Banca de DEFESA: BRUNO AUGUSTO NOGUEIRA MONTEIRO PONTES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : BRUNO AUGUSTO NOGUEIRA MONTEIRO PONTES
DATA : 13/05/2022
HORA: 14:00
LOCAL: POR VIDEOCONFERENCIA
TÍTULO:

Título da tese: DO SOL E MAR À SOMBRA E ÁGUA FRESCA: RESSIGNIFICAÇÃO DE PRAIAS E DIREITO À SUSTENTABILIDADE.

 


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: Produção do espaço. Territorialidade. Racionalidade ambiental. Complexidade.


PÁGINAS: 100
RESUMO:

Título da tese: DO SOL E MAR À SOMBRA E ÁGUA FRESCA: RESSIGNIFICAÇÃO DE PRAIAS E DIREITO À SUSTENTABILIDADE.

 

RESUMO (preliminar):

 

A premência de dar força aos lugares, às políticas ambientais como forma de conter o avanço da degradação do ambiente e o recrudescimento das desigualdades socioespaciais, como também estimular discussões acerca da sustentabilidade de forma crítica, reflexiva e que considere a complexidade, instiga-nos a escrutinar as transformações, a ressignificação, por que passa o litoral sul do estado de Pernambuco. Desse modo, as praias do complexo Porto de Galinhas, em Ipojuca, as quais apresentam maior intensidade e dinamismo, quanto às atividades econômicas que pressionam e impactam negativamente o ambiente, são o recorte geográfico para as investigações em escala local. Para a análise de similaridades e distinções do fenômeno investigado, dialogicamente, em escala internacional foram realizadas pesquisas nas praias de Rimini, Itália. Para tanto, orientamo-nos pelas linhas de investigação do quadro teórico e do estudo empírico, assumindo uma postura metodológica balizada pela dialética e apoiada pelo paradigma da complexidade. Adotaram-se como questões referenciais e que problematizaram nossas apreensões: a quem interessa a ressignificação de praias? Quais as razões para desvirtuar o sentido das políticas ambientais e desconsiderar o direito à sustentabilidade? De qual sustentabilidade se fala e quais suas possibilidades diante das transformações das praias de Porto de Galinhas no litoral sul de PE? Nesse sentido, estabelecemos como objetivo geral do estudo analisar as ressignificações dos territórios de praia e o sentido de suas transformações para propor possibilidades de fortalecimento da territorialidade e do direito coletivo à sustentabilidade, na perspectiva da força do lugar. Isto, com o intuito de propor outras formas de pensar e agir ambientalmente, dando maior vigor às políticas ambientais, sobretudo, municipais, alvitrando planos e ações que contribuam para a governança. Para, destarte, robustecer gradualmente a construção de ambientes saudáveis fundamentada pelos territórios vividos e pelo direito à sustentabilidade.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1175169 - CLAUDIO JORGE MOURA DE CASTILHO
Interno - 1163025 - ITAMAR JOSE DIAS E CORDEIRO
Externa à Instituição - KATIELLE SUSANE DO NASCIMENTO SILVA
Externa à Instituição - MARIA DO CARMO ALBUQUERQUE BRAGA
Externa à Instituição - WILZA GOMES REIS LOPES - UFPI
Notícia cadastrada em: 26/04/2022 14:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01