PPGBA PROGRAMA DE POS-GRADUACAO EM BIOLOGIA ANIMAL - CB DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA - CB Telefone/Ramal: (81) 98164-1131

Banca de DEFESA: CLAUDIO ANTONIO DE MOURA PEREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CLAUDIO ANTONIO DE MOURA PEREIRA
DATA : 23/02/2022
HORA: 09:00
LOCAL: VIDEOCONFERÊNCIA
TÍTULO:

DIVERSIDADE E ESTRUTURA GENÉTICA DO DOURADO (CORYPHAENA HIPPURUS: PERCIFORMES, CORYPHAENIDAE) DA COSTA BRASILEIRA E AS IMPLICAÇÕES NA CONSERVAÇÃO DE UM RECURSO PESQUEIRO NO MUNDO


PALAVRAS-CHAVES:

Genética populacional. Recursos pesqueiros. Dourado-do-mar. Conservação marinha.


PÁGINAS: 76
RESUMO:
Além do fluxo gênico, a composição genética (em termos de diversidade e estrutura) de populações de peixes marinhos podem ser influenciadas também pela pesca, cujas reduções populacionais podem intensificar processos como endogamia, deriva genética, e perda de plasticidade fenotípica pela diminuição do potencial evolutivo. Coryphaena hippurus (dourado) é uma espécie de peixe que possui características biológicas interessantes como o fato de ser excelente migradora,e ser predadora de topo. A espécie tem ainda importância econômica, figurando como um importante recurso pesqueiro a nível mundial. Nos últimos 60 anos, os índices de pesca global têm reportado um aumento de sete ordens de magnitude na captura de dourados, indo de 25 mil toneladas anuais no primeiro reporte a 255 mil toneladas no mais recente feito no ano de 2014. Nos últimos 10 anos diversos pesquisadores ao longo do mundo têm buscado elevar o conhecimento quanto à diversidade e estrutura genética deste importante recurso pesqueiro utilizando geralmente o marcador molecular mitocondrial NADH1 (Nad Desidrogenase Sub-unidade 1). Apesar de figurar como um importante recurso pesqueiro a nível global, não há um panorama sobre a diversidade (potencial evolutivo) e estrutura genética de Coryphaena hippurus na costa brasileira. Além disso, é desconhecido o papel histórico de conexão do estoque brasileiro frente aos estoques genéticos de outras já bem conhecidas bacias oceânicas mundo afora. De maneira geral, nossos resultados revelaram valores de diversidade genética variando de moderados a altos, sugerindo que a espécie não reflete os possíveis efeitos deletérios causados pela atividade pesqueira, possivelmente atenuados pela sua fisiologia. Além disso, as variações na temperatura da água e nível do mar durante o Pleistoceno parecem ter tido papel de destaque na distribuição e conectividade das populações de dourados em toda a sua amplitude geográfica. Ademais, nossos dados apontam para a presença de uma população panmítica de C. hippurus em toda a costa brasileira, e que esta representa um estoque único e geneticamente distinto de outras populações da espécie situadas na porção superior do Oceano Atlântico, Pacífico e Mediterrâneo, sendo este último o mais divergente. Perante um cenário de aumento da exploração da espécie, tais informações poderão ser utilizadas como norteadoras de programas de exploração sustentável a nível nacional e mundial deste importante recurso.

MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - SILVIA HELENA SOFIA
Externa à Instituição - JOANA ISABEL ESPIRITO SANTO ROBALO
Presidente - 2581104 - MONICA LUCIA ADAM
Externa à Instituição - ROSANGELA PAULA TEIXEIRA LESSA
Notícia cadastrada em: 10/02/2022 10:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01