PPGAR PROGRAMA DE POS-GRADUACAO EM ARQUEOLOGIA - CFCH DEPARTAMENTO DE ARQUEOLOGIA - CFCH Telefone/Ramal: 98630-3666
Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPE

2022
Dissertações
1
  • RAVENA BARBOSA MACHADO DE SOUZA
  • SALVAGUARDANDO UM ACERVO: Diagnóstico de Conservação e Documentação de Vestígios Metálicos do Sítio Cruz do Patrão, Recife-PE

  • Orientador : ANA CATARINA PEREGRINO TORRES RAMOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA CATARINA PEREGRINO TORRES RAMOS
  • HENRY SOCRATES LAVALLE SULLASI
  • NEUVANIA CURTY GHETTI
  • Data: 25/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • A salvaguarda do patrimônio arqueológico requer uma série de esforços interligados e complementares que envolvem a conservação e documentação de todo tipo possível de informação presente nos vestígios arqueológicos. As pesquisas arqueológicas objetivam entender aspectos sociais da humanidade a partir de sua cultura material e os estudos de conservação buscam identificar meios que retardem ou minimizem o processo natural de degradação e, consequentemente, a perda das informações contidas nesses vestígios. Para a conservação de acervos arqueológicos, ações preventivas devem ser priorizadas, visando a sua gestão, dentro de um contexto que considera ambiente, materiais, logística, equipe e capacidade de atuação. Aprimorar o processo de documentação e desenvolver diagnósticos de conservação, que mapeiam o acervo para orientar as atividades a curto, médio e longo prazo, tornam-se ações de grande importância para subsidiar a elaboração de um plano de gestão, pois são de fácil execução e os resultados obtidos contribuem sobremaneira para este fim. Nesse sentido, o objetivo geral dessa pesquisa é discutir e apresentar estratégias para a salvaguarda de peças metálicas por meio da elaboração de um protocolo de guarda. Os objetivos específicos são a caracterização, documentação e a definição do estado de conservação do acervo metálico do sítio Cruz do Patrão e a indicação de práticas para o acondicionamento, armazenamento e tratamento do material. Os métodos utilizados foram a elaboração de uma ficha de documentação para acervos metálicos e a produção de um diagnóstico de conservação do acervo metálico do sítio estudado. A partir do resultado dessas análises, articulando-os com os dados obtidos em uma revisão bibliográfica sobre os tipos de acondicionamentos e armazenamentos recomendados para acervos metálicos arqueológicos, apresentou-se um protocolo de guarda compatível com as possibilidades do Lacor/UFPE. Com isso, conclui-se que as práticas de salvaguarda abordadas nessa pesquisa apresentam resultados satisfatórios e podem ser adotadas como primeiras estratégias para se atingir o objetivo último de preservar o patrimônio arqueológico.


  • Mostrar Abstract
  • A salvaguarda do patrimônio arqueológico requer uma série de esforços interligados e complementares que envolvem a conservação e documentação de todo tipo possível de informação presente nos vestígios arqueológicos. As pesquisas arqueológicas objetivam entender aspectos sociais da humanidade a partir de sua cultura material e os estudos de conservação buscam identificar meios que retardem ou minimizem o processo natural de degradação e, consequentemente, a perda das informações contidas nesses vestígios. Para a conservação de acervos arqueológicos, ações preventivas devem ser priorizadas, visando a sua gestão, dentro de um contexto que considera ambiente, materiais, logística, equipe e capacidade de atuação. Aprimorar o processo de documentação e desenvolver diagnósticos de conservação, que mapeiam o acervo para orientar as atividades a curto, médio e longo prazo, tornam-se ações de grande importância para subsidiar a elaboração de um plano de gestão, pois são de fácil execução e os resultados obtidos contribuem sobremaneira para este fim. Nesse sentido, o objetivo geral dessa pesquisa é discutir e apresentar estratégias para a salvaguarda de peças metálicas por meio da elaboração de um protocolo de guarda. Os objetivos específicos são a caracterização, documentação e a definição do estado de conservação do acervo metálico do sítio Cruz do Patrão e a indicação de práticas para o acondicionamento, armazenamento e tratamento do material. Os métodos utilizados foram a elaboração de uma ficha de documentação para acervos metálicos e a produção de um diagnóstico de conservação do acervo metálico do sítio estudado. A partir do resultado dessas análises, articulando-os com os dados obtidos em uma revisão bibliográfica sobre os tipos de acondicionamentos e armazenamentos recomendados para acervos metálicos arqueológicos, apresentou-se um protocolo de guarda compatível com as possibilidades do Lacor/UFPE. Com isso, conclui-se que as práticas de salvaguarda abordadas nessa pesquisa apresentam resultados satisfatórios e podem ser adotadas como primeiras estratégias para se atingir o objetivo último de preservar o patrimônio arqueológico.

Teses
1
  • MARIA FERNANDA VAN ERVEN
  • A CERÂMICA PINTADA TUPIGUARANI NO ESTADO DE PERNAMBUCO: questões de mudanças e continuidades entre o Litoral e o Semiárido

  • Orientador : CLAUDIA ALVES DE OLIVEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALENCAR DE MIRANDA AMARAL
  • CARLOS ALBERTO ETCHEVARNE
  • DANIELA CISNEIROS SILVA MUTZENBERG
  • LEANDRO ELIAS CANAAN MAGESTE
  • MARCOS ANTONIO GOMES DE MATTOS DE ALBUQUERQUE
  • Data: 10/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo do presente trabalho é compreender as semelhanças e as diferenças presentes na pintura da cerâmica Tupiguarani no Litoral e Semiárido de Pernambuco em uma perspectiva diacrônica. Consideramos a pintura como parte de um sistema de comunicação estilístico/funcional e os motivos pintados e gráficos como os signos que compõem a linguagem visual iconográfica dos grupos pretéritos que ocuparam o Litoral e o Semiárido Pernambucano. A metodologia utilizada consistiu na análise dos atributos presentes nas pinturas cerâmicas e na aplicação de diversos testes estatísticos averiguando as possibilidades interpretativas dos dados. Dessa forma, visando à aplicação da estrutura evolucionária darwiniana ao registro arqueológico, utilizamos os conceitos de estilo, função e transmissão cultural. Em termos práticos, os atributos funcionais seriam aqueles afetados pela seleção natural, possuindo características de desempenho que afetam a utilidade de artefatos seletivamente importantes. Por sua vez, a quantidade de variação é limitada e os traços estilísticos são definidos como seletivamente neutros, devendo demonstrar mais variação ao longo do tempo e espaço, pois não são limitados pela seleção natural. Já a Transmissão cultural consiste em um meio para compreender continuidades e mudanças, ou seja, estilo e função partindo da ideia de que as semelhanças no comportamento e nos artefatos podem ser causadas pela troca de informações utilizando-se outro mecanismo e não a genética. Ao fim, encontramos sítios do Litoral intercalados com os do Semiárido, o que nos levou a conjeturar que temos um compartilhamento de características específicas que aproximam sítios localizados em áreas fisiográficas distintas. Outrossim, encontramos agrupamentos formados por sítios exclusivamente do Litoral e também agrupamentos de sítios tão somente do Semiárido. Portanto, é possível pensar movimentos no sentido Litoral-Semiárido, o que é corroborado até o momento pelas datações disponíveis para a área.


  • Mostrar Abstract
  • O objetivo do presente trabalho é compreender as semelhanças e as diferenças presentes na pintura da cerâmica Tupiguarani no Litoral e Semiárido de Pernambuco em uma perspectiva diacrônica. Consideramos a pintura como parte de um sistema de comunicação estilístico/funcional e os motivos pintados e gráficos como os signos que compõem a linguagem visual iconográfica dos grupos pretéritos que ocuparam o Litoral e o Semiárido Pernambucano. A metodologia utilizada consistiu na análise dos atributos presentes nas pinturas cerâmicas e na aplicação de diversos testes estatísticos averiguando as possibilidades interpretativas dos dados. Dessa forma, visando à aplicação da estrutura evolucionária darwiniana ao registro arqueológico, utilizamos os conceitos de estilo, função e transmissão cultural. Em termos práticos, os atributos funcionais seriam aqueles afetados pela seleção natural, possuindo características de desempenho que afetam a utilidade de artefatos seletivamente importantes. Por sua vez, a quantidade de variação é limitada e os traços estilísticos são definidos como seletivamente neutros, devendo demonstrar mais variação ao longo do tempo e espaço, pois não são limitados pela seleção natural. Já a Transmissão cultural consiste em um meio para compreender continuidades e mudanças, ou seja, estilo e função partindo da ideia de que as semelhanças no comportamento e nos artefatos podem ser causadas pela troca de informações utilizando-se outro mecanismo e não a genética. Ao fim, encontramos sítios do Litoral intercalados com os do Semiárido, o que nos levou a conjeturar que temos um compartilhamento de características específicas que aproximam sítios localizados em áreas fisiográficas distintas. Outrossim, encontramos agrupamentos formados por sítios exclusivamente do Litoral e também agrupamentos de sítios tão somente do Semiárido. Portanto, é possível pensar movimentos no sentido Litoral-Semiárido, o que é corroborado até o momento pelas datações disponíveis para a área.

2021
Dissertações
1
  • ISMAEL DE FREITAS PAIVA
  • O OLHAR DA ARQUEOLOGIA MILITAR SOBRE O FORTE DOS REIS MAGOS, RN, BRASIL, DURANTE A CONQUISTA HOLANDESA NO SÉCULO XVII

  • Orientador : CARLOS CELESTINO RIOS E SOUZA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADLER HOMERO FONSECA DE CASTRO
  • CARLOS CELESTINO RIOS E SOUZA
  • MARCOS ANTONIO GOMES DE MATTOS DE ALBUQUERQUE
  • ROBERTO AIRON SILVA
  • Data: 13/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • O Forte dos Reis Magos, localizado na cidade de Natal/RN, sofreu uma intervenção arqueológica no ano de 2014. Durante essa escavação foram encontrados materiais de diversas tipologias. O material resgatado, contudo, até então não havia passado por qualquer estudo arqueológico. Dessa maneira, a presente pesquisa tem o intuito de estudar Forte dos Reis Magos, a partir dos projéteis de ferro resgatados nessa última escavação. Eles serviram como objetos da pesquisa para identificar a eficiência e a eficácia da artilharia presentes no Forte, durante a invasão holandesa, no ano de 1633. Assim, a análise desse material foi associada a outros dados como: a análise dos fatores geoambientais incidentes na área, dos elementos arquitetônicos, das condições do efetivo militar e da caracterização da armada holandesa. A interpretação desses dados serviu para tentar descobrir se as condições de defesa da fortificação estavam dentro das condições esperadas para um combate. Palavras-chave: Forte dos Reis Magos, RN; Arqueologia Militar; Balística; Período Holandê


  • Mostrar Abstract
  • O Forte dos Reis Magos, localizado na cidade de Natal/RN, sofreu uma intervenção arqueológica no ano de 2014. Durante essa escavação foram encontrados materiais de diversas tipologias. O material resgatado, contudo, até então não havia passado por qualquer estudo arqueológico. Dessa maneira, a presente pesquisa tem o intuito de estudar Forte dos Reis Magos, a partir dos projéteis de ferro resgatados nessa última escavação. Eles serviram como objetos da pesquisa para identificar a eficiência e a eficácia da artilharia presentes no Forte, durante a invasão holandesa, no ano de 1633. Assim, a análise desse material foi associada a outros dados como: a análise dos fatores geoambientais incidentes na área, dos elementos arquitetônicos, das condições do efetivo militar e da caracterização da armada holandesa. A interpretação desses dados serviu para tentar descobrir se as condições de defesa da fortificação estavam dentro das condições esperadas para um combate. Palavras-chave: Forte dos Reis Magos, RN; Arqueologia Militar; Balística; Período Holandê

2
  • CELYNE RODRIGUES BRITO DOS SANTOS DAVOGLIO
  • ARQUEOLOGIA DA CREMAÇÃO: ESTUDO DOS PROCESSOS DE QUEIMA DOS OSSOS HUMANOS DO SEPULTAMENTO 1, SÍTIO ARQUEOLÓGICO ALCOBAÇA, BUÍQUE – PE.

  • Orientador : SERGIO FRANCISCO SERAFIM MONTEIRO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SERGIO FRANCISCO SERAFIM MONTEIRO DA SILVA
  • VIVIANE MARIA CAVALCANTI DE CASTRO
  • DANIELA CISNEIROS SILVA MUTZENBERG
  • BRUNO DE AZEVEDO CAVALCANTI TAVARES
  • Data: 09/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • Os ossos queimados contam sua própria história revelando seu passado por meio das evidências deixadas pelo fogo. Este trabalho teve como foco a análise das características osteobiográficas, assim como a busca pelo conjunto de ações ou processos concernentes a cremação através do estudo de caso dos remanescentes humanos do sepultamento 1, buscando trazer uma discussão sobre o ciclo funerário das populações que habitaram a região de Buíque- PE, mais precisamente do sítio arqueológico Alcobaça (4.851 ± 30 a 888 ± 25 AP). A metodologia deste trabalho seguiu quatro etapas: a identificação anatômica e cálculo do número mínimo de indivíduos a partir dos fragmentos ósseos carbonizados; estimativa da idade; análise morfológica das alterações térmicas; estimativa das temperaturas de queima através da análise colorimétrica sob a inspeção ótica direta (análise macroscópica); e reconstrução da cadeia operatória da cremação. Como resultado este trabalho apresentou a proposta de um modelo das etapas ocorridas no ato de cremar os cadáveres: deposição primária, exumação, seleção dos ossos, queima e deposição final, com base nas informações osteobiográficas obtidas. Este estudo contribui para subsidiar o diálogo sobre a cremação como forma de tratamento funerário no Nordeste Brasileiro e estimular o debate sobre a arqueologia da cremação no Brasil.


  • Mostrar Abstract
  • Os ossos queimados contam sua própria história revelando seu passado por meio das evidências deixadas pelo fogo. Este trabalho teve como foco a análise das características osteobiográficas, assim como a busca pelo conjunto de ações ou processos concernentes a cremação através do estudo de caso dos remanescentes humanos do sepultamento 1, buscando trazer uma discussão sobre o ciclo funerário das populações que habitaram a região de Buíque- PE, mais precisamente do sítio arqueológico Alcobaça (4.851 ± 30 a 888 ± 25 AP). A metodologia deste trabalho seguiu quatro etapas: a identificação anatômica e cálculo do número mínimo de indivíduos a partir dos fragmentos ósseos carbonizados; estimativa da idade; análise morfológica das alterações térmicas; estimativa das temperaturas de queima através da análise colorimétrica sob a inspeção ótica direta (análise macroscópica); e reconstrução da cadeia operatória da cremação. Como resultado este trabalho apresentou a proposta de um modelo das etapas ocorridas no ato de cremar os cadáveres: deposição primária, exumação, seleção dos ossos, queima e deposição final, com base nas informações osteobiográficas obtidas. Este estudo contribui para subsidiar o diálogo sobre a cremação como forma de tratamento funerário no Nordeste Brasileiro e estimular o debate sobre a arqueologia da cremação no Brasil.

3
  • ANDERSON DA SILVA
  • O ESTUDO DA RELAÇÃO FUNÇÃO E USO REAL DE VASILHAMES CERÂMICOS ARQUEOLÓGICOS E SEUS MARCADORES: O SÍTIO SÃO BENTO DE JAGUARIBE-PE

  • Orientador : HENRY SOCRATES LAVALLE SULLASI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANDRE LUIZ CAMPELO DOS SANTOS
  • HENRY SOCRATES LAVALLE SULLASI
  • SUZENE IZIDIO DA SILVA
  • Data: 20/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho traz uma discussão aprofundada sobre a relação, uso e função, em vasilhames cerâmicos arqueológicos a partir de uma abordagem processual. A escolha do Sítio São Bento, como o objeto de estudo, retoma a importância do local e a necessidade de contribuir a respeito do conhecimento dos vestígios cerâmicos provindo do local, assim como também, ele foi escolhido dentre os demais sítios por conta da historicidade do mesmo. Para a realização do trabalho. Ele foi dividido em duas fases, a primeira composta da seleção inicial do material referente ao sítio, foram escolhidos 39 fragmentos, onde foram feitas análises tipológicas e reconstruções morfológicas para atribuirmos uma determinada função aos vestígios, nestes fragmentos, também foram observadas as marcas de uso. Na segunda fase foram escolhidos dez fragmentos cerâmicos, neles se deu a preparação para análise cromatográfica gasosa a um espectrômetro de massa acoplada para identificação dos biomarcadores referentes ao vasilhame analisado. Na primeira etapa verificamos a morfologia e as características tecnológicas de cada fragmento. Foi observado uma predominância de uma pasta plástica é uma manufatura torneada, assim como também, as dimensões encontradas da borda, bojo e base indicam presença de 3 grupos distintos de vestígios, os dois primeiros grupos tinham a função de preparar alimentos, cozer e assar respectivamente, e por fim o terceiro grupo para acondicionamento. A respeito dos dados das marcas de uso, os vestígios foram trabalhados a partir de suas duas faces, buscando traços de uso perceptíveis visualmente, foi observado uma concentração de fuligem e marcas de atrito com o corpo cerâmico o que significa uma possibilidade de uso dos vestígios, as quais seriam a cocção, assar e armazenar o alimento. Na segunda etapa, foi possível analisar 10 amostras com ao menos 1 exemplar de cada grupo, dos já citados, foram encontrados vestígios e traços orgânicos em 6 amostras que ainda não foram associados a algum alimento, pelo fato, de ser necessários ajustes na metodologia de extração do material orgânico. Em relação ao nosso questionamento inicial de uso e função podemos dizer que eles estão intimamente ligados visto que a função desencadeia o uso e a possibilidade de várias funções trazem várias outras possibilidades de uso, como por exemplo, um vasilhame que foi manufaturado para cocção de um alimento, em um contexto de cozinha, pode ser usado para armazenar outros objetos, em um contexto ritualístico. A representação técnica dá a forma para sanar as necessidades do ser humano, o qual atribui uma função inicial ou pretendida ao objeto e após a criação do mesmo, ele pode ser usado para cumprir a função que foi fabricado ou o uso dele pode ser variado em relação a necessidade.


  • Mostrar Abstract
  • O presente trabalho traz uma discussão aprofundada sobre a relação, uso e função, em vasilhames cerâmicos arqueológicos a partir de uma abordagem processual. A escolha do Sítio São Bento, como o objeto de estudo, retoma a importância do local e a necessidade de contribuir a respeito do conhecimento dos vestígios cerâmicos provindo do local, assim como também, ele foi escolhido dentre os demais sítios por conta da historicidade do mesmo. Para a realização do trabalho. Ele foi dividido em duas fases, a primeira composta da seleção inicial do material referente ao sítio, foram escolhidos 39 fragmentos, onde foram feitas análises tipológicas e reconstruções morfológicas para atribuirmos uma determinada função aos vestígios, nestes fragmentos, também foram observadas as marcas de uso. Na segunda fase foram escolhidos dez fragmentos cerâmicos, neles se deu a preparação para análise cromatográfica gasosa a um espectrômetro de massa acoplada para identificação dos biomarcadores referentes ao vasilhame analisado. Na primeira etapa verificamos a morfologia e as características tecnológicas de cada fragmento. Foi observado uma predominância de uma pasta plástica é uma manufatura torneada, assim como também, as dimensões encontradas da borda, bojo e base indicam presença de 3 grupos distintos de vestígios, os dois primeiros grupos tinham a função de preparar alimentos, cozer e assar respectivamente, e por fim o terceiro grupo para acondicionamento. A respeito dos dados das marcas de uso, os vestígios foram trabalhados a partir de suas duas faces, buscando traços de uso perceptíveis visualmente, foi observado uma concentração de fuligem e marcas de atrito com o corpo cerâmico o que significa uma possibilidade de uso dos vestígios, as quais seriam a cocção, assar e armazenar o alimento. Na segunda etapa, foi possível analisar 10 amostras com ao menos 1 exemplar de cada grupo, dos já citados, foram encontrados vestígios e traços orgânicos em 6 amostras que ainda não foram associados a algum alimento, pelo fato, de ser necessários ajustes na metodologia de extração do material orgânico. Em relação ao nosso questionamento inicial de uso e função podemos dizer que eles estão intimamente ligados visto que a função desencadeia o uso e a possibilidade de várias funções trazem várias outras possibilidades de uso, como por exemplo, um vasilhame que foi manufaturado para cocção de um alimento, em um contexto de cozinha, pode ser usado para armazenar outros objetos, em um contexto ritualístico. A representação técnica dá a forma para sanar as necessidades do ser humano, o qual atribui uma função inicial ou pretendida ao objeto e após a criação do mesmo, ele pode ser usado para cumprir a função que foi fabricado ou o uso dele pode ser variado em relação a necessidade.

Teses
1
  • MARCELO HERMINIO DOS SANTOS
  • PRÁTICAS FUNERÁRIAS RELIGIOSAS NO CEMITÉRIO DE SÃO SEBASTIÃO -

    VITÓRIA DE SANTO ANTÃO-PE (1875-2020)

  • Orientador : ANA CATARINA PEREGRINO TORRES RAMOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA CATARINA PEREGRINO TORRES RAMOS
  • VIVIANE MARIA CAVALCANTI DE CASTRO
  • RICARDO PINTO DE MEDEIROS
  • FABIANA COMERLATO
  • STELA GLAUCIA ALVES BARTHEL
  • Data: 15/10/2021

  • Mostrar Resumo
  • As práticas funerárias representam padrões de comportamento que simbolizam os sistemas
    sociais aos quais se conectam. Na arqueologia essas práticas são consideradas como um dos
    elementos identificadores das sociedades e o estudo de suas tipologias, estruturas e vestígios
    correlacionados são utilizadas como meio para identificar características sociais associadas.
    Esta tese estudou as representações religiosas nas práticas funerárias do Cemitério Público de
    São Sebastião na cidade de Vitória de Santo Antão, no estado de Pernambuco, como reflexo da
    dinâmica religiosa da sociedade vitoriense desde sua fundação em 1875, até o início de 2020.
    Reconhecendo a existência de padrões que estão expressos nos diversos tipos de túmulos
    encontrados foi possível catalogá-los considerando elementos como a construção, a tipologia e
    o estilo, os revestimentos e os símbolos presentes nos adornos. Estes elementos foram estudados
    em uma amostragem de 498 jazigos, o que simboliza 69% de um universo de 733 jazigos
    catalogados. O trabalho agregou em seu aporte teórico-metodológico uma perspectiva
    interdisciplinar entre vários campos do conhecimento, como a Arqueologia, História,
    Demografia e Estatística, dentre outros. Foi identificado para cada classe de análise um
    conjunto de variáveis qualitativas-quantitativas trabalhadas a partir de gráficos e tabelas que
    em conjunto à interpretação das oscilações, permitiu a identificação dos padrões expressos nas
    práticas funerárias. Estes padrões tem seu ápice de mudança em meados do século XX,
    configurando-se assim em dois momentos cronológicos bastante distintos, o primeiro que vai
    de 1870 até 1940 e o segundo, de 1950 até 2020, o que também é perceptível no comportamento
    religioso censitário. Neste quadro dinâmico de mudanças foi verificado a predileção por
    Gavetas, Túmulos e Banheiras com uma Tendência Estética Arquitetônica predominantemente
    Sem Estilo Arquitetônico Definido, que denotam uma representação direta na segunda metade
    do século XX e início do XXI da diminuição do catolicismo e da ascensão de outras religiões
    cristãs que possuem uma menor representatividade de crença na cultura material funerária, além
    daqueles que se declaram não cristãos. No aspecto simbólico, constata-se a permanência e o
    aumento na ocorrência do símbolo Cruz como uma representatividade universalizada desta
    pluralidade cristã no Brasil atrelado a não utilização de outras simbologias cristãs. Logo,
    compreende-se que a mudança de comportamento religioso demonstrado em quase 150 anos de
    dados censitários influenciou no mesmo período cronológico as representações das crenças
    religiosas nas práticas funerárias nos jazigos do cemitério municipal de São Sebastião em
    Vitória de Santo Antão – PE.


  • Mostrar Abstract
  • As práticas funerárias representam padrões de comportamento que simbolizam os sistemas
    sociais aos quais se conectam. Na arqueologia essas práticas são consideradas como um dos
    elementos identificadores das sociedades e o estudo de suas tipologias, estruturas e vestígios
    correlacionados são utilizadas como meio para identificar características sociais associadas.
    Esta tese estudou as representações religiosas nas práticas funerárias do Cemitério Público de
    São Sebastião na cidade de Vitória de Santo Antão, no estado de Pernambuco, como reflexo da
    dinâmica religiosa da sociedade vitoriense desde sua fundação em 1875, até o início de 2020.
    Reconhecendo a existência de padrões que estão expressos nos diversos tipos de túmulos
    encontrados foi possível catalogá-los considerando elementos como a construção, a tipologia e
    o estilo, os revestimentos e os símbolos presentes nos adornos. Estes elementos foram estudados
    em uma amostragem de 498 jazigos, o que simboliza 69% de um universo de 733 jazigos
    catalogados. O trabalho agregou em seu aporte teórico-metodológico uma perspectiva
    interdisciplinar entre vários campos do conhecimento, como a Arqueologia, História,
    Demografia e Estatística, dentre outros. Foi identificado para cada classe de análise um
    conjunto de variáveis qualitativas-quantitativas trabalhadas a partir de gráficos e tabelas que
    em conjunto à interpretação das oscilações, permitiu a identificação dos padrões expressos nas
    práticas funerárias. Estes padrões tem seu ápice de mudança em meados do século XX,
    configurando-se assim em dois momentos cronológicos bastante distintos, o primeiro que vai
    de 1870 até 1940 e o segundo, de 1950 até 2020, o que também é perceptível no comportamento
    religioso censitário. Neste quadro dinâmico de mudanças foi verificado a predileção por
    Gavetas, Túmulos e Banheiras com uma Tendência Estética Arquitetônica predominantemente
    Sem Estilo Arquitetônico Definido, que denotam uma representação direta na segunda metade
    do século XX e início do XXI da diminuição do catolicismo e da ascensão de outras religiões
    cristãs que possuem uma menor representatividade de crença na cultura material funerária, além
    daqueles que se declaram não cristãos. No aspecto simbólico, constata-se a permanência e o
    aumento na ocorrência do símbolo Cruz como uma representatividade universalizada desta
    pluralidade cristã no Brasil atrelado a não utilização de outras simbologias cristãs. Logo,
    compreende-se que a mudança de comportamento religioso demonstrado em quase 150 anos de
    dados censitários influenciou no mesmo período cronológico as representações das crenças
    religiosas nas práticas funerárias nos jazigos do cemitério municipal de São Sebastião em
    Vitória de Santo Antão – PE.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-UFPE) - (81) 2126-7777 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01.ufpe.br.sigaa01