Banca de DEFESA: REBECA GOMES DIAS DA COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : REBECA GOMES DIAS DA COSTA
DATA : 11/03/2022
HORA: 13:00
LOCAL: Departamento de Fisioterapia
TÍTULO:

Associação entre a excitabilidade cortical e as características clínicas e sinais motores da doença de Parkinson


PALAVRAS-CHAVES:

Doença de Parkinson; excitabilidade cortical; estimulação magnética transcraniana; sinais e sintomas;


PÁGINAS: 150
RESUMO:

A doença de Parkinson (DP) é uma doença neurodegenerativa e progressiva caracterizada pela presença de sinais motores que afetam as atividades de vida diária e qualidade de vida das pessoas com DP. Estudos apontam que pessoas com DP apresentam alterações no padrão de excitabilidade cortical e que existe uma correlação forte e negativa entre os sinais motores e estas alterações na excitabilidade. O presente estudo visou investigar a relação de causa e efeito dessas variáveis. Entender essa relação poderia favorecer o planejamento terapêutico, principalmente, através do uso de estimulação cerebral não invasiva, que é uma ferramenta que vem surgindo como alternativa terapêutica para essa população. Para isso, foi realizado um estudo transversal que incluiu 18 voluntários com DP (idade 60,6 ± 7,96 anos) avaliados em um único dia, no período diurno, sem (OFF) e com (ON) o efeito da medicação dopaminérgica e 12 indivíduos sem DP pareados por sexo e idade com as pessoas com DP incluídas no estudo. Para a avaliação da excitabilidade cortical (variável dependente), foi realizada a medida de limiar motor de repouso (LMR) obtida através da estimulação magnética transcraniana por pulso único, em ambos os hemisférios. Os sinais motores da doença (tremor,bradicinesia e rigidez) foram avaliados através da segunda e terceira seção da Unified Parkinson’s Disease Rate Scale (UPDRS). Para investigar a relação das alterações da excitabilidade cortical com as características clínicas, os voluntários foram classificados quanto (i) aos fenótipos clínicos (tremor- dominante-TD ou instabilidade postural e dificuldade na marcha-PIGD) através da UPDRS e (ii) quanto à severidade da doença (comprometimento motor uni ou bilateral) através da  escala de Hoen & Yahr modificada.  Duas regressões lineares múltiplas do tipo backward stepwise foram realizadas (critérios de entrada: p ≤0,05; critérios de remoção: p ≥0,10) utilizando o software SPSS. Os resultados apontam para mudanças no nível de excitabilidade cortical de indivíduos com DP de ambos os fenótipos quando comparado com indivíduos sem a doença. O grupo de indivíduos classificados como PIGD apresenta valores de LMR mais altos que os do grupo TD. As análises de regressão revelaram que os fenótipos da doença e o tremor podem predizer as mudanças de excitabilidade das pessoas com a doença de Parkinson.  Conclusão: os resultados do presente estudo corroboram achados anteriores que demonstram alterações nos níveis de excitabilidade cortical de pessoas com DP e revelam uma relação direta de causa e efeito entre os fenótipos da doença e o tremor com essas alterações.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1132522 - MARIA DAS GRACAS RODRIGUES DE ARAUJO
Externa à Instituição - ADRIANA BALTAR DO REGO MACIEL - UFPE
Externa à Instituição - DEBORAH MARQUES DE OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 10/03/2022 15:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02