Banca de DEFESA: JESSICA BORBA QUINTELA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JESSICA BORBA QUINTELA DOS SANTOS
DATA : 17/06/2021
HORA: 09:00
LOCAL: meet.google.com/rwm-irxp-vkr
TÍTULO:

IDENTIFICAÇÃO DE ESTOQUES DO ARIOCÓ (Lutjanus synagris) NO OCEANO ATLÂNTICO SUL OCIDENTAL


PALAVRAS-CHAVES:

Análise de Fourier Elíptica. Grandes Ecossistemas Marinhos. Ecorregiões Marinhas. Gestão pesqueira. Lutjanidae.


PÁGINAS: 78
RESUMO:

Avaliações de estoque formam a base para o manejo pesqueiro eficiente. Em muitas regiões, entretanto, essas avaliações esbarram na falta de dados sobre a estrutura dos estoques pesqueiros das principais espécies exploradas comercialmente. No Oceano Atlântico Sul Ocidental, a pescaria do Ariocó (Lutjanus synagris) tem se intensificado ao longo das últimas quatro décadas, como resultado do declínio de outras pescarias de lutjanídeos desde o final da década de 1970. Essa intensificação tem se refletido no acúmulo de evidências de sobrepesca desde a metade dos anos 2000. Ao longo de sua distribuição na costa brasileira, o Ariocó está exposto a diferentes condições ambientais e oceanográficas que podem atuar separando a população em unidades de manejo distintas. Apesar disso, não existem estudos de identificação de estoques espécie baseado em métodos fenotípicos para a espécie na região. Nesse cenário, o presente trabalho se propôs a investigar a existência de diferentes estoques pesqueiros de L. synagris na costa do Oceano Atlântico Sul Ocidental, utilizando métodos de identificação baseados na forma e composição isotópica (δ13C e δ18O) de otólitos. Além disso, buscou-se também testar a aplicabilidade dos limites geográficos propostos para os Grandes Ecossistemas Marinhos e as Ecorregiões Marinhas como alternativas para estimar fronteiras de estoques, o que poderia representar uma abordagem prática para possibilitar avaliações de estoques cujos limites sejam desconhecidos. A heterogeneidade espacial evidenciada pelos indicadores utilizados aponta para a existência de diferentes estoques pesqueiros do Ariocó na região, indo de encontro a resultados anteriores obtidos através de métodos genéticos. Os resultados sugerem uma grande influência de condições ambientais e oceanográficas como agentes de separação de estoques. Os limites das Ecorregiões Marinhas foram considerados mais apropriados para estimar fronteiras de estoques, representando uma abordagem rápida e viável para facilitar avaliações em pescarias com baixa disponibilidade de dados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1171022 - BEATRICE PADOVANI FERREIRA
Interno - 1287673 - MOACYR CUNHA DE ARAUJO FILHO
Externo ao Programa - 3106380 - MARCELO FRANCISCO DE NOBREGA
Externo à Instituição - PAULO JOSE DUARTE NETO - UFRPE
Externa à Instituição - ALINE ROCHA FRANÇA - UFPE
Notícia cadastrada em: 09/06/2021 13:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01