Banca de DEFESA: POLYANNY LILIAN DO AMARAL BRAZ

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : POLYANNY LILIAN DO AMARAL BRAZ
DATA : 12/05/2022
HORA: 09:00
LOCAL: REMOTO
TÍTULO:

"Um lugar a ser conquistado". Uma análise antropológica das intersecções entre religião e gênero a partir da perspectiva de evangélicas feministas.


PALAVRAS-CHAVES:

Religião, Gênero, Feminismo, Evangélicas Feministas.


PÁGINAS: 327
RESUMO:

A presente tese busca analisar, sob o ponto de vista de evangélicas feministas, as interseções entre religião (protestantismo) e gênero (feminismo), avaliando a apropriação de ideias e ações das pautas feministas por mulheres evangélicas. Pressupomos que essa prática existe e se dá no cotidiano, na vivência religiosa dentro e fora das comunidades de fé destas mulheres que se afirmam como “evangélicas feministas”. Avançamos a partir da hipótese de que essa assimilação coopera para o desenvolvimento de certo comportamento crítico e reflexivo que interfere na vida prática religiosa destas mulheres e colabora para a construção do que chamamos de“ethos cristão feminista, que vai nacontramão do conservadorismo evangélico hegemônico. Observamoso aumento numérico e a crescente visibilidade de movimentos organizados de mulheres cristãs feministas e os impactos desses movimentos em umareconfiguração do campo evangélico brasileiro. Exemplo disso são os diversos grupos, organizações, instituições e coletivos, além de um campo em crescimento a teologia feminista , que se propõe a explorar as possibilidades de entrelaçamento entre a prática religiosa cristã protestante e a militância feminista,reconhecendo a situação de subalternidade da mulher dentro da igreja causada por uma interpretação bíblica patriarcal e machista. As mulheres cristãs feministas objetivam, dentre outras coisas, reinterpretar, à luz das questões de gênero, o discurso hegemônico produzido pela igreja. Para cumprir os objetivos propostos, foram feitos um levantamento das principais produções da Teologia Feminista, a análise de alguns textos produzidos por cristãs feministas e o acompanhamento de perto de um grupo de mulheres evangélicas feministas (o Coletivo Vozes Marias) nos encontros promovidos e em outros espaços a fim de analisar as questões descritas anteriormente. Dessa forma, nosso recorte empírico é dividido em três fontes principais: 1) a produção teológica feminista; 2) o discurso dito e escrito das cristãs feministas; e 3) o acompanhamento das atividades do Coletivo Vozes Marias, um coletivo independente sem fins lucrativos, composto demulheres evangélicascomprometidas com os princípios e valores do evangelho de Jesus Cristo e dedicadasaos estudos de Gênero.Entre as estratégias e técnicas metodológicas por meioda observação participante, etnografamos a apropriação e reprodução prática das teorias feministas na vida religiosa das mulheres evangélicas; mapeamos as redes de interação e articulação formadas pelas mulheres evangélicas que se identificam como feministas, abordamos os principais objetivos e atuações das evangélicas feministas; analisamos como as fiéis interpretam a produção teológica com respaldo feminista e como estas ideias se manifestam no discurso e na vivência prática religiosa. Assim, ao montar um quadro geral de dados quantitativos e qualitativos, foi possível observar as possíveis rupturas e continuidades das categorias analisadas, considerando a produção teórica já produzida pela Antropologia e por ciências afins, os dados coletados a partir das nossas interlocutoras e as interpretações realizadas a partir disso tudo.

 


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1996304 - FABIANA MAIZZA
Interna - 3199677 - MARION TEODOSIO DE QUADROS
Presidente - 1178503 - MISIA LINS VIEIRA REESINK
Externa à Instituição - PATRICIA BIRMAN
Externa à Instituição - ROZELI MARIA PORTO
Notícia cadastrada em: 06/05/2022 10:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01