PPGBF PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA DE FUNGOS - CB DEPARTAMENTO DE MICOLOGIA - CB Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: ALBA TAINNA COELHO TAVARES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALBA TAINNA COELHO TAVARES
DATA : 29/11/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

ATRIBUTOS MICROBIOLÓGICOS COMO INDICADORES DE REGENERAÇÃO DO SOLO NA MATA ATLÂNTICA 


PALAVRAS-CHAVES:

 propriedades do solo, regeneração natural, fragmento florestal, floresta tropical.


PÁGINAS: 49
RESUMO:

 

A Mata Atlântica apresenta altos índices de biodiversidade, é um dos biomas mais ameaçados do planeta e encontra-se sob forte pressão antrópica, o que resulta em perda florestal e impacto nos solos. A recomposição das características edáficas está relacionada ao estabelecimento das comunidades vegetais e da atividade biológica do solo ao longo do tempo, sendo importante acompanhar esse processo, que reflete a regeneração natural da área. O objetivo deste trabalho foi avaliar as propriedades microbiológicas do solo em fragmentos de Floresta Atlântica com três estágios de sucessão vegetal: inicial, intermediário e maduro. O estudo foi realizado no Parque Estadual de Dois Irmãos (PEDI), estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil. Os fragmentos apresentaram diferenças edáficas significativas entre os estágios de sucessão, sendo os estágios inicial e intermediário mais semelhantes entre si, enquanto o estágio maduro se mostrou o mais distinto dos outros fragmentos. Propriedades biológicas do solo como a atividade enzimática, o carbono da biomassa microbiana, a respiração basal ou induzida pelo substrato, variaram significativamente em função do tempo de regeneração, exceto as proteínas do solo relacionadas à glomalina. Observou-se que a recuperação gradual da estrutura e do funcionamento microbiano do solo nas áreas estudadas vem ocorrendo ao longo do tempo. Os fragmentos inicial e intermediário estudados encontram-se em evolução na recuperação da qualidade do solo em direção ao estágio maduro, com tendência à estabilidade, enquanto o fragmento maduro apresenta comportamento microbiológico distinto das demais áreas, apresentando  boa resiliência. As florestas secundárias tropicais refletem seu potencial de armazenamento de carbono e previsão para outros serviços ecossistêmicos, necessitando de medidas urgentes de proteção.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - CAROLINA LINS E SILVA
Externo à Instituição - CARLOS ALBERTO FRAGOSO DE SOUZA
Presidente - 2130539 - LEONOR COSTA MAIA
Notícia cadastrada em: 28/11/2022 11:31
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa06.ufpe.br.sigaa06