Banca de DEFESA: ANALIZA CRISTINA FAGUNDES LEITE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANALIZA CRISTINA FAGUNDES LEITE
DATA : 13/06/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Pós-Graduação em Engenharia Civil on line
TÍTULO:

Viabilidade de Projeto Piloto de Reúso de Efluente para Redução de Custo Operacional (OPEX)


PALAVRAS-CHAVES:

Estação de tratamento de esgoto. Reuso de efluente. Desobstrução. Custo Operacional


PÁGINAS: 67
RESUMO:

A água é um bem essencial para a vida de qualquer ser humano. O seu uso em desobstruções de rede de esgotamento sanitário é uma prática comum no Brasil. Por isso são necessárias soluções para que a água potável não seja utilizada para esse fim, pois a mesma deve ser reservada para usos mais nobres, não sendo interessante sua utilização em manutenções de rede coletora de esgoto. O objetivo deste trabalho foi a criação de um projeto piloto para utilização do reuso de efluente em serviços de desobstruções em rede de esgoto. Foram estimados dados no projeto piloto, sendo o mesmo projetado para atender as legislações CONAMA 430/2011 e CPRH NT Nº 2002 e Nº 2007*, vigente no estado de Pernambuco, de forma que o efluente seja enquadrado como Classe 2 de água de reuso. A partir dos parâmetros estipulados no projeto piloto e com os dados obtidos de eficiência da ETE Centro Petrolina (ETE existente), foi verificada se a unidade se enquadrava para utilização do reuso do efluente em desobstruções no município de Petrolina. Após a verificação da viabilidade da ETE de estudo e com os dados de extravasamentos obtidos do SNIS entre os anos de 2016 e 2019, obteve-se que o custo de água potável em serviços de desobstruções nesses 4 anos foi de aproximadamente R$873.784,00, o que tornou viável a utilização do reuso de esgoto tratado, pois o custo de implantação foi de aproximadamente R$ 44.000,00. Também foi demonstrado que se o município de Petrolina tivesse optado pelo reuso de efluente de 2016 a 2019, haveria disponibilidade hídrica mensal para abastecimento de 280 residências na região. Foram também elencados os benefícios ambientais da água de reuso, assim como os incentivos fiscais e melhoria da imagem institucional para as empresas que aderem a essa alternativa. Em síntese o estudo foi satisfatório para a utilização do reuso de efluente em desobstruções de rede de esgoto, contribuindo assim para que outras unidades adotem essa alternativa para redução do seu custo operacional e para viabilizarem a utilização da água para fins nobres, como abastecimento da população.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 1061125 - ELIZABETH AMARAL PASTICH GONCALVES
Externo ao Programa - 3141471 - FABRICIO MOTTERAN
Presidente - 2193972 - LEIDJANE MARIA MACIEL DE OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 26/05/2022 08:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01