Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPE

2022
Dissertações
1
  • CLAUDIA NOBREGA MOREIRA REIS
  • Estratégias para implantação ou melhoria da gestão de níveis de serviço de TI em instituições federais de ensino superior

  • Orientador : ALEXANDRE MARCOS LINS DE VASCONCELOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALEXANDRE MARCOS LINS DE VASCONCELOS
  • CARINA FROTA ALVES
  • SHEILA DOS SANTOS REINEHR
  • Data: 31/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • As Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) brasileiras vêm experimentando ao longo dos anos uma contínua expansão, com a ampliação da oferta de cursos e vagas distribuídos nos diversos Campi do país, o que se reflete em uma maior demanda por recursos e serviços de tecnologia da informação e comunicação (TIC). À medida que cada vez mais investimentos na área são necessários, é requerido que as instituições adotem medidas para melhor gerenciar a qualidade de seus serviços, ao mesmo tempo em que os orçamentos públicos exigem um maior controle para a eficiência dos custos operacionais na prestação desses serviços. Através de uma boa condução do processo de gerenciamento de níveis de serviço (SLM) de TIC, é possível lidar com este desafio, uma vez que deverá ser definido o nível de prestação de serviço mais adequado para sustentar as operações da organização, alinhando os objetivos estratégicos de negócio à sua capacidade operacional. Entretanto, em levantamento de dados procedentes do TCU e em pesquisa de campo realizada neste trabalho foram evidenciadas várias deficiências quanto à implementação e condução do processo de SLM nas IFES, cujo nível de capacidade revelou-se crítico. O SLM é extremamente importante para promover a melhoria contínua da qualidade dos serviços (QoS) e o alinhamento estratégico entre as áreas de TIC e negócios, o que contribui para a satisfação dos usuários de serviços. Neste sentido, este trabalho propõe um conjunto de estratégias baseadas em boas práticas, métodos, técnicas, ferramentas, enfim, recomendações para apoiar a tarefa de implantar e gerenciar os níveis de serviço de TIC, de forma a contribuir para o uso eficiente dos recursos direcionados à área e para a melhoria da prestação de serviços nas IFES. Para isso, os dados obtidos em um mapeamento sistemático da literatura (MSL), sobre as práticas comumente aplicadas ao processo de SLM, foram cruzados com os resultados das IFES em dois levantamentos do TCU envolvendo o tema (2016 e 2018) e com uma pesquisa de campo realizada entre profissionais de TIC para conhecer a situação atual do processo nas 110 IFES brasileiras. O resultado deste encadeamento de informações serviu de base para a construção de um amplo conjunto de estratégias, que foi implementado sob a forma de tutoriais na base de conhecimento de uma Central de Serviços de TIC de uma IFES. O conjunto foi avaliado em um grupo focal com uma equipe de servidores atuantes na gestão de serviços, no qual foi discutida e validada a utilidade da proposta e os participantes avaliaram cada uma das estratégias individualmente, por meio de um formulário, confirmando as contribuições de sua aplicação para a implementação ou melhoria do processo de SLM na IFES.


  • Mostrar Abstract
  • As Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) brasileiras vêm experimentando ao longo dos anos uma contínua expansão, com a ampliação da oferta de cursos e vagas distribuídos nos diversos Campi do país, o que se reflete em uma maior demanda por recursos e serviços de tecnologia da informação e comunicação (TIC). À medida que cada vez mais investimentos na área são necessários, é requerido que as instituições adotem medidas para melhor gerenciar a qualidade de seus serviços, ao mesmo tempo em que os orçamentos públicos exigem um maior controle para a eficiência dos custos operacionais na prestação desses serviços. Através de uma boa condução do processo de gerenciamento de níveis de serviço (SLM) de TIC, é possível lidar com este desafio, uma vez que deverá ser definido o nível de prestação de serviço mais adequado para sustentar as operações da organização, alinhando os objetivos estratégicos de negócio à sua capacidade operacional. Entretanto, em levantamento de dados procedentes do TCU e em pesquisa de campo realizada neste trabalho foram evidenciadas várias deficiências quanto à implementação e condução do processo de SLM nas IFES, cujo nível de capacidade revelou-se crítico. O SLM é extremamente importante para promover a melhoria contínua da qualidade dos serviços (QoS) e o alinhamento estratégico entre as áreas de TIC e negócios, o que contribui para a satisfação dos usuários de serviços. Neste sentido, este trabalho propõe um conjunto de estratégias baseadas em boas práticas, métodos, técnicas, ferramentas, enfim, recomendações para apoiar a tarefa de implantar e gerenciar os níveis de serviço de TIC, de forma a contribuir para o uso eficiente dos recursos direcionados à área e para a melhoria da prestação de serviços nas IFES. Para isso, os dados obtidos em um mapeamento sistemático da literatura (MSL), sobre as práticas comumente aplicadas ao processo de SLM, foram cruzados com os resultados das IFES em dois levantamentos do TCU envolvendo o tema (2016 e 2018) e com uma pesquisa de campo realizada entre profissionais de TIC para conhecer a situação atual do processo nas 110 IFES brasileiras. O resultado deste encadeamento de informações serviu de base para a construção de um amplo conjunto de estratégias, que foi implementado sob a forma de tutoriais na base de conhecimento de uma Central de Serviços de TIC de uma IFES. O conjunto foi avaliado em um grupo focal com uma equipe de servidores atuantes na gestão de serviços, no qual foi discutida e validada a utilidade da proposta e os participantes avaliaram cada uma das estratégias individualmente, por meio de um formulário, confirmando as contribuições de sua aplicação para a implementação ou melhoria do processo de SLM na IFES.

2
  • JOBSON TENORIO DO NASCIMENTO
  • Promovendo a Autorregulação e a Autoeficácia de Estudantes de Computação na Abordagem PBL: A
    Proposta da Ferramenta PBL StudentBoard para o Monitoramento do Progresso da Aprendizagem.

  • Orientador : SIMONE CRISTIANE DOS SANTOS LIMA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ELAINE HARADA TEIXEIRA DE OLIVEIRA
  • SIMONE CRISTIANE DOS SANTOS LIMA
  • VINICIUS CARDOSO GARCIA
  • Data: 11/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • Em pleno curso no mundo todo, a revolução digital é um fenômeno sem volta que afeta
    a todos. Atualmente, vivenciamos um cenário preocupante de falta de profissionais da área de
    Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) capacitados para atender a demanda de um
    mercado cada vez mais exigente. Para atender esse mercado, o modelo tradicional de
    educação tem se mostrado ineficaz para promover, de forma significativa, habilidades que vão
    além das adquiridas com conhecimento apenas técnico, tais como criatividade,
    empreendedorismo, competências socioemocionais, entre outras. Parte importante de uma
    solução para este problema é a adoção de abordagens de ensino inovadoras que façam dos
    estudantes protagonistas de seu processo de aprendizagem.
    No ensino de computação, a aprendizagem baseada em problemas (do inglês, PBL ou
    Problem-Based Learning ) tem se destacado pelo seu equilíbrio entre o conteúdo e a prática, a
    academia e o mercado profissional, trazendo clientes e problemas reais para fornecer um
    ambiente de aprendizagem que proporciona aos alunos um envolvimento e uma consciência
    real sobre os problemas que terão de enfrentar na profissão, desenvolvendo competências
    (conhecimentos, habilidades e atitudes) relevantes para o mercado profissional e para o
    convívio em sociedade. Dentre várias características dessa abordagem, este estudo tem como
    foco a intencionalidade necessária por parte do aluno no PBL, trazendo responsabilidades pelo
    seu aprendizado por meio de reflexão e planejamento sobre o que, como e por que aprender.
    Nesse contexto, ainda existem muitos desafios a serem superados, dentre eles a dificuldade
    de estimular a regulação e a autorregulação dos estudantes, o que levou a questão central de
    pesquisa: Como aperfeiçoar o processo de avaliação em PBL aplicado a cursos de
    computação, sob as perspectivas da autorregulação e da autoeficácia dos estudantes,
    provendo uma solução de automonitoramento do progresso da aprendizagem que seja
    útil e fácil de usar?
    Assim, a partir da Design Science Research (DSR), esta pesquisa propõe uma solução,
    chamada de PBL StudentBoard. Voltada principalmente para o estudante, essa solução é
    baseada em um modelo de avaliação autêntica, que lhe permite monitorar o progresso da sua
    aprendizagem por meio de uma interface concebida para dispositivos móveis e integrada ao
    seu cotidiano. O monitoramento e automonitoramento levam a uma maior autoeficácia,
    persistência e sucesso, pois sem monitoramento os alunos ficam em um estado de incerteza
    sobre o quão bem estão aprendendo, impactando diretamente na efetividade da abordagem
    PBL.
    Como resultados dessa pesquisa, foi concebido um protótipo funcional da interface do
    PBL StudentBoard, que pela avaliação de alunos e especialistas em PBL, atende às
    expectativas, facilitando que os estudantes recebam feedbacks e monitorem seu aprendizado.


  • Mostrar Abstract
  • Em pleno curso no mundo todo, a revolução digital é um fenômeno sem volta que afeta
    a todos. Atualmente, vivenciamos um cenário preocupante de falta de profissionais da área de
    Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) capacitados para atender a demanda de um
    mercado cada vez mais exigente. Para atender esse mercado, o modelo tradicional de
    educação tem se mostrado ineficaz para promover, de forma significativa, habilidades que vão
    além das adquiridas com conhecimento apenas técnico, tais como criatividade,
    empreendedorismo, competências socioemocionais, entre outras. Parte importante de uma
    solução para este problema é a adoção de abordagens de ensino inovadoras que façam dos
    estudantes protagonistas de seu processo de aprendizagem.
    No ensino de computação, a aprendizagem baseada em problemas (do inglês, PBL ou
    Problem-Based Learning ) tem se destacado pelo seu equilíbrio entre o conteúdo e a prática, a
    academia e o mercado profissional, trazendo clientes e problemas reais para fornecer um
    ambiente de aprendizagem que proporciona aos alunos um envolvimento e uma consciência
    real sobre os problemas que terão de enfrentar na profissão, desenvolvendo competências
    (conhecimentos, habilidades e atitudes) relevantes para o mercado profissional e para o
    convívio em sociedade. Dentre várias características dessa abordagem, este estudo tem como
    foco a intencionalidade necessária por parte do aluno no PBL, trazendo responsabilidades pelo
    seu aprendizado por meio de reflexão e planejamento sobre o que, como e por que aprender.
    Nesse contexto, ainda existem muitos desafios a serem superados, dentre eles a dificuldade
    de estimular a regulação e a autorregulação dos estudantes, o que levou a questão central de
    pesquisa: Como aperfeiçoar o processo de avaliação em PBL aplicado a cursos de
    computação, sob as perspectivas da autorregulação e da autoeficácia dos estudantes,
    provendo uma solução de automonitoramento do progresso da aprendizagem que seja
    útil e fácil de usar?
    Assim, a partir da Design Science Research (DSR), esta pesquisa propõe uma solução,
    chamada de PBL StudentBoard. Voltada principalmente para o estudante, essa solução é
    baseada em um modelo de avaliação autêntica, que lhe permite monitorar o progresso da sua
    aprendizagem por meio de uma interface concebida para dispositivos móveis e integrada ao
    seu cotidiano. O monitoramento e automonitoramento levam a uma maior autoeficácia,
    persistência e sucesso, pois sem monitoramento os alunos ficam em um estado de incerteza
    sobre o quão bem estão aprendendo, impactando diretamente na efetividade da abordagem
    PBL.
    Como resultados dessa pesquisa, foi concebido um protótipo funcional da interface do
    PBL StudentBoard, que pela avaliação de alunos e especialistas em PBL, atende às
    expectativas, facilitando que os estudantes recebam feedbacks e monitorem seu aprendizado.

3
  • CLAYTON RICARDO FRANCESCHETTO
  • Um guia de boas práticas para o gerenciamento de configurações dos ativos de redes dos institutos federais de educação

  • Orientador : ALEXANDRE MARCOS LINS DE VASCONCELOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RODRIGO QUITES REIS
  • ALEXANDRE MARCOS LINS DE VASCONCELOS
  • VINICIUS CARDOSO GARCIA
  • Data: 15/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • Os Institutos federais de educação se caracterizam por ofertar educação gratuita e de qualidade nos níveis acadêmicos, que vão do ensino médio até a pós-graduação stricto sensu. Para que sejam capazes de atingir os objetivos institucionais, os departamentos de tecnologia da informação são parceiros estratégicos no alcance dessas demandas, pois é de sua responsabilidade a prospecção e provimento de recursos tecnológicos, entregues através da infraestrutura e redes disponibilizadas, alinhadas às necessidades organizacionais. No contexto em que tais instituições se distinguem pelo formato multicampi e, cada unidade que o compõem, possui autonomia para gerenciar da melhor forma os ativos de rede sob sua responsabilidade, garantir a integração entre os variados dispositivos de rede é uma tarefa árdua. Em ambientes de redes, a configuração de um novo equipamento pode impactar no funcionamento de outro. Muito tempo é demandado na identificação e resolução dos problemas dessa natureza, com alto grau de dependência humana na resolução de conflitos, a um custo operacional muito alto. Esta pesquisa se propôs a identificar as características do gerenciamento de configurações dos ativos de redes nos institutos federais de ensino. Para tanto, buscou estudos que abordaram o gerenciamento de configurações na literatura, fazendo uso de técnicas como a Revisão Sistemática da Literatura (RSL), Snowballing e literatura cinza. A partir dos dados obtidos, um guia foi desenvolvido e submetido para avaliação de um grupo focal. O mesmo pretende servir como referência para que os servidores atuantes na área de infraestrutura e redes sejam capazes de identificar os problemas que os acometem, e as potenciais soluções para saná-los.


  • Mostrar Abstract
  • Os Institutos federais de educação se caracterizam por ofertar educação gratuita e de qualidade nos níveis acadêmicos, que vão do ensino médio até a pós-graduação stricto sensu. Para que sejam capazes de atingir os objetivos institucionais, os departamentos de tecnologia da informação são parceiros estratégicos no alcance dessas demandas, pois é de sua responsabilidade a prospecção e provimento de recursos tecnológicos, entregues através da infraestrutura e redes disponibilizadas, alinhadas às necessidades organizacionais. No contexto em que tais instituições se distinguem pelo formato multicampi e, cada unidade que o compõem, possui autonomia para gerenciar da melhor forma os ativos de rede sob sua responsabilidade, garantir a integração entre os variados dispositivos de rede é uma tarefa árdua. Em ambientes de redes, a configuração de um novo equipamento pode impactar no funcionamento de outro. Muito tempo é demandado na identificação e resolução dos problemas dessa natureza, com alto grau de dependência humana na resolução de conflitos, a um custo operacional muito alto. Esta pesquisa se propôs a identificar as características do gerenciamento de configurações dos ativos de redes nos institutos federais de ensino. Para tanto, buscou estudos que abordaram o gerenciamento de configurações na literatura, fazendo uso de técnicas como a Revisão Sistemática da Literatura (RSL), Snowballing e literatura cinza. A partir dos dados obtidos, um guia foi desenvolvido e submetido para avaliação de um grupo focal. O mesmo pretende servir como referência para que os servidores atuantes na área de infraestrutura e redes sejam capazes de identificar os problemas que os acometem, e as potenciais soluções para saná-los.

4
  • WELINGTON MOTHÉ DE OLIVEIRA
  • Proposta de uma Metodologia de Desenvolvimento Distribuído de Software para Instituições Federais de Educação

  • Orientador : ALEXANDRE MARCOS LINS DE VASCONCELOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALEXANDRE MARCOS LINS DE VASCONCELOS
  • RAFAEL PRIKLADNICKI
  • VINICIUS CARDOSO GARCIA
  • Data: 20/07/2022

  • Mostrar Resumo
  • Com a crescente utilização de sistemas computacionais a demanda por desenvolvimento e manutenção de software tem se tornado cada vez maior, sobrecarregando assim pequenas equipes centralizadas. O desenvolvimento de software tem evoluído de acordo com surgimento de novas tecnologias e a exigência do mercado cada vez mais globalizado, forçando muitas empresas a distribuir suas equipes de desenvolvimento de software com o objetivo de aumentar sua produtividade. Atualmente é possível listar muitos casos em que grandes empresas multinacionais deixaram de ter uma equipe centralizada para usufruir dos benefícios de múltiplas equipes trabalhando em países com fuso horários distintos e produzindo software de maneira ininterrupta. Porém apesar de muitos benefícios o modelo de Desenvolvimento Distribuído de Software (DDS) também traz um grau de complexidade muito maior, podendo levar a elevado custo ou a perda de produtividade se mal implantado. Neste contexto, esta pesquisa tem como objetivo a elaboração de uma proposta de metodologia de DDS para um melhor desempenho de projetos no cenário dos Institutos Federais (IFs). A proposta foi fundamentada nos resultados de uma revisão sistemática da literatura, uma pesquisa ad-hoc da literatura e estudo de campo qualitativo e quantitativo baseado em dois formulários (Survey) executados em conjunto com reuniões virtuais. Neste sentido, a principal contribuição desta pesquisa é uma melhor taxa de sucesso dos projetos de desenvolvimento distribuído de software dos Institutos Federais.


  • Mostrar Abstract
  • Com a crescente utilização de sistemas computacionais a demanda por desenvolvimento e manutenção de software tem se tornado cada vez maior, sobrecarregando assim pequenas equipes centralizadas. O desenvolvimento de software tem evoluído de acordo com surgimento de novas tecnologias e a exigência do mercado cada vez mais globalizado, forçando muitas empresas a distribuir suas equipes de desenvolvimento de software com o objetivo de aumentar sua produtividade. Atualmente é possível listar muitos casos em que grandes empresas multinacionais deixaram de ter uma equipe centralizada para usufruir dos benefícios de múltiplas equipes trabalhando em países com fuso horários distintos e produzindo software de maneira ininterrupta. Porém apesar de muitos benefícios o modelo de Desenvolvimento Distribuído de Software (DDS) também traz um grau de complexidade muito maior, podendo levar a elevado custo ou a perda de produtividade se mal implantado. Neste contexto, esta pesquisa tem como objetivo a elaboração de uma proposta de metodologia de DDS para um melhor desempenho de projetos no cenário dos Institutos Federais (IFs). A proposta foi fundamentada nos resultados de uma revisão sistemática da literatura, uma pesquisa ad-hoc da literatura e estudo de campo qualitativo e quantitativo baseado em dois formulários (Survey) executados em conjunto com reuniões virtuais. Neste sentido, a principal contribuição desta pesquisa é uma melhor taxa de sucesso dos projetos de desenvolvimento distribuído de software dos Institutos Federais.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02.ufpe.br.sigaa02