Banca de DEFESA: LISMARIANE DA SILVA CARDOSO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LISMARIANE DA SILVA CARDOSO
DATA : 31/08/2022
HORA: 10:00
LOCAL: Virtual, integralmente por videoconferência.
TÍTULO:

VARIAÇÃO MORFODINÂMICA DA LINHA DE COSTA SETENTRIONAL E MERIDIONAL DO ARQUIPÉLAGO DE FERNANDO DE NORONHA, PE – BRASIL.


PALAVRAS-CHAVES:

Fernando de Noronha, linha de costa, progradação, retrogradação.


PÁGINAS: 96
RESUMO:

VARIAÇÃO MORFODINÂMICA DA LINHA DE COSTA SETENTRIONAL E MERIDIONAL DO ARQUIPÉLAGO DE FERNANDO DE NORONHA, PE – BRASIL
RESUMO
O Arquipélago de Fernando Noronha é formado por 21 ilhas, ilhotas e rochedos de origem vulcânica, ocupa uma área de 26 km2, desses, 17 km2 são da ilha principal “Fernando de Noronha”. Situada no Oceano Atlântico Sul equatorial, distando 545 quilômetros na direção NE da cidade do Recife (PE). Para sustentar o turismo crescente, Fernando de Noronha se desenvolve sacrificando, paradoxalmente, seu principal atrativo turístico, os recursos naturais. O complexo turístico emergente na ilha sofre com a ameaça de um colapso geral e já extrapolou em vários aspectos o nível de risco. O risco de esgotar seus atributos naturais nas próximas décadas se não adotar um modelo sustentável de desenvolvimento. O presente estudo visa um aprofundamento da variabilidade da linha de costa da ilha principal do Arquipélago de Fernando de Noronha, localizado no Estado de Pernambuco entre os anos 1997 e 2005, a fim de compreender e explicar a evolução espacial e temporal da linha de costa, relacionando-a com as características físicas do ambiente, e uma interação com os fatores morfodinâmicos. Para determinação da linha de costa foram utilizadas fotografias aéreas dos anos 1997 e 2005 obtidas junto a Fundação de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Recife – FIDEM, todas em formato digital, sendo as de 1997 ortofotocartas. A demarcação da linha de costa foi realizada por vetorização sobre as imagens do ano de 1997 e de 2005. Para esse levantamento foi considerado o limite superior do ambiente praial, ou seja, o contato entre o ambiente marinho e o terrestre, devido a não observação da linha da maré mais no ambiente. Entretanto, a linha foi definida através da presença da faixa arenosa nas imagens mais antiga. Tomou-se como base a linha mais antiga (1997) a fim de analisar a variação do deslocamento, e foi identificada por meio do cálculo das taxas m/ano de erosão e acresção através da ferramenta Digital Shoreline Analysis System (DSAS) integrada no programa ArcGis10.2.2, por meio de cálculos estatísticos. Para à análise das taxas de deslocamento da linha de costa foi levado em consideração a direção da costa e o seu posicionamento em relação aos hemisférios e o posicionamento na ilha, sendo classificadas em setores setentrionais e setores meridionais, levando-se em consideração a distribuição e a mudança da linha de costa, sendo essa constituída de praia arenosa (1997) e/ou da ausência dessa (2005). Dessa forma foram distribuídos 5 setores Meridionais e 5 setores Setentrionais. Os dados relacionados a velocidades e direção dos ventos e a precipitação foram obtidos no Banco de Dados do Sistema Nacional de Dados Ambientais (SINDA-INPE). O setor 1 Meridional está localizado no lado ocidental e meridional da ilha e possui uma direção leste – oeste, formado por uma praia arenosa, a faixa arenosa apresentou uma largura média de 105,4 m, com um comprimento de 727,8 m para o ano de 1997, porém para o ano de 2005 a praia obteve uma largura média de 88,3 m e um comprimento médio de 461,7 m, a variação da linha de costa entre 1997-2005 foi de -1,772 m/ano. O setor 2 Meridional está localizado no lado ocidental e meridional da ilha, entretanto com a direção do arco praial noroeste – sudeste, formado também por uma praia arenosa, que apresentou uma largura média de 13,7 m, com um comprimento de 225 m, para o ano de 1997, e entre o período de 1997-2005, a faixa praial não foi observada, a média da taxa de deslocamento foi de -1,31 m/ano. O setor 3 Meridional é formado por uma faixa de praia arenosa localizado também no lado ocidental e meridional da ilha, situado entre dois promontórios, com uma direção do arco praial leste – oeste, a faixa praial apresentou uma largura média de 56,9 m e um comprimento de 380,8 m observados durante o ano de 1997 e uma faixa de praia com 38,74 m, de largura e 366,8 m de comprimento para o ano de 2005, o deslocamento entre 1997 e 2005 a média da taxa foi de -0,933 m/ano. Setor 4 Meridional, também é formado por uma faixa de praia arenosa localizado na parte ocidental da ilha, seu o arco praial apresenta a direção norte – sul, a faixa de praia possui uma extensão média de 1.341,28 m e uma largura média de 46,98 m, para o ano de 1997 e entre 1997- 2005 não apresentou a faixa de praia. O setor 5 Meridional, localizado na parte oriental da ilha, possui uma orientação do arco praial leste – oeste, a faixa de praia possui uma extensão média de 131,88 m e uma largura média de 50,7 m, para o ano de 1997 e entre 1997- 2005, não apresentou a faixa de praia, e uma taxa de -3,682 m/ano. Para os setores Setentrionais, o setor 1 é formado por uma faixa arenosa, situado na parte ocidental da ilha, com o arco praial na orientação leste – oeste, a faixa praial apresentou uma largura média de 84,6 m e um comprimento de 771,3 m para o ano de 1997 e entre 1997 -2005, apresentou a faixa arenosa uma largura de 89,786 e 792,41 m de comprimento, a taxa média foi de -0,371 m/ano. O setor 2 Setentrional também se localiza na parte ocidental da ilha, formado por um pequeno trecho de faixa arenosa, com a orientação leste – oeste, a faixa praial teve uma largura média de 94,27 m, e um comprimento de 196,69 m para o ano de 1997 e entre o período de 1997-2005 a faixa de praia apresentou uma largura de 70,1 m e 189,36 m de comprimento, com uma taxa média de
-0,472 m/ano. O setor 3 Setentrional corresponde a uma faixa arenosa mais alongada, com uma orientação leste – oeste, a faixa arenosa para o ano de 1997 apresentou uma largura média de 107,8 m e um comprimento de 672,53 m e entre 1997 e 2005, o ambiente arenoso foi de 60 m para a largura da praia, e um comprimento de 581,14 m, e uma taxa média de -0,565 m/ano. O setor 4 Setentrional teve uma localização na parte oriental da ilha, devido o posicionamento ao leste da ilha, também é um setor representado por uma faixa arenosa mais alongada direcionada de leste - oeste, para o ano de 1997 a faixa arenosa obteve uma média 65,95 m de largura e de comprimento 911,39 m e entre 1997 a 2005 o ambiente arenoso foi de 46,91 m de largura e 397,87 m de comprimento, e o deslocamento médio foi de -1700 m/ano. O setor 5 Setentrional está situado na parte oriental da ilha, e corresponde a uma pequena enseada, com a orientação leste – oeste, a faixa arenosa para o ano de 1997 apresentou uma largura média de 87,87 m e de comprimento 227,41 m, e entre 1997-2005 apresentou uma largura média 44,33 m e 217,64 m de comprimento, o deslocamento médio da taxa foi de -1,237 m/ano. Em relação a mediana dos setores meridionais e setentrionais, a maior parte dos resultados apresentaram valores próximos da média. Para o desvio padrão, os maiores valores de dispersão dos dados foram observados nos setores 1 (3,381) e 4 meridionais (3,054) e no setor 5 Setentrional (2,097). Em relação as medias dos dados observados nas taxas de deslocamento, apenas o setor 4 Meridional apresentou uma média positiva entre todos os setores estudados. Os setores Meridionais e Setentrionais apresentaram retrogradação da linha de costa, exceto o setor 4 Meridional, entre 1997 a 2005, entretanto houve a retirada de sedimento, expondo a rocha abaixo desses.
Palavras Chaves: Fernando de Noronha, linha de costa, progradação, retrogradação.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - MARCIA CRISTINA DE SOUZA MATOS CARNEIRO - UFPE
Presidente - 178.326.404-72 - MARIA DAS NEVES GREGÓRIO - UFPE
Externo ao Programa - 1130631 - VALDIR DO AMARAL VAZ MANSO
Notícia cadastrada em: 24/08/2022 10:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01