Banca de DEFESA: THAÍSA CARDOSO DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : THAÍSA CARDOSO DE OLIVEIRA
DATA : 03/06/2022
HORA: 09:00
LOCAL: VIDEOCONFERÊNCIA
TÍTULO:

APLICAÇÃO DE BIOPOLIMERO MODIFICADO DE GOMA DO ANGICO EM SISTEMAS DE LIBERAÇÃO: UMA ABORDAGEM UTILIZANDO MICROAGULHAS



PALAVRAS-CHAVES:

nanopartículas; biopolímero; microagulhas; modificação química; transdérmica


PÁGINAS: 122
RESUMO:

Nanopartículas são uma forma promissora para o desenvolvimento de sistemas de liberação aplicáveis ao tratamento do HIV. Dentre os diversos materiais efetivos para a produção de nanopartículas encontra-se em expansão o uso de polissacarídeos que podem ser modificados e utilizados para aplicação em sistemas de liberação de fármacos. A goma do angico (AG), um polissacarídeo proveniente da exsudação da espécie Anadenanthera colubrina var. cebil é um exemplo desse tipo. Este trabalho teve como objetivo desenvolver a modificação de ftalação de AG e avaliar o potencial de aplicação desse material do desenvolvimento de nanopartículas poliméricas. A reação de ftalação foi confirmada e a goma do angico ftalada (PAG) foi utilizada para produção de nanopartículas. Para entender a influência de vários fatores, o planejamento de experimentos Plackett-Burman foi usado na produção de nanopartículas, as quais foram otimizadas usando parâmetros de desejabilidade. A formulação de nanopartículas de PAG carregadas com NVP apresentou parâmetros de tamanho (202,1 nm ) índice de polidispersão (PDI) (0,23), potencial zeta (-17,1 mV) e eficiência de encapsulamento (69,8%) dentro dos valores desejados, e promoveu liberação modificada do fármaco em comparação ao fármaco sozinho. Em um estudo seguinte, a formulação de nanopartículas em suspensão (NPns) ou liofilizadas (NPfd) foi incorporada em hidrogel de CH:PVP para a produção de microagulhas (M-NPns e M-NPfd). As microagulhas apresentaram tamanho aproximado de 750 μm e base piramidal. Análises de microscopia eletrônica de varredura evidenciaram agulhas retas e pontiagudas. A formulação selecionada foi avaliada quanto a propriedades mecânicas, características físico-químicas, capacidade de permeação do fármaco, além de do estudo de viabilidade celular. Foi observado que tanto M-NPNs e M-NPfd proporcionaram significativa permeação do fármaco durante 72 h de ensaio. Além disso, os ensaios histológicos em pele de porco evidenciaram que a microagulha foi capaz de promover microrupturas. Portanto, o este trabalho evidencia que a PAG se mostrou como um biopolímero promissor e versátil para sistemas de liberação de fármacos, podendo ser aplicado inclusive para sistemas de liberação transdérmicos. 



MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - SOFIA COSTA LIMA - OUTRA
Externa à Instituição - DURCILENE ALVES DA SILVA - UFPI
Externo à Instituição - EDSON CAVALCANTI DA SILVA FILHO - UFPI
Presidente - 1666905 - JOSE LAMARTINE SOARES SOBRINHO
Interna - 2318850 - LEILA BASTOS LEAL
Notícia cadastrada em: 16/05/2022 12:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02