PPGSOCIO PROGRAMA DE POS-GRADUACAO EM SOCIOLOGIA - CFCH DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA - CFCH Telefone/Ramal: Não informado
Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPE

2022
Dissertações
1
  • ITAMÁ WINICIUS DO NASCIMENTO SILVA
  • A COPA DO MUNDO DE 2014 EM PERNAMBUCO: UMA ANÁLISE DOS FAVORÁVEIS E CRÍTICOS AOS INTERESSES DA FIFA

  • Orientador : JOSIMAR JORGE VENTURA DE MORAIS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ARTUR FRAGOSO DE ALBUQUERQUE PERRUCI
  • JOSIMAR JORGE VENTURA DE MORAIS
  • RICARDO LUIZ DE LYRA SANTIAGO
  • Data: 24/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa busca analisar as narrativas envolvendo os polos discursivos em torno da realização da Copa do Mundo FIFA em Pernambuco. Considerando a Copa do Mundo como um megaevento esportivo de alcance mundial, pondero que existiram dois polos discursivos durante a preparação dessa competição: um polo defensor dos interesses da FIFA, aglutinando políticos, classe dominante local e multinacionais; e um polo crítico a esses interesses que é representado, neste trabalho, pelo Comitê Popular da Copa PE. As narrativas e suas representações são investigadas tomando como base matérias jornalísticas do Diario de Pernambuco, dentro de um recorte temporal que vai de outubro de 2007 a maio de 2013. Dentro dessa temporalidade, foi possível identificar uma representação hegemônica do polo discursivo favorável à ideia da Copa do Mundo como um investimento e, com isso, promotor de legados ao país-sede. Por outro lado, o polo discursivo crítico à realização do megaevento no estado, não foi devidamente representado nas matérias analisadas, sendo problematizado seu silenciamento. Por conta de tal silenciamento, analiso a narrativa desse polo crítico através de um dossiê produzido pelo citado Comitê Popular da Copa PE. O silenciamento dos críticos e a representação dos favoráveis em um tradicional e expressivo veículo de comunicação local, evidencia que a Copa do Mundo FIFA 2014 em Pernambuco reproduziu uma tendência nacional onde vários atores buscaram legitimar a maciça presença de dinheiro público na realização de um megaevento esportivo privado, aprofundando problemas estruturais do capitalismo dependente brasileiro.


  • Mostrar Abstract
  • Este trabalho tem o objetivo de contribuir teoricamente para a sociologia do futebol. Vários autores consolidaram a sociologia do futebol em temáticas que ligam esse esporte de massas à construção de uma identidade nacional brasileira. Porém, após a realização dos Jogos Pan-Americanos em 2007 na cidade do Rio de Janeiro, um conjunto de autores passou a refletir sobre os vários impactos dos megaeventos esportivos em suas cidades-sede. A realização da Copa do Mundo em 2014 e das Olimpíadas em 2016 acabou por desenvolver ainda mais esse assunto, que hoje detém produções relevantes a nível nacional.

                Além disso, esta pesquisa traz apontamentos para a teoria social brasileira ao se debruçar por problemas vivenciados no Brasil contemporâneo, sob a ótica da chamada teoria marxista da dependência. Em suma, tomando a noção de capitalismo dependente como base teórica, viso situar o debate sobre a realização da Copa do Mundo de 2014, dentro de uma literatura que considera os megaeventos esportivos como parte integrante do aprofundamento do desenvolvimento do subdesenvolvimento.

2
  • BRUNO LEONARDO RIBEIRO DE MELO
  • “DIREITAS” LGBTI: pluralidade política e identitária nas eleições 2020

  • Orientador : GUSTAVO GOMES DA COSTA SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GUSTAVO GOMES DA COSTA SANTOS
  • JOANILDO ALBUQUERQUE BURITY
  • RICHARD MISKOLCI ESCUDEIRO
  • Data: 24/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação investigou o processo de construção das identificações LGBTI+ associadas com as “direitas” e seus paradigmas de engajamento político, em especial no período eleitoral de 2020. Para materialização da investigação foram realizadas duas etapas, uma primeira de caráter quantitativo, onde construiu-se um breve panorama do perfil das candidaturas LGBTI+ de maneira mais ampla, e também do seu entrecruzamento com a “direita”. E outra de cunho qualitativo, onde foram analisadas as candidaturas de Dom Lancellotti (REPUBLICANOS-CE), Tiago Pavinatto (PATRIOTA-SP) e Fernando Holiday (PARTIDO NOVO-SP). Para instrumentalização das análises, foram operacionalizados conceitos da Sociologia Política, com ênfase na construção das “direitas” na política nacional e da Sociologia Digital, refletindo sobre a veiculação dessas “direitas” em uma nova esfera pública técnico-midiática. A partir dessa investigação, foi possível apontar um processo de pluralização dos sentidos do que é “ser de direita”, onde são feitos acionamentos diversos tanto das identificações sexuais, quanto das questões que se vinculam às ideologias políticas.


  • Mostrar Abstract
  • O presente trabalho objetivará a compreensão do processo de construção narrativa das identificações sexuais em ambientes conservadores e seus paradigmas de engajamento político. Essa compreensão será realizada por meio da coleta e análise de publicações feitas no período de campanha eleitoral de 2020, veiculados nas páginas dos candidatos Dom Lancellotti (REPUBLICANOS-CE), Tiago Pavinatto (PATRIOTA-SP) e Fernando Holiday (PARTIDO NOVO-SP), bem como a realização de entrevistas semiestruturadas com os atores em questão. Para instrumentalizar a análise, serão operacionalizados conceitos da sociologia política, com ênfase na construção múltipla dos conservadorismos e sua veiculação em ambiente digitais. Prezando-se que a observação desses atores conservadores poderá, sobretudo, identificar as múltiplas implicações e particularidades ocorridas na cisão entre os elementos que fragilmente unem neoconservadorismo e neoliberalismo. 

3
  • TAIRINE FERREIRA PIMENTEL
  • GÊNERO E RELIGIÃO: UMA ANÁLISE DA MOBILIZAÇÃO DA AGENDA DE GÊNERO POR ATORES RELIGIOSOS EM INSTITUIÇÕES ECUMÊNICAS

  • Orientador : JOANILDO ALBUQUERQUE BURITY
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOANILDO ALBUQUERQUE BURITY
  • REMO MUTZENBERG
  • TATIANE DOS SANTOS DUARTE
  • Data: 02/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem como objetivo analisar o surgimento do debate de gênero dentro das organizações ecumênicas brasileiras. Seu foco  principal é realizar uma pesquisa comparada entre três instituições que integram o movimento ecumênico no Brasil: a Fundação Luterana de Diaconia (Rio Grande do Sul), a Diaconia (Recife) e a Koinonia (Rio de Janeiro), atuantes na Sociedade Civil na garantia dos direitos da população em estado de vulnerabilidade social. Por meio delas, buscou-se analisar o surgimento da agenda de gênero dentro das suas ações institucionais, a fim de analisar o papel do movimento ecumênico na ampliação dos debates em torno de gênero na atualidade, em contextos religiosos. Assim, dentro desse universo, pretendeu-se, primeiramente, identificar as atividades de formação das três instituições no que se refere ao debate em torno da noção de gênero”; em seguida, investigou como a compreensão sobre a temática de gênero se apresenta mediante os discursos institucionais — oral e documental — de seus representantes; e, por último, analisou as contribuições dessas instituições para a equidade de gênero dentro do campo religioso.


  • Mostrar Abstract
  • Este estudo tem como objetivo analisar o surgimento do debate de gênero dentro das organizações ecumênicas brasileiras. Seu foco  principal é realizar uma pesquisa comparada entre três instituições que integram o movimento ecumênico no Brasil: a Fundação Luterana de Diaconia (Rio Grande do Sul), a Diaconia (Recife) e a Koinonia (Rio de Janeiro), atuantes na Sociedade Civil na garantia dos direitos da população em estado de vulnerabilidade social. Por meio delas, buscou-se analisar o surgimento da agenda de gênero dentro das suas ações institucionais, a fim de analisar o papel do movimento ecumênico na ampliação dos debates em torno de gênero na atualidade, em contextos religiosos. Assim, dentro desse universo, pretendeu-se, primeiramente, identificar as atividades de formação das três instituições no que se refere ao debate em torno da noção de gênero”; em seguida, investigou como a compreensão sobre a temática de gênero se apresenta mediante os discursos institucionais — oral e documental — de seus representantes; e, por último, analisou as contribuições dessas instituições para a equidade de gênero dentro do campo religioso.

4
  • DAVID FERREIRA DE ARAUJO
  • MAM-RJ como lugar de exibição e produção da arte contemporânea: Opinião 65 e o gesto político/poético de Hélio Oiticica

  • Orientador : PAULO MARCONDES FERREIRA SOARES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FLAVIO WEINSTEIN TEIXEIRA
  • JOANA D ARC DE SOUSA LIMA
  • JOSIMAR JORGE VENTURA DE MORAIS
  • PAULO MARCONDES FERREIRA SOARES
  • Data: 03/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação teve como objetivo compreender o conjunto de transformações pelo qual passou o campo artístico brasileiro em meados da década de 1960, atendo-se especificamente ao Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e a formação de um espaço de contemporaneidade no país. Quanto a isso, tive como foco principal a exibição dos Parangolés de Hélio Oiticica na exposição Opinião 65, que aconteceu no MAM-RJ. A escolha deste caso se deu diante da formação de uma nova sensibilidade e do avanço do experimentalismo artístico no país, nos quais corroboraram para uma arte coletiva-participativa, bem como por me permitir colocar em xeque o museu enquanto um espaço experimental e democrático. Diante disso, utilizei aqui a noção bourdieusiana de “Campo”, uma vez que me permitiu compreender o processo de autonomização do campo artístico brasileiro, bem como da concepção de “Pós-modernismo” do Andreas Huyssen, de modo a elucidar a formação de uma nova sensibilidade artística na referida década, e das contribuições do que mais tarde foi designado de “Nova Museologia”, por nos ajuda a pensar criticamente os espaços museais. Para tanto, foram realizados levantamentos bibliográficos e revisões da literatura, como também analisados documentos, jornais, dentre outros arquivos da época, a fim de melhor compreender o contexto sociopolítico e cultural e contemplar este objeto de estudo.


  • Mostrar Abstract
  • Levando em consideração esses aspectos, este projeto de dissertação tem como objetivo investigar como essas transformações ocorreram no campo artístico brasileiro em meados da década de 1960, atendo-se especificamente à formação e ao desenvolvimento da arte contemporânea e as suas diversas relações com as instituições museais. Nesse processo, pretendemos investigar a produção da arte contemporânea, bem como o campo museal brasileiro, a fim de evidenciar, sucessivamente, suas principais especificidades e configurações. Além disso, torna-se fundamental analisar também os impactos e contribuições da arte contemporânea sobre as instituições museais de modo a refletir sobre uma nova concepção de museu e de seus públicos frequentadores no país. Para tanto, este projeto terá como base uma pesquisa bibliográfica/documental que verse a respeito da temática, pautando-se em concepções como “campo”, de Pierre Bourdieu, a discussão sobre o “pós-modernismo”, de Andreas Huyssen, as contribuições da Nova Museologia e a concepção de “espectador emancipado”, do Jacques Rancière.

5
  • MARCELE DE MORAIS SILVA
  • TRANSFOBIA NO FEMINISMO RADICAL DE SEGUNDA ONDA? UMAANÁLISE DOS SEUS PRESSUPOSTOS MATERIALISTAS

  • Orientador : CYNTHIA DE CARVALHO LINS HAMLIN
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CYNTHIA DE CARVALHO LINS HAMLIN
  • GUSTAVO GOMES DA COSTA SANTOS
  • LADY SELMA FERREIRA ALBERNAZ
  • Data: 04/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • O problema de pesquisa que orientou esta dissertação surgiu a partir da observação de disputas de posicionamentos acerca da possibilidade de inclusão de mulheres trans, sendo a teoria feminista radical mobilizada como fundamento para justificar a sua exclusão. Partindo disso, meu objetivo foi compreender em que medida os pressupostos da teoria feminista radical, tanto de origem francesa quanto de origem estadunidense, fornecem sustentação para posicionamentos políticos trans-excludentes. Esse exercício exigiu uma atenção à influência do marxismo na formação dessa vertente, mais especificamente, aos “materialismos” que constituem essa tradição teórica. Tal influência pode ser ilustrada através de diferentes aspectos. Nesta dissertação, analisei três deles: o conceito de “sexo”, o de “classe sexual” e o de “patriarcado”. Essa análise permitiu perceber qual a relação entre o social e o natural que está implicada nos usos desses conceitos, consequentemente, indicando a possibilidade de posições “essencialistas” na teoria feminista radical que justificassem tais exclusões. Partindo da análise de autoras, como Shulamith Firestone, Kate Millet e Christine Delphy, argumento que, embora o conceito de sexo ocasionalmente assuma um sentido reducionista em algumas das autoras trabalhadas, dificilmente o uso deste conceito autorize posições transfóbicas.


  • Mostrar Abstract
  • O problema de pesquisa que orienta o presente projeto surge a partir das disputas de posicionamentos acerca da inclusão ou não de mulheres trans no campo feminista, sendo a teoria feminista radical mobilizada como fundamento para justificar a sua exclusão. Neste sentido, meu objetivo é compreender em que medida os pressupostos da teoria feminista radical, tanto de tradição francesa quanto de tradição anglo-saxã, fornecem sustentação para posicionamentos políticos trans-exclusivos. Considerando as divergências que marcam cada tradição, irei partir de uma seleção das suas principais representantes, como Christine Delphy e Shulamith Firestone, para, então, investigar os pressupostos de ordem ontológica e epistemológica que estão nas bases dos seus conceitos mais centrais, sendo eles os de diferença sexual, patriarcado e natureza humana. 

6
  • GUILHERME HENRIQUE FERREIRA PIMENTEL
  • QUANDO O PORÃO INVISÍVEL INVADE A SALA: O TESTEMUNHO DO PRESO POLÍTICO IGOR MENDES EM A PEQUENA PRISÃO

  • Orientador : ELIANE VERAS SOARES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADELIA MARIA MIGLIEVICH RIBEIRO
  • ELIANE VERAS SOARES
  • REMO MUTZENBERG
  • Data: 07/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Neste estudo proponho analisar a obra literária A pequena prisão (2017), escrita pelo geógrafo e ativista Igor Mendes. O autor em questão, quando ainda estava na graduação na UERJ, foi preso no dia 3 de dezembro de 2014 por não seguir uma medida cautelar: não participar de manifestações públicas. Preso por sete meses no Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio de Janeiro, Igor Mendes usa suas palavras como sobrevivência, resistência e solidariedade aos demais companheiros dos porões invisíveis. Em A pequena prisão, temos um testemunho que desnuda as contradições dos Três Poderes e revela o ambiente inóspito que é o porão  invisível da nossa sociedade, que busca formar cada vez mais corpos incircunscritos (CALDEIRA, 2000). Busquei responder como o testemunho elaborado em A pequena prisão é produzido e quais os problemas sociais e políticos que configuram a narrativa. Como os lugares de enunciação de vozes que sempre estiveram à margem dos processos histórico-sociais são reivindicados em A pequena prisão? Para chegar às respostas, correlacionei os conceitos de testemunho e testemunha (SALGUEIRO, 2018; SELIGMANN-SILVA, 2006; SILVA, 2008) com a violência perpetrada pelo estado autocrático (FERNANDES, 1976) a partir das contribuições teórico-metodológicas da Análise de Discurso Crítica (FAIRCLOUGH, 2001).


  • Mostrar Abstract
  • No projeto a seguir proponho analisar a obra literária A pequena prisão (2017), escrita pelo geógrafo e ativista Igor Mendes. O autor em questão, quando ainda estava na graduação na UERJ foi preso no dia 3 de dezembro de 2014 por não seguir uma medida cautelar: não participar de manifestações públicas. Preso por sete meses no Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio de Janeiro, Igor Mendes usa suas palavras como sobrevivência, resistência e solidariedade aos demais companheiros dos porões invisíveis. Em A pequena prisão, temos um testemunho que desnuda as contradições dos Três Poderes e revela o ambiente inóspito que é o porão invisível da nossa sociedade. Como a narrativa de Igor Mendes problematiza questões fundamentais da nossa sociedade? O autor estabelece um elo entre o coletivo e o individual? Mendes nos faz questionar se o Estado Democrático de Direito proposto na Constituição de 1988 avança em passos largos em direção a um Estado Policial (FOUCAULT, 2008) mais endurecido, ou Estado de exceção (AGAMBEN, 2004). Considerando A pequena prisão como um testemunho (GINZBURG, 2008; SELIGMANN-SILVA, 2006; SILVA, 2008) pretendo averiguar, também, como a violência e o estado autocrático (FERNANDES, 1976) presentes na nossa sociedade podem ser visualizados na narrativa a partir das contribuições teórico-metodológicas da Análise de Discurso Crítica (FAIRCLOUGH, 2001).

7
  • ANA PATRICIA DE MELO BRAGA
  • A MULHER CAMPONESA E A AGROECOLOGIA: CAMINHOS E DESAFIOS NA BUSCA POR AUTONOMIA

  • Orientador : JOSEFA SALETE BARBOSA CAVALCANTI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOSEFA SALETE BARBOSA CAVALCANTI
  • MARIA LUIZA LINS E SILVA PIRES
  • RUSSELL PARRY SCOTT
  • Data: 22/06/2022
    Ata de defesa assinada:

  • Mostrar Resumo
  • A agroecologia vem se estabelecendo, especialmente no Brasil, como um importante contramovimento agrário frente à hegemonia agroindustrial. Nos últimos anos, muito vem se falando sobre o protagonismo feminino na agroecologia, consequentemente observa-se um aumento de ações políticas e sociais que fortalecem as mulheres camponesas na busca de sua autonomia e direitos políticos. Essa relação, no entanto, não surgiu de uma forma direta, pelo contrário, parte de um olhar crítico das relações de gênero e de trabalho familiar na produção de alimentos agroecológicos e de um aumento do comprometimento político social dos movimentos sociais rurais com a diminuição das desigualdades e violência de gênero no campo. Esta dissertação teve por objetivo investigar a relação da mulher campesina com a agroecologia e como essa relação se associa na construção de suas identidades camponesas, percebendo, em especial, sua influência na estruturação do trabalho familiar e nos papéis de gênero. De modo consequente, destacamos as dificuldades enfrentadas pelas mulheres rurais, principalmente no momento atual de pandemia, para o fortalecimento do seu trabalho, de sua autonomia e de suas lutas. A pesquisa foi desenvolvida durante os anos de 2019 a 2022, em espaços da agricultura familiar no Estado de Pernambuco
    focalizando a participação das mulheres nas associações, sindicatos e movimentos sociais rurais.


  • Mostrar Abstract
  • O presente trabalho tem por objetivo investigar a relação da mulher campesina com a agroecologia e como essa relação se associa na construção de suas identidades camponesas, percebendo especialmente como atua na estruturação do trabalho familiar e nos papéis de gênero. A pesquisa será desenvolvida em espaços da agricultura familiar no Estado de Pernambuco, focalizando a participação das mulheres nas associações, sindicatos e movimentos sociais rurais.

8
  • JESSICA JAMILLE FERREIRA DA COSTA
  • Crespa ou cacho perfeito? Limites e possibilidades da apropriação de discursos sobre o processo de transição capilar pelo mercado de cosméticos

  • Orientador : GUSTAVO GOMES DA COSTA SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DAYSE CABRAL DE MOURA
  • FRANCISCO JATOBA DE ANDRADE
  • GUSTAVO GOMES DA COSTA SANTOS
  • Data: 30/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste projeto de pesquisa é analisar os limites e as possibilidades, da absorção por parte do mercado de cosméticos das pautas étnico-raciais em suas propagandas e produtos. O foco da investigação será o processo de transição capilar entendido como o retorno ao uso do cabelo natural crespo e cacheado. Através da maior visibilidade que o fenômeno da transição capilar ganhou nos últimos anos, podemos observar uma ampliação no número de linhas de cosméticos voltados para o público que possui o cabelo crespo ou cacheado, além de maiores
    inserções publicitárias. Nesse sentido, buscamos compreender, a partir do processo de transição capilar, quais são os fatores reativos na incorporação do discurso de aceitação do cabelo natural por parte do mercado de cosméticos na produção de novos padrões estéticos e de hierarquização dos tipos de cachos. Ao mesmo tempo, a pesquisa busca entender os aspectos positivos do investimento nesse nicho consumidor por parte das empresas de cosméticos e como a transição capilar pode contribuir para uma construção da identidade negra e seus impactos quanto ao gênero. Também procuraremos verificar o discurso empregado por estas empresas nos produtos vinculados à transição capilar e o papel desempenhado por influenciadoras digitais nesse contexto.


  • Mostrar Abstract
  • O objetivo deste projeto de pesquisa é analisar os limites e as possibilidades, da absorção por parte do mercado de cosméticos das pautas étnico-raciais em suas propagandas e produtos. O foco da investigação será o processo de transição capilar entendido como o retorno ao uso do cabelo natural crespo e cacheado. Através da maior visibilidade que o fenômeno da transição capilar ganhou nos últimos anos, podemos observar uma ampliação no número de linhas de cosméticos voltados para o público que possui o cabelo crespo ou cacheado, além de maiores
    inserções publicitárias. Nesse sentido, buscamos compreender, a partir do processo de transição capilar, quais são os fatores reativos na incorporação do discurso de aceitação do cabelo natural por parte do mercado de cosméticos na produção de novos padrões estéticos e de hierarquização dos tipos de cachos. Ao mesmo tempo, a pesquisa busca entender os aspectos positivos do investimento nesse nicho consumidor por parte das empresas de cosméticos e como a transição capilar pode contribuir para uma construção da identidade negra e seus impactos quanto ao gênero. Também procuraremos verificar o discurso empregado por estas empresas nos produtos vinculados à transição capilar e o papel desempenhado por influenciadoras digitais nesse contexto.

Teses
1
  • NIDO FARIAS DOS SANTOS
  • Diversão e lutas por valor humano: os circuitos periféricos de som automotivo em cidades alagoanas

  • Orientador : PAULO MARCONDES FERREIRA SOARES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FERNANDO DE JESUS RODRIGUES
  • JOSIMAR JORGE VENTURA DE MORAIS
  • MARIA EDUARDA DA MOTA ROCHA
  • PAULA MANUELLA SILVA DE SANTANA
  • PAULO MARCONDES FERREIRA SOARES
  • Data: 17/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho objetiva compreender que dinâmicas sociais estão na base das tensões que rodeiam o som automotivo como práticas de diversão em cidades alagoanas. Ele marca uma continuidade com a pesquisa que realizei em periferias de uma cidade do interior do estado cujo fim era investigar conflitos em torno de equipamentos sonoros potentes nos bairros residenciais. O problema que liga a pesquisa anterior ao propósito desta tese é que tais práticas haviam surgido em interdependência com circuitos interurbanos de encontros, competições e festas de som automotivo, entre eles os populares paredões de som. Considero a compreensão dessa rede de espaços criada pelos percursos de amantes de som necessária, desde que sua emergência, forma e alcance em Alagoas encontram paralelo nos conflitos e em ações de controle e repressão. Trato, assim, alguns desses espaços como um ponto de partida privilegiado para reconstruir aspectos da figuração das cidades alagoanas que tornou o som automotivo uma “questão de ordem”. Retomo, para tanto, o empreendimento histórico-etnográfico inicial lançado, dessa vez, sobre espaços de competições e festas em outras cidades alagoanas, expandindo as cartografias dos amantes de som para as redes sociais. Além destas consistirem em espaços reais de encontros, ajudaram a contornar o desenho dos circuitos nos últimos 20 anos. Da mesma forma me serviram matérias da mídia jornalística eletrônica, sujeitas a um tratamento discursivo, cuja finalidade é definir o entrelaçamento de redes de estigmatização, controle e repressão e as práticas do som automotivo ao longo do tempo no estado. O trabalho diz respeito a lutas pela redefinição do status humano de amantes de som de distintas origens sociais na esteira do processo de reorganização das cidades alagoanas como parques de lazer e de consumo. Trata-se de considerar de que maneira a economia e a cultura da diversão orientam esses atores como polo crescente de valor e legitimação nas periferias urbanas. O argumento central que pretendo desenvolver é que na raiz dos conflitos urbanos, muito além da “questão de polícia”, estão lutas simbólicas internas entre amantes de som e destes com outros setores que integram uma rede de produção discursiva estigmatizadora. Por um lado, as lutas giram em torno da construção de uma imagem de superioridade econômica e masculina, que se traduz em um estilo de vida festeiro, por frações do empresariado urbano de serviços e de seu choque com ideais de outros atores coletivos. Por outro, dão forma a canais de busca por valor humano usados por atores de periferias, o que coloca pequenos proprietários ou instaladores de som em busca de reconhecimento por qualidades sentidas como únicas. O valor como indivíduo ascende com relativa autonomia em relação à dominação simbólica dos paredões de som. Ambas as faces das lutas sociais fornecem elementos para a compreensão da reprodução ampliada dos conflitos como consequências não planejadas da busca individual e coletiva por reconhecimento social.


     


  • Mostrar Abstract
  • Este projeto de tese de doutorado busca dar continuidade a minha pesquisa de mestrado em que investiguei tensões sociais nas periferias de São Miguel dos Campos[1], Alagoas, geradas a partir da emergência de práticas de lazer que se desenvolvem em torno de equipamentos sonoros potentes chamados paredões de som. Percebendo o fenômeno como marco de mudanças recentes nas dinâmicas socioespaciais de diversão em diversas cidades do estado, esta proposta de pesquisa se lança à compreensão do redimensionamento espacial e simbólico do lazer popular através da formação de um circuito interurbano de sociabilidades que integra a produção, consumo e divertimento em torno de paredões de som. O trabalho busca compreender o reencaixe entre espaço e práticas de diversão de populares sugerido pela compreensão, ainda que parcial, do processo de urbanização e da crescente mediação do mercado de bens culturais na satisfação das suas carências de diversão nos últimos 30 anos em Alagoas, em que São Miguel oferece um ponto de partida. 


     

2021
Dissertações
1
  • CLARA DE LIMA HORDONHO
  • Desigualdade de status sócio-ocupacional: um estudo de realização de status entre estudantes do ensino superior brasileiro

  • Orientador : FRANCISCO JATOBA DE ANDRADE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FRANCISCO JATOBA DE ANDRADE
  • REMO MUTZENBERG
  • SIDARTHA SORIA E SILVA
  • Data: 23/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo investigar os efeitos do background social no processo de realização de status sócio-ocupacional entre estudantes do ensino superior brasileiro, com enfoque nos adeptos de ações afirmativas, dos anos de 2017 a 2019, mediante o uso de um modelo de regressão linear múltipla e dados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE). Através da abordagem da realização de status e com o uso da escala métrica internacional ISEI, determinadas variáveis do background social do aluno foram testadas, com intuito de verificar o nível de influência delas na escolha do curso superior pelos estudantes, tendo em vista as desigualdades de oportunidades educacionais (DOE) apontadas por Carlos Antonio Ribeiro e Sérgio Costa Ribeiro. Como resultados, apontam-se a situação de trabalho, o sexo e o tipo de escola de ensino médio dos estudantes como as características mais impactantes no status sócio-ocupacional deles.

     


  • Mostrar Abstract
  • Essa pesquisa tem como objetivo analisar a mobilidade social dos estudantes da Universidade Federal de Pernambuco dos anos de 2017 e 2018, com enfoque nos estudantes cotistas. O intuito é investigar possíveis heterogeneidades nos fluxos de mobilidade dos estudantes cotistas comparado aos não cotistas. Através da abordagem da mobilidade como fluxos contínuos de status sócio-ocupacional, utilizaremos o International Socio-Economic Index of occupational status (ISEI) de Ganzeboom (1996) para medir sua movimentação na estrutura ocupacional brasileira. Nos basearemos nos estudos clássicos da mobilidade social brasileira, com autores como Pastore, Scalon, Ribeiro etc., considerando a educação como mola propulsora da ascensão social.

     

2
  • CECY EMANUELLA BEZERRA DE MELO
  • TORNAR-SE DIARISTA: A PERCEPÇÃO DAS EMPREGADAS DOMÉSTICAS SOBRE SEU TRABALHO EM REGIME DE DIÁRIAS. 

  • Orientador : CYNTHIA DE CARVALHO LINS HAMLIN
  • MEMBROS DA BANCA :
  • THAYS ALMEIDA MONTICELLI
  • CYNTHIA DE CARVALHO LINS HAMLIN
  • JOSEFA SALETE BARBOSA CAVALCANTI
  • Data: 14/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Resumo: Ao analisar o emprego doméstico no Brasil nos últimos anos, duas mudanças se sobressaem: grandes conquistas de direitos trabalhistas e previdenciários e o aumento contínuo do número das trabalhadoras domésticas diaristas. Em conjunto com esse avanço na legislação trabalhista do trabalho doméstico remunerado, houve um realinhamento cada vez mais claro de quem faz parte constitucionalmente do emprego doméstico. Como consequência, o grupo de domésticas que exerce seu trabalho em regime de diárias foi deixado à margem dos direitos trabalhistas e previdenciários conquistados, restringindo essa conquista apenas para as domésticas mensalistas. Diante desse cenário, as diaristas se encontram na informalidade com sustentáculo constitucional, contudo, apresentam um maior autogerenciamento do seu trabalho em comparação às mensalistas, por não apresentarem vínculos empregatícios com apenas um domicílio. Essa pesquisa pretende entender o fenômeno da diarização do emprego doméstico no Brasil a partir da percepção das diaristas sobre seu trabalho no emprego doméstico. Portanto, o problema que proponho investigar consegue apresentar-se na seguinte pergunta: qual a percepção que as diaristas têm sobre o próprio trabalho doméstico em regime de diárias? Para responder tal problema, utilizarei o método qualitativo de entrevista narrativa e me fundamentarei na produção das teorias feministas de influência marxista. A escolha desse marco teórico ocorre em razão do trabalho dessas autoras apresentarem a centralidade do trabalho doméstico em suas análises, demonstrando que é um trabalho invisibilizado, mas essencial para o funcionamento da sociedade. 


  • Mostrar Abstract
  • Resumo: Ao analisar o emprego doméstico no Brasil nos últimos anos, duas mudanças se sobressaem: grandes conquistas de direitos trabalhistas e previdenciários e o aumento contínuo do número das trabalhadoras domésticas diaristas. Em conjunto com esse avanço na legislação trabalhista do trabalho doméstico remunerado, houve um realinhamento cada vez mais claro de quem faz parte constitucionalmente do emprego doméstico. Como consequência, o grupo de domésticas que exerce seu trabalho em regime de diárias foi deixado à margem dos direitos trabalhistas e previdenciários conquistados, restringindo essa conquista apenas para as domésticas mensalistas. Diante desse cenário, as diaristas se encontram na informalidade com sustentáculo constitucional, contudo, apresentam um maior autogerenciamento do seu trabalho em comparação às mensalistas, por não apresentarem vínculos empregatícios com apenas um domicílio. Essa pesquisa pretende entender o fenômeno da diarização do emprego doméstico no Brasil a partir da percepção das diaristas sobre seu trabalho no emprego doméstico. Portanto, o problema que proponho investigar consegue apresentar-se na seguinte pergunta: qual a percepção que as diaristas têm sobre o próprio trabalho doméstico em regime de diárias? Para responder tal problema, utilizarei o método qualitativo de entrevista narrativa e me fundamentarei na produção das teorias feministas de influência marxista. A escolha desse marco teórico ocorre em razão do trabalho dessas autoras apresentarem a centralidade do trabalho doméstico em suas análises, demonstrando que é um trabalho invisibilizado, mas essencial para o funcionamento da sociedade. 

Teses
1
  • RAUL VINICIUS ARAUJO LIMA
  • AUTOFORMAÇÃO E RESISTÊNCIA: A PRÁTICA AUDIOVISUAL ESCOLAR ENQUANTO CUIDADO DE SI

  • Orientador : ARTUR FRAGOSO DE ALBUQUERQUE PERRUCI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALEXANDRE SIMAO DE FREITAS
  • ALEXANDRE ZARIAS
  • ARTUR FRAGOSO DE ALBUQUERQUE PERRUCI
  • JONATAS FERREIRA
  • MARIA THEREZA DIDIER DE MORAES
  • Data: 30/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • A construção dos processos subjetivos que se desenrola através das variadas práticas sociais é de uma importância fundamental para os estudos sociológicos. Uma das práticas mais revisitadas são aquelas desenvolvidas dentro do espaço escolar. Neste sentido, tomamos como objetivo de pesquisa investigar a fabricação da vida, enquanto prática criativa, política, pedagógica, ética e estética, a partir da produção de curtas-metragens escolares realizados por alunas e alunos do Ensino Médio do Colégio de Aplicação da UFPE no ano de 2019, dentro do projeto BioQuimiCurta. Para tal, adotamos como fundamento metodológico o antagonismo de estratégias foucaultiano, mecanismo de análise que leva em consideração as lutas travadas pelos sujeitos contra aquilo que tenta limitar suas experiências de vida. A aplicação desse mecanismo só foi possível por recorrermos aos desdobramentos do dispositivo pedagógico elaborado por Jorge Larrosa em relação às influências que as práticas educacionais podem gerar sobre os sujeitos. Para realizar a coleta dos dados foi necessário acompanhar, durante todo o primeiro semestre, as gravações, as aulas de português e de teoria do cinema, entrevistar alunos e alunas, investigar os documentos institucionais a respeito da presença do cinema na escola, e assistir aos filmes para ligá-los aos seus processos de produção. Destacamos dois elementos dentre os processos de subjetivação: a autoformação e a resistência. Esses pressupostos teóricos e analíticos referem-se à abordagem que Michel Foucault elabora acerca da prática do cuidado de si, voltado a compreender como a vida pode ser produzida como uma obra de arte, delimitada por determinadas técnicas. A autoformação aparece como o exercício de reflexão do sujeito sobre si mesmo, tendo em vista os conhecimentos, as normas e o outro com quem entra em contato; já a resistência surge como uma prática crítica sobre aquilo que visa tolher as possibilidades de criação dessa vida. Encontramos dois modos de existência em disputa nas práticas escolares: os modos competitivos, promovidos por uma governamentalidade neoliberal, e os modos cooperativos, pautados por uma ética da amizade. Deparamo-nos com duas formas de encarar sensivelmente os pressupostos e técnicas cinematográficas, atreladas a esses modos e que foram observadas através das perspectivas de Jacques Rancière em relação ao mundo da arte. A primeira forma de partilha do sensível é a que estabelece hierarquias entre os jeitos de experienciar a arte, proporcionada, principalmente, pelo regime representativo; a segunda é aquela em que as experiências fazem-se abertas, tanto para a criação quanto para a experiência do espectador, ambas exercidas pelo regime estético da arte. O que foi possível observar de todos esses encontros é que os modos de vida intercruzam-se, disputam espaços e influências sobre os processos subjetivos que surgem dos contatos, desde o assistir filmes na infância até as produções. Se a competição e a busca pela premiação tornam-se elementos das práticas, a ética da amizade surge como contraponto. No limite, é a resistência enquanto exercício constante que cria o elo entre a estética da existência e a experiência estética dos alunos e das alunas.


  • Mostrar Abstract
  • Esta pesquisa tem como objetivo principal investigar a possibilidade da prática
    audiovisual escolar se configurar enquanto cuidado de si, mais especificamente, estando este
    último conceito assentado na acepção de Michel Foucault, ele apresenta duas particularidades,
    quais sejam, a autoformação e a resistência, que são exercidas por sujeitos acerca das relações
    de poder nas quais estão inseridos, e que possivelmente contribuem na construção de novos
    modos de agir e refletir sobre si, e sobre o mundo social. Tal análise será realizada com a
    investigação das práticas cinematográficas dos alunos e das alunas de Ensino Médio de três
    escolas localizadas na cidade do Recife. Duas escolas da rede estadual de educação de
    Pernambuco, O EREM Olinto Victor e o EREM Cândido Duarte. E também serão
    investigadas as atividades realizadas no Colégio de Aplicação da UFPE. Para coleta dos dados
    serão realizadas entrevistas semiestruturadas com discentes, acompanhamento das práticas
    escolares cinematográficas e análises dos documentos institucionais que promovem diretrizes
    para a junção entre educação e cultura. A abordagem metodológica da pesquisa estará
    fundamentada nos pressupostos do antagonismo de estratégias, conceito este que exprime
    uma técnica foucaultiana para pensar e refletir sobre as relações de poder a partir de
    elementos não hegemônicos.

2020
Dissertações
1
  • LAIS CAMPOS CASADO
  • PÂNICO MORAL E SEUS PROFETAS: a moralização do projeto “Escola Sem Homofobia” nas eleições presidenciais

    de 2018”

  • Orientador : GUSTAVO GOMES DA COSTA SANTOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GUSTAVO GOMES DA COSTA SANTOS
  • ARTUR FRAGOSO DE ALBUQUERQUE PERRUCI
  • RAFAEL DIAS TOITIO
  • Data: 08/10/2020

  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação analisa as condições de possibilidade do pânico moral em torno do
    projeto do Governo Federal Escola Sem Homofobia, pejorativamente nomeado de “Kit Gay”
    nas eleições presidenciais de 2018 no Brasil. Ao enquadrar conceitualmente o “Kit Gay”
    como elemento central no pânico moral foi estabelecido dois passos metodológicos.
    Primeiramente foram identificados os dois pastores evangélicos que possuem um alto número
    de seguidores e vasta repercussão nas redes sociais, considerados como “influenciadores
    espirituais”. Esses atores são tipificados como empreendedores da moral que produzem e
    reproduzem informações sobre o pânico. Em segundo lugar, foram selecionados dois websites
    direcionados ao público evangélico, de forma a identificar a construção do consenso em torno
    do pânico moral. Por fim, analisamos em que medida o “Kit Gay” contempla os cinco
    indicadores de um pânico moral (preocupação, consenso, hostilidade, desproporcionalidade e
    volatilidade), analisando a frequência e o conteúdo das postagens dos atores selecionados no
    processo eleitoral de 2018.

  • Mostrar Abstract
  • O presente projeto de pesquisa propõe analisar a instrumentalização do projeto do

    Governo Federal Escola Sem Homofobia, pejorativamente nomeado de “Kit Gay” nas
    eleições presidenciais de 2018 no Brasil. Por instrumentalização, se refere à construção de
    um enquadramento (framing) de ação coletiva na qual o projeto do governo federal Escola
    sem Homofobia se converte em elemento central da retórica política do candidato Jair
    Bolsonaro de forma a capitalizar votos no campo conservador nacional. O trabalho
    pretende analisar como o “kit gay” foi politicamente utilizado na construção de um pânico
    moral em torno das pautas de direitos da população LGBT. Analisando papel dos atores
    socais envolvidos na construção desse pânico e suas interações nas redes sociais. O projeto
    propõe analisar dados de redes sociais e plataformas jornalísticas durante o processo
    eleitoral de 2018. O Processo de análise se fundamentará ao reconstruir temporalmente a
    instrumentalização qual transparece a manipulação do “kit gay”.

2019
Dissertações
1
  • RAFAEL SOARES RIBEIRO
  • METROSHOPPING: UMA ETNOGRAFIA SOBRE OS AMBULANTES DO METRÔ DO RECIFE

  • Orientador : BRENO AUGUSTO SOUTO MAIOR FONTES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • BRENO AUGUSTO SOUTO MAIOR FONTES
  • FRANCISCO JATOBA DE ANDRADE
  • FRANCISCO SA BARRETO DOS SANTOS
  • Data: 27/06/2019

  • Mostrar Resumo
  • A cada dia o comércio informal cresce exponencialmente no Brasil. Este cenário configura-se como não-opcional para uma grande parcela da população mais pobre do país, também como uma saída de emergência a centenas de pessoas desempregadas ou em desalento. Recentemente, os complexos metroviários se tornaram um espaço frutífero para a atividade ambulante. Desde quiosques montados próximos das plataformas, até vendedores ambulantes que percorrem a extensão do transporte e das plataformas vendendo suas mercadorias. São Paulo, Rio de Janeiro, Buenos Aires e Recife retratam os diferentes tipos de comércio dentro das estações de metrô. Tendo em vista este cenário, o objetivo dessa pesquisa foi observar, descrever, analisar e interpretar os arranjos da estrutura social construída pelos ambulantes que atuam no sistema metroviário do Recife. Estudamos os sentidos das ações do ambulante na estrutura, procuramos ressaltar as atuações, as performances e suas estratégias nas ações econômicas destes atores em seu campo de atuação.


  • Mostrar Abstract
  • A cada dia o comércio informal cresce exponencialmente, configurando-se como uma válvula de escape e uma saída de emergência a centenas de pessoas desempregadas, ou para aquelas que não se enquadram com as exigências do mercado formal e para outras que optam por uma via de empreendedorismo. Recentemente, os complexos metroviários se tornaram um espaço frutífero para estes trabalhadores. Esta forma de comércio varia de quiosques montados próximos das plataformas, até vendedores ambulantes que percorrem a extensão do transporte e das plataformas vendendo suas mercadorias. São Paulo, Rio de Janeiro, Buenos Aires e Recife retratam os diferentes tipos de comércio dentro das estações de metrô. Tendo em vista este cenário, o objetivo desta pesquisa é observar, descrever e interpretar os arranjos sociais e as atuações dos ambulantes nas estações de metrô do sistema metroviário do Recife, tendo como ponto de vista seus agentes e as sociabilidades que estes desenvolvem a partir das interações cotidianas.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02