Banca de QUALIFICAÇÃO: KESIA XISTO DA FONSECA RIBEIRO DE SENA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KESIA XISTO DA FONSECA RIBEIRO DE SENA
DATA : 11/05/2022
LOCAL: Sala 03 - Departamento de Antibióticos
TÍTULO:

ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DE DERIVADOS TIAZOLIDINA-2,4-DIONA E 4-TIOXOTIAZOLIDINA-2-ONA FRENTE A ISOLADOS CLÍNICOS DE Staphylococcus aureus RESISTENTES A MÚLTIPLAS DROGAS


PALAVRAS-CHAVES:

Biofilme, citotoxicidade, Caenorhabditis elegans


PÁGINAS: 136
RESUMO:

As tiazolidinas são compostos heterocíclicos com um anel saturado de 5 membros contendo um grupo tioéter e um grupo amina. Essas moléculas vêm despertando interesse por apresentarem atividade em vários alvos biológicos, principalmente antimicrobiana. As infecções relacionadas a assistência à saúde (IRAS) são frequentes e representam um grave problema de saúde mundial. Staphylococcus aureus é o patógeno humano mais comum e um dos principais agentes causadores de IRAS. Neste sentido, o trabalho teve como objetivo avaliar as atividades antimicrobiana e antibiofilme frente a isolados clínicos de Staphylococcus aureus resistente a múltiplas drogas de derivados de tiazolidina-2,4-diona e 4-tioxotiazolidina-2-ona, comparando os efeitos dessas duas séries análogas. Vinte isolados clínicos de S. aureus foram avaliados quanto a presença de genes de resistência aos antimicrobianos (vanA, mecA, norA e ermA) e a formação de biofilme. Foram determinadas as CMI e CMB, cinética de morte, atividade antibiofilme e atividade antimicrobiana in vivo dos derivados tiazolidínicos, bem como sua citotoxicidade. Os genes mecA, norA e ermA foram encontrados em 95%, 95% e 80% dos isolados clínicos de S. aureus, respectivamente. Nenhum dos isolados apresentou o gene vanA. Todos S. aureus foram formadores de biofilme, 85% deles classificados como fortemente aderentes. Os derivados mais ativos (1a, 2a e 2b) apresentaram CMI entre 1 e 16 µg/mL, com curvas de morte apresentando efeito bactericida até 24 h. Na atividade antibiofilme, os derivados mais ativos inibiram cerca de 90% da formação do biofilme. Os derivados de 4-tioxotiazolidina-2-ona foram mais ativos contra S. aureus planctônico, enquanto os derivados de tiazolidina-2,4-diona foram capazes de erradicar cerca de 50% do biofilme maduro. No modelo de infecção in vivo utilizando C. elegans, os derivados 1a, 2a e 2b aumentaram a sobrevida dos nematódeos de forma concentração-dependente. Nenhum dos derivados testados foi citotóxico (CI₅₀ > 100 μg/mL) para células mononucleadas de sangue periférico humano, mas apresentaram citotoxicidade moderada para fibroblastos L929. Somente o derivado 2b apresentou índice de seletividade maior que 10 para as duas células. Dessa forma, esses derivados são um arcabouço promissor para o desenvolvimento de novas drogas antimicrobianas.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1736206 - GLAUCIA MANOELLA DE SOUZA LIMA
Externa ao Programa - 1134731 - NORMA BUARQUE DE GUSMAO
Presidente - 1217065 - TERESINHA GONCALVES DA SILVA
Notícia cadastrada em: 05/05/2022 13:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02