PPGBF PROGRAMA DE POS-GRADUACAO EM BIOLOGIA DE FUNGOS - CB DEPARTAMENTO DE MICOLOGIA - CB Telefone/Ramal: (81) 9992-99039

Banca de DEFESA: GLÍCIA SILVA DE MORAES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GLÍCIA SILVA DE MORAES
DATA : 22/02/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

FILOGENIA E DIVERSIDADE DE Pseudoperonospora ASSOCIADA À CUCURBITACEAE EM DIFERENTES REGIÕES DO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

oomiceto; míldio; espécie críptica; ITS; cox2.


PÁGINAS: 45
RESUMO:

Dentre os gêneros de oomicetos causadores de míldios, Pseudoperonospora
se destaca devido ao impacto gerado na agricultura mundial. Uma das espécies mais
importantes desse gênero é a espécie Pseudoperonospora cubensis, conhecida por
causar o míldio das cucurbitáceas, doença relatada em aproximadamente 70 países
e que atinge culturas comerciais importantes da família Cucurbitaceae como o pepino
(Cucumis sativus), a melancia (Citrullus lanatus), as abóboras (Cucurbita máxima, C.
moschata e C. pepo) e o melão (Cucumis melo). Estudos sobre a diversidade e
filogenia de Pseudoperonopsora apontam que a epidemia que ocorreu em 2004 nos
EUA, e as epidemias em outras partes do mundo como Israel e parte da Europa,
podem estar relacionadas ao surgimento de uma nova espécie críptica de
Pseudoperonospora. O conhecimento sobre essa nova possível espécie é o ponto de
partida para o desenvolvimento de cultivares de cucurbitáceas resistentes e para o
manejo eficiente da doença. Portanto, o objetivo deste estudo foi determinar a
filogenia de Pseudoperonospora associada ao míldio das cucurbitáceas em áreas de
diferentes regiões do Brasil. Para isso, foram realizadas coletas de folhas com
sintomas de míldios em áreas de produção de Cucurbitáceas nos estados de
Pernambuco, Minas Gerais, Ceará, Goiás e no Distrito Federal. Para as análises
filogenéticas foi realizada a extração de DNA, depois as reações de PCR utilizando
primers DC-6 e LR-0; Cox2-F e Cox2-RC4; Ypt1F e Ypt4R, para amplificação da
região espaçador transcrito interno (ITS), da região mitocondrial citocromo c oxidase
subunidade II (cox2) e proteína relacionada a Ras (Ypt1), respectivamente. Os
produtos de PCR foram sequenciados e as sequências de nucleotídeos foram
analisadas, editadas e alinhadas para realização da análise filogenética de Inferência
Bayesiana (BI). Para análises morfológicas as estruturas do patógeno foram
montados em lactoglicerol para visualização em microscópio de luz e foram realizadas
30 medições de todos os caracteres morfológicos relevantes. Foram obtidas 36
amostras de DNA de Pseudoperonospora e o sequenciamento resultou em 26
sequencias da região Cox2 e 25 sequencias de ITS (totalizando 51 sequencias). As
análises filogenéticas das regiões genicas Cox2 e ITS foram realizadas
separadamente e em conjunto, o que gerou uma árvore filogenética de ITS que
apresentou um grande grupo monofilético com todos as amostras. Na análise
filogenética de sequências de Cox2 assim como na árvore concatenada (Cox2/ITS)

as amostras do presente estudo foram separadas em dois grupos. A existência
desses dois agrupamentos sugere que no Brasil ocorre diversidade filogenética entre
as linhagens de P. cubensis, reforçando a possibilidade de existirem espécies
crípticas causadoras do míldio das Cucurbitáceas. Porém as análises não apresentam
dados robustos o suficiente para a proposição de uma espécie críptica de P. cubensis.
Como consequência da intima relação filogenética existente nesse grupo são
necessárias análises de genes adicionais com alto sinal filogenético.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDRÉ ANGELO MEDEIROS GOMES
Presidente - 2266943 - ALEXANDRE REIS MACHADO
Interna - 1131234 - NEIVA TINTI DE OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 21/02/2022 13:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02