PPGBF PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA DE FUNGOS - CB DEPARTAMENTO DE MICOLOGIA - CB Telefone/Ramal: (81) 9992-99039

Banca de DEFESA: BRUNA RODRIGUES DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : BRUNA RODRIGUES DE SOUSA
DATA : 30/09/2022
HORA: 13:30
LOCAL: anfiteatro 12 do Centro de Biociências
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO POLIFÁSICA, DESCRIÇÃO EPIDEMIOLÓGICA E ANÁLISE DE MECANISMOS DE REVERSÃO DE RESISTÊNCIA FÚNGICA A TRIAZÓLICOS DE ISOLADOS CLÍNICOS DE Candida sp. A PARTIR DE DERIVADOS PIRIDIL-TIAZOLIDINONAS


PALAVRAS-CHAVES:

Candidíase invasiva. Leveduras emergentes. Sinergismo. Mecanismos de resistência.


PÁGINAS: 250
RESUMO:

A Candidíase Invasiva (CI) representa um grave problema de saúde pública devido
as altas taxas de morbimortalidade. Os triazólicos são comumente utilizados na
terapia desta infecção, o que fez com que nos últimos anos, Candida spp. tenham
desenvolvido resistência. A resistência fúngica limita as opções terapêuticas e o
tratamento combinado é considerado uma ferramenta relevante. Neste sentido,
Derivados Piridil-tiazolidinonas (DPT) surgem como uma opção devido seus
farmacóforos possuírem atividade antimicrobiana descrita. Assim, o estudo teve
como objetivo caracterizar isolados clínicos de Candida por abordagem polifásica,
descrever o perfil clínico-epidemiológico dos casos envolvidos e analisar os
mecanismos de reversão da resistência fúngica a triazólicos a partir de DPT para
propor uma nova alternativa terapêutica. O diagnóstico da CI foi realizado por
metodologia convencional. As colônias de Candida spp. isoladas e puras foram
identificadas utilizando ágar cromogênico, sistema automatizado e proteômica. O
mapeamento epidemiológico dos pacientes envolvidos na pesquisa foi realizado por
análise de prontuário. O perfil de susceptibilidade das cepas a Fluconazol (FLC),
Voriconazol (VRC), Isavuconazol (ISA) e DPT foi avaliado por microdiluição em
caldo. A reversão da resistência foi avaliada por teste tipo tabuleiro de xadrez com
os triazólicos e o composto DPT mais bioativo isoladamente. O nível de expressão
relativa de ERG11, CDR1, CDR2 e MDR1 foi avaliado em dois isolados de Candida
resistentes a FLC e VRC sob diferentes condições de exposição antifúngica. A CI foi
confirmada em 24 pacientes, onde treze (53%) eram mulheres. Hipertensão arterial
sistêmica, diabetes mellitus, câncer, uso de antibioticoterapia, de dispositivos
invasivos e cirurgia prévia foram associados a esta infecção. Foram incorporados a
pesquisa 48 cepas de Candida spp., onde a proteômica identificou com maior
prevalência 14 (29%) C. albicans. Onze cepas emergentes de C. auris (23%), e uma
(2%) cepa de cada espécie a seguir: C. duobushaemulonii, C. guilliermondii, C.
lusitaniae, C. nivariensis e C. pelliculosa. Sete (14%), 12 (25%) e oito (17%) cepas
se apresentaram como Resistentes (R) ou Non-Wild Type (NWT) ao FLC, VRC e
ISA respectivamente. Cinco entre os DPTs avaliados foram eficientes, onde o
composto ((Z)-2-((E)-(1-(pyridin-2-yl)ethylidene)hydrazono)thiazolidin-4-one) (JA2-
21a) apresentou destaque com uma média de concentração inibitória mínima de 4

μg/mL. Em cinco (71%) isolados R ou NWT ao FLC foi observado Interação
Sinérgica Fungistática (ISF50) com o JA2-21a. Para o VRC, cinco (42%) isolados R
ou NWT apresentaram ISF50 e dois (17%) Interação Sinérgica Fungicida (ISF100).
Seis (75%) isolados NWT ao ISA apresentaram ISF50 e dois (25%) ISF100. A
resistência de C. tropicalis (BS 06) foi confirmada por superexpressão do ERG11,
CDR1 e CDR2; em C. albicans (BS 36) por upregulation do CDR2. O composto JA2-
21a promoveu a reversão da resistência em ambos os isolados por downregulation
do ERG11, CDR1 e CDR2. Em suma, este estudo relatou a segunda ocorrência de
C. nivariensis no Brasil e a primeira de C. auris em Pernambuco. Além do que,
demonstrou a capacidade antifúngica e moduladora do composto JA2-21a sob
genes ligados a resistência fúngica, o que pode contribuir para o desenvolvimento
de uma nova terapia complementar para a CI.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - GUILHERME MARANHAO CHAVES
Externo à Instituição - MANOEL MARQUES EVANGELISTA DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2293969 - PAULO SERGIO RAMOS DE ARAUJO - nullInterno - 2036711 - REGINALDO GONCALVES DE LIMA NETO
Externa ao Programa - 1132501 - SYLVIA MARIA DE LEMOS HINRICHSEN - null
Notícia cadastrada em: 30/09/2022 10:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01