A. pyrifolium apresenta-se como um potencial agente antioxidante e antifúngico contra leveduras e fungos resistentes do Complexo S. schenkii com alto grau de sinergismo e baixa toxicidade.

2
  • ABIGAIL MARCELINO DOS SANTOS SILVA
  • BIGASYSTEM: UMA FERRAMENTA BIONFORMÁTICA PARA IDENTIFICAÇÃO GENÉTICA HUMANA E BANCO DE DADOS

  • Orientador : VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RODRIGO SOARES DE MOURA NETO
  • ANA MARIA BENKO ISEPPON
  • MARCO JACINTO KATZENBERGER BAPTISTA NOVO
  • MARTIN ALEJANDRO MONTES
  • VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
  • Data: 21/07/2021

  • Mostrar Resumo
  • Almejando praticidade e credibilidade em suas análises, as ferramentas bioinformáticas para análise estatística de identificação humana estão cada vez mais comuns na rotina de um geneticista forense. Porém, apesar dos notáveis avanços, ainda são insuficientes, já que não possibilitam em uma única ferramenta a identificação forense e o teste de paternidade com base nos tipos de marcadores genéticos (microssatélites autossômicos e do cromossomo Y) mais utilizados na rotina básica genética forense e a obtenção de valores de frequências alélicas e haplotípicas. Esses valores probabilísticos, alcançados a partir da validação de um banco de dados populacional, são indispensáveis na estatística forense. O BigASystem (dataBase and human Identification Genetic Analysis System) foi implementado com o intuito de atender estas necessidades. Para tanto, montou-se um banco de dados a partir de dados genéticos de locos microssatélites autossômicos e do cromossomo Y. Os algoritmos foram implementados a partir da linguagem de programação Python e posteriormente validados seguindo as normas da ISO17025 e da Sociedade Internacional de Genética Forense. O software BigASystem é constituído de dois módulos correspondentes a cada um dos tipos de dados genéticos. Cada módulo é disponibiliza duas funções: uma voltada para validação de banco de dados populacional e outra voltada para a estatística de identificação humana. A validação de todos os módulos ocorreu conforme o esperado, tendo sido observado que os resultados gerados pelo BigASystem foram semelhantes àqueles obtidos com diferentes ferramentas de análise. O BigASystem garante as funções mais básicas para um laboratório forense de rotina e pesquisa, viabilizando o seu uso em análises de determinação de paternidade/maternidade, de identificação forense de indivíduos e de genética de populações.



  • Mostrar Abstract
  • N/D

3
  • JESSIKA FERNANDA FERREIRA RIBEIRO
  • PLATAFORMAS IMUNOSSENSORAS ÓPTICAS E ELETROQUÍMICAS BASEADAS EM PONTOS QUÂNTICOS - APLICAÇÕES PARA A ZIKA

  • Orientador : ADRIANA FONTES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADRIANA FONTES
  • CARINNA NUNES DE LIMA
  • CLAUDILENE RIBEIRO CHAVES
  • MARIA DANIELLY LIMA DE OLIVEIRA
  • PAULO EUZEBIO CABRAL FILHO
  • Data: 20/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • A Zika é uma arbovirose transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, e foi declarada emergência de saúde pública global devido a sua alta capacidade de disseminação e tendência em deixar sequelas, como a microcefalia em recém-nascidos e a síndrome de Guillain-Barré em adultos. Por esses motivos, a detecção de biomarcadores do vírus ou anticorpos responsíveis à infecção é relevante para a tomada de decisões e implementação de medidas que visam o controle da doença, especialmente para gestantes, pois ainda não há vacina disponível. Os métodos de detecção disponíveis, no entanto, são ainda laboriosos e/ou tem sensibilidade insuficiente, por exemplo. Por isso, o desenvolvimento de metodologias novas e complementares se faz importante, e nesse contexto, tem crescido o interesse na utilização de nanopartículas. Dentre essas, os nanocristais fluorescentes de semicondutores, chamados de pontos quânticos (PQs), têm se destacado por exibir vantajosas propriedades físico-químicas, que podem ser exploradas tanto em plataformas sensoras ópticas como eletroquímicas, tais como alta fotoestabilidade, superfície ativa para conjugação e estrutura isotrópica. Assim, o objetivo desta tese visou o desenvolvimento de plataformas imunossensoras ópticas e eletroquímicas baseadas em PQs, e sua aplicação na detecção de anticorpos e proteínas virais da Zika. Para a plataforma óptica foram desenvolvidos conjugados de PQs ligados covalentemente à anticorpos secundários (anti-IgG) que foram aplicados na detecção de anticorpos IgG associados à proteína do envelope viral (PE) do Zika vírus (anti-PE-ZIKV). Para tanto, o fluoroimunoensaio foi primeiramente otimizado utilizando a detecção de IgG humano. A avaliação da eficiência da conjugação e os ensaios de detecção foram realizados por ensaio fluorescente em microplaca. Os conjugados foram preparados com sucesso e permaneceram funcionais por pelo menos quatro meses. Ademais, a associação dos conjugados com a PE-ZIKV levou a resultados promissores na detecção dos anticorpos anti-PE-ZIKV, em uma concentração pelo menos 100x menor que a esperada para a resposta imune. Já para montagem eletroquímica, inicialmente foi realizado um estudo sistemático para investigar o papel dos PQs nessas plataformas, que foram constituídas por eletrodos convencionais de carbono vítreo (ECV) modificados com polipirrol aminado (PPyam). Para tanto, as moléculas IgG e anti-IgG foram utilizadas como modelos. O estudo revelou que, somente quando os PQs foram imobilizados covalentemente na superfície, houve um aumento da área funcional do eletrodo, melhorando a imobilização de IgG e proporcionando uma efetiva detecção. Esse resultado enfatizou a importância dessa nanopartícula para desenvolvimento de plataformas eletroquímicas mais sensíveis. Por fim, foi realizada a transposição da plataforma anterior para um sistema baseado em eletrodos impressos de carbono (EIc)/PPyam e PQs, para imobilização de anti-PE-ZIKV e detecção de PE-ZIKV. A especificidade da plataforma foi avaliada utilizando-se PE-DENV III. Os resultados indicaram que a plataforma foi capaz de detectar a PE de forma sensível e específica (< 10 pM). Portanto, pode-se concluir que os PQs se apresentam como efetivas nanoferramentas para confeccionar plataformas imunossensoras ópticas e eletroquímicas para detecção de anticorpos e proteínas virais da Zika, com potencial de aplicação para outras arboviroses.



  • Mostrar Abstract
  • N/D

4
  • MARIA FERNANDA DA COSTA GOMES
  • TRANSCRIPTÔMICA DE PROTEÍNAS DE TRANSPORTE DE MEMBRANA EM RAIZ DE PINHÃO MANSO SOB SALINIDADE

  • Orientador : EDERSON AKIO KIDO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA CHRISTINA BRASILEIRO VIDAL
  • EDERSON AKIO KIDO
  • FLAVIA FIGUEIRA ABURJAILE
  • MARCELO FRANCISCO POMPELLI
  • WILSON JOSÉ DA SILVA JÚNIOR
  • Data: 24/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • O pinhão manso (Jatropha curcas) é uma oleaginosa com grande potencial para a produção de biocombustíveis principalmente em regiões áridas. Entretanto é comum a ocorrência de solos salinos nessas áreas, o que compromete a produtividade dessa espécie. Proteínas de transporte de membrana (PTM) incluem diversas famílias multigênicas que desempenham papel importante na tolerância à salinidade. Assim, identificamos e analisamos a expressão do transportoma (várias famílias de PTM) em raízes de acessos contrastantes de pinhão manso (Jc171 e Jc183) sob salinidade (3h; 150 mM NaCl) via RNA-Seq. Por meio de alinhamento BLASTx (E-value <1e-10) e análise de domínio, identificamos 2279 potenciais transcritos PTM, associados a 61 famílias. As famílias F-ATPase (332), MC (Mitochondrial Carrier - 299), ABC (ATP-binding Cassette - 277) e MFS (Major Facilitator Superfamily - 182) destacaram-se por apresentarem os maiores números de transcritos identificados, representando aproximadamente 48% do transportoma. O número de unigenes diferencialmente expressos (DEGs) em Jc171 e Jc183 foi respectivamente, 116 e 01 (p-value ≤ 0,0001, FDR ≤ 0,005, Log2 FC ≥ 1 or ≤ -1). A não modulação dos genes cofidicadores de PTM pelo acesso Jc183 pode ter ocorrido por representar um genótipo tolerante a concentrações bem superiores de NaCl. A modulação transcricional foi notória pelo acesso Jc171 (sensível) no qual destaca-se a indução das famílias: MFS (08), MC (08) e F-ATPase (08) e MIP (Major Intrinsic Protein - 22). As F-ATPases atuam no sequestro vacuolar de Na+ e minimizam o estresse oxidativo, enquanto os transportadores mitocondriais (MC) reduzem os níveis de ROS mitocondral. Por sua vez, os transportadores de açúcar (MFS) reforçam o ajuste osmótico, a reabsorção de monossacarídeos e mantêm a estabilidade da membrana celular, enquanto as aquaporinas (MIP) contribuem para o acúmulo de prolina e enzimas antioxidantes, facilitando a desintoxicação de ROS. A família MIP apresentou o maior número de unigenes induzidos correspondentes às subfamílias: PIP (Plasma Membrane Intrinsic Proteins - 15), TIP (Tonoplast Intrinsic Proteins - 6) e SIP (Small Basic Intrinsic Proteins - 1). A regulação diferencial desses transportadores contribui para o ajuste osmótico, redução do estresse oxidativo e da toxicidade iônica; bem como manutenção do balanço hídrico sob condições salinas. Nosso trabalho demonstra a atuação dos genes PTM na resposta adaptativa do pinhão manso à salinidade.


  • Mostrar Abstract
  • N/D

5
  • GIZELE DE ANDRADE LUZ
  • Transcriptômica de fenilpropanoides e derivados em feijão-caupi submetido ao Cowpea Aphid-borne Mosaic Virus (CABMV)

  • Orientador : EDERSON AKIO KIDO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EDERSON AKIO KIDO
  • VALESCA PANDOLFI
  • WILSON JOSÉ DA SILVA JÚNIOR
  • JOAO PACIFICO BEZERRA NETO
  • FLAVIA FIGUEIRA ABURJAILE
  • Data: 26/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi (Vigna unguiculata) é uma importante fonte de proteínas em regiões tropicais e subtropicais. Entretanto, a sua produtividade é restringida pelos fatores adversos, incluindo as infecções virais. Em tais situações, os metabólitos secundários conferem uma plasticidade metabólica para as plantas, fornecendo barreiras físicas e químicas. Assim, este estudo identificou e analisou a expressão de transcritos associados a via dos fenilpropanoides, seus derivados (flavonoides e isoflavonoides) e precursores (vias do ácido chiquímico, fenilalanina e tirosina) no transcriptoma das folhas de feijão-caupi resistente ao Cowpea aphid-borne mosaic vírus (CABMV) após 1 hora (h) e 16 h da injúria seguida da inoculação de CABMV. Um total de 967 transcritos foram identificados, codificando todas as enzimas das vias precursoras e da biossíntese de fenilpropanoides, e a maioria das enzimas da biossíntese de flavonoides e isoflavonoides. Desse total, 65 transcritos diferencialmente expressos (DETs), a maioria induzidos na primeira hora de exposição ao estímulo, codificando enzimas da via precursora (três enzimas) e da biossíntese de fenilpropanoides (sete enzimas), flavonoides (três enzimas) e isoflavonoides (cinco enzimas). Tais enzimas induzidas participam da síntese de aminoácidos (fenilalanina e tirosina), monômeros da lignina, cumarinas e fitoalexinas, compostos de relevância fisiológica para a defesa das plantas a patógenos. Esses dados sugerem principalmente a ativação da via dos fenilpropanoides e isoflavonoides na defesa de feijão-caupi aos estímulos aplicados. Adicionalmente, a prospecção de Multidrug and toxic compound extrusion (MATE), uma família de transportadores multifuncional, incluindo o transporte de metabólitos secundários, identificou 68 VuMATEs (MATEs de V. unguiculata). A árvore fenética associada à ortologia indicou alguns VuMATEs como bons candidatos a desempenhar funções similares a de MATEs funcionalmente caracterizados. O transcriptoma RNA-Seq de VuMATEs compreendeu 245 transcritos associados a 54 loci. Desse total, 10 DETs (9 UR e 1 DR) associados a seis loci VuMATEs em 1 h após a injúria seguida da inoculação de CABMV, evidenciando sua participação no processo de percepção do estresse. Este estudo contribui para a compreensão dos mecanismos moleculares associados a injúria e a patógenos em feijão-caupi.


  • Mostrar Abstract
  • N/D

6
  • ELIZABETH FERNANDA DE OLIVEIRA BORBA
  • POTENCIAL ANTIMICROBIANO E ANTICÂNCER DO EXTRATO HEXANO E SUBSTÂNCIAS ISOLADAS DA ESPÉCIE Miconia caiuia E POSSÍVEIS MECANISMOS DE AÇÃO

  • Orientador : TERESINHA GONCALVES DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CYNTHIA LAYSE FERREIRA DE ALMEIDA
  • GLAUCIA MANOELLA DE SOUZA LIMA
  • MARCIA SILVA DO NASCIMENTO
  • TERESINHA GONCALVES DA SILVA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 30/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Miconia caiuia abrigada na família Melastomataceae, foi identificada em 2013 e é conhecida nos estados de Alagoas, Pernambuco e Bahia como Miconia nordestina. Habitualmente, as espécies do gênero Miconia são encontradas em áreas de restingas da Floresta Atlântica ou em florestas úmidas e submontanhosas nas regiões costeiras. Algumas espécies do gênero já são conhecidas popularmente por apresentar em sua composição fitoquímica princípios bioativos para as mais variadas atividades biológicas, como a Miconia albicans ou “canela de velho”. Neste sentido, o objetivo desta pesquisa foi avaliar o potencial antimicrobiano e anticâncer do extrato orgânico e da (s) substância (s) isolada (s) da espécie Miconia caiuia e seu possível mecanismo de ação. As partes aéreas de M. caiuia foram coletadas no município de Chã Preta- AL e identificadas sob o número de exsicata IMA-MAC 9815. O extrato hexano dessa espécie (Mchex) foi preparado pelo método de maceração exaustiva e em seguida fracionado em cromatografia de coluna aberta com fase fixa sílica gel 60 G. A análise dos compostos químicos foi realizada por cromatografia gasosa acoplada com espectrometria de massas (CG- Ms). A atividade antimicrobiana in vitro do extrato Mchex e das frações identificadas foram realizadas através do método de microdiluição em caldo com isolados clínicos S.aureus ORSA e espécies do gênero Candida, conforme preconiza o CLSI. Adicionalmente, foi analisado o perfil cicatrizante in vitro de Mchex com a linhagem celular L- 929 e a análise do perfil toxicológico de acordo com o guia 423 da OECD, 2001. Para realização da atividade antimicrobiana in vivo, foi necessário preparar uma formulação fitoterápica com a incorporação do Mchex nas concentrações de 5 % e 10 % para então avaliar o potencial antimicrobiano e cicatrizante através de feridas contaminadas por S.aureus ORSA com a análise dos estresses oxidativos e avalição histopatológica. Nos ensaios antifúngicos com a espécie Candida glabrata foram observadas as alterações morfológicas causadas pelo Mchex e as substâncias isoladas e em seguida avaliados os mecanismos de morte por citometria de fluxo. Por fim, para conhecer o perfil antitumoral das amostras em estudo foram utilizadas as linhagens cancerígenas HCT-116, P-815, HL-60 e K-562. De acordo com os valores de inibição obtidos, a linhagem HL-60 foi escolhida para proceder com os ensaios de CI 50 , análise das alterações morfológicas e estudo de mecanismos de ação por citometro de fluxo.


  • Mostrar Abstract
  • N/D

7
  • MARIA ISABELA DE ANDRADE PEREIRA
  • DESENVOLVIMENTO DE NANOSSONDAS BIFUNCIONAIS BASEADAS EM PONTOS QUÂNTICOS PARA APLICAÇÕES NO ESTUDO DA BIOLOGIA DO CÂNCER

  • Orientador : ADRIANA FONTES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADRIANA FONTES
  • CASSIA REGINA ALBUQUERQUE DA CUNHA
  • DIJANAH COTA MACHADO
  • LUANA CASSANDRA BREITENBACH BARROSO COELHO
  • PAULO EUZEBIO CABRAL FILHO
  • Data: 17/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • O câncer é uma doença multifatorial, por essa razão há uma busca contínua por tecnologias capazes de contribuir para uma compreensão mais aprofundada dos mecanismos biológicos envolvidos em cada fase dessa doença e, consequentemente, diagnosticá-la e tratá-la de forma aprimorada. As singulares propriedades ópticas dos pontos quânticos (PQs) os tornam valiosas ferramentas para o estudo das interações biológicas associadas à carcinogênese, especialmente se combinados com moléculas aptas a conferir novas funcionalidades e especificidades a esses nanocristais fluorescentes. Assim, dentro desse contexto, esta tese teve como objetivo geral o desenvolvimento de nanossondas bifuncionais constituídas por PQs e quelatos de Gd(III), bem como PQs e D-glicosamina (D-GN), para aplicações no estudo da biologia do câncer. Os quelatos de Gd(III) quando conjugados aos PQs, originam nanossondas óptico-magnéticas que aliam vantagens das técnicas baseadas em fluorescência com as da imagem por ressonância magnética (IRM), favorecendo estudos mais amplos e complementares de processos biológicos. Já a associação de PQs à derivados de glicose, como a D-GN, gera gliconanopartículas hábeis à investigação da captação desse carboidrato em nível celular, o que é de particular interesse para diagnóstico e terapia devido ao metabolismo glicolítico alterado desse carboidrato por células de câncer. Assim, para desenvolver a nanossonda óptico-magnética, inicialmente preparou-se quelatos de DOTA-Gd(III) carboxilados, os quais incorporaram eficientemente o íon paramagnético (97%) e apresentaram estabilidade quanto à transmetalação na presença do íon endógeno, Zn(II). Os quelatos de DOTA-Gd(III) foram conjugados covalentemente aos PQs carboxilados via etilenodiamina. Os nanossistemas apresentaram alta fluorescência, e as técnicas de espectroscopias de correlação por fluorescência (FCS) e de emissão óptica com plasma indutivamente acoplado (ICP-OES) confirmaram a conjugação, com rendimento de ca. 75%. Ademais, a nanossonda apresentou elevada relaxividade, ca. 5× [por Gd(III)] e 100× [por PQ] superior a do quelato DOTA-Gd(III) molecular. As gliconanopartículas, altamente fluorescentes, foram preparadas através da conjugação covalente dos PQs à D-GN, a qual foi confirmada por FCS e por uma nova metodologia prática, rápida, reproduzível e quantitativa, também desenvolvida nesse trabalho, baseada na afinidade da glicose pela Concanavalina A, imobilizada em leveduras de Candida albicans. Por essa metodologia proposta, cerca de 98% das leveduras foram marcadas pelo conjugado PQs-D-GN, reduzindo para 34% ao inibir os sítios da lectina com manopiranosídeo, confirmando a especificidade da interação biológica. Ambas nanossondas foram avaliadas com células HeLa (adenocarcinoma cervical). Os resultados indicaram que os conjugados PQs-DOTA-Gd(III) marcaram eficientemente as células por microscopia de fluorescência, produziram imagem com contraste brilhante na IRM e não induziram citotoxicidade significativa. Os conjugados PQs-D-GN foram captados eficientemente (96,6%) por células HeLa, apresentando um padrão de marcação vesicular intracelular com áreas densamente marcadas próximas ao núcleo. Assim, as nanossondas bifuncionais desenvolvidas apresentaram-se como potenciais e estratégicas ferramentas para aplicação em uma variedade de estudos relacionados à biologia do câncer.



  • Mostrar Abstract
  • O câncer é uma doença multifatorial, por essa razão há uma busca contínua por tecnologias capazes de contribuir para uma compreensão mais aprofundada dos mecanismos biológicos envolvidos em cada fase dessa doença e, consequentemente, diagnosticá-la e tratá-la de forma aprimorada. As singulares propriedades ópticas dos pontos quânticos (PQs) os tornam valiosas ferramentas para o estudo das interações biológicas associadas à carcinogênese, especialmente se combinados com moléculas aptas a conferir novas funcionalidades e especificidades a esses nanocristais fluorescentes. Assim, dentro desse contexto, esta tese teve como objetivo geral o desenvolvimento de nanossondas bifuncionais constituídas por PQs e quelatos de Gd(III), bem como PQs e D-glicosamina (D-GN), para aplicações no estudo da biologia do câncer. Os quelatos de Gd(III) quando conjugados aos PQs, originam nanossondas óptico-magnéticas que aliam vantagens das técnicas baseadas em fluorescência com as da imagem por ressonância magnética (IRM), favorecendo estudos mais amplos e complementares de processos biológicos. Já a associação de PQs à derivados de glicose, como a D-GN, gera gliconanopartículas hábeis à investigação da captação desse carboidrato em nível celular, o que é de particular interesse para diagnóstico e terapia devido ao metabolismo glicolítico alterado desse carboidrato por células de câncer. Assim, para desenvolver a nanossonda óptico-magnética, inicialmente preparou-se quelatos de DOTA-Gd(III) carboxilados, os quais incorporaram eficientemente o íon paramagnético (97%) e apresentaram estabilidade quanto à transmetalação na presença do íon endógeno, Zn(II). Os quelatos de DOTA-Gd(III) foram conjugados covalentemente aos PQs carboxilados via etilenodiamina. Os nanossistemas apresentaram alta fluorescência, e as técnicas de espectroscopias de correlação por fluorescência (FCS) e de emissão óptica com plasma indutivamente acoplado (ICP-OES) confirmaram a conjugação, com rendimento de ca. 75%. Ademais, a nanossonda apresentou elevada relaxividade, ca. 5× [por Gd(III)] e 100× [por PQ] superior a do quelato DOTA-Gd(III) molecular. As gliconanopartículas, altamente fluorescentes, foram preparadas através da conjugação covalente dos PQs à D-GN, a qual foi confirmada por FCS e por uma nova metodologia prática, rápida, reproduzível e quantitativa, também desenvolvida nesse trabalho, baseada na afinidade da glicose pela Concanavalina A, imobilizada em leveduras de Candida albicans. Por essa metodologia proposta, cerca de 98% das leveduras foram marcadas pelo conjugado PQs-D-GN, reduzindo para 34% ao inibir os sítios da lectina com manopiranosídeo, confirmando a especificidade da interação biológica. Ambas nanossondas foram avaliadas com células HeLa (adenocarcinoma cervical). Os resultados indicaram que os conjugados PQs-DOTA-Gd(III) marcaram eficientemente as células por microscopia de fluorescência, produziram imagem com contraste brilhante na IRM e não induziram citotoxicidade significativa. Os conjugados PQs-D-GN foram captados eficientemente (96,6%) por células HeLa, apresentando um padrão de marcação vesicular intracelular com áreas densamente marcadas próximas ao núcleo. Assim, as nanossondas bifuncionais desenvolvidas apresentaram-se como potenciais e estratégicas ferramentas para aplicação em uma variedade de estudos relacionados à biologia do câncer.


8
  • MARLLON ALEX NASCIMENTO SANTANA
  • AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES ANTIOXIDANTE E ANTIULCEROGÊNICA DE EXTRATOS ORGÂNICOS DAS FOLHAS DE Conocarpus erectus

  • Orientador : TERESINHA GONCALVES DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA APARECIDA MEDEIROS MACIEL
  • ANDREA LOPES BANDEIRA DELMIRO SANTANA
  • MARCIA VANUSA DA SILVA
  • TERESINHA GONCALVES DA SILVA
  • VANDA LUCIA DOS SANTOS
  • Data: 07/10/2021

  • Mostrar Resumo
  • As plantas medicinais são alternativas eficientes na procura por novas substâncias que atuam no tratamento para várias patologias, devido à sua diversidade química e baixo custo. Conocarpus erectus, popularmente conhecida como mangue de botão, é uma espécie bastante utilizada na medicina popular para o tratamento de sífilis, hipertensão, diabetes, câncer, hemorragias, infecções, inflamação e na cicatrização de feridas. Considerando a utilização popular desta espécie o presente trabalho teve como objetivo avaliar as atividades antioxidante, gastroprotetora e anti-inflamatória intestinal dos extratos orgânicos de Conocarpus erectus. O material vegetal foi coletado no município de Vila Velha (Norte/Pernambuco). Os extratos acetato de etila (Ce-AcEOt) e etanol (Ce-EtOH) das folhas de C. erectus foram preparados pelo método de maceração. O perfil fitoquímico foi analisado por cromatografia em camada delgada (CCD), também foram determinados os teores de fenóis totais, flavonoides e taninos totais. O potencial antioxidante dos extratos foi avaliado pelos métodos de sequestro de radicais livres DPPH e ABTS, e posteriormente foi realizada toxicidade aguda, de acordo com a OECD (423). A atividade gastroprotetora foi analisada através do modelo de úlcera induzida por etanol, sendo realizado em seguida a determinação dos níveis de mieloperoxidase (MPO) e óxido nítrico (NO). Para elucidar os possíveis mecanismos de ação, investigou-se o papel do óxido nítrico, compostos sulfidrílicos e prostaglandinas. E em seguida, foi realizada a avaliação da atividade anti-inflamatória intestinal (colite ulcerativa). A CCD mostrou a presença de flavonoides e terpenos no Ce-Hex; terpenos, flavonoides, taninos e cumarina no Ce-AcEOt e flavonoides, taninos e cumarina no extrato Ce-EtOH. O extrato Ce-EtOH apresentou teores de fenóis totais (22,05 mg EAT/g), flavonoides (8,46 mg ER/g) e taninos (15,49mg EAT/g), enquanto o Ce-AcEOt apresentou teores de fenóis totais (14,11 mg EAT/g), taninos (5,73mg EAT/g) e flavonoides (5,32 mg ER/g). Na avaliação da atividade antioxidante os extratos Ce-EtOH e Ce-AcEOt mostraram capacidade de sequestrar radicais livres pelo método de DPPH (CE50 69,95 e 248,16 µg/mL, respectivamente) e inibição de ABTS de 68,95 e 44,05 %, respectivamente.  Na toxicidade aguda os extratos orgânicos não registraram mortes, sinais tóxicos ou alterações bioquímicas ou hematológicas. Na atividade gastroprotetora, ambos os extratos reduziram o índice de lesão ulcerativa, além de diminuir os níveis de MPO (mieloperoxidase) e NO (óxido nítrico). A histopatologia mostrou a preservação das fossetas gástricas e do tecido muscular, como também diminuição mostrou a preservação das fossetas gástricas e do tecido muscular, como também diminuição de infiltrados de neutrófilos e aumento da produção de muco dos animais tratados com Ce- AcEOt e Ce-EtOH nas doses de 100 e 200 mg/kg, respectivamente.  Durante a administração prévia dos antagonistas de óxido nítrico, compostos sulfidrílicos e prostaglandinas foi constatado que Ce-AcEOt atuou pelas vias de óxido nítrico e prostaglandinas enquanto o Ce-EtOH continuou com sua ação gastroprotetora, sugerindo não agir pelas vias testadas. O ensaio de colite ulcerativa mostrou a redução significativa da área  de lesão em intestinos de ratos tratados com Ce-EtOH (200 mg/kg) e Ce-AcOEt (100 mg/kg) quando comparados ao grupo controle. Apresentando inibição de ILU de 18,3 % para o tratamento realizado com Ce- EtOH (200 mg/kg) e 20,9 % para Ce-AcOEt (100 mg/kg). Dessa forma, o presente estudo revelou que os extratos orgânicos de C. erectus possuem propriedades antioxidante, gastroprotetora e anti-inflamatória intestinal, sugerindo estas atividades podem estar associadas à capacidade antioxidante dos compostos fenólicos presentes nestes extratos.



  • Mostrar Abstract
  • N/D

9
  • PEDRO ROGÉRIO DA SILVA NEVES
  • TAXA DE MUTAÇÃO E ANÁLISE DA ESTRUTURA GENÉTICA PARA 23 Y-STR NA POPULAÇÃO DOS ESTADOS DE PERNAMBUCO E CEARÁ


  • Orientador : VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CRISTIANE MOUTINHO LAGOS DE MELO
  • MARCOS DA SILVEIRA REGUEIRA NETO
  • SILVIA HELENA BAREM RABENHORST
  • VALDIR DE QUEIROZ BALBINO
  • WILSON JOSÉ DA SILVA JÚNIOR
  • Data: 29/10/2021

  • Mostrar Resumo
  • A diversidade genética representa um elemento importante para a evolução e sobrevivência de uma população. Ao mesmo tempo, característica individuais ajudam em processos de identificação humana em genética forense. Com o objetivo de entender o comportamento da taxa de mutação e estrutura genetica das populações dos estados de Pernambuco e Ceará, coletamos amostras de sangue de 390 indivíduos da população pernambucana (trios) e 550 sujeitos não relacionados da população cearense. Analisamos suas características associadas aos marcadores de Y-STR, para 23 Locus, utilizando o kit PowerPlex® Y23 System (Promega Corporation) e marcadores autossômicos através do PowerPlex® Fusion 6C. As amostras foram amplificadas e os fragmentos gerados foram submetidos a genotipagem utilizando o software GeneMapper® ID-X v.1.4 (Applied Biosystems, Thermo Fisher Scientific) para obtenção dos perfis haplotípicos dos Y-STRs. A análise estatística foi desenvolvida através do software Arlequin 3.5. para obtenção das frequências alélicas, haplotípicas, análise de variância molecular e distância genética. A identificação do perfil de haplogrupos foi obtido no software preditor NEVGEN, disponível de maneira online.  Encontramos 378 haplótipos em marcadores autossômicos e 92 para análise pai e filho, do cromossomo Y, na população pernambucana e 539 haplótipos na população cearense, sendo 528 haplótipos únicos nessa população. As análises de diversidade haplótipica revelaram elevados valores nessas populações, sendo 1,0000 em Pernambuco e variando, entre as sete mesorregiões do Ceará, variando entre 0,9982 a 1,0000 em Y-STR. A heterozigosidade observada foi superior a esperada, em ambos os estados, indicando uma alta variação populacional. A análise de variância molecular na população cearense, indicou uma maior variância intragrupos (99,5%) e uma pequena variação entre os grupos (regiões) (0,48%). Observou-se ainda uma significativa distância genética entre as regiões, em que a região Sul se mostrou diferente de outras quatro regiões. A linhagem paterna teve forte influência europeia, seguida de africana e uma menor participação de nativos ameríndios, nos estados. Esse foi o primeiro estudo a demonstrar características da população cearense em uma amostra representativa e constituída por sujeitos das sete mesorregiões do estado e o primeiro a associar informações de marcadores de Y-STR e Autossômicos na análise da taxa de mutação na população de Pernambuco. Os resultados encontrados servirão para suportar análises em genética forense e de populações, demonstrando a capacidade discriminatória nessa população, haplótipos comuns e suas características evolutivas.       

    Palavras-chave: Genética forense – Genética de Populações – Haplogrupos do cromossomo Y



  • Mostrar Abstract
  • Marcadores de microssatélites (STRs) são sequências pequenas, repetidas, passadas de pais para filhos e que apresentam alta taxa de mutação devido a erros de pareamento durante o processo de replicação do DNA. Esses marcadores têm colaborado no processo de identificação humana, sendo os mais utilizados atualmente na rotina dos laboratórios de genética forense. O objetivo do presente trabalho foi estimar a taxa de mutação de marcadores autossômicos (A-STR) e do cromossomo-Y (Y-STR) em uma amostra da população pernambucana. Foram analisados 164 sujeitos aparentados, a partir da confirmação em testes de paternidade para Y-STR e 210 sujeitos não relacionados, para marcadores autossômicos. Todos os procedimentos de coleta de dados e genotipagem foram realizados no LABBE-UFPE (Laboratório de Biologia Molecular da Universidade Federal de Pernambuco). As amostras foram amplificadas através de reação de cadeia de polimerase (PCR) multiplex, com o auxílio dos kits PowerPlex Y23 System e PowerPlex F6C (Promega Corporation). Oprocesso de detecção foi desenvolvido através de eletroforese capilar no sequenciador genético automático modelo ABI 3500 Genetic Analyzer (Applied Biosystems, Thermo Fisher Scientific). Os dados brutos dos produtos de PCR foram analisados no software GeneMapper® ID-X v.1.4 (Applied Biosystems, Thermo Fisher Scientific) para obtenção dos perfis STRs. Os haplótipos e as frequências alélicas foram calculados pelo método de contagem genética. O cálculo das diversidades genética e haplotípica foram realizadas com o auxílio do software Arlequin 3.5. Foram identificadas nove mutações para Y-STR e duas para A-STR. O locus com maior número de mutações foi o DYS393, com duas mutações apresentadas. A taxa de mutação para Y-STR foi de 1,37 x 10-3, enquanto para A-STR ficou em 8,00 x 10-3. Apenas uma mutação não seguiu o modelo de passo simples, e de maneira semelhante, uma mutação apresentou inserção. A diversidade gênica ficou em 1,0±0,0007 para os marcadores de Y-STR. Os resultados diferem de achados anteriores descritos na literatura, indicando particularidades que regem a população pernambucana e são os primeiros indicativos, da taxa de mutação para marcadores do cromossomo Y.


10
  • GEORGE SOUZA FEITOZA
  • AVALIÇÃO DO PERFIL TÓXICOLÓGICO, AÇÃO ANTIULCERÔGENICA E POTENCIAL BIOTECNOLÓGICO DOS RESIDUOS DO UMBU

  • Orientador : MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALISSON MACARIO DE OLIVEIRA
  • CLOVIS MACEDO BEZERRA FILHO
  • KÁTIA ALVES RIBEIRO
  • MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • THIAGO BARBOSA CAHU
  • Data: 29/11/2021

  • Mostrar Resumo
  • Spondia tuberosa Arruda Carmara, é uma planta endêmica do Brasil, com ampla distribuição pela região da caatinga brasileira, conhecida popularmente como umbuzeiro e consagrada por ser uma espécie frutífera de grande valor econômica, social, ecológica, medicinal e nutricional. O fruto conhecido como umbu ao passar por qualquer processo, seja para a produção de algum produto ou consumo in natura gera resíduos (cascas e / ou sementes) que são descartados. O objetivo desde trabalho foi caracterizar o perfil físico-químico, toxicológico, avaliar ação gastroprotetora, o potencial destes resíduos na fermentação em estado sólido para produção de compostos fenólicos e verificar por meio de estudos in silico alguns parâmetros e efeitos biológicos. Para isso cascas e caroços foram obtidos foram secos sob temperatura (60 ± 2 ºC) até peso constante, após foram triturados em moinho de facas e peneirados (20 mseh).  Tando as partes filtradas e retidas pela peneira foram utilizadas para os ensaios. Os resíduos forma submetidos a caraterização físico-química, análises fitoquímica por CCD e HPLC. As análises físico-químicas da farinha foi determinada pela composição química, determinando carboidratos totais, lipídeos, proteínas, açúcares redutores e não redutores, cinzas, granulometria, umidade, atividade de água. Na determinação fitoquímica foram analisados o teor de flavanóides usando a quecertina como padrão, fenólicos totais usando reagente Folin-Ciocateu e ácido gálico como padrão. Análises qualitativas de compostos secundários foram obtidas por técnicas de cromatográfia de camada delgaca (CCD) e em coluna de alta eficiência (CLAE). As análises antioxidantes foram determinadas pelo sequestro dos radicais DPPH e ABTS, além do ensaio do CAT. Nos ensaios enzimáticos foram avaliados o potencial de inibição sobre enzimas digestivas (amilase, lipase, tripsina e quimotripsina). Os ensaios in vivo foram avaliados a toxicidadeaguda, subaguda e genotoxicidade (ensaio micronúcleo e cometa), atividades gastroprotetora e mecanismo de ação. A fermentação em sólido sobre ação do fungo Aspergillus niger GH1 foi utilizada para recuperação de compostos fenólicos. O estudo in silico foi usando para analisar a estrutura dos compostos identificados nos resíduos; parâmetros de absorção, distribuição, metabolismo, excreção e toxicidade, além de predições de bioatividades foram analisados. Nos resultados da caracterização físico-químicos os resíduos obteve valores altos de carboidratos, pH ácido, baixo teor de umidade, proteínas, lipídeos e cinzas. Nas análises fitoquímicas os resíduos apresentaram alto teores de fenólicos e flavanóides. Dentre os fenólicos, os detectados pelo CLAE foram rutina e ácido e ácido gálico. Nas análises das atividades antioxidantes os resíduos apresentaram valores altos de inibição para os radicais DPPH e (88,2 %) e ABTS (55,7 %), além de obter um valor alto para a CAT (74,59 %).  No ensaio de atividade enzimática os resíduos inibiram atividade da amilase (95 %), lipase (91 %), moderada para tripsina (28 %) e ativação das demais proteases avaliadas. Em relação aos ensaios in vivo os resíduos mostrou-se seguro para os ensaios de toxicidade aguda, subaguda e genotóxico, com DL50 acima do recomendado pela OECD. Quando ao efeito gastroprotetor, mostrou-se direta relação de dose-dependente, destacando para as duas maiores doses (1.000,00 e 500,00 mg / kg)que  reduziram a úlcera em 91,95 % 82,86% com possível mecanismo de ação pela via do óxido nítrico. Na fermentação em estado sólido os resíduos serviram como substrato ideal para o crescimento do Aspergillus niger, o fungo foi capaz de hidrolisar os composto fenólicos e liberara-los, contribuindo com ações antioxidantes observadas. Alguns destes metabolitos são revelados pela primeira para os resíduos do fruto de Spondia tuberosa. O estudo in silico mostrou nas predições que todos dos compostos identificados no resíduo com ou sem fermentação tem característicos encontrados para os fenólicos, como agente antioxidantes, fora isso, as predições in silíco apontaram possíveis atividades biológicas, muitas destas já relatadas na literatura. Sobre os efeitos tóxicos, todos das as leituras apontaram os compostos com baixo risco, com DL50 acima do preconizado pela OECD, sendo um aspecto positivo para futuras aplicações desses resíduos em produtos farmacêuticos, alimentícios e biotecnológicos. 



  • Mostrar Abstract
  • N/D

11
  • WESLLEY FELIX DE OLIVEIRA
  • NANOSSONDAS BASEADAS EM PONTOS QUÂNTICOS E LECTINAS PARA APLICAÇÕES EM GLICOBIOLOGIA

  • Orientador : MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CARINNA NUNES DE LIMA
  • CASSIA REGINA ALBUQUERQUE DA CUNHA
  • LUANA CASSANDRA BREITENBACH BARROSO COELHO
  • MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 07/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Os carboidratos são considerados "a terceira letra do alfabeto molecular", participando de inúmeros processos biológicos em todas formas de vida. Esses sacarídeos podem ser estudados empregando lectinas, proteínas capazes de reconhecê-los especificamente, associadas a nanopartículas (NPs) fluorescentes de semicondutores com alta fotoestabilidade, os pontos quânticos (PQs). Os PQs podem ainda ser aliados a NPs de óxido de ferro (SPIONs), formando sistemas bimodais com propriedades ópticas e magnéticas (BNPs). Assim, esta tese objetivou obter conjugados de diferentes glicoespecificidades, PQs-BmoLL (galactose) e PQs-Cramoll (glicose/manose), bem como desenvolver um sistema multimodal (BNPs-Cramoll), e aplicá-los em estudos glicobiológicos. Eritrócitos ABO foram incubados com PQs-BmoLL e uma marcação preferencial de eritrócitos B (71,7 ± 5,9%) foi revelada por citometria de fluxo, uma vez que antígenos B apresentam resíduos de galactose; a qual foi reduzida após a inibição prévia com a galactose (5,8 ± 1,0%), mostrando especificidade. PQs-Cramoll foi aplicado no estudo do perfil de glicose/manose de leveduras de Candida (C. albicans, C. glabrata e C. parapsilosis) e tecidos da mama (normal, fibroadenoma - FB e carcinoma ductal invasivo - CDI). Uma intensa marcação da parede celular fúngicafoi observadae mais de 90% das células foram positivas na citometria de fluxo. Mesmo após a inibição do conjugado com metil-α-D-manopiranosídeo (manop.), C. parapsilosis foi marcada (78%), indicando ter maior expressão de glicose-manose. Células ductais de tecidos normais e FB foram marcadas por PQs-Cramoll, já células e estroma foram marcados no CDI. Ademais, um maior nível de resíduos de glicose/manose foi quantificado no CDI pelo ensaio fluorescente em microplaca (EFM). PQs foram covalentemente ligados às SPIONs e à Cramoll, formando BNPs-Cramoll. Cerca de 90% de leveduras (C. albicans) foram marcadas por BNPs-Cramoll, reduzindo em ca. 3x após a inibição com manop.. Uma diminuição na fluorescência de BNPs-Cramoll foi identificada após incubação com a fetuína (0,675 - 10,8 mg/mL); não observada após interação com albumina de soro bovino. Assim, PQs-BmoLL e PQs-Cramoll mostraram ser ferramentas versáteis para glicobiologia; e BNPs-Cramoll se mostrou uma nanossonda específica, promissora para detecção e separação da fetuína.


  • Mostrar Abstract
  • Os carboidratos são considerados "a terceira letra do alfabeto molecular", participando de inúmeros processos biológicos em todas formas de vida. Esses sacarídeos podem ser estudados empregando lectinas, proteínas capazes de reconhecê-los especificamente, associadas a nanopartículas (NPs) fluorescentes de semicondutores com alta fotoestabilidade, os pontos quânticos (PQs). Os PQs podem ainda ser aliados a NPs de óxido de ferro (SPIONs), formando sistemas bimodais com propriedades ópticas e magnéticas (BNPs). Assim, esta tese objetivou obter conjugados de diferentes glicoespecificidades, PQs-BmoLL (galactose) e PQs-Cramoll (glicose/manose), bem como desenvolver um sistema multimodal (BNPs-Cramoll), e aplicá-los em estudos glicobiológicos. Eritrócitos ABO foram incubados com PQs-BmoLL e uma marcação preferencial de eritrócitos B (71,7 ± 5,9%) foi revelada por citometria de fluxo, uma vez que antígenos B apresentam resíduos de galactose; a qual foi reduzida após a inibição prévia com a galactose (5,8 ± 1,0%), mostrando especificidade. PQs-Cramoll foi aplicado no estudo do perfil de glicose/manose de leveduras de Candida (C. albicans, C. glabrata e C. parapsilosis) e tecidos da mama (normal, fibroadenoma - FB e carcinoma ductal invasivo - CDI). Uma intensa marcação da parede celular fúngicafoi observadae mais de 90% das células foram positivas na citometria de fluxo. Mesmo após a inibição do conjugado com metil-α-D-manopiranosídeo (manop.), C. parapsilosis foi marcada (78%), indicando ter maior expressão de glicose-manose. Células ductais de tecidos normais e FB foram marcadas por PQs-Cramoll, já células e estroma foram marcados no CDI. Ademais, um maior nível de resíduos de glicose/manose foi quantificado no CDI pelo ensaio fluorescente em microplaca (EFM). PQs foram covalentemente ligados às SPIONs e à Cramoll, formando BNPs-Cramoll. Cerca de 90% de leveduras (C. albicans) foram marcadas por BNPs-Cramoll, reduzindo em ca. 3x após a inibição com manop.. Uma diminuição na fluorescência de BNPs-Cramoll foi identificada após incubação com a fetuína (0,675 - 10,8 mg/mL); não observada após interação com albumina de soro bovino. Assim, PQs-BmoLL e PQs-Cramoll mostraram ser ferramentas versáteis para glicobiologia; e BNPs-Cramoll se mostrou uma nanossonda específica, promissora para detecção e separação da fetuína.

12
  • FERNANDA PACIFICO DE ALMEIDA NEVES
  • AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIULCEROGÊNICA E DOS MECANIMOS DE AÇÃO DA LECTINA DE Cratylia mollis (Cramoll) EM ÚLCERAS GÁSTRICAS

  • Orientador : MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FERNANDA MIGUEL DE ANDRADE
  • KÁTIA ALVES RIBEIRO
  • LUANA CASSANDRA BREITENBACH BARROSO COELHO
  • MARIA TEREZA DOS SANTOS CORREIA
  • SAMARA ALVES BRITO
  • Data: 10/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • As úlceras gástricas agudas são lesões de caráter inflamatório causadas por um desequilíbrio entre os fatores defensores e agressores da mucosa. O tratamento dessa doença é realizado através de medicamentos convencionais, no entanto, estes apresentam efeitos adversos prejudiciais como alterações imunológicas, tontura, sonolência, erupções cutâneas, sendo também tóxicos e incapazes de promover a cicatrização de maneira eficiente, o que provoca comumente recidivas. A Cramoll é umas das variações lectinícas isoladas das sementes de Cratylia mollis, popularmente conhecida como feijão Camaratú, uma espécie nativa do semiárido do Nordeste do Brasil. Várias atividades farmacológicas foram descritas para Cramoll, como antitumoral, antiparasitário, ação mitogênica e cicatrizante. Desse modo, o objetivo do estudo foi avaliar a atividade gastroprotetora da Cramoll em modelos de úlceras agudas e determinar seus possíveis mecanismos de ação. As sementes de C. mollis foram coletadas e trituradas em multiprocessador até a obtenção de uma farinha, de onde a lectina foi purificada de acordo com o protocolo previamente estabelecido. Para os estudos in vivo, inicialmente foi investigada a dose letal média da Cramoll a partir da DL50 (2 mg/kg), e em seguida, sua atividade gastroprotetora nos modelos de úlceras gástricas agudas: etanol absoluto, etanol acidificado e indometacina.  Todos os animais foram previamente tratados e o dano gástrico foi realizado. Para os animais submetidos ao dano gástrico por etanol absoluto, foram realizadas lâminas histológicas e dosagem de citocinas dos estômagos. Além disso, foram avaliados os seguintes mecanismos de ação para Cramoll (50 µg/kg): a capacidade antissecretora, influência dos grupos sulfidrilas, do óxido nítrico e das prostaglandinas. Para os ensaios in vitro foram avaliados a atividade anti-Helicobacter pylori e a citotoxidade para células de adenocarninoma gástrico humano. A Cramoll (50, 100 e 200 µg/kg) apresentou atividade gastroprotetora em todas as concentrações e para todos os modelos experimentais testados. Enquanto a Cramoll a 50, 100 ou 200 µg/kg reduziu a lesão estomacal induzida por etanol absoluto em 90,36%, 88,22% e 90,64%, a lesão de úlcera induzida por etanol acidificada reduziu em 94,90%, 83,49% e 91,41% e para o modelo de ulceração por indometacina houve redução da lesão em 35,26%, 32,10% e 47,89%, respectivamente. A análise histológica confirmou a ação gastroprotetora da Cramoll no qual os estômagos dos animais tratados com a lectina apresentaram a mucosa gástrica bem definida e ausência de sinais inflamatórios. Na avaliação dos mecanismos de ação onde ocorre a participação do óxido nítrico e grupamentos sulfidrilas, a Cramoll continuou exercendo o seu efeito gastroprotetor mesmo na ausência desses compostos, mostrando assim que a Cramoll não depende da participação deles para apresentar este efeito. Além disso, a Cramoll também não apresentou diferenças significativas para o conteúdo gástrico, porém quando observado o mecanismo de ação referente as prostaglandinas, a Cramoll reduziu o seu efeito gastroprotetor, demonstrando assim que depende da participação das prostaglandinas para exercer a gastroproteção. As prostaglandinas estão intimamente relacionadas com a produção de muco, sugerindo que a Cramoll também dependa da participação do muco para sua atividade. Estudos in vitro também comprovaram a ação gastroprotetora da lectina ao inibir o crescimento bacteriano de H. pylori em 38,95%, correspondendo ao primeiro relato de atividade anti- H. pylori para lectinas.  A Cramoll também apresentou atividade antitumoral significativa para células de adenocarcinoma gástrico com IC50 de 129,7 ± 0,94 μg/mL. Diante disso, nossos resultados elucidam o efeito gastroprotetor da Cramoll e determinam seus mecanismos de ação, para assim constituir uma alternativa considerável eficaz para aplicação futura na conduta terapêutica das úlceras gástricas. 


     



  • Mostrar Abstract
  • N/D

13
  • TAYANE DE CASSIA DIAS MENDES SILVA
  • Obtenção de carotenoides a partir de bactérias isoladas do Domínio Caatinga e avaliação do seu potencial como formulação fotoprotetora bioativa

  • Orientador : MARIA BETANIA MELO DE OLIVEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DAYANA MONTERO RODRIGUEZ
  • LIVIA CAROLINE ALEXANDRE DE ARAUJO
  • MARCOS ANTONIO BARBOSA DE LIMA
  • MARIA BETANIA MELO DE OLIVEIRA
  • THIAGO HENRIQUE NAPOLEAO
  • Data: 16/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Os carotenoides são pigmentos naturais que vêm se destacando como moléculas antioxidantes e apresentam um importante papel na fotoproteção, o que estimula sua aplicação na indústria de cosméticos. Bactérias do gênero Kocuria são capazes de produzir carotenoides, porém sua aplicação como fotoprotetor, ainda não tinha sido investigada. O solo da Caatinga vem sendo considerado como uma nova fonte natural de biomoléculas. No entanto, pouco se sabe sobre os carotenoides bacterianos obtidos desse Domínio. Sendo assim, os objetivos deste trabalho foram: 1. realizar artigo de revisão sobre o estado da arte: destacando características gerais sobre os carotenoides, suas perspectivas de produção por microrganismos da Caatinga e sua aplicação como produtos anti-UV; 2. investigar a produção, caracterização e aumento de carotenoide em dois isolados bacterianos do Domínio Caatinga; 3. Realizar encapsulamento do carotenoide, avaliando seus efeitos antioxidante e fotoprotetor; 4. Desenvolver formulações creme fotoprotetoras com extrato bruto de carotenoide, analisando seu controle de qualidade e estabilidade. Os isolados bacterianos (FT-722 e FT-5.12) foram obtidos de amostras de solo da Fazenda Tamanduá da Reserva Particular do Patrimônio Natural, do município de Santa Terezinha, Paraíba. Inicialmente, foi realizada a identificação molecular (gene RNAr 16S), a qual identificou esses isolados como pertencentes a espécie Kocuria palustris. Em seguida, foram realizados planejamentos fatoriais em Erlenmeyers a fim de aumentar a produção de carotenoides, avaliando os efeitos dos fatores físicos na produção total deste pigmento (µg/L), na produção específica (µg/g) e na biomassa seca (g/L). Também foi avaliado o fator nutricional, considerando a produção de carotenoides em meio residual (soro do leite), seguido da utilização de um biorreator para aumentar a escala de produção (10 L). O pigmento produzido foi caracterizado utilizando Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (HPLC) e Cromatografia Líquida Acoplada à Espectrometria de Massas (LC-MS), sendo o carotenoide majoritário sarcinaxantina (705 Da). O isolado K. palustris FT-7.22 foi o que apresentou a produção mais elevada na concentração de 112,48 mg/L, associada a uma atividade antioxidante de 76,53 ± 0,09%, e fotoprotetora com um FPS de 9,36 ± 0,52. Para melhorar a estabilidade do carotenoide-sarcinaxantina e preservar suas atividades biológicas, foram desenvolvidos Carreadores Lipídicos Nanoestruturados (CLNs), constituídos de cera de abelha e triglicerídeos de cadeia média (50:50) e fase aquosa (Tween® 80), utilizando Homogeneização de Alta Pressão (HPH). Os resultados revelaram que os CLNs carregados com carotenoide-sarcinaxantina foram estáveis, com máxima eficiência de encapsulamento e preservação de suas atividades biológicas. Para tanto, foram desenvolvidas formulações creme fotoprotetoras contendo filtro químico octil-metoxicinamato e extrato de carotenoide-sarcinaxantina, analisando-se o controle de qualidade através de parâmetros organolépticos e físico-químicos, além da estabilidade preliminar. Como resultado, foi obtida uma formulação final com FPS de 28,38 ± 0,12, e possível efeito sinérgico entre o extrato e o filtro químico; sendo considerada eficaz, estável e com valores adequados de controle de qualidade. Os resultados evidenciam a bactéria K. palustris (FT-7.22) isolada da Caatinga, como uma nova fonte de carotenoide-sarcinaxantina, destacando-se o potencial cosmético de seu extrato para o desenvolvimento de formulações com ação fotoprotetora.



  • Mostrar Abstract
  • N/A

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02